terça-feira, 12 de março de 2013

BBB13 * Kamilla é eliminada

A modelo Kamilla Ghabrise, 25, foi eliminada hoje (12) na disputa da permanência da casa com Nasser Bernardes (24) e Andressa Ganacin (23) com 68% dos votos.

 http://l.yimg.com/bt/api/res/1.2/.5XkHCwmSeU6ofSCILMwiw--/YXBwaWQ9eW5ld3M7cT04NTt3PTYzMA--/http://media.zenfs.com/pt-BR/blogs/ultimas-bbb/kamilla-bbb13-bonequinha.jpg

Ordem de votação:
  1.  Kamilla Ghabrise (68%)
  2. Andressa Ganacin (24%)
  3. Nasser Bernardes (08%)
Fique ligado no BBB13! Como diz a Globo: Globo, a gente se liga em você!

Congresso aprova Orçamento de 2013


Congresso Nacional aprova orçamento de 2013
Congresso Nacional aprova orçamento de 2013 (José Cruz/ABr)

Brasília - Depois de quase três meses de atraso, o Congresso Nacional concluiu hoje (12) a votação do Orçamento Geral da União para este ano. A votação ocorreu apenas entre os senadores. A matéria tinha sido aprovada pelos deputados na semana passada, mas um acordo com os oposicionista adiou a votação para esta terça-feira.
A proposta foi aprovada por 54 votos favoráveis e 2 abstenções dos senadores. A votação foi nominal porque o PSDB do Senado pediu a verificação de quórum. Na semana passada, a votação da matéria na Câmara foi simbólica. O Orçamento segue agora à sanção presidencial.
A proposta  orçamentária aprovada por deputados e senadores fixa em R$ 2,27 trilhões a receita total da União, sendo R$ 610,1 bilhões para rolagem de dívidas e R$ 83,3 bilhões destinados a investimentos. A votação deveria ter ocorrido no ano passado, mas ficou pendente por causa da polêmica em torno da votação dos vetos presidenciais.
Com o atraso na deliberação da matéria, o governo vem usando, mensalmente, um doze avos da proposta original para o pagamento de despesas de custeio, repasses constitucionais e compromissos já firmados. Além disso, o governo editou uma medida provisória para a liberação de R$ 42,5 bilhões para investimentos.
A proposta orçamentária prevê crescimento de 4,5% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2013. O texto previa salário mínimo R$ 674,96 a partir de 1º de janeiro. A peça orçamentária relatada pelo senador Romero Jucá (PMDB-RR) prevê ainda que a taxa básica de juros (Selic) ficará em 7,25%, a inflação em 4,91% e o superávit primário de 3,1% do PIB.
Edição: Aécio Amado

Fonte: EBC

Gurgel diz que demora em executar prisões abala credibilidade do Judiciário

Gurgel diz que demora em executar prisões abala credibilidade do Judiciário Nelson Jr./STF,divulgação
Gurgel disse que "esperança" só vai se concretizar com prisões Foto: Nelson Jr. / STF,divulgação

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, cobrou nesta segunda-feira a prisão dos condenados na Ação Penal 470, o processo do mensalão.
Segundo ele, a demora na execução das sentenças abala a credibilidade do julgamento realizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no ano passado.
– É preciso que aquelas pessoas condenadas a penas privativas de liberdade tenham mandados de prisão expedidos e sejam recolhidas à prisão, a exemplo do que acontece com as pessoas pobres que são recolhidas à prisão – disse Gurgel, durante entrevista coletiva.
> Leia todas as matérias sobre o julgamento do mensalão
Ele também cobrou outros efeitos das condenações, como a perda de mandato parlamentar.
O STF condenou 25 dos 37 réus, sendo que 11 deles devem cumprir regime inicialmente fechado. Neste momento, o tribunal se dedica à preparação do acórdão, que reúne as principais decisões tomadas. Só após a publicação do acórdão as partes podem recorrer. As sentenças são executadas quando não houver mais possibilidade de recurso.
Gurgel acredita que o acórdão deve ser publicado até abril, o que permitiria que as sentenças fossem cumpridas ainda este ano.
– Achávamos que os encastelados no poder não poderiam ser alcançados. (O julgamento) deixou essa grande esperança, mas é preciso que essa esperança se concretize. E vai se concretizar apenas com a execução das penas pelo Supremo Tribunal Federal.

Fonte: Zero Hora

Marte pode ter abrigado vida, afirma Nasa

Nesta terça-feira (12), a Agência Espacial Americana (Nasa) informou que Marte pode abrigado vida. A conclusão foi feita a partir de uma amostra de rocha recolhida pelo jipe-robô Curiosity.
No material, os cientistas conseguiram identifica r a presença de enxofre, nitrogênio, hidrogênio, oxigênio, fósforo e carbono, alguns dos componentes químicos essenciais para a vida.
"Uma questão fundamental para esta missão era a de se Marte poderia ter contado com um ambiente habitável", disse Michael Meyer, cientista chefe do Programa de Exploração de Marte na sede da agência em Washington. "Pelo que sabemos agora, a resposta é sim", afirmou.
Assim, a Nasa explica que no local onde o robô estava explorando, em uma área da baía de Yellowknife, deve ter existido um lago ou mesmo um pequeno rio ao qual poderia conter os ingredientes químicos para a vida microbiana.
"Está em evidência um período muito antigo, mas estranhamente diferente para nós, de que Marte já teve condições favoráveis para a vida em algum momento", disse o cientista John Grotzinger, ligado ao Instituto de Tecnologia da Califórnia e à Nasa.
Para confirmar os resultados, uma nova amostra de rocha será coletada pelo Curiosity.

Fonte: Oficina da Net

Suspeito de matar professora postou homenagem no Facebook dias antes

Mensagem compartilhada pelo suspeito no dia 23 de fevereiro (Foto: Reprodução/Facebook) 
Mensagem compartilhada pelo suspeito no dia 23
de fevereiro (Foto: Reprodução/Facebook)

Quinze dias antes do assassinato da professora de português Simone Lima, de 27 anos, na noite de segunda-feira (11), em Itirapina (SP), o suspeito do crime compartilhou uma mensagem no Facebook sobre a importância dos educadores para os japoneses. O corpo da vítima foi enterrado na tarde desta terça-feira (12) no Cemitério Municipal. A Polícia Civil trabalha com a hipótese de crime passional.

"No Japão o único profissional que não precisa se curvar diante do imperador é o professor, pois, segundo os japoneses, numa terra em que não há professores não pode haver imperador", diz a mensagem no Facebook do estudante Thomas Hiroshi Haraguti, de 33 anos, que foi preso em um canavial na madrugada desta terça-feira (12). Acima do texto, postado no dia 23 de fevereiro, ele escreveu: "Bom sabe [sic]".

A foto do perfil de Haraguti foi removida da rede social após o crime, mas a conta continua ativa. O aluno é suspeito de matar a professora de 27 anos a facadas por volta das 19h desta segunda-feira. Segundo o delegado José Franciso Minelli, o estudante seria apaixonado pela professora, mas não era correspondido.

Thomas Hiroshi Haraguti foi preso após matar professora de Itirapina (Foto: Reprodução/EPTV) 
Thomas Hiroshi Haraguti foi preso após matar
professora de Itirapina (Foto: Reprodução/EPTV)

O setor de comunicação social da Delegacia Seccional de Rio Claro divulgou uma nota informando que, no interrogatório, o homem disse que "tinha bronca da professora, que se sentia humilhado e praticou o crime por ódio, porém, não explicou com detalhes os motivos".
Ainda de acordo com a nota, o suspeito começou a estudar na Escola Estadual Professor Joaquim de Toledo Camargo neste ano. "As testemunhas ouvidas no flagrante não souberam informar quais os reais motivos do crime e disseram que nunca ouviram da vitima qualquer reclamação sobre possíveis ameaças ou assédio que ela estaria sofrendo por parte de algum aluno", dizia outro trecho.

A mãe do suspeito, Vera Lúcia Cazão,  não consegue aceitar a atitude do filho. Ela disse que na adolescência ele era viciado em maconha e crack e, mesmo passando por muitos tratamentos, ficou com sequelas. "Ele é um menino quieto, que dorme pouco. Quando ele fica muito tempo sem dormir, ele começa a andar muito, cantar, falar sozinho. Eu criei meu filho para ser um homem, não para ser o que ele se tornou ontem", disse emocionada.
Haraguti está na Cadeia de Rio Claro e deve ser transferido para a Penitenciária de Itirapina. Ele responderá por homicídio doloso, quando há intenção de matar.

Entenda o caso
O crime aconteceu dentro da Escola Estadual Professor Joaquim de Toledo Camargo. Ainda segundo testemunhas, o suspeito entrou na sala dos professores, empurrou um deles e atacou Simone, que não teve tempo de reagir. A vítima chegou a ser socorrida pelo Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu), mas já chegou ao hospital sem vida.
O estudante, que tem aulas pelo programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA),  foi encontrado pela Polícia Militar às 3h desta terça. Ele estava escondido em um canavial próximo a um resort na zona rural de Itirapina. Com o suspeito, que não reagiu à prisão, os policiais encontraram a faca usada no crime.

A professora Simone Lima foi morta dentro de uma escola estadual de Itirapina (Foto: Reprodução/ Facebook) 
A professora Simone Lima foi morta dentro de uma escola estadual (Foto: Reprodução/ Facebook)
 
Professora amiga
Simone vivia com a irmã Silmara de Lima, desde que ficou órfã de pai e mãe.“Eu acho que era um amor platônico que ele tinha por ela e como não era correspondido resolveu se vingar dessa forma monstruosa que abalou a cidade inteira”, falou Silmara.

Segundo alunos de Simone, ela dava aulas como professora substituta na escola há cerca de três anos. Luciana Acorsi, estudante do 3º ano do ensino médio na escola, disse que a docente era muito querida. "Simpática, explicava a matéria muito bem. Não tinha problema, sempre ajudava, muito amiga. Parecia que ela era parente de todo mundo. A escola perdeu uma grande professora", lamentou emocionada.
A estudante Adrieli Azevedo, também do 3º ano, afirmou que a escola está chocada com o crime. "Ninguém tinha o que reclamar dela. É difícil acreditar que isso aconteceu. A gente espera justiça. A pessoa que fez isso não pode ficar na rua".

Sem aulas
As aulas na Escola Estadual Professor Joaquim de Toledo Camargo foram suspensas por dois dias e só devem ser retomadas na quinta-feira (14). A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo divulgou uma nota durante a noite lamentando a morte da professora.

Fonte: G1

Com Chávez ainda em velório, Venezuela se prepara para novas eleições

Uma semana depois da morte do presidente Hugo Chávez, cujo corpo ainda está sendo velado, a Venezuela se divide entre homenagens ao homem que a governou desde 1999 e uma tensão eleitoral alimentada por acusações mútuas.
Os venezuelanos retornaram nesta terça-feira à normalidade após sete dias de luto nacional e no meio de uma nova batalha pelo poder, desta vez entre o discípulo do falecido governante, o presidente interino, Nicolás Maduro, e o líder opositor Henrique Capriles.
O esperado tratamento hoje na Assembleia Nacional da emenda constitucional para que o corpo de Chávez possa ser levado ao Panteão Nacional acabou sendo adiado, porque o governo quer estudar mais "os mecanismos" para essa mudança.
Hoje a oposição denunciou uma suposta emboscada a seu candidato que lhe impediu de apresentar pessoalmente sua candidatura perante o ente eleitoral, enquanto o governo aposta em uma vitória certa de Maduro em nome de Chávez, que hoje recebeu uma nova homenagem.
Oito dias depois da morte de Chávez as lembranças do homem que governou o país durante 14 anos se confundem com uma campanha que começou marcada por milhares de chavistas que seguem chegando de diferentes pontos do país e se mantêm em longas filas para dar o último adeus ao falecido líder.
Maduro, indicado por Chávez em dezembro do ano passado antes da quarta operação à que se submeteu após diagnosticar um câncer em meados de 2011, apresentou ontem sua candidatura com a promessa de continuar com as bandeiras da revolução bolivariana.
"Esse povo de Simón Bolívar, que está aqui com seu coração dolorido, ontem na rua disse uma só frase: Nicolás Maduro, este homem que está aqui, operário, filho de Chávez, vai ser presidente da República por mandato do povo", afirmou Maduro após receber oito embaixadores designados para a Venezuela.
Maduro assegurou ao canal estatal "VTV" que ontem, quando esteve amparado por milhares de apoiadores de Chávez que o acompanharam no Conselho Nacional Eleitoral (CNE), o povo levava a "marca" e a "força" da vitória em seus rostos e olhos.
"Nada nem ninguém vai nos tirar a vitória em 14 de abril, nada nem ninguém (...) A vitória pertence ao povo de Bolívar, de Simón Bolívar, pertence ao comandante Hugo Chávez que levantou as bandeiras de Simón Bolívar de maneira autêntica", acrescentou.
O novo vice-presidente, Jorge Arreaza, genro de Chávez, também previu o triunfo de Maduro, no que considerou uma vitória do falecido governante e impulsor da revolução bolivariana.
Enquanto isso, a oposição denunciou que seu líder, Henrique Capriles, não formalizou pessoalmente sua candidatura ontem devido a informações que estava sendo preparada uma emboscada para "agredir e atentar" contra sua vida.
"Recebemos informações muito sérias e de fontes fidedignas, inclusive de órgãos de segurança, de inteligência do próprio governo, que se preparava contra o candidato Henrique Capriles uma emboscada nas imediações ou nas próprias instalações" do CNE, disse o chefe da campanha opositora, Henry Falcon.
Um representante da equipe de Capriles inscreveu ontem a candidatura do opositor para o pleito do próximo dia 14 de abril, nos quais enfrentará, além de Maduro, outros seis aspirantes.
Falcon anunciou que a oposição estará "nas próximas horas" no Ministério Público "para fazer as denúncias formais" para que se investigue e se determine responsabilidades "e que o Executivo se pronuncie sobre estes fatos".
"O que pode acontecer na Venezuela se Henrique Capriles Radonsky, (...) vir sua integridade física ser comprometida? Podem surgir cenários que ninguém quer", acrescentou o dirigente.
Segundo o chefe de campanha, "foi tão delicada a circunstância" que o representante enviado pela oposição para apresentar a candidatura de Capriles teve "sérias dificuldades" para deixar a sede do Conselho e precisou usar uma "saída diferente" com "veículos e escoltas" do CNE, enquanto Maduro considerou um gesto de "fraqueza" a ausência do líder opositor.
E enquanto governo e oposição se preparam para uma campanha eleitoral de apenas dez dias, entre 2 e 11 de abril, Chávez será homenageado novamente nesta sexta-feira, quando seu corpo será levado a um museu no oeste de Caracas onde permanecerá embalsamado antes que se defina a última morada do líder bolivariano.

Fonte: Terra

Ex-ditador da Argentina é condenado à prisão perpétua

Foto: DivulgaçãoO último militar ditador da Argentina, Reynaldo Bignone, foi condenado nesta terça-feira à prisão perpétua por crimes contra a humanidade. Além dele, outros quatro militares receberam a mesma condenação.
De acordo com o Centro de Informação Judicial da Suprema Corte Argentina, os crimes foram cometidos no campo de extermínio de Campo de Mayo durante a didadura militar, entre os anos de 1976 e 1983. Bignone foi o último governante do período, que teria deixado 30 mil pessoas desaparecidas.
Além de Reynaldo e os outros quatro militares, mais seis acusados foram condenados no mesmo julgamento no Tribunal Oral Federal de San Martín. Eles receberam penas que variaram de 12 a 25 anos de prisão.

Fonte: Sidney Rezende

Rock in Rio anuncia Justin Timberlake para 15 de setembro

O ator e cantor Justin Timberlake
O ator e cantor Justin Timberlake (Getty Images)

A organização do Rock in Rio, que acontece em setembro no Rio de Janeiro, anunciou nesta segunda-feira a participação do cantor americano Justin Timberlake. Ele se apresentará no dia 15. A organização também avisou que as apresentações de Bruce Springsteen e John Mayer, programadas inicialmente para esse dia, ficaram para 22 de setembro.
"Estamos muito felizes por trazer o Justin. Agradecemos a Bruce e John por terem adaptado suas agendas e mudado a data de suas apresentações. Tenho certeza de que eles farão um grande show, independentemente do dia que subirão ao palco", declarou Roberto Medina, criador e organizador do festival.
Timberlake está prestes a lançar seu terceiro álbum de estúdio, The 20/20 Experience, previsto para chegar ao mercado brasileiro este mês. Os outros artistas "principais" nos demais dias de programação do festival são Beyoncé (13 de setembro), Metallica (20) e Bon Jovi (21) e as bandas britânicas Muse (14) e Iron Maiden (22).
A programação desses dias será completada por artistas como as bandas britânicas Slayer e Florence and The Machine, o grupo californiano de rock alternativo Thirty Seconds to Mars, os americanos do Matchbox Twenty, os percussionistas franceses de Les Tambours du Bronx e o grupo sueco Ghost, entre outros.
A lista de brasileiros será liderada por bandas como Sepultura, Capital Inicial e Jota Quest, além de Ivete Sangalo, entre outros.

(Com agência EFE)

Ciclista atropelado estava na contramão, diz polícia

A delegada Priscila de Oliveira Rodrigues afirmou na tarde desta terça-feira (12) que o ciclista atropelado na avenida Paulista no domingo (10) estava pedalando na contramão. A informação teria sido dada pelo próprio ciclista em depoimento prestado nesta terça-feira à polícia no Hospital das Clínicas, onde está internado.

J. Duran Machfee/Futura Press
Bicicleta danificada após ciclista ser atropelado na avenida Paulista, em São Paulo, no domingo
"O que ele esclareceu de novo que a gente não sabia é que ele vinha no sentido contrário da via." Ou seja, a vítima do atropelamento, o operador de rapel David Santos Souza, de 21 anos, estava no sentido Consolação, quando a pista em que estava pedalando tem rolamento rumo ao Paraíso.
No acidente, Souza teve o braço direito decepado pelo carro do universitário Alex Kosloff Siwek, de 21 anos, que fugiu sem prestar socorro e arremessou o membro cortado no Córrego do Ipiranga, na zona sul de São Paulo.
A delegada afirmou que Souza estava trafegando dentro na ciclofaixa de lazer, que estava sendo montada com cones naquele instante. De acordo com ela, Souza só se lembra de ter visto o automóvel de Siwek derrubar três cones. "Ele viu o veículo vindo em alta velocidade e do momento do impacto ele não se recorda." Souza está consciente, seu quadro é estável, mas está abatido.

Fonte: Último Segundo

Baengnyeong: saiba mais sobre a ilha ameaçada de ser atacada pela Coreia do Norte


Baengnyeong ilha coreia do sul
 
A ilha é a área sul-coreana mais próxima da Coreia do Norte e mais distante da parte continental da Coreia do Sul(www.ongjin.go.kr).
 
Ameaçada como primeiro alvo da Coreia do Norte, a ilha de Baengnyeong integra um distrito (tradução livre de Ongjin County) da Coreia do Sul juntamente a outras três ilhas. O conjunto de ilhas é popular para o turismo, de acordo com informações do site oficial. O local também é usado como cenário para filmagens para séries de tevês locais.
Baengnyeong é a área sul-coreana mais próxima da Coreia do Norte e a mais distante da parte continental da Coreia do Sul. Após o acordo de paz em 1953 entre os dois países, a Coreia do Sul ficou com o controle da ilha. Uma viagem de barco dura, em media, cerca de quatro horas a partir do continente.
Devido a sua proximidade com a Coreia do Norte, o local se tornou também base militar para a Coreia do Sul. Em março de 2010, uma embarcação sul-coreana afundou nas proximidades de Baengnyeong. Metade da população morreu e investigações apontaram como causa um torpedo de origem norte-coreano, o que foi negado pela Coreia do Norte
A Coreia do Norte ameaçou começar uma "guerra termonuclear" e denunciou o armistício que pôs fim à Guerra da Coreia (1950-53). A tensão na península aumenta após o lançamento de um foguete que Seul e aliados consideraram um míssil balístico.

Curiosidade - A garça chinesa, considerada uma das 50 aves mais raras do mundo, é comum na região.

Fonte: EBC

Quatro testemunhas são ouvidas no 2º dia de julgamento de Mizael

O segundo dia de julgamento de Mizael Bispo de Souza, acusado de matar a advogada Mércia Nakashima, em maio de 2010, foi interrompido às 20h35 desta terça-feira (12) pelo juiz Leandro Bittencourt Cano, após a conclusão do depoimento do investigador Alexandre Simoni Silva, a quarta testemunha do dia e a sétima a ser ouvida no júri.
Antes do policial ouvido, prestaram depoimento nesta terça-feira o delegado que presidiu o inquérito que apurou a morte de Mércia Nakashima, Antonio de Olim, o advogado Arles Gonçalves Júnior, que foi indicado pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para acompanhar o processo e representar o vigia Evandro Bezerra Silva, que será julgado como cúmplice do crime, e a corretora Rita Maria de Souza, a primeira testemunha de defesa e que trabalha em uma imobiliária embaixo do escritório de advocacia de Mizael.
No primeiro dia de julgamento, nesta segunda-feira (11), foram ouvidos os depoimentos do irmão de Mércia Nakashima, de um biólogo e de um engenheiro. Novas testemunhas da defesa vão continuar a ser ouvidas a partir das 9h desta quarta-feira (14) no Fórum de Guarulhos, na Grande São Paulo.
O depoimento mais importante desta terça-feira foi o do delegado Antonio Assunção de Olim, que contou como suspeitou que o réu havia matado a advogada Mércia Nakashima, em maio de 2010. Ele foi o responsável por investigar o caso pelo Departamento de Homicídio e de Proteção à Pessoa (DHPP). “Eu não tenho dúvida nenhuma de que o Mizael matou a Mércia”, disse Olim no júri.
O depoimento começou às 9h20. Durante mais de cinco horas, o delegado falou sobre o percurso feito pelo réu no dia da morte de Mércia, com base no rastreador instalado no veículo. Segundo Olim, Mizael desconhecia o fato de seu veículo possuir um rastreador que foi instalado pela seguradora a pedido de Mércia.
O delegado falou também sobre ligações telefônicas feitas por Mizael e que, segundo o registro das antenas de telefonia, mostram que Mizael esteve em Nazaré Paulista, local onde Mércia foi assassinada em uma represa.
Mizael responde por homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima). De acordo com a denúncia, Mizael matou a ex-namorada, então com 28 anos, porque ela não queria reatar o relacionamento.
O policial reformado nega ter matado Mércia e afirmou que passou a noite do crime com uma prostituta. A Promotoria, no entanto, diz ter provas que derrubam a versão do acusado, como o laudo que mostra que o sapato dele tinha alga compatível com as da represa de Nazaré.
O julgamento começou na segunda. O corpo de jurados é formado por 5 mulheres e 2 homens. Segundo o Tribunal de Justiça, trata-se do primeiro julgamento do país transmitido ao vivo.

Balanço do MP
Após o segundo dia do julgamento de Mizael Bispo de Souza, o promotor Rodrigo Merli disse acreditar que os jurados decidirão pela condenação do réu. " As testemunhas de defesa foram favoráveis para a acusação", disse. "A defesa fez um favor ao trazer uma testemunha de acusação, não de defesa", acrescentou, referindo-se ao policial civil Alexandre Simoni, arrolado pelos advogados de Mizael.
Para o promotor, a estratégia da defesa é trazer os profissionais que trabalharam na investigação do crime e "destruir" a reputação deles. "Mas não conseguiram."
Na quarta-feira deverão ser ouvidas outras três testemunhas da defesa e uma do juízo. A previsão é que o réu fale na quinta e o veredicto seja dado na sexta. Os advogados de Mizael não deram entrevista após o segundo dia do júri. Eles disseram que só falarão com a imprensa no fim do julgamento.

