quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Mensalão: STF condena por corrupção ativa José Dirceu, Genoino e Delúbio

O ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu foi condenado por crime de corrupção ativa pelo plenário do Supremo Tribunal Federal, por 8 a 2, nesta quarta-feira — 34º dia do julgamento da ação penal do mensalão. Os votos dos ministros Celso de Mello (decano) e Ayres Britto (presidente) somaram-se aos já proferidos por Joaquim Barbosa (relator), Rosa Weber, Luiz Fux, Cármen Lúcia, Gilmar Mendes e Marco Aurélio.
Ficaram vencidos os ministros Ricardo Lewandowski (revisor) e Dias Toffoli, que se manifestaram na semana passada e nesta quarta-feira última, respectivamente.
A folgada maioria entendeu que — embora não haja nos autos prova documental da participação de José Dirceu no esquema de compra do apoio político de parlamentares — os depoimentos e outras evidências, como reuniões do ex-ministro no Palácio do Planalto e em outros locais, com a presença do até então desconhecido publicitário Marcos Valério e do tesoureiro do PT, Delúbio Soares, são suficientes para enquadrar o ex-chefe da Casa Civil no crime de corrupção ativa. Ou seja, ele não podia deixar de ter o “domínio” dos fatos narrados na denúncia e nos autos, já que era o principal ministro e articulador político do primeiro Governo Lula.

>> STF começa a julgar réus do PT por lavagem de dinheiro
>> Ação penal do mensalão — réus já julgados e votos dos ministros

O julgamento do chamado núcleo político-publicitário da Ação Penal 470, no que se refere ao crime de corrupção ativa, termina, assim, com as condenações de oito dos 10 acusados.
Por unanimidade (10 a 0), foram condenados os seguintes réus: Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT; Marcos Valério, dono da empresa SMP&B, e seus associados Ramón Hollerbach, Cristiano Mello Paz e Simone Vasconcelos. José Genoino, ex-presidente do PT, foi enquadrado por nove ministros (vencido apenas Lewandowski). Rogério Tolentino, advogado de Marcos Valério, foi enquadrado no crime de corrupção ativa por oito ministros, vencidos Lewandowski e Toffoli.
Por outro lado, foram absolvidos o réu Anderson Adauto, ex-ministro dos Transportes (por unanimidade), e Geiza Dias, funcionária da empresa de Marcos Valério. Esta última foi condenada, apenas, por Marco Aurélio, para quem ela era gerente financeira da empresa de Marcos Valério, e aquele que, “de qualquer modo concorre para a prática do crime incide nas penas em relação a ele”, podendo o tribunal diminuir a pena, “se a participação do correu for de menor importância”.

Celso de Mello
Nesta quarta-feira, na primeira parte da sessão, o ministro Celso de Mello proferiu um voto-resumo de pouco mais de uma hora, ao fim do qual acompanhou, em sua totalidade, o voto inicial do relator. Ou seja, condenou também todos os réus, com exceção de Geiza Dias e Anderson Adauto.
O decano do STF demorou-se, apenas, no exame das imputações feitas ao principal réu da AP 470, José Dirceu, começando por citar um frase de Lord Ashton: “O poder corrompe e o poder absoluto corrompe absolutamente”. Em seguida, afirmou que “o país — na época — veio a ser governado por dirigentes que perpetraram delitos infamantes, utilizando-se do aparato governamental para corromper o dever de gerir o Estado”. E acrescentou: “Estamos a tratar de uma grande organização criminosa que se posicionou à sombra do poder, formulando e implementando medidas ilícitas, que tinham a finalidade, precisamente, da realização de um projeto de poder”.
Celso de Mello dedicou parte substancial do seu voto à defesa da aplicação, ao caso, da teoria do “domínio do fato” que, no entanto, “não dispensa a apresentação de provas sobre a materialidade e a autoria do ato delituoso”. Refutou o argumento da defesa de que os réus na ação do mensalão foram acusados, apenas, por serem figuras importantes da cena política. “Ao contrário, condenam-se tais réus porque existem provas juridicamente idôneas”, acentuou.
Fez também uma análise doutrinária para rebater a tese do ministro-revisor (voto vencido) de que a teoria do “domínio do fato” só deve ser aplicada em situação de anormalidade institucional, como foi o caso do julgamento dos nazistas em Nuremberg. Celso de Mello procurou mostrar, com base na doutrina e na jurisprudência, que “o nosso sistema consagra o direito penal da culpa”.
Nesse sentido, ele votou na mesma linha da ministra Cármen Lúcia que, ao enquadrar José Genoino e Delúbio Soares no crime de corrupção ativa, indagou “como pode um partido que estava em crise financeira, de repente, movimentar tanto dinheiro, sem que o seu presidente não tenha conhecimento da origem desses recursos, comprovadamente de origem ilícita, e usado para corromper parlamentares”. A ministra sustentou, também, que o então ministro-chefe da Casa Civil, um dos principais comandantes do PT, não podia deixar de ter conhecimento da distribuição de dinheiro aos parlamentares envolvidos no esquema.
“O discurso judicial que se apóia, exclusivamente, no reconhecimento da gravidade objetiva do crime, e que se cinge a tópicos sequenciais meramente retóricos, culmina por infringir os princípios liberais consagrados pela ordem democrática, expondo com esse comportamento uma visão autoritária”, concluiu Celso de Mello.

Ayres Britto
Ao encerrar esta parte do julgamento, o ministro Ayres Brito destacou o que chamou de “notas soltas”, para concordar com os termos do voto condutor do relator Joaquim Barbosa. “Esse regime de aliança entre partidos, na perspectiva da governabilidade do Executivo, essas alianças e acordos não podem ser objeto de estranhamento. O que é estranhável, neste caso, é a formação argentária de alianças. Aí é um estilo de coalizão excomungado pela ordem jurídica. Quando as alianças se fazem à base de propina, suborno, corrupção, elas são repudiadas pela ordem jurídica por seus efeitos danosos aos valores mais cuidadosamente protegidos pela ordem jurídica”, afirmou.
Acentuou que o esquema do mensalão mobilizou R$ 153 milhões, e que a figura de Marcos Valério aparece sempre, no decorrer do processo. “Marcos Valério estava em todo lugar, ele tinha um instinto apuradíssimo de prospecção de dinheiro”, comentou. “Outra nota solta é que não há mais dúvida de que a denúncia se estruturou em torno de práticas delituosas oriundas de núcleos imbricados (político, financeiro e publicitário)”, destacou Ayres Britto. Segundo ele, o Ministério Público e o relator “nos colocaram em posição cômoda”, havendo, no caso, “provas robustas indiciárias que iluminam as provas diretas”.
Quanto a José Dirceu, o presidente do STF sublinhou estar provado nos autos que “ele era de fato o primeiro-ministro do governo instalado em 2003”. Citou trechos do depoimento do ex-chefe da Casa Civil constante dos autos para assentar que “ele deixa claro que tudo passava pelas mãos dele”.

Fonte: Jornal do Brasil

Carro a serviço do chefe da segurança da Copa do Mundo é roubado na Capital

No dia em que autoridades discutem ações para a Copa do Mundo, o carro a serviço do chefe da segurança do Mundial foi roubado na zona norte da Capital.

Às 6h25min desta quarta-feira, o motorista do carro, um Corolla de 2005 com placas de Porto Alegre, foi abordado por dois homens armados ao sair de casa. O assalto ocorreu na Avenida Amazonas, quase na esquina com a Avenida Polônia, no bairro São Geraldo. O destino era o hotel onde está hospedado Hilário Medeiros, gerente-geral de Segurança do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014.

Segundo a 4ª Delegacia de Polícia Civil (4ª DP), não houve agressão física ao motorista do Corolla e o crime parecia ter sido casual, não premeditado.

Até o meio-dia, o veículo ainda não havia sido encontrado. O carro pertence a uma produtora contratada para fazer a logística do Seminário da Fifa sobre Segurança na Copa de 2014, realizado entre quarta e quinta-feira na Sogipa.

Fonte: Zero Hora

Boneco do mascote da Copa estaria intacto, afirma delegado

Boneco do mascote da Copa estaria intacto, afirma delegado Diego Vara/Agencia RBS
Largo Glênio Peres ficou sem réplica de mascote da Copa do Mundo

A maior polêmica da história recente de Porto Alegre _ o embate ideológico ocorrido após a derrubada do Tatu-Bola da Copa do Mundo de 2014 e posterior repressão policial aos manifestantes que protestavam contra o boneco _ pode ter sido uma discussão vazia. Literalmente. O tatu gigante teria apenas sido esvaziado, num acidente, e não danificado, como se supunha. Informações preliminares recebidas pela Polícia Civil apontam que o símbolo tem condições de ser reutilizado.

Ou seja, os militantes políticos que desejavam remover o bonecão teriam apanhado da BM sem terem inutilizado o alvo da sua ira. Mesmo que a intenção dos manifestantes fosse caçar o tatu, irados que estavam com o patrocínio da Coca-Cola exposto na área pública em frente à prefeitura, ela não se concretizou. O protesto seria pelo fato de um local público ter se tornado palco de publicidade de uma multinacional.
O boneco inflável de sete metros de altura, mascote da Copa do Mundo de 2014, foi retirado do Largo Glênio Peres após o confronto entre manifestantes e Brigada Militar (BM) na noite do dia 2. Quem diz que ele pode não ter sido danificado é o delegado Hilton Müller, titular da 17ª Delegacia de Polícia Civil da Capital. Conforme ele, um exame preliminar do tatu-bola de plástico não aponta danos.

— A princípio, o boneco não está destruído ou sequer danificado. Um funcionário da Opus Promoções, que nos entregou o tatu gigante para perícia, acredita que ele apenas tenha sido desinflado. Talvez até de forma acidental — afirma Müller.

Conforme esse funcionário da Opus explicou ao delegado, o tatu é inflado por meio de um motor interno que lhe injeta ar, uma espécie de ventilador ligado na energia elétrica.

Esse cabo teria sido desconectado, de propósito ou sem querer. Müller entregou o boneco à Opus para que o especialista faça um relatório formal e completo sobre as condições do tatu-bola. O documento ainda não foi entregue. Nem a Opus e nem a proprietária do boneco, a Vonpar (fabricante gaúcha da Coca-Cola) se pronunciaram oficialmente a respeito.

O secretário extraordinário da Copa, Urbano Schmitt, foi pego de surpresa pelo informe de que o tatu estaria intacto. Ele já tinha sondado, oficialmente, a Coca-Cola sobre a possibilidade de que o boneco fosse substituído por outro.

— Ainda aguardo perícia, não sou operador do boneco. O prefeito José Fortunatti tinha até desistido de receber outro boneco. Se esse estiver intacto, vamos reutilizá-lo. Talvez exposto num lugar mais seguro — pondera Schmitt.

O secretário diz que a cogitação de importar um novo boneco, feita pela prefeitura, foi baseada nas informações preliminares do incidente.

Fonte: Zero Hora

Missura se inspirou na mãe para compor Janaína: 'A luta dela foi linda'

 Claudia fala da mãe com entusiasmo (Foto: Mais Você / TV Globo)
A força de Janaína, personagem de Claudia Missura em Avenida Brasil, para combater os males que se aproximam de seu filho, Lúcio, interpretado por Emiliano D´Avilla, realmente impressiona. Só uma mãe muito lúcida consegue se manter imune a tantos problemas, e para compor esta mulher de pulso firme, a atriz se inspirou na mãe, dona Maria Eugênia. A senhora atravessou uma luta na vida real para livrar o irmão, ‘Mendoim’, e o marido, Natalino, das drogas.
“O ‘Mendoim’ teve muitos problemas com drogas e conseguiu se recuperar com 40 anos de idade. E minha mãe teve uma luta linda. Ela recuperou meu pai também nos Alcoólicos Anônimos, e minha mãe nunca desistiu”, desabafou Missura. “Eu precisava pegar aquela energia, porque vi minha mãe batalhando muito por aquilo tudo. Tem muita gente que tem este problema em casa. Eu considero a minha família muito vencedora e muito unida. Meu pai sempre fala que a maior alegria dele é o quanto a nossa família é unida”, ressaltou.
A atriz, portanto, encara o enredo de ficção de Janaína e Lúcio com muita propriedade. "Eu acho que essa história do Lúcio é difícil, quando vem uma cena eu penso: 'Como vou conseguir traduzir isso'. Porque é real, muita gente passa por isso”, concluiu ela.

'A professora dizia que ela irritava as crianças da sala', revela mãe de Missura

 Claudia Missura ouve depoimentos da família (Foto: Mais Você / TV Globo)
Em entrevista ao Mais Você, Claudia Missura, a Janaína de Avenida Brasil, recebeu depoimentos dos familiares, em um deles, a mãe disse que a atriz sempre foi uma criança bastante agitada, e terminava as lições antes de seus colegas. “Eu sou muito ligada, gasto muita energia mesmo, mas, com o tempo, a gente vai aprendendo", argumentou Missura.

As palavras da mãe, Maria Eugênia
“A professora me dizia que ela irritava todas as crianças da sala dela, eu falei para a professora que era melhor dar um livro para ela ler. Claudia, a sua mãe manda um abraço para você, um beijão e tudo de bom. Você merece tudo que está passando”.

Seu Natalino, o pai
“Desde pequena, ela já tinha essa vocação, e era este espelho que eu pensava em quebrar por causa dela, onde ela ficava contracenando. Ela chegava a chorar no espelho. Sem ter conhecimento de novela, Avenida Brasil é uma das que mais tem audiência no país, e eu tenho orgulho da minha menina, que ficava aqui brigando no espelho, e hoje está nesta novela”.

Missura Neto, o irmão
“Agora, ela está se consagrando fazendo uma empregada doméstica. Ela buscou o espaço dela dentro da novela, buscou criar um personagem bastante ingênuo e verdadeiro. A gente quer tudo de bom para você”.

Norivaldo, o irmão 'mendoím'
“A Claudia tinha uma mobilete que sempre quebrava e ela abandonava na rua quando ia estudar. A vontade dela era tanta de se formar, de querer alguma coisa na rua, que ela abandonava onde estivesse. Esta mobilete tinha um nome, Jandira. Não sei por que até hoje”.

Benedita, a cunhada
“Ela é uma pessoa muito afetuosa, muito amiga, uma pessoa muito boa. Ela sempre nos recebeu de coração aberto, como a arte que ela faz e o talento que ela tem. Hoje, o Brasil pode se deliciar um pouco com o seu talento”.

Fonte: Rede Globo

Cacau Protásio defende Zezé: 'Não é fofoqueira, só troca informações'

 Cacau Protásio defende sua personagem, a empregada Zezé de Avenida Brasil (Foto: Mais Você / TV Globo)
Uma cena de Avenida Brasil transcendeu a trama e virou hit na internet. “Eu quero ver tu me chamar de amendoim”, improvisado por Cacau Protásio, a Zezé, empregada da família Tufão, está dando o que falar. “Ao mesmo tempo em que estava na novela, já estava na internet, superacessado”, comemorou Cacau, que também fez questão de falar do assédio que está recebendo pelas ruas:
“As pessoas param, dão beijos e elogiam, não só a mim, mas ao elenco todo”. Em relação às fofocas de sua personagem, Cacau defendeu: “A Zezé não é fofoqueira, ela troca informação. Pensei que iria ser odiada, porque as pessoas confundem, mas não”. Na casa de cristal, a dona da cena tão hilária comentou o que a inspirou durante a gravação: “A gente trabalha em uma equipe muito unida, então, toda vez que eu tenho que dançar, eu pergunto uma música da novela para os colegas. Veio do nada, não sei se é uma brincadeira interna, não sei”.
Claudia Missura, a Janaína da trama, disse o que sentiu ao assistir à cena da amiga. “A novela estava tensa, o Tufão descobrindo muitas coisas e, de repente, corta e vira uma leveza. Em casa, eu dei uma gargalhada. É a velha história da hora certa e do momento certo”, analisou Missura.

