Rio -  O acusado de pedofilia preso na manhã desta quarta-feira pela Delegacia da Mulher (DEAM) de Niterói negou que tenha cometido abuso sexual contra menores. De acordo com a delegada da especializada, Martha Ferreira Dominguez, o homem alegou que o computador com vídeos e imagens pornográficas de menores encontrado em sua casa, onde ele foi preso, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, pertence ao seu filho, de 15 anos, e que não tem controle sobre a máquina do adolescente.
O suspeito é acusado de abusar sexualmente de uma menina de 12 anos. Segundo a polícia, o homem, de 40 anos, fazia uso de perfis falsos em redes sociais, em que se passava por um diretor da TV Globo e atraía as vítimas prometendo participações em novelas da emissora.
De acordo com a polícia, em troca dos trabalhos como atriz, o preso pedia imagens íntimas das menores. De posse do material,  ele passava então a chantageá-las, obrigando que se encontrarem com ele. Nestes encontros, ele estuprava as vítimas.
A polícia começou a procurar o homem depois que a mãe de uma de suas vítimas procurou a delegacia, informando que a menor teria sido estuprada dentro de um hotel no centro de Niterói por um homem que conheceu em uma rede social.
Segundo a delegada, após a comunicação do crime tiveram início as investigações que levaram a identificação do suspeito que foi reconhecido pela vítima. 

Fonte: Jornal O Dia