sábado, 27 de abril de 2013

Atos marcarão três meses da tragédia de Santa Maria

Ato deve mobilizar boa parte da população da cidade neste sábado, dia 27. Vigília, caminhada e missa estão previstos. De acordo com a Associação de Familiares de Vítimas do Incêndio, ato deverá ser repetido todo o dia 27, para que tragédia não seja esquecida.

Às 3h20min, horário que teria começa o incêndio na casa noturna, ocorrerá um minuto de palmas e buzinaços na Praça Saldanha Marinho. O ato se repetirá às 8 horas.

 Atos marcarão três meses da tragédia de Santa Maria thumbnail

À tarde, uma caminhada será realizada a partir das 18h30min até a Basílica da Medianeira, na Avenida Nossa Senhora da Medianeira. Ao longo do trajeto, serão colocadas fita pretas e brancas nos postes, com o objetivo de simbolizar o luto e a paz de amigos e familiares das vítimas. A missa está prevista para começar às 20 horas.
De acordo com o presidente da Associação de Familiares de Vítimas do Incêndio na Boate Kiss, Adherbal Alves Ferreira, o ato deverá ser repetido todo o dia 27, para que a tragédia não caia no esquecimento. “Com a programação queremos mostrar que ninguém esquece a tragédia do dia 27 de janeiro que matou nossos filhos”.

Responsáveis pelo incêndio

A Justiça aceitou a denúncia do Ministério Público que responsabilizou oito pessoas pelo incêndio. Os dois sócios da casa noturna, Elissandro Spohr e Mauro Hoffmann; o produtor musical da banda Gurizada Fandangueira Luciano Augusto Leão; e o vocalista Marcelo de Jesus dos Santos serão julgados por homicídio doloso. Os quatro, que estão presos na Penitenciária Estadual de Santa Maria, irão a júri popular.
O titular da 1ª Vara Criminal do município, juiz Ulysses Louzada, também aceitou a denúncia contra o major do Corpo de Bombeiros Gerson da Rosa Pereira e o sargento da corporação Renan Severo Berleze por fraude processual – ambos foram acusados de incluir documentos na pasta referente ao alvará da boate Kiss após a tragédia.
Serão julgados por falso testemunho o ex-sócio da casa noturna Élton Cristiano Uroda e Volmir Aston Panzer – este era contador da GP Pneus, empresa de propriedade do pai de Kiko Spohr.
A Polícia Civil responsabilizou 28 pessoas, direta ou indiretamente, pelo incêndio. Dessas, 16 foram indiciadas criminalmente. O inquérito também relacionou outras 12 pessoas, como outros bombeiros, secretários municipais e o prefeito de Santa Maria, Cezar Schirmer (PMDB), por indícios de prática de crimes ou irregularidades. Eventuais processos contra elas, no entanto, correrão em foro específico.
Informações de Correio do Povo (Retirado de Novo Hamburgo)

Nenhum comentário: