segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Cracker divulga fotos de Jennifer Lawrence nua na internet

  • Mike Blake | Agência Reuters
    Nas imagens publicadas na internet, Jennifer aparece nua e em poses sensuais
A atriz americana Jennifer Lawrence foi mais uma das celebridade que teve sua vida invadida por um cracker (hacker que usa o conhecimento de forma ilegal). Esta semana, fotos da intimidade da artista foram postadas em um site para download na internet. Nas imagens, ela aparece nua, com roupas de banho e em poses sensuais.
Em entrevista ao site americano TMZ, um porta-voz de Jennifer explicou que a ação "é um flagrante de violação da privacidade" e afirmou que as autoridades já foram contatadas.
Além disso, o porta-voz deixou claro que haverá punição para quem replicar as imagens. "Vamos processar qualquer pessoa que publique as fotos roubadas", afirmou.
Lawrence não foi a única vítima do ataque do cracker. Ele também portou fotos nuas de outras atrizes famosas, como Kirsten Dunst, Victoria Justice, Ariana Grande, Mary Elizabeth Winstead, Selena Gomez e Kate Upton.
Victoria Justice e Ariana Grande comentaram o caso, mas negaram que as fotos são delas. Já Mary Winstead confirmou a veracidade das suas fotos: "Essas fotos foram apagadas há muito tempo, e eu só posso imaginar o esforço assustador que foi para encontra-las. Lamento por todos que foram hackeados. Para aqueles que estão olhando para as fotos que tirei com meu marido anos atrás na privacidade de nossa casa, espero que sintam-se bem sobre si mesmos", disse.
De acordo com o site Buzzfeed, o cracker responsável pelo vazamento alegou ter conseguido as fotos pelo serviço armazenamento iCloud, da Apple, e diz ainda ter imagens de outras celebridades que ainda não foram divulgadas, como de Kim Kardashian, Rihanna, Mary-Kate Olsen e Avril Lavigne.

No Brasil, a atriz Carolina Dieckmann também teve intimidade invadida e publicada na internet em 2012. Depois da polêmica, em abril de 2013, entrou em vigor a lei 12.737/2012, apelidada de lei "Carolina Dieckmann", que, entre outras coisas, torna crime a invasão de aparelhos eletrônicos para obtenção de dados particulares.

Fonte: Portal A Tarde