quarta-feira, 30 de julho de 2014

Drew Barrymore fala sobre morte da meia-irmã: "Sinto muito pela perda"

Drew Barrymore fala sobre morte da meia-irmã: "Sinto muito pela perda"
Após Jessica Barrymore, meia-irmã da atriz hollywoodiana Drew Barrymore, ser encontrada sem vida em seu carro em National City, na Califórnia, nesta última terça-feira (29), a atriz enviou um comunicado à revista People, falando sobre sua morte.
Drew revelou não ter muito contato com a irmã, mas que sente pela morte e diz enviar bons sentimentos aos próximos.
"Apesar de conhecê-la rapidamente, desejo todo amor e paz para ela e para as pessoas próximas. Sinto muito pela perda", disse a estrela de "As Panteras", "Como Se Fosse a Primeira Vez" e do lançamento "Juntos e Misturados".
De acordo com informações do tabloide Daily Mail, a principal suspeita da causa da morte da irmã de Drew é suicídio, já que foram encontradas "muitas pílulas brancas espalhadas no banco do passageiro" do veículo onde Jessica estava.
Ela foi encontrada por uma mulher identificada como Marta Lopez, que explicou posteriormente que tentava sair de casa para ir trabalhar pela manhã, mas foi impedida pelo carro de Jessica estava parado em frente à sua garagem, bloqueando a passagem.
ale ressaltar que Jessica estava prestes a comemorar seu aniversário. Nesta próxima quinta-feira (31), ela faria 48 anos de idade.

Fonte: Diário 24 hrs

Ataque de Israel mata palestinos em escola da ONU

Um ataque israelense matou ao menos 20 palestinos refugiados na manhã desta quarta-feira (30) em uma escola da ONU no norte da Faixa de Gaza, informaram os serviços de emergência. Um disparo de tanque atingiu em cheio duas salas de aula da escola da UNRWA, a agência da ONU para os refugiados palestinos, no campo de Jabaliya, revelaram os serviços de emergência.

Israel tem alvejado algumas instalações da agência durante os combates na atual campanha de 22 dias contra militantes islâmicos na Faixa de Gaza e chegou a dizer no passado que a propriedade da ONU foi utilizada para fins hostis.

Mais de 1.200 palestinos, a maioria civis, foram mortos na ofensiva com a qual Israel tenta neutralizar a ameaça de ataques militantes e o lançamento de foguetes contra o seu território. Israel contabilizou 56 mortos, sendo 53 soldados e três civis.

Foguetes em escola
A agência da Organização das Nações Unidas (ONU) que cuida de refugiados palestinos disse nesta terça-feira (29) que encontrou um esconderijo de foguetes em uma de suas escolas na Faixa de Gaza e deplorou aqueles que colocaram o material no local.
O porta-voz da Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina, Chris Gunness, condenou os responsáveis ​​por colocar civis em perigo armazenando os foguetes na escola, mas não culpou especificamente ninguém em particular.
"Condenamos o grupo ou grupos que colocaram civis em perigo, escondendo essas munições em nossa escola. Esta é mais uma flagrante violação da neutralidade de nossas instalações. Apelamos a todas as partes em conflito que respeitem a inviolabilidade da propriedade da ONU", disse Gunness em um comunicado.

Canhão israelense dispara contra alvos na Faixa de Gaza perto da fronteira nesta terça-feira (29) (Foto: David Buimovitch/AFP) 
Canhão israelense dispara contra alvos na Faixa de Gaza nesta terça (29)
(Foto: David Buimovitch/AFP)

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, expressou indignação na semana passada com a descoberta de 20 foguetes em uma escola vazia da agência e em outra escola uma semana antes.
Gunness disse que a organização convocou um especialista em munições para eliminar os foguetes e garantir a segurança da escola, mas acrescentou que ele não pode acessar o local devido aos combates na área.

Israelenses mortos
Cinco soldados israelenses foram mortos na segunda-feira (28) em combates com um comando palestino que tentava se infiltrar em Israel por um túnel, na zona de fronteira com a Faixa de Gaza, informou o Exército hebreu nesta terça.
"Os soldados de infantaria Daniel Kedmi, 18 anos, Barkey Ishai Shor, 21, Sagi Erez, 19, e Dor Dery, 18, foram mortos nesta tentativa de ataque", revelou o Exército, acrescentando que um quinto militar também faleceu na ação.
Segundo o Exército, dez militares israelenses morreram nesta segunda em combates contra as forças do Hamas.

Mais cedo, um oficial hebreu informou a morte de quatro militares tripulantes de tanque, atingidos por um tiro de morteiro ao longo da fronteira com o enclave palestino, e de um quinto soldado, que caiu nos combates em Gaza.
O movimento radical palestino comunicou a morte de 10 soldados israelenses na segunda em uma operação na zona do kibbutz de Nahal Oz, próxima a fronteira com a Faixa de Gaza.
O Exército informou a morte de um palestino membro de um comando que se infiltrou na mesma região.

Fonte: G1

Após 18 anos, Felipão está de volta ao Grêmio

Treinador é lembrado até hoje pelo último período vitorioso do clube
 
Treinador é lembrado até hoje pelo último período vitorioso do clube
Acabou a procura. O presidente do Grêmio, Fábio Koff, foi atrás de seu nome preferido, Luiz Felipe Scolari, e conseguiu o que queria. O dirigente viajou a São Paulo na manhã de ontem com o objetivo de trazer o técnico para comandar o Tricolor 18 anos após este deixar o clube onde se consagrou. Koff conseguiu convencer Felipão, que desembarcará no aeroporto Salgado Filho hoje, às 10h15min, e será apresentado como novo treinador gremista às 11h, na Arena.

Foram dias de muita especulação, quando o nome mais forte que circulava nos bastidores era o de Tite. No entanto, suas intenções eram diferentes: o antigo comandante do Corinthians disse que quer ficar até outubro realizando cursos de especialização na Europa, o que complicaria a sua vinda para o Rio Grande do Sul. Assim, surgiram especulações em torno de outros técnicos: Celso Roth, Arce, Dorival Júnior, Ney Franco e Roger entraram na lista para assumir a casamata tricolor.

Outros dois treinadores argentinos começaram a ser sugeridos para dirigir o Grêmio. O ex-técnico do Barcelona, Tata Martino, era um nome que agradava aos dirigentes, já que seu perfil se assemelha ao de Tite. Alejandro Sabella, que comandou a seleção de seu país na última Copa do Mundo, tinha bastante aceitação nos corredores do estádio Olímpico e entre os torcedores, mas sua situação à frente da Argentina era indefinida. Uma reviravolta mudou o curso: Tata Martino se tornou o novo treinador da seleção hermana, enquanto Sabella ficou livre para assinar com o Grêmio. Mas Koff já tinha o seu favorito.

Foi no começo da tarde que a informação do acerto entre Grêmio e Felipão se confirmou. O presidente gremista foi pessoalmente convencer o treinador. Devido à ótima relação entre os dois, ficou difícil para Felipão negar. Ele retorna ao Tricolor depois de uma passagem histórica, marcada pela conquista da Copa do Brasil, da Libertadores da América, do Campeonato Brasileiro e da Recopa Sul-Americana, além de três regionais.

Felipão assume o clube logo após a vexatória eliminação para a Alemanha na Copa do Mundo. Após a conquista do penta, em 2002, ele protagonizou o maior vexame do Brasil em Mundiais, com a goleada por 7 a 1 sofrida diante da Alemanha, seguida por uma derrota por 3 a 0 contra a Holanda na decisão do terceiro lugar.

No Grêmio, buscará recuperar a antiga fama “copeira” da equipe, que há 13 anos não conquista um grande título. Por meio de sua assessoria de imprensa, o treinador confirmou que Murtosa e Ivo Wortmann serão seus auxiliares. “Estou muito contente em retornar ao clube pelo qual sempre tive carinho. Quero realizar novamente um grande trabalho no Grêmio”, afirmou. Felipão deve fazer sua estreia no clássico Grenal do dia 10 de agosto, no estádio Beira-Rio.

Fonte: Jornal do Comércio