sexta-feira, 23 de março de 2012

Chico Anysio e as mulheres de sua vida


O rei do riso também era o rei do amor. Embora, vez por outra, gostasse de dizer que nunca havia se apaixonado, parecia ser apenas uma de suas muitas tiradas. Afinal, mesmo protagonizando desfechos pouco felizes de uniões matrimoniais, sentia-se um expert no assunto casamento. Tanto, que quis passar para seus fãs aquilo que aos olhos das aparências, não dele, não parecia ter aprendido. E escreveu o livro "Como salvar seu casamento", em junho de 2000, quando já estava junto - e dizendo-se muito feliz - de Malga di Paula, sua sexta mulher.
"Sou 39 anos mais velho do que ela (Malga). Quando me casei, meu irmão mais velho disse que eu estava me casando com uma viúva. Sabia que ia morrer antes dela, mas até lá vou viver uma porção de tempo bem", declarou em março de 2010, quando gravou seu testemunho para o projeto Depoimentos para Posteridade, do Museu da Imagem e do Som (MIS).
Não era para menos que Chico Anysio se julgava uma pessoa apta a dar boas sugestões no campo amoroso. Costumava dizer, para quem quisesse ouvir, que era um sujeito muito legal. Falava bem de todas as ex-mulheres, mas mantinha um travo amargo na boca quando se referia a Zélia Cardoso de Mello, ministra de Economia da época do governo de Collor de Mello, com quem teve dois filhos, Vitória e Rodrigo.
"Meu casamento com Zélia foi um erro", comentou, para logo depois trocar de assunto e passar a falar de um dos seus temas prediletos: o amor.
Chico não se dizia ciumento, não se dizia infiel. A primeira mulher do humorista foi a comediante Nancy Wanderley, com quem teve um filho, o ator Lug di Paula. A segunda foi a ex-vedete Rose Rondelli, com quem teve Nizo Neto e Ricardo. Da união com a atriz Alcione Mazzeo nasceu o ator Bruno. Do casamento com Regina Chaves, teve Cícero.
O casamento com a ex-ministra da economia do governo Fernando Collor Zélia Cardoso de Mello foi em 1991. E acabou seis anos depois. Em 1997, casado com Zélia, ele anunciou nos classificados dos jornais a venda de artigos de sua mansão em São Conrado. O casal tinha decidido ir morar em Nova York. Garantindo que a mudança era definitiva: "A imprensa me escolheu para esculhambar (...) Além do mais, não aguento oito anos de governo Fernando Henrique", afirmou ele na época. Menos de um ano depois, estava de volta, separado de Zélia.
Em 1998, passou a viver com a gaúcha Malga, que o inspirou a lançar o livro "Como salvar seu casamento".

Fonte: O Globo

Nenhum comentário: