quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Em 10 dias de greve, 46 ônibus foram depredados em Porto Alegre

Em dez dias de greve do transporte coletivo em Porto Alegre, 46 ônibus já foram depredados na tentativa de circular pela cidade e recolher passageiros, informou nesta quarta-feira a prefeitura da capital gaúcha. A última ocorrência foi registrada no início da manhã de hoje, com apedrejamento de um veículo da VTC, Consórcio STS, em operação na zona sul.

A ação partiu de pessoas em uma motocicleta. Os oito ônibus do STS, em circulação nas ruas, cinco da VTC e três da Belém Novo, foram recolhidos às suas garagens para proteção da tripulação e passageiros, segundo a prefeitura.

Na tentativa de tentar reduzir as dificuldades de cerca de 1 milhão de pessoas em dez dias de grevea prefeitura disponibizou desde ontem, uma linha regular de transporte hidroviário, entre a Ilha da Pintada e o Cais Mauá, no centro. São viagens em três barcos turismo, com capacidade média de cerca de 150 pessoas, das 6h às 20h, com intervalos de hora em hora. A tarifa custa R$ 4, mesmo valor praticado nos lotações e vans escolares.  

A greve dos rodoviários foi decidida em assembleia dia 23 de janeiro e começou no dia 27 de janeiro, com os trabalhadores colocando 30% da frota na rua. No dia seguinte, a Justiça determinou que 70% dos ônibus estivessem nas ruas nos horários de pico, o que levou o sindicato a descumprir a decisão e tirar todos os veículos de circulação.

Na última quinta-feira, um acordo provisório foi firmado entre sindicalistas e empresas de ônibus para que parte dos veículos retornasse às ruas por 10 dias, mas os rodoviários decidiram continuar com a greve total. Diante disso, a prefeitura anunciou, no último sábado que, como medida emergencial, as vans escolares estão autorizadas a atender as áreas mais carentes de transporte público desde essa segunda-feira.
Fonte: Terra

'Doía demais', diz menina internada com mais de 200 bernes na cabeça

Garota ficou 3 dias em hospital e foi levada a abrigo pelo Conselho Tutelar.
Pais têm mais 4 filhos e moram às margens do Rio Meia Ponte, em Goiânia.

Menina de 11 anos teve que cortar os cabelos para retirada das larvas (Foto: Fernanda Borges/G1) 
Menina de 11 anos teve que raspar os cabelos
para retirar larvas (Foto: Fernanda Borges/G1)

Uma menina de 11 anos hospitalizada com mais de 200 bernes (larvas de mosca) na região da cabeça e do pescoço, em Goiânia, disse que sofreu muito até a retirada das larvas.
"Elas andavam sem parar e eu sentia algumas pontadas, como se fossem picadas. Doía demais", contou ao G1.
A criança ficou três dias internada no Hospital Materno Infantil (HMI) da cidade e foi diagnosticada com pediculose (piolhos) e miíase – nome médico da infestação causada por larvas de mosca.
A garota foi levada ao hospital pelo pai, no dia 28 de janeiro. Segundo o HMI, a paciente foi tratada com antibióticos e recebeu alta no dia 31. Depois, foi entregue ao Conselho Tutelar de Goiânia, que a encaminhou para o Centro de Valorização da Mulher (Cevam).
"Eu estava ficando doida e gritava de dor. Mas tiraram eles [os bernes] e agora está bom, aqui estão cuidando bem de mim", revelou a menina.

A família dela mora em um barraco às margens do Rio Meia Ponte. No local, não há água encanada nem energia elétrica, e o esgoto corre a céu aberto. Além da criança, os pais têm outros quatro filhos, de 1, 4, 6 e 15 anos. Como a mais velha saiu da casa para morar com o namorado, quem cuidava dos irmãos menores para a mãe poder trabalhar era a garota de 11 anos.
"Estou com muitas saudades dos meus irmãozinhos. Quero voltar para ficar com eles, mas só quando a gente tiver a nossa casa", disse.

Na cabeça da garota, é possível ver os furos provocados pelos bernes. Agora, tomando medicamentos de 3 em 3 horas, ela diz que já se sente melhor. A única coisa que lamenta é a cabeça raspada.
"Quase não dói mais. O ruim é que agora não tenho mais cabelo, mas sei que ele vai crescer de novo", apontou a menina.
A conselheira tutelar Daniela Dagilca Fernandes explicou que a família é acompanhada desde 2010 e que esta não foi a primeira vez que a criança foi diagnosticada com bernes.
"O problema deles é muito grave, pois vivem em extrema miséria. Por isso, tivemos que intervir e retirar a menina de casa. Ela corria sérios riscos e precisava de cuidados emergenciais", destacou.

Segundo a conselheira, normalmente os filhos do casal passam o dia na escola, mas o problema com as larvas ocorreu no período de férias.
"Conseguimos inscrever essas crianças em escolas de períodos integrais, onde tomam banho e se alimentam. Os pais ficam com a responsabilidade na parte da noite. Durante o recesso, ao que tudo indica, os cuidados com higiene foram deixados de lado, e a menina ficou nessa situação", ressaltou Daniela.

Família mora em um barraco às margens do Rio Meia-Ponte (Foto: Fernanda Borges/G1) 
Família mora em um barraco às margens do Rio
Meia Ponte, em Goiânia (Foto: Fernanda Borges/G1)

A mãe da garota, uma diarista de 35 anos, disse ao G1 que procurou ajuda quando percebeu uma ferida na cabeça da criança.
"No posto de saúde do bairro Criméia Oeste, eu tive que praticamente brigar com uma médica para que ela examinasse a minha filha, pois diziam que ela não tinha nada. Até que viram o berne e mandaram que ela fosse para o Hospital Materno Infantil. Fiquei assustada ao saber a quantidade de bichos que tiraram."

A diarista reconheceu que as condições em que os filhos vivem são de alto risco à saúde, mas contou que se cadastrou em programas de habitação e agora está no aguardo de uma casa para deixar o barraco onde a família mora.
"Já nos prometeram muito, mas já são 10 anos e até agora nada. Já faz tempo que eu quero sair daqui, mas não tinha condições. Agora, depois do que aconteceu com a minha filha, eu e meu marido vamos tomar uma atitude e mudar para um barracão", relatou.

A mulher está desempregada, mas diz que na semana que vem deve começar em um novo trabalho. O marido faz bicos, e os dois contam com doações para sobreviver. "Vamos pagar R$ 300 de aluguel e algumas pessoas se comprometeram a nos ajudar", disse a mãe.
O caso da menina foi encaminhado ao Juizado da Infãncia e Juventude de Goiânia, e ela permanecerá no Cevam até uma definição sobre seu futuro. A conselheira tutelar diz que os outros irmãos são acompanhados de perto e, nesta semana, devem passar por uma avaliação médica.
"Depois, vamos ver quais serão os próximos passos. Mas acho que não basta tirar as crianças dos pais e deixá-las lá. Esse não é o nosso papel, pois queremos ajudar a família para que ela permaneça unida, em uma moradia digna", afirmou a conselheira.

Infecção
O berne é uma infecção provocada pela larva da mosca-varejeira, que deixa seus ovos quando pousa em uma ferida da pele do homem ou do boi. As larvas saem dos ovos e provocam uma inflamação, deixando a pele vermelha e dolorida. Mais frequente no couro cabeludo, no rosto e nos ombros, essa infecção é mais comum em crianças pequenas e idosos, que não têm muita mobilidade para espantar a mosca.
Em casos mais graves, a ferida se fecha com as larvas dentro da pele e, nesse caso, é preciso procurar um médico para extraí-las. Segundo a dermatologista Márcia Purceli, do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, caso não seja possível procurar um médico, a pessoa pode colocar um bacon ou toucinho no local para que as larvas se desloquem e "grudem" na gordura.
Assim como em qualquer outra situação, a higienização das feridas é extremamente importante. Elas devem ser bem limpas e cobertas com gaze ou esparadrapo. O alerta da dermatologista é para a duração dessas lesões, que normalmente demoram quase um mês para se fechar.

Fonte: G1

Jovem vítima de execução em Belford Roxo estava solto há apenas quatro meses



Igor, em foto divulgada pela Polícia Civil
Igor, em foto divulgada pela Polícia Civil Foto: Divulgação polícia

O jovem Igor Veras de Oliveira Falcão, de 20 anos, executado em plena luz do dia em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, estava em liberdade há apenas quatro meses. De acordo com a Polícia Civil, a vítima foi presa em setembro de 2012 por tentativa de assalto. Na ocasião, ele rendeu um homem com uma pistola de brinquedo, em Vilar dos Teles, São João de Meriti, também na Baixada, e levou o celular da vítima. Igor fugiu, mas decidiu voltar para pegar mais dinheiro do rapaz. Foi quando a vítima percebeu que a arma não era de verdade e acabou se atracando com Igor, que foi levado para a delegacia.
De acordo com o delgado Luiz Henrique Guimarães, da 54ª DP (Belford Roxo), Igor não foi executado por milicianos, mas sim por seguranças particulares da região. Ainda segundo Guimarães, todos que tiverem envolvimento com o crime, inclusive os que ajudaram a segurar a vítima, vão responder por homicídio.

Morto em plena luz do dia
O assassinato de Igor ocorreu no dia 23 de janeiro deste ano, na Estrada Plínio Casado, no bairro da Prata, em Belford Roxo. A via onde ocorreu o crime é uma das mais movimentadas da cidade e a vítima, segundo relato de testemunhas, seria um assaltante. Nas imagens - que circulam por redes sociais e que foram divulgadas hoje com exclusividade pelo EXTRA -, é possível ver um homem sem camisa, sentado no chão, em frente a um ponto de ônibus. Ele é segurado pela cabeça por outro homem. Segundos depois, passa uma moto ocupada por duas pessoas. O veículo para em frente ao rapaz e da garupa salta um homem. Ele saca uma pistola e dispara três vezes, à queima-roupa, contra a cabeça da vítima, que ainda tenta se defender. Mas não consegue.

Uma testemunha da execução contou ao EXTRA que as vítimas tinham tentado invadir um ônibus quando foram capturadas pelos mesmos homens, que passaram a segurá-las até a chegada do executor. Segundo o relato do morador da região, eram 18h30m quando as duas vítimas, já ensanguentadas, chegaram ao local. Elas vinham pela linha do trem, que fica a uma distância de cem metros do ponto da execução. É possível ver, nas imagens, que o homem capturado já tinha a bermuda manchada de sangue antes da chegada da moto ao local.
Em frente a uma farmácia, ainda segundo a testemunha, os dois tentaram entrar num ônibus, quando foram impedidos por um grupo de homens dentro de um carro. Esse mesmo grupo fez a escolta dos homens até a chegada da moto com o executor. Ontem, por volta das 17h, a farmácia que fica em frente ao local da execução foi assaltada.
O governador do Rio, Sérgio Cabral, comentou, nesta quinta-feira, que a ação de “justiceiros” no Rio é inadmissível:
- Repudiamos qualquer ação de milicianos ou justiceiros. Qualquer poder paralelo é repudiado. Perseguiremos e prenderemos essas pessoas. Poder paralelo, no meu governo, é inadmissível. Não tem acordo - afirmou.

Fonte: Extra

Fabiana Teixeira exibe corpão em ensaio e revela: 'Pela boa forma, subo de escada, não uso elevador'

Aos 38 anos, ex-BBB falou de cuidados com o físico, diz ter sofrido bullying nas tempos de colégio por ser magra e fala sobre a proximidade dos 40 anos


fabiana (Foto: marcelo spatafora)
 
Fabiana Teixeira, vice-colocada no Big Brother Brasil 2012, já está a todo o vapor com os preparativos para o Carnaval. Animada com a folia, ela sai toda a semana da cidade onde mora, Ribeirão Preto, no interior paulista, para vir à capital, onde participa regularmente dos ensaios.

