terça-feira, 16 de julho de 2013

Vácuo de poder após prisão de supertraficante pode gerar tensão no México


Morales | Foto AP

Morales teria comandado massacres que mataram mais de 270 imigrantes
A prisão de Miguel Ángel Treviño Morales, chefe dos Zetas, o mais poderoso cartel do narcotráfico do México, representa uma importante vitória do governo do presidente Enrique Peña Nieto, que agora deve intensificar seus esforços para conter a violência nas ruas, reduzindo o foco na detenção de líderes do crime organizado.
Mas, ao contrário de detenções anteriores, dessa vez não se sabe quem seria o sucessor de Morales no comando do cartel, e teme-se que o vácuo de liderança possa criar tensão no país.
Conhecido como Z40, Morales foi um dos únicos integrantes dos Zetas à chegar à cúpula da organização sem ter tido um passado de militar. Fato que, segundo analistas, ele parece ter compensado imprimindo a seu estilo de comando um alto grau de violência.
Morales era policial na cidade de Matamoros, no noroeste do país, quando, nos anos 90, entrou no Cartel do Golfo, outro temido grupo do narcotráfico mexicano.
Graças à sua fluência em inglês, contatos e conhecimento das rotas de contrabando em ambos os lados da fronteira entre os Estados Unidos e o México, ele começou a se destacar no Cartel do Golfo, tornando-se rapidamente o braço direito do chefe do grupo, Osiel Cárdenas Guillén, que cumpre sentença de 25 anos de prisão em uma cadeia americana.

Massacres

Os Zetas forma criados originalmente como uma espécie de guarda pretoriana pessoal de Guillén, um grupo de entre 14 a 31 militares, com Morales sendo a única exceção.
Em março de 2010, o Cartel do Golfo e os Zetas se separaram, indo em direções opostas, e Morales e optou pelo segundo grupo, onde logo passou a coordenar a rota do narcotráfico para os Estados Unidos em Novo Laredo.
Rapidamente os Zetas se tornaram famosos pela brutalidade exercida contra imigrantes e membros de gangues rivais.
Acredita-se que Morales teria ordenado várias ações sanguinárias na organização, incluindo tortura e decapitação de inimigos, e que, mesmo antes de chegar ao comando do grupo, orquestrou dois massacres de imigrantes que tiveram grande destaque na mídia internacional. O primeiro em San Fernando, em 2010, com 72 mortos (incluindo brasileiros) e o segundo no ano seguinte, em Tamaulipas, com mais de 200 mortos.
Morales assumiu o posto em outubro de 2012, após a morte de Heriberto Lazcano, o Z3.
No momento da prisão, no Estado de Novo Laredo, Morales estava acompanhado somente por duas pessoas (um contador e um guarda-costas) e levava US$ 2 milhões (cerca de R$ 4,5 milhões) em uma caminhonete.
Will Grant, correspondente da BBC na Cidade do México, disse que embora o governo esteja ciente de que todo chefe do narcotráfico tem um sucessor, a prisão de Z40 por fuzileiros navais da Marinha mexicana deve ser particularmente celebrada, sobretudo por ter ocorrido sem o disparo de um único tiro.

Sucessão e incertezas

Para analistas esta é a detenção de maior destaque dentro do narcotráfico desde que Peña Nieto assumiu o governo, em dezembro de 2012.
Mas embora represente um alívio para a administração federal, que deve agora intensificar esforços em conter a violência nas ruas, a prisão Z40 também cria um vácuo de liderança que pode criar tensão no país.
Isto porque não há um sucessor claro a Morales, avalia Juan Carlos Pérez Salazar, correspondente da BBC Mundo na Cidade do México. Segundo o correspondente, há poucas dúvidas entre a Marinha, especialistas e jornalistas de que Morales era mesmo o líder máximo da organização.
Já em relação ao que deve ocorrer agora, não há tanta certeza, e acredita-se que a ausência de um herdeiro ao comando pode levar a confronto entre diferentes facções dos Zetas pelo controle do grupo.

Fonte: BBC

Panamá diz ter encontrado armas em navio norte-coreano vindo de Cuba

O Panamá deteve para investigação um navio de bandeira norte-coreana sob suspeita de que estava escondendo equipamentos de mísseis em um carregamento de açúcar mascavo vindo de Cuba, fato que provocou um impasse durante o qual o capitão da embarcação ameaçou cortar sua garganta.
O navio foi parado na semana passada enquanto se dirigia para o Canal do Panamá, e as autoridades prenderam a tripulação na segunda-feira depois de encontrar objetos em forma de mísseis não declarados, uma potencial violação das sanções da Organização das Nações Unidas (ONU) ao programa nuclear da Coreia do Norte.
"Descobrimos recipientes que supostamente contêm equipamentos sofisticados de mísseis. Isso não é permitido. O Canal do Panamá é um canal de paz, não de guerra", disse o presidente panamenho, Ricardo Martinelli, a uma rádio local nesta terça-feira.
Uma foto postada na página oficial de Martinelli no Twitter de dentro do navio mostra um objeto comprido, verde, no formato de um míssil, com uma extremidade cônica que se estreita. Um especialista em segurança disse que as imagens mostraram sistemas de radar da época da guerra do Vietnã para a família de mísseis soviéticos terra-ar.
O Departamento de Estado norte-americano elogiou a decisão do Panamá de interceptar o navio, que disse ter um histórico de envolvimento com o tráfico de drogas, e advertiu que a embarcação poderia violar as resoluções do Conselho de Segurança da ONU contra o envio de armas.
A ONU impôs uma série de sanções à Coreia do Norte, incluindo normas rígidas sobre carregamentos de armas, medidas que buscam conter o seu programa de armas nucleares.
O ministro da Segurança do Panamá, José Raúl Mulino, disse que seu governo reteve o navio na última quarta-feira e que até agora encontrou dois contêineres de equipamentos militares. Ele não especificou se a carga continha mísseis reais, mas disse que a busca pode durar semanas.
Quando os oficiais do Panamá começaram a inspecionar os contêineres com mais de 250 mil sacas de 100 quilos de açúcar mascavo, o capitão ficou violento, disse Mulino.
O capitão, um cidadão norte-coreano como a tripulação, tentou cortar sua garganta com uma faca, disse um oficial da polícia. O homem estava no hospital em estado estável, acrescentou o funcionário, falando sob condição de anonimato.
O especialista em Coreia do Norte da Kennedy School, da Universidade de Harvard, Ben Rhode, sugeriu que a tentativa de suicídio do capitão poderia ter sido um esforço para escapar de uma punição severa por autoridades da Coreia do Norte por não ter cumprido a sua missão.
Todos os 35 membros da tripulação do navio, chamado Chong Chon Gang, foram presos depois de resistirem às ordens do Panamá e agora estão sendo questionados em Fort Sherman, uma antiga base do Exército dos Estados Unidos no Atlântico, acrescentou o funcionário.
O principal promotor na área do narcotráfico no Panamá, Javier Caraballo, afirmou à TV local que o navio se dirigia para a Coreia do Norte.

CARGA ILEGAL
A IHS Jane, uma empresa de análise global, afirmou ter identificado o equipamento mostrado nas fotos como sendo um radar de controle de fogo RSN-75 'Fan Song' para a família de mísseis terra-ar SA-2.
O radar, construído pela fabricante de armas russa Almaz-Antey e usado pela primeira vez durante a Guerra do Vietnã, pode ter destruído muitos aviões ocidentais, de acordo com o instituto de defesa Air Force Australia.
Funcionários do governo cubano se recusaram a comentar o incidente.
A Coreia do Norte, país asiático pobre e isolado da comunidade internacional, está sob duras sanções da ONU, dos Estados Unidos e da União Europeia, incluindo uma proibição da ONU a qualquer exportação de armas, em razão de seu controverso programa nuclear.
Violações anteriores de sanções incluíram embarques norte-coreanos de material relacionado a armamento para a Síria, em novembro de 2010, e para o Irã, em 2008, de acordo com relatório de maio da ONU.

NAVIO MONITORADO
O navio, construído em 1977, deixou Porto Vostochny, no extremo leste da Rússia, em 12 de abril, de acordo com a empresa marítima de inteligência Lloyd List Intelligence.
Depois, foi registrado ao chegar em Balboa, no lado do Pacífico do Canal do Panamá, em 31 de maio, e cruzou a via navegável no dia seguinte rumo a Havana, capital de Cuba.
Em seguida, desapareceu do sistema de rastreamento e reapareceu em Manzanillo, no Panamá, em 11 de julho, de acordo com dados de navegação obtidos pelo grupo de pesquisa IHS Maritime. O IHS afirmou que havia indícios de que a embarcação tinha mudado de carga durante esse tempo.
Em 2010, o Chong Chon Gang foi parado por autoridades ucranianas que encontraram munição de armas leves e narcóticos a bordo do navio, de acordo com o especialista em tráfico de armas no Instituto Internacional de Pesquisa da Paz de Estocolmo, Hugh Griffiths.
Um ano antes, o navio parou em Tartus, na Síria, que abriga uma base naval russa, acrescentou Griffiths.
(Reportagem adicional David Alire Garcia, Gabriel Stargardter, Luc Cohen, Paul Eckert, Lucas Iberico-Lozada e Louis Charbonneau)

Fonte: Terra

Protestos no Brasil não são rejeição à política, diz Lula no 'NY Times'

O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva tocou no assunto dos protestos de rua no país, em sua coluna de opinião desta terça-feira (16) distribuída pelo "New York Times", afirmando que se tratou de um movimento para "aumentar o alcance da democracia e encorajar o povo a atuar mais completamente".
Ele afirmou que os protestos não mostram uma rejeição da política, mas justamente o contrário.
"Mesmo o Partido dos Trabalhadores, que eu ajudei a fundar e que contribuiu tanto para modernizar e democratizar a política no Brasil, precisa de uma renovação profunda. Ele deve recuperar suas ligações cotidianas com os movimentos sociais e oferecer novas soluções para novos problemas, e fazer as duas coisas sem tratar os jovens com paternalismo", disse.
Egito, Tunísia, Espanha, Grécia e Brasil
Lula começa o texto (clique para ler a íntegra, em inglês) mostrando estranhamento pelo fato de os protestos terem ocorrido em um país democrático (ao contrário de Egito e Tunísia em 2011) e com boa conjuntura econômica (ao contrário da Espanha e da Grécia).
Segundo Lula, os protestos foram um resultado dos sucessos do país nas áreas social, econômica e política, e um desejo genuíno da população de acesso a serviços públicos melhores.


Reprodução do artigo de Lula no 'New York Times', na versão digital, nesta terça-feira (16) (Foto: Reprodução) 
Reprodução do artigo de Lula no 'New York Times',
na versão digital, nesta terça-feira (16)
(Foto: Reprodução)
 
Para Lula, a democracia não é um "compromisso com o silêncio", mas um fluxo constante, com debate e definição de prioridades e desafios.
O ex-presidente lembrou a afirmação de que a sociedade entrou na era digital, mas os políticos continuaram "analógicos", e apelou pela renovação das instituições democráticas.
Lula lembrou que a presidente Dilma Rousseff propôs um plebiscito para levar adiante as tão necessárias reformas políticas e também sugeriu um pacto social com as forças políticas em torno de educação, saúde e transporte.
O ex-presidente terminou o texto apelando aos jovens para que, mesmo "desencorajados por tudo e por todos", não desistam da política.
"Se você não encontrar nos outros o político que você procura, você pode encontrá-lo em você mesmo", escreveu.

Fonte: G1

EUA insistem que Rússia deve entregar Snowden

Washington - O governo dos Estados Unidos insistiu nesta terça-feira que a Rússia deve expulsar do seu território o ex-técnico da CIA Edward Snowden, que, por fim, solicitou asilo temporário nesse país.
Snowden "não é um ativista dos direitos humanos, não é um dissidente; é acusado de vazar informação confidencial. Foi acusado de três crimes graves relacionados com o vazamento de informação confidencial" e "deve ser entregue aos EUA", disse, durante entrevista coletiva diária, o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney.
O americano tem direito ao devido processo como todo cidadão de seu país acusado de um crime, e deve retornar aos Estados Unidos para responder às acusações contra ele, ressaltou.

Brendan Smialowski/AFP
O porta-voz da Casa Branca, Jay Carney durante coletiva de imprensa
Carney disse que a postura dos EUA continua sendo a mesma e que existe "uma ampla justificativa legal" para que Snowden retorne ao país para se submeter à Justiça



Perguntado sobre a solicitação de asilo que apresentada por Snowden, Carney disse que a postura dos EUA continua sendo a mesma e que existe "uma ampla justificativa legal" para que Snowden retorne ao país para se submeter à Justiça.
"É a postura que tomamos em nossas conversas com os russos e com outros governos que tiveram interesse nisso, ou que possam servir de potenciais pontos de passagem ou de destino final para o senhor Snowden", afirmou.
"Nosso interesse sempre foi a sua expulsão da Rússia e devolução aos EUA", enfatizou Carney.
O presidente Barack Obama deve viajar à Rússia em setembro próximo para a cúpula do G20, mas Carney não revelou se discutirá o caso com as autoridades russas.
Por sua vez, um porta-voz do Departamento de Estado, Patrick Ventrell, disse não ter a confirmação de que Snowden tenha pedido asilo na Rússia, mas reiterou o desejo dos EUA de que este retorne a seu país para responder às acusações.

Fonte: Exame

Fergie está esperando um menino

O ator Josh Duhamel contou em um programa de entrevistas americano o sexo do bebê que a sua esposa, a cantora Fergie, está esperando.

Os apresentadores fizeram uma brincadeira com Josh no qual ele tinha que escolher uma roupa de bebê rosa ou azul. No começo o ator ficou tímido e pediu a participação da plateia, mas depois escolheu a cor azul, confirmando o sexo do bebê. Durante a gravidez, apareceram boatos de que Fergie estaria esperando gêmeos.

O nascimento do filho do casal está sendo esperado para o final de agosto ou início de setembro de 2013.

Fonte: O Povo

Beyonce discute com fã durante show

Beyonce discutiu com um fã durante show em Atlanta. A cantora reclamou do fã que se preocupava mais em gravar o show que assisti-lo.

Durante a canção Irreplaceable, a cantora pedia que os fãs cantassem com ela, quando viu um homem, próximo ao palco, que gravava a apresentação.




ASSISTA

"Você nunca canta porque está ocupado gravando. Estou bem na sua frente, então grave esse momento. Abaixe essa câmera", exigiu.

Fonte: Drop Music

Suspeito de 'planejar massacre', vocalista de banda é preso



foto
Foto: Divulgação
Varg Vikernes estava em liberdade condicional por ter queimado quatro igrejas em 2009
O vocalista da banda de black metal Burzum, Varg Vikernes, foi preso na França sob a acusação de estar "planejando um massacre".
De acordo com informações dos jornais franceses, a polícia prendeu Vikernes na manhã de hoje em sua fazenda em Salon-la Tour, no centro da França, local onde ele vive com sua mulher e três filhos.
Segundo o "Le Monde", a propriedade do músico está sendo revistada pela polícia à procura de armas e explosivos.
A prisão foi feita pela central de inteligência do governo da França, que comunicou à imprensa suspeitar de "atividades terroristas" por parte de Vikernes.
De acordo com a revista britânica "NME", a mulher de Vikernes é membro de um clube de atiradores e, recentemente, adquiriu quatro rifles. Ela possui porte legal de armas.
A inteligência francesa começou a monitorar Vikernes depois de ele revelar que o terrorista norueguês Anders Behring Breivik, que em 2011 matou 77 pessoas num atentado em Oslo, enviou a ele uma cópia de seu manifesto, documento que expõe sua ideologia.
"Isso deu origem à investigação (...) Havia diversas suspeitas que causaram o receio que Vikernes poderia realizar um ato violento", disse uma fonte policial à agência de notícias Reuters.
Vikernes, que em outras oportunidades já declarou simpatia pelo neonazismo, passou 15 anos na prisão na Noruega, sua terra natal, por ter matado Oystein Aarseth, conhecido pelo nome artístico de Euronymous, guitarrista da banda de black metal Mayhem.
O vocalista do Burzum foi solto em 2009, mas foi condenado por queimar quatro igrejas naquele mesmo ano.
No momento de sua nova prisão, o músico estava sob liberdade condicional.

Fonte: Correio do Estado

Pesquisa que mostra queda na popularidade motiva Dilma, diz Mercadante


BRASÍLIA, 16 Jul (Reuters) - O resultado da pesquisa que apontou nesta terça-feira uma queda significativa da popularidade da presidente Dilma Rousseff é "extremamente motivador" para a presidente, disse o ministro da Educação, Aloizio Mercadante.
O ministro argumentou que o levantamento do instituto MDA para a Confederação Nacional do Transporte (CNT), que apontou recuo na aprovação do governo no período de um mês de 54,2 por cento para 31,3 por cento, também mostrou liderança de Dilma em todos os cenários para a eleição presidencial de 2014.
 


Fonte: Reuters

Cory Monteith, ator de 'Glee', morreu após misturar heroína e álcool

Cory Monteith morreu após misturar heroína e álcool, confirmaram as autoridades canadenses após a autópsia realizada na segunda-feira (15). O resultado foi divulgado pelo departamento de polícia de Vancouver, no Canadá. Nesta terça (16), os legistas do caso divulgaram laudo com a causa da morte de Monteith. Ele morreu após "misturar tóxicos, incluindo heroína e álcool". Veja o vídeo com o comunicado, em inglês.
O ator da série "Glee" foi achado morto em um quarto do hotel Fairmont Pacific Rim, em Vancouver, no último sábado (13). De acordo com o site TMZ, Monteith levava vidas distintas na cidade canadense, onde nasceu, e em Los Angeles, cidade norte-americana em que a série "Glee" é gravada.
O ator, que tinha 31 anos, conseguia ficar sóbrio quando estava com a namorada, Lea Michele, que vive a personagem Rachel Berry no seriado, e com os outros amigos do elenco. Segundo uma fonte do site, a equipe de "Glee" sabia do vício do ator, mas afirma que ele nunca apareceu alterado no set de filmagens. No entanto, Monteith sofria recaídas quando visitava a família no Canadá, usando drogas e álcool ao reencontrar conhecidos.

 Ator do seriado 'Glee', Cory Monteith é encontrado morto no Canadá (Foto: AP Photo/Chris Pizzello, File)

No ar desde 2009, "Glee" teve este ano sua pior média de audiência, mas tem mais duas temporadas já confirmadas. Os produtores, no entanto, ainda nao revelaram o que irá acontecer a Finn Hudson, personagem de Monteith.
O ator deixou ainda ao menos dois filmes inéditos, "All the wrong reasons" e "McCanick", ambos em fase de pós-produção, de acordo com o site IMDb. Além disso, ele também faz parte do elenco de "Glee Live! at Radio City Music Hall", longa derivado da série que o tornou famoso.

Fonte: G1

Colegas de trabalho de Sebastião Vasconcelos lamentam morte do ator

Após ser noticiada a morte do ator Sebastião Vasconcelos nesta terça-feira (16) vários famosos usaram as redes sociais para falar do artistas e deixar uma mensagem de carinho. 
Antônio Calloni, que trabalhou com Sebastião em 'O Clone', lamentou a morte do colega: "Foi a primeira vez que eu trabalhei com ele e foi maravilhoso. Ele fez um trabalho assombroso de tão bom. Ele fez um muçulmano com sotaque próprio. Foi muito verdadeiro e maravilhoso. Nos bastidores, ele era muito tranquilo e determinado. Fico triste com a morte dele", disse.


Já Cissa Guimarães, que também trabalhou com o ator na mesma trama, ressaltou que Vasconcelos foi um dos atores mais importantes da dramaturgia brasileira. "Ele era um grande ator. Um dos maiores que a gente já teve. Agora, é mais uma estrelinha que nos ilumina lá do céu", afirma. 
O ator Marcos Frota, que contracenou com Sebastião em 'Mulheres de Areia', também lamentou a morte. “Ele e a geração dele nos ensinaram que só o talento não basta. Talento se não estiver aliado ao caráter não tem significado nenhum, fica apenas um exercício de vaidade", conta.

Matéria original: iBahia

Morre, aos 86 anos, o ator Sebastião Vasconcelos

São Paulo – A TV e o cinema brasileiros perderam mais um de seus ícones, nesta terça-feira. O ator Sebastiao Vasconcelos morreu nesta madrugada, aos 86 anos. Desde o dia 30 de junho ele estava internado no hospital Israelita Albert Sabin, no Rio de Janeiro, para tratar uma pneumonia. A causa da morte teria sido uma parada cardiorrespiratória.
Ao longo de sua carreira, ele atuou em quase 40 novelas e séries e pouco menos de 10 filmes. Seu papel mais recente na televisão foi o de “Mauro Fontes”, na trama “Os Mutantes - Caminhos do Coração”, na Record. Ele também interpretou o personagem “Felício”, na mais recente gravação de “Cabocla”, em 2004, na rede Globo. No ano de 1959, ele participou da mesma trama, porém na pele de “Luís Jerônimo”.


Sebastião Vasconcelos, ator
Sebastião Vasconcelos no papel de Felício, na edição mais recente da novela "Cabocla"


Outros importantes folhetins que contaram com sua atuação foram “Selva de Pedra” (1986), “Mulheres de Areia” (1993) e “O Clone” (2001). Ele ainda venceu, em 1983, o Troféu Candango de melhor ator, no Festival de Brasília, pelo filme “Inocência”.
 
Fonte: Exame