terça-feira, 17 de julho de 2012

Novo VW Space Cross: Respeito é bom!!!

 
A Volkswagen  lançou o Space Cross, a versão aventureira do SpaceFox, dentro do mesmo espírito das outras versões do gênero produzidas pela marca, a Saveiro Cross e o CrossFox, e o Blog do Moquenco, do jornalista Orestes Moquenco, teve a oportunidade de ficar alguns dias com um exemplar do modelo, para uma rápida avaliação.
Não foi exigida ao extremo, pois não tinha a menor necessidade, já que o Space não atende tal apelo. Picape 4x4 é uma coisa, ele é outra completamente diferente. Gosta de uma boa terra batida, tipo carreadores de canavial, seu habitat preferido, mas não faz feio quando o chão fica úmido e cheio de lama, não um atoleiro.
Com suspensão elevada, o Space Cross foi criado para possibilitar o acesso com maior facilidade a caminhos não asfaltados, oferecendo simultaneamente os mesmos níveis de conforto e versatilidade que do SpaceFox. Trata-se de um carro agradável de dirigir, combinando agilidade e estabilidade, com excelente comportamento nas curvas.
Um dos atrativos do Space Cross é a oferta do maior pacote de itens tecnológicos do segmento, que inclui computador de bordo com sete funções, espelho retrovisor interno eletrocrômico, faróis com acendimento automático e função coming & leaving home, sensor de chuva, retrovisor externo com função tilt down e sensor de estacionamento traseiro. O carro traz, de série, conjunto elétrico, ar-condicionado e direção hidráulica e não faz concessões em matéria de segurança: tem airbags dianteiros e freios ABS, considerado mais que completo nos dias de hoje e a versão avaliada possui tudo isso.
O modelo é equipado com o motor 1.6 VHT Total Flex que desenvolve 104 cv quando abastecido com etanol e 101 cv com gasolina. O conjunto mecânico conta com a transmissão I-Motion  de cinco velocidades, tornando o veículo ainda mais tranquilo de dirigir e ainda o sistema Shift Padlles no volante, adiantando muito e colocando o condutor em posição sempre de ataque.
Conhecida pela sigla ASG (iniciais de Automated Sequential Gearbox), a transmissão I-Motion permite que o motorista faça trocas de marchas sem o acionamento da embreagem pelo condutor. As mudanças podem ser feitas por meio da alavanca localizada no console ou pelos acionadores opcionais (shift paddles) posicionados junto ao volante. Pode ser usada de modo totalmente automático, com a troca das marchas acionada de forma automatizada por uma central eletrônica.
Conhecida pela sigla ASG (iniciais de Automated Sequential Gearbox), a transmissão I-Motion permite que o motorista faça trocas de marchas sem o acionamento da embreagem pelo condutor.
A tecnologia I-Motion se baseia na tradicional transmissão manual com cinco marchas MQ200 da Volkswagen.  A transmissão automatizada agrega à caixa um sistema de acionamento inteligente e elimina a necessidade do pedal da embreagem.
Na transmissão ASG, as trocas de marchas são feitas por atuadores eletro-hidráulicos, acionados por um sistema de óleo pressurizado até 60 bar. A seleção das marchas é feita por uma central de controle computadorizada específica (TCU – Transmission Control Unity), que troca informações com a central responsável pelo gerenciamento do motor (ECU – Engine Control Unity). Para escolher a marcha apropriada a cada situação são levados em conta dados como a velocidade do carro, a inclinação da pista, rotação do motor e o posicionamento do pedal do acelerador.
O motorista pode optar por um comportamento mais dinâmico, em modo automático, selecionando a opção esportiva do câmbio (S, de Sport). Nessa posição, a TCU passa a realizar as trocas nas acelerações em rotações mais elevadas, privilegiando ao máximo o aproveitamento do torque do motor.
Depois de explicado tudo isso para quem não conhecia o I-Motion, na avaliação, achei que o sistema "atrasa" um pouco as mudanças, prejudicando a guiada mais agressiva, mas o ser humano se acostuma com tudo, até com esse pequeno delay de uma marcha para outra. Muitos reclamam sobre o sistema, mas nem tudo são flores na vida.
Quando abastecida com etanol, senti que ela "toma" mais, em consequencia, anda mais. Não descobri a pólvora sem fumaça, mas é uma das opções do proprietário do veículo.
É muito bom de guiar o Space Cross, com suspensão elevada em 33 mm na dianteira e 35 mm na traseira, em comparação à do SpaceFox. É um carro na mão e dá prazer acelerar em um carreador de cana ou um chão com buracos leves, graças à alteração na geometria, nas mangas de eixo e na calibração da suspensão e conta com pneus 205/55 R15. O preços vão de R$ 57.990 a R$ 60.990 (versão I-Motion), compatíveis com o que é oferecido por mais este membro da família VW.
O motor de cento e poucos cavalos proporciona uma velocidade máxima de cerca de 170 km/h, considerada boa para os que querem um veículo esperto no chão batido e confortável no asfalto.
Gostei muito, mesmo apanhando um pouco do câmbio I-Motion. Mas, isso passa. (Orestes Moquenco)

Nenhum comentário: