terça-feira, 20 de agosto de 2019

Há 19 anos, passageiros de um ônibus da extinta linha 174 eram feitos de reféns no Rio

Assalto na Ponte Rio-Niterói foi inspirado no Caso 174
Um assalto ocorrido na Ponte Rio-Niterói nesta terça-feira (20), entre 5h25 e 9h00, fez lembrar de um outro caso que mobilizou todo o país no começo da década passada - mais precisamente em 12 de junho de 2000 - e serviu de inspiração para o sequestrador, identificado como Willian Augusto da Silva, prender outros 39 passageiros dentro de um ônibus. O intuito dele, segundo reféns, era "fazer história", mas se deu mal e acabou morto por um atirador de elite.

Refém sendo libertada do assalto ao ônibus 174, ocorrido no ano 2000
Sequestrador Willian Augusto da Silva no chão após levar bala
Há 19 anos, um ônibus da empresa Amigos Unidos que fazia a linha 174 (Central-Gávea), mudada no ano seguinte para 158, foi parado por policiais após estes serem alertados de que havia um homem armado dentro do coletivo. Tratava-se de Sandro Barbosa do Nascimento, de 21 anos, sobrevivente da Chacina da Candelária que rendeu e prendeu onze passageiros no veículo por mais de quatro horas.
O caso terminou com várias negociações feitas em vão e a morte de uma refém, a cearense Geisa Firmo Gonçalves, que tinha 20 anos e estava grávida de dois meses. A vida da moça foi interrompida pelo erro de um policial, que partiu da frente do veículo pra cima de Sandro e errou os disparos. Já o sequestrador teve sua morte anunciada a caminho da delegacia.


Sandro Barbosa do Nascimento com a refém Janaína Neves
Policiais à esquerda e quatro de onze reféns após o fim do assalto (a do meio, Janaína Neves)
Quando o sequestro de hoje foi anunciado, todos os passageiros esconderam seus pertences; porém, o elemento, que portava uma arma de brinquedo, fez questão de esclarecer que não se tratava de um assalto. De acordo com relatos de reféns, Willian fez menção ao filme que retratou e dramatizou o assalto mais conhecido do país, 'Última Parada 174', e disse ainda que queria parar o Rio de Janeiro inteiro com sua ação.
Ao longo do sequestro, seis reféns foram libertados. O meliante, que estava completamente perturbado e sob uso de energéticos, chegou a ser levado ao hospital com vida, mas não resistiu aos ferimentos e veio à óbito.

Bolsonaro diz que 'não tem que ter pena' de sequestrador e defende uso de atirador de elite em Niterói

Jornal do Brasil - O presidente Jair Bolsonaro defendeu a atuação de um atirador de elite contra o homem armado que manteve passageiros de um ônibus reféns por quase quatro horas na ponte Rio-Niterói, na manhã desta terça-feira (20), e afirmou que "não tem que ter pena". O suspeito foi morto pela polícia pouco depois.
"Estou sabendo [do caso]. No meu entender [a solução seria], snipper", disse. "Eu defendo que o cidadão de bem não morra nas mãos dessas pessoas", acrescentou.
A entrevista foi concedida antes da execução do sequestrador por um atirador de elite. Bolsonaro disse que a solução para o episódio seria o uso de um "snipper" para que o "cidadão de bem não morra nas mãos dessas pessoas".
Depois da ação policial no Rio de Janeiro, o porta-voz da Polícia Militar, coronel Mauro Fliess, confirmou o óbito e disse que a arma usada pelo sequestrador era de brinquedo. 
O criminoso, ainda não identificado, foi atingido no momento em que deixava o veículo. Nenhum dos reféns foi baleado. A polícia disse não saber, até a conclusão desta reportagem, as motivações que levaram o suspeito a sequestrar o ônibus.
Na entrevista, Bolsonaro lembrou do caso do sequestro do ônibus 174, em 2000, quando a professora Geísa Firmo Gonçalves foi assassinada pelo sequestrador Sandro Barbosa do Nascimento. 
"Não foi usado snipper e morreu uma professora inocente. Depois, esse vagabundo morreu no camburão", disse. "Não tem de ter pena."
O governador do Rio, Wilson Witzel (PSC), afirmou que vai promover os atiradores e elogiou o trabalho da polícia.

Morre paciente com câncer terminal de colo de útero que se casou em hospital em Maceió


G1 - Morreu nesta terça-feira (20) a paciente diagnosticada com câncer de colo de útero em estado avançado e que se casou dentro de um hospital em Maceió no último sábado (17).
A informação do óbito foi confirmada ao G1 na noite de desta terça pela assessoria de comunicação da Santa Casa de Misericórdia de Maceió, onde Michele Ferreira Costa, 27, estava internada.
Segundo o hospital, ela morreu às 16h05 em decorrência da doença.
No dia do casamento, o repórter Abdias Martins, da TV Gazeta, acompanhou a noiva, desde a preparação até a hora do sim (assista ao vídeo ao final do texto).
Durante a maquiagem, Michelle recebeu a visita do noivo, Edson Afonso, e dos três filhos.
Pronta e de vestido, a noiva foi levada de maca pelos corredores do hospital até o local da festa. Ela foi recepcionada pelos convidados em um espaço montado basicamente com doações. O momento foi marcado por forte emoção.
Naquela dia, Edson contou sobre a ansiedade em que estava de vê-la pronta para o casamento. “Com certeza não vão deixar eu ver ela quando colocar o vestido, porque não pode. Mas eu vou ficar muito ansioso, ela está linda. Já é linda. Vai ficar mais linda ainda”, disse Edson antes do casamento no sábado.

Bom Sucesso: Diogo celebra desgraça de Alberto, mas se dá mal


Metrópoles - Em breve, na novela Bom Sucesso, Diogo (Armando Babaioff) vai ter muito o que comemorar. Ávido por ver a editora Prado Monteiro entrar numa crise irreversível para que seja vendida e possa
embolsar parte da grana, o mau-caráter verá isso mais perto de acontecer quando Silvana Nolasco (Ingrid Guimarães) decidir incendiar os milhares de exemplares de sua biografia, o que levará Alberto (Antonio Fagundes) a ser internado por conta do prejuízo. Feliz, o vilão vai celebrar com sua amante, Gisele (Sheron Menezzes), mas acabará tendo seu caso extraconjugal descoberto.
Desesperada com a possibilidade de ser processada pelas pessoas citadas em sua biografia, Silvana acaba se rendendo à pressão de Diogo e de outras pessoas e, temerosa de ser processada na Justiça e perder uma fortuna, toma uma decisão inesperada: queima todos os exemplares do livro que conta sua história. Afinal, o contrato prevê isso.
O prejuízo é tão grande para a editora Prado Monteiro, que Alberto começa a passar mal e precisa ser internado às pressas. Eufórico, Diogo resolve comemorar a iminente falência da empresa e a possível morte de seu sogro. Assim, se encontra com Gisele, sua amante e cúmplice.
O que o mau-caráter não poderia esperar, é que William (Diego Montez) estava por perto e observa Diogo e Gisele juntos. Chocado com a cena, o rapaz finalmente descobre a identidade do amante da secretária de Nana (Fabíula Nascimento) e fica com os facínoras em suas mãos.
As cenas nas quais Diogo e Gisele celebram a desgraça de Alberto estão previstas para serem exibidas no sábado, dia 31/08/2019.

Filha afirma que Flordelis sabia de plano para matar pastor Anderson


Extra - Uma das filhas adotivas da pastora e deputada federal Flordelis dos Santos de Souza confirmou, em depoimento à Polícia Civil em 24 de junho, que pediu a um dos irmãos, Lucas Cézar dos Santos, para matar o seu pai, o pastor Anderson do Carmo. Marzy Texeira da Silva também relatou que a mãe sabia de seu plano. Ela deu as declarações aos policiais no mesmo dia em que Lucas falou, em depoimento, que recebeu pedidos de Marzy para assassinar Anderson três meses antes da morte do pastor.
Ainda seu depoimento, Marzy afirmou que, em conversa pelo WhatsApp, ofereceu a Lucas R$ 10 mil para matar o pastor. Ela contou que a quantia seria paga com dinheiro que furtaria da própria vítima. Marzy alega que Lucas aceitou o combinado e afirmou que pretendia assassinar Anderson dentro da casa da família, em Pendotiba, Niterói, onde ele acabou sendo executado.
A filha adotiva de Flordelis afirma que discordou da ideia e pediu que o pastor fosse morto no caminho da igreja para casa, simulando um assalto. Marzy disse que no mesmo dia, viu que Anderson estava muito agitado, e disse ao irmão que por isso só conseguiria R$ 5 mil, mas que também pegaria três relógios da vítima. Marzy afirmou ainda que Lucas aceitou a sua proposta mas que horas depois de ambos terem conversado, ela se arrependeu e ligou para o irmão e pediu que ele não desse prosseguimento ao plano. Em seu depoimento, Lucas negou ter aceitado a proposta de Marzy para matar o pastor.
Marzy também disse, no depoimento, que contou à mãe sobre o seu plano para matar Anderson. Segundo ela, Flordelis disse apenas que não tinha dinheiro e alertou a filha para que não fizesse nada de que se arrependesse depois.
Ainda de acordo com Marzy, o próprio pastor descobriu que estavam planejando sua morte e chamou um por um na família, inclusive ela própria. Nessa ocasião, Anderson disse que colocaria grampos em todos os telefones da casa, por isso Marzy decidiu comprar um chip para falar com a mãe. Ainda de acordo com o depoimento, Flordelis também usava um outro chip que tinha para falar com a filha. Marzy também alegou à polícia que Flordelis pediu à filha para apagar todas as conversas no WhatsApp nas quais foram feitos comentários sobre a morte do pastor.
Em seu depoimento, Marzy afirma ter planejado a morte de Anderson, pois estava com raiva do pai adotivo. Ela admite ter furtado R$ 5 mil na casa, de um dos irmãos, e afirma ter sofrido retaliações de Anderson. Além disso, alega ter ficado sabendo pela própria Flordelis de que o pastor havia tentado abusar sexualmente de uma das netas.
Marzy nunca foi formalmente adotada por Anderson e Flordelis, pois já era maior de idade quando passou a morar na residência do casal.
Lucas e o irmão, Flávio dos Santos Rodrigues, filho biológico apenas de Flordelis, já são réus pela morte do pastor Anderson. Eles foram denunciados por homicídio duplamente qualificado (por motivo torpe e com recurso que impossibilitou a defesa da vítima). De acordo com as investigações, Flávio atirou contra Anderson e Lucas ajudou o irmão a comprar a arma do crime. A Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo desmembrou o inquérito e continua investigando a participação de outras pessoas da família na morte, entre elas Flordelis.
Procurada, a assessoria de imprensa de Flordelis afirmou que não se pronunciará sobre o depoimento por orientação do advogado da pastora.

Senado resiste a nome de Eduardo Bolsonaro para embaixada nos EUA


Metrópoles - Levantamento feito pela reportagem explica a cautela com que o presidente Jair Bolsonaro tem tratado a indicação do filho Eduardo Bolsonaro para a Embaixada do Brasil em Washington (EUA). Hoje, ele não teria o mínimo de 41 votos no plenário do Senado para ser aprovado para o comando da representação diplomática mais importante do país no exterior.
Dos 81 senadores, 30 responderam que pretendem votar contra o nome do “filho 03” do presidente, ante 15 que disseram ser a favor. Outros 28 não quiseram responder e sete se colocaram como indecisos. Sem votos certos, Bolsonaro afirmou, na semana passada, que só irá oficializar a escolha quando Eduardo “sentir” que tem o apoio majoritário dos senadores.
Pelas regras em vigor, primeiro Eduardo terá de ser sabatinado na Comissão de Relações Exteriores da Casa. Depois, seu nome precisa passar por duas votações secretas, uma no colegiado e outra no plenário do Senado. O presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP) – que tem trabalhado pela aprovação do deputado – não vota.
Maior bancada do Senado, com 13 parlamentares, o MDB engrossa a rejeição à indicação de Eduardo. Seis senadores disseram ser contrários à iniciativa do presidente. Entre os críticos da medida, estão caciques do partido como Renan Calheiros (AL) e Jarbas Vasconcelos (PE). “Sou contra o nepotismo. Sempre fui contra esse tipo de prática na minha vida inteira. Não vou mudar agora”, disse Vasconcelos. A rejeição dos emedebistas é igual, em número de votos, à do PT. Toda a bancada petista diz que votará contra a indicação.
Para tentar quebrar resistências, Eduardo – que é presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara – iniciou um périplo pelos gabinetes atrás de apoio dos senadores. O deputado afirmou estar “esperançoso”, enquanto Bolsonaro tem dado declarações frequentes em defesa do filho. “Pretendo beneficiar filho meu, sim. Se eu puder dar um filé-mignon para o meu filho, eu dou”, disse ele, no mês passado, em transmissão em rede social.
A sugestão para o périplo partiu do próprio presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Nelsinho Trad (PSD-MS). “Falei para ele [Eduardo Bolsonaro] ir a todos os gabinetes, até os da oposição, e ele falou que iria.” Mesmo na comissão, o placar ainda está apertado. Dos 18 integrantes, seis já declararam que votarão contra a indicação, e somente três a favor.
Apontado como possível relator da matéria no colegiado, o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) afirmou ser favorável à indicação de Eduardo. “O próprio presidente [Donald] Trump o chamou de brilhante”, disse. No começo deste mês, os Estados Unidos formalizaram o aval para a indicação de Eduardo como embaixador em Washington. “Mesmo com uma certa resistência, vejo o clima como favorável para a aprovação [do nome de Eduardo].”

Parecer
Os parlamentares de oposição ganharam um trunfo para barrar a indicação. A consultoria legislativa do Senado elaborou parecer afirmando que a escolha do deputado, se formalizada pelo pai, configuraria nepotismo – favorecimento indevido de parentes por agente público. Com base no documento, solicitado pelo senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), senadores articulam a apresentação de um parecer alternativo ao que deve ser apresentado por Chico Rodrigues.
Em outra frente, o líder da minoria no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), fala em recorrer à Justiça e ao Supremo Tribunal Federal. “O [Jair] Bolsonaro não pode administrar o país como o quintal da casa dele”, afirmou o senador.
Último embaixador do Brasil em Washington, Sergio Amaral afirmou que, em razão da negociação de novas alianças entre os países, o novo embaixador terá papel importante. “Haverá uma agenda muito grande de trabalho”, disse ele, que não quis comentar a indicação de Eduardo.

Dira Paes é processada por seu condomínio por danos no prédio, diz colunista

iBahia - A atriz Dira Paes está sendo processada por seu condomínio, no alto Leblon, após ser notificada e não cumprir com as providências sugeridas pelos condôminos para resolver problemas ocasionados pela obra em sua cobertura.


De acordo com a colunista Fábia Oliveira, o condomínio notificou Dira por conta de uma obra que, segundo os vizinhos, estaria sendo feita de forma irregular e por isso resultou em danos aos apartamentos e à área comum do edifício, principalmente por conta de uma grave infiltração ocasionada pelas chuvas.
Ainda segundo Fábia, o processo constam imagens de infiltrações ocasionadas pela proteção "inadequada" do apartamento de Dira (701) contra as chuvas, que causaram danos aos apartamentos 601 e 602, além de algumas partes comuns do condomínio. Em outra foto anexada é possível ver que um 'telhado' foi improvisado usando tábuas de madeira, cobertas por uma grande lona presa debaixo de alguns sacos de entulho para não voar.
Conforme a colunista, a juíza da ação chegou a dar um prazo de cinco dias para que Dira instalasse um novo telhado para proteção da obra, sob pena de multa de R$ 20 mil por cada nova infiltração ou vazamento oriundos da obra. A magistrada também pediu que fosse instalada uma bandeja de proteção (apara-lixo), a fim de evitar que detritos continuassem caindo na área comum do prédio, sob pena de multa diária de R$ 100. O condomínio diz que, após ser notificada, Dira afirmou que as reclamações eram infundadas e insistiu que os problemas nada tinham a ver com a obra.
Dira informou em sua defesa no processo que trocou a empresa de engenharia responsável pela obra, já que a primeira contratada estava causando diversos contratempos na execução. Dira disse, ainda, que após quase dez anos fechado e sem fiscalização, o imóvel apresentou "desgaste natural inevitável que se faz presente em todos os momentos". Na ação, ainda há fotos dos estragos dos apartamentos de baixo: uma verdadeira cachoeira saindo pela luminária do teto. Ainda de acordo com o processo, os danos levaram o condomínio a interditar parte da garagem superior, causando ainda mais transtornos a todos os moradores, com a superlotação da garagem inferior.

Filme sobre Edir Macedo bate recorde de bilheteria com salas vazias


Gazeta do Povo - 'Nada a Perder 2' estreou na quinta-feira, 15, em salas de todo o Brasil. Só na Grande São Paulo são 145 salas, mas menos do que as 167 da primeira parte. 'Nada a Perder' protagonizou o que não deixa de ter sido um escândalo. Converteu-se na maior bilheteria do cinema brasileiro com 12 milhões de ingressos vendidos. De acordo com a Filme B, que monitora o mercado de cinema no Brasil, a continuação segue o mesmo caminho: desde quinta-feira, já arrecadou mais de R$ 15 milhões.
Lotações esgotadas, salas vazias. Na época, a reportagem visitou várias salas e ouviu sempre a mesma história dos espectadores. Raros admitiam haver comprado ingressos. A maioria dizia que os havia recebido nos próprios templos da Igreja Universal. Só que, mesmo com ingressos garantidos, muito menos que os tais 12 milhões fizeram o esforço de ir às salas.
Na quinta-feira à noite, quando o repórter foi ao PlayArte Marabá, no centro de São Paulo, havia pouca gente na sala. No sábado à tarde, quando voltou, havia muito menos — quatro espectadores, incluindo ele. E, desta vez, a lotação não estava teoricamente esgotada. Foram os únicos ingressos vendidos para a sessão.
Alexandre Avancini, que dirige 'Nada a Perder 2' — também dirigiu o 1º e fez a redução de Os Dez Mandamentos de novela para filme — deve ter lido seu Joseph Campbell. A trajetória do herói, o arco dramático. Edir Macedo segue como herói quixotesco, enfrentando moinhos. Igreja (Católica), políticos, magistrados, todos se unem contra ele.
Mas o 'herói', com sua 'crença' inabalável em Deus, a todos enfrenta (e vence). O chute na santa, episódio visceral na cruzada anti-Edir, é extensamente lembrado, mas não mostrado.
A ficção incorpora trechos documentais, do bispo e sua família, de auxiliares. O filme manipula? Com certeza. É chapa-branca. Toda a tentativa de destruir o bispo e sua reputação é obra do Grande Satã, para usar a linguagem do aiatolá Khomeini contra os EUA, no auge da crise com o Irã. O Satã, vários vezes citado, nunca nominalmente, é a emissora concorrente (da Record). 'Nada a Perder 2' não é um filme inocente, sobre um herói glorificado, e maior que a vida. Tudo ali tem um objetivo, o fortalecimento de uma ideia, um conceito.
O primeiro 'Nada a Perder' arrecadou mais de R$ 100 milhões em bilheteria, também com salas vazias.

"Audiência" - Em dia frio, novelas da Globo vão bem de audiência na grande São Paulo; confiram os consolidados de segunda-feira (19)


As três novelas inéditas e a atual temporada de Malhação tiveram excelentes índices na segunda-feira (19). Além de A Dona do Pedaço, que consolidou 44 pontos graças ao tiro que Maria da Paz (Juliana Paes) deu em Régis (Reynaldo Gianecchini) após flagrá-lo com sua filha Josiane (Agatha Moreira), Órfãos da Terra - que passa às 18h - também superou sua máxima ao registrar 26 pontos de média e 29 de pico. Às 19h, Bom Sucesso mostrou a que veio ao consolidar 35 pontos de média, um feito jamais visto desde sete anos atrás, quando foi ao ar o fenômeno de repercussão Cheias de Charme. Por fim, 'Toda Forma de Amar', que já está no quarto mês de exibição, bateu seu quinto recorde: 22 pontos.
Também não ficou de fora a reprise de A Grande Família, que obtém uma média parcial de 14 pontos - excelente para o horário - e consolidou 20 pontos de média. Em seguida, Por Amor, a atual reprise do Vale a Pena Ver de Novo, bateu recorde ao consolidar 22 pontos de média e 24 de pico.

Média dia 19.6
**06h00- Bom Dia São Paulo 9.9
08h00- Bom Dia Brasil 11.1
09h00- Mais Você 9.7
10h30- Encontro com Fátima Bernardes 8.8
12h00- SP TV 13.7
12h50- Globo Esporte 13.7
13h20- Jornal Hoje 14.6
14h05- Sessão da Tarde: As Férias da Minha Vida (2006) 14.2
15h50- A Grande Família (reprise) 19.8
16h50- Vale a Pena Ver de Novo: Por Amor 21.6
18h00- Malhação – Toda Forma de Amar 22.0
18h30- Órfãos da Terra 26.4
19h15- SP TV – 2ª Edição 31.8
19h35- Bom Sucesso 34.5
20h30- Jornal Nacional 38.2
21h20- A Dona do Pedaço 44.3
22h30- Criança Esperança 18.5
00h15- Jornal da Globo 8.4
00h55- Conversa com Bial 5.8
01h40- Mentes Criminosas 4.6
02h25- Corujão: Ouro Negro – A Saga do Petróleo Brasileiro (2009) 3.8
04h a 06h- Hora Um 5.0

"Audiência" - 'A Dona do Pedaço' bate recorde com sequência de Régis levando bala de Maria da Paz


A novela das 21h 'A Dona do Pedaço', de Walcyr Carrasco, está levantando cada vez mais o horário nobre e tirando-o da lama na grande São Paulo! Nesta segunda-feira (19), a Globo transmitiu a sequência de Régis (Reynaldo Gianecchini) levando um tiro de Maria da Paz (Juliana Paes) após ser seduzido pela filha dela, Josiane (Agatha Moreira), e flagrado aos beijos com a vilã!
Esse foi o momento mais esperado pelo público, que, de acordo com dados prévios, deu à ela 45 pontos de pico. Ao longo da exibição do capítulo, a novela teve média de 43 pontos e 58% de share, ou seja, número de televisores sintonizados na Globo. Provavelmente, ela poderá consolidar uma média de 44 pontos.
Josiane (Agatha Moreira) ferrou mais ainda a mãe após a ocorrência
Um índice igual ou superior a esse acima não era visto desde o início do ano passado, quando estava no ar outra novela de Walcyr, O Outro Lado do Paraíso, que conseguiu isso em 11 de janeiro com a exibição da cena do médico Gael (Eriberto Leão) sendo flagrado pela esposa, Suzy (Ellen Rocche), usando uma calçola e deitado com outro homem, o Cido (Rafael Zulu). Inclusive, nesta década, outras três novelas além desta, Avenida Brasil, Império e A Força do Querer, tiveram o prazer de serem fenômenos por verem audiências bem distantes da meta do horário.

domingo, 18 de agosto de 2019

Agatha Moreira, a Josiane de 'A Dona do Pedaço', revela que viver a personagem a faz chorar


CARAS - Fazendo a vilã mais odiada do momento em A Dona do Pedaço, Agatha Moreira contou em uma entrevista para o Fantástico como está sendo viver a personagem.
Durante o bate-papo com Renata Ceribelli, que vai ao ar neste domingo, 18, a atriz foi questionada pela jornalista como se sente.
"Fazer uma vilã deste tamanho, você chega em casa como?", perguntou Renata Ceribelli no teaser divulgado pela Globo.
E logo em seguida Agatha Moreira responde como fica com o papel. "Exausta, às vezes eu choro", revelou.
Assim como ela, Juliana Paes também já chorou por causa de sua personagem, Maria da Paz. Principalmente, ao gravar a cena do flagra da filha com o marido.
"Eu já desconfiava que ela daria um flagra nos dois, mas não imaginava que estaria armada. Que isso ia despertar nela atitudes e sentimentos que ela rechaçou a vida inteira. Dar um tiro! Foi um tiro que acabou com a vida dela, com os sonhos, com os planos dela de menina, de mulher, de ter uma vida feliz com alguém. Fiquei muito impressionada. Foi um choque, eu chorei muito", declarou a protagonista de A Dona do Pedaço.
Você quer ficar por dentro de todas as novidades do universo esportivo e dos seus atletas preferidos? Acesse SportBuzz.uol.com.br e não dê mais nenhuma bola fora com o seu time do coração!

Nego do Borel é parado em blitz e perde carteira de habilitação


Folha Vitória - O cantor Nego do Borel foi parado em uma blitz da Lei Seca na madrugada de sábado (17), no Rio de Janeiro.
Nego do Borel foi multado e terá de pagar R$ 2.934,70 mil, além de ter a carteira de motorista recolhida e a permissão para dirigir suspensa por um ano. O carro do cantor foi liberado, porém entregue para um condutor habilitado.
De acordo com informações da assessoria de imprensa da Operação Lei Seca, o cantor foi abordado e, após ser orientado sobre a legislação vigente, se recusou a fazer o teste do bafômetro. A assessoria também informou que a carteira de Nego do Borel é provisória. O cantor pode recorrer da decisão.

Queridinho de Silvio Santos, dono da Havan vira “funcionário” do SBT


RD1 - Luciano Hang não tem economizado quando o assunto é propagar as lojas Havan na programação da emissora de Silvio Santos. Como fato recente, o empresário virou o patrocinador do programa de Patrícia Abravanel, o “Topa ou Não Topa”, lançado pelo SBT neste sábado (17).
A harmonia entre as partes é tamanha que, recentemente, a filha de Silvio Santos visitou uma das lojas Havan e deu ao famoso um cartão de funcionário da emissora. “Eu gosto tanto do SBT que até ganhei um crachá de cliente fiel e artista“, brincou em um vídeo ao lado da apresentadora.
“Neste sábado começa uma nova parceria de sucesso: o ‘Topa ou Não Topa’, com a Patrícia Abravanel. A Havan patrocina e acredita nos programas do SBT, porque podem ser assistidos por todas as faixas etárias. É o canal da família brasileira“, destacou.
Além do patrocínio para o game show, o milionário anunciou a nova temporada do “Comprar é bom, levar é melhor”, quadro do “Domingo Legal” de Celso Portiolli, com o patrocínio das suas lojas.
Conhecido como o “véio da Havan”, Luciano Hang participou recentemente do programa de Silvio Santos. Na atração, o apresentador questionou sobre o início da loja, que já soma mais de 100 unidades no país, e também sobre sua admiração pelo presidente Jair Bolsonaro.

As celebridades arrependidas pelo apoio a Bolsonaro


- Fonte: Revista Veja -
DESILUSÃO - Danilo Gentili, que fez piada com a indicação de Eduardo Bolsonaro para embaixador em Washington: a exemplo dos cantores Fagner e Lobão, o humorista passou a ser perseguido por apoiadores do governo assim que mudou de posição (Lailson Santos; JF Diorio/Estadão Conteúdo; Gabriel Cabral/Folhapress)
Danilo Gentili costumava inflamar a tropa bolsonarista com suas piadas e pregações marcadas pelo antipetismo e grande afeição às ideias do presidente. Por essa fidelidade, ganhou uma boa recompensa: em 30 de maio, Bolsonaro se tornou o primeiro chefe do Executivo a aceitar ser entrevistado por Gentili em seu programa, The Noite, no SBT. A conversa rolou em clima de camaradagem. Mas o humor bolsonarista mudou depois que Gentili iniciou uma escalada de críticas ao presidente, principalmente em razão da decisão de indicar o filho Eduardo ao posto de embaixador em Wash­ing­ton. Em 17 de julho, seis dias após essa intenção vir a público, o humorista afirmou na TV que achava boa a iniciativa, porque seria um “Bolsonaro a menos para atrapalhar o governo”. E exibiu montagem de Eduardo com um boné em que se lia “make mamata great again”(“tornar a mamata grande de novo”), trocadilho com um slogan de Donald Trump. Eduardo reagiu, eles trocaram farpas pelo Twitter e o exército bolsonarista nas redes sociais se inflamou contra o apresentador.
O episódio acabou por engrossar a lista de celebridades arrependidas do apoio dado ao presidente. Um dos mais barulhentos fãs de Bolsonaro na época das eleições, o roqueiro Lobão pulou fora da tropa em meados de maio — fazendo também um grande barulho em torno disso. “Não tem capacidade intelectual para gerir o Brasil”, declarou em uma entrevista. De uns tempos para cá, passou a chamar o presidente de “Bolsomico” e se dispôs até a trabalhar pelo impeachment. Mais discreto, o cantor Fagner — que diz ter apoiado Bolsonaro porque desejava “mudança” — assumiu publicamente o arrependimento em entrevista ao programa Conversa com Bial, da Globo, em junho. “Parece que ele continua na campanha. Passa uma impressão de amadorismo”, afirmou.
Em meio aos desiludidos famosos, há um contingente de anônimos que também expressam seu descontentamento nas redes sociais e inspiram os memes de perfis no Twitter como Jair Me Arrependi (140 300 seguidores) e Bolsominions Arrependidos (95 600). A desilusão encontra eco em pesquisas — na última, feita em julho pelo Datafolha, 61% responderam que Bolsonaro “fez pelo país menos do que se esperava”. Assim como Gentili, não estão achando mais graça alguma no governo.

Novo O Rei Leão se torna a 10ª maior bilheteria de todos os tempos


Metrópoles - O remake da clássica animação O Rei Leão, dirigido por Jon Favreau, alcançou a marca de US$ 1,351 bilhão nas bilheterias mundiais, chegando ao ranking das dez maiores bilheterias da história do cinema.
O longa ultrapassou Pantera Negra (2018), que somou US$ 1,346 mundialmente e foi indicado ao Oscar de melhor filme.


O Rei Leão havia passado também a nova versão de A Bela e a Fera, tornando-se o remake mais lucrativo da Disney.
Com esse feito, a Disney se tornou o primeiro estúdio a conquistar cinco vezes em um ano a marca de US$ 1 bilhão.
Além de O Rei Leão, o estúdio superou a cifra com Toy Story 4, Alladin, Capitã Marvel e Vingadores: Ultimato, que também atingiu a marca de maior bilheteria de todos os tempos.

Confira o ranking das dez maiores arrecadações da história do cinema
1 – Vingadores: Ultimato (2019), de Joe e Anthony Russo (US$ 2,795 bilhões)
2 – Avatar (2009), de James Cameron (US$ 2,790 bilhões)
3 – Titanic (1997), de James Cameron (US$ 2,187 bilhões)
4 – Star Wars – O Despertar da Força (2015), de J.J. Abrams (US$ 2,066 bilhões)
5 – Vingadores: Guerra Infinita (2018), de Joe e Anthony Russo (US$ 2,048 bilhões)
6 – Jurassic World – O Mundo dos Dinossauros (2015), de Colin Trevorrow (US$ 1,672 bilhão)
7 – The Avengers: Os Vingadores (2012), de Joss Whedon (US$ 1,519 bilhão)
8 – Velozes e Furiosos 7 (2015), de James Wan (US$ 1,516 bilhão)
9 – Vingadores: Era de Ultron (2015), de Joss Whedon (US$ 1,405 bilhão)
10 – O Rei Leão (2019) – Jon Favreau (US$ 1,351 bilhão)