domingo, 25 de novembro de 2012

Lado a Lado: critérios duvidosos da Justiça

Nesta sexta (23), o Ministério da Justiça, em comunicado publicado no 'Diário Oficial da União', informa a reclassificação indicativa da novela da Globo 'Lado a Lado'. Antes classificada pela própria emissora como livre para todas as idades, a trama foi selecionada pelo órgão público como inadequada para menores de 10 anos, por apresentar cenas de consumo de álcool e violência.
A despeito da decisão da Justiça, a coluna se questiona sobre os critérios de restrição, pois as cenas de violência apontadas no folhetim de João Ximenes Braga e Claudia Lage fazem referência à Revolta da Chibata, movimento liderado por negros em 1910, no Rio de Janeiro, contra os maus tratos que sofriam pelas mãos da Marinha brasileira. Aliás, um retrato de nossa história muito bem recortado pela dupla de autores e emoldurado em uma criação ficcional, muito acima de qualquer impressão errada que seu Ibope irregular possa passar.
'Lado a lado' foi reclassificada por ter 'cenas de consumo de álcool e violência
'Lado a lado' foi reclassificada por ter 'cenas de consumo de álcool e violência
Por mais que a recriminação a menores de 10 anos não soe absurda, ela desperta a curiosidade da coluna sobre a opinião do Ministério da Justiça em torno de programas sensacionalistas que desfilam pelas tardes da TV aberta, com alto teor de violência (e, muitas vezes, agressões verbais do mais baixo calão). Esperamos que o rigor em torno de uma obra que muito pode contribuir para elucidar o telespectador (mesmo o mirim) sobre o passado de nosso país e os reflexos que nos circundam atualmente também seja utilizado na análise de atrações de gosto duvidoso, elementos de praxe na nossa televisão.

Fonte: Heloísa Tolipan (Jornal do Brasil)

Opinião do blog:
Na minha opinião, ninguém gosta dessa novela. Ninguém vai assistir mais, porque todos nós sabemos da história do país, claro, nós estudamos isso na escola. Tudo se baseia na história? Olha: Revolta da Chibata, a Escravidão... Tudo isso nós estudamos alguma vez na vida né...

Nenhum comentário: