quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

'Henri Castelli' em 'Flor do Caribe'

Depois de Thiago Martins e Dudu Azevedo, foi a vez de Henri Castelli, um dos protagonistas de Flor do Caribe, entrar em um avião de caça para gravar cenas da nova novela das seis. Ele recebeu intruções de um técnico, na Base Aérea de Natal, para as filmagens. Thiago Martins, Thaíssa Carvalho e Max Fercondini também tiveram aulas com os oficiais da Aeronáutica.

Henri Castelli recebe as últimas instruições, acompanhado de perto pelo diretor Leonardo Nogueira (Foto: João Miguel Júnior / Rede Globo)
Henri Castelli recebe as últimas instruções, acompanhado de perto pelo diretor Leonardo Nogueira
 (Foto: João Miguel Júnior / Rede Globo)

Flor do Caribe é a próxima novela das 18h da Rede Globo, que tem estreia prevista para março de 2013. A trama é escrita por Walther Negrão e dirigida por Jayme Monjardim.

Fonte/Divulgação:Rede Globo

Agora, eles carregarão carga pesada na cadeia

Grupo formado por quatro policiais da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC), um policial militar do 15ºBPM (Duque de Caxias), um bombeiro, um policial civil aposentado, um ex-PM e um informante foi preso ontem de manhã, acusado de praticar crimes de extorsão contra comerciantes e transportes de cargas supostamente ilícitas. Segundo as investigações, os presos usavam a estrutura do Estado para apreender produtos irregulares de vítimas previamente indicadas pelo informante, que agia como falso policial. Em seguida, a quadrilha negociava a devolução da carga mediante o pagamento de propinas.
"Eles utilizavam armamento e viaturas da delegacia para desviar as cargas e extorquir os comerciantes. Num dos casos, esses policiais apreenderam uma carga que havia sido roubada e registrada na própria delegacia. A carga não foi devolvida aos proprietários e ficou guardada num pátio da unidade, num caminhão apreendido há cerca de quatro anos. Eram ousados", afirmou o superintendente operacional da Corregedoria Geral Unificada (CGU), Marcelo Fernandes.
Participaram da operação Carga Pesada o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público, as corregedorias das polícias Civil, Militar e do Corpo de Bombeiros, a Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) e a Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Segurança.

Fonte: Jornal Meia Hora

Festa virou polêmica

Mestre de cerimônias da festa do bicampeonato mundial do Corinthians pelas ruas de São Paulo, ontem, o cantor Thiaguinho virou alvo da ira de uma torcida rival.
Durante as comemorações, o pagodeiro pegou o microfone e, do alto do trio elétrico, provocou: "Ei, Palmeiras, vai tomar no c...". Pouco depois, enfrentou um movimento de fúria no Facebook, sendo ameaçado de espancamento e até de morte.

 

Por meio do Twitter, Thiaguinho rebateu as críticas de que sua provocação poderia dar início a uma onda de violência. "Participei de uma festa em que, claro, a emoção supera a razão, mas eu incitar a violência?! Nunca! Basta ver minha conduta em 10 anos... Nunca me envolveria em um assunto desses. Só fui à festa porque sou amante do futebol e do meu time. Vivo de música. Não de futebol", escreveu o ex-vocalista do grupo Exaltasamba.
Montagem com a imagem de Thiaguinho com nariz de palhaço e frases agressivas circulou nas redes sociais. Milhares de palmeirenses usaram o Facebook para xingar o cantor e pedir respeito ao clube. Para se defender, o pagodeiro lembrou que fez a música Amizade É Tudo, que embalou o time do Corinthians no Mundial, em parceria com o amigo Rodriguinho, torcedor do Verdão. Além disso, em 2010, ele gravou o DVD de 25 anos do Exaltasamba no Palestra Itália.
E essa não foi a única provocação. Emerson ironizou o lateral Léo, do Santos, que provocara o Timão antes do Mundial: "Chupa, Léo", disse o Sheik, que também agradeceu à Fiel. "A nossa gratidão é muita, por todo o reconhecimento, muito obrigado. Eles fazem parte da conquista".

Fonte: Jornal Meia Hora

Salvador disputa título de cidade mais bonita do mundo

  • Capital baiana disputa com outras 300 cidades ao redor do planeta
A capital baiana está na disputa contra outras 300 cidades ao redor do planeta, entre elas três brasileiras, pelo título de uma das Sete Cidades Mais Bonitas do Mundo. A votação, que ocorre pela internet, é promovida pelo instituto New7Wonders, também responsável pela organização da escolha das Sete Novas Maravilhas da Natureza.
Além de Salvador, Brasília, Curitiba e Rio de Janeiro também estão na disputa. Os internautas podem votar nas sete cidades que acham mais bonitas pelo site do New7Wonders, até o dia 7 de março de 2013. É preciso montar uma lista com os destinos preferidos. As cidades estão divididas por região. Os que quiserem votar em Salvador, por exemplo, deverão acessar o grupo 'South America', ou América do Sul. O processo de escolha está na segunda fase.
As cidades de Buenos Aires (Argentina), La Paz (Bolívia) e Punta del Este (Uruguai), na América do Sul, também almejam os postos de cidade mais bonitas, assim como as europeias Londres (Inglaterra ), Paris (França) e Roma (Itália). Também estão na disputa cidades como Tóquio (Japão ), Nova York (Estados Unidos), Sidney (Austrália), Nova Délhi ( Índia), Bagdá (Iraque) e Jerusalém (Israel). O resultado deve ser divulgado no dia 14 de julho de 2014.

Fonte: Portal A Tarde

Dona Canô: melhora no estado de saúde é contínua e graduada

  • A equipe hospitalar prometeu emitir um posicionamento sobre uma possível alta médica
O último boletim médico sobre o estado de saúde de Claudionor Velloso (Dona Canô), divulgado pelo Hospital São Rafael por volta das 10 horas desta quarta-feira, 19, atesta uma melhora no estado clínico da paciente.
Conforme a unidade médica, a matriarca da família Velloso permanece com o quadro neurológico estável, apresentando "pressão arterial em níveis adequados e sem necessidade de medicações venosas".
As melhoras no estado clínico de Dona Canô, entretanto, ainda não possibilitam que os médicos forneçam uma previsão de alta hospitalar. Mesmo assim, conforme a escritora e filha da santo-amarense, Mabel Velloso, a mãe pede diariamente para ir embora.

Saiba mais

Dona Canô é internada com isquemia cerebral
16/12/2012 | Comentários(0)
Dona Canô é internada com isquemia cerebral

"Haverá uma reunião entre os médicos para que isso seja decidido. Minha mãe é uma velhinha de 105 anos que ainda manda em todo mundo da família (risos), mas dessa vez vai ter que esperar os médicos", disse ela, na tarde desta quarta, 19, confiante na possibilidade de uma breve liberação.

Fonte: Portal A Tarde

Vítima dos taliban já recuperou parte do rosto

Aesha Mohammadzai, a jovem afegã que foi vítima de maus-tratos do ex-marido e dos seus familiares e cuja foto foi capa da revista "Time" em 2010, submeteu-se durante os últimos seis meses a uma sucessão de operações plásticas que lhe permitiram já recuperar parcialmente o rosto.
A crueldade do marido e dos familiares de Aesha chegou ao ponto de lhe deceparem o nariz e as orelhas, durante o período do regime taliban no Afeganistão. Ao longo do último ano, a jovem foi sujeita a um grande número de operações plásticas que a estão a ajudar a recuperar o seu rosto.
Um dos principais obstáculos que os médicos têm enfrentado é a obtenção de tecidos para os implantes. A jovem que se tornou um dos símbolos dos maus-tratos a mulheres durante o regime taliban, teve de recorrer a uma técnica inovadora de implantação de uma "bola" de tecido muscular na zona da testa e do nariz de modo a conseguir produzir o tecido necessário à transformação do rosto.
Em declarações à cadeia televisiva "CNN", Aesha Mohammadzai assumiu que "teve muito medo" e que a princípio teve muita dificuldade em ver-se ao espelho. Hoje em dia, a jovem afegã que nunca celebrou os seus aniversários e diz sentir-se sempre com 21/22 anos, sente-se mais confiante e preparada para o resto da sucessão de operações que ainda lhe faltam rumo ao total restabelecimento da sua face.

Fonte: Jornal de Notícias

Ministério pediu à AGU que revisse parecer

Brasília - A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, atuou formalmente para que a Advocacia-Geral da União (AGU) revisse parecer que contrariava interesses do ex-senador Gilberto Miranda (PMDB-AM). Em ofício enviado em 15 de fevereiro de 2012 ao chefe da pasta, Luís Inácio Adams, ela pediu que fosse solucionada divergência entre o órgão e o Ibama sobre a possibilidade de desmatar trecho de mata atlântica para instalar o Terminal Brites, da empresa Santa Rita Terminais Portuários, no Porto de Santos.

De acordo com a Operação Porto Seguro, o grupo ligado ao ex-senador tinha interesse na condução do caso, que poderia servir de precedente em processo no qual pleiteava a instalação de outro terminal na região, o da Ilha de Bagres, também com corte de vegetação. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o ex-diretor da Agência Nacional de Águas (ANA), Paulo Rodrigues Vieira, afirmou que a ministra tratou do assunto com Adams e fez pressão para que a AGU mudasse seu entendimento.

Assinado pelo procurador-geral federal substituto, Antônio Roberto Basso, o primeiro parecer da AGU, de dezembro de 2011, vedava a possibilidade de desmatamento, embora a Lei 11.428 admita, como exceção, o corte em locais destinados a empreendimentos de interesse e utilidade pública. Provocada pelo Ibama, Izabella pediu a Adams, por meio de ofício, "análise conclusiva" do caso, já que o entendimento da AGU se chocava com o do Ibama. Numa nova avaliação, de 7 de março deste ano, o procurador-geral federal, Marcelo Siqueira, alinhou-se ao entendimento do órgão ambiental, tornando sem efeito o parecer anterior. A nova análise foi aprovada por Adams no dia em que foi concluída por Siqueira. Na mesma data, o procurador-geral recebeu em audiência representantes da empresa Santa Rita.

A AGU sustentou ontem que o parecer emitido "decorreu de seu convencimento técnico sobre o tema, não tendo havido qualquer ingerência". O Ministério do Meio Ambiente disse que Vieira tenta desqualificar a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e a própria pasta sem respaldo em fatos. Já Izabella sustenta nunca ter se encontrado com emissários do ex-senador Gilberto Miranda e tratado do projeto de Bagres com Adams ou Siqueira. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Fábio Fabrini
Fonte: AE

Congresso se une e vota mais de três mil vetos de uma só vez

Brasília - A Mesa Diretora do Congresso já confeccionou a cédula de votação, conforme requerimento apresentado na terça-feira (18 de dezembro) pela maioria dos deputados e senadores para que o Parlamento vote nesta quarta-feira (19) os mais de 3 mil vetos presidenciais pendentes de deliberação. A cédula, em formato de livro, com os vetos, tem exatas 463 páginas.

Os parlamentares terão que marcar na cédula uma das três opções (sim, não e abstenção) mais de três mil vezes. A ideia é manter a quase totalidade dos vetos e rejeitar os vetos ao projeto da redistribuição dos recursos dos royalties do petróleo.
É uma tentativa de cumprir a determinação do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal. Em liminar, ele determinou que a votação dos vetos tem que seguir a ordem cronológica da chegada da mensagem presidencial ao Parlamento comunicando os vetos.

 

Autor do mandado de segurança que suspendeu a sessão que aprovou a urgência para análise dos vetos aos royalties, o deputado Alessandro Molon (PT-RJ) prometeu ingressar com nova ação no Supremo. “Não há a menor dúvida que vamos entrar com outro mandado se o Congresso tentar, mais uma vez, boicotar a derrubada dos vetos aos royalties de maneira contrária à Constituição e ao Regimento Comum do Congresso, como foi feito na semana passada”, disse.

Entre os vetos que podem ser apreciados, o mais antigo é do ano 2000 e foi feito pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso a um projeto de lei da Câmara. Portanto, na sessão desta quarta (19), marcada para começar às 12 horas, deputados e senadores devem apreciar vetos dos dois últimos anos do governo FHC, dos oito anos do governo Luiz Inácio Lula da Silva e do período da então presidente Dilma Rousseff.

Com a possibilidade de apreciação dos vetos, a bancada ruralista já está articulando para tentar derrubar os vetos da presidente Dilma ao projeto de lei que trata do Código Florestal. Para isso, precisará da maioria dos deputados e senadores. Outro veto, do ex-presidente Lula, que poderá ser derrubado, e criar constrangimento ao governo, é o que acaba com o fator previdenciário.



Fonte: Agência Brasil/Redação

Planalto vive 'tensão' diante do impasse sobre vetos

Brasília - O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, justificou, em discurso, a ausência da presidente Dilma Rousseff na festa de confraternização de fim de ano dos funcionários do Palácio do Planalto a "momentos de tensão" que estão sendo enfrentados pelo governo com as votações dos vetos que estão sendo apreciados pelo Congresso. "Estamos com dias de muita tensão, com votações de vetos no Congresso e projetos que a gente têm de arrumar até a última hora", disse Gilberto, explicando o motivo de a presidente não comparecer à festa.

O governo ficou aliviado na segunda-feira (17) com a decisão do ministro do STF, Luiz Fux, que concedeu liminar suspendendo a votação da urgência para apreciação do veto parcial de Dilma ao projeto que aprova novas regras para distribuição dos royalties do petróleo. Mas nesta terça-feira (18) vigora um temor de que a liminar possa ser derrubada em algum momento ou que alguma manobra seja realizada para apressar a votação, em bloco, dos mais de 3 mil vetos anteriores.

Depois, ao final da cerimônia, em entrevista, ao ser questionado se o governo temia a derrubada da liminar, o ministro Gilberto respondeu: "a gente não pode saber isso, é muito difícil especular sobre isso". E, em seguida, ressalvou: "Mas a gente tem que estar pronto para qualquer alternativa".

Gilberto Carvalho comentou ainda que a presidente Dilma ainda está muito cansada da última viagem e que tem muitos assuntos para fechar neste final de ano, citando, como exemplo, o pacote de concessão de aeroportos. "Nós estamos na iminência da questão da votação dos vetos. Ela está tendo que analisar com muito carinho, com muito cuidado, essa coisa dos vetos. Estamos discutindo aeroportos, com intermináveis reuniões", explicou o ministro.

O ministro da Secretaria-Geral acrescentou que, na tarde desta terça a presidente gravará o pronunciamento oficial de final de ano, que irá ao ar no Natal. "É isso, esse conjunto de coisas que a gente achou mesmo melhor poupá-la, para poder dar uma descansada. Os dias ficaram muito curtos para muito trabalho", completou Carvalho. A presidente Dilma está, neste momento, no Palácio da Alvorada, na gravação do pronunciamento oficial por ocasião das festas de final de ano, e não deverá voltar hoje ao Planalto.

Tânia Monteiro
Fonte: AE

Congresso votará vetos aos royalties ainda hoje

Brasilia - A presidente em exercício do Congresso Nacional, Rose de Freitas (PMDB-ES) anunciou na tarde desta quarta-feira (19 de dezembro) a suspensão da sessão que pretendia votar em bloco os vetos presidenciais para assegurar a apreciação do veto parcial à Lei dos Royalties, que está em último na fila. Ela convocou nova sessão às 19 horas para dar mais prazo para um entendimento entre as bancadas. "Não dá para ficar nesse ringue de box de agora", disse Rose. "Até porque essa sessão tem erros de procedimento, foi convocada duas vezes e já há sobre a mesa pedidos de discussão para mais de 200 itens", afirmou. "É irracional. O Brasil já viu coisas irracionais aqui, mas essa que está acontecendo agora eu não assino embaixo", disse Rose, que é contra a derrubada do veto presidencial dos royalties.

 

Nesta quarta, o líder do PMDB na Câmara, Danilo Fortes, ameaçou que a bancada não votará mais nada do que for do Congresso até uma definição sobre os vetos, incluindo o orçamento de 2013. As bancadas do Rio e Janeiro e do Espírito Santo, contra a derrubada do veto dos royalties, não aceitam a votação em bloco dos mais de 3 mil que aguardam votação. Se a apreciação fosse de veto a veto seriam necessários 400 dias para se chegar ao veto dos royalties.

A tentativa de se votar os milhares de vetos nesta quarta-feira foi uma resposta à decisão do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, que por meio de liminar suspendeu decisão do Congresso Nacional que aprovou a urgência do veto dos royalties, colocando o assunto como o primeiro da pauta de mais de 3 mil pendências.

Fonte: Agência Estado

Campanha 'Anti Funk' - Humor No FACE