sexta-feira, 8 de abril de 2011

Países Turísticos

 Cingapura

Você irá conheçer agora, um país muito correto, seguro, e muito interessante. E este país se chama... Cingapura

Cingapura, a menor ilha do mundo! Menor do que a cidade de São Paulo, no Brasil. Um país de maior interesse no mundo dos negócios.


Cingapura

CAPITAL: Cidade de Cingapura.

NACIONALIDADE: cingapuriana.

DATA NACIONAL: 09 de agosto (dia da Pátria).

LOCALIZAÇÃO: sudeste da Ásia.

ÁREA: 641Km2.

CLIMA: equatorial.
PRINCIPAL CIDADE: Cidade de Cingapura.

POPULAÇÃO: 4,3 milhões (em 2004).

IDIOMA: malaio, mandarim, tâmil, inglês.

MOEDA: dólar de Cingapura.

Este país é o melhor mesmo. O Globo Repórter de 08 de abril prova tudo isso.
A foto abaixo é de uma roda gigante. Se olhar do chão, ou de longe, parece uma simples roda gigante. Mas não é! É uma roda gigante que contém 28 cápsulas. Uma entrevistada disse que 28 é uma forma de prosperar.

http://www.oragoo.net/wp-content/uploads/2008/09/singapore-flyer.jpg
Roda Gigante de Cingapura
 
http://www.exclusiveandunique.com/blog/wp-content/uploads/2010/12/projeto-do-casino-de-cingapura.jpg
Prédio da maior piscina do mundo
 A foto acima, é da maior piscina do planeta! Uma excelente obra dos cingapurianos, mas na foto abaixo, se observarmos bem, parece que é uma montagem, que fizeram uma mistura de duas fotos: a do mar, e a de uma cidade do alto. Isso é muito legal não?

http://www.exclusiveandunique.com/blog/wp-content/uploads/2010/12/article-1289194-0A2C913D000005DC-353_964x478.jpg


 Na cidade, há regras de limpeza. Nela, quem jogar objetos na rua e não na lixeira, pagará multa. E se não andar na linha, irá varrer a rua, com a roupa de gari, e a imprensa filmando. Um maior mico!
A regra do chiclete também existe. Um chiclete foi parar na porta do metrô, e interrompeu o sistema por horas! Foi proibido desde 1992.
http://t0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRHVBx4XK8CJC4CjlI62UOS6uKovHSl-t3td27AAZ4rSIo4qtRekw
Um hotel spa em Cingapura


http://t1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRv1Ytrywhy5Rd6hDY_b7S9IK_WoIdgbre6T0MlR3A-tJuX-pH4
Bandeira do país

   Cingapura 

Prévia da TV

No SBT, a novela Amor e Revolução
Foi ao ar o segundo capítulo da novela “Amor & Revolução“, nesta quarta-feira (06).
Tentando usar uma estrategia diferente o SBT escalou, sem nenhum aviso, a novela para entrar no meio do “Programa do Ratinho” devido ao grande ibope da atração.
A trama de Tiago Santiago com direção de Reynaldo Boury é ambientada no período da ditadura militar no Brasil.
Segundo a prévia, “Amor & Revolução” garantiu o terceiro lugar com 8 pontos de média e 9 de pico, contra 12 da Record, 7 da Band e 23 da Globo.
Isso é que é audiência, em segundo lugar depois da Globo.


http://www.dicasdiarias.com/wp-content/uploads/2010/10/novela-amor-e-revolucao.jpg Amor e Revolução


Amor e Revolução

Os Países Turísticos (a volta)

Bandeira de Marrocos
Bandeira do Marrocos

Marrocos

Marrocos (em árabe: المغرب, al-Maġrib; em berbere: Amerruk / Murakuc), oficialmente Reino do Marrocos (em árabe: المملكة المغربية, al-Mamlakah al-Maġribiyya; em berbere: ⵜⴰⴳⵍⴷⵉⵜ ⵏ ⵓⵎⵔⵔⵓⴽ, Tageldit n Umerruk) é um país localizado no extremo noroeste da África, estando limitado a norte pelo Estreito de Gibraltar (por onde faz fronteira com a Espanha), por Ceuta, pelo mar Mediterrâneo e por Melilla, a leste e a sul pela Argélia, a sul pelo Saara Ocidental (território que controla) e a oeste pelo Oceano Atlântico. A capital do país é a cidade de Rabat. É o único país do continente africano que não faz parte da União Africana, porque Saara Ocidental foi aceito como membro.
Um dos grandes eventos de Marrocos é a ultra-maratona na areia, que é disputada no sul do país. Os competidores percorrem 206 quilómetros em seis etapas. Os participantes carregam uma mochila com todo o material necessário, mas só podem beber nove litros de água por dia. Tempestades de areia e bolhas nos pés são os maiores obstáculos. Em 1994, o vencedor foi o russo Andrei Derksen, com dezasseis horas e 55 minutos.
No jantar marroquino, as mesas geralmente não ficam preparadas, pois os pratos são trazidos pouco a pouco. Uma empregada ou um membro mais jovem da família (sempre uma mulher) traz uma bacia de metal com sabão no meio, às vezes feito de esculturas artesanais, e água em volta. As mãos são lavadas e uma toalha é oferecida para secá-las. Os marroquinos têm o costume de beber chá verde com hortelã (menta) e açúcar antes e depois da refeição. Agradecem a Deus dizendo bismillah. Eles comem primeiramente de um prato comunitário, com a mão direita, o polegar e os dois primeiros dedos. No fim das refeições, agradecem novamente dizendo all hamdu Lillah, que quer dizer: "graças a Deus" e repetem o ritual de lavar as mãos.

Ficheiro:Morocco Africa Flickr Rosino December 2005 84514010 edited by Buchling.jpg
Índia


A Índia, oficialmente República da Índia, (em hindi: भारत गणराज्य, Bhārat Gaṇarājya), é um país da Ásia Meridional. É o sétimo maior país em área geográfica, o segundo país mais populoso e a democracia mais populosa do mundo. Delimitado ao sul pelo Oceano Índico, pelo mar da Arábia a oeste e pela Baía de Bengala a leste, a Índia tem uma costa com 7.517 km. O país é delimitado pelo Paquistão a oeste; pela República Popular da China, Nepal e Butão no norte e por Bangladesh e Mianmar a leste. Os países insulares do Oceano Índico, o Sri Lanka e Maldivas, estão localizados bem próximos da Índia.
Lar da Civilização do Vale do Indo, de rotas comerciais históricas e de vastos impérios, o Subcontinente indiano é identificado por sua riqueza comercial e cultural de grande parte da sua longa história.[10] Quatro grandes religiões, Hinduísmo, Budismo, Jainismo e Sikhismo, originaram-se no país, enquanto o Zoroastrismo, o Judaísmo, o Cristianismo e o Islamismo chegaram no primeiro milênio d.C. e moldaram a diversidade cultural da região. Anexada gradualmente pela Companhia Britânica das Índias Orientais no início do século XVIII e colonizada pelo Reino Unido a partir de meados do século XIX, a Índia se tornou uma nação independente em 1947 após uma luta pela independência que foi marcada pela extensão da resistência não-violenta.
A Índia é uma república composta por 28 estados e sete territórios da união com um sistema de democracia parlamentar. O país é a décima segunda maior economia do mundo em taxas de câmbio e a quarta maior economia em poder de compra. As reformas econômicas feitas desde 1991, transformaram o país em uma das economias de mais rápido crescimento do mundo; no entanto, a Índia ainda sofre com altos níveis de pobreza, analfabetismo, doenças e desnutrição. Uma sociedade pluralista, multilingue e multiétnica, a Índia também é o lar de uma grande diversidade de animais selvagens e de habitats protegidos.

Bandeira da Índia




 A cultura indiana está marcada por um alto grau de sincretismo e pluralismo. Os indianos têm conseguido conservar suas tradições previamente estabelecidas, enquanto absorvem novos costumes, tradições e ideias de invasores e imigrantes, ao mesmo tempo que estendem a sua influência cultural a outras partes da Ásia, principal Indochina e Extremo Oriente.
A sociedade tradicional da Índia está definida como uma hierarquia social relativamente restrita. O sistema de castas descreve a estratificação e as restrições sociais do subcontinente indiano; também definem as classes sociais por grupos endogâmicos hereditários, que a princípio se denominam jatis ou castas. Os valores tradicionais das famílias indianas são muito respeitados e o modelo patriarcal tem sido o mais comum durante séculos, ainda que recentemente a família nuclear esteja se convertendo no modelo seguido pela população que vive na zona urbana. A maioria dos indianos têm seus casamentos arranjados por seus pais e por outros membros da família respeitados, com o consentimento da noiva e do noivo. O matrimônio é planejado para toda a vida, a taxa de divórcio é extremamente baixa. Casamento na infância é ainda uma prática comum, já que metade das mulheres indianas se casam antes dos dezoito anos.
 
 Espanha

A Espanha (em castelhano e galego España, em catalão e valenciano Espanya, em basco Espainia e em aranês Espanha), oficialmente Reino da Espanha, é um país situado na Europa meridional, na Península Ibérica. Seu território principal é delimitado a sul e a leste pelo Mar Mediterrâneo, com exceção a uma pequena fronteira com o território britânico ultramarino de Gibraltar; ao norte pela França, Andorra e pelo Golfo da Biscaia e ao noroeste e oeste pelo Oceano Atlântico e por Portugal. O território espanhol inclui ainda as Ilhas Baleares, no Mediterrâneo, as Ilhas Canárias, no Oceano Atlântico, próximas da costa Africana e duas cidades autônomas no norte de África, Ceuta e Melilla, que fazem fronteira com o Marrocos. Com uma área de 504.030 km², a Espanha é o segundo maior país da Europa Ocidental e da União Europeia, depois da França.
Devido à sua localização, o território da Espanha foi sujeito a muitas influências externas, muitas vezes simultaneamente, desde os tempos pré-históricos até quando a Espanha se tornou um país. Por outro lado, o próprio país foi uma importante fonte de influência para outras regiões, principalmente durante a Era Moderna, quando se tornou um império mundial que deixou como legado mais de 400 milhões de falantes do espanhol espalhados pelo mundo.
A Espanha é uma democracia organizada sob a forma de um governo parlamentar sob uma monarquia constitucional. É um país desenvolvido com a nono PIB nominal mais elevado do mundo e elevado padrão de vida (a Espanha possui o 20º melhor IDH do mundo). É um membro das Nações Unidas, da União Europeia, da OTAN, da OCDE e da OMC.

Bandeira da Espanha
Durante as últimas quatro décadas, a indústria turística espanhola cresceu e se tornou a segunda maior do mundo, alcançando o valor de cerca de 40 bilhões de euros, cerca de 5% do PIB do país, em 2006.
Hoje, o clima da Espanha, a história e os monumentos culturais e sua posição geográfica, juntamente com as suas instalações, fazem do turismo uma das principais indústrias nacionais da Espanha e uma grande fonte de emprego estável e de desenvolvimento.
A Espanha é conhecida pelo seu patrimônio cultural diversificado, tendo sido influenciado por muitas nações e povos ao longo de sua história. A cultura espanhola tem suas origens nas culturas ibérica, celta, celtibera, latina, visigótica, católica romana, e islâmica.

Caso Richthofen

O Caso Richthofen é um processo polêmico que chocou a opinião pública brasileira. Uma das rés, Suzane Louise von Richthofen, foi acusada de ter planejado a morte dos próprios pais, com o auxílio do então namorado Daniel Cravinhos e de seu irmão, Cristian Cravinhos. O júri do caso entendeu que Suzane foi influenciada pelos irmãos, mas que poderia ter resistido e evitado o crime.
O interesse da população pelo caso foi tão grande que a rede TV Justiça cogitou transmitir o julgamento ao vivo. Emissoras de TV, rádios e fotógrafos chegaram até a ser autorizadas a captar e divulgar sons e imagens dos momentos iniciais e finais, mas o parecer definitivo negou a autorização. Cinco mil pessoas inscreveram-se para ocupar um dos oitenta lugares disponíveis na plateia, o que congestionou, durante um dia inteiro, a página do Tribunal de Justiça na internet. É dessas pessoas autorizadas que se conhece o que houve no julgamento.
Segundo a Promotoria de Justiça do estado de SP, Suzane von Richthofen teria sido o cabeça de toda a ação criminosa que culminou no assassinato de seus pais Manfred Albert e Marísia von Richthofen. Fez, inclusive, convidando os Cravinhos, dias antes do crime, um teste de barulho causado pelos disparos de uma arma de fogo e com isso descartaram a ideia de utilizar uma.
Na tarde de 31 de outubro de 2002, Suzane e Daniel Cravinhos repassaram pela última vez os planos do assassinato dos pais da moça. Conversaram com Christian, que morava na casa da avó, e Christian, ainda relutante, não deu a certeza de que participaria nos eventos que se seguiriam à noite. Daniel pediu que o irmão pensasse a respeito e,se resolvesse ajudá-los, que os esperasse em uma dada rua, próxima a um Cyber Café aonde levariam Andreas von Richthofen. O casal de namorados levou o irmão da garota, Andreas, para se divertir em um Cyber Café, com o intento de deixar o caminho livre para o assassinato dos pais. Posteriormente, pegaram Cristian Cravinhos, que os esperava em uma rua próxima como combinado e, juntos, foram à casa dos von Richthofen.Passava de meia noite de 31 de outubro de 2002 quando o trio chegou na casa da família Richthofen. Dias antes da fatídica noite, Suzane havia meticulosamente desligado o alarme e as câmeras de vigilância da casa,de modo que nenhuma imagem do trio chegando fosse capturada. Os três afirmavam que Suzane não participou do assassinato em si, mas não há consenso sobre sua posição na casa enquanto o crime ocorria, e nem se, findo o ato, ela subiu ao quarto e viu os corpos dos pais (é importante notar que, caso Suzane tenha visto os cadáveres, isto diz muito sobre sua personalidade, considerando seu calmo estado de espírito após o assassinato).
O primeiro a ser atingido foi Manfred, que morreu quase imediatamente por trauma crânio-encefálico, segundo dados da perícia. Marísia sofreu mais: foi golpeada impiedosamente na cabeça por Christian, sofreu vazamento de massa encefálica, todavia, não morreu na hora. Para apressar a morte da mãe de Suzane, Christian a estrangulou. A casa foi mais tarde revirada e alguns dólares foram levados, para forjar latrocínio (roubo seguido de morte).
Os dólares e euros foram repassados para Christian, como recompensa pela sua participação. Após o brutal assassinato, Cristian foi deixado perto do apartamento onde mora com a avó e o casal de namorados tratou de forjar o álibi para aquela noite. Entraram no Motel Colonial, na Zona Sul da capital, e escolheram a melhor suíte. Suzane fez questão de guardar a nota fiscal. Pagaram R$ 380 pelo conforto do quarto e por um lanche. Saíram do motel às 2h56 da madrugada e foram ao encontro de Andreas que os aguardava no Cyber Café. Após algumas voltas pela cidade, Suzane deixou o namorado em casa e foi com o irmão para a sua.

"Interpretação" no Fantástico

O programa televisivo explorou a ideia de que a entrevista de Suzane fosse uma farsa da Defesa para fazer com que ela fosse vista de uma outra forma pela opinião pública: como uma menina meiga (usando pantufas), imatura, infantilizada e altamente influenciável, o que a teria motivado a fazer o que fez.
Baseada na ideia de que Suzane solta poderia influenciar ou até mesmo atrapalhar o julgamento, ela foi presa novamente, no dia seguinte à exibição da entrevista.
Por outro lado, Barni defende que pediu que sua cliente chorasse para que ela sensibilizasse o irmão Andreas. Segundo Barni, Suzane luta para receber a herança dos pais, mas seu irmão é contra, tendo acionado a Justiça numa "Ação de Exclusão" de Suzane como herdeira - facultada pela legislação brasileira contra aqueles que atentaram contra a vida dos eventuais legadores.

Primeiro julgamento

O julgamento dos três réus foi marcado para o dia 5 de junho de 2006 no 1º Tribunal do Júri de São Paulo.
A imprensa não obteve permissão de filmar, mas cerca de 80 pessoas foram sorteadas (numa lista de 3 mil inscritos) para acompanhar o julgamento.
Suzane von Richthofen chegou ao fórum por volta das 11h30. Os irmãos Cravinhos chegaram um pouco mais cedo, uma hora antes. O julgamento estava previsto para começar às 13h.

Segundo julgamento

Com o intuito de evitar novo adiamento, o juiz do caso tomou algumas precauções, como autorizar encontro entre os irmãos Cravinhos e um de seus advogados no fim de junho de 2006, e nomear um defensor público (e até um substituto para este último) para defender os irmãos, caso seus advogados novamente faltem. Possíveis manobras da defesa de Suzane não eram esperadas, já que ela não tinha mais o benefício de prisão domiciliar.
Um novo julgamento foi marcado para segunda-feira, 17 de julho de 2006. A sentença foi proferida na madrugada de sábado, 22 de julho, às 02 a.m.

Depoimento de Suzane von Richthofen

Em seu depoimento, Suzane afirma que não tinha conhecimento do plano para matar seus pais, concebido e executado única e exclusivamente pelos irmãos Cravinhos. Ela também diz que estava "muito maconhada" quando o crime ocorreu, que conduziu os irmãos para a casa sem saber que seus pais iriam ser assassinados, e que só se deu conta do ocorrido ao chegar em casa com seu irmão Andreas. Afirma ainda que Daniel era excessivamente ciumento. Fez menção a uma vez em que ela fez uma viagem à Alemanha e foi obrigada a gastar muito com cartões telefônicos, apenas para manter contato com o namorado. Quando Suzane voltou, Daniel disse a ela que não poderia ficar longe dele por tanto tempo e que tinha tentado se matar por causa da ausência de sua namorada.Suzane declarou ter presenteado Daniel com presentes caros custeados com o dinheiro dos pais. Segundo ela, Suzane presenteava Daniel com DVDs, TVs e bens caros. 'Ele sempre estava com dinheiro na carteira. Mas era sempre o meu dinheiro', declarou a filha das vítimas do assassinato.Suzane ainda declarou que no clube de aeromodelismo onde ela e seu irmão Andreas conheceram Daniel, ela ficou sendo conhecida como "a galinha dos ovos de ouro da família Cravinhos".
Outro ponto de conflito é a perda de sua virgindade: enquanto ela afirma tê-la perdido com Daniel Cravinhos, Daniel diz que ela a perdeu com seu namorado anterior. Segundo o jornal Folha de São Paulo, esta discussão é relevante porque desta forma pode cair por terra a principal tese da defesa de Suzane, a de que Daniel exercia um fascínio irresistível sobre ela.

Depoimento de Cristian Cravinhos

Cristian, por sua vez, também apresentou novas informações: segundo ele, apenas seu irmão Daniel teria matado Manfred e Marísia. Cristian teria assumido esta responsabilidade por achar que, desta forma, Daniel passaria menos tempo preso. O réu também insiste que Daniel e Suzane estavam convencidos a cometer o crime, apesar de suas tentativas de dissuadi-los; de acordo com ele, Suzane teria dito: "Quero matar meus pais hoje". Segundo a promotoria, Christian pode perder o benefício da redução da pena por ter mudado a versão dos fatos.

Sentença

O Tribunal do Júri condenou Suzane Richthofen e Daniel Cravinhos a 39 anos de reclusão, mais seis meses de detenção, pelo assassinato do engenheiro Manfred e da psiquiatra Marísia von Richthofen, mortos a pauladas no dia 31 de outubro de 2002, na residência deles, no bairro nobre do Brooklin, em São Paulo. A pena-base foi de 16 anos, mais 4 pelos agravantes, para cada uma das mortes. Ambos tiveram sua pena reduzida em um ano; Suzane por ser à época menor de 21 anos, e Daniel, graças à confissão. Já Cristian Cravinhos foi condenado a 38 anos de reclusão, mais seis meses de detenção. Sua pena-base foi de 15 anos, mais 4 pelos agravantes, também para cada uma das mortes. Ele também teve sua pena reduzida em um ano por ter confessado o crime. Mesmo condenados a quase 40 anos, a lei brasileira só permite que um condenado fique preso por no máximo 30 anos.
A sentença só foi anunciada às 2h da madrugada do dia 22 de julho de 2006, pelo juiz Alberto Anderson Filho, que presidiu o julgamento iniciado no começo da semana, no dia 17, no Fórum Criminal da Barra Funda, na capital paulista.
Suzane cumpriu pena em Rio Claro-SP (depois, em agosto de 2006, por motivos de segurança, foi transferida para a Penitenciária Feminina de Ribeirão Preto-SP), enquanto os irmãos Cravinhos foram levados para a penitenciária de segurança máxima de Tremembé-SP.
Os condenados ainda podem recorrer, mas não poderão aguardar em liberdade. Também não poderão ser submetidos a novo júri, pois as penas foram inferiores a 20 anos por homicídio praticado.
O advogado de defesa de Suzane Richthofen, Mauro Otávio Nacif, disse que saía "muito triste" do Tribunal e que não iria recorrer do resultado, mas que tentará reduzir a pena da cliente. O advogado declarou ainda que Suzane, depois de cumprir a pena, "quer morar na Europa e ser diplomata".


Ficheiro:Suzane von Richthofen.jpg
Suzanne Louise von Richthofen

 Suzane von Richthofen
Suzane von Richthofen
Caso Richthofen

Caso João Hélio

O Caso João Hélio foi o crime ocorrido na noite de 7 de fevereiro de 2007, quando João Hélio Fernandes Vieites (Rio de Janeiro, 18 de março de 2000 — Rio de Janeiro, 7 de fevereiro de 2007) foi assassinado após um assalto. João Hélio tinha seis anos de idade quando foi vítima da violência na cidade do Rio de Janeiro.
João Hélio era estudante da pré-escola particular Crianças & Cia, onde cursava o primeiro ano do Ensino Fundamental. Eram os pais: Rosa Cristina Fernandes Vieites e Elson Lopes Vieites. O garoto ficou conhecido em todo o Brasil no dia 8 de fevereiro, após sua morte traumática na noite do dia anterior, quando o carro em que ele estava com a mãe foi assaltado. Os assaltantes arrastaram o menino preso ao cinto de segurança pelo lado de fora do veículo.

Um crime que chocou o Brasil em 2007, mas que ainda pode estar até hoje na memória de quem vivenciou isso, e dos familiares do menino. O que seria mais um assalto no Rio de Janeiro, se tornou um grande transtorno neste dia.