Fonte: Rede Globo

Al-Qaeda cresce a cada dia na Líbia, diz militar americano

A presença da rede terrorista da Al-Qaeda na Líbia cresce a cada dia, disse nesta quarta-feira (10) o ex-comandante de uma equipe de segurança especial em Trípoli aos legisladores americanos, durante audiência sobre o ataque de militantes ao consulado dos Estados Unidos em Benghazi.
A presença da Al-Qaeda "cresce a cada dia. Eles estão certamente mais estabelecidos do que nós", disse o tenente-coronel Andrew Wood, que chefiou uma equipe de segurança de 16 integrantes em Trípoli.
Wood participava de uma audiência do Comitê de Supervisão e Reforma Governamental da Câmara de Representantes dos Estados Unidos sobre o ataque de 11 de setembro contra o consulado de Benghazi, que se celebra em meio a acusações sobre possíveis falhas de segurança cometidas pelo governo.
O governo disse agora acreditar que o ataque, no qual morreram quatro pessoas, tenha sido praticado por grupos vinculados à Al-Qaeda. Inicialmente, os funcionários americanos tinham dito que o ataque havia sido provocado por um protesto contra um filme anti-islâmico.
No começo do ano, o presidente Barack Obama havia dito aos cidadãos americanos que o objetivo de derrotar da rede Al-Qaeda estava ao alcance, mais de uma década depois dos ataques de 11 de setembro de 2001.
Em discurso presidencial durante visita surpresa ao Afeganistão, Obama assegurou: "o objetivo que me propus de derrotar a Al-Qaeda e negar-lhe a possibilidade de se reconstruir agora está ao nosso alcance".
O consulado norte-americano em Benghazi, na Líbia, em chamas após invasão de manifestantes em protesto (Foto: Esam Al-Fetori / Reuters) 
O consulado norte-americano em Benghazi, na Líbia, em chamas durante os protestos de 11 de setembrp passado (Foto: Esam Al-Fetori / Reuters)
No entanto, tem sido registrada uma preocupação crescente sobre a possibilidade de que a Al-Qaeda esteja capitalizando o caos e a convulsão nos países árabes e do Oriente Médio, causados pela Primavera Árabe, ao tentar mover-se para áreas conturbadas.
Neste sentido, um funcionário americano disse que estão investigando se o braço da Al-Qaeda do Norte da África pode ter estado por trás do ataque em Benghazi.

Fonte: G1

Após suspeita, Turquia ordena pouso de avião sírio de passageiros

A Turquia forçou um avião de passageiros da Síria, voando de Moscou para Damasco, a pousar em Ancara nesta quarta-feira (10) por suspeita de que ele estava transportando equipamento militar destinado às forças do contestado presidente sírio, Bashar al-Assad, disse o chanceler turco.
Aviões de combate turcos escoltaram o avião sírio, que levava cerca de 30 passageiros, até o aeroporto de Ancara, depois que autoridades turcas receberam informações de que ele estava transportando "carga não civil" que não havia sido registrada.
"Estamos determinados a controlar as transferências de armas para um regime que realiza massacres brutais contra civis. É inaceitável que essa transferência seja feita usando o nosso espaço aéreo", disse o chanceler turco, Ahmet Davutoglu.
"Hoje recebemos a informação de que este avião transportava carga de uma natureza que não poderia estar em conformidade com as regras da aviação civil", disse ele na televisão turca.

Avião sírio de passageiros parado no aeroporto de Ancara, na Turquia, nesta quarta-feira (10) (Foto: AFP)Avião sírio de passageiros parado no aeroporto de Ancara, na Turquia, nesta quarta-feira (10) (Foto: AFP)
As relações entre a Turquia e a Síria, uma vez aliados próximos, tornaram-se cada vez mais tensas durante a rebelião síria contra o presidente Assad.
Davutoglu disse que a Turquia estava dentro de seus direitos para investigar aviões suspeitos de estar transportando materiais militares e que o avião teria permissão para continuar seu voo se nada fosse encontrado. Ele se recusou a comentar sobre quais materiais proibidos poderiam ser.
O chanceler disse que a Turquia vai continuar a investigar aviões civis sírios que usam o seu espaço aéreo.
O chanceler também afirmou que o espaço aéreo sírio não era mais seguro e que os aviões de passageiros turcos não devem voar por essa rota. Uma testemunha da Reuters na fronteira viu pelo menos um avião de passageiros se virar ao se aproximar da Síria e voltar para a Turquia nesta quarta-feira.
As Forças Armadas da Turquia têm reforçado a sua presença ao longo dos 900 quilômetros de fronteira e têm revidado desde a semana passada a tiros e bombardeios vindos do norte da Síria, onde as forças de Assad combatem os rebeldes que controlam faixas do território.
O governo sírio tem feito uso pesado do poder aéreo e de artilharia para deter avanços rebeldes no conflito, que já dura 19 meses e matou mais de 32 mil pessoas, em sua maioria civis.

Fonte: G1

Atiradores matam 7 pessoas da mesma família na Guatemala

Sobrevivente Carlos Daniel Gonzalez, 6, conta para polícia nesta quinta-feira (10) como se escondeu durante ataque que matou sete membros da sua família na quarta-feira (Foto: EFE/Saul Martínez)Sobrevivente Carlos Daniel Gonzalez, 6, se escondeu durante ataque que matou sete membros da sua família (Foto: EFE/Saul Martínez)
Atiradores mataram sete pessoas da mesma família na Guatemala na madrugada desta terça-feira (9).
Carlos Daniel Gonzalez, 6, e sua irmã Izabel, 4, sobreviveram se escondendo dos atiradores. O garoto relatou à polícia como foi o ataque. "Eu ouvi gritos e tiros. Nos levantamos quando eles já tinham saído. Andavam com gorros e luvas", relatou o menino.
Os criminosos invadiram a residência da família durante a madrugada e abriram fogo, matando sete pessoas, incluindo uma avó e os pais dos garotos, um bebê de oito meses e um menino de 8 anos.
Um dos sobreviventes, identificado como Kevin, contou cerca de 30 pessoas armadas.
O crime ocorreu no vilarejo Las Escobas, município de Villa Canales, ao sul da Cidade da Guatemala.
A polícia procura por suspeitos e acredita que disputa por terras motivou o crime.
ATUALIZADA: Suspeito é preso
Polícia da Guatemala trabalha no local do crime onde 7 integrantes da mesma família morreram (Foto: AFP)Polícia da Guatemala trabalha no local do crime onde sete integrantes da mesma família morreram (Foto: AFP)
Bombeiros voluntários carregam alguns dos corpos (Foto: AFP)Bombeiros voluntários carregam alguns dos corpos (Foto: AFP)
Polícia apura crime, que matou 7 pessoas da mesma família (Foto: AFP)Polícia apura crime, que matou sete pessoas da mesma família (Foto: AFP)

Fonte: G1

Ana Hickmann de cabelos morenos

Ana Hickmann chegou de Paris, para onde fez uma breve viagem de apenas quatro dias, surpreendendo os seus seguidores do Twitter. Apresentadora do 'Programa da Tarde', vespertino diário, e do dominical 'Tudo É Possível', a loura postou uma foto na qual aparece com os cabelos bem curtinhos e morenos, despertando a curiosidade de seus fãs, nesta terça-feira (9). Será que é de verdade?
Ao publicar o registro, Ana escreveu: “Todos podem ver meu cabelo novo...”. Em seguida, um fã perguntou: “É peruca ou cabelo mesmo?”, mas a apresentadora preferiu deixar a resposta para depois. E o mistério permanece. Ana Hickmann teria coragem de mudar as madeixas louras, uma de suas maiores marcas?
Ana Hickmann postou foto com os cabelos morenos em seu perfil no Twitter, nesta terça-feira (9)
Ana Hickmann postou foto com os cabelos morenos em seu perfil no Twitter, nesta terça-feira (9)


Fonte: Jornal do Brasil, com Heloísa Tolipan

Espiadinha nos bastidores de 'Avenida Brasil', com a volta de Débora Falabella

Liberada dia 8 pela equipe médica da Clínica São Vicente, na Gávea, para retornar às gravações da reta final de 'Avenida Brasil', após ser internada na quinta (4) com um quadro de pneumonia diagnosticado, Débora Falabella, que interpreta Nina/Rita na trama de João Emanuel Carneiro, foi 'flagrada' pelo colega de elenco José de Abreu (que vive o abominável Nilo), ao lado de Adriana Esteves (a megera Carminha), nos bastidores da novela.
Adriana Esteves (Carminha) e Débora Falabella (Rita/Nina): reta final de 'Avenida Brasil'
Adriana Esteves (Carminha) e Débora Falabella (Rita/Nina): reta final de 'Avenida Brasil'
"Fofocas de amigas... Que tanto conversam?", postou o ator, no Twitter, junto à foto que mostra Débora e Adriana, sentadinhas, batendo texto no cenário do famoso lixão do folhetim.
Após as cenas gravadas nesta segunda (8), Débora deverá retornar à clínica para ficar sob observação, já que não está com sua saúde 100% recuperada.

De Heloísa Tolipan para o Jornal do Brasil

'Avenida Brasil': intérprete de Zezé nega situação de racismo na vida real!

Dona de uma das personagens mais queridas da trama de 'Avenida Brasil', novela de João Emanuel Carneiro que vem fascinando todo o país, Cacau Protásio, a Zezé do folhetim (que, inclusive, já recebeu desta coluna uma grande homenagem por sua performance incrível), nega que tenha sofrido qualquer situação de racismo.
A atriz, cuja conta oficial no Twitter é @cacauprotasio, teria sido agredida verbalmente por uma senhora na rua, após frear bruscamente seu carro. Tudo uma grande mentira: "Isso não aconteceu! Eu nem tenho carteira de motorista! Vou para o Projac de van ou eles vêm me buscar!
Cacau Protásio (Zezé): da consagração em 'Avenida Brasil' ao racismo da vida real...
Cacau Protásio (Zezé): da consagração em 'Avenida Brasil' ao racismo da vida real...
"Meu Twitter oficial é o @cacauprotasio, que tem uma foto minha de peruca loira. Lá posto as brincadeiras que fazemos nos corredores", completou a atriz.
A coluna deixa aqui seu total repúdio a qualquer ato de preconceito, seja de credo, raça, sexualidade. E, claro, repúdio também a 'brincadeiras' desta espécie.

De Helpísa Tolipan para o Jornal do Brasil

'Avenida Brasil': o dia em que o Brasil inteiro xingou Carminha junto com Tufão

A gente contou aqui, no fim de semana, que Carminha (Adriana Esteves) foi desmascarada bem antes do último capítulo de 'Avenida Brasil'. No sábado (6), Max (Marcello Novaes) entregou as fotos que denunciavam seu relacionamento com a loura à família de Tufão (Murilo Benício). Enquanto o sofrimento da vilã na mansão se inicia, a equipe da novela comemora mais um recorde nos índices de audiência da trama de João Emanuel Carneiro. A novela rendeu naquela noite 41 pontos de média à Rede Globo, chegando a 45 de pico, segundo dados prévios, ultrapassando os índices alcançados até hoje em um sábado - quando a audiência geralmente cai, porque boa parte dos telespectadores está fora de casa.
Pois hoje, segunda-feira (dia 8), 'Avenida Brasil' , que só termina no dia 19 de outubro, teve 48 pontos de média e pico de 52,2, em São Paulo. Recorde dos recordes. Podemos dizer que o Brasil inteiro acompanhou os váriosss tapas na cara que Carminha levou da família Tufão e os inúmeros adjetivos que a ex-mulher de Tufão ganhou. "Sua cachorra, cadela, vagabunda", xingou Tufão. E o coro foi feito por Muricy (Eliane Giardini), que virou a mão no rosto da nora, e Ivana (Letícia Isnard), que até um "vai à m...", mandou para a cunhada traidora. Nunca uma novela das 21h teve tantos xingamentos em um mesmo capítulo. Foi uma lavação de roupa suja total.
E foi a empregada Zezé (Cacau Protásio) quem bem definiu o que rolou naquela mansão: "Foi tiro, porrada e bomba!". E o fim de Max? Bem... ficou para amanhã. Max (Marcello Novaes) foi congelado no fim do capítulo de hoje. E com Ivana apontando (com a mão tremendo) aquele facão para ele. "Eu vou te matar, Max!!!!". Será?

Fonte: De Heloísa Tolipan, ao Jornal do Brasil

O céu é o limite! 'Avenida Brasil' chega a mais uma audiência extraordinária

Será que 'Avenida Brasil' irá conseguir superar a média final de sua antecessora, 'Fina Estampa'? por enquanto, o balanço geral da trama de João Emanuel Carneiro aponta para 38 pontos, enquanto a história de Aguinaldo Silva  encerrou sua carreira com média de 39. Mas, no que depender do desempenho recente do folhetim envolvendo Carminha, Tufão, Rita e Cia., é bem provável que este índice seja superado.
Na noite desta terça (9), 'Avenida Brasil', segundo dados prévios do Ibope em São Paulo, teve na capital paulista média de 49 pontos, mesmo índice de segunda, recorde para a história.
Em outras capitais pelo país, na segunda-feira, a novela teve médias ainda maiores, como no Rio de Janeiro (54), Porto Alegre (60) e Salvador (62). Simplesmente incrível!

Fonte: Heloísa Tolipan, Jornal do Brasil

Festa da 'Escola Mundial' em 'Carrossel':Quarta, 10/10/2012

Foto: Lourival Ribeiro/SBT
Os alunos da Professora Helena se caracterizam com roupas dos anos 60, os garotos de calça jeans e óculos escuros, as meninas com vestido rodado e penteado da época, para apresentarem a coreografia da música “O Bom” na festa anual da Escola Mundial.

Cirilo está desolado por não ter sido escolhido para dançar ao lado de sua amada Maria Joaquina, mas o garoto vai ter uma surpresa... Paulo Guerra, o par de Maria Joaquina na coreografia, é colocado de castigo por seu pai, Roberto, e não poderá ir na festa.

Helena dá a notícia a Maria Joaquina e diz à patricinha que se ela quiser dançar na apresentação terá que fazer par com Cirilo. Orgulhosa, a menina diz a professora que prefere não dançar e fica sozinha na sala de aula.

Helena prepara as crianças para subir ao palco. Na sala de aula, Graça convence Maria Joaquina a dançar. A menina vai para a fila e afirma a Helena que decidiu dançar, mas sozinha.

Chega o momento dos alunos subirem ao palco. A apresentação começa, Maria Joaquina está ao fundo do palco e Cirilo a puxa para fazer par com ele. Para a surpresa de Cirilo, Maria Joaquina cede aos seus encantos e os dois tomam o centro do palco. O casal faz uma linda coreografia ao lado dos demais alunos.

Após a apresentação, os alunos são aplaudidos com muita animação por todos presentes. Helena abraça Maria Joaquina e a elogia por ter dançado ao lado de Cirilo. Para não dar o braço a torcer, a patricinha afirma que dançou com Cirilo só para não perder o dinheiro que gastou com seu vestido. 

O capítulo irá ao ar nesta quarta, 10 de outubro.

CARROSSEL
Nesta quarta, às 20h30

'Gabi' entrevista 'César Menotti e Fabiano'

O De Frente Com Gabi desta quarta, 10 de outubro, recebe os cantores César Menotti e Fabiano. Conhecidos por terem popularizado o sertanejo universitário, a dupla de irmãos viu a grande virada de suas carreiras acontecer em 2005, quando lançaram o CD e DVD "Palavras de Amor". Em 2013 eles comemoram 10 anos de carreira e vêm ao programa para falar de sua trajetória, de suas vidas e outras curiosidades da dupla.


César menotti e Fabiano revelam que em 10 anos de carreira nunca brigaram 
(Foto: Carol Soares/SBT)


DE FRENTE COM GABI
Nesta quarta, após o Cante Se Puder


Fonte/Divulgação:SBT

Amor de 'Conchinha'

Arando o 'Campo Laranjal'

'Futegrão' do "Reino"

Lua de 'Queijo' "Minguante"

Extração de 'Chocolate Branco' e 'Preto'