quarta-feira, 6 de março de 2013

Anamara: 'Sem classe é escovar dentes na cozinha e comer comida dos outros'


Anamara diz que está feliz após deixar a casa do BBB (Foto: Domingão do Faustão / TV Globo)Anamara diz que está feliz após deixar a casa do BBB (Foto: Domingão do Faustão / TV Globo)

Feliz. Assim Anamara diz estar se sentindo após deixar a casa do BBB, ontem, com 48% dos votos do público. Em visita à produção do Domingão do Faustão, a baiana falou sobre a homenagem de Fani, da relação com Elieser e evitou falar de Kamilla, mas acabou desabafando: "Não aguentava mais ela e a falsidade da Fernanda".
Para Anamara, o último mês na casa do Big Brother Brasil foi complicado. Ela diz que começou a se incomodar com Kamilla e acabou se perdendo no jogo. "Me perdi de mim mesma e só conseguiria me resgatar fora do programa. Há um mês o meu controle emocional tinha se perdido, desde que a Kamilla começou a me irritar", conta.
Apesar de ter evitado falar da paraense, ela acaba explicando os seus motivos: "É um exibicionismo exacerbado, uma ausência de coerência, encenação em determinadas situações... Não estou falando do ser humano Kamilla, mas dela dentro do BBB".
E não parou por aí. Aqui fora, Anamara afirmou que a família da paraense teria dito que ela era uma pessoa "sem classe". A ex-sister não se segurou e se defendeu da acusação: "Sem classe é escovar os dentes na pia da cozinha, comer a comida dos outros e deixar as pessoas com fome, ficar atrás da porta para ouvir a nossa conversa, esperar as pessoas virarem as costas para colocar apelidinhos...".

Elieser
Sobre o ex-brother, a baiana diz que está tudo bem e espera encontrá-lo fora da casa. "Vai ser mara! A conversa que tivermos foi muito boa e a recíproca é verdadeira. Que bom que as coisas que acontecem ficam no BBB. Tudo passa, só tem que ficar as coisas boas", afirma Maroca, que também quer muito encontrar Dhomini, Aline, Yuri e Aslan.

Homenagem de Fani
Depois de ver a homenagem que a amiga fez hoje no jardim da casa do BBB, Anamara se derreteu. "Achei lindo, quero Fani campeã!", torce. No entanto, ela acha difícil citar um favorito ao prêmio: "Eu era favorita e acabei saindo... Que vença o melhor jogador, ou o melhor fingidor", brinca.
No fim das contas, Anamara está mesmo aliviada por encontrar a família, os amigos e receber carinho das pessoas. Ela até cantou: "Não quero dinheiro, eu só quero amar!".

Ex-goleiro Bruno admite morte de Eliza Samudio

goleiro Bruno Fernandes culpou Luiz Henrique Romão, o Macarrão, pela morte de Eliza Samudio, durante o interrogatório na tarde desta quarta-feira (6) no Fórum de Contagem, em Minas Gerais.

Leia também: Chorão, vocalista do Charlie Brown Jr., é encontrado morto na zona oeste de SP

Bruno afirmou que no dia 11 de junho de 2010, Eliza deixou seu sítio com o filho Bruninho acompanhado de Macarrão e Jorge. Entre 22h e 23h, os dois voltaram sem a ex-modelo e com a criança. “Perguntei: ‘poxa, cadê a Eliza? Pelo amor de Deus, o que você fizeram com ela?”, disse Bruno durante seu depoimento.
Macarrão teria respondido ao goleiro: “resolvi o problema que tanto te atormentava”. Bruno contou ainda que Jorge confirmou que Macarrão matou Eliza e ele o ajudou, “nesse momento fiquei desesperado”, disse o goleiro ao júri.

Com informações do portal RedeTV!
Ex-goleiro Bruno, na época em que ainda atuava
Ex-goleiro Bruno, na época em que ainda atuava

Fonte: Tutube

Além do Rock in Rio, Bon Jovi deve fazer show em São Paulo

Depois de ser anunciada como atração do Rock in Rio, a banda Bon Jovi deve confirmar em breve informações sobre uma apresentação em São Paulo.
Em entrevista ao Fantástico, no último domingo (4), o vocalista Jon Bon Jovi comentou sobre a apresentação no Rock in Rio e adiantou que, no dia seguinte, fará um show na capital paulista.

 

Na quinta edição brasileira do Rock in Rio, o Bon Jovi encerrará a noite do dia 20 de setembro, que também terá shows de Nickelback e Matchbox Twenty. A apresentação da banda em São Paulo, que deve acontecer no dia 21 de setembro, ainda não teve local anunciado
O Bon Jovi virá ao Brasil com a turnê “Because We Can”, do álbum “What About Now”, que será lançado no dia 25 de março. O vocalista não comentou sobre a possibilidade de apresentações em outras cidades. No site oficial do quarteto, ainda não há nenhuma informação sobre os shows no Brasil na agenda da turnê.

Fonte: Cifra Club News

Elton John pede quarto só para sua coleção de óculos no Brasil

Cantor apresentou uma lista de exigências curiosa

Elton John pede quarto só para sua coleção de óculos no Brasil - Bang
Publicidade

Elton John é famoso pela variedade de óculos, que exibe a cada aparição pública. E o carinho e zelo do cantor britânico pelos acessórios são extremos. Segundo o jornal Daily Mail ele, inclusive, reservou um quarto de hotel para abrigar apenas a coleção de óculos durante sua turnê pelo Brasil, segundo o jornal Daily Mail.
Entre a longa lista de exigências de seus shows, estaria ainda uma cláusula para que a temperatura do seu quarto estivesse sempre programada para os 16 graus, além de rosas vermelhas e brancas para melhorar a decoração. Elton John teria pedido também que colocassem duas palmeiras de dois metros de altura em seu camarim.
Apesar das exigências, os organizadores afirmaram que o cantor não é tão excêntrico assim, e se mostrou um artista muito disciplinado. “No geral, ele não pediu nada muito excêntrico. São exigências razoáveis. Ele é um artista muito disciplinado", disse Aluizer Malab, responsável pelo show do próximo dia 9, em Belo Horizonte.
Elton John desembarcou no Brasil, na semana passada, com a turnê 40th Anniversary of Rocket Man, que comemora os 40 anos do hit Rocket Man (I Think It's Going to be a Long Long Time), composta pelo cantor e lançada mundialmente em 1972.
O cantor se apresenta nesta terça-feira (5), em Porto Alegre, e no dia 8, em Brasília. A passagem de Elton John pelo Brasil termina no dia 9 de março, com um show em Belo Horizonte.

Fonte: Terra

Após duas quedas, Bovespa opera em alta nesta terça-feira


Depois de recuar nos dois primeiros pregões do mês de março, o principal índice acionário da Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBovespa) opera em alta nesta terça-feira (5).
Às 10h25 (horário de Brasília), o Ibovespa tinha variação positiva de 0,56%, a 56.817 pontos.
Dentre as principais altas estavam a BMFBovespa e a BRF Foods – que, na véspera, divulgou alta de 365% no lucro no quarto trimestre.
Na segunda-feira, o Ibovespa fechou em queda de 0,68%, a 56.499 pontos, pressionado pelas ações da Vale e da OGX. No ano, até o fechamento da véspera, o principal índice da Bovespa acumula queda de 7,31%.
Fonte: Expresso MT

Repórter agredido por Barbosa apurava gastança no STF

É mais grave do que se imaginava a agressão do presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, ao repórter do Estado de S. Paulo, Felipe Recondo. O ministro, que atribuiu seus ataques desferidos contra o jornalista a uma dor nas costas, na verdade, poderia estar tentando intimidá-lo em razão de uma reportagem investigativa. Segundo duas notas publicadas no Painel da Folha de S. Paulo desta quarta-feira, Recondo apurava a gastança do STF com mordomias, como reformas nos gabinetes, nos apartamentos e viagens. Leia, abaixo, as notas publicadas por Vera Magalhães, do Painel da Folha:
Onde dói 1 Apontada como justificativa por Joaquim Barbosa, a crônica dor nas costas do presidente do STF não é o motivo do destempero verbal com que ele se dirigiu a um jornalista ontem.
Onde dói 2 A irritação do ministro se deve a levantamentos em curso por parte da imprensa sobre gastos com reformas nos gabinetes e apartamentos dos ministros, além de viagens. Os dados referentes ao presidente da corte teriam chamado a atenção.
Curiosamente, o jornal Estado de S. Paulo, que se orgulha de ter combatido a censura no Brasil e que patrocinou a vinda ao Brasil de Yoani Sánchez, segundo o jornal, um símbolo pela luta da liberdade expressão, ainda não saiu em defesa de seu profissional.
Fonte: Brasil 247

Refugiados da Síria superam 1 milhão de pessoas

Brasília – O Alto Comissariado da Organização das Nações Unidas (ONU) para os Refugiados (Acnur) informou que o número de refugiados da Síria superou 1 milhão de pessoas, nos dois anos de crise que atinge o país. A disputa entre o governo do presidente sírio, Bashar Al Assad, e a oposição é cercada por violência e denúncias de violação de direitos humanos. Pelos dados da ONU, pelo menos metade dos refugiados é composta de crianças.
O alto comissário para os refugiados, Antônio Guterres, reiterou a preocupação com os deslocamentos das pessoas internamente na Síria e as ameaças aos civis. "A Síria caminha para um desastre de grande escala", disse, lembrando que deve ser feito um esforço coletivo para ajudar os civis sírios.


Guterres disse ainda que as agências humanitárias receberam apenas 25% do financiamento necessário. Mas ele reconheceu o apoio de governos vizinhos à Síria, como o Líbano, a Jordânia, a Turquia, o Iraque e o Egito, este último em menor escala, que recebe os refugiados. De acordo com Guterres, cerca de 10 mil refugiados chegam, por dia, a esses países.
O alto comissário alertou que alguns dos países que mais recebem refugiados sírios sofrem com o aumento da população. Na Jordânia, serviços de abastecimento de água, assistência médica e educação estão chegando ao limite. Na Turquia, o investimento é na construção de 17 acampamentos para os refugiados.

Fonte: E.B.C.

Venezuelanos lamentam morte de Chávez, foco se volta para eleição

CARACAS, 6 Mar (Reuters) - A morte do presidente venezuelano, Hugo Chávez, desencadeou uma enxurrada de tributos emocionados que seus aliados esperam que ajudem a garantir a sobrevivência da autointitulada revolução socialista quando os eleitores elegerem um sucessor.
Chávez, de 58 anos, morreu na terça-feira depois de uma batalha de quase dois anos contra o câncer detectado na região pélvica. Ele sofreu várias complicações após sua última operação, em 11 de dezembro, e não foi visto em público desde então.
Dezenas de milhares de venezuelanos imediatamente tomaram as ruas para homenagear o líder socialista, e o luto e vai continuar durante o velório, nesta quarta-feira.
O futuro das políticas esquerdistas de Chávez, que ganhou a adoração dos venezuelanos pobres mas enfureceu adversários que o acusavam de ditador, agora recai sobre os ombros do vice-presidente Nicolás Maduro, o homem indicado por Chávez para sucedê-lo.
"Na imensa dor dessa tragédia histórica, que tem afetado a nossa pátria, apelamos a todos os compatriotas para estarem vigilantes pela paz, amor, respeito e tranquilidade", disse Maduro.
"Nós pedimos que o nosso povo canalizar essa dor em paz."
Maduro, de 50 anos, ex-motorista de ônibus e líder sindical, provavelmente enfrentará o governador de oposição Henrique Capriles na próxima eleição presidencial.
Autoridades disseram que a votação seria convocada dentro de 30 dias, mas não estava claro se isso significava que seria realizada dentro de 30 dias ou apenas se a data será anunciada nesse período.
Uma recente pesquisa de opinião mostrou Maduro com ampla liderança sobre Capriles, em parte porque ele recebeu a bênção de Chávez como seu herdeiro. É provável ainda que ele se beneficie da onda de emoção após a morte do presidente.
Maduro tem sido um aliado próximo de Chávez há anos e seria muito pouco provável que fizesse grandes mudanças políticas.
Alguns têm sugerido que ele poderia tentar aliviar as tensões com investidores e o governo dos EUA, embora, horas antes da morte de Chávez, Maduro tenha afirmado que os "imperialistas" inimigos tinha infectado o presidente com o câncer como parte de uma série de conspirações com os adversários internos.

"NÃO SE ASSUSTEM"

Uma vitória de Capriles traria profundas mudanças à Venezuela e seria bem recebida por grupos empresariais e investidores estrangeiros, embora seja provável que ele agisse de forma cautelosa para reduzir o risco de violência e instabilidade política.
"Não é hora de salientar o que nos separa", disse Capriles em nota na noite de terça-feira, em que pediu união e respeito pelo luto dos chavistas.
"Hoje aqui há milhares, talvez milhões de venezuelanos que estão se perguntando o que irá acontecer, que até sentem medo... Não se assustem, não fiquem ansiosos. Entre todos nós, vamos garantir a paz que este amado país merece."
Comandantes militares rapidamente juraram lealdade a Maduro, que será o presidente interino até a eleição. O ministro da Defesa, Diego Morales, disse que uma salva de 21 tiros de canhão em homenagem a Chávez será disparada nesta quarta-feira.
Caracas teve uma noite silenciosa, com ruas desertas, especialmente em bairros mais ricos da capital. Temendo saques, muitas lojas fecharam após a divulgação da notícia da morte de Chávez.

 Photo

Apesar de terem tido várias semanas para se acostumarem com a iminência da morte do líder, muitos chavistas não escondiam sua tristeza.
"Ele era o nosso pai", disse Nancy Jotitya, de 56 anos, que soluçava na praça Bolívar, no centro da capital. "Ele nos ensinou a nos defendermos. O chavismo não acabou! Nós somos o povo. Vamos lutar!"
Houve tristeza também em outros países latino-americanos, especialmente naqueles com governos esquerdistas habituados a receberem ajuda econômica venezuelana -- caso de Cuba, que se recuperou da ruína financeira da década de 1990 em grande parte graças a benefícios oferecidos por Caracas na venda de petróleo.
Na noite de terça-feira, centenas de chavistas se aglomeravam em frente ao hospital militar onde o presidente passou as últimas duas semanas de vida. Uma repórter colombiana de TV foi agredida, e tiros foram disparados para o alto.

CONDOLÊNCIAS
O governo venezuelano está recebendo muitas mensagens de condolências de governos latino-americanos, aliados ou nem tanto. A presidente Dilma Rousseff lamentou a perda de um "grande latino-americano" e um "amigo do Brasil", por quem ela disse ter "um grande carinho".
O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, e o governo iraniano, aliado de Chávez, também manifestaram pesar pela morte.
Menos efusivo foi o presidente dos EUA, Barack Obama, com quem Chávez tinha uma relação conflituosa. Obama disse que seu governo pretende "desenvolver uma relação construtiva com o governo venezuelano".
Chávez governou a Venezuela por 14 anos e foi reeleito por ampla margem para mais seis anos em outubro, derrotando Capriles. Não chegou, no entanto, a tomar posse nesse novo mandato, que começou oficialmente em 10 de janeiro.
Na quarta-feira, o corpo de Chávez será transferido para uma academia militar onde ele será velado até o funeral, na sexta-feira. Foi declarado luto oficial de sete dias.
"O funeral de Chávez vai rivalizar com o de Eva Perón", disse Daniel Hellinger, especialista em Venezuela radicado nos EUA, referindo-se à comoção que se seguiu à morte da popular primeira-dama argentina, também vitimada por um câncer, aos 33 anos, em 1952.

Fonte: Reuters Brasil

Último cardeal que participa no Conclave esperado amanhã no Vaticano


Na congregação geral desta quarta-feira no Vaticano participaram 113 dos 115 cardeais que vão eleger o próximo Papa em Conclave. O arcebispo de Varsóvia deve chegar durante a tarde e o cardeal do Vietname durante o dia de amanhã, quinta feira.
 
foto ALBERTO PIZZOLI/AFP
Último cardeal que participa no Conclave esperado amanhã no Vaticano

 
Há 117 cardeais eleitores que por terem menos de 80 anos a 28 de fevereiro, dia do início da Sede Vacante, podem eleger o sucessor de Bento XVI. Dois deles anunciaram que não vão participar na eleição.
Segundo o porta-voz da Vaticano, os 115 cardeais eleitores deverão estar no Vaticano ao final do dia de amanhã, assegurando não ter sido ainda definida a data do Conclave.
Na congregação geral desta manhã, a quarta realizada até ao momento, os cardeais debateram o novo perfil do Papa para o mundo atual. Segundo Federico Lombardi, "houve 18 intervenções", sobre "a relação da Santa Sé" com os vários episcopados do mundo, e também sobre "a missão da Igreja no mundo de hoje e a necessidade de uma nova Evangelização".
Na habitual conferência de imprensa, o responsável falou ainda dos preparativos que decorrem na Capela Sistina, local onde irá decorrer o Conclave para a eleição do sucessor de Bento XVI, que resignou na passado dia 28 de fevereiro.

Fonte: Jornal de Notícias

Revelações aguardadas (Caso Bruno)

Bruno Fernandes ouve orientações 
de seu advogado Lúcio Adolfo  (Paulo filgueiras/EM/D.A Press)
Bruno Fernandes ouve orientações de seu advogado Lúcio Adolfo

Se, na condição de goleiro, Bruno Fernandes de Souza já teve nas mãos o resultado de inúmeras decisões, ele entra hoje no salão do júri do fórum de Contagem, na Grande BH, com o próprio futuro dependendo de seu posicionamento. Principal réu no processo sobre o sumiço e assassinato de Eliza Samudio, o atleta deve ser ouvido hoje e contar sua versão para o episódio. Tudo indica que não mais negará a morte. “Será um depoimento bombástico”, disse ontem o advogado Thiago Lenoir, que junto com Lúcio Adolfo defende o atleta.

Ele disse que é o momento de Bruno voltar às origens e contar tudo que sabe sobre a morte de Eliza Samudio. “Bruno está disposto a contar tudo que sabe. Bruno não é mais goleiro, ele é um preso. Tem que cair toda e qualquer máscara", disse Lenoir.

A expectativa, diante dos últimos movimentos da defesa, gira em torno do quanto Bruno admitirá sobre sua participação. Fontes ligadas à acusação ventilaram ontem que o ex-jogador pode estar disposto a dar evidências que indicariam o executor do crime, apontado nas investigações como o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola.

Ontem, a defesa se o movimentou na tentativa de reforçar a participação de Luiz Henrique Romão, o Macarrão, no assassinato. Um indicativo de que Bruno não pretende assumir sozinho a condição de mentor e mandante, e de que ainda aproveitaria para dar o troco no ex-braço direito, o primeiro a admitir que a vítima foi levada para a morte com o conhecimento do então chefe.

Foi o que indicou o bloco formado pelos defensores do goleiro e de sua ex-mulher Dayanne Rodrigues, além dos advogados de Bola, a partir do depoimento da única testemunha arrolada pela defesa, que acabou ouvida na condição de informante, Célia Aparecida Rosa Sales, prima de Bruno. A estratégia reforça a estratégia de reduzir uma pena que parece provável.

Bruno e sua ex-mulher, Dayanne Rodrigues, enfrentaram ontem o segundo dia de julgamento. Dayanne foi interrogada. O goleiro, por determinação da juíza Marixa Rodrigues, não pode assistir ao depoimento, retirou-se do plenário e voltou ao presídio no início da noite.

ARGUMENTOS


Mesmo com a possibilidade hoje de uma confissão, mesmo que parcial, do goleiro Bruno Fernandes, seus advogados de defesa insistiram ontem na estratégia de tentar livrar Bruno de qualquer envolvimento no sumiço e morte de Eliza Samudio. O argumento dos defensores era de que não há como Bruno confessar uma morte da qual ele não foi o mandante nem participou.

 Segundo o assistente de defesa Tiago Lenoir, não adianta fazer perguntas a ele como onde está o corpo da Eliza Samudio ou quem seria o Bola, porque ele não sabe. “Bruno não conhecia Bola. Bruno não mandou matar. Ele é inocente e a acusação não conseguiu produzir provas suficientes que consigam enquadrar a autoria do Bruno a esse fato (morte de Eliza)”, disse Lenoir, descartando uma possibilidade de confissão.

Ao contrário da denúncia que pesa sobre o atleta, a relação entre Bruno e Eliza que a defesa tenta demonstrar é de harmonia. Segundo Lenoir, o goleiro teria chamado Eliza para vir do Rio de Janeiro para Belo Horizonte para os dois acertarem um acordo e não para morrer. “A relação nunca foi de horror, de pânico ou de morte. A relação sempre foi de acordo”, disse. A inocência de Bruno, segundo ele, será comprovada, já que o goleiro está disposto a contar o que sabe e a colaborar com a verdades. No entanto, diante de um resultado negativo do conselho de sentença, Lenoir já adianta que a defesa vai recorrer.

Segundo Lúcio Adolfo, advogado de Bruno, sua vontade é que o goleiro não responda a perguntas da juíza Marixa Rodrigues e do promotor Henry Wagner. “Ainda não orientei o Bruno a respeito do interrogatório. Vamos avaliar as consequências”, disse.

HABEAS CORPUS


Deve ser julgado hoje o habeas corpus impetrado pelo advogado do goleiro, Lúcio Adolfo, há cerca de 70 dias. No documento, a defesa pede prisão domiciliar para Bruno, que tem proposta do Boa Esporte Clube, de Varginha, para jogar. O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) confirmou que o recurso será julgado hoje 4ª Câmara Criminal com três desembargadores.  (Andréa Silva, Guilherme Paranaiba, Valquiria Lopes, Paula Sarapu, Landercy Hemerson e Tiago de Holanda)

Fonte: Aqui.Uai

Veja fotos do apartamento onde Chorão foi encontrado morto em SP

Kleber Tomaz Do G1 São Paulo

Apartamento de Chorão estava bastante danificado (Foto: Divulgação)Apartamento de Chorão estava bastante danificado (Foto: Divulgação)

Imagens obtidas pelo G1 mostram o estado que estava o apartamento do cantor Chorão, do Charlie Brown Jr,, encontrado morto na madrugada desta quarta-feira (6). Nas fotos é possível ver que o imóvel estava bastante danificado, além de uma grande quantidade de embalagens de bebidas alcóolicas encontradas.

Ao deixar o apartamento de Chorão, o delegado Itagiba Vieira, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), disse que o imóvel estava muito danificado, num "processo de deterioração". Itagiba acredita que os danos tenham sido feitos pelo próprio cantor, já que o corpo foi encontrado com um dedo machucado e havia marcas de sangue no local. “Não tem nada que estivesse no lugar. Ele estava machucado no dedo, arrancou parte de uma unha, o que pode explicar as marcas de sangue na parede”, disse o delegado

Polícia encontrou bebidas no apartamento (Foto: Divulgação) 
Polícia encontrou bebidas no apartamento
(Foto: Divulgação)

O delegado Itagiba Vieira, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), disse nesta quarta-feira (6), que não acredita que o vocalista tenha sido vítima de um homicídio. "Aparentemente não foi homicídio. O IML é que vai dar a causa da morte. Aparentemente ou foi por uso de medicamento ou outra substância", disse o delegado.
A apresentadora Sônia Abrão, prima do cantor, disse que ele reclamava da solidão. Sônia era prima de chorão por parte de pai. Eles se encontraram pela última vez há cerca de sete meses, no velório do pai da apresentadora. Chorão, que segundo ela passava por uma depressão profunda, reclamou da solidão.
“Na última conversa que tivemos ele disse: ‘o que me derruba é que a gente nasceu sozinho e morre sozinho’. E ele morreu sozinho”, disse Sônia. “Faz um tempo que ele estava num processo de depressão muito profunda mesmo. Com o fim do casamento, as coisas pioraram muito para ele”. Chorão terminou o seu segundo casamento, que durou 15 anos, há cerca de seis meses, segundo informações da TV Globo.
Marcas de sangue foram encontradas no imóvel (Foto: Divulgação) 
Marcas de sangue foram encontradas no imóvel
(Foto: Divulgação)

A apresentadora não acredita na hipótese de suicídio. Segundo Sônia, ele era muito ligado à família e cuidava da mãe, vítima de um acidente vascular cerebral (AVC). “Ele deve ter tido uma crise de desespero forte, de solidão, depressão, seja o que for. Acho que ele não teve noção de que estava numa situação limite”. Ainda segundo Sônia Abrão, o cantor não fazia terapia. “Ele dizia que a sua terapia era o palco”.
Chorão, de 42 anos, foi encontrado morto por seu motorista e segurança nesta madrugada, em seu apartamento em Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo. Chorão, que morava em Santos, usava o apartamento esporadicamente, geralmente após shows.
O corpo de Chorão deixou o prédio por volta das 8h30 em um carro da Perícia Técnico Científica. As causas da morte serão determinadas pela perícia. Latas de bebidas alcóolicas foram recolhidas no apartamento do cantor. Perguntado se foram encontrados vestígios de drogas no apartamento, Itagiba disse que não iria comentar o assunto por enquanto. O corpo passará por exames toxicológicos.

A assessoria de imprensa da banda informou ao G1 que Chorão estava de férias e embarcaria para os Estados Unidos nos próximos dias. Ainda segundo a assessoria, o estado de saúde dele era bom.
O cantor e letrista, que faria 43 anos em 9 de abril, liderava a banda fundada por ele na cidade de Santos, no litoral de São Paulo, em 1992. Em 15 anos de carreira, o Charlie Brown Jr lançou nove álbuns de estúdio, dois discos ao vivo, duas coletâneas e seis DVDs. Ao todo, o grupo vendeu 5 milhões de cópias.

Chorão - Cronologia (Foto: Arte/G1)

Além de vocalista, Chorão era responsável pelas letras do Charlie Brown Jr e pelo direcionamento artístico e executivo da banda. Em 2005, o trabalho "Tâmo aí na atividade” foi premiado com o Grammy Latino de melhor álbum de rock brasileiro, o que se repetiu em 2010 com "Camisa 10 joga bola até na chuva".
No ano passado, o Charlie Brown Jr. lançou "Música Popular Caiçara", álbum ao vivo que marcou o retorno dos integrantes Marcão e Champignon à banda. Eles haviam deixado o grupo em 2005. As apresentações aconteceram em Curitiba e Santos. A produção do trabalho foi feita por Liminha e os shows contam com a participação de Falcão (O Rappa), Zeca Baleiro e Marcelo Nova. Das 15 faixas do CD, a única gravada em estúdio é "Céu azul".
Chorão foi o único integrante do Charlie Brown Jr que permaneceu no grupo em todas as suas fases. Paulistano, Chorão adotou a cidade de Santos desde a juventude, onde criou a banda. Seu apelido foi dado ainda na adolescência, quando ele não sabia andar de skate e ficava apenas olhando os amigos. Um deles, então, pediu que o jovem não chorasse. Segundo a GloboNews, a infância e a adolescência de Chorão foram difíceis por conta da separação dos pais, que aconteceu quando ele tinha 11 anos. O músico largou a escola na sétima na série.

Fonte: G1

Chorão é encontrado morto em São Paulo

O músico Alexandre Magno Abrão, mais conhecido como Chorão, vocalista da banda Charlie Brown Jr., foi encontrado morto, em casa, no bairro de Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, na madrugada desta quarta-feira (6). O motorista do cantor o encontrou desacordado e telefonou para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Chorão tinha 42 anos.
A Polícia Militar recebeu um chamado para averiguação de morte natural na residência do cantor às 5h18. O corpo foi encontrado no local e será examinado pela perícia. Inicialmente, o caso seria investigado pelo 14° DP, mas seguirá com o DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa). 

As causas da morte ainda são desconhecidas. Segundo a produtora do Charlie Brown Jr., o corpo foi levado para o IML (Instituto Médico Legal) por volta das 9h, e só será liberado à noite, o que implicará no adiamento do velório.

Chorão foi o vocalista e principal letrista da banda Charlie Brown Jr., que se formou em 1992 na cidade de Santos, litoral paulista. Ele foi o único integrante que participou de todas as formações da banda. Nascido em São Paulo, teve uma infância difícil e se mudou para o litoral paulista em 1987, já adolescente.
Além de sua dedicação à música, Chorão também se interessava pelo cinema. Ele roteirizou o filme O Magnata, de 2007, estrelado por Paulo Vilhena. O vocalista também escreveu o roteiro de O Cobrador, filme em produção. Além disso, o músico tinha uma linha de roupas, chamada DO.CE.

A paixão de Chorão pelo skate resultou na criação do Chorão Skate Park, pista indoor localizada em Santos. Antes de se dedicar ao esporte - Chorão participou de diversos campeonatos e foi vice-campeão paulista -, o vocalista era alvo de piadas dos amigos, que acabaram por resultar em seu apelido: Chorão observava os colegas andando de skate quando um deles, para zombar, disse "não chora!". A alcunha ficou.

 http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/d/d2/CantorCharlieBrown.jpg


O Charlie Brown Jr.
Formada em 1992, a banda que mescla hardcore, reggae rap e skate punk tinha como sua formação original Chorão, Renato Pelado, Marcão, Champignon e Thiago Castanho. 
A Polícia Militar recebeu um chamado para averiguação de morte natural na residência do cantor às 5h18 Foto: Futura Press
A Polícia Militar recebeu um chamado para averiguação de morte natural na residência do cantor às 5h18
Foto: Futura Press

As letras da banda davam voz à juventude, faziam críticas à sociedade e ao sistema e abordavam o universo do skate.

Em 2005, a banda desfez sua formação original e, apenas com Chorão como integrante antigo, voltou a se apresentar com novos músicos. Em 2011, porém, Marcão e Champignon voltaram ao grupo.

O Charlie Brown lançou 10 discos e vendeu mais de 5 milhões de álbuns. A banda estava com diversas apresentações marcadas para este ano, como um show em São Paulo, no Credicard Hall, em 6 de abril e um em Jaguariúna, interior paulista, em 12 de abril.

Fonte: Terra