sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Queda na taxa de desemprego dá impulso temporário a Obama

 
Por Patricia Zengerle
WASHINGTON, (Reuters) - A queda na taxa de desemprego dos Estados Unidos para o seu nível mais baixo desde que o presidente Barack Obama assumiu o poder, anunciada a um mês da eleição, deve dar um impulso à campanha depois de ele apresentar um fraco desempenho em um debate com o rival republicano, Mitt Romney.

Os dados do Departamento do Trabalho indicaram que a taxa de desemprego caiu 0,3 ponto percentual em setembro, chegando a 7,8 por cento - a mais baixa desde janeiro de 2009. Os empregadores acrescentaram 114 mil trabalhadores em suas folhas de pagamento.

Romney havia feito do fracasso do presidente em reduzir a taxa para abaixo dos 8 por cento um ponto chave de sua campanha.

Ao reagir sobre os novos dados, Romney afirmou que a economia permanecia fraca e observou que a taxa de desemprego estaria mais perto de 11 por cento caso incluísse aqueles que desistiram de procurar um trabalho. "Isso não se parece uma recuperação real", disse ele em um comunicado.

Obama comemorou os dados do desemprego.
"Muitos norte-americanos entraram para a força de trabalho, mais pessoas estão conseguindo emprego", afirmou Obama em evento de campanha na universidade George Mason em Virginia. "Agora, todo mês nos lembramos de que ainda temos muitos amigos e vizinhos que procuram emprego."

"A notícia de hoje certamente não é uma desculpa para se tentar falar mal da economia e ganhar alguns pontos políticos", completou o presidente.

David Plouffe, assessor de campanha de Obama, disse: "Isso obviamente mostra que continuamos a nos recuperar de uma recessão horrível."

Embora os institutos de pesquisa discordem sobre qual é o efeito de um dado econômico sobre as intenções de voto, um número bom com relação aos empregos só pode ser algo positivo para o presidente, que, segundo analistas, perdeu o primeiro debate presidencial com Romney na quarta-feira.

"Boas notícias econômicas são boas notícias políticas. O presidente Obama precisava disso depois do debate e isso lhe dá evidência numérica de que suas políticas estão funcionando", afirmou Julian Zelizer, da Universidade Princeton.

Economistas observaram que o relatório indicou que a força de trabalho norte-americana estava se expandindo. Em meses recentes, a taxa de desemprego havia caído em boa parte porque muitos norte-americanos haviam desistido de procurar emprego.

Depois do debate em Denver, Romney ganhou terreno e agora é visto positivamente por 51 por cento dos eleitores, na primeira vez em que desfrutou de um número positivo na corrida presidencial dos EUA, indicou uma pesquisa Reuters/Ipsos divulgada na quinta-feira.

Mas Obama ainda estava um pouco à frente com relação a trabalho e empregos na pesquisa, por 40,3 por cento a 39,6 por cento.
Fonte: AE

Nenhum comentário: