sexta-feira, 3 de maio de 2013

Deputado neonazista tenta atacar prefeito de Atenas, mas atinge menina

SÃO PAULO, SP, 2 de maio (Folhapress) - O deputado do partido neonazista Aurora Dourada Yorgos Germenis bateu em uma menina de 12 anos após tentar agredir o prefeito de Atenas, Giorgios Kaminis, em uma distribuição de velas da Páscoa ortodoxa na capital grega.
A agressão aconteceu em uma mercearia social da cidade, enquanto Kaminis distribuía velas às crianças. De acordo com testemunhas, Germenis, que também é baixista de uma banda de black metal, entrou no mercado e tentou atacar o prefeito, que se livrou da agressão após a ação dos seguranças.
Testemunhas dizem que, após o incidente, Germenis ainda tentou apontar sua arma ao prefeito. A direção do Aurora Dourada negou a agressão, embora a tentativa de agressão tenha sido gravada por jornalistas que acompanhavam o prefeito. A polícia diz que investigará o caso.
O parlamentar protestava contra a proibição da prefeitura de uma campanha do Aurora Dourada na praça Syntagma, no centro de Atenas, que pretendia distribuir sopa apenas para os pobres gregos, o que foi interpretado como discriminatório.
Os integrantes do Amanhecer Dourado, ignorando os avisos da polícia, iniciaram a distribuição dos alimentos na praça citada, mas acabaram sendo coibidos pelas forças de segurança, que recorreram ao uso de gás lacrimogêneo para dispersar os neonazistas.
Depois do ataque, o prefeito de Atenas disse que a democracia vencerá o que chamou de força bruta, em referência ao partido neonazista.
"A democracia vencerá. A lógica da força bruta que vimos hoje em duas ocasiões, incluindo o incidente envolvendo o deputado, não passará impune".
Em resposta a proibição, o partido neonazista convocou seus militantes para se reunir em sua sede central para dar continuidade a distribuição de alimentos "só para os gregos", uma ação que foi duramente criticada pelos religiosos ortodoxos.
O partido neonazista, que desenvolve um discurso xenófobo e é acusado de promover atos de violência contra imigrantes, conseguiu nas eleições, de junho de 2012, 7% dos votos e 18 deputados. Alguns dos parlamentares ainda são processados por agressões a estrangeiros e adversários políticos.

Fonte: Diário do Sudeste

Nenhum comentário: