domingo, 25 de agosto de 2013

Atriz americana Julie Harris morre aos 87 anos




 (REUTERS/Jeff Christensen/Files )

Morreu neste domingo, aos 87 anos, a atriz americana Julie Harris, ganhadora de cinco prêmios Tony e três prêmios Emmy. Consagrada no teatro, ela vivia seus últimos dias na cidade de West Chatham, no estado de Massachusetts.

Estrela de 'Vidas amargas', ao lado de James Dean, 'Réquiem para um lutador' e 'Nas montanhas dos gorilas', Julie atou em dezenas de produções da Broadway.

Por "The member of the wedding", de 1952, ela foi indicada ao Oscar. A atriz casou-se três vezes e teve um filho. Na última década, ela havia sofrido dois derrames. Seu último papel no cinema foi como Mrs. Deacon no filme 'The Lightkeepers', com Richard Dreyfuss. 
 
Fonte: EM.COM.BR

Ex-jogador campeão da Copa de 58 morre no interior do Paraná

G1 - Nilton de Sordi, que atuou como lateral-direito na Seleção que venceu a Copa do Mundo de 1958, morreu no sábado (24), em Bandeirantes, no norte do Paraná. O ex-jogador, de 82 anos, sofria com mal de Parkinson. A causa da morte foi em decorrência de falência múltipla dos órgãos.
O ex-jogador nasceu em Piracicaba, no estado de São Paulo e começou a carreira no time da cidade, o XV de Piracicaba. Em 1952, foi contratado pelo São Paulo, onde disputou 543 partidas e foi campeão estadual nos anos de 1953 e 1957.

Na Seleção, De Sordi teve a primeira convocação em 1954. O lateral-direito atuou em todos os jogos da equipe como titular, até a semi-final da Copa de 1958. Em virtude de uma lesão, acabou substituído por Djalma Santos, também falecido.
A carreira dele teve uma passagem também pelo União Bandeirante, equipe na qual se aposentou, em 1966. Anos depois, atuou como treinador, em duas oportunidades.
De Sordi morava em Bandeirantes há dois anos, com a família. Na página oficial, o São Paulo prestou uma homenagem ao ídolo campeão mundial. “Era um jogador fora-de-série em termos de regularidade. Jogava sempre bem e sua noção de cobertura era inigualável. Apesar da pouca estatura, cabeceava muito bem. Por isso chegou a jogar de zagueiro-central no São Paulo e também na Seleção Brasileira. Foi o lateral-direito titular da seleção campeã mundial na Copa de 1958”, diz trecho da nota, que também presta solidariedade à família do ex-jogador.

Ex-jogador tinha 82 anos e morreu de falência múltipla dos órgãos (Foto: Divulgação/Site oficial do São Paulo)Ex-jogador tinha 82 anos e morreu de falência múltipla dos órgãos (Foto: Divulgação/Site oficial do São Paulo)

Acidente com ônibus deixa 2 mortos e 32 feridos em MG

Um acidente com um ônibus que transportava fiéis de uma igreja evangélica matou duas pessoas e deixou 32 feridos neste domingo, em Minas Gerais. O veiculo capotou em uma curva da BR-365, próximo a Claro das Poções, no norte do estado, quando seguia para o distrito de Água Boa, onde um grupo da igreja Assembleia de Deus participaria de um culto.

Leia ainda:
Bombeiros resgatam quatro após explosão em SP
Descarrilamento de trem no México mata 4 pessoas


Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o ônibus já havia apresentado problemas no início da viagem, mas o motorista, que não teve o nome revelado, acreditou que conseguiria terminar o percurso de cerca de 20 quilômetros. Porém, ele perdeu o controle em um trevo e o veículo capotou.
Ainda de acordo com a PRF, uma menina de 9 anos e um homem de 83 morreram no local. As outras vítimas foram encaminhadas pelo Corpo de Bombeiros e pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para hospitais de Montes Claros com ferimentos graves. O motorista também teria ficado ferido, mas fugiu do local e, até o início desta noite, ainda não havia sido encontrado.

Fonte: VEJA

Entenda o caso do senador boliviano Roger Pinto


O senador boliviano Roger Pinto, de 53 anos, chegou ao Brasil no sábado (24) depois de viver mais de um ano asilado na embaixada brasileira em La Paz, onde se refugiou em 28 de maio de 2012. A viagem entre a capital boliviana e a cidade de Corumbá (MS) – que durou 22 horas – foi feita em um carro da embaixada do Brasil, com apoio de fuzileiros navais. Segundo o senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Pinto foi recebido por agentes da Polícia Federal e seguiu para Brasília em um avião.
Na Bolívia, Roger Pinto foi condenado no mês de junho a um ano de prisão por "abandono do dever" e por "dano econômico ao Estado". Segundo a denúncia, ele foi responsável por prejuízo de mais de 1,6 milhão de dólares aos cofres públicos em 2000, acusado de conceder recursos de maneira irregular à Universidade Amazônica de Pando. Ele responde ainda a cerca de 20 processos por desacato, venda de bens do Estado e corrupção.
O parlamentar alega perseguição política do governo de Evo Morales e afirma que os processos foram instaurados depois que ele fez denúncias de corrupção contra o governador de Pando e entregou informes reservados a Evo sobre supostas ligações de autoridades com o narcotráfico.
Aos 53 anos, Roger Pinto é casado e tem três filhos e quatro netos. Ele é parlamentar da província de Pando, na região amazônica, e líder no Senado do grupo opositor Convergencia Nacional.

Asilo brasileiro
Roger Pinto refugiou-se na embaixada brasileira em La Paz no dia 28 de maio de 2012. Em 8 de junho do mesmo ano, o Brasil concedeu asilo ao senador. A decisão foi criticada pela Bolívia, que falou em "equívoco".
Sem conseguir um salvo-conduto do governo boliviano, Roger Pinto viveu mais de um ano no edifício da embaixada brasileira em La Paz. Segundo uma das três filhas, Pinto estava em um espaço de 20 m², com cama, escrivaninha, TV, frigobar e mesa, sem banheiro próprio.

AGU foi contra uso de carro
Em documento enviado ao Supremo Tribunal Federal (STF), a Advocacia Geral da União (AGU) disse em junho que era contra a possibilidade do governo conceder carro diplomático ao senador boliviano. Em ação protocolada em maio, a defesa do senador questionou a atuação do governo brasileiro na resolução do caso e pediu um carro para que o parlamentar deixasse a Bolívia.
No documento de 50 páginas, que tem assinatura da presidente Dilma Rousseff, a AGU diz que não se pode conceder carro diplomático porque há decisões da Justiça boliviana restringindo a possibilidade do senador deixar o país. "Se o governo brasileiro propiciar ao paciente o veículo requerido para que possa sair da Bolívia, estaríamos violando a ordem internacional, descumprindo decisões judiciais de tribunais bolivianos, que já decidiram que o paciente não pode deixar o país."
No parecer, a AGU afirma que seria necessário um salvo-conduto por parte do governo boliviano, documento que o Brasil não pode obrigar a ser concedido por ser prerrogativa daquele país. "O Brasil deu início a intensas negociações, com o objetivo de obter o salvo-conduto, sem o qual o paciente não consegue deixar a Bolívia".

Chegada ao Brasil
Roger Pinto desembarcou à 1h10 deste domingo (25) no aeroporto de Brasília, acompanhado do senador brasileiro Ricardo Ferraço (PMDB-ES), presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado (assista no vídeo ao lado a chegada de Pinto).
Ele deixou a capital La Paz em um carro da embaixada brasileira e viajou por 22 horas – com apoio de fuzileiros navais – até Corumbá (MS), segundo Ferraço. Na cidade brasileira, Pinto teria sido recebido por agentes da Polícia Federal e depois embarcado em avião particular de familiares de Ferraço para Brasília, onde vai ficar no apartamento do senador brasileiro.
De acordo com Ferraço, a organização para a vinda de Pinto foi feita "em conjunto" entre as autoridades brasileiras. Ele disse que o Brasil já havia solicitado um salvo-conduto, que a ação é "uma iniciativa de soberania nacional" e que o país fez um "gesto de solidariedade humana".
"À medida em que o governo brasileiro já tinha dado asilo e já tinha solicitado salvo-conduto e o salvo-conduto é de fato uma iniciativa de soberania nacional, eu não vejo qualquer problema na vinda dele para o Brasil que é, antes de tudo, um gesto de solidariedade humana. Foram 455 dias em condições absolutamente restritas e estamos diante de um perseguido político por ausência de democracia na Bolívia", afirmou o parlamentar brasileiro.
"Ele não é foragido. Ele foi recepcionado em Corumbá por agentes federais, e todos os procedimentos. O governo brasileiro já tinha concedido asilo político antes do salvo-conduto. Ele está acolhido no Brasil como refugiado, como perseguido político", completou.

Fonte: G1

Compadre Washington nega ter convidado Kamyla Simioni para dançar em show

O cantor Compadre Washington negou que tenha convidado a empresária e personalidade da mídia Kamyla Simioni para ser a nova morena do grupo É o Tchan. Procurado pelo site Ego neste domingo, (25), o artista afirmou que quem o procurou foi a própria Kamyla, e não houve, portanto, nenhuma provocação pensada.

"Ela me achou pelo Instagram e contou que estaria em Salvador, então disse que gostaria de curtir um show nosso. Eu não a conhecia, mas disse que ela era bem-vinda na nossa apresentação, como todo mundo é. Vamos fazer um 'Pagode das antigas', juntando o Terra Samba, É o Tchan e Patrulha do Samba, um novo projeto nosso que deve rodar o Brasil, e ela vai lá curtir. Não tem nada de 'convite oficial' e 'participação' dela no grupo. Claro que pode acontecer de recebermos a moça no palco, pois muitos fãs sobem durante os shows e dançam conosco, mas não há nada combinado neste sentido. Ela não é ou será nossa dançarina. Já temos duas meninas, a Elisangela e a Joyce [...] Isso não foi uma provocação à Scheila, pois eu não planejei nada.  Não tenho mais nada a ver com ela. É cada um no seu canto, mas, claro, a Kamyla está estourada na mídia e essa foi uma oportunidade de colocar a famosa pimenta baiana em toda história", afirmou ele.
Neste sábado (24), a blogueira Fabíola Reipert divulgou uma declaração da morena, afirmando que ela tinha sido convidada para o show do É o Tchan que acontece na próxima quinta (29). "Ele me ligou. Aceitei o convite. Vou lá segurar o tchan", disse Kamyla.  Ainda de acordo com a jornalista, o cantor afirmou que vai anunciar a moça como a nova morena do Tchan, posto que era de Scheila Carvalho, com quem o artista não fala até hoje. 


Entenda o caso
Para quem não se lembra, no ano passado, em entrevista ao programa Universo Axé, da TV Aratu, o cantor não poupou a língua e detonou a apresentadora.  "Não sei por que ela não assume que tivemos um romance, não sei se ela tem vergonha ou porque quando a gente terminou, brigou mesmo. Não falo com ela, detesto ela, não gosto dessa mulher. Isso tudo porque teve um lance que quando terminamos, ela deixou de falar com minha filha que adorava ela", revelou ele, que ainda completou:  "Minha família deu atenção a ela quando veio para Salvador e ela fez isso com minha filha. Essa foi minha mágoa maior. A gente terminou e ela esqueceu da minha filha, não falava com ela. Mexeu com a minha família, vai tomar pau".

Anitta diz que teve celular roubado por fã em aeroporto


A cantora Anitta (Foto: Divulgação/Washington Possato) 
A cantora Anitta (Foto: Divulgação/Washington Possato)


Anitta escreveu neste domingo (25) em seu perfil no Instagram que teve o celular roubado por um fã. Ela fez um show no sábado (24) em Goiânia, e voltou para o Rio, onde tem duas apresentações marcadas neste domingo.
"Amigos, pessoas que falam comigo e pessoas que não vivem sem mim: fui roubada hoje por um 'megafã' (risos) enquanto tirava 'fotecas' com ele. Estou sem celular. Se falarem comigo, não vou responder. Mas não é porque estou 'fazendo egípcia'. É porque estou sem telefone. Beijos com amor e alegria", disse ela no Instagram, usando outro aparelho para acessar sua conta.
Antes da mensagem, ela havia publicado uma foto em que parece estar chorando, à frente de sua mãe, que está com um telefone na mão. "Até minha mãe tem Whatsapp [aplicativo de mensagens para celular] e eu não, por que fui roubada no aeroporto.... Até minha mãe (e eu aqui mendigando o celular do meu irmão)"
Em um vídeo publicado junto com amigos no Instagram, após dizer que foi roubada, Anitta voltou a falar do celular roubado. "Eu não tiro fotos pelada Não foi dessa vez", disse a cantora no vídeo.

Fonte: G1