quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Ex-usuários contam histórias de vitória contra o crack, em Mogi

O crack é conhecido por ser uma droga que provoca forte dependência, mas apesar da dificuldade de se livrar do vício, há casos de usuários que conseguem vencer o problema. Em Mogi das Cruzes, Região Metropolitana de São Paulo, a ex-dependente Terezinha Andrade Freitas, de 55 anos, hoje trabalha como faxineira e comemora a nova vida. “Fiquei oito anos morando na rua, bebendo pinga e fumando crack. Agora que a gente está fora é que vê a feiúra que a gente fazia”, afirma.
Terezinha conta que perambulava nas ruas de Mogi das Cruzes ao lado do marido, também dependente químico. 'Eu tomava dois banhos por semana, às vezes um só e tinha vezes que eu ficava semanas sem tomar banho”. Ela deixou as ruas há cinco anos e diz que deve a mudança à assistente social Vera Lúcia de Freitas.

terezinha e assistente social (Foto: Pedro Carlos Leite/G1)
A assistente social Vera Lucia ajudou a
ex-dependente química Terezinha Andrade (à direita),
que hoje trabalha e deixou o vício para trás.
(Foto: Pedro Carlos Leite/G1)


“Fizemos um trabalho de insistência. Ela começou a ficar muito enfraquecida, doente mesmo. A Terezinha e o esposo perceberam que tinham que parar. Hoje eles ainda são acompanhados pela Secretaria de Assistência Social e participam de programas de transferência de renda”, explica a assistente Vera. A ex-moradora de rua diz estar feliz. “Hoje tenho meu barraquinho e trabalho, tenho outra vida”.

vanderli ex-usuaria (Foto: Pedro Carlos Leite/G1) 
Vanderli Duarte hoje é monitora da Assistência Soci-
al, depois de morar na rua por 20 anos (Foto: Pedro Carlos Leite/G1)
 
De usuária a monitora
Outra história de superação é a de Vanderli Pereira Duarte, de 44 anos. Ela conta que morou nas ruas por 20 anos e foi usuária de crack. “Perdi família, casa, fui presa... Vi muita coisa e ainda vejo pessoas que estavam na rua na minha época”.
Vanderli deixou as ruas há 13 anos e hoje trabalha como monitora da Secretaria de Assistência Social, recebendo os usuários de drogas e moradores de rua que chegam ao Centro Pop, órgão da Prefeitura que faz uma espécie de cadastramento destas pessoas. “Quem me ajudou foram meus filhos e Deus. Já ajudei bastante gente, levei pessoas de volta para a família”, se orgulha.
Hoje Vanderli avalia os estragos provocados pela droga. “O crack na vida da gente acaba com o corpo e acaba psicologicamente. As pessoas não sabem como lidar com a gente, mas o que a gente precisa é de um desabafo”.

Internação
O governador Geraldo Alckmin assinou termos de cooperação técnica com o Tribunal de Justiça de São Paulo, Ministério Público e Ordem dos Advogados de Brasil (OAB) no dia 11 de janeiro para apressar a internação de dependentes de crack.

Segundo o governo, os viciados serão avaliados por médicos, que vão oferecer tratamento adequado. Se for atestado que o usuário não tem domínio da sua própria saúde e condição física e este se negar a receber tratamento, o juiz poderá determinar sua internação imediata. A medida deverá ser tomada sempre em conjunto com a família do viciado.
A Secretaria de Assistência Social de Mogi das Cruzes afirmou que houve aumento no número de abordagens no município depois que um posto foi estruturado na região central da capital para agilizar as interdições.

Fonte: G1

Saúde investiga três casos suspeitos de morte por dengue em MS

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) investiga três mortes que podem ter sido causadas por dengue neste ano em Mato Grosso do Sul. Segundo a assessoria de imprensa do órgão, as vítimas são uma mulher de 45 anos, uma idosa de 61 anos e um idoso de 64 anos.
Ainda segundo a assessoria, as vítimas passaram por exame necroscópico e  os laudos devem revelar a causa da morte de cada uma delas. A três pessoas morreram no Hospital Regional, em Campo Grande.

O número de notificações de dengue chegou a 10.584 na capital, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau). O dado é referente ao período de 30 de dezembro de 2012 até 21 de janeiro de 2013.

A prefeitura de Campo Grande publicou, na edição de segunda-feira (21) do Diário Oficial (Diogrande), o decreto de situação de emergência “caracterizada como desastre biológico de epidemia de dengue”. A publicação é válida por 180 dias.

Fonte: G1

Índice de mortes causadas pelo cigarro entre mulheres iguala o de homens

De acordo com cientistas do St. Michael’s Hospital, no Canadá, fumantes crônicos perdem 10 anos de vida comparado com pessoas que nunca tiveram esse hábito.
Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)
Um estudo realizado por pesquisadores britânicos apontou que, pela primeira vez, o índice de mortes de mulheres fumantes se igualou ao dos homens dependentes do cigarro.

 Índice de mortes causadas pelo cigarro entre mulheres iguala o de homens thumbnail
A análise publicada na revista científica New England Journal of Medicine também revelou que as mulheres fumantes têm, atualmente, mais chances de morrer por causa do vício do que nos anos 60. Dentre os principais motivos estão as mudanças de hábito, o início da dependência mais precoce e o número de cigarros tragados.
Para realizarem a pesquisa, cientistas analisaram os dados de mais de dois milhões de fumantes do sexo feminino nos Estados Unidos. Segundo o especialista responsável pela análise, Michael Thun, “o forte aumento do risco entre as fumantes mulheres tem se mantido por décadas, mesmo depois de se identificarem os graves riscos à saúde decorrentes do tabagismo”.
Informações de BBC

Isis Valverde foi internada, mas já passa bem

Parece que carga excessiva de trabalho começou a interferir no bem estar de Isis Valverde. Na tarde desta quarta-feira, 23, a atriz teve que cancelar uma entrevista com a apresentadora Marília Gabriela e ser levada para o Hospital Samaritano, em São Paulo.

A atriz foi diagnosticada com uma sinusite bacteriana, mas recebeu alta no mesmo dia. No entanto, Isis descumpriu ordens médicas e voou para o Rio de Janeiro para receber o colo da mãe.




Isis recentemente pediu para sair do elenco da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém, alegando cansaço.

"Devido à estafa ocasionada pelo excesso de stress e fadiga acumulados ao longo de meses de intensos trabalhos em novela, minissérie e campanhas publicitárias, Isis Valverde resolveu desistir de fazer o papel de Madalena na Paixão de Cristo de Nova Jerusalém, em Pernambuco", lia-se no comunicado divulgado na época.

A atriz não cancelou nenhum dos compromissos agendados para a próxima semana.

Fonte: O Povo

Jornalista italiano enviou foto falsa de Chávez publicada pelo 'El País'

O jornalista italiano Tommasso Debenedetti confessou nesta quinta-feira que enviou para três agências de notícias da América Latina a foto falsa do presidente Hugo Chávez publicada na capa do jornal espanhol El País. Em entrevista à agência mexicana Notimex, ele afirmou que, ao enviar a imagem, se passou pelo ministro de Cultural da Venezuela, Pedro Calzadilla, e que seu objetivo era “verificar a rigorosidade dos veículos quando decidem publicar um material fotográfico”.
 A foto falsa do presidente Hugo Chávez foi publicada na capa do jornal espanhol El País Foto:  / Terra

Entenda o impasse na Venezuela
O que aconteceu desde a última partida de Chávez a Cuba?
Adiamento de posse preenche vácuo constitucional venezuelano

“A foto falsa de Chávez, que tirei de um vídeo do YouTube, enviei na semana passada a uma agência da Costa Rica, à agência estatal venezuelana e para a Prensa Latina (cubana) e nunca imaginei que iria terminar na capa do El País”, disse o jornalista. Ele acrescentou que nenhuma das três agências publicou a foto em questão e que “por estranhas circunstâncias” a imagem apareceu na primeira página de “um jornal tão importante como o El País”.
O jornal El País, de maior circulação da Espanha, admitiu ter errado ao publicar a foto em suas versões impressa e online. O diário não disponibilizou assinatura do autor da imagem, pois afirmou "não poder verificar de forma independente as circunstâncias em que (a foto) foi tirada, tampouco o momento preciso e o lugar". Segundo o diário, "as particularidades políticas de Cuba e as restrições informativas impostas pelo regime tornaram isso impossível."
O jornal comunicou, em nota, que retirou a foto do seu website após meia-hora no ar. O grupo espanhol disse, ainda, que interrompeu a distribuição de sua edição impressa e enviou uma nova versão para os pontos de venda.

Em sua página do Twitter, Pedro J. Ramirez, diretor do jornal El Mundo, afirmou que a foto lhe foi oferecida, mas se recusou a publicá-la sem apuração: "ontem nos ofereceram uma foto de Chávez entubado. Dissemos não. Como se vê, outro veículo aceitou", escreveu, enquanto a imagem ainda não havia sido retirada do ar pelo concorrente El País.
Debenedetti foi o autor de outras “pegadinhas” similares com a imprensa. Ele já criou rumores sobre a morte do ex-presidente de Cuba, Fidel Castro, do escritor colombiano Gabriel García Márquez e criou perfis falsos de personalidades como os escritores Mario Vargas Llosa e Umberto Eco. Ele também já se passou, nas redes sociais, pelos escritores Paco Ignacio Taibo II, Almudena Grandes, Laura Esquivel e Isabel Allende, além de inventar entrevistas com outras personalidades. O jornalista argumenta que seu objetivo é denunciar a falta de controle da informação e facilidade para implantar notícias falsas na internet.
O presidente venezuelano se encontra hospitalizado em Cuba desde 11 de dezembro, quando foi submetido a uma intervenção cirúrgica por conta de um câncer. Desde que foi internado, Chávez não aparece em público, nem mesmo em fotos. Nos últimos dois meses, diversas falsas informações foram divulgadas sobre o estado de saúde do presidente. um vídeo, cuja veracidade também nunca foi comprovada, foi publicado no YouTube e mostra um homem rodeado de aparelhos com o título "Chávez terapia intensiva". Uma montagem do presidente venezuelano em um caixão também circulou no Twitter há algumas semanas.
Com informações da teleSUR e do jornal La Jornada.
 
Fonte: TERRA

Zezé Polessa chega à delegacia para prestar depoimento

A atriz chegou à delegacia acompanhada de advogados pessoas e de advogada da TV Globo. Zezé não quis dar entrevista. Ela alegou que era esperada pelo delegado e afirmou que tudo será esclarecido.

Atriz chega na 32ª DP, na Taquara | Foto: Philippe Lima / Ag. News
Atriz chega na 32ª DP, na Taquara | Foto: Philippe Lima / Ag. News
Atriz não teria sido deixada no Projac, segundo delegado
Mais cedo, o delegado assistente da 32ª DP, Maurício Mendonça, disse que, com base no depoimento de testemunhas ouvidas, a atriz Zezé Polessa não foi deixada pelo motorista Nelson Lopes, de 63 anos, nos estúdios da TV Globo no Projac, no último dia 15, como havia contado uma suposta testemunha.
Caso fique constatado que a atriz destratou o motorista mesmo após ser informada que ele sofria de problemas cardíacos, Zezé poderá responder por homicídio culposo, sem intenção de matar.
Ex-motorista de Zezé Polessa, Nelson Lopes morreu após sofrer infarto. Família diz que idoso passou mal após discussão com atriz | Foto: Reprodução
Ex-motorista de Zezé Polessa, Nelson Lopes morreu após sofrer infarto. Família diz que idoso passou mal após discussão com atriz | Foto: Reprodução
O  supervisor da empresa Riviera, Hildebrando dos Santos, que fornece os motoristas à TV Globo, prestou depoimento nesta quinta-feira na delegacia.
Em seu depoimento, ele disse que Nelson buscou a atriz em casa e a levou para o posto 10 da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, onde estaria agendada uma gravação. Ao chegar lá, não havia equipes da TV no local. O motorista ligou então para Hildebrando, que o explicou que havia cometido um erro e que a gravação seria próximo à ponte Lúcio Costa, também na Barra.
Hildebrando disse ainda que na ocasião chegou a falar ao telefone com Zezé polessa e ela não aparentava estresse.
O produtor da TV Globo, Vitor Lima, que teria recebido a atriz no local da gravação, próximo à Ponte Lúcio Costa também prestou depoimento nesta quinta.
O produtor afirmou que não ouviu qualquer queixa por parte da atriz com relação ao motorista e que ela parecia com o humor normal. Segundo Vitor, o supervisor da Riviera o telefonou pouco tempo depois e perguntou se poderia liberar Nelson, que estava passando mal e gostaria de ir para casa. Vitor então, teria dito que não havia problema algum.
As afirmações do delegado e das testemunhas ouvidas nesta quinta, no entando, contrariam o que disse um outro motorista que presta serviço para a TV Globo. O mortorista afirmara ter visto a atriz discutir com Nelson ao descer do carro na portaria 3 do Projac.
“Zezé faz isso com todos os motoristas. Ele era novo aqui e ficou com medo de perder o emprego. Todo mundo ouviu o escândalo. Ela disse que não queria mais ser atendida por ele. Só que, na verdade, nenhum motorista quer atender ela”, contou C., que pediu para não ser identificado. 

Motorista já estaria passando mal antes de ir trabalhar
Nesta terça-feira, o delegado Maurício Mendonça afirmou que de acordo com o depoimento dos filhos do motorista, ele já estava passando mal antes de ir trabalhar.
"Já ouvimos os dois filhos do falecido. Eles disseram que o pai já estava passando mal antes de ir trabalhar. Ele teria dito por telefone aos filhos que continuva passando mal e que iria ao Hospital Lourenço Jorge após deixar Zezé Polessa no local da gravação. A investigação tenta esclarecer se há ligação entre o desentendimento com a atriz e a morte dele", explicou.


Fonte: Jornal O Dia

Morreu a atriz Alda Pinto aos 82 anos

Segundo Manuela Maria, da Casa do Artista, Alda Pinto era uma das sócias fundadores da instituição.
"Ela estava muito debilitada, e como vivia sozinha e neste momento não tinha condições para estar em casa, veio para aqui", disse-nos. "Infelizmente, nem teve tempo para beneficiar da instituição."
Natural do Porto, Alda Pinto fez teatro de revista, integrou as companhias de Vasco Morgado e do Teatro ABC, com as quais fez digressões às ex-colónias portuguesas em África.
Na companhia de Vasco Morgado, entre outras peças, integrou o elenco de 'A Flor do Cacto', de Pierre Barillet e Jean-Pierre Grédy, na qual contracenou entre outros, com Laura Alves, Paulo Renato, Carlos José Teixeira e Alina Vaz.

 

Na década de 1980 integrou o elenco da comédia 'Há Petróleo no Beato', protagonizada por Raul Solnado. O sucesso desta peça, escrita pelo próprio Solnado, por Gonçalves Preto, Júlio César e Francisco Mata, "justificou a sua gravação pela RTP em 1986", segundo a Videofono, que a editou em DVD.
Mais recentemente, integrou a série televisiva 'Médico de Família', apresentada na SIC de 1998 a 2000 e na qual participaram entre outros, Fernando Luís, Rita Blanco, Henrique Mendes e Ricardo Carriço.
Alda Pinto fez dupla com a atriz Maria Dulce, falecida em 2010, no programa 'Grande Noite', de Filipe la Feria, apresentado na RTP em 1993.

Fonte: Correio da Manhã

Resultado do paredão: Dhomini saiu!

Felizmente, o Dhomini (40, vencedor do BBB3) foi eliminado no paredão desta terça-feira (22) com 54% dos votos, perdendo para Anamara, que ficou com 46%.
Agora, vamos pensar... o que ele quer aí no BBB13, se ele já ganhou R$500.000?
Foi muito bom ele ter saído!
Fiquem de olho no BBB!

Morreu “irmã Maria”, a freira espanhola acusada de roubar bebés

A freira María Gómez Valbuena, conhecida em Espanha com “irmã Maria”, acusada em vários casos de roubo de bebés, morreu em Madrid aos 88 anos, segundo informaram fontes do convento das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, a que pertencia.
A freira, que estava “muito doente” segundo as mesmas fontes citadas pelo El Mundo, tinha alegado “motivos de saúde” para não comparecer em tribunal no passado dia 18 de Janeiro, como indiciada depois de uma denúncia apresentada por Purificación Betegón pelo alegado desaparecimento das suas filhas gémeas que deu à luz na Clínica de Santa Cristina em 1981.
A “irmã Maria” só compareceu em tribunal uma vez por causa dos casos dos bebés roubados. Foi a 12 de Abril passado, no processo avançado por María Luisa Torres, que depois de encontrar a sua filha num programa de televisão, denunciou o roubo do seu bebé depois de dar à luz em 1982 também na Clínica de Santa Cristina. Mas nessa ocasião a freira não falou, resguardando-se no seu direito a não fazer declarações.
Escreve o El Pais que a “irmã Maria” morreu em silêncio, sem dar às mães que a acusavam de lhes ter roubado os bebés nenhuma pista sobre o paradeiro dos seus filhos.
Mas o nome desta freira nunca mais irá ser esquecido pela mães que há 30 e 40 anos saíram do hospital sem os seus bebés, convencidas que estes tinham morrido durante o parto, como lhe tinha sido comunicado. Mães que, recorda o El País, viveram durante anos meias enlouquecidas, convencidas afinal que os seus filhos não tinham morrido, que aquela irmã sorridente lhes tinha roubado os seus bebés.

 

A “irmã Maria” trabalhava como assistente social na clínica de Santa Cristina e colaborava com a de San Ramón, dirigida pelo médico Eduardo Vela, outro dos nomes que mais se repetem nas denúncias por roubo de bebés. À freira recorriam casais de toda a Espanha frustrados com as dificuldades de adoptar pelos canais tradicionais e grávidas em apuros (mulheres divorciadas, jovens mães solteiras). Foi acusada de tirar a umas para dar aos outros.
Raparigas engravidadas pelos patrões ou jovens expulsas de casa depois de os pais terem conhecimento da sua gravidez eram presas fáceis. As grávidas eram encaminhadas para uma pensão em Madrid onde havia sempre quartos reservados em nome da “irmã Maria”. Um apartamento no bairro de Salamanca, também na capital espanhola, era utilizado para o mesmo fim. Só saíam para as consultas com o dr. Vela e no final da gravidez para a sala de partos.
Alguns dos pais que adoptaram bebés nascidos destas mulheres guardaram as facturas que a “irmã Maria” lhes passou pelas despesas delas. Alejandro Alcalde, que adoptou a filha de Maria Luisa, Pilar, pagou quase 100 mil pesetas em 1982 por “gastos no parto, anestesia…”. É ele que recorda a “irmã Maria” como alguém com uma “terrível frieza”, segundo o El País. A freira ofereceu-se para trocar o bebé por outro porque Pilar tinha nascido doente.
A única vez que a freira se pronunciou sobre as acusações que lhe eram feitas foi numa nota escrita enviada para a imprensa, onde defendia a sua inocência e garantindo que lhe “repugnava” a separação de um bebé da sua mãe biológica.

Fonte: Público

Sonho de baixinho: Rodrigo Simas recorda caravana com os irmãos ao palco de Xuxa

Todo baixinho que acompanhava o 'Xou da Xuxa' ou o 'Xuxa Park' sonhava em conhecer os palcos dos programas de Xuxa Meneghel  e descobrir todo o mecanismo por detrás daquele que parecia ser o mundo encantado da Rainha. Sorte de Bruno Gissoni, Rodrigo e Felipe Simas que puderam sentar do ladinho da loura em seu estúdio quando ainda eram pequenos.
Enquanto Xuxa entrevista Beto Simas, Bruno Gissoni (de azul), Felipe e Rodrigo Simas observam tudinho, no palco da Rainha. Fofura pura!
Enquanto Xuxa entrevista Beto Simas, Bruno Gissoni (de azul), Felipe e Rodrigo Simas observam tudinho, no palco da Rainha. Fofura pura!
Há alguns anos atrás, Xuxa recebeu em seu programa Beto Simas, pai do trio de rapazes (muito) bem apessoados, quando ele ainda era ator. Atualmente, Beto é melhor conhecido mundialmente como Mestre Boneco, grande capoeirista brasileiro.
O momento 'do fundo do baú' foi de Rodrigo, que nos mostrou essa foto em seu perfil no Instagram. Não é para morrer de fofura com este trio?

Fonte: Jornal do Brasil