QUEM esteve com a ex-BBB no barracão da Tom Maior, no bairro da Barra Funda, para um ensaio fotográfico exclusivo. Dona de um corpão incrível, Fabiana, de 38 anos, acha que está melhor hoje do que há 20 anos. "Não trocaria minha idade. Aos 18, era a magrelinha da turma", conta ela, que começou a malhar a partir dos 32 e desfila pela agremiação desde o ano passado.
No dia do ensaio fotográfico, Fabiana mostrou que está com o corpo de fazer inveja em muitas jovens. Usando um conjunto de lingeries da coleção Delírios by Fabiana Teixeira e adereços da escola de samba Tom Maior, ela adiantou que está animada para fazer seu primeiro desfile no chão, sambando à frente de um dos carros alegóricos da agremiação, representando uma "musa da sorte".
Fabiana Teixeira (Foto: Marcelo Spatafora/Ed.Globo)
 
QUEM: Como está sua preparação para o Carnaval? Mudou sua rotina de exercícios físicos?
FABIANA TEIXEIRA:
Intensifiquei os exercícios aeróbicos e também estou treinando muay thai. Treino na academia do Minotauro, em Ribeirão Preto. Ele é o meu mestre. Faço muay thai duas vezes por semana, além de exercícios funcionais em outros dois dias da semana. Também não abro mão da musculação. Faço sempre, o ano inteiro. Agora, com os preparativos para o Carnaval, aumentei o peso nos aparelhos.

QUEM: E a dieta?
F.T.:
Peixe e frango são liberados para mais do que uma refeição ao dia. Eles são considerados os alimentos-chave para a reconstrução dos músculos. Mandioca e batata doce também estão liberadíssimas, assim como a abóbora, que é rica em fibras. Também não deixo as verduras de lado. Como muitas folhas verdes durante as refeições. Preferencialmente, folha verde escura, como as do brócolis e da couve. Como gengibre misturado com os alimentos e bato com sucos. Fica super gostoso. O gengibre acelera o metabolismo. Entre os peixes, como salmão e atum. Ah, e também como polvo cru. Adoro.
 
Na escola, sofri bullying por ser muito magra"
 
QUEM: E os líquidos? O que costuma ingerir?
F.T.:
Tomo café, chá verde, água de coco e muita água. Bebo muita água nesse calor absurdo. Também tenho uma receitinha em que bato couve com gengibre, hortelã e água de coco. É um suco bem refrescante, ideal para o verão, além de ser super funcional. Dá uma limpada no organismo e é rico em ferro. Não abro mão do meu adorado cafezinho. O cafezinho é bom para acelerar o metabolismo, mas tomo, no máximo, cinco xícaras por dia e, normalmente, só pela manhã.

QUEM: O que pode nos adiantar da sua fantasia?
F.T.:
Ela é feita com estruturas de metal, com uma mistura de penas e cristais swarovski. Vou representar a sorte. A fantasia é amarela, preta e tem alguns detalhes em laranja. Também usarei luvas vermelhas. A escola terá, como um todo, o predomínio das cores amarela, laranja e vermelha. Venho à frente do terceiro carro, no chão, representando a sorte. O carro terá o nome de Jogos sem Azar e representará um cassino. O enredo falará de Foz do Iguaçu. É a primeira vez que sairei no chão. Serei uma musa da sorte.

Fabiana brinca com funcionários em barracão da Tom Maior (Foto: Marcelo Spatafora/Ed.Globo)

QUEM: Nos últimos anos, algumas personalidades passaram a fazer uso daquela malha de meia-calça para não estar com o corpo todo nu. A sua terá essa malha?
F.T.:
Vai existir malha de meia-calça na perna, como se fosse uma bota. Mas é só uma partezinha. No resto do corpo, os cristais swarovski serão aplicados diretamente na pele.

fabiana (Foto: marcelo spatafora)
 
QUEM: Você não passa a semana inteira na sua cidade. Em alguns dias da semana, você vem pra São Paulo, em outras viaja para cumprir agenda de compromissos. Essa rotina agitada, atrapalha de alguma forma sua rotina de exercícios?
F.T.:
De quinta a domingo, fico em São Paulo. Além dos ensaios, participo de uma roda de debates sobre o BBB no programa Mulheres, na TV Gazeta. Quando viajo para uma cidade que não tem uma estrutura legal de academia, por exemplo, eu me exercito como dá. Faço caminhadas, por exemplo. Em São Paulo, além dos ensaios, em que perco cerca de um quilo, me exercito das mais diferentes maneiras. Pela boa forma, no prédio em que fico, subo até o apartamento de escada, não uso elevador. Subo e desço de escadas. São seis andares, ou seja, doze lances. É uma maneira de me exercitar.

fabiana (Foto: marcelo spatafora)
 
QUEM: Você sempre gostou de Carnaval?
F.T.:
Minha relação com o Carnaval vem desde criança. Mal aprendi a andar e já comecei a sambar. Nas tardes de domingo, todo mundo parava para me ver dançar depois do almoço. Eu sambava pra valer. Os primos falavam: ‘Levem essa menina o Silvio Santos. Ela dança muito’. O samba sempre foi muito presente na minha vida. Desde pequenininha ia aos ensaios das escolas de samba no interior. Naquela época, era muito magricela. Na escola, sofri bullying por ser muito magra.
Acho que estou melhor aos 38 que aos 18. Não trocaria minha idade. Aos 18, era a magrelinha da turma"
Fabiana Teixeira
 
QUEM: Quando passou a cuidar do físico?
F.T.:
Só aos 32 anos fui para academia. Fui malhar depois que tive filho. Eu me sentia bem, mas queria conservar e ter um corpo melhor por mais tempo. Decidi cuidar um pouco de mim, porque, até então, eu só trabalhava e também nem tinha muita condição financeira para frequentar academia.
QUEM: Você acaba de completar 38 anos. A proximidade dos 40 te assusta?
F.T.:
Não assusta, mas o preconceito dos brasileiros me assusta. As pessoas são bastante preconceituosas com a idade. Quando a pessoa chega para mim e diz: “Ai, estou depressiva. Fiz 30”, respondo: “sai dessa”. As pessoas devem ser jovens de cabeça, não de pele, de corpo. A idade cronológica é só no RG. Você é a idade que você representa. As pessoas podem ser jovens, mas nem sempre não exteriorizam isso porque tem uma carga amarga. Tem aquelas pessoas parecem ter 40, mas tem 20 e são tão amargas... Já eu, acho que estou melhor aos 38 que aos 18. Não me troco. Não trocaria minha idade. Aos 18, era a magrelinha da turma.

fabiana (Foto: marcelo spatafora)
 
QUEM: Você é mãe. Seu filho e seu marido virão te assistir? Ou você evita?
F.T.:
No dia do desfile, eu queria que meu filho ele viesse para o Carnaval. Queria que ele visse o desfile. Meu marido veio o ano passado e foi contagiado pela animação dos desfiles. Espero que ele venha novamente.

QUEM: Você aparenta realmente gostar do Carnaval. Está longe da ideia de pensar em se aposentar da folia, então?
F.T.:
Sou apaixonada para o Carnaval. Quem nunca veio assistir, tem que vir. É uma festa maravilhosa que o brasileiro faz. Quem é do estado e São Paulo, tem que conhecer o Carnaval da capital. Espero desfilar até bem velhinha na ala da baianas. Quero ficar na história do Carnaval.

Fabiana Teixeira (Foto: Marcelo Spatafora/Ed.Globo)


Fonte: Quem

Ana Maria entra na casa do BBB e toma café com os confinados

Ana Maria acorda os 'brothers' no Quarto Festa (Foto: Big Brother/TV Globo)Visita surpresa! Ana Maria acorda os 'brothers' no Quarto Festa (Foto: Big Brother/TV Globo)


Acorda, menina! Acorda, menino! A casa mais vigiada do Brasil despertou com uma visita ilustre na manhã desta quarta-feira, dia 5: Ana Maria Braga acordou os confinados para tomar café da manhã e botar a conversa em dia. A apresentadora começou o programa na Casa de Cristal, de onde relembrou momentos marcantes desta edição do BBB. Ela não poderia deixar de ficar frente a frente com cada um deles, para saber mais sobre os conflitos, os romances e os "causos" que agitam o confinamento!
Depois de entrar na casa, Ana ficou impressionada com a beleza do local. “A sensação que eu tenho é que é um ‘fuzuê’ nos quartos, vou conferir. A gente aqui dentro perde totalmente a noção das câmeras que tem aqui: 65 câmeras”, ressaltou a apresentadora, que ainda deu um volta para conhecer a área da piscina. Na parte de dentro, ela achou cuecas, adereços pessoais e foi sentir de pertinho o cheirinho da casa. "Até que está bem limpinho", observou.


Apresentadora tira todo mundo da cama para preparar receita diferente
Ana Maria entrou no Quarto Festa e pegou todo mundo de surpresa! “Vim aqui para conhecer vocês mais de pertinho e para o Brasil todo saber mais de cada um. E como um monte de gente pediu para eu fazer um belo café da manhã, preciso da ajuda de todo mundo. Vamos lá?”, convidou. Já no banheiro, a apresentadora perguntou sobre a organização da casa e descobriu que Aline é quem cuida , geralmente, da limpeza do local. Depois disso, ela conheceu a cozinha na companhia de Marcelo. “Ai que cozinha linda”, elogiou.

De blusa de frio branca, Ana foi conhecer o Quarto Sibéria. Apenas Diego havia acordado e saído do quarto. Os brother chegaram no cômodo gritando, antes dela entrar. E depois da reclamação dos sonolentos, a apresentadora apareceu: “Bom dia! Que frio!”, comentou ela, que convidou os demais brothers para o café matinal. E depois, o Quarto do Líder, onde Letícia recebeu Ana com um superabraço! “Ela tem força essa menina!”, brincou Ana Maria. “O Cássio é meu primo, Ana. Ele tem um cabelo meio Louro José, meio corvo”, riu o Louro. “Eu quero clarear,  mas ele vai ficar laranja”, disse Cássio. “Cadê a pinça?”, perguntou Ana para Roni. “Está lá fora”, respondeu o confinado.

Cássio foi o eleito para ser o ajudante de Ana, mas os participantes caíram na risada quando ela falou que ficou sabendo que ele era o melhor cozinheiro do recinto! Valter ainda cantou um rap feito especialmente para o momento, e todo mundo se divertiu e se animou com a possibilidade de aprender alguns truques do mundo da culinária. Eles comeram um delicioso Pão de Queijo Diferente e, claro, todo mundo chamou os cachorros!
Siga a visita de Ana Maria Braga à casa do BBB em tempo real!
Siga o @MaisVocê_Globo no Twitter. E acompanhe o Gshow nas redes sociais: curta a fanpage Portal Gshow no Twitter e no Pinterest.

Fonte: Rede Globo

Filho de Woody Allen defende o diretor das acusações de abuso

SÃO PAULO, SP, 5 de fevereiro (Folhapress) - Um dos filhos adotivos do cineasta Woody Allen e da atriz Mia Farrow, Moses Farrow, negou que sua irmã, Dylan, tenha sido abusada pelo cineasta.
Em entrevista à revista "People", ele também acusou a mãe de incitar seus filhos contra o pai.
"Minha mãe martelou na minha cabeça o ódio pelo meu pai, por ter dividido a família e por ter abusado sexualmente de minha irmã", afirmou Moses, 36, à revista.
"Eu o odiei por anos. Vejo agora que essa foi uma maneira vingativa de fazê-lo pagar por se apaixonar por Soon-Yi."
O suposto caso de abuso sexual, que a filha adotiva diz ter sofrido aos sete anos, voltou à tona no último sábado. Dylan, hoje com 28 anos, publicou uma carta no site do jornal "The New York Times" detalhando o episódio.
Foi a primeira vez que ela escreveu sobre o caso, que se tornou público durante a separação de Allen e Mia Farrow, em 1992. O cineasta se separou da atriz após se envolver com a enteada Soon-Yi Previn, filha adotiva de Mia de um casamento anterior, com o pianista André Previn.
O caso foi para os tribunais, onde surgiu a acusação de que Allen abusara sexualmente de Dylan.
"É claro que Woody não molestou minha irmã", disse ele, que se afastou de Mia e de seus irmãos e é mais próximo de Allen e de Soon-Yi. "Ela o amava e ficava ansiosa em vê-lo quando ele visitava. Ela nunca se escondeu dele até que nossa mãe conseguiu criar a atmosfera de medo e ódio em relação a ele."
De acordo com Moses, no dia do suposto abuso havia seis ou sete pessoas na casa. Todos estavam em salas comuns e ninguém, "nem meu pai, nem minha irmã", estavam em lugares privados. "Minha mãe estava convenientemente fora, fazendo compras."
"Eu não sei se minha irmã realmente acredita que foi molestada ou está tentando agradar à sua mãe. Agradar a minha mãe era uma motivação muito poderosa, porque estar contra ela podia ser terrível."
Ele diz que Mia exigia obediência desde que era pequeno, e que frequentemente apanhava quando criança.
Dylan Farrow respondeu aos comentários do irmão à revista: "Esta é uma traição tão grande a mim e à minha família inteira. Minhas memórias são a verdade e são minhas e eu viverei com isso pelo resto da minha vida."
"Minha mãe nunca me treinou", diz ela. "Ela me falou que o papai disse que não tinha feito nada. E eu disse "ele está mentindo."
Dylan é uma das duas crianças adotadas por Allen e Farrow nos anos 1980 - o outro é Moses. Além deles, o casal teve um filho, Ronan Farrow, 26. 

Fonte: Diário do Sudoeste

Ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato é preso na Itália


Condenado no mensalão, o ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato foi preso na Itália, para onde fugira dois meses antes de decretada sua prisão, no ano passado.
Pizzolato foi preso pelos Carabinieri, em uma das regiões mais prósperas e desenvolvidas da Itália.
Pizzolato foi levado para a penitenciaria de Modena, a 16 quilômetros de Maranello, onde deverá ser interrogado pela policia italiana. O que vai acontecer daqui para frente depende da justiça da Itália e do governo brasileiro.

Se o Brasil realmente pedir a extradição, não esta excluído que Pizzolato tenha que esperar pela decisão na cadeia.
Maranello, onde ele foi descoberto, também fica no norte do país. É famosa por ser a cidade sede da fábrica da Ferrari. A prisão foi por volta das 8h da manhã, horário de Brasília.

Pizzolato estava com a mulher no apartamento de um sobrinho, onde vinha sendo monitorado há dois dias. Ao ser abordado pelos policiais, negou sua identidade, mas logo admitiu ser Henrique Pizzolato.
O brasileiro foi preso com 15 mil euros e estava com documentos falsos, incluindo o passaporte no nome do irmão, Celso Pizzolato, que já morreu.
Henrique pizzolato pode ser processado na itália por usar documento falso, mas não seria expulso do país por esse crime.
"Os nacionais não são expulsos. A expulsão é só para estrangeiros. O que vai acontecer é que dependendo do código penal italiano, ele será processado por esse crime. Aqui no Brasil, o crime se chama falsidade ideológica”, explica Nadia de Araujo, professora de direito internacional.
"Uma coisa é o uso de documento falso, vai ser apurado na Itália. Ele foi preso pelo mandado do Brasil, o governo solicita a extradição e a justiça italiana vai analisar o pedido", diz Rogério Galloro, diretor executivo da Polícia Federal.
"Em um processo eventual de extradição, às vezes penas muito pequenas são deixadas de lado para favorecer a extradição", garante Roberto Donati, oficial da polícia italiana no Brasil.
Desde o ano passado que o nome do ex-diretor do Banco do Brasil está na lista de procurados da Interpol, a polícia internacional.

Fonte: Jornal Nacional