sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Jornalista causa polêmica com comentário sobre justiceiros: "Adote um bandido"

Rachel causou polêmica (Foto: Divulgação)

A jornalista do SBT Rachel Sheherazade provocou polêmica e dividiu opiniões na internet com um comentário a favor do grupo de pessoas que deteve um suspeito de assalto, o agrediram e deixaram nu, preso a um poste com uma trava de biciclata. O caso foi no Rio de Janeiro na última semana.
Em seu comentário no "SBT Brasil" de terça-feira, Rachel disse que a atitude do grupo era "até compreensível". "Num país que sofre de violência endêmica, a atitude dos vingadores é até compreensível", disse a jornalista. "O Estado é omisso, a polícia desmoralizada, a Justiça é falha. O que resta ao cidadão de bem, que ainda por cima foi desarmado? Se defender, é claro", acrescentou, para completar: "O contra-ataque aos bandidos é o que chamo de legítima defesa coletiva de uma sociedade sem Estado contra um estado de violência sem limite". No final, ainda disse que quem defende o suspeito deveria "adotar um bandido". "Aos defensores dos direitos humanos, que se apiedaram do marginalzinho preso no poste, lanço uma campanha: faça um favor ao Brasil, adote um bandido".
A fala da apresentadora gerou inúmeras críticas nas redes sociais e ela usou o Twitter para tentar se defender da repercussão negativa. Ela criticou o "politicamente correto" e o jornalismo "chapa branca". "Gente boa, valeu pelo debate. Obrigada a vocês que não distorceram de forma desonesta minhas palavras e captaram a mensagem! Abaixo a censura!". 
O Sindicato dos Jornalistas do Rio de Janeiro também se manifestou sobre o tema, repudiando as declarações de Sheherazade, salientando que "o desrespeito aos direitos humanos tem sido prática recorrente da jornalista".
"Sheherazade violou os direitos humanos, o Estatuto da Criança e do Adolescente e fez apologia à violência", diz trecho da nota, que pede ainda que a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj" "investigue e identifique as responsabilidades neste e em outros casos de violação dos direitos humanos e do Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros". A nota lembra ainda que canais de rádio e TV não são propriedade privada, "mas concessões públicas que não podem funcionar à revelia das leis e da Declaração Universal dos Direitos Humanos". A nota lembra qu ejornalista não pode usar seu espaço para "incitar a violência, a intolerância, o arbítrio e o crime".
A repercussão vai levar o SBT a se manifestar sobre o caso nesta quinta-feira, segundo a Folha Online. Tanto a equipe de jornalistas como os dirigentes da emissora não concordam com a âncora e querem que fique claro que a posição dela não reflete a do SBT no tema. Uma das opções discutidas era que Sheherazade lesse no jornal de hoje um editorial dizendo que ela não defende os justiceiros, mas que a população tem direito de se revoltar com a criminalidade. Essa ideia foi desconsiderada, mas a apresentadora deve ser questionada na bancada pelo colega Joseval Peixoto. A emissora quer deixar claro que discorda de Sheherazade.

Fonte: Correio da Bahia

Nenhum comentário: