domingo, 27 de janeiro de 2013

Sanfoneiro está entre as vítimas do incêndio em Santa Maria (RS)

Do R7
Reprodução/Rede Record Danilo Jackson está entre as vítimas confirmadas pelo governo do Rio Grande do Sul
O músico, Danilo Jackson, sanfoneiro da banda Gurizada Fandangueira, está entre as vítimas do incêndio da boate Kiss. A tragédia aconteceu na madrugada deste domingo (27) em Santa Maria (RS). O nome do músico apareceu na lista preliminar de vítimas divulgada pelo governo do Rio Grande do Sul.
De acordo com a assessoria de imprensa do governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, o número de vítimas da tragédia é de 233 pessoas. O incêndio atingiu a boate durante a apresentação da Gurizada Fandangueira, quando fogos de artifício foram acionados, causando incêndio no local.
Mais cedo no domingo, havia a informação de que o irmão do sanfoneiro estaria na fila de reconhecimento, montada para atender familiares das vítimas desaparecidas, tentado localizar o músico.

Fonte: R7 Oficial

Boate Kiss lamenta tragédia em comunicado

Divulgação/Facebook
Boate Kiss em festa do dia 25 de janeiro de 2013
Boate Kiss em festa do dia 25 de janeiro de 2013

Santa Maria - A administração da discoteca Kiss, na cidade de Santa Maria (RS), onde aconteceu na madrugada deste domingo um incêndio que deixou pelo menos 233 mortos e 106 feridos, lamentou o incidente e informou que seus trabalhadores estão 'devidamente treinados e preparados para qualquer situação de contingência'.
Em comunicado publicado em sua página do Facebook, a Kiss assegurou que a prioridade da discoteca é prestar toda a assistência possível aos sobreviventes e às famílias das vítimas e que por isso está facilitando toda a informação possível assim como uma 'equipe multidisciplinar', formada por psicólogos, médicos e assistentes sociais, entre outros.
Além disso, a discoteca defendeu sua equipe de trabalhadores, dos quais disse que 'possuem a mais alta qualificação técnica e estão devidamente treinados e preparados para qualquer situação de contingência'.
O comunicado termina informando que suas operações estão suspensas 'por tempo indeterminado' e que estão à disposição das autoridades 'obviamente' para esclarecer os fatos que causaram a tragédia.
Segundo as primeiras investigações, o incêndio começou por volta das 2h30 quando foi aceso no palco da discoteca um material pirotécnico conhecido como 'chuva de prata', cujas faíscas atingiram a espuma utilizada como isolante acústica no teto do estabelecimento. EFE

Ex-BBB Serginho afirma que André é bissexual

Tribuna Hoje - O ex-BBB Serginho parece ter ficado ofendido com os comentários de André dentro da casa do Big Brother Brasil 13. Depois que o galã criticou o jeito afeminado do twitteiro, o rapaz colocou em dúvida a sexualidade do bonitão.
Na noite de quinta-feira (24), Serginho revelou que soube que o capixaba é bissexual. O ex-BBB disse ainda que o brother já teria até namorado um homem.
“Uma fonte segura me disse que o André do BBB  é bissexual, já foi flagrado beijando homem em boates do Rio de Janeiro e namorou escondido um homem mais velho antigamente. Olha! Parece que o príncipe é princesa, então", postou em seu Twitter.

 Ex-BBB Serginho alfineta André após comentários do sister

A repercussão do comentário levou Serginho a não comentar mais o assunto por receio de ser processado. "Assunto encerrado! Apenas contei o que chegou a mim. Se eu contasse tudo que sei e tudo que me falam eu ia ganhar oito processos por dia".
No reality, André vive fugindo de Fernanda. O rapaz alega que nunca namorou e que a loira não faz seu tipo. Ainda assim, sempre que bebe, ele troca beijos ardentes com a sister.

BBB13: André curte o apelido de príncipe na casa

Líder do MST é executado no Rio e jogado no meio da estrada

Um militante do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) foi assassinado na noite de sexta-feira (25) emCampos dos Goytacazes, no Norte Fluminense. Cícero Guedes dos Santos era um dos líderes do movimento no assentamento nas terras da usina Cambayba, em Martins Lage, na divisa da cidade com o município de São João da Barra. Cícero foi atingido com vários tiros na cabeça e encontrado em uma estrada vicinal.
Segundo pessoas próximas à vítima, Cícero teria sido visto pela última vez por volta das 22h, andando de bicicleta entre os lotes do Assentamento Oziel Alves, acampamento montado pelos sem-terra dentro da usina.
De acordo com o MST, a morte pode ter sido ocasionada pela disputa da terra. Os sem-terra pediam a desapropriação de parte da propriedade de 2.800 hectares considerada improdutiva pelo Incra. Desde o ano 2000, o MST ocupa uma parte do terreno da usina,e desde então o caso está em disputa na Justiça. Cícero foi um dos coordenadores da ocupação.

 Militantes do MST pedem desapropriação da Usina Cambaíba, em Campos dos Goytacazes

O delegado da 134ª Delegacia de Polícia de Campos dos Goytacazes, Geraldo Rangel, que acompanha o caso, informou que a investigação trabalha com hipótese semelhante à levantada pelos sem-terra.
Segundo o delegado, a quebra do sigilo telefônico de Cícero Guedes vai ser solicitada, já que ele descartou a hipótese de latrocínio e acredita que o crime tenha mesmo ligação com o movimento sem-terra.
De acordo com a professora de Serviço Social da Universidade Federal Fluminense, Ana Costa, que acompanhava as intervenções do grupo na cidade, R$ 570 em dinheiro e notas fiscais - originárias da comercialização da produção do MST -, foram encontradas no bolso da vítima.
"O dinheiro não foi mexido e por isso só pode ter sido morte encomendada. Foi encontrado projétil debaixo do corpo. Vamos desencadear todo o esforço que pudermos para não deixar esse crime impune", afirmou a professora.
O diretor do Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF) e também integrante do MST há 20 anos, Luiz Carlos Mendonça, afirmou que já tinham ocorrido ameaças a integrantes do movimento. “Logo que ocupamos as terras no dia 1 de novembro, na primeira semana sofremos ameaças de pessoas, registramos queixa na delegacia e a partir daí começamos a tomar as precauções para nossa integridade”, disse. Ainda segundo ele, uma guarnição da polícia teria sido solicitada para que ficasse na entrada do assentamento.
Em nota oficial, o MST se pronunciou sobre o assassinato. "A morte da companheiro Cícero é resultado da violência do latifúndio, da impunidade das mortes dos Sem Terra e da lentidão do Incra para assentar as famílias e fazer a Reforma Agrária".
Enterro
Segundo a família, a previsão é de que o enterro de Cícero Santos aconteça no domingo (27), entre os horários de 10h e 12h. O local do velório ainda está para ser definido e deve ser realizado ou no assentamento Zumbi dos Palmares, em Campos dos Goytacazes, ou na sede do Sindipetro-NF, também na cidade.

Renan Calheiros é denunciado por fraude em pagamento de pensão

O líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República por supostamente usar notas fiscais frias para comprovar pagamentos de pensão alimentícia feitos por um lobista. A denúncia chegou até o Supremo Tribunal Federal (STF) na sexta-feira e caberá ao ministro Ricardo Lewandowski aceitá-la ou não.
Calheiros tem um filho fruto de um relacionamento com a jornalista Mônica Veloso. As denúncias surgiram em 2007, quando o valor da pensão era de R$ 12 mil. Este foi o mesmo motivo que levou o senador a renunciar ao comando do Senado naquela época.
A bomba voltou a explodir uma semana antes da eleição para a presidência do Senado, marcada para o início de fevereiro. Favorito para assumir o posto, Renan Calheiros afirmou, através de nota oficial, que a denúncia é suspeita e tem natureza política.
"O inquérito é de agosto de 2007 e, apesar de se encontrar parado na Procuradoria da República desde fevereiro de 2011, a denúncia foi protocolada exatamente na sexta-feira anterior à eleição para a presidência do Senado Federal. Trata-se de atitude totalmente incompatível com o habitual cuidado do Ministério Público no exercício de suas nobres funções", diz a nota.

Fonte: Sidney Resende

Shakira deixa clínica onde teve seu filho Milan em Barcelona

A cantora colombiana Shakira deixou neste domingo a clínica de Barcelona, onde na terça-feira passada deu à luz seu primeiro filho, Milan Piqué Mebarak, como pôde constatar a Agência Efe e confirmaram fontes do hospital.
A cantora, seu namorado, o jogador do F.C. Barcelona Gérard Piqué, e o primeiro filho do casal deixaram o centro hospitalar no início da tarde em um veículo 4x4 preto e com os vidros tingidos dirigido por um irmão de Shakira.
O veículo não saiu pelo estacionamento da clínica, mas por uma saída junto às rampas onde entram e saem as mercadorias da clínica Teknon, mas nem assim evitou a multidão de jornalistas, fotógrafos, câmeras de televisão e curiosos que se estavam nas imediações.
 
Fonte: TERRA

Garoto de 15 anos morre com suspeita de dengue hemorrágica no interior de MS

Vinícius de Paula, de 15 anos, morreu por volta das 19h30min desta sexta feira (25), no Hospital da Vida em Dourados, com suspeita de dengue hemorrágica. Conforme sua mãe, Maria José de Paula, ele foi transferido do Hospital Regional de Nova Andradina por volta das 11h30min de ontem.
De acordo com Maria, o jovem passou mal na noite de terça feira (22) e foi levado para o Hospital Regional, onde foi atendido por um médico plantonista, que diagnosticou a suspeita de dengue. Vinícius tomou os medicamentos receitados, mas voltou à unidade de saúde no dia seguinte, ocasião em que foi examinado e liberado.

 foto

“Eles nem fizeram exames no garoto. Não procuraram saber se realmente a dengue era grave, somente receitaram alguns remédios e liberaram”, desabafou a mãe.
Na sexta feira (25), Vinícius passou mal e, novamente foi levado para o hospital, às 5h30min. Ele foi atendido e transferido para o Hospital da Vida.
“Lá deixaram meu garoto sem atendimento necessário. Ele precisando de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e não havia vaga. Fomos até ao Hospital Universitário, quando retornamos para o Hospital da Vida, meu filho já tinha falecido. Foi um descaso total com a vida dele”, reclamou Maria.
No atestado de óbito de Vinícius consta que ele morreu em decorrência de parada cardíaca, hipertensão e dengue.
Já a secretaria de vigilância de epidemiologia do município informou que ainda não foi notificada pelo Hospital da Vida com relação a morte causada por dengue. O departamento também garantiu que irá se manisfestar sobre o episódio na próxima segunda-feira (28).

Fonte: Correio do Estado

Suicídio de hacker nos EUA gera críticas a promotores

O grupo de hackers militantes Anonymous invadiu, na manhã deste sábado (26/1), o site da Comissão de Sentenças do Departamento de Justiça dos EUA. O motivo foi se vingar da morte do programador Aaron Swartz, também um hacker, cuja militância era a favor da liberdade na Internet, segundo os sites da CBS News e do The Christian Monitor.
O grupo colocou uma mensagem no site do Departamento de Justiça, criticando o sistema judicial americano. Parte da mensagem dizia:
"Cidadãos do mundo. O Anonymous vem observando, já há algum tempo, a trajetória da Justiça nos Estados Unidos, com crescente preocupação. Observamos o abandono pelo sistema dos nobres ideais para os quais foi criado e consagrado. Observamos a erosão do devido processo, a diluição dos direitos constitucionais, a usurpação da autoridade legítima dos tribunais, ao arbítrio dos promotores. Observamos como a lei é usada menos e menos para preservar a Justiça e mais e mais para exercer o controle, a autoridade e o poder dos interesses de opressão e ganhos pessoais".
O site da Comissão de Sentenças do Departamento de Justiça foi retirado do ar, por volta das 11h.
Swartz, criador do RSS e cofundador do site Reddit, suicidou-se em 11 de janeiro, um mês antes da data marcada para comparecer a um tribunal para se defender em uma ação judicial movida contra ele por uma procuradora federal de Boston. Swartz defendia a tese de que a Internet deve ser um meio de distribuição gratuita de conhecimentos.
Por haver invadido o site do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) e de tribunais, para baixar em seu computador milhares de documentos que só podiam ser baixados com o pagamento de uma taxa — e depois torná-los públicos gratuitamente na Internet — a promotora moveu a ação judicial contra ele, pedindo uma pena exemplar: multa de US$ 4 milhões e 50 anos de prisão.
O exagero da pena causou revolta não só na comunidade tecnológica, mas também na comunidade jurídica. Professores universitários, advogados e juízes estranharam uma pena tão grande para uma atividade que sequer é considerada criminosa. É considerada apenas uma quebra de contrato entre os proprietários dos sites invadidos e os usuários desses sites. Há uma presunção de que a procuradora Carmen Ortiz estava pensando mais em seus ganhos próprios, como menciona a mensagem do Anonymous, do que na punição de Swartz à altura de seu erro.
O caso preocupa até os próprios promotores e procuradores do país que, às vezes, veem alguns de seus colegas tentarem transformar um caso comum, que envolve uma celebridade, em um grande show, para se colocarem sob os holofotes. Alguns deles partem para uma carreira política, depois de um grande sucesso nacional.
Mas esse caso especificamente disparou um processo que pode não ser bom para a classe. Muitos da comunidade jurídica — especialmente juízes — querem acabar com o "poder discricionário" que a lei dá a promotores e procuradores. Um deles é o de estabelecer penas e multas extremamente altas, para negociar uma confissão de culpa, em troca de penas mais leves. Assim, a grande maioria das penas, em casos criminais, é estabelecida por promotores e procuradores, não por jurados ou juízes.

Fonte: ConJur

Calma retorna às principais cidades após mais de 30 mortes

SÃO PAULO, SP, 27 de janeiro (Folhapress) - A televisão estatal do Egito informou que a calma voltou às principais cidades egípcias hoje, após dois dias de protestos violentos. No sábado (26), mais de 30 pessoas morreram em confrontos com a polícia em Port Said, a nordeste do Cairo.
Os confrontos de ontem aconteceram após a condenação à pena de morte de 21 suspeitos de envolvimento no massacre no estádio da cidade, em fevereiro de 2012. No incidente, 74 pessoas morreram depois de uma briga entre as torcidas do Al Ahly e do Al Masry, no que foi a maior tragédia do futebol egípcio.
Em Port Said, familiares dos mortos nos protestos preparavam os velórios das vítimas, segundo o porta-voz do Ministério da Saúde, Abderrahman Farah. A cidade está ocupada desde sexta por tropas do Exército, que vigiam especialmente os prédios do governo.
Os protestos violentos foram desatados depois da divulgação do veredicto, na tarde de ontem. Amigos e familiares das vítimas saíram do tribunal da cidade e tentaram atacar a prisão onde os condenados estão presos. Também foram alvo delegacias de polícia e prédios de governo.
Outras 300 pessoas ficaram feridas na ação. O Ministério da Saúde informou que a maioria dos mortos são civis que foram baleados durante os confrontos, em um tiroteio entre os manifestantes e a polícia. Pelo menos dois agentes morreram na ação.
Em outras cidades, a segurança também foi reforçada pelos militares após confrontos violentos na sexta (24) que mataram nove pessoas no Cairo. As mortes ocorreram durante manifestações de opositores contra o presidente Mohamed Mursi e em lembrança aos dois anos da revolta contra o ex-ditador Hosni Mubarak.
Na capital, o trânsito foi restabelecido na região central, onde fica a praça Tahrir, cenário da maioria das mortes. Neste domingo, houve pequenos confrontos na região, mas sem registro de vítimas ou detidos.
A agência de notícias Mena informa que voluntários e integrantes de partidos políticos se mobilizaram para proteger prédios do governo e estabelecimentos comerciais. Os presos de uma delegacia fugiram após a invasão do local por manifestantes.
Condenação
Os acusados ainda podem recorrer contra a condenação, que será enviada ao mufti (líder islâmico supremo) egípcio, que rejeitará ou respaldará a decisão judicial. Outros 52 acusados ainda serão julgados em 9 de março, incluindo três agentes de segurança suspeitos de envolvimento no massacre.
A sentença foi lida em clima tenso, pois torcedores do Al Ahly ameaçaram mais atos violentos se os suspeitos não fossem condenados à morte. O juiz pediu calma diversas vezes durante a leitura do veredicto e em outros momentos do julgamento.
Após a divulgação da decisão, as famílias dos mortos comemoraram. Um homem desmaiou e outros manifestantes choraram enquanto carregavam fotos de mortos na tragédia no estádio.
O massacre aconteceu em 1º de fevereiro de 2012, após uma partida em Port Said entre o Al Ahly, do Cairo, e o Al Masry, da cidade. Na ocasião, o time cairota perdia para o local por 3 a 1 quando centenas de torcedores do Al Masry invadiram o campo e lançaram pedras e garrafas contra torcedores do Al Ahly.
Agentes de segurança tentaram conter a violência, mas não conseguiram controlar os ânimos no estádio. Pelo menos 74 pessoas morreram e centenas ficaram feridas. Nos dias seguintes à tragédia, mais 16 pessoas morreram em protestos no Cairo e em Suez.
Grupos de torcidas organizadas de ambos os times acusaram aliados do ditador Hosni Mubarak de estarem infiltrados entre os torcedores para poder provocar o confronto. A maioria dos grupos é de aliados políticos das forças que coordenaram a revolta que derrubou o ex-mandatário em 2011.
A tragédia abalou os dois times e suas torcidas. O time do Al Ahly joga desde fevereiro com uma faixa preta amarrada na camisa em sinal de luto. O símbolo foi usado inclusive no jogo contra o Corinthians pelo Mundial de Clubes, em dezembro. 

Fonte: TV Online

Cristiano Ronaldo ultapassa marca dos 300 gols em vitória sobre Getafe

Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, prepara-se para chutar a bola durante partida contra o Getafe no estádio Santiago Bernabeu em Madri, Espanha. 27/01/2013 Foto: Juan Medina / Reuters
Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, prepara-se para chutar a bola durante partida contra o Getafe no estádio Santiago Bernabeu em Madri, Espanha. 27/01/2013
Foto: Juan Medina / Reuters

Cristiano Ronaldo marcou três vezes e ultapassou a marca dos 300 gols neste domingo, quando o Real Madrid deixou para trás uma semana turbulenta e bateu o Getafe por 4 x 0 em casa pelo Campeonato Espanhol, ficando a quatro pontos do segundo colocado Atlético de Madri.
A véspera do jogo foi tumultuada por uma reportagem do diário esportivo Marca, segundo a qual os capitães Iker Casillas e Sergio Ramos teriam ameaçado sair do clube a menos que o técnico José Mourinho fosse demitido.
Florentino Pérez, presidente do Real, convocou uma coletiva de imprensa para negar a história e acusar o jornal de mentir.
Os campeões espanhóis deixaram seu futebol falar com uma vitória tranquila contra seus rivais locais.
Mourinho, que fez 50 anos no sábado, deixou vários jogadores fundamentais fora de sua escalação principal, incluindo Xabi Alonso e Sami Khedira, e o Real penou para romper a determinada defesa do Getafe no primeiro tempo.
Assim que Ramos conferiu no canto da rede adversária aos oito minutos da segunda etapa, o time da casa aumentou a pressão, e Ronaldo marcou três vezes em 10 minutos, o primeiro deles seu 300º gol em um clube.
O português, que foi substituído a cerca de 15 minutos do final após uma pancada no tornozelo direito, marcou 5 gols para o Sporting, 118 para o Manchester United e soma 179 no Real.
(Por Iain Rogers)

Fonte: TERRA Notícias

Violência-Afeganistão: Atentado contra policiais mata pelo menos dez

SÃO PAULO, SP, 27 de janeiro (Folhapress) - Pelo menos dez pessoas morreram e outras quatro ficaram feridas após a explosão de uma bomba na passagem de um comboio militar em Candahar, a segunda maior cidade do Afeganistão, na noite de ontem.

Segundo as autoridades locais, os agentes voltaram ao quartel após desativar outro explosivo em um prédio residencial da cidade e prender três acusados de tê-lo colocado. Dentre os mortos, estão oito policiais e dois dos acusados. Outros seis agentes e um suspeito ficaram feridos.

Esta foi a quarta explosão no sábado, dia que terminou com pelo menos 24 mortos em outros atentados em todo o país. Mais cedo, dez agentes morreram em um atentado suicida provocado por um terrorista em uma moto na Província de Kunduz, no norte.

Outras duas ações foram registradas na cidade de Ghazni, no leste, com dois mortos, e na Província de Farah, com outros dois policiais mortos. Ainda não há informações sobre a autoria da ação, mas explosões como essa são geralmente reivindicadas pelo grupo armado Taleban.

A milícia usa os atentados como parte da estratégia para tentar derrubar a administração de Hamid Karzai, apoiada pelos Estados Unidos, que lidera as forças da Otan que ocupam o país desde 2001, quando começou a guerra contra grupos terroristas.

Devido a ações do gênero, pelo menos 402 soldados estrangeiros morreram no campo de batalha afegão no ano passado, segundo o portal icasualties.org. Neste ano, foram oito os mortos.

Fonte: Jornal A Cidade

Relembre a maior tragédia brasileira de 1961

Em 17 de dezembro de 1961, o clima parecia alegre em Niterói, no Rio de Janeiro.
Mais de 3000 pessoas estavam alegres, muito felizes com a Gran Circo Americano.
Mas, a apresentação do picadeiro terminou em lágrimas.
20 minutos antes de terminar, o circo foi criminalmente incendiado, e em menos de 5 minutos, foi devorado pelas chamas. O criminoso confesso se chama Adilson Marcelino Alves, mais conhecido como Dequinha, que ateou o fogo no Gran Circo por vingança. Três dias antes do incêncio, Adilson foi demitido por ser 'preguiçoso'.
Em 24 de outubro de 1962, foi condenado a 16 anos de prisão e mais 6 anos de internação em manicômio judiciário.
Em 1973, foi assassinado misteriosamente, em menos de um mês depois de fugir da prisão.


Veja a matéria publicada pela O Globo:

Parte da armação da lona do Gran Circus depois do incêndio Foto: Edirane de Souza/19-12-1961
Parte da armação da lona do Gran Circus depois do incêndio 
Edirane de Souza/19-12-1961
“A tarde estava muito quente naquele domingo. Meu marido e meus filhos estavam animados para o passeio. Mas eu sentia um aperto no peito. Não estava bem. Parecia pressentir o que nos esperava. Horas depois estaria gravemente ferida e sem minha família.”
O relato da aposentada Lenir Queiroz Siqueira, de 75 anos, revela que o dia 17 de dezembro de 1961 permanece marcado em sua memória. Na data, que completa 50 anos dentro de duas semanas, Niterói viveu a maior tragédia de sua história: o incêndio do Gran Circus Norte-Americano. O saldo de vítimas do incêndio fatal ainda hoje é impreciso, variando de 400 a 500 pessoas, sendo que mais de 300 morreram no local. Entre os mortos, 70% eram crianças.
Sobrevivente do incêndio, Lenir perdeu na ocasião o marido, Wilson, e o casal de filhos, Regina e Roberto. Ela conta que o grito dado por Wilson momentos antes da morte ainda ecoa em sua mente.
— O espetáculo estava chegando ao fim. Todos esperavam o salto tríplice no trapézio, quando começamos a ver clarões, como se fossem raios no alto da lona. Naquele momento, começaram a gritar fogo. Foi um desespero. Nós estávamos numa área de cadeiras e ficamos presos num formigueiro humano. Protegi meu filho, enquanto meu marido segurou nossa menina. Pouco depois vi um dos mastros que seguravam a lona cair. Ouvi Wilson gritar ‘Lenir, meu amor’, acho que o perdi naquele momento — lembra, emocionada, a aposentada, que passou nove meses internada no Hospital Universitário Antônio Pedro para tratar os ferimentos causados pelas chamas.
— Estava tão fraca que não conseguia nem abrir os olhos. Chegaram a levar um padre ao hospital para encomendar minha alma. Passei por tantas cirurgias plásticas que perdi as contas de quantas foram — recorda-se Lenir.
Sofrimento semelhante foi vivido pela dona de casa Marlene Serrano, de 79 anos. Na tragédia, ela perdeu marido e filha.
— Aspiramos muita fumaça. As queimaduras que sofri foram tão graves que atingiram os ossos. Foi algo tão horrível que ainda hoje não sei por que Deus permitiu que eu continuasse viva.
A tragédia marcou a carreira do jornalista Assuéres Barbosa, de 75 anos. Ele foi o primeiro repórter a chegar ao local onde estava montada a lona do Gran Circus Norte-Americano.
— Quando cheguei, ainda havia chamas e pessoas com a lona grudada no corpo. Algo tão horrível que em meio século de coberturas jornalísticas não consigo esquecer.




