sexta-feira, 16 de maio de 2014

Travesti diz que foi agredida dentro de ônibus em Aracaju

Sofia Favero foi agredida dentro de ônibus (Foto: Maíra Ribeito / Sedhuc) 
Sofia Favero diz ter sido agredida dentro de ônibus
(Foto: Maíra Ribeito / Sedhuc)
 
Sofia mostra ferimentos no cotovelo (Foto: Maíra Ribeito / Sedhuc) 
Sofia mostra ferimentos no cotovelo
(Foto: Maíra Ribeito / Sedhuc)


A estudante de psicologia e travesti Sofia Savero diz que foi agredida por dois homens dentro de um ônibus em Aracaju, por volta das 18h30 da quinta-feira (15), quando ia para a faculdade. Ela registrou Boletim de Ocorrência na Delegacia Plantonista em Aracaju e também procurou a Delegacia de Grupo de Vulneráveis.
Sofia afirma que durante o percurso sofreu agressão sexual, física e moral. “O ônibus estava muito cheio e não percebi nenhuma movimentação estranha. Mas, de repente, percebi que um passageiro estava colocando a mão entre as minhas pernas. Gritei e pedi para ele parar. Todos ficaram surpresos e chocados com o assédio sexual. Imediatamente ele negou e até chorou, disse que eu estava desequilibrada, mas eu vi a mão dele”, afirma Sofia.
Segundo ela, nesse momento outro passageiro percebeu que não era uma mulher que estava gritando. “Eu estava nervosa e gritei com o agressor, os passageiros perceberam pela minha voz que não sou uma menina. Um deles gritou e me chamou de traveca. Todos riram de mim e fiquei ainda mais humilhada”, conta emocionada.

Quando o ônibus chegou perto da faculdade, segundo Sofia, o passageiro que a chamou de 'traveca' a agrediu fisicamente. “Ele pegou uma faca e ameaçou me ferir. Eu disse para ele parar e lembrei que a câmera de segurança do ônibus estava funcionando. Ele guardou a faca, mas me agrediu fisicamente. Me chutou e eu caí na calçada da faculdade. Duas universitárias que também saíram do ônibus me ajudaram. Fiquei muito ofendida e machucada”, afirma.

Sofia é atendida pelo Núcleo LGBT na S (Foto: Maíra Ribeito / Sedhuc)
Sofia é atendida pelo Núcleo LGBT na Sedhuc
(Foto: Maíra Ribeito / Sedhuc)

“É importante denunciar os agressores para que a ação da polícia combata este tipo de crime. A travesti que se sentir agredida fisicamente ou moralmente deve registrar a ocorrência na Delegacia Plantonista e na Delegacia de Grupo de Vulneráveis, além disso deve pedir ajuda ao núcleo de políticas LGBT da Secretaria dos Direitos Humanos de Sergipe”, explica a coordenadora do núcleo, Lohanna dos Santos.

Sofia descreve os agressores: “O primeiro passageiro que me agrediu sexualmente tem entre 27 e 30 anos, é negro, tem cerca de 1,60 m e cabelo curto; o outro tem cerca de 23 anos, é alto, 1,80 m, usa bigode e é moreno. Os dois usavam farda de trabalho, eles podem ser pedreiros ou trabalham na área da construção civil. Acredito que estava voltando do trabalho no horário.”

Fonte: G1

The Admirals Feat. Seraphina - Manner (sch**** sexy)


(P) 2007

Nicole Bahls sofre acidente de carro

 Na manhã desta sexta-feira (16), um fato desagradável ocorreu com Nicole Bahls.


A morena, que integra a turma do Pânico na Band, sofreu um acidente sem vítimas graves, quando bateu seu carro, um Ford Edge de cor branca, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.


Em conversa com O Fuxico, a assessoria de Nicole contou que não houve nada grave e que Nicole ainda desceu de seu veículo para prestar socorro à pessoa que dirigia o outro carro.


“Foi um simples acidente de trânsito onde não houveram maiores danos aos veículos e aos passageiros envolvidos. Não foi um acidente grave como noticiado pela imprensa. Foi uma pequena colisão e Nicole não se ausentou em nenhum momento de suas responsabilidades. Caso tenha que arcar com algum dano, ela está pronta para isso, mesmo não sendo ela a causadora do acidente”, disse sua assessoria.


Segundo testemunhas, o carro de Nicole foi atingido por outro veículo e a mesma, imediatamente, parou o seu automóvel para avaliar o ocorrido.


“Não sendo possível o entendimento imediato entre as partes envolvidas e após verificar que a motorista do outro carro estava bem, Nicole trocou telefones e seguiu adiante rumo a um compromisso agendado. Em momento algum ela fugiu ou deixou de prestar socorro”, afirmou a assessoria a O Fuxico.

Fonte: PB agora