domingo, 7 de setembro de 2014

Jennifer Lopez e Iggy Azalea aparecem sensuais em teaser de videoclipe

Hot. Essa é a definição perfeita para a prévia do videoclipe de Booty, a parceria entre J.Lo e a rapper australiana Iggy Azalea.

jlo-iggy-clipe

No teaser as duas aparecem contracenando molhadas e sensuais. As imagens mostram as belas curvas da morena e da loira, além de vários takes de seus bumbuns.
Booty faz parte do novo álbum de Jennifer Lopez, intitulado A.K.A. O clipe da música é dirigido por Hype Williams e deve ser divulgado na íntegra nos próximos dias. Pela prévia já dá para constatar que vai ser um dos clipes mais sexy´s do ano, concordam?



Fonte: ClicRBS

Ixi… Bafão! Namorada de Yuri Fernandes solta o verbo sobre agressão de ex-BBB

A esta altura, todo mundo já ouviu o polêmico episódio em que o ex-BBB Yuri Fernandes foi preso, na manhã da última sexta (05), em Maceió, após supostamente agredir sua namorada, a dançarina Angela Sousa.
Apesar da assessoria do lutador negar que Fernandes tenha batido em Angela, a moça resolveu postar uma foto em que aparece com um olho roxo, em seu Instagram, neste sábado (06), sem hesitar em compartilhar detalhes do bafafá todo.
“Aprendi com esse episódio que um aperto mais forte ou um esbarrão proposital também é agressão. Ninguém imagina quando vai acontecer, ninguém esta livre de acontecimentos inesperados, tampouco vindo de partes que você 'confia'. Precisei passar por tudo para aprender...mas aprendi”, escreveu Sousa, dando seu lado da história. 
Angela Sousa: dançarina desabafa sobre briga com ex-BBB Yuri, em postagem no Instagram
Angela Sousa: dançarina desabafa sobre briga com ex-BBB Yuri, em postagem no Instagram

Fonte: Jornal do Brasil

Após filme em Hollywood, férias: Bruna Marquezine aproveita descanso, no Rio

Atriz postou foto em seu perfil no Instagram, contemplando vista para praia!

Os últimos meses foram para lá de movimentados na vida de Bruna Marquezine. Primeiro, a moça terminou seu comentadíssimo romance com o jogador de futebol Neymar, logo após a Copa do Mundo.
Depois, Bruna viajou para Los Angeles, onde se debruçou sobre um desafio e tanto para sua carreira de atriz: encarou um papel no longa ‘Breaking through’, sua primeira incursão pelo cinema hollywoodiano.
Agora, na tarde deste sábado (06), a jovem global postou foto em que aparece contemplando uma bela vista para o mar, no Rio de Janeiro. Pelas próximas semanas, Bruna deve descansar, antes de enfrentar sua nova empreitada profissional: a próxima novela das 19h, na Rede Globo.
Bruna Marquezine: atriz postou foto descansando em praia do Rio de Janeiro, neste sábado (06)
Bruna Marquezine: atriz postou foto descansando em praia do Rio de Janeiro, neste sábado (06)

Fonte: Jornal do Brasil (Heloísa Tolipan)

Aranha perdoa gremista por injúrias, mas cobra justiça: "Vai ter de pagar"

O goleiro Aranha se manifestou depois do depoimento dado pela gremista Patrícia Moreira, flagrada chamando ele de “macaco” na partida entre Grêmio e Santos, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, na Arena. Na última sexta-feira, ela chorou e pediu desculpas ao santista. Depois da vitória por 3 a 1 do Peixe sobre o Vitória, neste sábado, no Pacaembu, o camisa 1 disse, em entrevista coletiva, que perdoa a torcedora, mas que espera a justiça ser feita e que ela seja responsabilizada pelo o que fez.   
- Estou a desculpando, mas infelizmente, por um erro que cometeu, vai ter de pagar. Queriam que eu desse o perdão sem ela me pedir desculpas. Acompanhei todo o caso, os amigos dela mostraram que ela não é racista, mas ela sumiu, deletou perfis das redes sociais, não falou com ninguém. Demorou muito tempo para tomar uma atitude. Pelo menos (a polêmica) ajudou a causa (contra o racismo). Como cristão, como ser humano, precisava do pedido dela para desculpar. Isso não quer dizer que eu não quero que a justiça seja feita. Ela errou, tem as consequências - disse o goleiro.
Depois de mais de uma semana do caso, que resultou na exclusão do Grêmio da Copa do Brasil, Aranha está satisfeito e agradeceu à imprensa pela divulgação do que aconteceu em Porto Alegre. Em contrapartida, o goleiro do Peixe disse que não foi apenas Patrícia Moreira a responsável pelas injúrias raciais e lamentou o que fizeram com a garota.  
- Estou satisfeito com algumas coisas que aconteceram e um pouco chateado com outras. Estou satisfeito com a mobilização. Agradeço à imprensa por repassar todas as informações. Precisamos ter coragem para combater isso. Estou satisfeito com a reação das pessoas. Vi que muita gente não concorda com isso (racismo). Mas estou chateado pelo o que aconteceu com a casa da garota, que foi apedrejada. Ameaçaram ela, também. Não foi só ela. Um erro não justifica o outro e se queremos uma nação mais justa também temos que respeitar o próximo - falou.   
Durante a entrevista coletiva, Aranha voltou a dizer que não acha necessário um encontro entre ele e a torcedora, preferiu não se manifestar a respeito da eliminação do Grêmio da Copa do Brasil e citou a partida contra o Botafogo, três dias após o caso na Arena, na qual ele recebeu o apoio da torcida adversária.    

Aranha, Santos (Foto: Nelson Antonie / Agência estado)
Aranha espera que o caso ajude a diminuir o racismo nos estádios (Foto: Nelson Antonie / Agência estado)

Confira os principais trechos da entrevista do goleiro do Santos:

ENCONTRO COM A GREMISTA
- Eu não vejo necessidade, porque já poderiam dizer que eu quero me promover. Não é o fato de encontrá-la que vai mudar as coisas. Não sou amigo dela, não tenho interesse em conhecê-la. Perdoo, mas vai pagar pelo o que fez.   
RACISMO NA SOCIEDADE
- A maioria da população me apoiou e se mostrou indignada com a situação. Acho que o que aconteceu comigo vai servir para mudar muita coisa na postura das pessoas. Logo depois de sairmos de Porto Alegre (onde o caso aconteceu), a torcida do Botafogo gritou meu nome (no Maracanã). Em momento algum nosso time foi xingado, vaiado, e o Botafogo ganhou. Isso é uma prova que xingamento não influencia na partida. 
  
PUNIÇÃO AO GRÊMIO
- Sobre as regras, sobre a lei, tem outras pessoas mais competentes para falar, mas eu agradeço o empenho de todos para que as coisas fossem adiante. Gostar ou não da punição do STJD aio Grêmio não cabe a mim. Gostaríamos de vencer dentro de campo, mas a lei existe para isso. Em momento algum nosso time procurou essa situação. Já me falaram que eu estava prejudicando a vida da garota. Quem se prejudicou foi ela quando tomou a atitude. Às vezes, algumas pessoas tentam distorcer as coisas, levar para o outro lado. Está bem claro, o vídeo mostra. Eu tomei a atitude que eu deveria tomar mesmo: eu ouvi, relatei. Isso é o processo natural das coisas. Se não fosse tomada uma atitude, praticamente estariam concordando com o que aconteceu. E isso iria se arrastar por mais anos e anos. (A punição) vai servir não para as pessoas que estavam xingando, mas para as outras pessoas de bem, que são a maioria, vigiarem e excluírem o racismo de seu meio. É o pensamento que tem de ser esclarecido.    

Entenda o caso

Na partida de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, entre Santos e Grêmio, quarta-feira retrasada, na arena da equipe gaúcha, em Porto Alegre, o goleiro Aranha foi chamado de “macaco” por torcedores gremistas. No dia seguinte, o goleiro, depois de rever as imagens das injúrias raciais direcionadas a ele, registrou boletim de ocorrência na 4ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre.  
A torcedora Patrícia Moreira foi flagrada por imagens de TV xingando Aranha, teve de dar depoimento à polícia e pediu desculpas ao goleiro pelos xingamentos. Ela, inclusive, queria se encontrar com o jogador, que disse, em comunicado emitido pela assessoria de imprensa do Peixe, que não queria vê-la pessoalmente e que prefere esperar o julgamento do caso.  
Por causa da atitude dos torcedores, o Grêmio foi excluído da Copa do Brasil pelo STJD depois de perder o jogo de ida por 2 a 0, em casa. Assim, o Alvinegro avançou para as quartas de final sem necessidade do jogo de volta e vai enfrentar o Botafogo na próxima fase da competição. O primeiro jogo está marcado para o dia 1º de outubro, no Maracanã.




Após vencer reality show, integrantes da Girls vivem sonho de ser popstar

Divulgação
Carol, Ani, Jenny, Bruna e Natascha foram escolhidas durante o reality show "A Fábrica de Estrelas"
Conversar com as meninas do grupo Girls é como invadir uma festa do pijama de qualquer grupo de amigas: uma fala mais alto do que a outra e ao mesmo tempo, há tirações de sarro mútuas e, claro, gritinhos histéricos quando o assunto são galãs como o Zayn Malik e Harry Styles, do One Direction. A diferença é que as cinco garotas estão vivendo o sonho de ser uma popstar após ganhar o reality show “Fábrica de Sonhos”, do canal Multishow. “Por ser um reality show e muita gente participar, sempre tem essa insegurança, o medo do famoso não”, diz Jennifer Nascimento, 20, em entrevista ao iG. “Mas não nos imaginávamos fazendo outra coisa. Por maior que fosse o medo, a gente sabia que uma hora daria certo”.

Divulgação
Girls durante a gravação do clipe de "Monkey See Monkey Do"
Jenny, Bruna, Carol, Natascha e Ani se destacaram entre as 4 mil garotas de 15 a 25 anos que se inscreveram no programa, em novembro do ano passado. A formação oficial do grupo só veio em julho deste ano, oito meses após o início da atração.
A competição foi dura, com mais de 12 horas de ensaios diários para condicionar o corpo a cantar e a dançar ao mesmo tempo, mas rendeu ao quinteto a chance de se apresentar pela primeira vez no palco do Z Festival, que aconteceu no dia 31 de agosto, em São Paulo.
Das cinco garotas, apenas duas não tinham certeza se a música era um hobby ou uma profissão. “O canto sempre foi, para mim, um momento de lazer. Nunca pensem que pudesse viver disto, viajar o Brasil todo”, explica a brasiliense Natascha Piva, 23. “Fui ver que poderia trabalhar com isto quando fui chamada para participar do reality”. Já a ficha de Rafaela Mariane Monjardim, a Ani, demorou um pouco mais para cair. “Eu era muito insegura, estava no meio de outras garotas que trabalhavam há muito tempo e eu não tinha feito nada, eu cantava na minha casa, no meu quarto”, explica a capixaba de 19 anos. “Fui me tocar só quando ganhamos o programa”.
“O público estava carente deste tipo de grupo”O primeiro CD do grupo, “Girls”, chegou às lojas no começo de agosto, emplacando a baladinha “Acenda a Luz”. Já o pop mais dançante “Monkey See Monley Do”, com participação do rapper anglo-brasileiro Aggro Santos, deve tocar nas baladas em pouco tempo.
Para chegar a este nível, elas tiveram a ajuda do cara que é um dos maiores produtores da música pop brasileira: Rick Bonadio. O empresário, que já esteve por trás de bandas como Rouge, Restart e NX Zero, abraçou o projeto de tal forma que as garotas sentem que são de sua família. “O Rick é um chefe rigído quando precisa, mas ele é muito o nosso paizão”, explica Jennifer. “Quando a gente se junta para falar sobre o futuro, é uma coisa emocionante. A coisa mais engraçada é ver um marmanjão daquele chorando”, brinca Ani. “Ele é como se fosse a sexta girl”.
Divulgação
O grupo está lançando seu primeiro álbum, "Girls", com participação de Negra Li e Mika
Além de Aggro Santos, o “paizão” também garantiu para o CD de estreia a participação de cantores como Negra Li, na faixa “Guerreiras”, e Mika, do extinto grupo Rebeldes, em “O Mundo Dá Voltas”. “Foi uma honra contar com a ajuda destes artistas em nosso primeiro álbum”, agradece Jenny. Ainda assim, quando são questionadas sobre qual estrela elas sonham em fazer uma contribuição, a resposta é em uníssono: “Beyoncé!”.
A mulher de Jay-Z não é a única diva destas meninas. Demi Lovato, P!nk e Miley Cyrus também são algumas das inspirações das garotas, assim como a boyband One Direction. “Eu tenho uma paixão platônica pelo Zayn”, suspira a paulista Bruna Rocha, 19. “Harry Styles? Eu casaria com ele, mas o trocaria pelo noivo da Miley [Liam Hemsworth]”, completa Ani.


As girlbands gringas Fifth Harmony e Little Mix também são um tipo de referência. “Nós adoramos elas. Desde os Backstreet Boys e Spice Girls, o público estava carente deste tipo de grupo e elas estão atendendo esta necessidade”, diz a carioca Caroline de Almeida Ferreira, 19.
O quinteto não gosta apenas dos grupos internacionais, mas também dos nacionais. Natascha é uma P9r de carteirinha, tanto que, quando foi pedir para o Gui autografar o seu CD do P9, ela acabou acendendo acidentalmente rumores de que os dois estariam saindo. “As fãs deles estão me xingando, mas o nossos fãs estão me defendendo”, brinca a mais velha das integrantes. “Mas a gente vai acabar se unindo. Como o público está carente de grupos pop, a gente vai acabar ficando mais próximo”, emenda Ani. Hmmmm...

Fonte: Último Segundo

Morre aos 25 anos a cantora americana Simone Battle, do grupo G.R.L.

As causas da morte não foram reveladas; artista fazia parte da nova formação do Pussycat Dolls e participou do X-Factor


A cantora americana Simone Battle, do grupo G.R.L., morreu na sexta-feira (5) aos 25 anos, confirmou neste sábado (6) um comunicado assinado pelo empresário e pela gravadora da artista. As causas da morte não foram reveladas. Na nota, o empresário e a gravadora descreveram Simone como "um jovem talento" e um "ser humano excepcional".

Brasil: Após vencer reality show, integrantes da Girls vivem sonho de ser popstar
AP
Causas da morte de cantora americana ainda não foram reveladas

"Estamos consternados por seu falecimento", informou a nota.
"Nossos pensamentos e orações estão com sua família e seus familiares neste momento".
Até agora, nenhuma integrante da banda se pronunciou sobre a morte da colega. Simone fazia parte originalmente da nova formação do grupo Pussycat Dolls e havia selecionada pessoalmente pelo criador da banda, Robin Antin.
No entanto, após algumas mudanças, o grupo passou a se chamar G.R.L. A banda havia acabado de estrear um novo single, "Ugly Heart", que rapidamente atingiu o topo das paradas britânicas.
Em 2011, Battle apareceu na primeira temporada da versão americana do reality-show X-Factor e cantou diante de jurados como Simon Cowell e Paula Abdul.
Ela chegou até a fase final do programa.
A cantora Cheryl Cole foi uma das que lamentou a morte de Battle. Em sua conta no Twitter, Cole escreveu: "Que notícia tragicamente triste saber da morte de Simone Battle. Meus pensamentos e minhas orações estão com seus familiares".
Outra homenagem veio da ex-integrante do grupo Pussycat Dolls Kimberley Wyatt que tuitou: "Estou chocada...meu coração dói por seus amigos, família e colegas de banda".
Um dos amigos de Battle, Derek Butler, postou uma foto da cantora em seu perfil no Instagram com o comentário "Ainda estou em choque e descrente ao saber da morte da minha amiga de infância Simone Battle".
"Ela tinha um coração de ouro e nasceu para ser uma estrela", escreveu ele.

Fonte: último segundo

Jovem que recebeu vacina contra o HPV corre risco de ficar paraplégica

Mariana (dir.) e Luana (esq.) estão internadas após reação a vacina (Foto: Arquivo Pessoal/Fabíola Freitas) 
Mariana (dir.) e Luana (esq.) estão internadas
(Foto: Arquivo Pessoal/Fabíola Freitas)

As duas adolescentes que apresentaram reação à segunda dose da vacina contra o HPV, em Bertioga, no litoral de São Paulo, continuam com as pernas paralisadas e passarão por exames neste sábado (6). Segundo a mãe de uma delas, as médicas não descartaram a hipótese das meninas ficarem paraplégicas.
Dez garotas começaram a passar mal horas após terem tomado a vacina HPV na escola, na última quarta-feira (4). Elas apresentaram sintomas como dores no corpo, dores de cabeça e também reação no local onde foram vacinadas. Segundo as mães, algumas tremiam. Todas foram atendidas e medicadas no Hospital Municipal de Bertioga.
As jovens Luana Alves Barros e Mariana Freitas de Lima, de 12 e 13 anos, mesmo medicadas, precisaram retornar ao hospital porque voltaram a apresentar os mesmos sintomas. De acordo com a mãe de Mariana, a diarista Fabíola Freitas de Lima, na terceira vez que procurou o hospital, a menina ficou internada. O mesmo aconteceu com Luana. As duas permaneceram em Bertioga e foram transferidas para o Hospital Santo Amaro, nesta sexta-feira (6). Além disso, elas reclamam que não conseguem andar porque não sentem o movimento das pernas.
As duas meninas estão internadas na sala de emergência do hospital. Segundo Fabíola, as mães não puderam dormir com as filhas, mas elas passaram bem a noite. As duas estão sendo medicadas para que os sintomas não piorem. "Os sintomas vão e voltam. O único remédio que elas tomam é para evitar não dar mais problemas. A médica foi bem clara com a gente. Elas correm o risco de ficarem parapéglicas. O problema não pode passar da cintura para cima", contou a mãe da menina, que disse estar muito preocupada com a situação da filha.
  •  
Vacina contra o HPV é aplicada em meninas de todo o Brasil (Foto: Reprodução / TV Tribuna) 
Vacina contra o HPV é aplicada em meninas de
todo o Brasil (Foto: Reprodução / TV Tribuna)

Ainda segundo a mãe de Mariana, as meninas serão transferidas para a Santa Casa de Santos. "Elas vão fazer exames e lá tem médicos especializados", falou. As duas jovens devem passar por um neurologista.
O G1 entrou em contato com o hospital Santo Amaro para confirmar o laudo médico das duas adolescentes. Mas, até o fechamento desta reportagem, não houve retorno. Segundo Ministério da Saúde, a vacina é segura e recomendada pela Organização Mundial da Saúde. Quase cinco milhões de meninas em todo o Brasil já foram imunizadas contra o vírus HPV, que é o causador do câncer de colo de útero, o terceiro que mais leva mulheres à óbito no País. Em nota, a Prefeitura de Bertioga informa que as reações estão sendo investigadas e que a orientação da Secretaria Estadual da Saúde é não suspender a aplicação da vacina.

Fonte: G1