sábado, 15 de junho de 2013

PM usa bombas de gás para afastar manifestantes de estádio em Brasília (G1)


Polícia faz cordão de isolamento para impedir passagem de manifestantes no Eixo Monumental de Brasília (Foto: Reprodução/TV Globo)Polícia faz cordão de isolamento para impedir passagem de manifestantes no Eixo Monumental de Brasília (Foto: Reprodução/TV Globo)

Policiais militares do Distrito Federal recorreram a bombas de gás, tiros de balas de borracha e spray de pimenta para tentar dissolver uma manifestação de protesto na manhã deste sábado (15), em Brasília, contra os gastos para a realização da Copa das Confederações no país.
Com cartazes, eles foram inicialmente barrados pela Polícia MIlitar, mas conseguiram chegar próximo ao acesso de torcedores ao Estádio Nacional Mané Garrincha, onde neste sábado Brasil e Japão fazem a abertura da competição.

Fumaça de bomba de gás lacrimogênio que explodiu entre manifestantes (Foto: Vianey Bentes / TV Globo)Fumaça de bomba de gás lacrimogênio que explodiu entre manifestantes (Foto: Vianey Bentes / TV Globo)

Às 12h45, em entrevista à TV Globo, o comandante da Polícia Militar, Jooziel Freire, afirmou que a manifestação estava contida. "Neste momento, temos a situação sob controle. Todos os manifestantes estão contidos em espaço determinado", declarou. Segundo o comandante, "no processo de negociação e no uso progressivo da força", os manifestantes foram se dispersando.

"Quando nós chegamos aqui, ao nosso último ponto de bloqueio, onde não existia mais possibilidade de progressão da parte deles, aplicamos todos os equipamentos que estão sendo aplicados desde a subida da rodoviária. Aqui, é limite para eles, e eles já compreenderam isso", disse Jooziel Freire.
O protesto teve início no piso inferior da estação rodoviária do Plano Piloto. Os manifestantes seguiram em marcha para o Estádio Nacional Mané Garrincha.
Eles chegaram a derrubar uma proteção de metal colocada pelo Detran para impedir a passagem de carros. Alguns usavam máscaras.

Ao lado da Torre de TV, próximo ao estádio Nacional, os manifestantes foram barrados por um cordão de isolamento da polícia. Eles correram para o gramado a fim de contornar a barreira policial.

Manifestantes diante de veículo do Batalhão de Choque da Polícia Militar, em frente ao Estádio Nacional de Brasília (Foto: Vianey Bentes / TV Globo)Manifestantes diante de veículo do Batalhão de Choque da Polícia Militar, em frente ao Estádio Nacional de Brasília (Foto: Vianey Bentes / TV Globo)

Depois, conseguiram se aproximar dos portões do estádio na hora em que foram abertos para a entrada de torcedores. Homens da tropa de choque fizeram nova barreira para impedir a passagem dos manifestantes.
Os manifestantes conseguiram passar por dois cordões da Polícia Militar e outro do Batalhão de Choque, além de várias barreiras físicas. A PM disparou dois tiros de borracha na altura do Eixo Monumental e um terceiro em frente ao estádio.
Depois da abertura dos portões aos torcedores com ingressos, um grupo da Cavalaria da Polícia Militar se posicionou na área de estacionamento, em frente aos acessos do estádio, para auxiliar no bloqueio aos manifestantes.

Manifestante é socorrido por colegas depois de ter sido atingido por spray de pimenta lançado por policiias (Foto: Vianey Bentes / TV Globo)Manifestante é socorrido por colegas depois de ter sido atingido por spray de pimenta lançado por policiias (Foto: Vianey Bentes / TV Globo)

A duas horas e meia do início da partida, os homens da Cavalaria e os policiares militares a pé fechavam um cerco por todos os lados a fim de isolar os manifestantes dos demais torcedores.
A torcedora Lúcia Araújo foi para o estádio assistir ao jogo com a família, mas teve dificuldade para entrar na arena porque a polícia ainda não sabia como iria liberar a entrada.
"Se eles não derem um jeito, engrosso o coro", disse Lúcia. "Acho a manifestação válida", afirmou.
"Manifestações são permitidas no nosso país, que é um país democrático, desde que não comprometam a segurança da população e o sucesso de grande evento", disse o O secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Sandro Avelar.

Mensagem critica gastos feitos no Estádio Nacional no DF (Foto: Vianey Bentes/TV Globo) 
Mensagem critica gastos feitos no Estádio
Nacional no DF (Foto: Vianey Bentes/TV Globo)

Às 13h14, a Coordenadoria de Comunicação para a Copa do Governo do Distrito Federal divulgou nota sobre o episódio. Leia abaixo a íntegra da nota.
NOTA DE ESCLARECIMENTO
Brasília, 15 de junho de 2013

O Governo do Distrito Federal informa:

De acordo com a Policia de Militar do Distrito federal, os cerca de 200 manifestantes que se concentram nas imediações do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha estão contidos e são acompanhados pelas forças policiais.
A Polícia Militar do Distrito Federal fez uso progressivo da força desde as primeiras horas da manifestação, garantido atuação pacífica e o controle absoluto do movimento. Não será permitida a perturbação da ordem pública e nem qualquer tipo de ameaça à realização do jogo e ao público participante dessa grande festa para o Distrito Federal.
Dessa forma, os torcedores que se encaminham ao Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha têm o acesso garantido normalmente. Neste momento, eles ingressam na arena sem qualquer tumulto.
Coordenadoria de Comunicação para a Copa
Governo do Distrito Federal


Manifestante mostra flor a policiais (Foto: Vianey Bentes/TV Globo)Manifestante mostra flor a policiais diante do Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília Foto: Vianey Bentes/TV Globo)

Nenhum comentário: