quarta-feira, 2 de julho de 2014

"Quero ganhar de meio a zero", diz Neymar sobre Colômbia

  • Gaspar Nóbrega l VIPCOMM
    Neymar diz que está sem dores e não se sente sobrecarregado na Seleção
Apesar de reconhecer que o Brasil não jogou bem diante do Chile e que precisa melhorar para encarar a Colômbia nesta sexta, 4, o atacante Neymar disse, nessa quarta, 2, que a Seleção não perdeu a alegria típica do futebol brasileiro. "A alegria sempre, mas não é só festa, cinco a zero, quatro a zero. Se tiver só que defender e ganhar de meio a zero, a gente vai ganhar. Não importa se vai dar chapéu, show. Não estamos ali para fazer rir, e sim, para vencer".
O dono da camisa 10 disse que a equipe está mais confiante após vencer o Chile, mas que a Colômbia deve ser outra pedreira. "São duas seleções (Chile Colômbia) muito parecidas, com jogadores rápidos no ataque. Vai ser outra guerra, outro jogo que vamos entrar muito ligado para melhor e poder vencer. Vamos fazer de tudo para que não passe mais sufoco".
O brasileiro, que marcou quatro gols, negou disputa com o craque colombiano James Rodríguez, que é artilheiro da Copa do Mundo com cinco gols. "Quem vai jogar melhor, eu não sei. Só quero que a Seleção Brasileira brilhe mais. Eu não quero jogar nada, só quero que o Brasil ganha de um a zero. Para mim está maravilhoso".

Mudanças
Questionado sobre possíveis mudanças, Neymar desconversou. "Sobre as mudanças (no treino) só teve uma no começo. Felipão colocou Paulinho porque Luiz Gustavo está fora (por suspensão automática por receber dois cartões amarelos", respondeu sem citar a segunda alteração na equipe titular feita pelo treinador durante o treino, tirando o atacante Fred e colocando o zagueiro Henrique.
Mas o atleta não deixou de falar do colega de ataque. "Fred necessita de bola, que a gente deixe ele na cara do gol. É nosso centroavante. A gente tem se cobrado muito para deixar ele na cara do gol. Isso é muito importante, mas quando não dar para jogar para ele, ele ajuda muito na marcação".
Fonte: Portal A Tarde

Elton John diz acreditar que Jesus Cristo apoiaria o casamento gay: "Os tempos mudaram"

Elton John diz acreditar que Jesus Cristo apoiaria o casamento gay: "Os tempos mudaram"
No último domingo (29), em entrevista à rede Sky, o cantor britânico Elton John criou muita polêmica nos meios de comunicação do mundo todo ao, depois de elogiar o Papa Francisco, afirmando que ele é "maravilhoso", dizer que o próprio Jesus Cristo defenderia a ideia do casamento e da união gay.
"O novo papa é maravilhoso", declarou o cantor de 67 anos, assumidamente gay e comprometido com a defesa dos direitos dos homossexuais. "Sua humanidade, seu modo de valorizar uma fé baseada na humildade me animam muito", acrescentou. "Ele conduz as coisas ao essencial, ao dizer que tudo é simplesmente uma questão de amor, de unir as pessoas, sem exceção. A Igreja (anglicana) da Inglaterra também deveria defender isso", disse ele.
Além dos elogios, Elton John declarou também que é a favor do casamento gay de membros do clero e se manifestou contra o celibato dos sacerdotes católicos.
"(Há) a hierarquia da Igreja, os tradicionalistas talvez se escandalizem, mas os tempos mudaram. Se Jesus vivesse hoje, eu não poderia imaginar (...) que esse grande homem não aceitaria que isso pudesse acontecer", falou o cantor britânico, criando polêmica entre religiosos.
Para o cantor, a situação que os homossexuais tem sofrido atualmente é "um retrocesso nos últimos 18 meses" em alguns lugares do mundo. Ele afirmou que irá conversar com o presidente russo Vladimir Putin em novembro sobre o assunto.

Fonte: Diário 24hrs

Fim do Orkut tenta ser barrado por petição online

Após o anúncio do fim do Orkut nesta segunda-feira (30), uma petição online foi publicada no site Avaaz tentando impedir o fim da rede social.

O abaixo assinado que busca alcançar 75 mil assinaturas reforça a popularidade do Orkut no Brasil e as comunidades da rede social.

“Solicitamos ao Google que não encerre o Orkut e se isso não for possível, solicitamos à empresa que ao menos preserve a principal característica que mantém essa rede social viva até hoje: o modelo de organização de fóruns em comunidades", solicitou Peter Shelton A. através da publicação da petição.

De acordo com o portal Terra, a notícia do cancelamento do Orkut, previsto para 30 de setembro, decepcionou muitos brasileiros, que resgataram seus perfis para lembrar dos depoimentos e scraps compartilhados, além das comunidades. 

Fonte: Bonito Notícias

Facebook pede desculpa por experimento secreto




O Facebook reconheceu hoje que falhou na maneira de comunicar os usuários sobre um teste realizado em 2012 que manipulou secretamente o feed de notícias de 700 mil pessoas para entender suas emoções. "Pedimos desculpa pela falta de comunicação", disse a chefe operacional, Sheryl Sandberg, número 2 da empresa.

Segundo ela, o experimento fazia parte de uma pesquisa ampla para testar diferentes produtos. "Jamais quisemos irritá-los", completou a executiva ao reforçar a importância dada à privacidade, tratada com "seriedade" no Facebook.

Sheryl tenta acalmar os ânimos de parte dos usuários que se sentiram prejudicados. Nesta quarta-feira, autoridades britânicas deram início a uma investigação para saber se a companhia infringiu leis de proteção de dados ao realizar um estudo psicológico sem o consentimento dos participantes.

Como foi
Feita em parceria com a Universidade de Cornell e a Universidade da Califórnia, em San Francisco, a pesquisa modificou durante quase uma semana o algoritmo que controla a disposição das postagens no feed de notícias.

Os perfis foram divididos em dois grupos: o primeiro recebia apenas atualizações positivas, enquanto o segundo visualizava somente notícias negativas. Os resultados concluíram que quem recebia coisas boas era menos propenso a publicar coisas ruins, e vice-versa.

Via: Wall Street Journal

Boneco de Hulk tem bumbum avantajado; veja

O atacante Hulk, que tem se destacado na Copa 2014, por conta de seus atributos físicos acabou de ganhar um boneco inspirado em sua silhueta - inclusive, no seu avantajado bumbum.
Inspirado na característica do atleta, o artista plástico Marcus Baby, criou um boneco que valoriza a silhueta do atacante. "Utilizei 2 bonecos, sendo um para o corpo e outro apenas para unir o tronco com as pernas, mais objetivamente para ser a nova bunda do personagem. Depois de devidamente unidos, ainda utilizei algumas camadas de pva além da própria espuma de forro do calção", explicou em seu site oficial. Todo o trabalho foi executado em 15 dias. 

Confira:

Fonte: Correio da Bahia

Astro de comédias, Robin Williams está recluso em clínica de reabilitação devido a vício em álcool

Astro de comédias, Robin Williams está recluso em clínica de reabilitação devido a vício em álcool
Segundo divulgado pelo site de celebridades americano TMZ nesta última terça-feira (1), o ator e humorista Robin Williams, interprete de personagens mais do que marcantes no cinema de Hollywood, teria retornado à internação em uma clínica de reabilitação a fim de tratar de seu vício em álcool.
Interprete de personagens inesquecíveis como a babá Doubtfire de "Uma Babá Quase Perfeita", de 1993 e do robô Andrew do longa "O Homem Bicentenário", de 1999, Robin já teve problemas no passado por seus vícios, se internando algumas outras vezes para tratamento, e agora está recluso em uma clínica no estado de Minessota, nos EUA.
Robin lutou contra o vício em álcool e cocaína por anos e conseguiu ficar "limpo" por 20 anos, até ter uma racaída em 2006, quando foi internado novamente, e segundo o site, em reabilitação novamente, deve permanecer algumas semanas em tratamento.
Ainda de acordo com o portal, Robin estaria buscando conquistar sua sobriedade novamente, levando uma vida normal e tranquila na clínica.

Fonte: Diário 24hrs

Manifestantes são retirados à força de protesto em Hong Kong


HONG KONG (Reuters) - Centenas de policiais removeram à força nesta quarta-feira no distrito central de Hong Kong exaltados manifestantes que tomaram parte de um protesto que exigia mais democracia por parte dos chefes do Partido Comunista em Pequim.
A marcha pró-democracia de terça-feira, a qual segundo organizadores atraiu mais de 500 mil pessoas, e um subsequente protesto pacífico de grupos estudantis, pode ser o maior desafio até agora para a China, que retomou o controle sobre a ex-colônia britânica em 1997.
Muitos dos mais de 1.000 manifestantes juntaram seus braços em uma tentativa de resistir aos esforços de removê-los, mas eles foram retirados um de cada vez, em alguns casos por três ou quatro policiais, à medida que os ativistas chutavam, gritavam e desferiam socos antes de serem colocados em ônibus.
"Eu tenho o direito de protestar. Nós não precisamos da permissão da polícia”, gritava a multidão. Alguns permaneceram desafiadores mesmo após a prisão.
“Desobediência civil não é uma questão não-recorrente. Eu posso voltar e protestar de novo, porque é o único jeito de Hong Kong poder mudar”, disse To Chun Ho, que foi libertado nesta quarta-feira sem acusação formal.
Ativistas que se recusaram a sair foram levados em ônibus para a escola de treinamento da polícia de Hong Kong. Mais de 500 pessoas foram presas, e algumas foram acusadas de participar em um comício não autorizado e de obstruir a ação policial.
Não estava claro por quanto tempo eles ficariam detidos. Cerca de 50 foram libertados sem acusações.
“Nosso objetivo é primeiro conseguir o sufrágio universal e, segundo, fazer o governo responder à voz do povo de Hong Kong por democracia”, disse Frank Chio, um representante da Federação de Estudantes de Hong Kong. “Esse é um passo. Haverá outros."
Apesar de confrontos menores entre a polícia e os ativistas, o impasse terminou pacificamente, embora houvesse o temor de que a violência pudesse irromper.
Autoridades chinesas aposentadas haviam anteriormente alertado que a unidade local do Exército da Libertação Popular poderia ser necessária para restabelecer a ordem na cada vez mais inquieta Hong Kong, mas não houve indicações de que eles seriam necessários nesta semana, quando as autoridades utilizaram um efetivo de 4.000 policiais.
(Reportagem adicional de Nikke Sun; James Zhang; Emily Chung; Farah Master e Adam Rose)


Fonte: Reuters

Ney Matogrosso será homenageado no Grammy Latino

  • Marcos Hermes | Divulgação
    Ney Matogrosso ficou surpreso com o prêmio
Ney Matogrosso será um dos homenageados da 15ª edição do Grammy Latino. No evento, que ocorrerá no dia 19 de novembro em Los Angeles, nos Estados Unidos, Ney ganhará o Prêmio à Excelência Musical da Academia Latina da Gravação durante a cerimônia de premiação.
"Estou muito surpreso mesmo e feliz com esse prêmio. Nunca imaginei que a repercussão do meu trabalho chegasse tão longe, que prestassem atenção lá de fora, de forma tão significativa", disse Ney Matogrosso ao jornal Folha de S. Paulo.
Mas ele não é o único brasileiro a ser lembrado na ocasião. O executivo musical Andre Midani - que já trabalhou com artistas como Gilberto Gil, Chico Buarque, Elis Regina, Caetano Veloso e Jorge Ben - receberá o Prêmio da Junta Diretiva, assim como o músico Juan Vicente Torrealba, da Venezuela.
Além deles, outros nomes da música serão homenageados: o cantor cubano Willy Chirino, o português Carlos Do Carmo, os espanhois do Dúo Dinámico, a argentina Valeria Lynch e Los Bobos e César Costa, do México.

Portal A Tarde

Felipão convoca psicóloga e arranja culpado para mau futebol: emocional

No começo da noite de segunda (30), enquanto o volante Fernandinho dava uma ponderada entrevista analisando as necessidades de melhoria na Seleção, o técnico Luiz Felipe Scolari chamava seis jornalistas para uma conversa informal e reservada em que deixava claro já ter escolhido um bode expiatório para o possível fracasso: os nervos dos jogadores.
Na conversa de pouco mais de uma hora, Felipão gastou muito mais tempo falando do lado emocional do que dos problemas técnicos e táticos do Brasil no Mundial e revelou que havia chamado a psicóloga Regina Brandão para conversar com os atletas.
A estratégia de escolher o bode expiatório emocional parece ter dado certo. Ontem (1º), um dia depois de Fernandinho jogar para escanteio qualquer necessidade de trabalho psicológico para o grupo, os jornais voltaram a focar nos problemas emocionais da equipe, pautados por Felipão - que reuniu repórteres de jornais e emissoras de São Paulo.
Os chutões da defesa direto para o ataque, a falta de criatividade do meio-campo, o isolamento de Neymar, a posição de Hulk: os defeitos evidentes da Seleção ficaram em segundo plano, como se vencer a Colômbia fosse um desafio emocional ou psicológico.
“Precisamos reduzir os espaços no meio-campo, controlar a bola e tocar bem para atacar com mais qualidade”, disse, em sóbria análise, o volante Fernandinho. 
Na conversa com os jornalistas selecionados em uma área reservada do Centro de Imprensa da Granja Comary, Felipão concordou que o time precisava melhorar, mas queria mesmo era falar dos problemas emocionais do grupo e da teoria da conspiração - de que a Fifa não quer o Brasil campeão e a imprensa está ajudando ao não protestar.
A tese é tão ridícula - um terço dos Mundiais foi conquistado pelos donos da casa, o Brasil e outras seleções tradicionais geralmente são beneficiados e não prejudicados - que não prosperou no papo.
Felipão passou, então, a ilustrar seu bode expiatório emocional. Desenvolveu a tese de que os problemas táticos e técnicos estão ligados aos problemas emocionais. Disse que seu capitão, Thiago Silva, precisa de atenção psicológica por estar sentindo demais o peso da  Copa, conforme revelou o jornalista Juca Kfouri em seu blog, acrescentando que Felipão foi “dramático e teatral ao seu estilo na conversa”.
De fora - O bode expiatório emocional tomou conta da entrevista com os reservas Ramires e Victor, que, como Fernandinho, recusaram a tese de que o problema é psicológico. “Não creio que a Seleção tenha problemas psicológicos. Já disputei a final da Champions, é muita tensão, muito jogador chora ou reza. Nós estávamos numa disputa de pênaltis. É normal haver tensão”, disse o meia do Chelsea, tentando trazer o foco para a Colômbia, adversária de sexta.
“Nós temos que olhar para frente, para o próximo jogo, que será difícil. Estamos evoluindo, mas temos que trabalhar para fazer melhor”, disse Ramires.
O goleiro Victor também foi incisivo. “Essa questão emocional está vindo do lado de fora para nós. O grupo está forte. Passou por um momento difícil, de grande tensão, e se classificou. Basta olhar o Júlio: ele chorou e passou confiança aos companheiros. Foi lá e pegou dois pênaltis”, argumentou, descartando necessidade de reforço psicológico.
Como Felipão certamente queria, as dificuldades da equipe ficaram de fora da entrevista: só os colombianos queriam saber como o Brasil via a Colômbia, como marcar James e Cuadrado. “Nós temos que tirar os espaços para roubar a bola e não deixar eles criarem”, comentou Ramires.
Arrependido - A entrevista terminou por volta das 14h, quando os jogadores se reuniram com a comissão e a psicóloga. Antes, Ramires e Victor foram obrigados a passar por um constrangimento criado pelo técnico, que disse a jornalistas que tinha se arrependido de convocar um jogador. “A gente nem sabia que ele teve essa conversa”, disse Victor. “Vocês têm que perguntar pra ele. Conosco, nunca comentou nada”, acrescentou Ramires.

‘Faz parte do planejamento’, diz a psicóloga Regina Brandão
A psicóloga Regina Brandão, integrante da equipe do técnico Luiz Felipe Scolari desde a década de 1990, está de volta à Granja Comary. Chegou, ontem pela manhã, à concentração em Teresópolis para conversar com os atletas já de olho nas quartas de final, sexta-feira, às 17h, contra a Colômbia, em Fortaleza.
“A visita de hoje (ontem) faz parte do nosso planejamento inicial. Estava em aulas na universidade, então tinha que ficar indo e voltando. Não podia ficar aqui muito tempo, porque também tenho meu consultório. Entrei de férias na sexta-feira e, como já tínhamos planejado antes, estou aqui agora e volto na semana que vem”, disse Regina em entrevista ao canal de vídeos da CBF no Youtube.  
“É um trabalho que tem sido acompanhado no dia a dia. Falo com eles por WhatsApp, e-mail, então constantemente estou ligada neles”, garantiu a psicóloga, sobre o contato com os 23 jogadores convocados. Antes da Copa, o próprio Felipão botou pressão nos jogadores afirmando, diversas vezes, que a Seleção Brasileira é favorita e que será, sim, campeã do mundo.

Fonte: Correio da Bahia