domingo, 21 de outubro de 2012

'I Love You' Panda

Foto:Reprodução/Internet

"Linha Direta" entre 'Tim Maia' e as Operadoras de 'Celular'

Minilua/Facebook

Aniversário dos trigêmeos de Fátima Bernardes e William Bonner

Fátima Bernardes e William Bonner fizeram uma festa para comemorar os 15 anos de seus trigêmeos, Vinícius, Laura e Beatriz, neste sábado, 20. O evento aconteceu na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro. Veja:


Foto:André Muzell / AgNews

Foto:André Muzell / AgNews

Para refletir...

REFLEXÃO:

"ENTÃO O MESTRE PERGUNTOU:
- SE ALGUÉM CHEGA ATÉ VOCÊ COM UM PRESENTE E VOCÊ NÃO ACEITA, A QUEM PERTENCE O PRESENTE?
- A QUEM TENTOU ENTREGA-LO, RESPONDEU UM DOS DISCIPULOS.
O MESMO VALE PARA A INVEJA, A RAIVA E OS INSULTOS.
QUANDO NÃO SÃO ACEITOS, CONTINUAM PERTENCENDO A QUEM OS CARREGAVA CONSIGO.
A SUA PAZ INTERIOR DEPENDE EXCLUSIVAMENTE DE VOCÊ.
AS PESSOAS NÃO PODEM LHE TIRAR A CALMA.
SÓ SE VOCÊ PERMITIR."
- autoria desconhecida

Filho de Sandra Bullock aparece com corte moicano

 Sandra Bullock com o pequeno Louis no colo. Foto: The Grosby Group
Na último sábado (20), a atriz Sandra Bullock foi fotografada andando pelas ruas de Beverly Hills junto com seu filho Louis. O menino apareceu com um corte moicano no cabelo - parecido com o visual do filho de Angelina Jolie, Maddox. 

Fonte: TERRA

Adriana Esteves comemora aniversário de 15 anos da enteada

Adriana Esteves com Agnes, e os filhos Felipe e Vicente . Foto: Delson Silva/AgNews
Adriana Esteves, com os filhos Vicente e Felipe, e a filha-enteada Agnes Brichta
Ao lado do marido, o ator Vladimir Brichta, Adriana Esteves, comemorou na noite de sábado, 20, o aniversário de 15 anos da enteada, Agnes, em uma casa de festas, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.
Um dia após a exibição do ultimo capítulo da novela Avenida Brasil, onde deu vida a personagem Carminha, Adriana chegou deslumbrante usando um vestido com brilho e decote nas costas. Acompanhada dos filhos Felipe e Vicente, ela posou para fotos ao lado da aniversariante, Agnes.
Alguns famosos também foram dar os parabéns à filha de Vladimir, como Lazaro Ramos e Taís Araújo, Heloísa Perrissé e Cláudia Abreu.

Fonte: TERRA notícias

'No PC De Dia e De Noite'

'Tudo Eles Podem Fazer Pra Impressionar As Mina'... Tudo Menos Isso

'Você Gosta de Cachorros?'

'Vem Vindo AÍ...'

frases para facebook bom humor

Filho mais novo de Kadhafi morre em confronto na Líbia

O filho mais novo do ditador Muammar Kadhafi, Khamis, foi morto durante confronto em Bani Walid, na Líbia,  neste sábado, dia que marca um ano da morte do ditador líbio.
As primeiras  informações dão conta de que Khamis morreu durante um confronto que começou em Bani Walid, cidade a 90 quilômetros ao sudeste de Trípoli. Combates teriam deixado pelo menos 26 mortos e mais de 200 feridos no sábado.
Khamis, líder de uma das brigadas de elite mais temidas do antigo regime, morreu quando era transferido para um hospital de Misrata, para onde há exatamente um ano foi enviado o corpo de seu pai, assassinado depois de ser capturado por milicianos em Sirte.
As autoridades líbias tinham dado Khamis como morto em agosto de 2011, durante confronto pouco depois da queda de Trípoli pelas mãos dos insurgentes. Em 20 de outubro de 2011, mesmo dia em que Kadafi foi morto, seu filho Mutasim também foi detido e assassinado. Seus outros filhos Mohammed, Aisha e Hanibal se refugiaram com sua mulher Sofia na Argélia, onde ainda estão sob proteção por "razões humanitárias".

Fonte; Jornal do Brasil

Visualizações de página do blog 'ANTENADOS'

Por conta do último capítulo de 'Avenida Brasil', eu acho, o blog quase conseguiu superar o recorde batido na terça ou quarta-feira (que foi de 2.675 entradas). Nesta sexta-feira, o blog já conseguiu 2.671 entradas, enquanto no sábado, por um incrível milagre, consegui 2.423.
Obrigado leitores!!!

Avenida Brasil teve uma das médias de audiência mais baixas da década. Acredita?

 
Foram 51 pontos de média, com picos de 54: números que enchem de orgulho, com certeza, toda a equipe de 'Avenida Brasil', um sucesso absoluto (e inédito) em repercussão e também no Ibope, apesar de algumas ressalvas que precisam ser feitas.
Por exemplo, sua média final de audiência. Pois, apesar de superar em 6 pontos os 45 pontos de média alcançado por 'Fina Estampa', sua antecessora, em seu capítulo final, 'Avenida Brasil' teve média geral idêntica à da trama de Aguinaldo Silva: 39 pontos, o que representa uma das médias mais baixas da década.
Verdade seja dita, tanto 'Fina Estampa' como 'Avenida Brasil' conseguiram recuperar o Ibope do horário nobre global, que vinha descendo a ladeira, com Viver a Vida (36 de média), 'Passione' (35) e 'Insensato Coração' (36). Mas, se compararmos a trama de João Emanuel Carneiro  com outras novelas da década, um fato fica explícito: sua média final é uma das mais baixas dos últimos 10 anos.
'Paraíso Tropical' (2007) teve média final de 43 pontos; 'Páginas da Vida' (2006/07), 47; 'Belíssima', 48; 'América' (2005), 49, e 'Senhora do Destino' (2004/05) teve a incrível média final de 50 pontos!
Obviamente, muito se comenta que o Ibope televisivo, ao longo dos anos, vem caindo e muito, com uma culpa generalizada caindo sobre as costas da influência da internet. Mas, com a repercussão histórica de 'Avenida Brasil' (com direito a pauta no 'Jornal Nacional' com clima de réveillon), soa no mínimo estranho observar que uma novela tão bem-sucedida teve uma das médias mais baixas de audiência dos últimos dez anos.

De Helô Tolipan, para o Jornal do Brasil

"... Eu não posso acreditar em um DEUS vingativo, castigador e machista ..."

 
Eu coloquei essa frase, porque ainda existem pessoas que deturpam o sentimento de DEUS . Ora, se DEUS é amor incondicional, como ele seria vingativo, castigador e machista?
Somos nós que praticamos nossas ações e depois colocamos a culpa em DEUS, ou pior, criamos uma personificação do mal (demônio) para justificar tais comportamentos.
Daí vai esquecendo que a vida tem leis e tudo que tem causa, t

em um efeito; eu não posso plantar couve e colher maçã.
Então, estamos na hora de refletir que DEUS nos deu o livre-arbítrio para nossas escolhas; a semeadura é livre, porém, a colheita é obrigatória!
"DEUS É A INTELIGÊNCIA SUPREMA, CAUSA PRIMÁRIA DE TODAS AS COISAS"
Então, eu ainda uso a velha frase "... quem é o pai que o filho pede pão e ele lhe dá pedra? ..."
Diante dessa frase, eu digo que EU NÃO ACREDITO NESSE DEUS EM QUE PESSOAS QUEREM APRESENTAR PRA MIM: VINGATIVO, CASTIGADOR E MACHO.
Vamos deixar esses adjetivos para nós, que somos sereres humanos imperfeitos.
DEUS É INFINITAMENTE BOM E PERFEITO.

OBS: não falo de religião; eu só exponho minhas ideias para pessoas que querem aprisionar minha consciência, e ela é livre. Pra isso, temos inteligência e meios como a internet e os livros para descortinar certas coisas que nos são impostas.
Retirado do Facebook.

"Sou tarado por trabalho", diz Johnny Massaro, o Kiko de ‘Guerra dos Sexos’

“Nem sei se me considero um artista”, diz Johnny Massaro, ator há nove anos, diretor novato de cinema e teatro, roteirista... um profissional da arte, enfim. No ar diariamente como o nerd Kiko, em ‘Guerra dos Sexos’, novela das 19h da TV Globo, o rapazinho de 20 anos vai fundo quando o assunto é trabalho, mesmo diante das incertezas da vida de artista.
“Eu sou tarado por trabalho, faço tudo com o mesmo empenho. Talvez, atuar seja o mais delicado porque é a minha cara, o meu corpo, o meu cabelo, o meu dente, a minha espinha, o meu nariz, a minha voz e o seu julgamento”, diz ele, que começou na TV em ‘Floribella’ (2005), na Band, interpretou outro nerd, o Fernandinho, em ‘Malhação’, já dirigiu peças e filmes e, atualmente, está envolvido em outro projeto paralelo à TV: “Estou começando a produzir o curta ‘Amarillas’!”.
O inquieto Johnny se sente feliz e honrado por contracenar com astros com Gloria Pires e Fernando Eiras em ‘Guerra dos Sexos’, mas carrega a certeza de que a maior responsabilidade em sua vida profissional é estar satisfeito consigo mesmo. “Para mim, esse é o desafio: saber usar minhas inseguranças, meus medos, minha vaidade, etc. O ator anda numa corda bamba no meio de um circo. Ele vai se equilibrando, com medo de cair na frente das pessoas, rezando pra chegar a algum lugar. E não, desistir nunca é uma opção”, conclui o jovem, em um papo exclusivo com a coluna, mostrando que, independente dos rótulos artísticos, veio para ficar.
Johnny Massaro: "Nãoquero fechar nenhuma porta me rotulando disso ou daquilo".
Johnny Massaro: "Nãoquero fechar nenhuma porta me rotulando disso ou daquilo".
Heloisa Tolipan: Johnny, como tem sido a experiência de dividir a cena com atores como Gloria Pires e Fernando Eiras em 'Guerra dos Sexos'? Ainda rola um friozinho na barriga na hora do "ação!"?
Johnny Massaro: Acho engraçado essa ser sempre a primeira curiosidade das pessoas! É claro que estar ao lado da Glória ou do Fernando, artistas que todos admiram, inclusive eu, é algo grande. É claro que isso vem, invariavelmente, atrelado a um certo tipo de "responsabilidade". Mas o que me importa, na verdade, é a "responsabilidade" que eu tenho comigo mesmo: como ator e como pessoa. O friozinho na barriga vem mais daí do que de outro lugar. Fora isso, dividir cena com eles é incrível e divertido, sempre. Eles não são quem são por acaso.
HT: Kiko, o seu personagem na novela, é um nerd que se acha desengonçado e passa por uma "crise existencial". Você já viveu outro nerd, o Fernandinho, em ‘Malhação’, que tinha um perfil mais engraçado. Em alguma medida, houve inspiração no Fernandinho para construir o Kiko ou você preferiu criá-lo a partir do zero?
Johnny na pele do nerd Kiko, seu personagem na novela 'Guerra dos Sexos'
Johnny na pele do nerd Kiko, seu personagem na novela 'Guerra dos Sexos'
Johnny: Ser ator é muito louco: ao mesmo em tempo que você se liberta de si mesmo, você acaba se vendo prisioneiro de si próprio. Para o Kiko, eu busquei descobrir esses limites do Johnny, busquei entender o que eu sabia fazer, o que eu não sabia e, principalmente, busquei entender onde eu queria chegar. Antigamente, eu não tinha esse tipo de inteligência, era uma coisa meio bruta. Hoje, eu tenho mais medo, no bom sentido. De qualquer maneira, eu não sou do tipo de ator que acha que o personagem é uma entidade ou uma coisa muito distante. O personagem são variações do que você é, do que você viu, do que você viveu, então acho que nunca surge do zero. Eu me preocupei, sim, em não repetir o mesmo registro do Fernandinho, tanto dentro da TV, quanto fora dela. Procurei também fugir do estereótipo. O texto e a caracterização já são suficientes pra construir a figura do "nerd", o meu trabalho está sendo achar o humano por debaixo dos óculos e da camisa xadrez.
HT: E por falar em inspiração, o que te inspira como artista, no dia a dia? 
Johnny: Acho que duas coisas me movem: eu sou muito jovem e, nesse momento, o fato de poder usar minha juventude me inspira. Alem disso, ouvi esses dias que "para ser original, ou você não nasce ou você não morre" e isso pra mim é tudo. A ânsia pela originalidade é uma babaquice! O que me inspira é o fato de eu e você não sabermos o "porquê" de estarmos aqui. Essa é maior sacada de todos os tempos! Acho de uma genialidade tremenda, seja de quem for, todo esse mistério que envolve a vida e a morte. Me sinto plenamente inspirado por não querer mais responder, nem perguntar nada, nesse momento da minha vida. O que me inspira, agora, é essa coisinha que não é nem pergunta, nem resposta.
HT: Você só tem 20 anos e nove de carreira, desde que começou no teatro. Quais foram os maiores desafios até aqui? Pensou em desistir de ser ator?
Johnny: Outro dia ouvi uma atriz se questionar: "Será que um dentista sente medo ao fazer uma obturação?". E essa dúvida também me tomou. E até agora não sei se um dentista sente ou não sente medo. Todos os atores que conheço são inseguros, sentem medo, são vaidosos. Na verdade, todas as pessoas são, claro. Mas o artista se expõe. E o seu melhor material geralmente vem desses lugares. Para mim, esse é o desafio: saber usar minhas inseguranças, meus medos, minha vaidade, etc. Claro que de vez em quando acabo não me suportando muito, mas faz parte. Todo mundo anda numa corda bamba. Mas o ator anda numa corda bamba no meio de um circo. Ele vai se equilibrando, com medo de cair na frente das pessoas, rezando pra chegar a algum lugar. E não, desistir nunca é uma opção.
HT: Além de ator, você também é diretor e roteirista. É capaz de dizer em qual das funções se sente mais à vontade?
Johnny: Eu gosto de não me sentir totalmente à vontade em nenhuma função. E eu sei que não posso me sentir a vontade, porque isso me mataria. Então, eu sempre tento estar um pouco desconfortável e, por incrível que pareça, isso me dá um certo tipo de conforto. Eu sou tarado por trabalho, faço tudo com o mesmo empenho. Talvez, atuar seja o mais delicado porque é a minha cara, o meu corpo, o meu cabelo, o meu dente, a minha espinha, o meu nariz, a minha voz e o seu julgamento.
HT: Quais são os projetos paralelos ao trabalho na TV que te movem atualmente?
Johnny: Nesse ano, me formo em Cinema, finalizo ‘Guimba’, que está em fase de sonorização, e estou começando, junto com um milhão de amigos queridos, a produzir ‘Amarillas’, um curta que escrevi faz uns quatro anos e que vou dirigir.
HT: Ao assumir tantas funções profissionais simultaneamente, você se sente um jovem artista "prodígio"?
Johnny: Deus me livre! Esse negócio de "prodígio" é uma coisa tão antiga, e eu nem sei se me considero um artista. Tenho um problema em me olhar no espelho e dizer "É, Johnny! Você é x.", não quero fechar nenhuma porta me rotulando disso ou daquilo.
HT: Com quem você gostaria de atuar/quem você adoraria dirigir/para quem você gostaria de escrever?
Johnny: Eu gosto/gostaria de trabalhar com pessoas sinceras, problemáticas, corajosas e bem humoradas. Não nessa ordem e ninguém em especifico.
HT: Consegue pensar em quem será o Johnny Massaro daqui a 10 anos?
Johnny: Consigo, claro. Vai ser um cara de 30 anos que não vai mais acreditar em nada do que disse nessa entrevista.

Fonte: Helô Tolipan (Jornal do Brasil)