segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Argentina envia avião com pele para vítimas de Santa Maria

A Argentina enviou 10 mil centímetros de pele e 20 mil centímetros de membranas para ajudar as vítimas de queimaduras no incêndio ocorrido na boate Kiss, na cidade de Santa Maria (RS), segundo comunicado divulgado nesta segunda-feira pelo Ministério da Saúde argentino.
A assessoria de imprensa do ministério confirmou à BBC Brasil que um avião da companhia Aerolíneas Argentinas decolou na manhã de segunda do aeroporto Jorge Newberry (Aeroparque) com destino a Porto Alegre, a cerca de 300 quilômetros de Santa Maria.
Segundo o comunicado, a iniciativa foi adotada pelo ministro da Saúde, Juan Luis Manzur, atendendo orientação da presidente Cristina Kirchner, após pedido de autoridades de saúde do Brasil.

Solidariedade

Manzur disse que a "pele e outros tecidos são obtidos a partir da doação de órgãos", o que permitiu "dar essa resposta solidária ao país irmão".
Ele afirmou ainda que tecidos, peles e membranas ajudam a proteger os pacientes de possíveis infecções - a principal causa, disse, de complicações após grandes queimaduras.
Por determinação do ministro, o chefe do Banco de Tecidos do hospital Garrahan, Oscar Schwint, viajou acompanhando a doação ao Brasil. O hospital público é tido como de referência do ramo na Argentina.
O incêndio na madrugada de domingo matou 231 pessoas na boate Kiss. Mais de uma centena de feridos estão internados, a maioria deles em estado grave, em hospitais de Santa Maria e de outras cidades.
Manzur lembrou que a Argentina também enviou peles para as vítimas de um incêndio em um supermercado em Assunção, no Paraguai, em 2004, e para as vítimas de uma tragédia em uma refinaria do estado de Carabobo, na Venezuela, em 2012.

Fonte: BBC Americano

Tragédia em Santa Maria: nas redes sociais, relatos, denúncias e dor

Uma verdadeira revolução acontece nas redes sociais desde que foi ao ar a primeira notícia sobre a tragédia em que morreram 231 pessoas, no incêndio da boate Kiss, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, na madrugada deste domingo (27). No Facebook e no Twitter, internautas de todo o país compartilham lamentos, denúncias, fortes imagens, que supostamente seriam das vítimas do incêndio, e os perfis destas.
O sanfoneiro da banda Gurizada Fandangueira, Danilo Jaques, foi uma das vítimas. Na página da banda, na rede social, uma internauta lamenta a sua morte: “(...) Além de muito bom na sanfona era uma ótima pessoa... Que Deus o ilumine...”.
Tenente Leonardo Machado foi um dos dois cariocas mortos no incêndio 
Tenente Leonardo Machado foi um dos dois cariocas mortos no incêndio 
O carioca Leonardo Machado de Lacerda, tenente do Exército, foi uma das vítimas do incêndio.  Segundo relatos dos bombeiros, no local, Leonardo tentou salvar algumas pessoas, mas acabou morrendo. Ele tinha 28 anos e era formado pela Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), em 2007. Morava em Santa Maria e servia no 4º Regimento de Carros de Combate, em Rosário do Sul.
O estudante de medicina Murilo de Toledo Tiecher foi um dos 50 primeiros jovens a deixar a boate e foi quem fez a denúncia contra os seguranças, às 9h20 no domingo, quando publicou a seguinte declaração: “E que fique registrado: eu fui uns dos 50 primeiros a sair. No início do tumulto, tentaram segurar as portas com os seguranças e manter as pessoas ali para que não saíssem da boate! Não sei se pensavam que era uma briga e não queriam que saíssem sem pagar! Só depois que a multidão derrubou os seguranças é que viram a merda que fizeram. Todo mundo viu isso aí”, disse, Murilo, em seu perfil do Facebook. A publicação do seu perfil teve 9.330 compartilhamentos.
>> Fãs da banda prestam solidariedade
Murilo foi um dos 50 primeiros a sair da boate 
Murilo foi um dos 50 primeiros a sair da boate 
Pai de jovem que pediu socorro pelo Facebook ameaça o dono da boate
Sandro Cardoso, pai de Michele Froehlich Cardoso e Clarissa Lima Teixeira, ambas vítimas da tragédia de Santa Maria neste domingo, usou seu perfil na rede social para desabafar contra Kiko Spohr, dono da boate Kiss. Em tom de ameaça, Sandro Cardoso disse para o empresário se mudar da cidade.
Amigos da vítima, filha de Sandro Cardoso, comentaram, com preocupação, a publicação de Michele 
Amigos da vítima, filha de Sandro Cardoso, comentaram, com preocupação, a publicação de Michele 
“Kiko tu matou minhas duas filhas acho bom tu te mudar de santa maria tu não faz ideia da minha dor este recado vai direto pra ti e tua familia, pois a dor q estou sentindo é inexplicavel”, escreveu.
A protética Michelle Cardoso estava na boate Kiss com amigos e, por volta das 3h20 do domingo (27), postou na rede social um pedido de ajuda: “Incêndio na Kiss. Socorro”. Preocupados, os amigos da moça, começaram a questionar a falta de notícias da moça: "Tu ta bem, Michelle Cardoso, um amigo acabou de me ligar dizendo que tá no hospital ajudando os feridos (sic)", escreveu Glaucia Pires, amiga de Michelle. Glaucia ainda pede que liguem para Michele para tentar ter certeza de que a jovem estava bem.  "Miiiicheleee,ta bem?da notícias por favor!", escreveu Lady Soares Rosa. A última postagem na mensagem foi feita às 10h da manhã, quando um amigo volta a perguntar por Michelle. “Está tudo bem com vc e a Fê? quando puder mande notícias...(sic)", escreveu Luigi Caldana.
Michele estava no evento com a sua irmã Clarissa Lima Teixeira e o namorado, o estudante de agronomia João Paulo Pozzobon. A estudante trabalhava na chapelaria da boate Kiss nos fins de semana há cerca de dois anos. Os três morreram no incêndio.

Site e página da rede social foram retirados do ar
Na tarde de domingo, usuários do Facebook estavam acessando a todo o momento a página da boate Kiss, de Santa Maria (RS), na rede social, para deixar mensagens de solidariedade aos parentes das vítimas e outros para fazer acusações aos proprietários do estabelecimento. Até as 11h20 da manhã da data, mais de 30 mensagens de diversas partes do Brasil já tinham sido deixadas na página.
Twitter fala de fotos da festa na boate em que houve a tragédia
Twitter fala de fotos da festa na boate em que houve a tragédia
Uma usuária da rede social disse que a tragédia era “muito triste" para as famílias. "Que tragédia horrível!! Meus sinceros sentimentos... Tô triste pelos jovens que se foram, e pelas famílias que estão em desespero nesse momento", disse a mensagem publicada na página da boate. "Triste muito triste, sem conhecer ninguém dessa tragédia ficamos pensando nas famílias que veem seus filhos e filhas indo se divertir", diz outro internauta.
Já os mais revoltados com a situação apontavam a irresponsabilidade dos donos da boate: “Lamentável. Irresponsáveis. Agora é tarde. Só nos resta a dor”, disse um rapaz.
Já no Twitter da boate, a última postagem é do sábado, 26 de janeiro, com um aviso das fotos da última festa.

Na rede, internautas se mobilizam para ataque virtual contra sócio da boate
Uma página contra Kiko Spohr, um dos sócios da Kiss, foi criada por volta das 16h23 do último domingo, no Facebook. Na foto de capa, a mesma foto do perfil original do proprietário, mas com os dizeres em vermelho “Prisão Já”.
Descrição dá página diz para usuários "deixarem a sua indignação"
Descrição dá página diz para usuários "deixarem a sua indignação"
Nesta segunda-feira (28), perto do meio-dia, um usuário comentou na página: “A vida é um leque de surpresas. Não imaginamos o que pode vir a ocorrer em determinado momento. Podemos estar sorrindo as 2h29 minutos; apavorados as 2h30 minutos; apagados as 2h31 minutos e partindo deste mundo para outro, entristecendo familiares e deixando para trás objetivos ainda não realizados. (...) A vida é única, é incomparável e perdas são irreparáveis. Agradeça a Deus por você hoje estar vivo e reserve nem que seja um minuto de seu dia para orar. (...) Meus sinceros sentimentos aos familiares das vitimas da trágica tragédia ocorrida em Santa Maria, Rio Grande do Sul. Que Deus os conforte! Obs.: Sei que a vida daqueles que ali partiram não tem preço, mas espero que os responsáveis pelo acontecimento sejam devidamente punidos. Vários sonhos, vários sorriso, várias vidas ali foram destruídas. Que as leis de segurança pública não sejam falhas. Aplique-se e puni-se”, lamentou.

Campanha solidária on-line
A página do Facebook intitulada Incêndio na boate Kiss, em Santa Maria, com 2.805 curtidas, diz o seguinte em sua descrição: “Vamos reunir neste site informações sobre sobreviventes, feridos e mortos do incêndio na Boate Kiss - Santa Maria/RS, em 27 de Janeiro de 2013”.
Em seu mural, a última postagem feita pela página tem 710 compartilhamentos e 210 curtidas. Trata-se de uma imagem manipulada que diz: “Luto sim! Pra sentir dor das pessoas não precisa conhecê-las...Basta ter coração e se colocar no lugar delas”.
Entre os 15 comentários na própria foto, um usuário da rede social fez críticas à ocorrência: “Bom dia! Fica a pergunta, cadê o órgão responsável em fazer a fiscalização? Que libera um espaço para comportar mais de 1000 pessoas sem portas laterais e saída de emergência, ñ vem dizer em público que a entrada da casa era o correto, todos sabem que o nome já diz saída de emergência. Somente poderá ser usada em caso de emergência. Então qual a desculpa das autoridades locais, existe um dpto que somente olha, mas ñ faz nada (...)”.
A internauta Bianca Dalla Chiesa está fazendo uma grande campanha por meio do Facebook para ajudar hospitais e os centros que atendem aos familiares e às vítimas do incêndio. Em seu perfil, outras pessoas informam das necessidades das instituições. Uma amiga da moça informou: “No canal da rede pampa estão pedindo alimento não perecível, tipo biscoito e similares, para os familiares”.

Fonte: Jornal do Brasil

236 vidas se perderam...

... que Deus guarde essas 236 vidas, que foram pessoas inocentes, estando prestes à sair de casa para se divertir.
Que Deus conforte o coração das famílias que perderam seus queridos parentes.
Ou como diz os twitteiros: "PrayForSantaMaria"

 Incêndio ocorreu durante a madrugada de domingo (27), em Santa Maria  (Foto: Germano Roratto/Agência RBS)

'Ficou preto de fumaça em minutos', diz paranaense sobre incêndio no RS

As paranaenses Mychelli Fant, de 30 anos, e Fraciele Mayara, de 23, estavam na boate Kiss, em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, incendiada na madrugada de domingo (27), e relataram os momentos de pânico pouco antes de conseguirem sair do local. De acordo com o Corpo de Bombeiros, pelo menos 231 pessoas morreram e mais de 130 ficaram feridas após o incêndio.
As jovens paranaenses moram em Toledo, no oeste do Paraná, e estavam na cidade gaúcha a passeio. As duas foram na festa com outros oito amigos e chegaram ao local por volta das 2h. Elas tiraram fotos antes do incêndio e gravaram vídeos com o celular minutos após as chamas se alastrarem (veja o vídeo).
Ainda segundo os bombeiros, o incêndio começou por volta das 2h30 durante a apresentação da banda Gurizada Fandangueira, que utilizou sinalizadores para uma espécie de show pirotécnico. Segundo relatos de testemunhas, faíscas de um equipamento conhecido como "sputnik" atingiram a espuma do isolamento acústico, no teto da boate, dando início ao fogo, que se espalhou pelo estabelecimento em poucos minutos.

 

O fogo provocou pânico e muitas pessoas não conseguiram acessar a saída de emergência. A festa "Agromerados" reunia estudantes da Universidade Federal de Santa Maria, dos cursos de pedagogia, agronomia, medicina veterinária, zootecnia e dois cursos técnicos.
Pelo menos 101 das vítimas identificadas eram estudantes da Universidade Federal de Santa Maria, segundo informou a instituição em sua página na internet. O comandante do Corpo de Bombeiros da região central do Rio Grande do Sul, tenente-coronel Moisés da Silva Fuch, disse que o alvará de funcionamento da boate estava vencido desde agosto do ano passado.
"Nós chegamos mais tarde e, por isso, ficamos no fundo da boate. Eu vi que eles iam cantar uma música e que pegaram o sinalizador. Quando eles levantaram o objeto, todo mundo estava dançando, tanto que ninguém olhou para o palco e acharam que o tumulto era por causa de uma briga. Em questão de dois minutos ficou tudo preto de fumaça.  E aí, eu não sei explicar, foi tudo muito rápido mesmo. Como eu estava em um área vip perto da saída, consegui sair a tempo e sobrevivi", relata Franciele.
Mychelli contou que foi pisoteada e que foi socorrida por um desconhecido. "Os seguranças seguraram o pessoal porque eles acharam que tinha dado briga, e tentaram acalmar todo mundo. Até eles verem que a fumaça começou a sair pra fora. Depois disso, eles mesmos começaram a puxar o pessoal para fora da boate e arrancaram uma grade de proteção da área de fumantes", explica.
"Durante esses minutos que eles começaram a segurar, foi onde as pessoas começaram a se apavorar e foram para os banheiros. Eu acho que desde o início, eles [os seguranças] já deveriam ter liberado as pessoas desde o início do tumulto", completa.
Incêndio ocorreu durante a madrugada de domingo (27), em Santa Maria  (Foto: Germano Roratto/Agência RBS)Incêndio ocorreu durante a madrugada de domingo (27), em Santa Maria
(Foto: Germano Roratto/Agência RBS)

Em nota, a direção da boate classificou o ocorrido como uma "fatalidade". De acordo com o texto, a empresa está em "situação regular" e se coloca à disposição das autoridades. "A BOATE KISS, por sua direção, vem a público manifestar a todas as famílias das vítimas o seu maior sentimento de dor e de solidariedade em decorrência da lamentável tragédia, ocorrida nesta madrugada, nas suas dependências. A bem da verdade diante dos inúmeros boatos a respeito do ocorrido deseja esclarecer que a situação da empresa se encontra regular, contando com todos os equipamentos previsíveis e necessários  para o sistema de proteção e combate contra o incêndio, aprovado pelo Corpo de Bombeiros, adequado às necessidades da casa e de seus frequentadores", diz um trecho da nota.

Providências no Paraná
Em virtude da tragédia, o prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), anunciou no domingo que irá realizar uma reunião na Secretaria Municipal de Urbanismo nesta segunda-feira (28) para analisar e rever os procedimentos de concessão de alvará para casas noturnas.

Fonte: G1

Paraguaio que morreu no incêndio no RS será enterrado em Assunção

O estudante universitário paraguaio que morreu no incêndio na boate em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, na madrugada de domingo (27), será enterrado em Assunção.  Segundo o Consulado do Paraguai, em Porto Alegre, o estudante cursava zootecnia no município gaúcho e havia se mudado para a cidade no fim de 2011. A previsão do consulado é de que o corpo da vítima seja liberado ainda nesta segunda-feira (28).
De acordo com o Corpo de Bombeiros, pelo menos 231 pessoas morreram e mais de 130 ficaram feridas após o incêndio.
Um outro estudante paraguaio também estava na boate no momento do incêndio, porém ele está fora de perigo.

Ainda segundo os bombeiros, o incêndio começou por volta das 2h30 durante a apresentação da banda Gurizada Fandangueira, que utilizou sinalizadores para uma espécie de show pirotécnico. Segundo relatos de testemunhas, faíscas de um equipamento conhecido como "sputnik" atingiram a espuma do isolamento acústico, no teto da boate, dando início ao fogo, que se espalhou pelo estabelecimento em poucos minutos.
O fogo provocou pânico e muitas pessoas não conseguiram acessar a saída de emergência. A festa "Agromerados" reunia estudantes da Universidade Federal de Santa Maria, dos cursos de pedagogia, agronomia, medicina veterinária, zootecnia e dois cursos técnicos.
Pelo menos 101 das vítimas identificadas eram estudantes da Universidade Federal de Santa Maria, segundo informou a instituição em sua página na internet. O comandante do Corpo de Bombeiros da região central do Rio Grande do Sul, tenente-coronel Moisés da Silva Fuch, disse que o alvará de funcionamento da boate estava vencido desde agosto do ano passado.

Em nota, a direção da boate classificou o ocorrido como uma "fatalidade". De acordo com o texto, a empresa está em "situação regular" e se coloca à disposição das autoridades. "A BOATE KISS, por sua direção, vem a público manifestar a todas as famílias das vítimas o seu maior sentimento de dor e de solidariedade em decorrência da lamentável tragédia, ocorrida nesta madrugada, nas suas dependências. A bem da verdade diante dos inúmeros boatos a respeito do ocorrido deseja esclarecer que a situação da empresa se encontra regular, contando com todos os equipamentos previsíveis e necessários  para o sistema de proteção e combate contra o incêndio, aprovado pelo Corpo de Bombeiros, adequado às necessidades da casa e de seus frequentadores", diz um trecho da nota.

Providências no Paraná
Em virtude da tragédia, o prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), anunciou no domingo que irá realizar uma reunião na Secretaria Municipal de Urbanismo nesta segunda-feira (28) para analisar e rever os procedimentos de concessão de alvará para casas noturnas.
O Governo do Paraná disponibilizou um helicóptero e uma aeronave para auxiliar no transporte de vítimas da tragédia. O governador Beto Richa (PSDB), pelo Twitter, confirmou que equipes médicas do estado serão disponibilizadas para o Rio Grande do Sul.
Um helicóptero da Polícia Rodoviária Federal (PRF) também foi liberado para auxiliar no atendimento. O equipamento, que integra um convênio entre o Estado e o Governo Federal, costuma fazer o atendimento pelo Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) na Região Metropolitana de Curitiba.

Fonte: G1