Segundo dia
O delegado Antônio de Olim afirmou que Mizael não soube descrever as características da mulher com quem diz ter ficado por quatro horas naquele dia. “Ele não lembrava nem o nome nem a cor do cabelo”, disse o delegado. Segundo o delegado, uma mulher se apresentou dizendo ser a prostituta, mas depois foi à delegacia dizer que acreditava que o réu havia matado a advogada.
A polícia analisou na investigação cinco linhas telefônicas de Mizael e depois descobriu uma sexta. A análise das ligações mostraram que Mizael recebeu uma ligação da filha quando estava na região de Nazaré Paulista, às 21h20.
No confronto entre o relatório do rastreador e das ligações telefônicas, a polícia chegou a Evandro Bezerra Silva, vigia acusado de ajudá-lo a assassinar a advogada e de ir buscá-lo em Nazaré Paulista.
A constatação foi que Mizael se comunicou 16 vezes no dia do crime com Evandro. “Era um telefone frio usado só para falar com Evandro porque ele [Mizael] já estava planejando matar a Mércia”, disse Olim, respondendo aos questionamentos do promotor Rodrigo Merli.
Após o crime, Evandro fugiu e foi preso em Sergipe. O delegado afirmou que o vigia contou "tranquilamente" sobre o plano com Mizael. “Não tinha como falar que não era ele [Evandro]. O telefone dele não anda sozinho”, afirmou.
Durante a inquirição feita pela defesa o clima esquentou no plenário. A defesa tentou destacar ao longo das perguntas que o delegado entrou em contradições e que há falhas na investigação. Perguntou por exemplo se o delegado fez uma pesquisa dos clientes de Mércia e por que não apreendeu o rastreador do veículo de Mizael.
Um dos advogados de defesa, Ivon Ribeiro, chegou a afirmar que o delegado mentia. O promotor Rodrigo Merli então afirmou que Ribeiro era desleal. "O diabo é o pai da mentira. O senhor é amigo do diabo. Após a confusão, o juiz determinou que as perguntas da defesa deveriam ser feitas a ele, que então as repassaria ao delegado.
A segunda testemunha do dia foi o advogado Arles Gonçalves Júnior, que foi indicado pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para acompanhar o processo e representar o vigia Evandro. Gonçalves Júnior afirmou em seu depoimento nesta terça que se ofendeu com afirmações do advogado de Mizael sobre fatos que teria esquecido de propósito. A polêmica fez o juiz Leandro Cano intervir novamente e pedir que as perguntas fossem feitas a ele, e então o juiz as repassaria à testemunha.
Após o advogado, a primeira testemunha de defesa a falar foi a corretora Rita Maria de Souza, que trabalha em uma imobiliária embaixo do escritório de advocacia de Mizael. Ela disse que Mizael e Mércia tinham um bom relacionamento e que Mizael ajudou bastante Mércia, inclusive cedendo clientes. Neste momento, a família de Mércia mostrou indignação. Janete Nakashima, mãe de Mércia, deu um riso irônico. Uma jovem ao seu lado acrescentou, em voz baixa: "Que absurdo".
Após esse depoimento, falou energia no plenário, e a sessão foi interrompida por pouco mais de trinta minutos.
No retorno, o investigador Alexandre Simoni Silva contou como chegou a uma linha que era usada por Mizael e que ele teria utilizado no dia da morte de Mércia para se comunicar com Evandro, segundo a investigação. O número foi descoberto pela análise das contas de telefone de Mércia, que chegou a ligar para a linha após tentar os outros números que pertenciam a Mizael. Falou também sobre as conclusões do rastreamento do veículo de Mizael.
O investigador, inclusive, disse que foi graças à descoberta deste aparelho "celular frio" de Mizael que foi confirmada a participação de Evandro no crime. "Esse número (de celular) que nos possibilitou chegar ao Evandro. Não sabíamos quem era ele", disse Silva. Segundo ele, no dia 23 de maio de 2010, Mizael fez 16 ligações para Evandro utilizando o aparelho e recebeu outras três do vigia no mesmo dia. "A única exceção é uma ligação às 21h21 da filha dele (de Mizael)", explicou.

Primeiro dia
No primeiro dia de julgamento, nesta segunda-feira (11), foram ouvidos os depoimentos do irmão de Mércia Nakashima, de um biólogo e de um engenheiro. Durante quatro horas, Márcio Nakashima alinhou os argumentos que sustentam sua desconfiança em relação a Mizael , que ele o descreveu como possessivo. "No início era um relacionamento normal. Depois ele se transformou, virou um sujeito possessivo", afirmou
Também foram ao plenário nesta segunda o biólogo Carlos Eduardo de Mattos Bicudo que apontou indícios de que Mizael esteve na represa onde o corpo de Mércia foi encontrado. Com mestrado em Michigan e doutorado pela Universidade de São Paulo  (USP) em taxonomia de algas, Bicudo analisou as lâminas com restos de sedimentos do sapato e do tapete do carro de Mizael.  Para o especialista,  trata-se de uma alga aquática e subaquática que exige substrato (rochas, plantas) para se fixar.  "Tudo indica a presença dele [Mizael, na represa]", afirmou.
O terceiro a falar na segunda-feira foi o engenheiro Eduardo Amato Tolezani que apresentou, em projeção na parede do plenário do Fórum de Guarulhos, a metodologia usada na análise das ligações feitas pelo celular de Mizael e do posicionamento do carro do réu na noite do crime.
Após os depoimentos das testemunhas de acusação, as testemunhas de defesa serão ouvidas. Em seguida Mizael será interrogado. Por fim, acusação e defesa vão expor seus pontos de vista, e os jurados se reunião na sala secreta para decidir.

Fonte: G1