sábado, 6 de outubro de 2012

Massacre do Carandiru - 20 anos

 Retirado de Anarcopunk (Jornada Anti-Fascista)
02 de outubro de 1992:
 
O CONTEXTO

Lá haviam  7.257 detentos3.757 a mais do que poderia comportar.
No Pavilhão 9 haviam 2.076 detentos, grande parte com idades entre 18 e 25 anos, em sua maioria aguardando julgamento por crimes não hediondos, como porte ilegal de armas, falta de habilitação, assaltos e roubos motivados por causas socioeconômicas, como desemprego, necessidade financeira, baixos salários, e família em dificuldades.
Tudo começou com uma briga entre dois presos do pavilhão 9, que gerou um conflito generalizado entre duas facções rivais. Os presos pediram que os funcionários saíssem do local para que resolvessem a briga entre si. Foi isso que os diretores e demais funcionários fizeram: abandonaram o local e trancaram a porta de fora, impotentes diante da situação que se agravava.
Após se certificar de que não havia reféns, reivindicações ou tentativas de fuga, o diretor da Casa de Detenção, José Ismael Pedrosa, comunicou o fato para o coordenador dos Estabelecimentos Penais de São Paulo, Hélio Nepomuceno, para os juízes corregedores Luiz Augusto San Juan França, Fernando Antonio Torres Garcia e Ivo de Almeida, e para o assessor de assuntos penitenciários da Secretaria da Segurança Publica, Antonio Fillardi Luiz. O então governador, Luiz Antonio Fleury Filho, também foi avisado.
Era véspera das eleições municipais e este acontecimento poderia ser desfavorável para o governo. A decisão foi de repressão imediata.
Por volta das 14h e 30m, o coronel Ubiratan Guimarães, comandante do policiamento metropolitano, chegou à Casa de Detenção, acompanhado da tropa da ROTA (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar, conhecida por sua violência), do GATE (Grupo de Ações Táticas Especiais) e do COE (Comando de Operações Especiais), totalizando cerca de 350 policiais equipados com 31 metralhadoras, 4 fuzis M-16, 3 espingardas calibre 12, 1 pistola calibre 45, e 352 revólveres calibre 38, acompanhados de cachorros.
Ali estavam presentes policiais como o capitão Wanderley Mascarenhas, com mais de 34 mortes em atividade; capitão Ariovaldo Salgado, com 28 mortes; capitão Walter Mendonça, 40 mortes; entre outros, muitos deles envolvidos em casos com suspeita de execução. O Secretário da Segurança Publica, responsável pela Casa de Detenção e pela administração do sistema penitenciário não estava presente, estando a par dos acontecimentos apenas por rádio e telefone.
Passado algum tempo, Antonio Fillardi Luiz ordenou ao diretor da Casa de Detenção que passasse o comando das operações no local para o coronel Ubiratan Guimarães. Após uma breve reunião, foi decidido que haveria uma tentativa de negociação por parte do diretor, antes da invasão.
O coronel determinou que a invasão seria feita sem a presença de civis, somente com policiais militares, opção incomum, visto que os funcionários da Casa de Detenção seriam de grande serventia pois conheciam todo o pavilhão e inspiravam mais confiança nos presos.
Os presos, já cientes da presença do batalhão de choque, voltaram para suas celas, e estenderam panos brancos nas janelas, num claro sinal de que estavam se rendendo e queriam resolver a situação pacificamente. Alguns, prevendo o que estava por vir e querendo retardar a entrada da PM, espalharam óleo nas escadas e cortaram a energia elétrica.
A ideia inicial seria de que o diretor da Casa de Detenção tentasse iniciar um diálogo com os presos. Porém, logo que o portão do pavilhão foi aberto, ocorreu um verdadeiro “estouro da boiada”: os PMs invadiram o pavilhão sem dar chance de diálogo ao diretor. E a partir deste momento, iniciava-se a operação militar.



 

O MASSACRE
Os policiais não possuíam sequer uma planta do prédio, e foi necessária a ajuda de um preso para que encontrassem a escada que leva aos pavimentos superiores. Até este momento, não havia tiros no interior do pavilhão, e não houve confronto armado ou resistência por parte dos presos.
“Todo mundo tira as divisas e os nomes! Tira tudo, cabos, sargentos, oficiais, tira tudo!” – foi a ordem de um oficial.
A tropa ocupou o pavilhão, andar por andar, promovendo um dos maiores extermínios de presos da história da humanidade. Sob os gritos de “Aqui é a morte! Se preparem para morrer!”, os policiais abriam as celas e davam rajadas de metralhadora. O sangue se espalhava pelo chão.
 
Os presos que foram mortos em suas celas foram atingidos por disparos efetuados de fora para dentro; sendo estes de cima para baixo para atingir os presos que se encontravam sentados; na horizontal para atingir os que estavam de pé; ou no beliche da cela para atingir os que estavam deitados. Depois que o Pavilhão foi todo ocupado, os presos sobreviventes foram obrigados a descer nus, até o térreo, e, neste momento, passaram por um “corredor polonês” formado pelos policiais nas escadas, sendo golpeados por cassetetes, canos de espingardas e atacados pelos cães; os que escorregavam ou paravam eram mortos friamente. Alguns foram obrigados a carregar os presos mortos, e após esta operação, foram também assassinados. Outros se esconderam debaixo dos corpos para escapar. Os policiais ainda roubaram alguns pertences dos presos que se encontravam nus e dominados no pátio, como relógios, anéis, etc.
A grande maioria dos presos recebeu mais de 5 disparos, tendo alguns recebido até 16. Foram registrados 167 disparos feitos pelas costas, de cima para baixo, e tiros atingindo o braço e antebraço, em gestos típicos de defesa.
A operação policial durou poucas horas e deixou mais de 111 mortos (número “oficial”) e centenas de feridos.

A “JUSTIFICATIVA” E AS FRAUDES

Já durante a noite, por volta das 21h, o diretor da Casa de Detenção foi chamado por militares que lhe entregaram 13 armas de fogo, alegando tê-las encontrado no Pavilhão 9. Essas armas foram apresentadas por um capitão que, alguns anos depois, foi expulso da PM, condenado por falsificação.
Considerando que a operação policial terminou por volta das 18h30m, as armas, todas de coronha escura, deveriam então ter sido encontradas no período entre as 18h30m e 21h, à noite, com a energia elétrica cortada, e 10cm de água, misturada com óleo, entulho e sangue nos corredores. Somando-se a isso o fato de que neste período de tempo, os 350 policiais ainda tiveram de remover os 2054 presos do pavilhão para o pátio, e depois recoloca-los nas celas, e que os próprios funcionários da Casa de Detenção procuram controlar o ingresso de armas de fogo, pois estariam colocando em risco suas próprias vidas, tendo nos 12 anos anteriores sido encontradas 5 armas em toda a Casa de Detenção, conclui-se que seria impossível que se tivesse achado um número tão elevado de armas de fogo, e que estas armas foram colocadas artificialmente no local como justificativa para tamanha chacina. Não há justificativa para a violência extrema utilizada por estes policiais, que assassinaram friamente muito mais de 111 presos naquele 02 de outubro.
 
O coronel Ubiratan Guimarães, assim como outros oficiais da Policia Militar, afirmou em seu depoimento ter sido recebido a tiros quando adentrou o pavilhão, juntamente com o capitão Mascarenhas. Mas esta afirmação é totalmente contrariada, levando em conta o depoimento do próprio capitão Mascarenhas, que afirma que no momento em que se dirigiam ao pátio interno do Pavilhão 9 não houve qualquer reação dos presos com armas de fogo, nem durante o tempo em que ali permaneceram.
Outra mostra da fraude cometida pelos policiais, é o fato de que os corpos dos presos mortos, quase todos em suas celas, foram removidos para o segundo andar e para a sala de esportes, onde foram empilhados 98 corpos, prejudicando assim, o trabalho da perícia. Esqueceram-se, porém, de 10 cadáveres na cela 375-E, 1 na cela em frente, e outros 2 nos 4° e 5° andares, encontrados sentados, deitados ou encostados às paredes, sem nenhuma arma junto a eles, com nítidos sinais de execução.
Além das armas, os policiais ainda feriram os presos com facas, estiletes, cães, cassetetes, canos de ferro, coronhas de revólveres e pontapés. Este verdadeiro massacre foi escondido dos familiares dos presos e da opinião pública até o dia seguinte, sendo anunciado minutos antes do fechamento das urnas das eleições municipais.
Quase todos os policiais envolvidos no Massacre respondiam a inúmeros processos criminais, muitos deles não terminados, referentes a homicídios ou tentativas de homicídios em “confrontos” onde quase sempre “aparecem” armas nas mãos das vítimas, totalizando mais de 148 processos.

OS MASSACRES PERMANECEM
Passados 10 anos, em 2002, o comandante desta chacina sangrenta, Coronel Ubiratan Guimarães, durante sua candidatura a deputado estadual, declarou que “faria tudo novamente”.
 
Hoje, 20 anos depois, dezenas de outras chacinas, assassinatos e repressões violentas somam-se à ação da Polícia, que a cada dia promove um verdadeiro genocídio da população pobre, negra e excluída deste país, pautado em políticas de higienização social, criminalização da pobreza e das mobilizações populares. Entre junho de 2011 e junho de 2012, os assassinatos cometidos pela Polícia Militar aumentaram em 53%; entre 2005 e 2011, a Policia Militar matou 3.921 pessoas, sendo 3.074 em casos de “resistência seguida de morte” – justificativa costumeiramente utilizada pela polícia para suas execuções; em 2011, um em cada cinco assassinatos foi cometido por ela. Os números são assustadores e se tornam ainda mais quando analisamos a quantidade de negr@s que é alvo desta política de extermínio. Movimentos sociais, estudantes, morador@s de rua, usuári@s de drogas, ocupações e favelas também são alvos constantes desta violência que faz uso de todas as armas. E a cada dia vemos novos Massacres do Carandiru, da Candelária, de Eldorado dos Carajás, de Pinheirinho, da Cracolândia.

Passados 20 anos, não há condenados pelo Massacre de Carandiru

 Momento da implosão do pavilhão 8 da Casa de Detenção do Carandiru, em São Paulo (SP)
Momento da implosão do pavilhão 8 da Casa de Detenção do Carandiru, em São Paulo (SP)

Passados 20 anos, apenas uma pessoa foi condenada e, mais tarde, absolvida, pelo Massacre do Carandiru. O único acusado pelos resultados da tragédia que foi julgado até agora, Ubiratan Guimarães, coronel da Polícia Militar à época, teve a sentença anulada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo em fevereiro de 2006. O militar foi assassinado em setembro do mesmo ano, em crime do qual é acusada a então namorada.

Em 2001, o coronel Ubiratan, como era conhecido, tinha sido condenado a 632 anos de prisão pela morte de 102 dos 111 prisioneiros que foram vitimados na invasão do complexo penitenciário do Carandiru. Segundo documento de 2000, da CIDH (Comissão Interamericana de Direitos Humanos), órgão ligado à OEA (Organização dos Estados Americanos), havia superlotação no complexo.


O Carandiru tinha, à época, 7.257 prisioneiros, mais do que o dobro da capacidade comportada, sendo que 2.706 deles estavam recolhidos no Pavilhão 9, onde ocorreu a revolta. A ação dos policiais é considerada um dos mais violentos casos de repressão à rebelião em casas de detenção, segundo a própria CIDH. Até hoje, não houve a responsabilização de nenhuma autoridade.


Celina Aparecida dos Santos, em foto de 2002, era mãe de Mauro Batista da Silva, um dos 111 detentos mortos no Carandiru. "O massacre do Carandiru é símbolo da convergência de duas políticas do Estado que ainda vigoram: a política de extermínio e de encarceramento em massa da população mais pobre e periférica", diz Rodolfo Valente, da Pastoral Carcerária Mais Luiz Carlos Murauskas/Folhapress
 
Em 2000, a comissão concluiu que o caso caracterizou um “massacre, no qual o Estado violou os direitos à vida e à integridade pessoal” e pediu investigação dos fatos e consequente punição dos responsáveis, além de reparação às vítimas. Segundo o documento – o Relatório 34/00 – “o Estado violou os direitos à vida e à integridade pessoal e que, em suas sequelas, também foram violados os direitos ao devido processo e à proteção judicial”.


Detento mostra livro sobre direitos humanos, em 1992. No dia 2 de outubro do mesmo ano, uma briga de presos no pavilhão 9, da Casa de Detenção de São Paulo, gerou um tumulto que culminou na intervenção da Polícia Militar. O resultado foram 111 mortos, no episódio conhecido como massacre do Carandiru
Em setembro do ano passado, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo negou recurso de defesa e decidiu manter a decisão de levar a júri popular mais de 75 policiais acusados pelo massacre. Na última quinta-feira (27), o juiz José Augusto Nardy Marzagão, da Vara do Júri de Santana, decidiu levar 28 desses policiais a júri popular que marcou para o dia 28 de janeiro do próximo ano. O processo será julgado em etapas, devido ao grande número de réus envolvidos.

Corpos de presos mortos no massacre do Carandiru são enfileirados em sala do IML (Instituto Médico Legal) em outubro de 1992.

“É um processo atípico. Desde o início, ele se mostrou um processo atípico, em função do número de réus. Em razão da nossa sistemática jurídica, que nunca concebeu talvez um processo de júri com tantos réus, acaba gerando alguns entraves que, se não vencidos agora, podem gerar nulidade no futuro. Infelizmente ele acaba se protelando no tempo”, disse Norberto Joia, promotor de Justiça do 2º Tribunal do Júri, em entrevista à Agência Brasil.

A demora no julgamento e na responsabilização pelas mortes se deve, em parte, pelo fato de o processo ter passado da Justiça Militar, onde tramitou entre 1992 e 1996, para a Justiça Comum. De acordo com documento da Comissão Interamericana de Direitos Humanos, o processo penal contra 119 policiais acusados de homicídio qualificado agravado, que foi instaurado perante a Auditoria da Justiça Militar em 23 de junho de 1993, "sofreu uma série de atrasos".


Depois de três anos instaurado, no dia 13 de fevereiro de 1996 o processo foi transferido à Justiça Comum, porque havia indícios de responsabilidade de autoridades civis na época (o governador Luiz Antonio Fleury Filho e o secretário de Segurança Pública, Pedro Franco de Campos).


Promulgada em 1996, a Lei 9.299, conhecida como Lei Bicudo por ter sido proposta pelo então deputado federal Hélio Bicudo, e que prevê que crimes de homicídios dolosos cometidos por policiais militares deixariam de ser julgados pela Justiça Militar, levou o processo para julgamento em tribunal do júri.


“Em relação a este caso, poderíamos ter avançado numa modificação da legislação, que acabou não havendo. E essa modificação que ocorreu [Lei Bicudo], e acabou pegando esse caso, acabou trazendo alguns entraves a mais para que o julgamento fosse realizado”, disse o promotor.




Movimentos sociais e Pastoral Carcerária realizam ato na praça da Sé, no centro de São Paulo, para relembrar o massacre do Carandiru, que completa 20 anos

Entre os entraves, lê diz que o processo saiu da Justiça Militar quando estava pronto para ser julgado. “Quando foi apurada a competência para que ele viesse para o júri, isto importou no cumprimento de um comportamento que era diverso do que existia na Justiça Militar e que impingiu a esse processo uma marcha mais lenta do que aquela que nós desejávamos”, explicou o promotor.


Apesar de decorridos tantos anos após o massacre, o promotor ainda acredita ser possível haver condenação dos responsáveis. “Embora não seja a melhor justiça, porque justiça tarda é justiça falha, mas é possível [condenar os responsáveis]”, disse ele.


Para Rodolfo Valente, advogado da Pastoral Carcerária em São Paulo, o governador de São Paulo na época, Luiz Antonio Fleury Filho, e o então secretário de Segurança Pública, Pedro Franco de Campos, também deveriam ser responsabilizados pelo massacre.

 


O ex-detento José Isabel da Silva Filho visita o Complexo do Carandiru em 2001. Ele foi um dos que sobreviveram à operação policial que em 1992 deixou 111 presos mortos no presídio.

"Entendemos que o governador Fleury e também o secretário Campos deveriam estar no banco dos réus. Não adianta só responsabilizar os policiais que participaram da ação”, falou ele, em entrevista à Agência Brasil.


A advogada Ieda Ribeiro de Souza, que defende todos os policiais acusados pela ação e que devem somar 79 (policiais, ex-policiais e alguns deles já na reserva) no processo, disse que já pediu habeas corpus para que o efeito extensivo dado ao coronel Ubiratan seja concedido também aos policiais que defende.


“O que alegamos sempre é que existiu uma reação dos policiais à agressão quando eles ingressaram [no Carandiru] e que eles [policiais] estavam cumprindo ordens. Assim como o coronel Ubiratan foi absolvido pelo estrito cumprimento do dever legal, eu entendo que todos eles devem ser absolvidos”, disse a advogada.


Em entrevista à Agência Brasil, a advogada disse que esperava o resultado da perícia do confronto balístico do Instituto de Criminalística (IC) para que o julgamento fosse marcado. No entanto, quando decidiu agendar a primeira etapa do júri popular, o magistrado disse que o Instituto de Criminalística já atestava a impossibilidade de realização do confronto balístico e que, portanto, a falta da perícia não deve prejudicar o julgamento.

 


Em 1992, o coronel Ubiratan Guimarães chefiou a operação policial que deixou 111 presidiários mortos no massacre do Carandiru. Ele morreu em 2006, assassinado. A principal suspeita é a advogada Carla Cepollina, que mantinha relacionamento com Ubiratan. Cepollina aguarda julgamento.

“Qual a razão de ser da existência de um processo que permanece sem julgamento por 20 anos? A resposta nos parece óbvia. A rigor, torna-se imperioso o julgamento do presente feito”, diz o juiz, em sua decisão.


Mas para a advogada, a falta do resultado do confronto balístico do IC pode sim trazer prejuízos ao julgamento, já que, sem ele, seria impossível individualizar as condutas. “Eu não tenho individualização de conduta, então não tenho como afirmar quem é o culpado ou não. O que posso te dizer é que a conduta tomada pela Polícia Militar foi a necessária”, argumentou.


Segundo a advogada, dos 300 policiais militares denunciados à época, somente 79 continuam respondendo a processo. A maioria dos policiais anteriormente denunciados responde por lesão leve, que já prescreveu. Há alguns policiais também, segundo ela, que foram impronunciados (ou seja, réus contra os quais foram apresentadas denúncias ou queixas improcedentes) e outros que respondem por lesão de natureza grave.


Procurada pela Agência Brasil, a Secretaria de Administração Penitenciária informou que o exame inicial foi feito por peritos do Instituto de Criminalística. “Porém, o exame de confronto balístico não foi feito porque é necessário o agrupamento de centenas de armas e projéteis”, disse a assessoria da instituição, por e-mail.


Fonte: UOL 

Serra e Russomanno devem fazer 2º turno em São Paulo, diz Datafolha

Os candidatos José Serra (PSDB) e Celso Russomanno (PRB) têm 28% e 27% das intenções de votos válidos, respectivamente, de acordo com última pesquisa Datafolha para a Prefeitura de São Paulo, divulgada na tarde deste sábado (6).
Fernando Haddad (PT) aparece com 24% dos votos válidos. Gabriel Chalita (PMDB) tem 13% e Soninha Francine (PPS), 5%. Carlos Giannazi, do PSOL, Paulinho da Força (PDT), Ana Luiza (PSTU) e Levy Fidelix (PRTB) têm 1% cada.
Leia mais notícias no R7 Eleições
A pesquisa entrevistou 4.028 eleitores entre os dias 5 e 6 de outubro. O levantamento, feito sob encomenda do Jornal Folha de S.Paulo e da TV Globo, está registrado no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo com o número 1178/2012. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Após almoço na casa do ex-marido, Dilma passa a tarde em seu apartamento na Capital

Após almoço na casa do ex-marido, Dilma passa a tarde em seu apartamento na Capital Félix Zucco/Agencia RBS
Dilma Roussef chegou no seu apartamento, na Zona Sul, no início da tarde Foto: Félix Zucco / Agencia RBS
Zero Hora - Após almoçar com a filha, o neto e o ex-marido na casa dele, a presidente da República, Dilma Rousseff, foi para o seu apartamento na zona sul da Capital, onde deve ficar até amanhã, quando sairá para votar na Escola Estadual Santos Dumont, na Vila Assunção.

Dilma desembarcou em Porto Alegre no início da tarde. A petista não deverá participar de nenhum ato de campanha, uma vez que os três principais candidatos à prefeitura são aliados do governo. A estadia de Dilma em solo gaúcho, no entanto, não deve ser longa. De acordo com a agenda oficial, o retorno para Brasília deve ocorrer na manhã deste domingo, por volta das 10h.


Neto da presidente brinca enquanto aguarda a avó. FOTO: Jean Schwarz
Equipe que acompanha a presidente é reduzida
Ao contrário do que ocorre em compromissos oficiais, o staff que acompanha a presidente Dilma Rousseff em sua vinda a Porto Alegre tem poucos integrantes. Com o escritório montado na Capital e por se tratar de agenda privada, somente 15 pessoas acompanharam Dilma.

Para a estadia de menos de 24 horas, a equipe de segurança local, que já trabalha com os seus familiares, não precisou ter o mesmo número de pessoas. Em compromissos oficiais, como a inauguração de obras, o grupo de apoio da delegação conta com cerca de 30 integrantes, espalhados entre equipes de segurança, de assessoria de imprensa e de telecomunicações.


Dilma Roussef desembarcou na Capital no início da tarde. Foto: Ronaldo Bernardi

Mega-Sena pode pagar R$ 22 milhões neste sábado

O concurso 1.431 da Mega-Sena pode pagar um prêmio de R$ 22 milhões neste sábado (6). Caso uma única pessoa ganhe e aplique o valor integral em poupança, irá receber mensalmente cerca de R$ 102 mil de rendimentos, o que equivale a R$ 3.400 por dia. Com o valor do prêmio é possível comprar 44 imóveis no valor de R$ 500 mil cada, ou 14 jatos executivos.

MAIS LOTERIAS

Confira resultados da Loteria Federal, da Quina, da Loteca e outros sorteios na página do UOL Notícias
Na quarta-feira (3), ninguém acertou as dezenas e o prêmio acumulou. Os números sorteados foram: 02 - 19 - 22 - 30 - 46 - 52..
Ao todo, 87 apostadores acertaram a quina e levaram a quantia de R$ 26.310,37 cada. Outros 6.685 acertaram a quadra e levaram R$ 489,15 cada uma, de acordo com a Caixa Econômica Federal.
As apostas podem ser feitas até as 19h do dia do sorteio. O valor mínimo é de R$ 2.

Seus números já saíram alguma vez na história da Mega-Sena?

Fraco, Mas Indispensável

De tempos em tempos, vamos às lojas e compramos um par de calçados novo. Escolhemos o que mais gostamos, experimentamos e o levamos para casa satisfeitos.Escolhemos uma data especial para inaugurar o calçado, e lá vamos nós exibindo a novidade. Porém, ao voltarmos, trazemos ás vezes conosco uma dor nos pés e avistamos uma bolha dolorida. É pequena, frágil, mas todo o corpo sente aquela dorzinha incomodando.
O pecado faz a mesma coisa. Ainda agora ele não existia, e, de repente, sem esperarmos, ele aparece, dói, machuca a alma, arde no coração e nos torna frágeis. Nesse momento, todo o corpo já sente junto a dor do pecado, incomodando, uma dor que pode ser sentimento de culpa, baixa auto-estima, medo...
A Bíblis usa a figura do corpo humano para exemplificar o corpo de Cristo - a igreja, mostrando que todas as pessoas têm o mesmo valor diante de Deus; mesmo sendo diferentes em alguns aspectos, e mesmo que cada um desempenhe um papel diferente do outro na vida. Todos os cristãos formam esse corpo de Cristo. Cada pessoa é um membro do corpo. Cada membro tem pelo menos um dom a ser desenvolvido, ou seja, uma atividade a ser realizada no Reino de Deus. Todos os membros são importantes, qualquer que seja seu dom.
Contudo, o v 26 deixa claro que, se um membro sofre, todos sofrem. Se um membro tem um pecado, como uma pequena bolha ou calo todo o corpo sofre.
Quando uma pessoa está doente, não consegue ter ânimo para ir ao trabalho, à escola... Quando isso acontece, cuida logo de tratar a ferida para curar a dor no corpo físico. Da mesma forma precisamos tratar logo o pecado para todo o corpo de Cristo também ficar espiritualmente sadio.
"O cristão sadio e indispensável no mundo doente."
 - do livro Pão Diário, texto escrito especialmente para o dia 06 de outubro.

Ex de Bruno Gissoni arma barraco com ator em boate de São Paulo

Bruno Gissoni e Stephanie Marques (Foto: Reprodução/Twitter) 
Bruno Gissoni e a ex-namorada, Stephanie
Marques: barraco em boate
(Foto:Reprodução/Twitter)
Bruno Gissoni, que vive o jogador Iran em "Avenida Brasil", passou por uma saia justa na última quarta-feira, 3, em uma boate em São Paulo. Isso tudo porque a ex-namorada do ator, Stephanie Marques, foi atrás dele na balada e armou o maior barraco ao vê-lo com outra mulher no local.

.Veja também: 'Estou solteiro. Terminei meu namoro', diz Bruno Gissoni
Fonte do EGO que estava na boate conta que foram muitos os xingamentos e que Stephanie teria tentado agredi-lo fisicamente, já que não aceita o fim do namoro.

Fonte: EGO

Carnavalesco da Mocidade quer Rihanna e Neymar na Sapucaí

EGO - Ainda no final de 2011, o consórcio que administra o Rock in Rio anunciou que pretendia transformar o festival em enredo de Carnaval. Muita gente estranhou, desconfiou que a ideia pudesse dar literalmente samba, mas Alexandre Louzada, carnavalesco que está à frente da Mocidade Independente de Padre Miguel, topou o desafio.

“Se eu estivesse em outra escola, talvez não aceitasse o desafio porque o carnaval é muito  tradicional. Mas a Mocidade é uma escola ousada”, diz ele, que já está com o enredo todo pensado, pretende colocar as baianas da escola de Tina Turner e aguarda a vinda de Rihanna e Katy Perry - que devem vir no carro-alegórico que fala sobre a última edição do festival. Ele também sonha com Neymar, e já confirmou Tico Santa Cruz, Evandro Mesquita, Skank e Jota Quest.
Pepino mesmo só a escolha da rainha de bateria. A ideia era ter alguém da música à frente dos ritmistas da Mocidade. Nesta entrevista, Louzada conta que as especulações em cima do nome de Shakira tinham fundamento, mas a cantora engravidou e declinou da ideia. As ideias de nomes para ocupar o posto passaram ainda por Ivete Sangalo, Rita Lee e Pitty.

Por fim, Louzada recorreu à Adriane Galisteu e espera a resposta da loira.
Alexandre Louzada  (Foto: Marcos Serra Lima / EGO) 
Carnavalesco espera resposta de Adriane Galisteu
“Pelo enredo da Mocidade, queria uma pessoa ligada ao rock, mas como isso não foi possível, a Adriane é minha primeira opção fora desse circuito. Ela é eclética, vivencia o personagem na avenida, tem empatia com o publico e é um ícone do carnaval. ‘Não existe mais quente’ do que Adriane Galisteu”, diz ele fazendo referência a uma insígnia da bateria da Mocidade, e aproveitando para dar aquela cantada na apresentadora. Confira mais a entrevista.
Como pretende mesclar samba e rock na avenida?
A ideia veio do pessoal do Rock in Rio e, em outros tempos e em outra escola, não teria aceitado. Em uma Mangueira, por exemplo, não colaria. Mas me apaixonei pelo tema. Talvez tenha sido pelo fato do rock ter permeado minha vida além do samba. Frequento todo tipo de balada.
Como você vai desenvolver esse enredo patrocinado de modo que ele não vire uma esquizofrenia na avenida?
Meu enredo não será sobre o iogurte (uma referência ao enredo da Porto da Pedra, em 2012). Não vou fazer aquela coisa que vem do Egito, e que do nada vira o nome dos produtos do patrocinador. Aí fica esquizofrênico. Assumo que meu enredo é patrocinado, que tem a vontade do patrocinador, mas que vou conseguir fazer isso sem explicitar marcas ou sem perder as características do que é carnaval.
Muita gente fala que enredo patrocinado pode ser uma casca de banana. Mas por outro lado, tem dinheiro...
Mais ou menos. Ainda não tem o que a gente precisa para essa tranquilidade. Fechado mesmo, só temos R$ 3 milhões. Estamos ainda falando com algumas empresas, como uma de iluminação, uma outra que talvez vá nos ajudar a lançar o primeiro carro-alegórico não-motorizado e por controle remoto na avenida... Eu chamo de carro fantasma (risos). Mas é claro que, em se tratando de carnaval, vai ter um motorista a postos para qualquer imprevisto. Pelo menos para o primeiro ano.
Alexandre Louzada  (Foto: Marcos Serra Lima / EGO) 
Alexandre Louzada (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)
Uma das coisas que muito se falou desde que o enredo da Mocidade foi anunciado é o patrocinador exigia uma rainha de bateria top. Isso é verdade?
É verdade! É verdade também que a Shakira foi convidada, aceitou, só que no meio do caminho engravidou e está com gravidez de risco. Por isso desistiu. Pensei na Rita Lee no começo, na Ivete Sangalo também - mas ela tem o carnaval de Salvador -, e não rolou. Convidamos a Pitty também, ela pensou, pensou, mas não aceitou. Como não foi possível uma pessoa ligada ao rock, recorri à Adriane Galisteu. Ela é eclética, vivencia o personagem na avenida, tem empatia com o público e é um ícone do carnaval. ‘Não existe mais quente’ do que Adriane Galisteu.

Que famosos já estão confirmados no carnaval 2013 da Mocidade?
Convidamos Rihanna, Katy Perry e Joss Stone, que deve vir. Também queria o Neymar para o carro do Maracanã, que vai vir com esportitas e lembrar que o palco do futebol já foi palco da música. Já temos adesão de Evandro Mesquita, Jota Quest, Tico Santa Cruz, Skank. Também estamos convidando vários sambistas para fazer a reunião do samba com o rock no final do desfile. Nesse setor, a gente deve ter Zeca Pagodinho, Dudu Nobre, Jorge Aragão entre outros.

E como vai ser o carnaval falando sobre o rock na avenida, como você vai desenvolver esse enredo?
Vou começar o desfile convidando grandes ícones do rock, do pop, da música, vivos ou não, para desfilar na Mocidade. Essa festa vai acontecer em um clima de ‘junkie box’. Quero pegar uma referência de Tina Turner para as minhas baianas. A partir daí nasce o rock, depois nasce o sonho do Rock In Rio, depois o festival vai para o Maracanã, e nesse setor faço uma brincadeira de transformar os jogadores em roqueiros. Estou, inclusive, querendo convidar um jogador de futebol com o cabelo bem emblemático. Acho que o patrocinador vai ficar feliz (risos).
Depois, vamos ter a parte em que o festival clama por um mundo melhor e relembrar Sting com os índios. Aliás, por causa disso, e pelo próprio enredo, a Mocidade vai vir com pouquíssimas plumas. Vou fazer referência ao Rock In Rio Lisboa, e o de Madri, e por fim a volta do festival ao Rio de Janeiro em 2011. Vamos fazer homenagens e Elton John, Stevie Wonder, vamos ter uma referência as cantoras que estiveram nessa edição como Katy Perry, Rihanna. E por fim, o destino do Rock In Rio é se misturar: rock e samba. Quero fazer uma grande mistura no último setor com grandes nomes do samba, aliás, espero que Zeca Pagodinho tope o meu convite, assim como grandes roqueiros. Vamos ver se vou apanhar ou vou ser aplaudido(risos).
E o quanto você já teve medo de apanhar por ter que desenvolver esse enredo?
É minha missão aceitar as críticas. Sei que não posso argumentar com as pessoas. Tenho que mostrar. Por exemplo, não gosto de fazer festa de protótipo, mas vou fazer para mostrar que visualmente dá certo. Acho que o preconceito, o ciúme, vem do próprio samba. As pessoas criticam, mas queria esse dinheiro, esse incentivo nas suas escolas(risos). Carnaval é uma caixinha de surpresa. Você pode estar muito produzido e não levar, mais simples e arrebentar. Não adianta.
Alexandre Louzada (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)Alexandre Louzada: à espera de uma rainha (Foto: Marcos Serra Lima/EGO)

Shakira exibe a barriguinha de grávida pela primeira vez

EGO - Shakira postou uma foto em sua página no Facebook, neste sábado, 6, na qual exibe, toda orgulhosa, sua barriguinha de grávida pela primeira vez. Ela está no sexto mês de gestação de um menino, de seu casamento com o jogador de futebol Gerard Piqué.
Recentemente, em entrevista a um programa de TV alemão, Shakira falou sobre o filho. "Quando este bebê sair de minha barriga, torço para que ele possa mudar as coisas. Que realmente possa fazer que o mundo seja melhor".
Shakira posta foto grávida (Foto: Reprodução / Facebook) 
No Facebook, Shakira posta foto exibindo sua barriguinha de seis meses de gravidez (Foto: Reprodução / Facebook)

'Balacobaco':Resumo dos Capítulos de 8 a 12 de Outubro


Segunda-feira, 08 de outubro – Danilo pede para falar com Norberto, mas ele exige o dinheiro e não aceita conversar. Com opiniões divergentes, Eduardo e Fabiana conversam sobre a índole de Norberto. Aragão convida Duílio para uma partida de dominó, mas o empregado finge passar mal para ser dispensado. Violeta fica enfurecida com as fãs de Plínio, causando um tumulto na pastelaria e atrasa-se para seu curso de autoajuda. Dóris conversa sobre um trauma com Zé Maria. Diva vai até a casa de Norberto em busca de dinheiro, mas Norberto aparece e encontra a noiva, que se explica e logo resolve o problema. Lígia convence Arthur a ajudar Norberto financeiramente. Quando Arthur vai à casa do filho, encontra Norberto com Diva. Em um encontro romântico, Isabel anuncia que está grávida para Danilo, mas assusta-se quando nota que um homem os seguiu por todo o percurso.


Terça-feira, 09 de outubro – Nervoso, Danilo vai embora do restaurante com Isabel. Arthur estranha a reação de Norberto ao saber que será ajudado financeiramente. Lucas conta para Lígia que está muito feliz com o casamento, mas Arthur não aprova a relação do casal. Isabel nota que Danilo não passa bem, mas ele disfarça. Violeta tem crise de ciúmes com Plínio e o casal briga. Zé Maria e Dóris vão ajudá-los. Dóris conta a Diva sobre o curso de autoajuda ministrado por Violeta, mas Diva só pensa na vingança contra Isabel. Marlene apresenta João Paulo a Luiza, que se mostra encantada por Lucas. Duílio conta à Diva sobre um trabalho de garçons no lançamento do escritório de Isabel, onde contratam apenas gêmeos. Diva resolve candidatar-se às vagas, para tentar vingança de Isabel. Durante passeio ecológico, Marlene afoga-se num lago, mas Eduardo a salva. Isabel e Mirela despedem-se do antigo escritório onde trabalhavam. Diva e Dóris preparam vingança contra Isabel na inauguração do novo escritório.


Quarta-feira, 10 de outubro – Dóris e Diva planejam desmoralizar Isabel. Marlene não desiste de aproximar Luiza de João Paulo. Arthur convida Adamastor e Laura para um almoço em família. Norberto fica incomodado com a recusa de Eduardo a mais uma proposta de compra da agência. As gêmeas Paranhos não conseguem o trabalho no bufê, e armam outra forma de entrar na festa de Isabel. Rafael e Zé Maria se conhecem. Preocupada, Celina diz a Vicente que ainda não achou lugar para abrir sua produtora. Luiza diz para Adriana que está apaixonada por Lucas. Zé Maria propõe a Patrick que se vista de pinguim, mas ele não gosta da ideia. Dóris se matricula no curso de autoajuda de Violeta. Fabiana e Vitoria insistem com Eduardo que Norberto é invejoso, mas ele não acredita. Luiza arma para encontrar Lucas. Isabel vibra com a de inauguração de seu escritório. Incomodado, Lucas não entende ao ver o clima pesado entre Betina e Arthur. Diva e Dóris sequestram duas gêmeas e se infiltram na festa. Darley segue Danilo, que treme ao vê-lo entre os convidados.

Quinta-feira, 11 de outubro – Amedrontado, Danilo pede que Darley saia da festa. Breno reclama do desemprego. Diva e Dóris tentam envenenar canapés da inauguração de Isabel, mas são interrompidas. Isabel e Joana encontram as garçonetes gêmeas presas em sacos plásticos. Josefina demonstra interesse em Osório, que, por sua vez, aproxima-se de Cremilda. Fabiana e Eduardo discutem. As gêmeas garçonetes reconhecem Diva e Dóris, que são desmascaradas na festa e agridem as rivais. Arthur se mostra desconfortável com a relação de Lucas e Betina. Diva afirma que Norberto sente ciúmes de Eduardo e leva um tapa na cara, mas os dois logo ficam bem. Zé Maria começa a direção de seu curta-metragem. Fabiana desculpa-se com Eduardo. Darley agride Danilo, mandando que pague a dívida. Eduardo conversa com Norberto sobre seu namoro com Fabiana. Darley vai até o escritório de Isabel para uma conversa.

Sexta-feira, 12 de outubro – Isabel espanta-se com Darley, mas garante procurá-lo depois. Eduardo questiona se Norberto ainda tem interesse por Fabiana. Arthur fica embriagado ao café da manhã, irritando Lígia. Norma conversa com Hilda e garante ser apaixonada por seu filho, Vinagre. Marlene arma outro encontro de Luiza com João Paulo. Celina não admite a amizade de Rafael e Zé Maria. Diva e Dóris pensam em planos distintos contra Norberto e Isabel. Patrick topa se vestir de pinguim para os vídeos de Zé Maria. Danilo vai ao cassino tentar a sorte nos jogos. Isabel tenta falar com Danilo, não consegue e resolve ir atrás dele. Ao lado de Cremilda, Diva arma mais uma arapuca para Norberto. Isabel segue o endereço dado por Darley e apavora-se ao encontrar Danilo no cassino clandestino.

Fonte/Divulgação:Record

'Rebelde':Resumo dos Capítulos de 8 a 12 de Outubro





Segunda-feira, 08 de outubro - Fátima abre os braços e vai até Carla, que se afasta. A rebelde fica indignada com o comportamento da mãe. Murilo e Maria escondem Lucy no banheiro. Vitória se anima ao saber que a mãe de Carla apareceu no colégio. Carla fica muito mexida com a presença da mãe. Vitória entrevista os alunos sobre a chegada da mãe de Carla. Becky novamente discute com Fátima. Lucy tenta fazer um trato com Murilo. A Zimmer planeja pegar o dinheiro do pai de Murilo para fugir do País. Alice e Pedro conversam sobre Carla. Leila acha que Miguel está escondendo a irmã. Os rebeldes se encontram no porão e conversam sobre Fátima. Miguel observa a conversa dos rebeldes no porão. Leila e Miguel conversam sobre a presença de Lucy no Elite Way. Arturzinho fica triste ao achar que Cilene armou a separação com Artur. Estela se muda para o quarto de Roberta e conversa sobre Alice. Fatima diz a Miguel que pretende reconquistar Carla. Cris se surpreende com a mudança de comportamento de Artur. Artur confunde Cilene com outra mulher. Miguel e Fátima conversam sobre Carla. Vicente e Becky conversam sobre Fátima. Miguel diz a Fátima que a ajudará a reconquistar Carla. Ofélia dá um beijo em Tadeu e empurra o professor. Cris e Marcelo se beijam. Leonardo e Jonas tocam no porão enquanto Bob Nélson assiste. Marcos Mion se diverte ao ver Jonas e Leonardo tocando no porão. Miguel fica enfurecido e dá bronca em Binho. Maria e Murilo continuam escondendo Lucy no quarto. Cilene fica triste ao ler bilhete de Arturzinho. Arturzinho vai até o loft e diz que pretende morar com Artur.


Terça-feira, 09 de outubro - Lucy se disfarça e pretende fugir do país. Artur e Marcelo ficam surpresos com a novidade de Arturzinho. Cilene vai até o loft procurar por Arturzinho. Miguel pede a Binho que tome conta do quarto. Arturzinho expulsa Cilene do loft. Lucy diz a Maria e Murilo que Binho foi o responsável pelo sequestro de Alice e Roberta. Os pais dos rebeldes cantam no porão uma música da banda. Marcos Mion se diverte com a turma do terceiro ano. Vitória fica animada ao ver Marcos Mion e continua gravando tudo com a ajuda de Bernardo. Pingo se fantasia de Roberta e tenta ser o novo ídolo do Elite Way. Pedro pede ajuda a Téo novamente. Bob Nelson tenta se aproximar de Marcos Mion e dos rebeldes. Franco fica animado ao ver os desenhos de Penélope. Murilo e Maria continuam com o plano de ajudar Lucy. Binho ouve Miguel conversando com Fátima. Penélope fica feliz e explica seus desenhos a Franco. Tomás e Carla ficam em clima de romance. Miguel convida Bob Nélson para um acordo. Márcia tenta pressionar Téo, que é salvo por João e Penélope. Maria pede ajuda à Juju para continuar o plano de Lucy. Binho conta toda a verdade de seu passado com Miguel para Pilar. Pilar continua desconfiada de Miguel. Arturzinho conta a seu pai sobre o plano das cartas e diz que Cilene estava jogando com seus sentimentos. Alice e Pedro ficam em clima de romance. Jonas oferece um jantar em sua casa. Murilo entra no quarto de Miguel e procura os documentos de Lucy. Tatiana fica desconfiada ao saber que Jonas está tomando remédio para dor de cabeça. Maria tranca Binho no quarto.

Quarta-feira, 10 de outubro  - Miguel pede que Binho plante uma notícia falsa sobre Lucy. Lucy diz a Murilo que deixará um presentinho para Miguel. Tomás e Carla ficam em clima de romance. Pedro e Alice namoram no quarto. Estela espera Roberta dormir e manda uma mensagem para Cesar, o empresário da banda. Pedro e Tomás ficam preocupados com o humor de Diego. Murilo fica feliz ao conseguir mexer na conta de seu pai. Vitória e Bernardo continuam gravando para o blog. As meninas fazem bagunça na cantina e deixam Pingo louco. Cris entrega flores a Tadeu na frente de Marcelo. Jonas se diverte ao ver a confusão na cantina. Tadeu fica preocupado ao descobrir quem mandou as flores. Marcelo beija Cris. Cilene tenta se desculpar com Artur. Márcia e Téo se aninam ao verem Jonas com o cachorrinho. Tadeu visita Ofélia ao saber que ela lhe enviou as flores. A avó de Tomás agarra Tadeu e o beija enquanto Mariana e Aline assistem tudo. Mariana e Aline contam a Vitória que Ofélia está pegando Tadeu. Miguel e Pilar conversam sobre Lucy. Pilar fica cada vez mais desconfiada de Miguel. Juju e Vinicius estranham o comportamento de Maria e Murilo. Tatiana diz a Leila que Jonas pode estar tomando o remédio de Lucy por acidente. A mãe de Rosa Maria vai até o Elite Way. Nina hipnotiza Pingo, que acaba beijando Dani. As alunas do colégio ficam eufóricas com a presença de Heron Camargo. Leila fica surpresa ao saber que Jonas pode estar tomando o remédio errado. Dani desmaia de felicidade ao ser beijada por Pingo. Rosa Maria tenta se esconder de sua mãe. Dani chora após perceber que Pingo fugiu e as crianças a consolam. Carla dá uma bronca em Rosa Maria ao saber que ela destratou a mãe. Miguel se enfurece ao ler bilhete deixado por Lucy. Tatiana vê Tadeu e Ofélia juntos. Tomás, Pedro e Diego conversam sobre Bob Nelson. Eva e Franco conversam sobre César e o novo CD dos rebeldes. Estela lê notícia antiga em que sua mãe foi colocada na cadeia por Eva Messi. Binho e Miguel discutem quando Pedro chega. Lucy pega um taxi e foge do Elite Way.

Quinta-feira, 11 de outubro - Pedro se diverte ao provocar Miguel na frente de Alice. Tatiana fica decepcionada ao ver Tadeu com Ofélia. Pedro beija Alice calorosamente. Binho diz a Pilar que Miguel pode fazer alguma maldade contra Pedro. Márcia fica irritada com o sumiço de Téo. As crianças bolam um plano para juntar Dani e Pingo. Nina tenta descobrir o verdadeiro nome de Pingo. Tomás provoca César pela internet. O rebelde não concorda com a postura do empresário da banda. Roberta ouve Diego falando bem dela. João pede conselhos a Diego. Estela tenta consolar Roberta. As crianças se divertem ao descobrirem o verdadeiro nome de Pingo. Otília tenta se aproximar de Bia. João diz a Bia que Otília é sua tia biológica. Pingo dá mais uma chance a Dani e a beija. César adia a gravação e deixa Diego e Tomás furiosos. Jonas fica inconformado ao saber que mudou de comportamento por culpa dos remédios. Tadeu se despede de Ofélia, Cris e Tatiana. O professor pretende voltar ao Loft. Maria e Murilo conversam sobre os irmãos Zimmer. Lucy grava um vídeo contando os segredos do irmão. Estela presenteia Eva com flores. Roberta diz a Franco que Alice pretende levar Pedro para dormir com ela. Fátima chora nos braços de Ofélia. Ofélia convida Fátima para trabalhar no bistrô. Roberta discute com Alice e Eva. Estela tenta consolar Roberta. Penélope e João ficam em clima de romance e passam a primeira noite juntos. Fátima e Bob Nelson namoram e conversam sobre o plano para prejudicar os Rebeldes. Téo diz a Pedro que Araújo vende equipamentos para espionagem e deixa o rebelde com mais certeza de que Miguel está tentando prejudicar a banda. Binho mexe no celular de Miguel e descobre que o Zimmer irá se encontrar com Fátima e Bob Nelson. Miguel diz a Binho que ele terá que dar um fim a Araújo. Pedro e Alice ficam em clima de romance. Pedro liga para Binho. Binho diz a Pedro que contará toda a verdade.

*O capítulo de Sexta não foi divulgado.


Fonte:Record

'Canavial de Paixões':Resumo dos Capítulos de 8 a 12 de Outubro




Segunda-feira, 08 de outubro (reprise) – Clara tenta entrar para salvar Amália, mas Paulo a impede. Miguel se desespera ao ver paramédicos retirarem o corpo de Amália. Agenor fica surpreso com a morte de Amália. Paulo pede que Vicente providencie o enterro. Clara chega em casa, conta que Amália morreu e Fausto a consola. No velório, Miguel chama Agenor de assassino. Guilherme se oferece para ir com Clara ao velório.


Terça-feira, 09 de outubro – Teresa pede explicações a Agenor sobre as acusações de Miguel. Margareth pede emprego a Agenor, que sugere a Paulo uma nova secretária. Paulo aceita a idéia. Remédios conta a Mirela que foi visitar o túmulo de Débora. Márcio e Regina combinam encontro na praça. Fausto leva comida para Miguel. João e Clara vêem Regina na praça. Agenor conta a Margareth que conseguiu o emprego.


Quarta-feira, 10 de outubro – Paulo pergunta a Regina onde ela foi. Fausto fica irritado com Clara e Guilherme, trancados no quarto. João de Deus vai tirar satisfação com Guilherme por ele ter ido ao quarto de Clara. Raquel demite Lourdes. Paulo manda Guilherme deixar Clara em paz. Fausto e Raquel discutem. Fausto readmite Lourdes. João de Deus conta ao padre que Margareth está trabalhando na usina.


Quinta-feira, 11 de outubro – Raquel ameaça Lourdes. Teresa quer apressar o casamento de Paulo e Regina. Abílio conta a Agenor que Margareth conversou com padre Antônio. Clara manda Guilherme ir embora da sua casa e da cidade. Agenor propõe a Margareth que fiquem juntos. Padre Antônio e João de Deus flagram Margareth e Agenor se beijando. Raquel diz a Clara para esquecer Paulo. Guilherme tenta agarrar Clara à força, mas Paulo o impede. Margareth pede ajuda ao padre Antônio. Clara não conta nada a Fausto. Márcio leva Regina ao consultório do pai dele e os dois transam. Agenor vai ao hotel de Margareth e lhe promete uma casa. Clara conta a Lourdes sobre a tentativa de estupro. Maria conta a Paulo que Clara ligou para Guilherme, mas não disse o nome. Vicente estranha.


Sexta-feira 12 de outubro – A novela não vai ao ar, em função do 'Feriadão SBT'.

Fonte:SBT

'Maria Mercedes':Resumo dos Capítulos de 8 a 12 de Outubro



Segunda-feira, 08 de outubro – ao voltar para a mansão, Mercedes volta a passar mal e é socorrida por Aurélio, que a leva nos braços até o quarto. Jorge Luiz se assusta e pergunta se as vertigens são frequentes e ela diz que não. Mercedes tenta conversar com o marido sobre Fabíola. Rosário fica furiosa com Candinha por ter contado a Mercedes que tem chegado tarde em casa e diz que ela foi até a construtora e fez um escândalo. Irritado com a cena que Mercedes aprontou na construtora, Rodolfo comenta com Magnólia que terá que despedir Rosário. Ela pede ao marido que lhe dê outra oportunidade, mas ele nega. Ricardo pede a Fabíola que ajude Jorge Luiz a esquecer Diana. Ela afirma que está disposta a isso e muito mais. De volta à mansão, Fabíola irrita Malvina ao dizer que ela será avó. Jorge Luiz se recusa a acreditar nessa possibilidade e pede a Mercedes que procure um médico. Rosário é demitida da construtora e fica desolada. Um amigo do cortiço se oferece para ensinar Mercedes a dirigir. Ela pede ao amigo que a respeite por que uma mulher casada, apaixonada pelo marido e não quer que haja maus entendidos. Rosário volta para casa revoltada e discute com Candy e o pai. Malvina, da janela, vê Mercedes no carro com o amigo e diz a Dina que já sabe quem é o pai do filho da bilheteira.


Terça-feira, 09 de outubro – Malvina diz à filha que precisam ter certeza que Mercedes está grávida para convencer Jorge Luiz que o pai da criança é um dos amigos esfarrapados da bilheteira. Dina não concorda com a atitude da mãe e sugere que dê dinheiro a Mercedes para que ela se afaste definitivamente de Jorge Luiz. Cansada das maldades da mãe, Dina não pretende compactuar com seu plano e não permitirá que ela faça mal a Mercedes. Rosário fica revoltada ao saber que a irmã pretende comprar um carro e diz que também vai comprar um com o dinheiro de suas economias. Mercedes, acompanhada do amigo do cortiço, volta para a mansão de carro e é observada por Malvina e a filha. Mal intencionada, Malvina pergunta à filha se percebeu como eles trocam olhares apaixonados. Rodolfo se irrita ao ficar sabendo que Sebastião não permitiu que Rosário fosse demitida. Jorge Luiz conversa com a mãe, diz que levou Mercedes ao médico e confirma que ela está grávida. Enfurecida, Malvina diz que não permitirá que essa criança nasça.

Quarta-feira, 10 de outubro – Malvina diz a Jorge Luiz que é lamentável saber que a bilheteira espera um filho seu. Jorge Luiz diz que pediu ao médico que não desse a notícia a Mercedes por que ela é muito ansiosa. Malvina diz ao filho que se encarregará de tudo e volta a dizer que não aceita esse bastardo. Magnólia diz a Mercedes que quer conhecer Malvina, mas ela se opõe. Magnólia insiste e diz que quer conhecer sua casa e sua sogra. Jorge Luiz entra no quarto de Mercedes e pergunta o que faria se estivesse grávida. Ela diz que explodiria de alegria e ele aproveita o momento para criticá-la por ter saído com outro homem. Mercedes explica que ele é apenas um amigo do cortiço e que está ensinando-a a dirigir, pois pensa comprar um carro para levar seu pai para passear.


Quinta-feira, 11 de outubro – Manoel recebe a notícia que seu filho Guilherme enfrentou a polícia a tiros e foi levado em estado grave para o hospital. Manoel passa mal e pede a Candinha que avise Maria Mercedes. Magnólia chega à casa da família, encontra Manoel desesperado que, chorando, pede a ela que vá até o hospital porque seu filho está morrendo. Candinha vai até a mansão e pede a Aurélio que avise Mercedes que seu irmão está no hospital em estado grave. Magnólia volta para casa arrasada e comenta com a empregada que seu filho está morrendo. Mercedes vai até o hospital, mas o policial não permite que entre no quarto porque ele está internado sob custódia da justiça. Rosário vê estampada em todos os jornais a notícia do confronto de seu irmão com a polícia e teme que isso a prejudique no emprego. Malvina exige que Jorge Luiz tome uma providência e proíba Maria Mercedes de voltar ao hospital porque está expondo o nome da família Del Olmo.


Sexta-feira, 12 de outubro – A novela não será exibida, em função do 'Feriadão SBT'.


Fonte:SBT

'Gotinha de Amor':Resumo dos Capítulos de 8 a 12 de Outubro


Segunda-feira, 08 de outubro – Célia pede a Guilherme que faça alguma coisa para libertar Jesus, mas ele se nega e diz que não quer mais se envolver. Guilherme lembra a garota que entregou um documento a Desdemona onde acusa Jesus de ter falsificado a certidão de nascimento. Maria Fernanda, inconformada com a prisão de Jesus, exige que Desdemona retire imediatamente a denúncia e ameaça envolvê-la num escândalo caso se negue a reparar seu erro. Justa, a diretora do orfanato onde vivia Isabel, é demitida por roubar as provisões destinadas à entidade, por maltratar as meninas e, principalmente, por ser a responsável pela fuga de Isabel. Desdemona decide retirar a denúncia contra Jesus Garcia. Maria Fernanda se encarrega de dar a notícia para Isabel. Jesus volta para casa e é recebido com alegria pelos vizinhos. Isabel conta a ele que deve sua liberdade a Maria Fernanda, pois ela havia prometido fazer de tudo para libertá-lo. Jesus e Maria Fernanda se olham com ternura.


Terça-feira, 09 de outubro – Bernarda aconselha Lucrécia a aproveitar para se aproximar do Ricardo agora que ele está desiludido com Maria Fernanda. Célia fica enciumada ao ver Jesus acompanhado de Maria Fernanda. Ela enfrenta a rival e diz que não permitirá que os dois fiquem juntos. Jesus tenta matricular Isabel numa escola, mas não consegue, pois não tem a certidão de nascimento da menina. Justa vê sua foto estampada em todos os jornais com a notícia de que foi destituída do cargo por roubo e maltratos às crianças. Furiosa, a megera culpa Isabel por tudo que aconteceu e jura se vingar da menina. Jesus insiste com Isabel para que conte quem lhe deu a certidão e avisa que se insistir em não dizer nada os dois serão separados para sempre. Isabel conta que foi Flávia quem lhe deu o documento e Jesus acaba deduzindo que foi a própria Isabel quem rasgou a certidão quando descobriu que era falsa.


Quarta-feira, 10 de outubro – Maria Fernanda conversa com Ricardo e garante que não está interessada em Jesus e que apenas se ofereceu para acompanhá-lo até o restaurante. Desdemona informa a Maria Fernanda que já está tramitando na justiça o processo que vai tirar de Jesus a custódia de Isabel. Maria Fernanda avisa Jesus o que está acontecendo e se oferece para ajudá-lo a conseguir uma cópia da certidão da menina. Jesus abre o jogo, diz para Maria Fernanda que Isabel não é sua filha e conta, em detalhes, como conheceu a menina e todo o mistério que envolve seu passado. Maria Fernanda se oferece para ajudá-lo a descobrir de onde a menina veio. Dalila conta para Lucrécia que Ricardo e Maria Fernanda já se reconciliaram. Jesus continua sendo pressionado a entregar a menina, mas garante a Desdemona que vai lutar para ficar com ela. Maria Fernanda conversa com Isabel e a menina acaba contando que foi Célia quem pegou sua certidão de nascimento.

Quinta-feira, 11 de outubro – Dalila decide ajudar Lucrécia a conquistar o Dr. Ricardo e promete que vai conseguir para ela um emprego no hospital. Maria Fernanda pressiona Célia para que lhe entregue a certidão, mas ela diz que não será possível, pois a queimou. Indignada, Maria Fernanda dá uma bofetada na garota e proíbe que ela se aproxime de Isabel. Jesus fica sabendo de tudo e critica a atitude de Célia. No hospital, o estado de Clemente piora. Jesus conversa com Isabel e diz que ela tem toda a razão em não gostar da Célia, pois ela é muito má. Isabel sugere que ele se case com Maria Fernanda. Maria Fernanda se desespera ao saber que Clemente, a única pessoa que pode lhe dizer onde está sua filha, está em estado grave e foi levado para o centro cirúrgico. Isabel sonha com o casamento de Jesus e Maria Fernanda. No dia seguinte, ela conta o sonho e, Jesus diz que Maria Fernanda nunca se interessaria por ele. Desdemona finalmente consegue autorização para tirar Isabel da casa de Jesus e comunica Maria Fernanda que vai mandar a menina para um orfanato.

Sexta-feira, 12 de outubro – A novela não será exibida, em função do 'Feriadão SBT'.

Fonte:SBT

'Malhação':Resumo dos Capítulos de 8 a 12 de Outubro




Segunda-feira, 08 de outubro - Dinho sente ciúmes do beijo entre Gil e Lia no patio do colégio. Fatinha consegue enganar Mathias e inventou desculpa para os pais não terem ido ao encontro do diretor. Ju pede para ir a casa da Lia para conversar com a amiga. Mario aparece de surpresa na casa de Alice e a beija. Mathias avisa aos alunos sobre o sarau que será feito no colégio. Dinho se incomoda com o vídeo que Orelha divulga em sua TV. Mathias pede para Rita convidar a mãe para apresentar o sarau. Gil mostra a Lia um novo grafite e Orelha se aproxima dos dois. Dinho se revolta ao ver Mario e Alice juntos. Lia conversa com Ju sobre seu namoro com Gil e as duas amigas se reaproximam. Bruno não gosta de ver Nélio se insinuar para Ju. Marcela explica para Gil o motivo da implicância de Fatinha. Lia pensa na conversa que teve com Dinho e no beijo que rolou entre os dois. Alice tenta conversar com o filho. Gil encontra Lia e os dois vão para a escolar juntos. Rita pede para a mãe não falar com Mathias sobre ela. Lia anuncia que está procurando uma banda para tocar no Sarau com ela. Marcela vê Fatinha chegar ao colégio com roupas diferentes e fica intrigada.


Terça-feira, 09 de outubro - Marcela chama Fatinha e tenta conversar com ela e alertar sobre seu comportamento. Ju conta para os amigos sobre a manifestação da CRAU – Comando dos Anarquistas Unidos. Isabela dá um livro de poesia para Leandro. Pilha pede para Fatinha dançar em sua apresentação no sarau. Gil se irrita com Lia que fica repetindo que eles não estão namorando de verdade. Ju fala para Dinho que precisa se afastar dele. Dinho questiona Gil sobre seu namoro com Lia. Leandro pede para Jorge ajudá-lo a entender o poema de Isabela. Durante a manifestação do CRAU, Bruno fica interessado em Rita e Fatinha se incomoda. Dinho vê imagens de Ju com Nélio na manifestação e fica intrigado. Tatá, Juca e Letícia pensam em ajudar Lia a encontrar uma banda para tocar no sarau. Pilha comenta com Rosa que precisa convencer Fatinha a dançar no sarau. Fatinha beija Orelha para que ele retire todos os seus vídeos da TV Orelha. Marcela flagra Gil grafitando com Lia.


Quarta-feira, 10 de outubro - Gil confessa a Marcela que é o grafiteiro misterioso e diz que Lia não tem culpa. Fatinha ameaça contar uma mentira sobre Orelha para que ele não fale sobre o beijo dos dois. Marcela quer que Gil conte a verdade sobre os grafites para Mathias. Dinho reclama do vídeo que Nélio fez de Ju. Gil é suspenso do colégio. Mathias pede que ele se desculpe com os alunos. Bárbara não gosta de ver Alice e Mario juntos. Dinho confessa a Orelha que está dividido entre Lia e Ju. Lorenzo leva um fora de Marcela. Gil fala para Lia que vai terminar o falso namoro deles quando voltar para a escola. Pilha pede para Lia convencer Fatinha a dançar em sua apresentação no Sarau. Mathias interrompe um clima de romance entre Leandro e Isabela. Fatinha diz a Pilha que só dançará no sarau se Lia se juntar a ela. Nando topa ensaiar a banda que Tatá quer montar para Lia. Lia e Pilha descobrem que Fatinha está noiva.

Quinta-feira, 11 de outubro - Lia espalha para todos que Fatinha está noiva. Orelha aconselha Dinho a parar de pensar na Lia e ficar com Ju. Lia sugere que Bruno apareça no sarau para ver Rita novamente. Lorenzo pede o divórcio para Raquel. Gil confessa para Marcela que gosta de Lia. Bárbara esconde roupas íntimas embaixo do travesseiro de Mario e Tico vê. Fatinha chega vestida de forma discreta no colégio e todos ficam surpresos com o seu comportamento. Orelha convida o noivo de Fatinha para assisti-la no sarau. Lia pede para Pilha apresentar sua banda a ela. Nando autoriza que Tatá e sua banda se apresentem no sarau. Lorenzo fica incomodado com a presença de Marcela no Misturama. Alice se enfurece ao ver a roupa íntima de Bárbara na cama de Mario. Nando tira satisfações com Marcela por não ter ficado com Lorenzo. Nélio encontra Ju na saída do colégio e Lia observa Dinho olhando para o casal.

Sexta-feira, 12 de outubro - Dinho implica com Nélio ao vê-lo em um clima romântico com Ju. Marcela gosta de ver Lia dando aula de guitarra para Gil. Ju se diverte com Nélio na sorveteria. Mathias pede para Orelha filmar o sarau. Ju tenta conversar com Fatinha sobre Eriberto mas ela muda de assunto. Bruno fala para Dinho que apoia o relacionamento de Nélio com sua irmã. Tatá e a ‘Bando de Pirralhos’ chegam ao colégio para tocar no sarau. Gil não gosta quando Lia comenta que Lorenzo e Marcela poderiam ficar juntos. Leandro chega ao sarau e Isabela se anima. Rafael vê Morgana dançando com Fera e fica com ciúmes. Bruno convida Rita para sair. Lia se surpreende com o show da ‘Bando de Pirralhos’. Eriberto confidencia para Robson que pedirá Fatinha em casamento. Pilha inicia sua apresentação com Lia. Fatinha decide subir ao palco, quando Eriberto chega.

Fonte:Globo

'Da Cor do Pecado':Resumo dos Capítulos de 8 a 12 de Outubro


Segunda-feira, 8 de Outubro - Bárbara tenta negar tudo, mas Paco não acredita. Kiki pergunta quanto Verinha e Eduardo querem pelo quadro e eles fingem indiferença. Afonso fica triste, pois Paco não ligou para ele em seu aniversário.

Bárbara perde a cabeça e diz a Paco que é impossível gostar dele a não ser pelo seu dinheiro. Paco manda que Bárbara se afaste dele. Kaike tenta convencer Bárbara a desistir de tudo, mas ela garante que vai se vingar.

Paco tenta falar com Preta, mas Lita conta que ela viajou. Kiki oferece uma grande quantia pelo quadro. Eduardo e Verinha ficam radiantes, mas disfarçam. Bárbara procura Dodô e avisa que tem outro serviço para ele.

Edilásia castiga Thor e Dionísio e despede Tina de sua barraca. Germana organiza uma festa para Afonso, que detesta a surpresa. Bárbara coloca remédios para dormir no suco de Preta sem que ela veja.

Dodô leva Preta para sua casa. Bárbara suborna a dona da pensão onde Paco está para que ela diga que viu Preta e Dodô juntos. Paco vai até a casa de Dodô e vê Preta deitada na cama.


Terça-feira, 9 de Outubro - Paco pensa que Preta está bêbada e vai embora, arrasado. Cezinha avisa Helinho que Preta foi vista num táxi com Dodô. Helinho vai até a casa de Dodô e leva Preta embora. Bárbara encontra Afonso.

Helinho e Cezinha tentam acordar Preta, em vão. Preocupado com a falta de noticias de Paco, Afonso viaja para São Luís. Bárbara afirma para Afonso que Paco teve um surto e imaginou que ela tem um amante. Afonso vê Paco transtornado e acha que ele não está bem.

Bárbara sugere que Afonso interne Paco numa clínica de repouso. Preta se desespera ao saber que Paco a viu na cama com Dodô. Ulisses parte mais uma vez para procurar Apolo. Edilásia faz Tina jurar que vai se afastar de seus filhos.

Verinha e Eduardo recebem o dinheiro pela venda do quadro falso. Afonso manda dois enfermeiros capturarem Paco, mas ele consegue fugir. Bárbara vai atrás de Paco, que entra no helicóptero de Afonso. Preta se desespera ao saber que Paco ia ser internado.

Contra a vontade de Paco, Barbara também entra no helicóptero. Atormentado pelas ameaças de Bárbara, Paco afirma que sua vida acabou e atira o helicóptero no mar.


Quarta-feira, 10 de Outubro - O helicóptero começa a afundar. Paco desmaia. Ulisses vê o helicóptero afundando e rema em sua direção. Bárbara consegue escapar e nada até uma praia. Ulisses salva Paco e acredita que ele é Apolo.

Stela avisa a Germana que Afonso tentou internar Paco. Verinha e Eduardo começam a gastar o dinheiro da venda do quadro. Afonso se desespera ao saber que o helicóptero de Paco caiu no mar. Luís pensa que Paco é Apolo. Preta descobre que Paco sofreu um acidente e está desaparecido.

Lita e Helinho tentam acalmá-la. Felipe fica nervoso ao saber que Paco pode estar morto. Edilásia desmaia ao saber do acidente de Paco. Ulisses afirma para Paco que é seu irmão, deixando-o confuso.

Verinha e Eduardo são presos por passarem dólares falsos. Edilásia reza para que Paco não tenha morrido. Afonso avisa para Bárbara que não há chances de Paco ter sobrevivido. Bárbara anuncia para Afonso que está grávida.


Quinta-feira, 11 de Outubro - Afonso não consegue se consolar com a notícia de que vai ter um neto. Preta se desespera ao saber que Paco está morto. Paco tenta convencer Ulisses de que ele não é seu irmão, em vão.

Germana chora a morte de Paco. Preta acusa Bárbara de ser uma assassina e garante que vai se vingar dela. Paco escuta no rádio a notícia de sua própria morte. Os filhos de Edilásia estranham o nervosismo dela.

Preta pensa em Paco e chora. Germana anuncia para Edilásia que Paco morreu. Edilásia acusa Germana de tê-la obrigado a entregar seu filho a Afonso e a faz jurar que não vai revelar que ele tem um irmão gêmeo. Verinha e Eduardo, da cadeia, tentam entrar em contato com Bárbara.

Afonso e Germana se consolam mutuamente. Bárbara avisa a Kaike que eles terão que esperar antes de assumirem seu namoro publicamente. Laura aconselha Felipe a dar seu apoio a Afonso. Ulisses não acredita que Paco não seja Apolo. Afonso pede para conversar com Edilásia.


Sexta-feira, 12 de Outubro - Edilásia acusa Afonso de ter matado Paco, deixando-o muito magoado. Ulisses acha que Paco está com amnésia. Edilásia manda que Afonso se afaste dela. Ulisses tenta ensinar luta a Paco.

Bárbara fica pasma ao saber que seus pais foram presos e paga a fiança. Dodô pede desculpas a Preta, garantindo que não sabia que as coisas iam terminar daquele jeito. Ulisses conta detalhes de sua família para Paco. Bárbara conta para seus pais que Paco está morto.

Helinho acha que Paco não está morto. Cezinha garante a Helinho que ele é vidente de verdade. Paco começa a aceitar a viver como Apolo. Afonso oferece ajuda financeira a Bárbara, mas ela não fica satisfeita com o valor. Germana garante a Bárbara que ainda vai desmascará-la.

Preta se sente mal. Germana revela a Afonso que Paco estava apaixonado por uma mulher no Maranhão. Ulisses descobre que Paco não tem nenhuma marca de tiro e se dá conta de que ele não é seu irmão. Paco propõe a Ulisses se passar por Apolo até que ele tenha coragem de revelar a Edilásia que o irmão morreu.


Fonte:Globo, Resumo de Novelas.com

'Lado a Lado':Resumo dos Capítulos de 8 a 13 de Outubro


Segunda-feira, 08 de outubro – Laura avisa a Jurema que Isabel saiu de sua casa. Bonifácio pede algo em troca para emprestar dinheiro a Diva. Jurema joga búzios para descobrir o paradeiro de Isabel. Edgar é frio com Guerra. Berenice fica intrigada com a visita de Laura. Sandra desiste das aulas de culinária. Bonifácio se declara adversário de seus antigos aliados políticos. Neusinha mente para explicar a Diva como sabe sobre a joia que ela mantém guardada. Edgar avisa a Laura que vai começar a advogar para sustentá-los. Isabel vê um recado de Laura no jornal e volta para sua casa. Albertinho teme que sua irmã descubra seu envolvimento com Isabel. Neusinha tenta convencer Diva a vender seu colar para salvar o teatro. Bonifácio pede perdão a Edgar. Berenice vê Isabel procurando emprego e a destrata.


Terça-feira, 09 de outubro – Isabel enfrenta Berenice. Eulália convida Olímpia e seu genro para almoçar na casa de Praxedes. Teresa avisa a Sandra que a indicou para uma entrevista de emprego. Isabel cuida de Matilde ao percebê-la indisposta. Isabel conta para Laura que Afonso a destratou na rua. Mario avisa que vai acabar com a companhia de teatro. Umberto anima Fernando para sair de casa. Constância teme que sua família entre em decadência. Quequé acompanha Neusinha na venda do colar de Diva. Albertinho questiona Isabel sobre sua amizade com Laura. Afonso aconselha Zé Maria a esquecer Isabel de vez. Mario e Frederico implicam com Bonifácio. Isabel garante que não contará quem é o pai de seu filho. Zé Maria convida Berenice para ir à sua casa.

Quarta-feira, 10 de outubro – Eulália convoca toda a família para um almoço. Albertinho descobre que Laura não sabe sobre seu envolvimento com Isabel. Diva paga parte das dívidas de Mario e diz a Neusinha que eles estrearão uma nova peça. Teresa pede permissão para Sandra falar com Robério França. Neusinha pede para atuar ao lado de Diva. Teresa avisa a Sandra que Eulália preparou uma armadilha para conseguir casá-la com o genro de Olímpia. Caniço sente inveja de Zé Maria. Zé Maria ouve Berenice falando mal de Isabel para Jurema e fica furioso. Eulália mente para Olímpia e Teresa fica indignada. Isabel consegue o emprego de camareira.

Quinta-feira, 11 de outubro – Zé Maria pede para Jurema não contar para Isabel que foi ele quem indicou o trabalho no teatro. Matilde presenteia Isabel. Eulália descobre que Sandra foi a uma entrevista de emprego e briga com Teresa. Constância descobre que Isabel está grávida. Afonso fica comovido ao saber que sua filha está trabalhando no teatro. Jurema convida Zé Maria para ir ao teatro. Diva ajuda Isabel a enfrentar Afonso. Bonifácio paga Caniço para fazer um trabalho para ele. Jurema chama Afonso para ir ao teatro. Edgar fala para Laura que não pode mais confiar em Guerra. Afonso vai ao teatro falar com Isabel.

Sexta-feira, 12 de outubro – Afonso faz as pazes com Isabel. Fernando pede a ajuda de Edgar para defender a fábrica de um processo. Caniço aparece no Morro da Providência com roupas novas e Jurema fica intrigada. Margarida se preocupa por Bonifácio apoiar a revolta do povo contra o governo. Zé Maria segue a manifestação que o povo faz na rua. Laura tenta descobrir quem é o pai do filho que Isabel está esperando. Teodoro confessa sua paixão por Alice e lhe faz uma serenata. Zé Maria avisa a Jurema que o governo está usando a vacinação para exterminar a população pobre da cidade. Berenice beija Caniço depois de receber um presente. Quequé fala para Mario que o teatro deve fechar. Laura desconfia de que Albertinho possa ser o homem que enganou Isabel.
No capítulo 030, sábado, 13 de outubro – Bonifácio afirma a Margarida que não é responsável pela confusão em que se encontra a cidade. Carlota presta queixa contra Teodoro. Praxedes sugere que Teodoro se case com Alice. Afonso visita Isabel. Caniço convence outros capoeiras a lutar contra a polícia. Guerra afirma a Zé Maria que inimigos do prefeito estão pagando pessoas para estimular a desordem na cidade. Laura tenta convencer Assunção a vacinar as pessoas que estão no Morro da Providência. Edgar pega com Albertinho o livro de poesia que sua mulher lhe emprestou. Neusinha se insinua para Quequé. Laura afirma a Edgar que vai descobrir se o filho que Isabel está esperando é seu sobrinho. Zé Maria pede para Jurema jogar búzios para ele.

Fonte:Globo