domingo, 28 de outubro de 2012

Ataque suicida deixa mortos em igreja Católica na Nigéria

KADUNA, 28 Out (Reuters) - Pelo menos um suicida dirigiu um carro carregado com explosivos até uma igreja Católica no norte da Nigéria, matando e ferindo várias pessoas neste domingo, disseram testemunhas e a polícia.
 
O sobrevivente Linus Lighthouse afirmou que dois agressores atingiram partes diferentes da igreja St Rita em Kaduna, uma cidade etnicamente volátil e com variedade de religiões. Eles invadiram o prédio, causando várias vítimas, segundo ele.
 
"Não posso dizer quantas vítimas, mas são muitas. A grande explosão também danificou muitos prédios no local", disse a testemunha.
 
Mas Aminu Lawal, um porta-voz policial, declarou que havia apenas um suicida e que não tinha sido confirmada nenhuma morte ainda.
 
Outra testemunha, Daniel Kazah, membro de cadetes da igreja, disse ter visto três corpos no chão ensanguentado do local. "E outros foram levados ao necrotério", disse.
 
Ninguém reivindicou imediatamente a autoria do ataque, mas a seita islâmica Boko Haram assumiu ataques similares no passado e atacou várias igrejas com bombas e armas desde que intensificou a campanha contra cristãos, no último ano.
 
(Reportagem de Garba Mohammed e Isaac Abrak)
 Fonte: Terceira Via

Furacão Sandy tira do rumo a eleição dos EUA

BARACK OBAMA

Por Andy Sullivan
WASHINGTON, 28 Out (Reuters) - O Furacão Sandy tirou a eleição presidencial dos EUA do rumo neste domingo (28 de outubro), antes mesmo de chegar ao país, forçando o republicano Mitt Romney a transferir a campanha para o interior e alimentando temores de que a enorme tempestade possa atrapalhar a votação antecipada na Costa Leste.

Como grande parte da região densamente povoada se preparou para o que pode ser a maior tempestade a atingir o continente dos EUA, Romney mudou a campanha da Virginia para Ohio, outro dos poucos Estados divididos que vão decidir o resultado da eleição de 6 de novembro.
 
Equilibrando a campanha pela reeleição com os esforços para ficar atento ao impacto do furacão, o presidente Barack Obama visitou o centro de resposta a tempestades, em Washington, antes de viajar para a Flórida para um evento de campanha. A tempestade forçou Obama a remarcar eventos na segunda e na terça-feira.

Autoridades de Estados no caminho da tempestade se apressaram para garantir que cortes de energia prolongados não perturbem a eleição antecipada, que parece ser mais importante do que nunca para ambos os lados este ano.
 
"Obviamente queremos acesso irrestrito às urnas porque acreditamos que quanto mais pessoas vierem, melhor nos sairemos," disse David Axelrod, principal conselheiro de Obama, à CNN. "Espero que se a tempestade dissipe e que até o próximo fim de semana estejamos livres."

O governador da Virginia, o republicano Bob McDonnel, um proeminente partidário de Romney, disse que o Estado pretende estender o horário da eleição antecipada e restabelecer a energia rapidamente nos locais de votação, caso ocorram cortes.
 
"Agora é uma prioridade, está no mesmo patamar que hospitais e delegacias de polícia, ter a energia ‘restaurada' nos locais de votação," disse.

A chegada da tempestade criou outra incerteza em uma corrida que se mantém, estatisticamente, empatada. Cientistas políticos acreditam que desastres naturais podem prejudicar as chances de reeleição de um candidato, já que muitas vezes, os eleitores culpam quem está no cargo por essas adversidades.
 
Larry Bartels, da Universidade de Vanderbilt e Christopher Achen, da Universidade de Princeton, examinaram os dados de precipitação desde 1896 e descobriram que secas ou inundações extremas custaram aos candidatos, titulares de cargos, uma média de 1,5 ponto percentual do total de votos.

Graves secas e excesso de chuva provavelmente fizeram com que o então vice-presidente Al Gore perdesse em sete Estados na eleição de 2000, o suficiente para dar a vitória ao republicano George W. Bush, segundo o estudo.
 
O índice de aprovação de Bush despencou depois que o furacão Katrina devastou Nova Orleans, em 2005, e os eleitores poderão agora culpar Obama se o governo se complicar na reação ao furacão Sandy.

Mas também existem perigos para Romney, que terá que ter cuidado para não ser visto como estar fazendo política usando o desastre. A rápida reação da campanha republicana aos ataques contra as missões diplomáticas dos EUA no Oriente Médio, em setembro, foi amplamente criticada.
 
A essa altura, grande maioria dos eleitores já se decidiu, e aproximadamente um em cada cinco, já votou. Mas a tempestade poderá atrapalhar os esforços de conduzir os eleitores às urnas, nos últimos dias que antecedem a eleição.

Pesquisas de opinião mostram que a corrida está praticamente empatada em nível nacional, mas Obama mantém uma pequena vantagem em muitos Estados que vão decidir a eleição.

TERCEIRA VIA

'Derpette é gorda ou não?' - com Memes do Facebook

'A noite vai ser quente' - com Memes do Facebook


Como Derpina aprendeu 'Battlefield'? - com Memes do Facebook

Quem É A Derpette? - Memes do Facebook

Os Trabalhos de 'Seu Madruga'



Facebook/Página Isso Isso Isso/Jornal do Bóris

Eleições 2012 - Resultado


O segundo turno das Eleições 2012.
Em Vitória-ES, o prefeito eleito foi Luciano Resende, que disputou contra Luiz Paulo. Venceu com 52,73%.
Em Curitiba-PR, o prefeito eleito foi Gustavo Fruet, que venceu com 60.65% contra Ratinho Junior.
Em Florianópolis-SC, o vencedor foi César Souza Jr, que obteve 52.64% dos votos contra Gean Loureiro, que perdeu com apenas 47,36%.
Em Fortaleza-CE, o prefeito vencedor foi Roberto Cláudio, que venceu com 53,02% contra Elmano.
Cícero Lucena perdeu com 31.87% contra Luciano Cartaxo na cidade de João Pessoa-PB.
Na cidade de Natal-RN, Carlos Eduardo derrotou Hermano Moraes, com 58,31% dos votos.
Em Salvador-BA, o vencedor foi ACM Neto (53.51%), derrotando Pelegrino.
Em São Luís-MA, o eleito foi Edvaldo Holanda (56.06%). E o derrotado foi Castelo (43.94%).
Em Teresina-PI, o eleito foi Firmino Filho (51.54%). E o derrotado foi Elmano Férrer (48.46%).
Em Campo Grande-MS, venceu Alcides Bernal, com 62,55% dos votos, contra 37,45% de Giroto.
Em Cuiabá-MT, Mauro Mendes venceu com 54.65% dos votos contra 45.35% de Lúdio.
Em Belem-PA, a eleição foi vencida por Zenaldo Coutinho, que obteve 56'61% contra 43'39% de Emilson Rodrigues.
Em Macapá-AP, Clécio venceu 50,59% contra 49,41% de Roberto.
Em Manaus-AM, venceu Arthur Neto (65.95%), e perdeu Vanessa Grazziotin (34.05%)
Em Porto Velho-RO, o vencedor foi foi o Dr. Mário Nazif (63,03%), que estava na disputa contra Lindomar Garçon (que ficou com 36,97%).
E em Rio Branco-AC, Marcos Alexandre venceu com 50.77% contra 49.23% de Tião Bocalom.

As informações são da TERRA.

Frases para Refletir - Bob Marley

Estação Felicidade #3 - Mania de Amar o Longínquo

Foto/Divulgação> Facebook

Estação Felicidade #2 - A Vida

Quer ver Mais Frases e Imagens? Então clique no link:Estação FeLiCiDaDe :D

Estação Felicidade

Reflexões

ALEGRIA GERA SAÚDE, FAZ BEM AO CORAÇÃO E DEIXA TUDO AO NOSSO REDOR MAIS LEVE E BONITO.
COMO JÁ DIZIA EM SUA CANÇÃO, O ETERNO VINICIUS DE MORAIS, "É MELHOR SER ALEGRE QUE SER TRISTE; ALEGRIA É A MELHOR COISA QUE EXISTE. É ASSIM COMO A LUZ NO CORAÇÃO...."

Boca de urna do Ibope aponta vitória de Haddad em São Paulo

Pesquisa de boca de urna do Ibope divulgada por volta das 17h deste domingo (28) aponta vitória do candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PT, Fernando Haddad, com 57% dos votos válidos. O adversário José Serra (PSDB) aparece com 43%.
Os votos válidos excluem eleitores que disseram ter votado em branco ou que anularam o voto. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa, encomendada pela TV Globo, ouviu 6.000 eleitores e foi registrada com o número SP-01939/2012.
Pela manhã, os dois candidatos votaram e se disseram otimistas com o resultado. "Hoje o protagonista, quem fala, é o eleitor, através do voto, e que deve continuar nos próximos quatro anos cobrando as realizações de quem venha vencer", afirmou Serra. Fizemos uma campanha limpa e propositiva, com ideias para melhorar a vida na cidade de São Paulo. E com a defesa da ética, sem a qual nada é possível", afirmou o Serra. “Como dizia o Chacrinha, a eleição acaba quando termina."
Demonstrando abatimento, Serra fez um breve discurso após votar, em um colégio da zona oeste de São Paulo. "Vim aqui hoje cumprir meu dever de votar, foi uma campanha difícil, mas os candidatos já falaram bastante ao longo desta semana".

 “Momento do eleitor”

Haddad afirmou também estar confiante. "Com todo o respeito aos institutos, mas agora é o momento do eleitor. Depois de 60 dias de debate, o eleitor pode entender o que está em jogo."
"São Paulo hoje é Brasil, tem de levar em conta o peso da cidade no âmbito federal para o desenvolvimento do país", afirmou o petista em uma entrevista coletiva, após o voto. Ele votou em uma universidade na zona sul de São Paulo.

Fonte: UOL Notícias das Eleições 2012

Coluna Vip: "Falta alguém que ame Salvador", diz Jhe Oliveira sobre administração da cidade

Depois de fazer sua estreia em novelas como o Negro Fagundes, no remake de Gabriela, da Globo, Jhe Oliveira está a todo vapor. O ator, de 32 anos, emendou uma trama na outra, e já começou a gravar sua participação em Lado a Lado, folhetim das 18h. Ele não tem medo do batente. “Trabalho desde os 10 anos, carregava sacola no mercado de Ilhéus, para comprar bolinha de gude, pião, pipa...  Não gosto de gente que reclama que está sem trabalho e não vai atrás. Passei duas semanas sem saber o que fazer da vida e minha gastrite logo atacou”, diz, entre risos.

Filho de pescador e de uma baiana de acarajé, Jhe nasceu em Ilhéus, morou em Salvador e, agora, vive em São Paulo. Mas não quer perder o vínculo com sua terra. Duas cantoras baianas têm lugar cativo no seu iPod: Mariene de Castro e Manuela Rodrigues. “Elas me levam para a Bahia”. Neste papo com a coluna, o ator também conta que a pior crítica que recebeu na vida veio há pouco tempo, de  um internauta comentando uma reportagem sobre atores baianos em Gabriela, no portal iBahia. “Ela dizia que qualquer pessoa faria melhor que eu o Negro Fagundes”, diz. “Só que não foi fácil interpretar esse papel”.

UM MOMENTO INESQUECÍVEL

O nascimento do meu sobrinho João Victor, há seis anos. Minha mãe faleceu no dia em que minha irmã Gleice (34 anos) descobriu que estava grávida.

UM MOMENTO QUE VOCÊ GOSTARIA DE ESQUECER
Quando tive de vestir o corpo da minha mãe morta, no hospital, no dia 4 de dezembro de 2005. Ela morreu de infarto. Sabe como é hospital público, né? Jogaram o corpo dela e falaram: “Veste aí”.

O QUE MAIS TIRA VOCÊ DO SÉRIO?
Ser acusado de uma coisa que não fiz. Não suporto injustiça. É como se
morresse por segundos.

O QUE MAIS RELAXA VOCÊ
O mar da Bahia. Em Salvador, adoro ir ao Porto da Barra, depois que o sol se põe e não tem mais ninguém. Já em Ilhéus, tem a Praia do Cristo, que é o meu lugar favorito no mundo.

UMA MULHER BONITA
Camila Pitanga e Heloisa Jorge, a Fabiana da novela Gabriela. Elas são lindas por dentro e por fora.

UM HOMEM BONITO
Rodrigo Lombardi. É um cara normal, não é uma coisa fake da televisão. Ele já foi pedreiro (na vida real) e preservou sua beleza natural.

QUAL A PIOR CRÍTICA QUE VOCÊ JÁ RECEBEU?
Um comentário que li de uma internauta, em uma reportagem  sobre os baianos em Gabriela (no iBahia). Ela dizia que qualquer pessoa que não fosse ator faria melhor que eu o Negro Fagundes. Só que não foi fácil interpretar esse papel. Eu fiz um mergulho enorme no personagem. Fiquei até sem beber água, para sentir a secura na boca. Aí, vem uma pessoa e fala uma coisa que não sabe.

QUAL O MAIOR ELOGIO QUE JÁ RECEBEU?
Ouvir minha avó materna, Tidinha, ao telefone, dizer que sentia que o Negro Fagundes era o neto dela, mesmo sabendo que era um personagem. Quando perguntei por que, ela disse: “Porque ele é guerreiro como você”.

O QUE ESTÁ TOCANDO NO SEU IPOD?

Duas cantoras baianas: Mariene de Castro e Manuela Rodrigues. Preciso conservar em mim a baianidade, e elas me levam para a Bahia...

O QUE NÃO ENTRA NO SEU IPOD?
Músicas que fazem apologia a drogas e à violência contra a mulher

NA SUA OPINIÃO, QUAL É O PIOR DOS SETE PECADOS CAPITAIS?

A preguiça. Se não for preguiçoso, você luta e não tem tempo para sentir inveja, por exemplo. Trabalho desde os 10 anos de idade. Não suporto gente que reclama que está sem trabalho e não vai atrás. Passei duas semanas sem saber o que fazer, quando as gravações de Gabriela terminaram, e minha gastrite atacou!
(risos)

O PIOR DE SALVADOR
A administração da cidade, em geral. Falta alguém que ame Salvador, que abandone a família e assuma a cidade como único amor da vida. Que tome uma decisão drástica, e que não tenha outros interesses.

O MELHOR DE SALVADOR
O povo. Por mais que eu tenha sofrido com pessoas específicas, acho que é um povo que tem um calor enorme.

UMA DICA DA CIDADE...

O Solar do Unhão. No final da tarde, é lindo. Outra dica é a Sorveteria da Ribeira. E o restaurante Maria da Lenha, na Boca do Rio. Lá tem um quibe que é uma maravilha.

Fonte: P0R74L 4 74RD3

Curte a mistura de praia, sol e música eletrônica? Vem aí o Paradise Weekend!

Para os que amam a estação mais quente do ano, uma praia bem gostosa e o som eletrônico nas alturas, vem aí a festa perfeita: Paradise Weekend. O evento, realizado pela The Groove Concept, agência especializada em criar experiências com música e entretenimento, rola entre os dias 1º e 4 de novembro, naquele paraíso chamado Costa do Sauípe, na Bahia.
Durante o final de semana, mais de trinta atrações como os DJs Tiesto, Roger Sanchez e Avicii  irão se apresentar no resort para as milhares de pessoas loucas pela batida envolvente do ritmo eletrônico. Quem estiver por lá, ainda poderá desfrutar do Paradise Weekend de uma forma mais glamurosa. A renomada casa noturna paulista Royal Club, do empresário Marcos Buaiz, terá uma espécie de "filial" no evento, em forma de camarote. Ao lado do Papaya, clube famoso na Croácia, a marca Royal vai assinar as pool parties, festas durante o dia com DJs nacionais e internacionais.
Marcos Buaiz, do Royal Club
Marcos Buaiz, do Royal Club
A parceria segue o planejamento de expansão da marca Royal, que por meio de projetos exclusivos, criados e desenvolvidos pela The Groove, dos sócios Theo van der Loo e Mac Chriesler, reposiciona a marca com atuação em novas atividades que visam projeção nacional e internacional. “Queremos levar a experiência do Royal para outros Estados do Brasil e também para o exterior”, diz Marcus Buaiz. Alguém tem dúvidas de que vai bombar?

De Helô Tolipan, para o Jornal do Brasil

Beyoncé vem aí! Saiba qual o nome do próximo álbum da diva do pop!

Ainda este ano, chegará aos ouvidos dos amantes de música pop álbuns inéditos de duas estrelas do gênero: Christina Aguilera e Rihanna. Mas 2013 já promete ser um ano de bons frutos para mais divas da Poplândia que virão com novos trabalhos na praça. Uma delas é Lady Gaga, cujo CD 'ARTPOP' deve nascer ainda no comecinho do ano. A outra é Beyoncé!
E quem decidiu revelar o nome do novo álbum da mulher de Jay-Z foi o renomado site da revista americana 'Billboard': 'Touchdown' será o título do quinto disco de músicas inéditas da mamãe da pequena Blue Ivy Carter.
'Touchdown': este é o título do novo álbum de Beyoncé, segundo o site da revista 'Billboard'
'Touchdown': este é o título do novo álbum de Beyoncé, segundo o site da revista 'Billboard'
Lembrando que Bey será a responsável pelo show de intervalo do Super Bowl, em fevereiro, performance que atrai milhões de telespectadores alucinados por futebol americano. Este ano, quem brilhou como protagonista do espetáculo foi Madonna, ao lado de MIA, Nicki Minaj, Cee-Lo Green e LMFAO.

Fonte: De Helô Tolipan (Para o Jornal do Brasil)

Atores comprometidos de 'Salve Jorge' levam romance para a vida real, na Turquia

São meses de abraços, beijos e carinhos  sem fim na frente das câmeras em prol do relacionamento de seus respectivos personagens. Como ninguém é de ferro, tanta proximidade pode acabar acendendo a fagulha de um affair na vida real, bem distante da trama do folhetim -  estão aí Murilo Benício e Débora Falabella que não nos deixam mentir. E a história se repetiu com dois atores do elenco de 'Salve Jorge', durante as gravações da novela na Turquia. 
Tanto ele quanto ela são muito bem casados aqui no Brasil, mas os dois não se desgrudaram enquanto rolavam as filmagens, na Capadócia, onde as cenas do casal se desenrolarão na trama de Glória Perez, assim como depois que as gravações já estavam encerradas, no hotel em que a equipe estava hospedada... 

Fonte: Helô Tolipan (Jornal Do Brasil)

'Gugu' diz que não é Amigo de 'Silvio Santos'




Segundo informações da coluna de Léo Dias no jornal O Dia, Gugu Liberato afirmou que Silvio Santos só tem um amigo:

“O Silvio só tem um amigo, que é o cabeleireiro Jassa. Os demais são colegas”. 






E declarou também que depois que saiu do SBT só encontrou com Silvio Santos uma vez apenas, no salão do amigo do Jassa, casualmente, e se trataram cordialmente.


Sobre Faustão comentou:

“Tenho respeito e admiração pelos meus concorrentes. Já estive uma vez na pizza da casa do Faustão. E o acaso fez com que nos encontrássemos duas vezes em viagens pelo mundo. Mas somos apenas colegas”.


Perguntado se voltaria ao SBT, ele diz que é grato pelos 35 anos de serviços prestados a emissora (desde a época que o SBT era TVS), mas, que hoje, ele veste a camisa da Record.

'Pânico na Band':Programa de Domingo, 28/10/2012




Neste domingo, a partir das 21h00, tem mais uma edição do Pânico na Band. Uma trupe formada por atores, comediantes, imitadores e apresentadores satiriza a política, o esporte, o universo da música, o mundo das celebridades, as tradições e os mais diversos grupos sociais. Uma sucessão de esquetes de humor e reportagens debochadas que atraem principalmente os jovens, contestadores e transgressores por natureza. Tem o Jornal do Boris, o reality para conseguir um novo amor para Sabrina que já está na reta final, agitos em festas e na praia e muito mais!

O programa “Pânico na Band” vai ao ar hoje, às 21h.


Fonte/Divulgação:BAND

Reportagens do 'Fantástico':Domingo, 28/10/2012





Três rapazes matam adolescente de 15 anos e debocham da situação 

O Fantástico deste domingo tem investigação! Quem são os três rapazes que mataram uma adolescente de 15 anos num assalto esta semana, em São Paulo?

Ao serem presos, os bandidos debocharam da situação. Começou a rir e falou: "quem mandou ela reagir? Ela mereceu", diz a delegada.

Por que tamanho desprezo pela vida?



'Tive um rompimento muito sério com ele' fala Lília Cabral sobre o pai 

O Show da Vida também mostra uma das atrizes mais aplaudidas do brasil, intérprete de personagens inesquecíveis, vai abrir o coração. Lília cabral conta o que viu da vida.


Um show de beleza no Centro-Oeste brasileiro! 

É a semifinal do Menina Fantástica!
Mais dez candidatas estão em brasília para disputar duas vagas na final do concurso!



Drauzio Varella mostra mulheres viciadas em crack que engravidam pelas ruas 

O Fantástico deste domingo uma reportagem especial do Doutor Drauzio Varella: mães do crack !

Mulheres com dependência química engravidam pelas ruas e não param de usar a droga durante a gestação.
Qual é o risco para os bebês ? Pra onde eles são levados depois do parto ? Como livrar essas mães do vício ? Doutor Drauzio vai mostrar que existe tratamento e há esperança para esse drama cada vez mais comum no Brasil. 



Ronaldo Fenômeno e Zeca Camargo provam a culinária chinesa em jantar

A viagem de Ronaldo Fenômeno segue pela China. Em Hai Kou, o Havaí do lado Oriental como os chineses costumam chamar, Zeca Camargo e Ronaldo provaram da culinária chinesa.
Tudo isso sem esquecer que o ex-jogador segue no caminho para a medida certa.





Mães se desdobram para cuidar de casa, marido, filho e da própria empresa 

Três brasileiras batalhadoras vão marcar presença no Fantástico deste domingo. Elas se desdobram pra cuidar de casa, marido, filho e também da própria empresa! São as empreendedoras de "Mãe S/A"!

Grace Vivi e Maria tomaram um susto ao fazer as contas!




Domingo, 20h30

Fonte/Divulgação:Rede Globo

'Bruno e Marrone' no 'De Frente com Gabi':Domingo, 28/10/2012

Foto:SBT/Divulgação

Neste domingo, 28 de outubro, o De Frente Com Gabi recebe Bruno e Marrone. Formada em 1986, a dupla lançou o primeiro disco em 1994, quando gravaram o sucesso "Dormi na Praça", considerada um clássico da música sertaneja. Bruno nasceu em Goiânia e Marrone nasceu em Buriti Alegre. No programa eles falam sobre carreira, vida pessoal, o novo DVD lançado em agosto deste ano e projetos para o futuro.

Confira as melhores frases da entrevista:

Frases Bruno
• A música sertaneja está muito jovem e a concorrência é acirrada.
• Tenho vontade de gravar um DVD só de boleros.
• A calma dele às vezes me irrita. (sobre Marrone)
• Procuramos nomes para a dupla em revistas de nenê.
• Esse novo DVD foi um resgate da nossa carreira, foi um troféu.
• Eu sabia que o Marrone ia voltar (depois do acidente), mas tentei segurar a bronca sozinho.
• Fazemos uma média de 15 shows por mês, mas já fizemos 32, só que era muito sacrificante.

Frases Marrone
• No momento em que estava acontecendo o acidente fiquei inconsciente e só senti o baque da aeronave.
• Eu já tinha medo de avião antes do acidente, porque tenho claustrofobia.
• Foi o Leonardo (cantor) que nos apresentou, porque não temos nenhum parentesco.
• Foi uma realização gravar como 1ª voz, mas não era louco por isso.

DE FRENTE COM GABI
Neste domingo, à meia-noite


Fonte/Divulgação:SBT

Eleições 2012 - PARTE II

Vote pra decicir o futuro de sua cidade. Quem vai vencer?

MANAUS

Vanessa Graziottin ou Artur Virgíllio?


RIO BRANCO

Marcos Alexandre ou Tião Bocalom?


CAMPO GRANDE
Giroto ou Alcides Bernal?

SÃO LUÍS

http://robertlobato.com.br/wp-content/uploads/2012/09/caoseholadinha.jpg
Castelo ou Edivaldo Holanda Junior?

JOÃO PESSOA

Luciano Cartaxo ou Cícero Lucena?

Eleições 2012 - PARTE I

Já está havendo o segundo turno, e, claro, você irá decidir o futuro de sua cidade. O prazo para os votos do segundo turno termina hoje. E você decide. Quem vence as eleições em...

SALVADOR
ACM Neto ou Pelegrino?

 SÃO PAULO

Serra ou Haddad?
CURITIBA

Ratinho Jr. ou Fruet?
 VITÓRIA
Luciano Resende ou Luiz Paulo?
 FLORIANÓPOLIS
César Souza Jr. ou Gean Loureiro?

Micropigmentação ajuda a disfarçar a calvície

 Micropigmentação ajuda a disfarçar a calvície Emerson Souza/Agencia RBS

A escova ficou cheia de fios de cabelo? Nem sempre isso é motivo de preocupação: os fios têm um ciclo de troca natural, caindo cerca de 50 a 150 por dia. Mas se você perceber que saem tufos ou que os fios novos são mais finos que os outros, pode ser calvície, sim. É possível que elas gostem mais dos carecas, mas, mesmo assim, muitos homens se sentem inseguros assumindo a condição.
A alopecia, mais conhecida como calvície, é um problema que afeta homens e mulheres - mas é mais frequente neles por estar ligada aos níveis de testosterona. Suas causas mais comuns estão associadas à herança genética e a distúrbios fisiológicos e emocionais, mas ela também pode ser desencadeada por alimentação desequilibrada ou má higiene do couro cabeludo. Nesses casos, a oleosidade excessiva da pele pode acarretar caspa, descamação e queda dos fios.
Um novo tratamento para a calvície, com resultados bastante efetivos, é a micropigmentação capilar. Um profissional especializado desenha fios em 3D no couro cabeludo do paciente, na mesma cor do cabelo natural, e esses pigmentos, aplicados na camada epidérmica da pele, simulam uma sombra causada pelos fios que se mistura ao cabelo com aspecto natural. Segundo a especialista Vanessa Silveira, esse procedimento é indicado para quem ainda tem alguns fios e só quer der uma impressão de cabelo mais "cheio". Nas partes da cabeça que não apresentam fios, é realizada uma espécie de pintura da pele. Já para os carecas completos, o procedimento é um pouco diferente: simula o efeito de uma cabeça raspada, com "pontinhas" dos fios que aparecem. As mulheres que sofrem de calvície também podem fazer micropigmentação - e os resultados prometem ser naturais mesmo em cabelos longos.

Como funciona
O procedimento é indicado para pessoas que apresentam sinais de calvície, queda ou afinamento de cabelos, que buscam uam solução rápida e acessível -independentemente do estágio de alopecia em que estejam. Diabéticos, hemofílicos e apessoas alérgicas a certas substâncias devem consultar um médico antes de se submeter à micropigmentação.
Cada sessão dura em torno de uma ou duas horas, e a recuperação leva cerca de 30 dias. O tratamento é feito com diferentes cores de pigmentos e uma agulha especial - semelhante àquela de tatuagem - e disfarça o branco do couro cabeludo. Em alguns casos, a micropigmentação estimula um maior crescimento dos fios, por abrir poros que estavam fechados, mas esse resultado depende do organismo de cada pessoa.
Antes de fazer a aplicação, certifique-se de que o profissional não tem só o curso de micropigmentação (aquele para sobrancelhas e outras áreas mais comuns), mas também o específico para micropigmentação capilar. Imitar a sombra do cabelo exige um conhecimento mais complexo, como a localização dos nervos, pontos de aplicação da anestesia e noções de anatomia, além do entendimento de uma espécie de "design da cabeça".

Fonte: ZERO Hora

Conheça Amy Hildebrand, a deficiente visual que é um show de fotógrafa

Conheça Amy Hildebrand, a deficiente visual que é um show de fotógrafa Félix Zucco/Agencia RBS
Amy Hildebrand

Amy Hildebrand nasceu cega. Completamente cega. Além do infinito em idealização e expectativas que carregam os primogênitos, Amy também foi recepcionada na cidade americana de Cincinnati, no estado de Ohio, com uma sentença e uma esperança. A primeira, proferida pela equipe médica que conduziu o parto e a avaliação do bebê: a menina alva como nuvem, portadora de albinismo, jamais enxergaria. A segunda, acalentada pelos pais, nascia também ali e se manteria para sempre inabalável: a nova família, oficialmente recém inaugurada, não se conformaria com essa previsão.
Pode-se deduzir que algo de bom e bonito aconteceu entre o veredicto comunicado na maternidade e o mês de outubro de 2012, quando Amy, já uma respeitada fotógrafa de 27 anos, visitou Porto Alegre a convite do Hospital Mãe de Deus para o lançamento do projeto Saber Viver sobre valorização da vida.
Paciente de tratamentos experimentais desde os primeiros meses, ela se libertou da escuridão completa lentamente. Não que considerasse ruim o breu que habitava - se não conhecia outra vida, que tipo de comparação poderia estabelecer para concluir que era infeliz? O avanço foi gradual, o que a impede de divisar com exatidão o marco que sinaliza o antes e o depois, a cegueira absoluta e a visão, ainda que bastante comprometida. O albino produz pouca ou nenhuma melanina, pigmento que colore os olhos, a pele e o cabelo, desenvolvendo problemas de visão e grande sensibilidade ao sol.
Amy relata que a força que impulsionou o otimismo familiar nunca foi desesperada. Buscar um tratamento eficaz para a menina de aparência quase translúcida não era uma obsessão. Caso algo funcionasse, ótimo. Se tudo falhasse, todos estariam empenhados em se adaptar da melhor maneira possível.
- Lembro do piso de linóleo vermelho na cozinha. O sol entrava pela janela, e a poeira pairava no ar. Lembro de simplesmente deitar lá e ficar olhando o sol incidindo sobre o piso, o contraste entre o vermelho do linóleo e a luz, as sombras, minha mãe fazendo as tarefas domésticas. As cores eram tão vívidas - conta, resgatando um episódio da época de seus dois ou três anos de idade, naquele que considera ser o seu primeiro registro visual.
A americana capta imagens com inspiração de artista, sempre com o objetivo de que suas fotos resultem fiéis à maneira como ela própria absorve os personagens e os cenários que transitam em frente à sua lente - casamentos e crianças estão entre os temas preferidos. Amy depende de cores fortes e contrastes para subtrair do universo ao redor o máximo de nitidez. O grafismo de linhas e formas interrompidas ou desfocadas, e o efeito de névoa que encobre seus retratos, permitem ao observador compartilhar com ela uma sensação de entendimento.
- Sempre me senti confortável com uma câmera nas mãos. Parecia o jeito mais natural de me expressar. Me perguntavam como eu enxergava o mundo, e nunca encontrei uma maneira adequada de responder isso. Até começar a fotografar.
A idealizadora do blog With Little Sound, um dos trabalhos mais exaltados de seu currículo, com mil fotos tiradas ao longo de mil dias ininterruptos, esteve na Capital acompanhada do marido, o também fotógrafo Aaron, que conheceu dentro de uma câmera escura na faculdade. Casados há sete anos, eles são pais de Jude, cinco anos, e Daisy, três, que não desenvolveram o albinismo.
O trabalho de Amy Hildebrand está em exposição no Hospital Mãe de Deus até 31 de outubro, das 8h às 18h. Com cenários bucólicos, crianças e jogo de luzes e cores, as fotos fazem parte de um trabalho pessoal da fotógrafa intitulado 1000 Fotos em 1000 Dias concluído em 12 junho deste ano.
A convite de Donna, Amy aceitou passear pela Redenção, compondo com suas impressões de turista um breve ensaio de um dos endereços mais queridos da cidade. As fotos feitas por ela e o making of do passeio no parque podem ser vistas na galeria de fotos abaixo.
:: Veja galeria de fotos feitas por Amy Hildebrand
Confira, a seguir, os principais trechos da entrevista.
Donna - Como foi ser criança sem enxergar?
Amy Hildebrand - Passei por muitos tratamentos. Como era a única vida que eu conhecia, não achava que fosse diferente de qualquer outra. Nunca me surpreendi ao comparar a minha vida com as vidas dos meus amigos. Em casa, fazíamos uma série de exercícios simples. A visão de um dos meus olhos é bem pior do que a do outro. Quando eu era bebê, cobriam o meu olho melhor, forçando o olho pior a trabalhar mais e se fortalecer. E funcionou, até certo ponto. Depois usei lentes, óculos, às vezes relutando muito.
Donna - Você não conseguia ver nem vultos?
Amy - Nada. Diagnosticaram cegueira completa quando nasci. Os médicos disseram: "É isso, não há o que fazer".
Donna - Eles não deram nenhuma esperança aos seus pais?
Amy - Não. Apenas explicaram como uma pessoa cega vivia. Citaram o que eu poderia fazer e uma longa lista do que não poderia fazer. Mas meus pais sentiram que as possibilidades eram mais amplas. Imaginaram que deveria haver pessoas lá fora se sentindo da mesma maneira que eles. E então eles leram algo sobre uma estudante de medicina, na cidade onde morávamos, conduzindo um estudo sobre o desenvolvimento da visão na infância. Contataram-na, e eu passei a usar lentes. Há uma foto minha, com cerca de cinco meses, tentando tocar a luz do sol batendo no chão. Meus pais ficaram tão emocionados que tiraram uma foto. Foi um grande avanço.
Donna - E os anos de escola?
Amy - Sou muito grata por ter frequentado uma escola que oferecia muitas atividades aos alunos. As crianças podiam se movimentar livremente na sala de aula. Eu podia deixar minha mesa e procurar um lugar melhor por causa da luz. Sou muito sensível ao sol e à luz. A luz agride o meu olho porque não tenho o filtro natural que todos têm. Me dá fortes dores de cabeça. Os professores eram muito prestativos e usavam canetas de uma cor que contrastasse com a superfície branca do quadro, para que eu pudesse enxergar mais facilmente. Os meus livros tinham letras maiores, minha mãe militava pela inclusão de estudantes, e essas coisas me davam a sensação de estar vivendo uma vida normal junto das outras crianças. Tinha muitos amigos, nunca me senti rejeitada. A experiência e o ambiente foram muito saudáveis para mim.
Donna - Então você nunca frequentou uma escola para cegos ou estudou braile?
Amy - Não. Acho que meus pais pensaram assim: se ela achar que precisa ir para uma escola de cegos, então vamos deixá-la ir. Se sentir que pode levar a mesma vida que os outros levam, então é o que faremos.
Donna - Você lembra como se sentiu quando começou a enxergar?
Amy - Foi um processo muito lento e gradual. Na época, eu não me dava conta de que as outras pessoas enxergavam de maneira diferente. Não registrava muito isso. Mas tenho, sim, diversas lembranças da juventude. Cores, muitas cores, por todos os lados. Ficava fascinada com a luz no chão ao entardecer. Geralmente, a lembrança mais remota de uma criança é algo muito significativo, como o nascimento de um irmãozinho, um novo membro passando a fazer parte da família. Acho que li isso em um livro. Aos dois ou três anos, lembro do meu irmão recém-nascido chegando do hospital, mas também do chão de linóleo vermelho na cozinha. Era um apartamento muito antigo. O sol entrava pela janela da cozinha, e a poeira pairava no ar. Lembro de simplesmente deitar lá e ficar olhando o sol incidindo sobre o piso, o contraste entre o vermelho do linóleo e a luz, as sombras, minha mãe fazendo as tarefas domésticas. As cores eram tão vívidas. Eu amava isso. É como se fosse um sentimento aliado a uma experiência visual. É algo muito forte para mim. Muita cor, mas também muito amor. Não sei se isso faz algum sentido para você (risos).
Donna - Essas lembranças e sensações estão intimamente relacionadas ao trabalho que você desenvolve hoje, fotografando crianças e cenários com intensos contrastes de cor.
Amy - Reflito muito sobre o sentido da cor no meu trabalho. Ao fotografar, penso: como posso fazer com que essa cor se pareça com o que eu vejo? É tão vibrante para mim.
Donna - O mais curioso é o fato de que você, mesmo com uma séria limitação na visão, escolheu uma carreira que depende fundamentalmente da capacidade de enxergar. Foi uma espécie de desafio?
Amy - Na adolescência, peguei uma câmera, comecei a usá-la e passei a me sentir diferente. Não foi de repente que descobri que era aquilo o que eu gostaria de fazer. Sempre me senti muito confortável com uma câmera nas mãos. Parecia o jeito mais natural de me expressar. Me perguntavam como eu enxergava o mundo, e nunca encontrei uma maneira adequada de responder isso. Até começar a fotografar. E então me dei conta de que poderia usar aquela ferramenta para me conectar com as pessoas. Não apenas eu me conectar a elas, mas elas se conectarem comigo, com o que vejo.
Donna - Como é a sua visão hoje?
Amy - Não muito boa. Daqui até aquela televisão (que está fixada na parede, a uns 10 metros de distância, na recepção do hotel em que ela está hospedada), sei que está passando um jogo de futebol. Reconheço o ângulo da câmera e o verde do gramado, mas não consigo ler o que aparece escrito na tela, não vejo o rosto dos jogadores.
Donna - E dá para ler?
Amy - Depende de muitas variáveis: a fonte da letra, o contraste da tinta impressa com o papel. Por exemplo: consigo ver o seu rosto agora, mas não os seus olhos. Sei que eles estão aí por causa do que deduzo do contexto. Interpreto muito o contexto ao longo do dia.
Donna - Seus pais tiveram cinco filhos (os únicos não albinos são dois meninos gêmeos), além de adotar uma menina albina da Índia. Eles sabiam ser portadores dessa condição genética que pode causar o albinismo?
Amy - Não. Descobriram quando eu nasci. O histórico familiar, dos dois lados, não mostra nenhum sinal do problema. É algo tão raro alguém ser portador do gene e conhecer uma pessoa que também é portadora e então o casal ter um filho com albinismo... É muito raro. Mas, por algum motivo, a desordem apareceu em três das quatro gestações de minha mãe.
Donna - Eles sentiram medo?
Amy - Não acho que tenham pensado nisso. Imagino que pensassem apenas que gostariam de formar uma família. O irmão que veio logo depois de mim foi o único filho planejado (risos). Acho que eles não queriam que eu fosse filha única, então valia arriscar. Mas aí eles já sabiam como lidar com o problema. Meu irmão logo começou a usar lentes de contato também. Não temos o mesmo nível de visão, a dele é pior, mas ele está bem, trabalhando como gerente de um café. Acredito que tudo esteja relacionado ao ambiente onde crescemos. Ninguém nunca nos disse que não poderíamos fazer algo. Fazíamos. E quando não conseguíamos, meus pais diziam que era porque talvez não fosse adequado para nós. Nunca disseram algo como "você não pode por causa do seu problema de visão". Em vez disso, explicavam: "Você não consegue porque não é o que Deus quer para você". Acho que foi uma perspectiva saudável para nós.
Donna - E para você? Foi difícil tomar a decisão de engravidar?
Amy - Não hesitamos porque não havia a possibilidade de que meus filhos nascessem albinos. Talvez meus netos sejam albinos porque meus filhos são portadores dos genes. Esta questão deverá surgir para os meus filhos, mas não vejo isso acontecendo. Sou a mãe deles, e eles não me veem como sendo diferente de qualquer outra mãe por aí. O fato de os tios e a tia deles serem albinos também ajuda. Eles cresceram nesse ambiente, pensando que somos pessoas comuns, como as que fazem parte de qualquer outra família.
Donna - Um de seus projetos mais comentados é o blog With Little Sound, em que você postou mil fotografias ao longo de mil dias. Houve algum planejamento? Tirar uma foto por dia passa a ideia de viver com certa serenidade, um dia de cada vez.
Amy - Exatamente. Foi o meu projeto mais extenso e mais recompensador. Tive a ideia a partir da frustração e do medo de que estivesse perdendo todo o conhecimento adquirido na faculdade, além do dinheiro investido (risos). Foi a primeira coisa que me motivou. Depois veio o medo de perder memórias. Eu não queria que desaparecessem lembranças importantes dos primeiros momentos com a família que estava formando. Queria criar minha própria arte, fazer o que tinha vontade, e não o que alguém me mandasse fazer. Tivemos nossos filhos, compramos uma casa, e eu estava pronta. Quando vi o blog de um amigo, surgiu a ideia. Ele postava uma foto e escrevia algo de vez em quando, como se fosse um diário. Pensei que gostaria de criar algo parecido sobre a minha própria vida, mas com o compromisso de tirar uma foto por dia. Meus filhos tinham seis meses e dois anos na época. Eu não dispunha de muito tempo livre, então queria algo administrável. Lembro de contar a Aaron, em setembro de 2009, sobre esse projeto, e ele achou muito legal e me incentivou. No outro dia comecei, sem pensar muito. Quando você pensa muito, começa a se convencer a não fazer.
Donna - Voltando a algo mencionado antes: na infância, você disse que não se dava conta de que havia uma diferença em relação a seus amigos. Você a percebeu quando passou a enxergar? Para quem nunca enfrentou restrições tão marcantes, fica mais complicado entender.
Amy - Foi um processo tão lento, que sempre fez parte da minha vida. Sempre fui ao oftalmologista para tentar melhorar, mas isso era encarado de maneira positiva. Não era algo como "você precisa melhorar para ter uma vida plena", mas sim "vamos ver se conseguimos melhorar, vamos tentar". Nunca tive a sensação de que estava perdendo algo. Nunca existiu um marco drástico entre o antes e o depois. Foi gradual. Agora consigo refletir e agradecer. Todo adolescente está atento às diferenças em relação aos demais. Eu sentia isso, mas me dava conta do quanto minha vida era diferente pelo fato de meus pais terem trilhado certos caminhos e acreditado que as coisas poderiam mudar se continuássemos rezando e procurando tratamentos. Eu via crianças frequentando escolas para cegos e pensava: "Estive tão próximo de estar vivendo assim. Que bom que não estou no lugar delas". Reconheci que poderia ter estado naquele outro lugar, mas em vez disso estou aqui. Sempre reflito sobre isso. Parece que havia um caminho: poderíamos ter ido para a direita, mas fomos para a esquerda. Foi uma escolha muito fácil, mas fez uma diferença muito grande na minha vida.

Fonte: Zero Hora