quarta-feira, 3 de abril de 2013

Beyoncé cantando Amy Winehouse vira hit

A música Back to Black, de Amy Winehouse, na voz de Beyoncé. Já imaginou a mistura? Pois essa é a ideia do diretor da trilha-sonora do filme O Grande Gatsby. A notícia "Beyoncé cantando Amy Winehouse" ganhou destaque nas mídias sociais nesta terça-feira, 2, após anúncio oficial da produtora do longa-metragem. A mistura, que ainda não caiu na web para download, já virou hit de comentários.

Beyoncé

Beyoncé vai cantar música de Amy Winehouse para trilha de filme

"Beyoncé cantando Back to Black não tem nada a ver. Nossa, aí forçaram a barra. A Amy Winehouse deve estar se revirando lá em cima", escreveu Jéssica Garcia, fã de Amy, através do Facebook. "Muito bacana a iniciativa do filme de colocar a Diva Beyoncé como cover de Amy Winehouse. Estou ansiosa para ouvir essa nova versão da música", elogiou Fátima dos Santos, também via Face.

A música cover de Amy Winehouse tem Beyoncé e André 3000 cantando juntos para a produção da trilha sonora do filme O Grande Gatsby, com direção de Baz Luhrmann. No elenco do longa-metragem estão estrelas de Hollywood, como Leonardo DiCaprio, Tobey Maguire e Carey Mulligan. O Grande Gatsby estreia no Festival de Cannes, na França, no dia 15 de maio. No Brasil, ainda não foi divulgado qual será o nome oficial de 'O Grande Gatsby' (The Great Gatsby).

Quem está produzindo a música cover é o rapper e marido de Beyoncé, Jay-Z, com a assinatura da Interscope Records. Dizem que a nova versão de 'Back to Black' vai surpreender muita gente por estar em uma roupagem completamente diferente da consagrada por Amy.

Será que vai ficar boa essa mistura de Amy Winehouse e Beyoncé em Back to Black?

Fonte: Os Paparazzi

Juiz Nicolau tem primeira condenação definitiva

O Supremo Tribunal Federal emitiu, nesta terça-feira (02/04), certidão de trânsito em julgado da condenação do ex-juiz Nicolau dos Santos Neto pela prática do crime de lavagem de dinheiro, cometido durante a construção do Fórum Trabalhista de São Paulo. Com o trânsito em julgado da condenação, o STF confirmou o acórdão proferido pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) com a condenação do réu, por crime de lavagem de dinheiro, à pena de 9 anos de reclusão, perdimento dos bens e multa de R$ 600 mil.
Trata-se da primeira condenação definitiva do ex-juiz, que responde por outros crimes em ações penais propostas pelo Ministério Público Federal envolvendo desvio de verbas públicas durante a construção do prédio do Fórum Trabalhista  na capital paulista, na década de 1990.
Nestas ações figuram também como réus o ex-senador Luiz Estevão de Oliveira Neto, Fábio Monteiro de Barros Filho e José Eduardo Teixeira Ferraz. O escândalo resultou no desvio de R$ 990 milhões, em valores atualizados em meados de 2012, .
Trata-se da primeira condenação definitiva do ex-juiz Nicolau dos Santos
Trata-se da primeira condenação definitiva do ex-juiz Nicolau dos Santos
Os recursos contra a condenação pelo crime de lavagem de dinheiro no STF estavam sob a relatoria, desde o final de novembro de 2012,  do ministro Teori Zavascki. Havia o risco de ocorrer a prescrição desse crime nesta quarta-feira (04/04), mas o risco foi afastado após o ministro julgar, de forma célere, todos os recursos interpostos no período pelos advogados do ex-juiz, e determinar a emissão da certidão de trânsito em julgado da ação.
Assim, ocorreu o início da execução definitiva da pena imposta ao ex-juiz pelo TRF-3, pela prática do crime de lavagem de dinheiro, que era até então provisória.

Condenações
Nicolau dos Santos Neto foi condenado, pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região a penas que, somadas, resultam em  48 anos de prisão, das quais já prescreveram 14 anos, relativos às penas impostas em processos crime pela prática dos crimes de estelionato e de evasão de divisas.
Em maio de 2012, a 6ª Turma do STJ não admitiu o recurso especial interposto por Nicolau dos Santos Neto no processo relativo aos crimes de corrupção passiva, estelionato e peculato. Nesse processo  também foi confirmada a condenação do ex-senador Luiz Estevão de Oliveira, Fábio Monteiro de Barros Filho e José Eduardo Teixeira Ferraz pela prática dos crimes de corrupção ativa, estelionato, peculato, formação de quadrilha e uso de documento falso.
Com a interposição de novos recursos pelos condenados, aguarda-se que a Ministra Assusete Magalhães, componente da 6ª Turma do STJ,  leve os recursos a julgamento, tendo em vista a prescrição que ocorrerá até maio de 2014, relativa  aos crimes de formação de quadrilha e uso de documento falso.
O Ministério Público Federal aguarda o julgamento definitivo de outro recurso interposto por Nicolau dos Santos Neto perante o STF, que está sob a relatoria do Ministro Marco Aurélio, a fim de que tenha início a execução definitiva do ex-magistrado pela prática dos crimes de peculato e corrupção passiva.

Fonte: Jornal Do Brasil

Desorientado, motorista de ônibus é confuso ao dar versão sobre acidente

Segundo o policial, o condutor estava desorientado e chegou a se confundir em vários momentos. Há relatos de que o acidente aconteceu após uma briga no coletivo.

“Ele pode ter perdido a memória recente. Disse que um carro surgiu e que ele não teve como evitar o choque. As imagens das câmeras internas do veículo poderão esclarecer exatamente o que aconteceu. Também requisitamos imagens das câmeras da CET-Rio”, afirmou o delegado.

Foto: Arte: O Dia
Arte: O Dia
José Pedro contou ainda que ouviu duas testemunhas que estavam dentro do coletivo. Eles relataram que o motorista estava em alta velocidade, não parava nos pontos e que um passageiro teria ido tirar satisfações com o motorista por ele não ter parado no ponto.

“Há relatos de que o motorista teria recebido chutes e que deu sinais de desmaio. A pessoa seria um jovem universitário e que, depois do acidente, saiu do local lúcido e com ferimento na boca. Estamos procurando esta pessoa. Se for comprovado que ele deu chutes no motorista, poderá responder por homicídio doloso (quando há intenção de matar)", esclareceu o delegado.

Ônibus foi desvirado às 19h30, três horas após a tragédia: pista passou por limpeza, em virtude da grande quantidade de óleo derramado, e liberada | Foto: João Laet / Agência O Dia
Ônibus foi desvirado às 19h30, três horas após a tragédia: pista passou por limpeza, em virtude da grande quantidade de óleo derramado, e liberada | Foto: João Laet / Agência O Dia
A versão do soco é a mesma sustentada por Juraci Galdino, inspetor da empresa  Paranapuan . “Tenho certeza que o motorista foi agredido por um passageiro. Isso aconteceu porque ele não parou no ponto ou porque não quis dar carona”, afirmou Galdino. Os nomes das vítimas foram divulgados à noite: Ângela Maria Reis da Silva, Luciana Chagas da Silva, Marcius Flávio do Nascimento,  Luis Antônio do Amaral, Oséias da Silva Cardoso, Francisco Batista da Souza e José Adailton de Jesus.

Testemunha conta como foi a discussão

Dois passageiros que estavam no veículo pouco antes da tragédia afirmaram que houve discussão entre uma terceira pessoa e o motorista do coletivo. O motivo: o funcionário da empresa Paranapuan não teria parado num ponto.

“Até o Fundão, estava tudo tranquilo, algumas pessoas desceram. Depois, um passageiro começou a reclamar com o motorista e pulou a roleta. Houve discussão, e eu desci antes da queda”, disse o vendedor Ari Osvaldo Lima dos Santos, em entrevista à Globo News.
Outra testemunha, Nelson Martins Bezerra contou a mesma versão de Ari Osvaldo.

Vítima estava prestes a descer

Estudante do 1º período do curso de Farmácia da UFRJ, Amanda Santana, de 17 anos, estava prestes a saltar do ônibus quando ouviu uma discussão entre jovens da universidade e o motorista.

“Ela me disse que não entendeu o motivo da discussão, mas houve uma gritaria. Um dos meninos pulou a roleta. Depois, ela só lembra de ter sido ‘cuspida’ da porta traseira”, contou o padrasto da jovem, Manoel Monteiro, 35 anos, que passou a noite no Hospital Getúlio Vargas, onde Daniela está internada com lesões na coluna.

Fonte: O Dia

Depois de polêmica com a Banda Calypso, Chimbinha está em depressão, diz jornal

O cantor Chimbinha, 39, está sofrendo de depressão, segundo informações da coluna "Retratos da Vida", do jornal "Extra", publicada nesta terça-feira (2). O cantor se consultou com um psiquiatra e iniciou um tratamento com medicamentos anti-depressivos.

Leia mais:
Cantora Joelma compara homossexuais a drogados
Joelma esclarece polêmica sobre homossexuais em comunicado oficial


Segundo o jornal, a principal causa da doença é que os pedidos de shows da Banda Calypso despencaram depois que a dupla mudou de escritório. Em janeiro eles anunciaram que estavam trocando a produtora "Luan Produções" pela "MC3".
As declarações recentes da esposa e companheira de palco do cantor, Joelma, 38, em que comparou homossexuais a drogados também, teriam influenciado no avanço da depressão de Chimbinha. O músico não compartilha da mesma opinião da cantora, que condenaria o casamento entre pessoas do mesmo sexo.
Em entrevista a revista "Época", na última semana, Joelma disse que lutaria até a morte para converter um filho homossexual. "Já vi muitos se regenerarem. Conheço muitas mães que sofrem por terem filhos gays. É como um drogado tentando se recuperar", declarou.
Na segunda-feira (1), a assessoria do casal divulgou uma nota para tentar desfazer o mal-entendido: "Embora a religião seguida por Joelma não apoie o casamento entre pessoas do mesmo sexo, a cantora respeita e aceita a opção sexual de todas as pessoas, não tendo preconceito de religião, sexo e cor".

Fonte: Yahoo