Casos das últimas semanas

Uma mulher que morreu por amor.
A atriz, modelo e escritora Cibele Dorsa cai do 7º andar do edifício onde morava.
 Cibele Dorsa, de 36 anos, morreu na madrugada deste sábado (26) após cair da janela do sétimo andar do apartamento onde morava, no bairro do Morumbi, em São Paulo.
Segundo a Polícia Civil, a morte ocorreu por volta de 1h45min. Pouco antes, Cibele postou no twitter uma frase lamentando a morte do marido. A publicação foi feita com erros de digitação: “LMENTO, EU NÃO CONSEGUI SUPORTAE A MORTENOS MEUS BRAÇOS MAS, LUREI...ATE ONDE EU PUDE”.
O caso foi registrado na 34° Distrito Policial, na Vila Sônia, como suicídio consumado.
 Mas em janeiro de 2011, o noivo de Cibele, Gilberto Scarpa, de 27 anos, morreu ao cair da mesma janela em que a atriz se atirou ao chão. O mesmo apresentava um programa de variedades ''Brasil Bites'' na TV paga.


A morte de José de Alencar


http://4.bp.blogspot.com/-FlHCQaqTDwQ/TZMpIjAMrVI/AAAAAAAAK10/zC4AgRKqmtc/s1600/Alencar.jpgJosé de Alencar
 
Às 14hs41min da tarde, no horário de Brasília do dia 29 de março de 2011, "infelizmente... o José de Alencar... descansou'' (frase dita por uma médica aos familiares), depois de 14 anos de luta na sua vida contra a um câncer.A família de Alencar optou por sua cremação, em cerimônia realizada no dia 31 de março no Cemitério Parque Renascer, em Contagem.

Cibele Dorsa
Morte de Cibele Dorsa
A morte de José de Alencar
José de Alencar

Assalto a escola do Rio de Janeiro

A tristeza é muita na Escola Pública Tasso de Oliveira. 12 estudantes morreram e os outros 12 ficaram feridos. A Escola Municipal Tsso de Oliveira completou seus 40 anos em um puro desastre da história da escola, por seus 40 anos de um puro massacre, denominado assim a partir do dia 07 de abril de 2011, Massacre do Realengo. É referido assim por causa do assassinato em massa ocorrido neste mesmo dia por volta das 8h30min da manhã. Wellington Menezes de Oliveira, de 24 anos, invadiu a escola armado com dois revólveres e começou a disparar aleatoriamente contra os alunos presentes, chegando a matar doze, todos menores de idade. Oliveira tentou fugir, mas foi interceptado por policiais, cometendo suicídio.
A motivação do crime figura incerta, porém a nota de suicídio de Wellington, o testemunho público de sua irmã adotiva e de um colega próximo apontam que o atirador era reservado, sofria bullying e pesquisava muito sobre assuntos ligados a atentados terroristas e a grupos religiosos fundamentalistas. No mesmo dia, o ocorrido teve ampla repercussão em noticiários internacionais. A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, decretou luto oficial de três dias em virtude da morte dos estudantes vítimas do massacre.

Autor do crime
O criminoso chamado Wellington Menezes de Oliveira de 24 anos foi o responsável pela morte tão fatal, e tão comovente de 12 alunos estudantes da escola, que cedo, foram retirados da vida.
Wellington era filho adotivo de Dicéa Menezes de Oliveira, era o caçula de cinco irmãos, e foi adotado ainda bebê. Sua a mãe biológica sofria de problemas mentais e chegou a tentar se matar. É descrito por familiares e conhecidos como um rapaz calado, tímido, introspectivo, que não se metia em problemas nem desrespeitava regras. Na adolescência, ele foi adepto dos Testemunhas de Jeová, assim como a mãe adotiva, que morreu em 2010.
Após a morte de sua mãe adotiva, os irmãos dele vasculhavam o computador do elemento, e descobriram que ele fazia muita pesquisa na internet sobre armamentos.
Após o massacre, o melhante cometeu suicídio.


Vítimas

A lista de vítimas foi divulgada oficialmente pela polícia do Rio de Janeiro:
  • Ana Carolina Pacheco da Silva, 13 anos;
  • Bianca Rocha Tavares, 13 anos;
  • Géssica Guedes Pereira, 14 anos;
  • Igor Moraes, 12 anos;
  • Karine Chagas de Oliveira, 14 anos;
  • Larissa dos Santos Atanásio, 13 anos;
  • Laryssa Silva Martins, 13 anos;
  • Luiza Paula da Silveira, 14 anos;
  • Mariana Rocha de Souza, 12 anos;
  • Milena dos Santos Nascimento, 14 anos;
  • Rafael Pereira da Silva, 14 anos;
  • Samira Pires Ribeiro, 13 anos;
Após o evento, famílias de quatro das vítimas decidiram doar os órgãos dos adolescentes.

Leiam abaixo a carta de suicídio escrita por ele:

Primeiramente deverão saber que os impuros não poderão me tocar sem luvas, somente os castos ou os que perderam suas castidades após o casamento e não se envolveram em adultério poderão me tocar sem usar luvas, ou seja, nenhum fornicador ou adúltero poderá ter um contato direto comigo, nem nada que seja impuro poderá tocar em meu sangue, nenhum impuro pode ter contato direto com um virgem sem sua permissão, os que cuidarem de meu sepultamento deverão retirar toda a minha vestimenta, me banhar, me secar e me envolver totalmente despido em um lençol branco que está neste prédio, em uma bolsa que deixei na primeira sala do primeiro andar, após me envolverem neste lençol poderão me colocar em meu caixão. Se possível, quero ser sepultado ao lado da sepultura onde minha mãe dorme. Minha mãe se chama Dicéa Menezes de Oliveira e está sepultada no cemitério Murundu. Preciso de visita de um fiel seguidor de Deus em minha sepultura pelo menos uma vez, preciso que ele ore diante de minha sepultura pedindo o perdão de Deus pelo o que eu fiz rogando para que na sua vinda Jesus me desperte do sono da morte para a vida eterna.
Eu deixei uma casa em Sepetiba da qual nenhum familiar precisa, existem instituições pobres, financiadas por pessoas generosas que cuidam de animais abandonados, eu quero que esse espaço onde eu passei meus últimos meses seja doado a uma dessas instituições, pois os animais são seres muito desprezados e precisam muito mais de proteção e carinho do que os seres humanos que possuem a vantagem de poder se comunicar, trabalhar para se alimentarem, por isso, os que se apropriarem de minha casa, eu peço por favor que tenham bom senso e cumpram o meu pedido, por cumprindo o meu pedido, automaticamente estarão cumprindo a vontade dos pais que desejavam passar esse imóvel para meu nome e todos sabem disso, senão cumprirem meu pedido, automaticamente estarão desrespeitando a vontade dos pais, o que prova que vocês não tem nenhuma consideração pelos nossos pais que já dormem, eu acredito que todos vocês tenham alguma consideração pelos nossos pais, provem isso fazendo o que eu pedi.


 O jornal americano The Wall Street Journal afirma que a tragédia "chocou a sociedade tradicionalmente familiar do Brasil, onde a violência contra crianças é rara. A escola fica em Realengo, no oeste de uma cidade conhecida por suas praias e belezas naturais"

E eu afirmo: "Esse crime foi chocante. Porque o indivíduo que segundo o Jornal Nacional era quieto na sala, bom aluno, e sem indício de mal comportamento na sala, faria uma coisa tão horrível, mas tão horrível? Isso jamais terá justificativa"

 Foto do elemento:
Ficheiro:Wellington Menezes de Oliveira.jpg



Foto da escola:
Ficheiro:Escola Tasso da Silveira.jpg




Escola Tasso de Oliveira
Assalto em Realengo