domingo, 27 de abril de 2014

Protesto contra morte de DG toma ruas de Copacabana

Moradores do morro Pavão-Pavãozinho tomaram as ruas de Copacabana neste domingo, 27, em protesto contra a morte do dançarino Douglas Rafael da Silva Pereira, o DG, assassinado na última terça-feira, 22 na comunidade localizada na zona sul do Rio. O trânsito nas principais ruas do bairro foi interrompido pelos manifestantes. Apesar de protestos de amigos da vítima e de provocações contra policiais, o ato transcorreu em paz.
Quinze carros da Polícia Militar reforçaram a segurança nas imediações da entrada da favela. Os manifestantes marcaram a concentração em frente à praia de Copacabana e caminharam por cerca de um quilômetro pela orla até entrarem pelas ruas do bairro. PMs acompanharam todo o movimento, que reuniu cerca de 150 pessoas, segundo estimativas da própria Polícia Militar
A mãe de DG, Maria de Fátima da Silva, chegou ao protesto tocando um surdo. "Agradeço a vocês pelo grito de guerra que evitou que meu filho fosse enterrado como um indigente", disse ela aos moradores do morro Pavão-Pavãozinho que organizaram o ato.
Os manifestantes carregaram cartazes denunciando a violência policial e pedindo paz e justiça para DG, encontrado morto a tiro em uma creche. Organizadores pediram aos participantes que conduzissem o protesto em paz, lembrando que havia ali muitas crianças. Um pequeno grupo tentou incitar a multidão contra jornalistas, mas o tumulto logo se dissipou.
A caminhada seguiu até a porta do edifício onde DG morava com a mãe, na Rua Barata Ribeiro, no mesmo bairro. Os manifestantes sentaram-se no chão, fizeram um minuto de silêncio, rezaram e cantaram.
"Ele (DG) gostava de funk e subia na favela para salvar crianças, e vocês tiraram a vida do meu filho. Eu sei que vocês têm filho. A vida é um espelho, tudo o que se faz reflete. Então vocês olhem bem, aqui é uma mãe que está chorando, com o coração sangrando. (DG) Era uma pessoa decente que vocês tiraram a vida", bradou a mãe do dançarino aos policiais militares que acompanhavam o ato.
Segundo a ativista Deise Carvalho, uma das organizadores do protesto, a intenção era mostrar à mãe de DG que a comunidade está ao seu lado pedindo Justiça. De acordo com a militante, DG sofria ameaças desde 2011, depois que teve uma moto furtada e posteriormente reconhecida em poder de policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).
"Um mês atrás ele me procurou dizendo que estava sendo ameaçado por policiais. Queria procurar o Ministério Público para fazer a denúncia, mas achei que, por ele ser conhecido, não teriam coragem de fazer isso com ele. Infelizmente, me sinto culpada, porque se eu tivesse ido ao Ministério Público, saberia o nome do policial que fez isso (o assassinato de Douglas)", declarou.
Os manifestantes, a maioria com roupas brancas, também homenagearam Edilson da Silva dos Santos, conhecido como Mateusinho. Deficiente mental, ele foi morto com um tiro na cabeça durante manifestação contra a morte de DG.
Programa
O dançarino foi homenageado ontem no programa "Esquenta", comandado pela apresentadora Regina Casé, na Rede Globo, onde costumava dançar.
"Hoje, infelizmente, nós não conseguimos colocar no ar um programa lindo que a gente tinha preparado. Porque um dos nossos dançarinos, talvez o mais alegre, o mais querido pelas crianças, foi brutalmente assassinado com um tiro nas costas", declarou Regina.
O programa que iria ao ar ontem foi regravado na véspera, reunindo a mãe de DG, além de outros parentes e amigos do rapaz. O clima de emoção contagiou convidados como Fernanda Torres, Carolina Dieckman, Preta Gil e Leandra Leal. Emocionada, Maria de Fátima usava uma camisa com a foto do filho e a inscrição "saudade eterna".
#ET

Fonte: Estadão MSN

Avril Lavigne retorna ao Brasil para cinco shows neste mês

Rio - Com mais de 35 milhões de discos vendidos no mundo todo, a cantora canadense Avril Lavigne desembarca no Brasil para uma escursão de cinco shows em terras canarinhas. Dona de hits poderosos como "Complicated", Sk8er Boi", "My Happy Ending", "Girlfriend" e "What The Hell", a loirinha promete mesclar antigas canções conhecidas do público com composições de seu último álbum autointitulado ("Avril Lavigne").
Cantora se apresenta nesta sexta-feira no Rio
Foto:  Reprodução Vídeo

Surgida em 2002, Avril ganhou incontáveis prêmios em uma carreira, incluindo oito indicações ao Grammy Awards. Marcada pela imagem de adolescente rebelde, ela inspira milhares de garotas além de gerar discípulas no cenário musical. Casos de Taylor Swift, Kelly Clarkson e Katy Perry.
Avril em seu mais recente trabalho que leva seu próprio nome (lançado em novembro de 2013) traz belas canções acompanhadas ao piano e coisas mais cruas, como "Give You What You Like", Hush Hush" e "Bad Girl". Recentemente, Lavigne foi acusada de racismo ao divulgar o clipe de "Hello Kitty", onde supostamente explora a cultura japonesa. Em sua defesa, a moça disse que "ama a cultura japonesas e seus fãs, e que o clipe foi uma homenagem".
Casada com o vocalista do Nickelback, Chad Kroeger, ela está prestes a completar 30 anos em 27 de setembro, com planos de aumentar a família. Avril fará cinco shows no Brasil no fim de abril. A turnê da cantora passará por São Paulo (um show para 7 mil pessoas no Citibank Hall) nos dias 29 e 30 deste mês; Rio de Janeiro (Citibank Hall) no dia 2 de maio; Belo Horizonte (Chevrolet Hall) no dia 3 de maio; e Brasília (Net Live Brasília) no dia 4 de maio.

Fonte: O Dia

Aniversário de 120 anos de Ipanema é comemorado com grafite

Grafiete em tapumes das obras do Metrô da Linha 4 comemoram 120 anos de Ipanema (Foto: Divulgação/Linha 4 do Metrô)Trabalhos contaram a história do bairro aniversariante (Foto: Divulgação/Linha 4 do Metrô)

Os 120 anos do bairro de Ipanema, na Zona Sul do Rio de Janeiro, foram comemorados com arte durante a manhã e tarde de sábado (26). Cem metros de tapumes de obras da Linha 4 do Metrô (Barra da Tijuca-Ipanema) na Praça Nossa Senhora da Paz foram grafitados por 16 artistas selecionados, no evento público 'Tudo Tem Mais Graça Com Arte'. Na intervenção, os artistas contaram a história do bairro e deram um novo aspecto visual aos tapumes.
"É uma maneira de ocupar os tapumes com obras, mas de arte. Traz mais cor para o coração de Ipanema. É um presente para o bairro, em seu aniversário", disse Maria Beatriz Branquinho, coordenadora de comunicação do Consórcio Linha 4 Sul, responsável pelas obras entre Ipanema e Gávea da Linha 4 do Metrô.
O projeto é uma realização da Stickeria, do Governo do Estado do Rio de Janeiro, da Concessionária Rio Barra S.A., do Consórcio Linha 4 Sul, da Subprefeitura da Zona Sul, da Associação dos Moradores de Ipanema e do Rio Ao Vivo.
"Esta é a nossa primeira ação cultural em comemoração aos 120 anos de Ipanema, e estamos muito felizes com a parceria. Até o fim do ano, nosso bairro terá outros eventos para celebrar este aniversário", contou a presidente da Associação de Moradores de Ipanema, Maria Amélia Loureiro, de acordo com a assessoria de imprensa da Linha 4.

Grafite comemora 120 anos de Ipanema em tapumes da Linha 4 do Metrô (Foto: Divulgação/Linha 4 do Metrô)Mordores e turistas registraram as obras (Foto: Divulgação/Linha 4 do Metrô)

Fonte: G1

Na reta final da gravidez, Wanessa sensualiza em show

Cantora Wanessa está grávida do segundo filho

A cantora Wanessa Carmargo escolheu um modelito que deixou em evidência seu barrigão na noite de sábado, 26.

A cantora, que espera o segundo filho, se apresentou em São Paulo e escolheu uma blusa preta justinha. Sorridente, ela fez caras e bocas para as fotos e se divertiu no camarim.

Já no palco, a mulher de Macurs Buaiz mostrou que está com pique total. Wanessa dançou e sensualizou ao lados dos seus dançarinos.

Fonte: Midia News

Filme indiano 'Bhaag Milkha Bhaag' ganha 'Oscar Bollywood' na Flórida

27 Abr (Reuters) - O filme indiano "Bhaag Milkha Bhaag" foi o grande vencedor do "Oscar Bollywood" na noite de sábado, arrematando cinco dos principais prêmios, incluindo melhor filme e melhor diretor, na primeira vez que a premiação fez uma parada nos Estados Unidos, em Tampa, Florida.
Celebridades como Kevin Spacey e John Travolta e dignitários da Índia e os Estados Unidos se deslocaram para a cidade da costa do Golfo esta semana para a premiação do Indian Film Academy Internacional, que foi comparado ao Super Bowl em termos de necessidade de segurança, gerenciamento e planejamento de trânsito.
"Bhaag Milkha Bhaag", um drama esportivo biográfico baseado na vida de Milkha Singh, um corredor indiano campeão nacional e atleta olímpico, foi o grande vencedor da premiação que coroou quatro dias de eventos e celebrações que visam criar laços mais profundos entre a Índia e os EUA.
Além dos prêmios de melhor filme e diretor para Rakeysh Omprakash Mehra, o filme ganhou o prêmio de melhor ator para Farhan Akhtar, melhor atriz coadjuvante para Divya Dutta e melhor história. O filme também ganhou uma série de prêmios técnicos.
A estrela de Hollywood Travolta recebeu um prêmio especial por sua contribuição para o cinema internacional, e disse se sentia "honrado e humilde ao ser colocado nesta categoria."
O evento de quatro dias, com uma audiência mundial esperada de 800 milhões, atraiu dezenas de milhares de visitantes para a área e deve ter gerado 11 milhões de dólares em receita, segundo os organizadores.
A indústria cinematográfica indiana de 2 bilhões de dólares tem um amplo alcance global e produz mais filmes por ano do que Hollywood, embora indústria cinematográfica os EUA gere cinco vezes mais receita, de acordo com o Tampa Bay Times.

Fonte: Jornal A Cidade

Bruna Marquezine tieta Demi Lovato em show no Rio de Janeiro

Bruna Marquezine, Demi Lovato e Manu Gavassi

Bruna Marquezine aproveitou uma folga nas gravações da novela Em Família e foi conferir o show da cantora Demi Lovato, no Citibank Hall,  no Rio de Janeiro.
Depois de conferir a apresentação, a atriz e Manu Gavassi foram ao camarim tietar a estrela teen. "Obrigada, Demi Lovato! Que show incrível! Você é maravilhosa!", escreveu na legenda da foto que postou no Instagram.

Fonte: Terra

Amiga diz que madrasta jogou soda cáustica no corpo de Bernardo

Uma das suspeitas da morte de Bernardo Boldrini, de 11 anos, no Rio Grande do Sul, a assistente social Edelvania Wirganovicz disse à Polícia Civil de Três Passos que dois dias antes da morte da criança foi a uma loja junto com a madrasta, a enfermeira Graciele Boldrini, para comprar soda cáustica. Segundo ela, o material foi usado por Graciele para acelerar a decomposição do corpo. O depoimento, cujo teor hoje é negado pela defesa de Edelvania, foi divulgado em reportagem do Fantástico (confira no vídeo).
Bernardo foi encontrado morto no dia 14 enterrado em um matagal em Frederico Westphalen, no Noroeste do estado, a cerca de 80 km de Três Passos, onde morava com a família. Ele estava desaparecido desde 4 de abril, dia que a polícia acredita que tenha sido morto. Além de Edelvania e Graciele, Leandro, pai do menino, também é suspeito do assassinato. Os três estão presos temporariamente em um local não divulgado.

Soda cáustica foi usada para acelerar decomposição (Foto: Reprodução/TV Globo)
Soda cáustica foi usada para acelerar a
decomposição (Foto: Reprodução/TV Globo)

No depoimento, Edelvania dá poucos detalhes sobre o crime Ela conta que no dia 2, a madrasta havia levado os remédios que seriam usados para matar o menino, e que ela queria "algo para dissolver rápido o corpo e que não desse cheiro". Antes da compra da soda cáustica –  foram dois pacotes, cada um por R$ 14,50 –, a assistente social ainda disse ter sido levada ao local onde o corpo da criança seria enterrado.
A assistente social também falou sobre detalhes do dia do assassinato. A partir de informações obtidas pelo Fantástico, alguns detalhes do foram reproduzidos.
Depois que Bernardo voltou da escola, Graciele o levou a Frederico Westphalen, onde Edelvania esperava na calçada de um restaurante. Imagens da câmera de segurança do posto de gasolina que fica ao lado do estabelecimento não foram divulgadas.
Edelvania acenou para a caminhonete preta, de cabine dupla, onde estavam Bernardo e a madrasta. Como não havia lugar para estacionar, Edelvania foi até o veículo para conversar com Graciele. Quando surgiu uma vaga, Graciele parou e desceu com o menino. Eles andaram alguns metros até chegar ao carro de Edelvania. A enfermeira assumiu a direção, com a assistente social ao lado e a criança no banco de trás.
Edelvania disse em depoimento que Graciele aplicou uma injeção letal no menino, jogou a soda cáustica e as duas enterraram o corpo. Um laudo divulgado na última sexta-feira (25) concluiu que Bernardo não foi enterrado vivo.
No final da tarde do dia 4, a câmera do posto de gasolina registrou quando o carro voltou e estacionou sem Bernardo. Mais uma vez, quem estava dirigindo era Graciele. As duas entraram no prédio onde Edelvania mora, que fica em frente ao estabelecimento. Imagens exclusivas do apartamento da assistente social mostram as duas suspeitas na porta do prédio. A madrasta foi embora na caminhonete dela, sozinha. Segundo funcionários do posto, mais tarde, Edelvania comprou um sorvete.
O advogado de Edelvania, Demetryus Eugenio Grapiglia, nega que ela tenha participado da morte do menino. Ele contesta o depoimento dado pela assistente social, alegando que ela falou à polícia sem a presença de um advogado. "[Edelvania] só teve contato com Bernardo no momento pós-morte. Ela só participou do crime de ocultação de cadáver", garantiu.

Edelvania fingiu estar desesperada, diz amiga
Edelvania e Leandro foram a uma festa um dia após morte do menino (Foto: Reprodução/TV Globo)Edelvania e Leandro foram a uma festa um dia após morte do menino (Foto: Reprodução/TV Globo)

No dia 5 de abril, um depois da morte, Edelvania e Leandro foram a uma festa em um clube de Três de Maio, a 80 km de Três Passos. Foi encontrado um folheto da balada eletrônica na caminhonete da madrasta.
Edelvania disse que, um dia após a festa, a madrasta de Bernardo a telefonou para saber se estava tudo bem, se alguém a pressionava para conseguir informações. Em uma das ligações, a assistente social disse ter percebido que a amiga fingia estar desesperada.
Paulo Boldrini, irmão de Leandro, concorda. "Jamais alguém ia desconfiar de que ela teria feito uma atrocidade desse tamanho. Ela fez um papel de um atriz muito bem preparada", afirmou.
O advogado de Graciele, Vanderlei Pompeo de Mattos, disse que a enfermeira pretende se manifestar sobre o caso em breve. "Até agora, pra mim, não confessou nada. Vou orientá-la a declarar o que ela sabe, participação ou não participação. Ela disse que está refletindo e pretende prestar declarações", afirmou.
A polícia acredita que Leandro tentou inocentar a mulher, e foi frio ao saber da morte de Bernardo. "Não é todo mundo que sai berrando, que sai chorando", contesta o irmão do médico. "Eu acredito na inocência do Leandro. Ele gostava muito do filho dele", afirmou.

Perda da guarda e bloqueio de bens
A Justiça do Rio Grande do Sul determinou neste sábado (26) que a filha do médico Leandro Boldrini e da enfermeira Graciele Ugulini, presos por suspeita de participação na morte do menino Bernardo Boldrini, de 11 anos, fique com uma tia. A guarda provisória da criança de um ano e cinco meses foi concedida a uma irmã de Graciele.
Bernardo foi encontrado morto no dia 14 enterrado em um matagal em Frederico Westphalen, no Noroeste do estado, a cerca de 80 km de Três Passos, onde morava com a família. Ele estava desaparecido desde 4 de abril. Além de Leandro, pai do menino, e Graciele, a madrasta, a assistente social Edelvania Wirganovicz, amiga da mulher, também está presa por suspeita de envolvimento no crime.

Fonte: G1

Arnold Schwarzenegger faz sucesso em evento esportivo no Brasil

O ex-governador da Califórnia e ator Arnold Schwarzenegger marcou presença neste fim de semana em seu evento de bodybuilding “Arnold Classic Brasil”, no Rio de Janeiro.
O astro de Hollywood interrompeu as gravações do filme “O exterminador do futuro 5” para acompanhar de perto a segunda edição brasileira de um dos maiores eventos multiesportivos do mundo.
Esse ano, a feira apresentou cerca de 31 competições, entre elas: strongman, bodybuilding, levantamento olímpico, skate, bmx, crossfit, poli dance, jiu jitsu e até mesmo algumas para crianças como frescobol e xadrez. Além de trazer 170 expositores, incluindo marcas esportivas de suplementos, roupas e acessórios, e cerca de 5.300 atletas profissionais.
Uma das organizadoras do evento, Ana Paula Leal Graziano, destacou o reforço que  teve no caráter multiesportivo que o caracteriza: “Arnold resumiu o que queria que fizéssemos com o evento: “Make it big” (“Façam-no grande”). Cumprimos a orientação à risca”, garante a empresária.
O astro ainda brincou na coletiva com uma das frases que marcou a história do cinema: I’ll be back” – “Eu estarei de volta”. E disse sorrindo que cumpriu sua promessa e como está contente pela escolha do evento em nosso país. “O evento tem a segunda edição no Rio de Janeiro pois além de ser um lugar bonito, acredito que as pessoas gostam de se exercitar e correr na praia. Além disso, confio na parceria dos sócios brasileiros Ana Paula Leal e Luiz Felipe Bonilha, que entendem e se preocupam com a ligação do esporte e a saúde”, explica o ex-governador.


Arnold que já que ganhou cerca de 13 campeonatos de bodybuilding, sendo 7 como Mr. Olympia, explica sua paixão pelo esporte: “Sou viciado em treinar e me exercito todos os dias. Diziam que, se treinasse muito, poderia apressar meu envelhecimento, ter problemas de saúde ou, mesmo, virar gay. Felizmente, nada disso aconteceu”, brincou Arnold, acrescentando ter decidido usar sua popularidade para difundir cada vez mais e em mais lugares do mundo a atividade física e o fisiculturismo.
Além disso, Arnold premiou o vencedor da competição de Bodybuilding Pro (fisiculturismo profissional) no Citibank Hall. Na batalha havia um palco montado com os homens e mulheres mais esculpidos do mundo. Entre os 25 participantes, três eram brasileiros mas apenas dois competiam pelo país. Regiane da Silva, naturalizada alemã, competia pelo país europeu. Julio Balestrin e Diana Monteiro, não chegaram ao top 5 dos juízes. Julio era estreante na competição profissional e Diana havia competido no ano anterior na mesma categoria.
A grande estrela da noite, o americano Steve Kuclo, foi o favorito e levou a medalha de ouro para casa. Os demais premiados no Arnold Classic Pro foram: Juan Diesel Morel, Jonathan de LaRosa, Lionel Beyeke e Toney Freeman. Entre as mulheres, no Arnold Classic Fitness, a americana Bethany Cisterino, foi o primeiro lugar. Seguida pela Regiane, Danielle Ruban, Whitney Jones e Ryall Graber. Todos os vencedores receberam o prêmio das mãos de Arnold Schwarzenegger.

O evento fez um enorme sucesso com milhares de pessoas, tanto amantes de esportes como profissionais da área, nutricionistas e atletas famosos como Eva Andressa, Carol Saraiva, Larissa Reis, Eduardo Corrêa, Alice Matos, Juju Salimeni e seu namorado Felipe Franco. Além de muitos outros que ficaram muito satisfeitos com a organização e os campeonatos esportivos.
Arnold agradeceu todos os brasileiros que participaram e ressalta que está muito feliz em ver o crescimento da feira do ano passado para este, e, por isso, está muito ansioso para voltar em breve com mais uma edição do Arnold Classic no Brasil.

Fonte: Tutube.com

Faustão se defende de racismo contra bailarina de Anitta

  • TV Globo | Reprodução
    "Não venham fazer provocação onde não tem", disse Faustão
Faustão resolveu se defender das acusações de racista e preconceituoso, após a polêmica envolvendo uma das bailarinas da cantora Anitta. No programa deste domingo, 27, o apresentador disse que tudo não passou de uma brincadeira e criticou as pessoas que fizeram do comentário uma polêmica. "Não venham fazer provocação onde não tem", disse ele.
No programa do domingo passado, Faustão chamou o cabelo da dançarina Arielle de vassoura de bruxa e, desde então, o apresentador passou a ser alvo de críticas nas redes sociais.  
Pelo Facebook, Arielle chegou a dizer que tinha ficado ofendida com a situação mas, não se sabe porque, a moça apagou o comentário da rede social pouco tempo depois. Arielle é negra e usa o cabelo no estilo afro e na cor vermelha.

Na explicação que deu ao seu público neste domingo, Faustão chegou a declarar que ele é um dos poucos que falam abertamente que caráter e talento não estão relacionados com cor da pele, classe social, orientação sexual ou escolha de região e partido político. E por conta disso ele está fora da lista dos preconceituosos.
O apresentador ainda justificou a acusação de racista dizendo que mais da metade das pessoas que trabalham com ele são negros. E a maioria deles trabalha com ele por mais de 15 anos.

Leia o comentário de Arielle no Facebook (antes de ser apagado):
"Sobre o episódio do Faustão, fico muito feliz pelo carinho. Se me ofendi? Claro. Apelidos são o que mais recebo por aí. O racismo sempre vai existir. Ele se fortifica quando nos sentimos ofendidos. Eu tenho a minha forma de me manifestar quanto a isso. O cabelo é meu, a vida é minha e me acho linda. Isso é o mais importante! Não me deixo oprimir por nada e nem pela opinião de ninguém".


Fonte: Portal A Tarde

Mãe morre após interromper quimioterapia para salvar bebê

Do G1 São Carlos e Araraquara
Grávida decide interromper tratamento de saúde para continuar gestação (Foto: Su Casuscelli)Sonho de Patrícia era se casar, o que aconteceu depois que soube da gravidez (Foto: Su Casuscelli)

Durante o tratamento de um câncer de mama, a funcionária pública de Araraquara (SP) Patrícia Alves Cabrera, de 27 anos, descobriu que estava grávida. Após orientações dos médicos, ela decidiu abandonar a quimioterapia para tentar salvar o filho e apenas monitorar a doença. Entretanto, no dia 14 de abril, ela piorou e foi realizada uma cesariana de emergência. O bebê nasceu com 6 meses e está internado na UTI Neonatal, mas a mãe não resistiu e morreu uma semana depois. Amigos e familiares criaram uma campanha para ajudar a família, que não tem condições de arcar com as despesas médicas, cerca de R$ 30 mil por semana.

Patrícia descobriu a doença durante um autoexame em 2012 e procurou um médico, que diagnosticou o câncer de mama. Em julho de 2013, conheceu em um barzinho Felipe Cabrera Padovani, que mais tarde seria seu marido. “Uma das vezes em que ela foi lá, trocamos olhares e uma amiga dela colocou um papel no meu bolso com um beijo dela. Aí trocamos telefones, começamos a nos ver e depois a namorar”, conta Padovani, que é garçom no estabelecimento.
O sonho dela era se casar e ter filhos, mas devido à doença, Patrícia tinha perdido as esperanças. "Os médicos já tinham avisado que ela não poderia engravidar", relata o marido. Por isso, quando soube da gravidez, ficou encantada. “Em nenhum momento passou pela cabeça dela interromper a gestação, mesmo com todos os riscos.”
Com a notícia de que um filho chegaria à família, confirmada no dia 23 de dezembro, eles começaram a organizar o casamento, realizado no dia 15 de março. Nesse período, a doença estava estável, e Patrícia passou a ter a gestação monitorada com frequência para tomar providências se houvesse alguma alteração.
  • Mãe interrompe tratamento contra o câncer e segue gestação em Araraquara (Foto: Su Casuscelli)Sem quimioterapia, ela passou a ter gestação e doença monitoradas com frequência (Foto: Su Casuscelli)
 
Piora - Mesmo com o acompanhamento de médicos particulares e do Programa de Saúde da Mulher de Araraquara e, em Barretos, pelos médicos do Hospital do Câncer, no intervalo de 15 dias Patrícia teve uma piora significativa e foi internada com urgência no Hospital São Paulo.
"O risco e a gravidade eram grandes. Se fosse para a Maternidade Gota de Leite, tinha chance de salvar o bebê, mas não tinha recurso para ela. Na Santa Casa teria recursos para ela, mas não teria nenhum para o bebê. O único hospital aqui que teria chance de atender os dois seria o Hospital São Paulo, que é particular", diz a amiga da família Andrea Ribeiro.
Arthur nasceu com poucas chances de sobreviver. Ele está internado na UTI Neonatal do hospital em Araraquara, e a família tem medo de transferi-lo para uma unidade pública. Patrícia foi transferida para o Hospital do Câncer de Barretos para dar continuidade ao tratamento, mas o fígado também já estava comprometido e ela não resistiu.
Andrea conta que Arthur é muito parecido com a mãe e que está respondendo muito bem ao tratamento. “Ele é um guerreiro, persistente e está se superando igual à mãe dele. Patrícia foi um anjo na terra que veio nos ensinar o que é vontade de viver”, afirma.

Campanha mobiliza Araraquara para ajudar tratamento de recém-nascido (Foto: Reprodução Facebook) 
Campanha mobiliza internautas pela saúde de
recém-nascido (Foto: Reprodução Facebook)
 
Campanha - As despesas com o hospital já passam dos R$ 30 mil, e Arthur deve ficar internado na UTI Neonatal por, no mínimo, 60 dias para receber a medicação adequada e se desenvolver, o que custaria quase R$ 290 mil. Como o garçom não tem condições de arcar com esse valor, amigos e familiares lançaram a campanha  “Amigos da Patrícia, Felipe e Arthur” nas redes sociais para arrecadar dinheiro e ajudar a família.
Uma página no Facebook, criada por uma das amigas de Patrícia, já possui mais de 5 mil curtidas e vários compartilhamentos. A intenção é criar meios de arrecadar doações para o tratamento do bebê. "A evolução dele é diária, mas mesmo assim o risco ainda é muito alto. O Arthur hoje é o nosso anjo, o pedacinho dela que ficou para a gente poder lembrar dela com muito carinho e ensinar tudo o que a mãe dele deixou de lição pra gente", diz o pai.
Quem quiser obter mais informações sobre o bebê ou ajudá-lo pode entrar em contato com Felipe Padovani, o pai do Arthur, pelo (16) 99721-6005.

Mãe decide continuar gravidez e morre das complicações de câncer (Foto: Su Casuscelli)Mãe decide continuar gravidez e morre das complicações de câncer (Foto: Su Casuscelli)

Fonte: G1

Afastada da TV há quatro anos, Ana Paula Arósio está de mudança para a Inglaterra

(Foto: Divulgação)

A atriz Ana Paula Arósio que está afastada da TV há quatros, está de mudança para a Inglaterra, junto com o seu marido Henrique Pinheiro.
Amante de cavalos, a atriz estaria tentando uma vaga na seleção brasileira de hipismo. Como o seu treinador é inglês, sua mudança para o país teria algum envolvimento com isso.
O último trabalho de Ana Paula na TV foi no seriado “Na Forma da Lei” em 2010. Desde então optou por abandonar a carreira e viver reclusa em um sítio no interior de São Paulo. Apareceu recentemente bastante mudada em salão de beleza, e foi fotografada pelo seu maquiador.

Fonte: Boa Informação

O mundo hoje

Nessa semana, vi uma reportagem na Record, em que uma garota de Goiânia, de apenas 13 anos, envenena a mãe por não deixá-la ir à uma festa. A mãe, certa, diz não querer mais a filha e que a justiça tem que ser feita. "Eu estou derrotada, o que eu tinha de chorar, eu já chorei", lamenta a vítima. A jovem admite ser usuária de drogas, diz que usa maconha. Creio que na relação de pais e filhos, desentendimentos acontecem de qualquer jeito. A vida é assim. Os pais batem em seus filhos se eles fizerem algo errado... Isso é normal, mas, nesse caso, a justiça não deve proteger a menor de idade (mais nova do que eu que tenho 16). As coisas que a filha disse foram totalmente absurdas, e a tentativa de assassinato é imperdoável! Na hora de passar reportagens como essa, não deveria ocultar os rostos desses delinquentes, não importa a idade.
Hoje em dia, as pessoas matam por objetos. Parece que no mundo não existem empregos, e até os adolescentes de 12 anos no mínimo querem tocar em uma arma e cometer um delito, e pensar que eles tem razão ao fazer isso e que tudo podem, tudo é permitido e que as coisas são obtidas facilmente. Aí que eles se enganam. Não sabem no perigo que estão se metendo, porque o futuro espera um pouco da gente. Na vida, temos que nos impor limites, porque nada é fácil se conseguir, e às vezes as coisas são obtidas por sorte.
Esses Mc's de 14, 15 anos largam os estudos para seguir 'carreira musical' no funk, se é que isso é música. Já que o mundo é mercenário, fazer o que, né? Fazendo músicas ridículas, que falam mal das mulheres (comparando elas à animais), e, na maioria das vezes, 'ostentam' tudo que tem e aquilo que não possuem. Alguns se acham ricos sem ser. Além do mais, é feio ficar se amostrando só porque tem colar de ouro, uma Ferrari e "muito dinheiro". Isso é feio e infantil, pois fazíamos isso quando éramos crianças de 4, 5 anos, por aí. "Eu tenho tablet, você não tem. Eu tenho cordão de ouro, você não tem". Era mais ou menos assim que fazíamos nessa fase, só que com carros de brinquedo ou com lápis da Faber Castell. Tem alguns cantores de funk que ainda se salvam, e são aqueles das antigas, como, por exemplo, Buchecha. Atualmente, tudo que vem de fora, eles querem copiar, parecendo que nenhum deles tem sua própria personalidade. Todos são robôs programados, que copiam tudo que o outro faz. Isso é ridículo. Ninguém tem seu próprio comportamento. E os seus fãs saem xingando no Twitter quem falar do artista, usando palavras obscenas, falando o que querem e o que acham certo.
Tem gente que se ilude com artista. Eu vejo que existe tapados, não vê notícia sobre eles, para ver quem são os seus 'ídolos'. Um exemplo de pura imaturidade que posso citar é Justin Bieber. O cara foi preso uma vez, ameaçado de deportação, e agora acabou detido novamente, e tudo isso causado por bebedeira, drogas... Acham mesmo que esse é um 'ídolo' perfeito? Ele merece mesmo ter fãs? Veio para o Brasil, vandalizou um lugar inadequado com pichações, mas, sorte a dele que não foi preso. Isso porque é rico, famoso e pode pagar fiança. Disse que não queria voltar ao Brasil, e que as beliebers daqui são péssimas fãs. Eu disse nesse dia: "O Brasil inteiro agradece por você não voltar mais". Agora ele volta para se promover no seu filminho que foi lançado? Lá nos Estados Unidos, ele joga ovos na casa de um vizinho. Com isso correu o risco de ser deportado para o Canadá, onde já deveria estar há muito tempo. Gente, não se iludam. Acordem! Aí ninguém liga para os comportamentos estranhos que ele anda tendo com as pessoas. Claro, por que é famoso e não responde pelos seus atos. E por isso, preferem ficar feito burros no mundo, valorizando quem não presta. Façam como Datena, que quebrou o disco 'Believe' do Justin AO VIVO! Mas esse aí mereceu, e o apresentador ainda esclarece: "... vocês irão encontrar ídolos melhores...". Que um dia as beliebers tomem consciência de qual ser humano estão babando, antes que ele cuspa em cada uma delas. Se manquem, gente!
A moda desse ano foi realizar a 'Marcha da Maconha', em São Paulo. Acham mesmo que isso é necessário? Sei que se legalizar a maconha, os maconheiros vão infernizar as cidades no Brasil inteiro, infestar o país. Não tem necessidade disso. Todos nós sabemos o que acontece conosco quando usamos drogas. Morremos! E isso nem se discute.
Vamos pensar onde nos metemos, o que fazemos e principalmente o que queremos para nossa vida. Isso é muito importante. Vamos ver quem queremos seguir, analisar bem o comportamento do ser humano, confiar e desconfiar ao mesmo tempo, pois isso também é imporante e nos marca. Pensem nas músicas que escutam, analisem a mensagem que ela lhe transmite.

'João XXIII e João Paulo II foram corajosos', diz Papa

O papa Francisco afirmou que João Paulo II e João XXIII, os quais foram canonizados neste domingo (27), foram "homens corajosos", que não tiveram "medo" de contemplar Jesus e que viveram os desafios do século XX.
    "São João XXIII e São João Paulo II tiveram a coragem de olhar as feridas de Jesus, de tocar suas mãos. Não tiveram vergonha da carne de Jesus, não se escandalizaram dele, da sua cruz, não tiveram vergonha da carne do irmão", afirmou o Pontífice, em sua homilia durante a missa solene de canonização dos Papas. "Foram sacerdotes, bispos e Papas do século XX. Conheceram as tragédias desse século, mas não foram sobrecarregados e julgados por elas. O mais forte, neles, era Deus, a fé em Jesus Cristo Redentor do homem e Senhor da história", destacou Francisco. Segundo o Papa, João XXIII e João Paulo II também "colaboraram para recuperar a Igreja com sua fisionomia original", principalmente o primeiro, através do Concílio Vaticano II. "João XXIII foi para a Igreja Católica um pastor, um guia, mas também guiado pelo Espírito Santo. Esse foi seu grande serviço pela Igreja. Por isso, gosto de pensar nele como o 'Papa da Docilidade do Espírito Santo'", afirmou Francisco.
    "Já João Paulo II foi o 'Papa da Família'. Ele mesmo, uma vez, disse que gostaria de ser lembrado como o 'Papa da Família'", completou, pedindo para que o recém-proclamado santo cuide de todas as famílias do mundo e das atividades do Sínodo Extraordinário sobre a Família, que será realizado entre 9 e 15 de outubro no Vaticano. (ANSA)

Fonte: Jornal do Brasil


Jean Paulo, o "Cirilo" da novela "Carrosel" renova contrato com o SBT

Jean Paulo, o "Cirilo" da novela "Carrosel" renova contrato com o SBT
Jean Paulo, o ator mirim que ganhou o coração do Brasil interpretando Cirilo, no remake da novela “Carrosel”. O talento do pequeno não passou despercebido aos olhos da Rede Record, que acertou um contrato com os pais do garoto garantindo a transferência de Jean, sem o conhecimento de Silvio Santos. O dono do SBT não deixou barato, nesta sexta-feira (25), a emissora divulgou um comunicado informando que renovou o contrato com o garoto, além de se responsabilizar juridicamente e financeiramente pela quebra de contrato com a Rede Record.

De acordo com informações divulgadas pelo site “Terra”, a multa da rescisão do contrato da Record seria de R$ 200 mil, e o pagamento da mesma terá de ocorrer de um jeito ou de outro. Detalhe, a contratação de Jean já havia sido anunciada, e até mesmo uma participação no programa “Domingo Show”, do Geraldo Luís, já havia sido confirmada. Em comunicado a Record informa: “isso só vem demonstrar a preocupação de Silvio Santos com o nosso crescimento, especialmente aos domingos”.

Durante a gravação do troféu imprensa, que ocorreu na última quarta-feira, 23, ao receber seu prêmio das mãos de Silvio Santos, o ator-mirim ao escutar o patrão dizer que não sabia da saída dele da emissora, respondeu ingenuamente que não o avisou porque Silvio estava viajando.

Atualmente Jean Paulo está no ar com a “Patrulha Salvadora” no SBT. O jovem estava recebendo em torno de R$ 10 mil mensais e passaria a receber R$ 30 mil caso tivesse mantido com a Record. Sem dúvidas, Silvio Santos deve ter feito uma bela contraproposta aos pais de “Cirilo”.

Fonte: Diário 24 Hrs

Peregrinos acampam no Vaticano na véspera da canonização de Papas

Às vésperas da inédita canonização de dois Papas, João XXIII e João Paulo II, milhares de fieis ocupavam a praça de São Pedro, no Vaticano, em busca de um lugar onde passar a noite.
Os espaços previstos dentro e fora da praça nem sempre garantem uma boa visão. Por um bom lugar, vale a pena acampar desde sábado, pensam muitos, ainda que telões tenham sido espalhados por toda Roma para transmitir a cerimônia.
Para os milhares de peregrinos - estima-se cerca de 1 milhão - especialmente aqueles que vieram da Polônia e da América Latina, qualquer esforço vale para estar presente neste evento sem precedentes na história: dois Papas canonizados perante dois Papas vivos.
Um dos grupos que mais chamam atenção é o dos 33 seminaristas do Instituto Redentoris Mater de Macerata, do sul da Itália, que está acampado praticamente na porta do escritório da assessoria de imprensa da Santa Sé, a um passo da praça de São Pedro.

Estenderam mantas pelo chão, levaram sanduíches para aplacar a fome e fizeram algo como um piquenique, com violões e muito canto: o repertório foi de "La Bamba" a "Volare", passando pela clássica "O Sole Mio". Quem passava, aplaudia os jovens religiosos com entusiasmo.
"Viemos celebrar João Paulo II, que inaugurou a pedra fundamental do nosso seminário, e pedir-lhe que nos ajude na evangelização, especialmente na China", contou à AFP Joel Levi, um seminarista da Costa Rica.

Freiras seguram imagem de Papas no Vaticano neste sábado (26) (Foto: AP Photo/Alessandra Tarantino)Freiras seguram imagem de Papas no Vaticano neste sábado (26) (Foto: AP Photo/Alessandra Tarantino)

"E o Papa Francisco? E o Papa Francisco? É uma pessoa maravilhosa. Agora temos um Papa que é missionário, que nos convida a sair da Igreja", disse.
Mais adiante, um grupo de chilenos com a bandeira nacional em mãos repetia "Chi Chi Chi le le le, viva Chile" em alto e bom som. No grupo estavam várias senhoras de meia-idade, que foram a Roma especialmente para a canonização.
"João Paulo II ajudou muito quando esteve no Chile para que voltássemos a ter democracia. Nos deixou um grande ensinamento", disse Teresa Salamanca, de Santiago.
"João XXIII foi quem mudou a forma de viver a fé com o Concilio Vaticano II", comentou.
Dentro da praça, uns 25 peruanos, com a bandeira nas costas, também procuravam um espacinho para dormir.
"Algumas pessoas vieram de Lima. Outros da Europa. Eu vivo na Alemanha. Não podia deixar de participar de um evento de dimensões históricas, que homenageá dois Papas tão queridos", disse Cecilia Straeder.
Natividad Vacuilima, uma senhora de origem indígena do Equador, contou que era a primeira vez que ela ia a Roma e que o fez porque João Paulo II "fez uma visita ao Equador e desde então temos muita fé nele".
Quatro ciclistas pararam para descansar perto da praça. São poloneses, pelo que dizia as regatas vermelhas com a seguinte frase: "Canonização de João Paulo II".
O grupo pedalou da Polônia até Roma por 21 dias. Ele percorreram 2.200 km, contou à AFP um deles.
"Para nós, é muito importante estarmos na canonização de João Paulo II. Nós o amávamos. Por isso estamos aqui", confessou Andrzej Michalski, devoto do Papa polonês.

Padres dançam enquanto esperam a canonização dos Papas (Foto: Tony Gentile/Reuters)Padres dançam enquanto esperam a canonização dos Papas (Foto: Tony Gentile/Reuters)

Fonte: G1

Justin Bieber é retido no aeroporto de Los Angeles


O cantor canadense Justin Bieber foi retido na última quinta-feira (24) por algumas horas no controle de estrangeiros do aeroporto de Los Angeles, nos Estados Unidos, após sua chegada em um voo vindo da Ásia, informou o jornal Los Angeles Times.
Embora não tenha se tratado de uma detenção formal, fontes anônimas citadas pelo jornal explicam que o cantor foi interrogado durante algumas horas pelos agentes de imigração americanos até ser liberado, sem que nenhuma medida tenha sido tomada contra ele.
O incidente ocorreu depois que, na última quarta-feira (23), um juiz americano resolveu adiar para o dia 7 de julho o julgamento do cantor, acusado de dirigir sob a influência de substâncias tóxicas em Miami, além de ter apresentado resistência à autoridade sem violência, entre outras acusações.
Bieber foi detido no dia 23 de janeiro deste ano, em Miami Beach, por ter sido flagrado pela polícia dirigindo com carteira vencida e, supostamente, sob a influência de substâncias tóxicas.
O cantor admitiu para os policiais que tinha fumado maconha, bebido algumas cervejas e ingerido remédios com receita e, após participar de videoconferência com o juiz e pagar a fiança, foi liberado em poucas horas.
O relatório toxicológico divulgado em fevereiro mostrou que o nível de álcool no sangue de Bieber no momento de sua detenção estava abaixo do limite legal do estado da Flórida, que é de 0,08%. As análises de urina determinaram a presença de maconha e Xanax - um fármaco contra a ansiedade - em seu organismo.
publicidade
No dia 29 de janeiro, Bieber se declarou "inocente" das acusações que enfrenta. Se for considerado culpado, o cantor pode pegar pena de até seis meses de prisão.
A conduta de Bieber, envolvido em outras polêmicas de vandalismo e potencial consumo de substâncias tóxicas, fez com que 275 mil pessoas assinassem uma petição para solicitar que a Casa Branca determinasse a deportação do cantor canadense por causa de seu comportamento inadequado.
A Casa Branca se recusou a tomar a frente do caso, e disse que deixaria a decisão sobre a deportação de Justin Bieber "em outras mãos".

Fonte: Terra

Última carta do Titanic é vendida por 119 mil libras

Uma carta de uma passageira do Titanic, escrita poucas horas antes de o navio atingir um iceberg e afundar em sua viagem inaugural, foi vendida em um leilão por 119 mil libras esterlinas neste sábado.
Ela foi escrita pelas sobreviventes britânicas Esther Hart e sua filha de sete anos, Eva, que viajavam na segunda classe a caminho do Canadá e de uma nova vida.
A casa de leilões Henry Aldridge and Son disse acreditar que o preço é um recorde para uma carta do Titanic. "Houve muito interesse", declarou um porta-voz. "Vendemos outras cartas do Titanic, mas nenhuma alcançou um preço como esta".

Carta foi escrita pelas sobreviventes britânicas Esther Hart e sua filha de sete anos
Foto: AFP
O Titanic naufragou na noite de 14 de abril de 1912, um domingo, no quinto dia de sua primeira e única viagem de Southampton a Nova York. Mais de 1.500 passageiros e tripulantes perderam a vida na tragédia, incluindo Benjamin, marido de Hart.
A carta, escrita em um papel especial com o cabeçalho "A Bordo do RMS ‘Titanic'" e com um envelope com a bandeira da linha White Star em alto relevo, deveria ser entregue à mãe de Hart em Chadwell Heath, no leste de Londres. Ela conta como Esther estava sentindo enjoo e frio na travessia.
"Minhas queridas todas", diz. "Como podem ver, é domingo de tarde e estamos descansando na biblioteca depois do almoço. Passei mal o dia todo, ontem não consegui comer nem beber, enjoada o tempo inteiro, mas hoje me recuperei."
publicidade
"Os marinheiros dizem que tivemos uma travessia maravilhosa até agora. Não houve tempestade, mas Deus é quem sabe como deve ser quando vem uma. O tempo está ótimo, mas terrivelmente frio e ventoso."
Ela acrescenta: "Eles dizem que podemos chegar a Nova York na noite de terça-feira, mas na verdade deve ser na manhã de quarta. Escreverei assim que chegarmos lá."
A carta, com uma saudação alegre da jovem Eva no final, sobreviveu porque estava no bolso do casaco de seu marido, que ele tinha dado à esposa para mantê-la aquecida enquanto o navio era esvaziado.
Esther e Eva, que mais tarde rememoraram os eventos das últimas horas do transatlântico em sua biografia "Sombra do Titanic", foram resgatadas pelo HMS Carpathia.

Fonte: Terra

Neto larga faculdade e emprego para cuidar de avó com Alzheimer

“Passei de neto a pai da minha avó.” A frase é do porto-alegrense Fernando Aguzzoli, 22 anos, que acompanhou de perto os últimos meses de vida de Nilva de Lourdes Aguzzolli, diagnosticada com mal de Alzheimer há seis anos.
O estudante de filosofia UFRGS trancou a faculdade no início do ano passado, largou emprego e as festas com os amigos para se dedicar em tempo quase integral aos cuidados da matriarca da família Aguzzoli ao lado da mãe, Rose Marie, 55 anos. Vovó Nilva, como ficou conhecida, morreu em dezembro de 2013.
O mal de Alzheimer é uma doença neurodegenerativa ainda sem cura, mas a chance de controlá-la é maior se ela é detectada precocemente. Ocorre na terceira idade e seu sintoma mais comum é a perda da memória, mas compromete ainda o comportamento e pensamento do paciente.
As experiências vividas, ora inusitadas, ora dramáticas e as lições aprendidas durante o período, o inspiraram a criar uma página em uma rede social. O sucesso dos relatos daquela rotina um tanto incomum e os diálogos compartilhados com a avó foi tão grande que gerou um livro. “Quem, Eu?” deve ser publicado em setembro deste ano.
“Escrevi o livro ao lado dela. Transcrevia tudo o que ela me dizia. Foi fantástico. Mas não queria que fosse um livro só biográfico. Além dos diálogos, coloquei opiniões de profissionais. Mas não de uma forma muito técnica. É para um leigo entender mesmo como é essa doença”, explica.
A inversão nos papéis de avó e neto foi uma tentativa de não sucumbir à tristeza, inevitavelmente provocada pela doença. “É realmente uma doença familiar. Deixei de ir a festas com meus amigos para limpar dentadura, por exemplo. A gente criou uma relação de melhores amigos”, comenta sobre o relacionamento que passou a ter com a mulher que cuidou dele durante a infância.

Do desespero ao cuidado
Tudo começou quando a família percebeu os frequentes enjoos de Dona Nilva, que morava sozinha em um apartamento em Porto Alegre. Após uma série de exames com diferentes médicos, saiu o diagnóstico. “A gente percebeu que ela ficava muito enjoada depois do almoço. Depois a gente viu que ela estava tomando os comprimidos para pressão alta de forma errada. Às vezes tomava mais de uma vez, outras vezes esquecia”, relata o neto.
Aos poucos, a enfermidade foi comprometendo o cérebro de Dona Nilva. Deprimido, o neto achou que hora de agir. “Foi desesperador quando vi que minha avó ia ficar acabada, ia ter que usar fralda, não ia conseguir engolir comida. Eu não tinha como curar a minha avó. Mas decidi dedicar todo o meu tempo a ela”, avalia.
Com o passar dos meses, a rotina da família Aguzzoli foi totalmente transformada. “Eu e minha mãe começamos a aplicar mudanças leves no cotidiano da minha avó. Alugamos um apartamento para ela na mesma rua que a nossa, depois no mesmo prédio. Até ela vir para dentro de casa”, afirma.

Com bom humor e palavras de carinho, Fernando criou a página Vovó Nilva no Facebook. Ali, reproduziu momentos comuns na rotina de quem sofre de Alzheimer: seja o paciente, sejam os familiares. O espaço foi crescendo e hoje já tem mais de 11 mil seguidores.
“Meu intuito era criar um espaço diferente para falar do Alzheimer. Normalmente quando se fala da doença é de forma negativa e muito técnica, específica. Queria fazer um contraponto a esse conteúdo. E encontrei pessoas de várias partes do Brasil e do mundo que quiseram compartilhar também suas histórias”, revela.
Em dezembro de 2013, Dona Nilva não resistiu a uma infecção urinária, pouco antes de completar 80 anos de idade. “Eu não sou um herói, não sou um guri iluminado. Eu apenas tomei uma decisão e fiz o que tive que fazer. Todo jovem pode se relacionar com seus avós. Não é porque ela era velha ou porque tinha um obstáculo no caminho. Aprendi muito com ela”, analisa o jovem.

Dona Nilva foi internada alguns dias antes do Natal de 2013 (Foto: Fernando Aguzzoli/Arquivo pessoal)


Fonte: Correio do Estado

Pai e madrasta de Bernardo Boldrini perdem guarda da filha mais nova

A Justiça do Rio Grande do Sul aceitou os argumentos do Ministério Público e tirou dos pais a guarda da irmã do menino Bernardo Boldrini. O casal está preso, suspeito de envolvimento na morte de Bernardo.
Leandro Boldrini e Graciele Ugolini têm uma filha de um ano e cinco meses. A Justiça concordou com os argumentos do Ministério Público de que não é seguro o retorno da menina ao convívio dos pais.

Os dois estão presos, suspeitos da morte do irmão dela, Bernardo Boldrini, de 11 anos, no último dia 4. Graciele é madrasta de Bernardo. Desde a prisão do casal, a menina está com uma tia, irmã de Graciele. Neste sábado (26), a Justiça deu a ela o direito de continuar com a guarda provisória da criança.
"A própria delegada pediu para que Simone, que é tia e madrinha da criança, ficasse com ela, com quem está até o presente momento", afirma o advogado de Graciele, Vanderlei Pompeo de Mattos.
A Justiça também bloqueou o patrimônio de Leandro Boldrini. O médico está impedido de vender ou transferir qualquer bem que esteja em nome dele. São pelo menos dois carros e seis imóveis, inclusive a casa onde Bernardo morava.
A mãe de Bernardo morreu em 2010. O inventário ainda está sendo feito.
“O Ministério Público receia que herança de direito de Bernardo esteja sendo utilizada ou possa vir a ser utilizada para pagar a própria defesa do pai, suposto assassino”, diz a promotora Dinamárcia Maciel de Oliveira.
O Instituto Geral de Perícias já encaminhou para a polícia os primeiros laudos toxicológicos sobre a morte de Bernardo Boldrini. Mas os resultados ainda não foram divulgados. Segundo depoimento de Edelvânia Wirganovicz, que confessou o crime, Bernardo foi morto com uma injeção letal.

Fonte: Jornal Nacional

Coronel que admitiu tortura pode ter morrido de causas naturais

Neste sábado (26), a Polícia do Rio fez uma nova perícia na casa do coronel reformado Paulo Malhães. Ele foi encontrado morto nesta sexta-feira (25), um mês depois de ter confessado participação em torturas, mortes e desaparecimentos de presos políticos durante a ditadura militar. A guia de sepultamento indica que Paulo Malhães sofria de problemas no coração. O Jornal Nacional ouviu a opinião de um legista.
Cerca de 40 pessoas acompanharam o enterro, o que reforça o perfil mais reservado, de poucos amigos, do coronel reformado Paulo Malhães.
A viúva, que testemunhou a ação dos criminosos no sítio da família, foi amparada por um das filhas do militar.
A mulher e o caseiro contaram à polícia que três homens armados invadiram a propriedade, na zona rural de Nova Iguaçu, na tarde de quinta-feira (24). Paulo Malhães morava no local havia 30 anos.
Os bandidos levaram dois computadores, além de uma coleção de armas, joias e dinheiro. Paulo Malhães, de 77 anos, foi encontrado de bruços, com a cabeça sobre um travesseiro. Não havia marcas de balas no corpo.
Na guia de sepultamento consta a causa da morte: edema pulmonar, isquemia de miocárdio e miocardia hipertrófica. A polícia chegou a suspeitar de morte por asfixia. O médico legista Nelson Massini descarta essa hipótese. Segundo ele, Malhães morreu de infarto agudo, que pode ter sido provocado pelo alto nível de estresse.
“É uma doença de base, que, associada àquele momento de estresse sofrido, o coração sofreu e entrou em isquemia, que provocou a morte. Não há, por esse documento oficial, nenhum sinal de violência e sim de morte natural”, explica Nelson Massini, professor de medicina legal da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj)
Por telefone, o Jornal Nacional Também ouviu o médico legista Levi Miranda. Ele afirma que a descrição da guia de sepultamento não permite afirmar que tenha havido asfixia, mas diz que apenas um exame laboratorial poderia confirmar a causa da morte.
“O IML não emitiu nenhuma causa da morte oficial, mas pode, sim, dar uma reviravolta no caso. Até porque sai de um eventual homicídio talvez para um evento só de roubo”, diz o delegado Marcus Maia.
No mês passado, em depoimento à Comissão Nacional da Verdade, Paulo Malhães assumiu ter participado de torturas, mortes e desaparecimentos de presos políticos durante a Ditadura Militar.
A Polícia Federal se pôs à disposição da polícia do Rio para ajudar a esclarecer o caso. A equipe da Divisão de Homicídios informou que o sítio do coronel reformado não tem câmeras de segurança, assim como as propriedades vizinhas. Uma testemunha fez o retrato-falado de um dos suspeitos, mas, por enquanto, a polícia não vai divulgá-lo para não atrapalhar as investigações.
Na tarde deste sábado (26), policiais fizeram uma nova perícia na casa e no terreno. Buscavam vestígios que possam ter sido deixados pelos bandidos. Os cinco filhos do militar também serão ouvidos.
De acordo com a polícia, a hipótese mais forte do crime é de latrocínio, roubo seguido de morte.
“A nossa linha principal é de latrocínio, mas a gente não descarta outras hipóteses, como, por exemplo, homicídio decorrente de vingança”, diz o delegado Willian Pena Jr.
A polícia também não descarta a hipótese de queima de arquivo.

Fonte: Jornal Nacional (G1)

Perto de perder luta contra câncer, mulher registra últimos momentos de vida ao lado da família


Rich beija a mulher no minuto em que ela morre 
Reprodução/Pulitzer.org


Carolynne St.Pierre, enfermeira de uma maternidade na Califórnia, foi diagnosticada com um tipo raro de câncer em 2004, apenas duas semanas após se casar com seu marido, Rich. Por amor à família, Carolynne decidiu passar por um tratamento doloroso pelo tempo que aguentasse, para viver mais ao lado da família. A enfermeira decidiu, então, valorizar e eternizar seus últimos momentos de vida ao lado do marido e de seus três filhos: Melissa, de 15 anos, Brian, de 13 e EJ de cinco. As informações são do site Feature Shoot. 
A maior preocupação de Carolynne era de que EJ, muito pequeno na época do diagnóstico, não lembrasse da mãe. A fotógrafa e amiga da família, Preston Gannaway, começou a documentar os momentos dos cinco juntos na primavera de 2006. Quase um ano após a iniciativa, Carolynne morreu aos 44 anos, em fevereiro de 2007.
O marido, Rich, encontrou dificuldades para aceitar a triste fatalidade — já que também havia perdido sua mãe enquanto criança — e, sobretudo, para lidar com Brian, filho do meio. Após a morte da mãe, Brian entrou em confusões tanto na escola, quanto em casa.
Hoje, Rich, de 45 anos, encontra conforto nos registros da amiga fotógrafa.  A série documental intitulada Remember Me (Lembre-se de mim, em português) rendeu a Preston Gannaway  um Pulitzer— prêmio norte-americano dado a pessoas que realizam trabalhos de excelência nas áreas de jornalismo, literatura e música.

Fonte: R7