quinta-feira, 5 de setembro de 2013

PR: sindicato convoca paralisação de policiais por morte de colega

O Sindicato das Classes da Polícia Civil do Paraná (Sinclapol) convocou a categoria a paralisar os trabalhos e participar de uma manifestação na sexta-feira por conta da morte do superintende da Polícia Civil em Campo Largo, Marcos Gogola, assassinado nesta quinta-feira, em uma operação para resgatar um preso.

A manifestação ocorrerá porque Golola morreu enquanto escoltava o preso Dionatan Mendes de Quadros para uma consulta odontológica, o que foi considerado desvio de função pela categoria. 

“A morte de Gogola é culpa da inércia da Secretaria Estadual de Justiça e do Depen (Departamento de Execução Penal do Estado do Paraná), que permitem e mantêm esta situação degradante nas carceragens das delegacias de polícia. Guarda e condução de presos não é obrigação do investigador", disse André Gutierrez, presidente do Sinclapol. 


Nesta sexta-feira, os policiais pretendem acompanhar o velório e sepultamento de Gogola e protestar nas ruas da cidade, mantendo apenas o efetivo mínimo atuando nas delegacias. 

"Hoje, os policiais permanecem em constante risco de morte e perigos reais à saúde física e psicológica. Eles deixam de trabalhar nas ruas, na investigação criminal - o que lhes é atribuído legalmente - para serem verdadeiros babás de presos, correndo riscos de perder a vida, contraírem doenças e serem feridos ou mortos a qualquer instante, como aconteceu com o nobre policial e investigador Marcos Gogola. Estamos indignados com esta situação e vamos cobrar das autoridades legais as devidas medidas", concluiu Gutierrez.

A Polícia Civil e o governo do Paraná ainda não comentaram o caso e a ameaça de paralisação.


Suspeitos presos
A Polícia Civil informou, na tarde desta quinta-feira, a prisão de três homens suspeitos de participação na operação de resgate de Dionatan Mendes de Quadros. Dos três detidos, a polícia confirmou a participação de apenas um no crime. Os outros dois seguem sendo investigados.

Também nesta tarde, o hospital Nossa Senhora do Rocio, em Campo Largo divulgou boletim médico sobre o estado de saúde do agente carcerário Marcos Vieira Nihues, também baleado na ação. Apesar de grave, o quadro do agente é considerado estável.

Fonte: TERRA

Nenhum comentário: