quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Diferença entre 'Humildade' e 'Arrogância'

Reprodução/Facebook

A Avó do Goku

Reprodução/Facebook

Frases de Adalto

Foto:Reprodução/Facebook

Foto:Reprodução/Facebook

Foto:Reprodução/Facebook

Foto:Reprodução/Facebook

'Chocolate pra Derpina'

Leilão de quadros pintados por Cabo Bruno na prisão vai até 23h de hoje no Facebook

São Paulo - A partir das 12h desta quarta-feira, a viúva de Florisvaldo de Oliveira - que nos anos 1980 ficou conhecido como o justiceiro Cabo Bruno e foi assassinado em 26 de setembro - vai realizar um leilão de cinco quadros feitos por ele na prisão por meio da rede social Facebook (migre.me/bbrMc). O leilão vai até as 23h.
A iniciativa é da viúva de Oliveira, a pastora evangélica e cantora gospel Dayse França, que busca se reerguer com a família em outra cidade.
Quando Cabo Bruno saiu da prisão, em agosto deste ano, passou a viver com a mulher e os três enteados em Pindamonhangaba, no Vale do Paraíba.
Os quadros foram encontrados no meio dos bens que ele deixou na Igreja Refúgio em Cristo, em Taubaté, onde passou a atuar como pastor no domingo anterior à sua morte. O lance inicial será de R$ 350.
Segundo Dayse, Oliveira pintava réplicas e copiava os quadros de outros artistas. "Eu não sei o nome dos quadros e dos pintores que ele copiou. Vou ver se descubro até amanhã (hoje)."

Fonte: UOL

Usuários de crack voltam às linhas de trem do Jacarezinho

Os usuários de crack que a Prefeitura Municipal recolheu das linhas de trem nas proximidades de Jacarezinho no início da pacificação daquela comunidade, já estão de volta ao seu antigo habitat. Nesta quarta-feira(17), tres dias após a polícia ocupar a comunidade, o Jornal do Brasil flagrou os usuários no antigo local em que ficavam, sem serem incomodados até as 13h.
 A volta dos usuários à área de origem causa questionamentos sobre o trabalho desenvolvido pelos servidores da Secretaria Municipal de Assistência Social e do poder público no acolhimento e recuperação dos dependentes em crack.
Na segunda-feira (15), um grande número de usuários foi visto nas imediações da Avenida Brigadeiro Trompowski, um dos acessos à Ilha do Governador. Era o chamado fenômeno de "migração do crack", no qual eles circulam por áreas onde o tráfico ainda é forte na cidade do Rio de Janeiro e, consequentemente, fica mais fácil conseguir a droga. 
 Entre os principais destinos escolhidos pelos usuários estão a favela do Parque União, no Complexo da Maré, e o Morro do Cajueiro, em Madureira. Na primeira, só nesta quarta-feira (17) foram recolhidos 67 dependentes da droga.

"Taxa de sucesso ainda é muito baixa"
 A Diretora de Abordagem Social da Secretaria Municipal de Assistência Social, Daphne Braga, já declarou que a Secretaria irá instalar um posto itinerante para atender os dependentes de crack em uma clínica da família, localizada na avenida Dom Hélder Câmara. A iniciativa contará com uma equipe multidisciplinar:
"Chamamos isso de Centro de Referência Especializada de Assistência Social Itinerante. Um ônibus será instalado ali, e teremos a presença de assistente social, psicólogos e técnicos de enfermagem", explicou Daphne, que adiantou que o horário de atendimento será de 9 às 17h, de segunda a sexta-feira.
Segundo a especialista, o fenômeno da migração do usuário de crack também envolve uma identificação com o local, e ressaltou que o adulto tem o direito de ir e vir, dificultando ainda mais o tratamento e acolhimento. E fez ainda um alerta:
"Cada usuário tem de ter um tratamento individualizado, e não podemos esquecer também da educação. É um elemento importantíssimo na recuperação de um usuário dessa droga. A taxa de sucesso, infelizmente, ainda é muito baixa", finalizou.

Fonte: Jornal do Brasil

A Verdade Sobre o Racismo

Rede Globo garante que audiência do 'TV Xuxa' não é tão baixa...

Aqui na coluna, acompanhamos com frequência a audiência conquistada pelo 'TV Xuxa' nas tardes de sábado e, no último fim de semana, informamos que a média da atração no Ibope estava 'circulando entre 7 e 8 pontos' no mês de setembro.
A assessoria de comunicação da TV Globo nos enviou um comunicado informando que "a média de audiência do 'TV Xuxa' este ano é 10 pontos", levando em consideração os números aferidos desde que a atração voltou à grade de programação em 2012, em janeiro. Então tá.

Fonte: De Heloísa Tolipan para o Jornal do Brasil

Preconceito: histórias reais de Ariadna, Adriana Bombom e tantos outros no país

Antes de acompanhar a ação na Praia de Ipanema, na tarde de ontem, que colocou a moda na guerra contra o racismo, a homofobia e o preconceito - promovida pelo dono da grife Brasaimara, o italiano Gabriele Benedetti -, estive na cobertura, na Rua Farme de Amoedo, onde o empresário e as modelos se reuniram. Entre um acerto de roupa e uma maquiagem, conversei com Ariadna Arantes, transexual que participou do reality show BBB, da TV Globo, Adriana Bombom, que tem um quadro no TV Fama, da Rede TV!, com a também ex-BBB Diana Balsini, e as modelos Hanna Ribeiro e Isabel Correa, segundo lugar em dois concursos de Miss Rio de Janeiro (2008 e 2012, respectivamente). Todas engajadas na causa e com histórias de preconceito e racismo difíceis de acreditar que ocorram em um país, que está entre as 10 maiores potências econômicas no mundo, e em uma cidade como o Rio tão plural e que dita moda de Norte ao Sul do Brasil. O preconceito ainda está arraigado no brasileiro quer a gente queira ou não. Como acabar com isso? As armas estão com a geração atual e no poder da educação dos filhos.
Leia os relatos a seguir:
Ariadna mergulhou de corpo e alma na campanha contra o racismo e contra o preconceito idealizada pelo noivo, Gabriele Benedetti. Diz que é conhecedora de carteirinha do que é ser julgada pelas pessoas. "A sociedade ainda é cruel com quem tem uma orientação sexual que não segue o senso comum. Tudo ganha um eco absurdo. Desde muito jovem, eu sentia que era uma mulher e corri atrás do meu sonho de passar por uma cirurgia na Tailândia para mudança de sexo. Nunca me arrependi. E é hora de as pessoas pararem, definitivamente, de julgar o outro pela cor, pela classe social ou pelo sexo".
"Durante um grande período da minha vida, eu tinha de entrar pela porta dos fundos dos prédios, quando ia visitar uma amiga", dispara Adriana Bombom. Na escola, os colegas mandavam ver no bullying: "Eles cantavam a música da Sandra de Sá que diz: 'Sarará, crioulo'. Eu chegava em casa e perguntava: 'Meu Deus, qual o motivo de a minha pele negra ser tão criticada?'", relembra. E Bombom, qual foi o episódio que mais a machucou? "Eu procurava emprego. Entrei em uma loja que tinha na vitrine uma placa com o aviso: 'Precisa-se de vendedora'. Quando perguntei sobre os requisitos, uma mulher disse: 'Para você, só se for emprego para faxineira ou passadeira'. Você sabe o que é ouvir isso?".
Depois de alcançar a tal fama, Adriana Bombom disse que muita coisa mudou. "Agora, me tratam como celebridade. Mas, eu sei muito bem até onde vai a falsidade do ser humano. Já passei por poucas e boas, minha amiga".
Diana Balsini, produtora executiva, publicitária, modelo e que teve uma passagem pelo BBB11, foi forte o bastante para assumir em frente às câmeras e para todo Brasil a sua sexualidade. "Nunca devi nada a ninguém quanto ao meu caráter, mas fiquei chocada com a hipocrisia das pessoas depois dos 84 dias de confinamento na casa". Diana conta que as redes sociais serviram para pessoas "inescrupulosas" a xingarem e sempre comentarem sobre a questão de ela também sentir atração por outras mulheres. "Olha, a internet é fundamental nos dias de hoje, mas é um território livre para o preconceito, a arrogância, o racismo de pessoas que se escondem atrás de um computador. Até o Chico Buarque comentou que ficou chocado com tantas críticas negativas que recebeu no Twitter. Confesso que isso me deixou muito triste", desabafa. Diana diz que, atualmente, tem no bolso o projeto de um programa de TV voltado para temas como sexo, comportamento e games. "É bem leve e seria perfeito para mães e filhos assistirem juntos. Vamos quebrar tabus e hipocrisias". Dá-lhe, Diana!
Segundo lugar por duas vezes no concurso de Miss Rio de Janeiro, em 2008 e 2012, Isabel Correa disse que sofreu muito para digerir as colocações. "Acho que existe um preconceito muito grande em relação às negras. A gaúcha Deise Nunes, a primeira e única Miss Brasil negra, na década de 80, sofreu muito para conseguir o título. E depois dela?". Só para vocês saberem: à época, a votação teve de ser repetida três vezes para a confirmação da vitória diante de tantas reclamações de famílias de outras candidatas. Isabel comentou ainda sobre a eleição da angolana Leila Lopes, ano passado, como Miss Universo, na primeira vez que o concurso foi realizado no Brasil. "Todos os brasileiros souberam aplaudir a angolana, mas, por que não sabem eleger uma Miss Brasil negra?".
Ontem, no post sobre a ação na Praia de Ipanema contei que Isabel Correa saiu de Belford Roxo, na Baixada Fluminense, onde mora com os pais, em direção a Ipanema, Zona Sul, para se encontrar com Gabriele. No trajeto, ela ouviu gracinhas dentro do ônibus e nas ruas por onde caminhou. "Tem vezes que eu me aborreço muito com o que os homens dizem. Sempre falam da minha cor. Hoje até pegaram mais leve. Me chamaram de Naomi Campbell. Mas, isso todo o dia me incomoda". Isabel acrescenta que, em Belford Roxo, sofre menos preconceito do que na Zona Sul do Rio. Triste realidade em um dos locais onde o acesso à educação é muito maior do que na Baixada Fluminense. "Outro dia, fui a um restaurante na Zona Sul com o namorado. Todos me olhavam de forma estranha. É como eu pudesse ler o pensamento das pessoas: 'Olha lá, a prostituta com o gringo'", relembra.
E se você, leitor, tivesse uma avó que não fala com você, porque sua pele não é branca como ela? Por que é filha de uma "mulata do Sargentelli"? É o caso de Hanna Ribeiro, 19 anos, modelo que já fez campanha para Dolce & Gabbana. A moça está de volta ao Rio, mas são constantes as suas idas e vindas a Milão, onde a mãe, Marta Ribeiro, mora há muitos anos desde que se casou com um italiano. "Minha avó paterna não gosta de mim e de minha irmã, porque somos morenas", afirma. E como você lida com essa triste realidade? "Adoro a minha cor. É a cor da minha mãe", diz com orgulho.

Fonte: Heloísa Tolipan (para o Jornal do Brasil)

O poder da classe C em foco: ‘Suburbia’, novo seriado da Globo, está a caminho

Há algum tempo a teledramaturgia brasileira tem se preocupado em inserir núcleos populares nas novelas, séries e seriados. E, se antes esses nichos eram secundários nas produções, cumprindo apenas a missão de suporte da trama central, agora eles são o foco principal. Cada vez mais, a tão comentada classe C é retratada na TV com detalhes fidedignos à realidade, o que atrai a audiência daqueles que acompanhavam seus programas preferidos, mas, agora, se identificam com o que estão assistindo.
Com o foco direcionado para a essência do popular, ‘Suburbia’, novo seriado da Globo, que estreia no dia 1º de novembro, é mais uma das apostas da emissora nesse sentido, depois de já terem agradado com os núcleos do Divino, em ‘Avenida Brasil, da Comunidade do Borralho, em ‘Cheias de Charme’, e por que não mencionar ‘A Grande Família’, remake da série sobre uma tradicional família do subúrbio carioca, que está há 11 anos no ar.
Fabricio Boliveira e Erika Januza são os protagonistas de 'Suburbia', nova série da Globo
Fabricio Boliveira e Erika Januza são os protagonistas de 'Suburbia', nova série da Globo
Desta vez, com ‘Suburbia’, dirigida por Luiz Fernando Carvalho, vai mostrar a vida dos moradores de Madureira, bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro. Em oito episódios, a trama que se passa nos anos 90 contará a história de amor de Conceição (Erika Januza) e Cleiton (Fabricio Boliveira). No elenco, além dos dois, estarão muitos desconhecidos da grande mídia, incluindo pessoas que nunca haviam trabalhado com dramaturgia anteriormente, como a gari Ana Pérola, e atores de companhia teatrais.
Escrita por Luiz Fernando e Paulo Lins, autor do livro ‘Cidade de Deus’ e roteirista de alguns episódios da série ‘Cidade dos Homens’, ‘Suburbia’ deve atrair tanto os espectadores da classe C quanto aqueles que, mesmo morando em regiões mais abastadas das grandes cidades, desejam assistir a uma produção que retrate o cenário muitas vezes mal explorado do subúrbio de um jeito divertido e pouco usual, mostrando as tradições e o carisma de quem, quase sempre, anda em ônibus e trens lotados para chegar ao trabalho, mas mantém o sorriso

Fonte: Jornal do Brasil (com Heloísa Tolipan)

'Avenida Brasil': Suelen, Cadinho e o moralismo torto do povo brasileiro

Com humor, João Emanuel Carneiro, autor de 'Avenida Brasil', decidiu tratar a poligamia na já consagrada trama do horário nobre da Globo. Em uma primeira frente, com Cadinho (Alexandre Borges) e suas três mulheres, Alexia (Carolina Ferraz), Verônica (Débora Bloch) e Noêmia (Camila Morgado), que, antes cada qual em sua devida casa, desfrutavam da boa vida que o ricaço lhes dava, até o momento de sua falência, quando as três mosqueteiras se reuniram sob o mesmo teto, ao lado do ex-garanhão poderoso, agora paupérrimo.
Mas nem só de Cadinho viveu 'Avenida Brasil' ao abordar relacionamentos inusitados: o triângulo formado por Suelen (Isis Valverde), Roni (Daniel Rocha) e Leandro (Thiago Martins) também chamou atenção, mas sem a mesma carga de humor do outro núcleo, apesar de ter como integrante a periguete mais venerada e bem humorada do país.
Cadinho e suas três mulheres: naturalidade e bom humor envolvem casamento 'moderno'
Cadinho e suas três mulheres: naturalidade e bom humor envolvem casamento 'moderno'
Durante todo o desenrolar do imbróglio de Suelen e seus dois jogadores, foi cogitada, do lado de cá da telinha, qual seria o futuro desta relação. Mas, com um elemento a mais em relação à expectativa em torno do futuro de Cadinho e suas peruas: o do receio em torno do que estaria por vir. Roni, enfim, se assumirá homossexual? E Leandro, não somente saberá da paixão de seu amigo por ele, como também se descobrirá apaixonado por Roni? Suelen viverá em meio à paixão dos dois?
As especulações em torno do futuro do jovem triângulo sempre foram mais fortes do que a boataria sobre o destino de Cadinho. Motivo? O moralismo torto que rege, infelizmente, nossa sociedade. Pois, pelo simples fato de Roni e Leandro serem dois homens, sua estranha estrutura amorosa soa 'mais estranha' que a de Cadinho, ladeado por três mulheres. 
Roni, Suelen e Leandro: dois rapazes e a sombra da homossexualidade no triângulo
Roni, Suelen e Leandro: dois rapazes e a sombra da homossexualidade no triângulo
A presença da homossexualidade em um núcleo, em contraponto à heterossexualidade com alta carga de virilidade no outro, transforma o desfecho feliz de Roni, Leandro e Suelen (juntos e com uma leve mensagem subliminar de reciprocidade de sentimento entre os dois amigos, o que deve ocorrer no capítulo final) em alvo de comentários nas ruas, como o de uma senhora tijucana, que ao comentar com uma amiga, considerou 'desnecessário' o triângulo dos dois rapazes com a maria-chuteira. 
Infelizmente, não pude perguntar se ela acharia 'desnecessário' o triângulo se, em vez dois mocinhos e uma boazuda, a configuração se desse com duas boazudas e um mocinho. Provavelmente, a resposta viria com uma tirada de humor 'normal' como a poligamia de Cadinho.

Fonte: Heloísa Tolipan

O Morador de Rua 'Bonitão' de 'Curitiba'

Foto:Reprodução/Facebook

O jovem acima foi fotografado a seu pedido por uma turista que passava pela Praça Tiradentes, centro de Curitiba.A mulher, tocada com a atitude postou a imagem no seu Facebook, e desde a noite de ontem explodiram na Internet  milhares de compartilhamentos e comentários sobre a beleza do rapaz, incomum para um morador de rua.O jovem teria relatado  a fotógrafa que queria ficar famoso e "sair na rádio".


Já no site Galileu das Organizações Globo, há uma matéria, que relata que a irmã do bonitão chamada Rubiana Nunes diz ter identificado o morador de rua como Rafael, seu irmão de 31 anos que teria saído de casa por causa de problemas com drogas. No perfil dela, ela postou uma foto de 5 anos atrás, comparando-a com a foto que ficou famosa na Internet – confira:


Foto:Reprodução/Facebook

Bastidores do 'Divino Futebol Clube'

Confira fotos dos animados bastidores das gravações dos torneios do 'Divino Futebol Clube' de 'Avenida Brasil' com grande elenco.Veja!

Foto:Reprodução/Facebook

Foto:Reprodução/Facebook

Foto:Reprodução/Facebook

Foto:Reprodução/Facebook





Atores de 'Avenida Brasil' assistindo a novela

No dia em que foi ao ar a cena que Carminha foi expulsa de casa por Tufão, parte do elenco de 'Avenida Brasil' se reuniu numa sala no Projac para assistir em tempo real esse momento dos mais esperados da novela.Confira:


Foto:Reprodução/Facebook