"Segurança fechou as portas porque tinham que pagar"

BRASIL, ONDE O DINHEIRO VALE MAIS QUE 245 VIDAS.

Tentávamos puxar as mãos que apareciam entre a cortina de fumaça, relata jovem que estava em boate Estudante de Medicina Murilo De Toledo Tiecher, 26 anos, foi um dos primeiros a sair do lugar e ajudou a socorrer vítimas

Um dos primeiros a sair da boate Kiss, em Santa Maria, quando o incêndio que deixou 245 mortos começou, o estudante de Medicina Murilo De Toledo Tiecher, 26 anos, relata que, por não enxergar a pista de dança, os seguranças não entenderam o que estava acontecendo e tentaram barrar a saída dos jovens que estavam na festa.

Ao correr para a saída, Murilo ficou prensado contra uma barra de ferro que servia para organizar a fila na entrada. Ao conseguir pular, deparou-se com a porta da saída fechada.


 



— A gente gritou 'tá pegando fogo, tá pegando fogo', mas o segurança abriu os braços e estava tentando manter a porta fechada. Uns cinco ou seis caras derrubaram o segurança e colocaram a porta abaixo. Era a única saída.

Murilo conta que o incêndio começou quando foi aceso um tipo de sinalizador no palco e as chamas alcançaram o teto. Ele relata que estava a 10 metros do palco e que o fogo se espalhou muito rápido, em cerca de três minutos. Quando conseguiu sair, foi um dos primeiros a ligar para o Corpo de Bombeiros.

— Os primeiros a sair tentavam puxar quem estava lá dentro. Apareciam mãos, braços na porta entre a cortina de fumaça. Puxamos várias pessoas. Eu, inclusive, puxei uma guria pelos cabelos. Foi um caos, o maior desespero.

Quando os bombeiros chegaram, quem já havia saído tentava dar direções de onde as pessoas estavam aglomeradas. O estudante conta que pessoas que não conheciam o local entraram nos banheiros pensando que eram saídas.

#Partiu Brasil.

Após o incêndio na boate Kiss...

... a presidente Dilma Rousseff veio imediatamente para Santa Maria, no Rio Grande do Sul, antecipando a volta do Chile. A presidente está abaladíssima pela tragédia.

 

"Eu queria dizer à população do nosso país e de Santa Maria o quanto, nesse momento de tristeza, estamos juntos. E necessariamente iremos superar, mantendo a tristeza"
Ela cancelou 3 reuniões bilaterais e chegou em Santa Maria nesta tarde.
Falando no caso, o fogo na boate Kiss começou às 2h30 deste domingo, quando o vocalista de uma banda que havia se apresentado fez um show pirotécnico e usou um sinalizador, causando um grande desastre.
As faíscas atingiram a espuma do isolamento acústico no teto do estabelecimento. O Hospital Universitário de Santa Maria e o Hospital de Caridade, para onde foram levados os feridos, pedem ajuda de voluntários da área médica para ajudar no atendimento.

Incêndio em Santa Maria mata 245 pessoas dentro de uma boate


Um incêndio na boate Kiss em Santa Maria (RS) deixou pelo menos 245 mortos e muitos feridos na madrugada deste domingo (27). A tragédia teria sido provocada pelo uso desnecessário de um sinalizador durante o show de uma banda. O incêndio começou às 2h30 da madrugada após uma faísca atingir o teto da boate.
Estima-se que 2000 pessoas participaram da festa.
Estão dizendo aí que teve pessoas que morreram asfixiadas após tentarem fugir da boate. O segurança, achando que era briga porque queria sair sem pagar, fechou as portas.