segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Orkut, 1ª rede social dos brasileiros, chega ao fim nesta 3ª


Reprodução
Comunidade "Te Incomodo?? Que peeena!!!" é uma das mais populares do Orkut (comunidade Orkut Te Incomodo?? Que peeena!!!/VEJA)

O Google vai desativar nesta terça-feira o Orkut, primeiro site de relacionamentos usado em larga escala pelos brasileiros. A partir de amanhã, os usuários não conseguirão mais acessar seus perfis, exportar álbuns de fotos para o Google+ e acessar aplicativos e jogos baseados na plataforma. Até setembro de 2016, quem quiser guardar os dados publicados na rede social poderá exportar os dados do perfil, comunidades e fotos com a ferramenta Google Takeout.

Leia também:
Especial: Os 10 anos do Facebook
Orkut guarda memória dos brasileiros nas redes sociais
Google+ em 2014: é vai ou racha
Cinco brincadeiras inesquecíveis do Orkut
Relembre 5 comunidados do Orkut que fizeram história


O principal motivo para o fim do Orkut, segundo o Google, é a popularidade de outros serviços da empresa, como YouTube, Blogger e Google+. “O crescimento dessas comunidades ultrapassou o do Orkut. Por isso, decidimos dizer adeus e concentrar nossas energias e recursos para tornar essas e outras plataformas sociais ainda mais incríveis”, escreveu Paulo Golgher, diretor de engenharia do Google, em junho. Desde o anúncio do fechamento do Orkut, o site não aceita novos cadastrados.
As comunidades, que estão entre os recursos mais populares da rede social, continuarão disponíveis por meio da web após o fim do Orkut. De acordo com o Google, as mensagens de todos os usuários poderão ser acessadas nessa espécie de “museu on-line”: o novo endereço das comunidades será divulgado pela empresa na manhã desta terça-feira. Para impedir que seus comentários em comunidades sejam exibidos na nova página, os usuários deverão remover o Orkut de sua conta Google.

História — O Orkut foi criado em janeiro de 2004 pelo engenheiro de software turco Orkut Büyükkökten. Ele aproveitou o tempo livre (20% da jornada) que o Google dá aos funcionários para o desenvolvimento de novas ideias. Com grande adesão de indianos e brasileiros — por sete anos, o serviço foi campeão no segmento no Brasil —, a rede despontou como uma das maiores do mundo, brigando do MySpace, serviço voltado à música que dominou o setor entre 2003 e 2006.
Em dezembro de 2011, contudo, o Orkut perdeu a preferência dos brasileiros para o Facebook, que havia desembarcado havia pouco no país. Ficaria claro, nos anos seguintes, que o Google dedicava pouca atenção ao serviço e que, dessa forma, ele sofreria de "morte natural" — ou seja, seria extinto por falta de interesse de usuários e também de seu proprietário. Em 2012, o gigante de buscas começou a integrar ainda mais os serviços do Orkut ao Google+, deixando claro que esse seria sua prioridade em matéria de redes sociais.

Fonte: Veja

"Mulher de três seios" teria mantido adolescente como escravo sexual


"MULHER COM TRÊS SEIOS" CONFIRMA TER MANTIDO JOVEM EM SUA CASA (Foto: REPRODUÇÃO/FACEBOOK)

A mulher que ficou famosa por afirmar ter três seios aparece envolvida em nova polêmica após um adolescente acusá-la de tê-lo mantido como escravo sexual por duas semanas e meia nos Estados Unidos.

Michael Squier, de 18 anos, afirmou ao tablóide britânico "The Sun" que os dois se conheceram pela internet há quatro meses em Tampa, na Flórida, quando começaram a discutir fetiches sexuais.
"Ela me transformou em um escravo, me bateu e me humilhou. Temo por minha vida e vivo com a vergonha do que ela fez comigo", afirmou o jovem, sem revelar mais detalhes do incidente.
Squirer revelou somente que teria escapado de Alisha Hessler, também conhecida como Jasmine Tridevil, depois de ser açoitado em um poste do lado de fora da casa onde o suposto crime teria acontecido. Ao jornal, a mulher teria confirmado ter mantido o adolescente em sua casa.

Fonte: Marie Claire

'Surda' a protestos, China contempla risco de descontrole em Hong Kong


Manifestantes paralizam cetnro financeiro de Hong Kong em protesto pró-democracia
 Manifestantes em Hong Kong (Foto: EPA)

Durante todo o dia houve uma atmosfera carnavalesca. Estudantes distribuíram garrafas de água, biscoitos, pão e bananas para os colegas participantes do protesto.
Eles também ajudaram os manifestantes a escalar barricadas. Os autofalantes entravam em ação constantemente.
E o protesto foi ganhando maiores proporções. Milhares de manifestantes paralisaram um dos mais importantes centros financeiros do planeta, forçando empresas a fechar e fazendo bolsas de valores caírem.
Em meio a arranha-céus brilhantes, os participantes do protesto exibiam cartazes exigindo democracia.

Moeda de troca

Essa é a maior campanha por desobediência civil em Hong Kong em anos. Alguns manifestantes carregavam guarda-chuvas decorados com a palavra "revolução".
A ação foi significativa, até para os padrões de Hong Kong, onde as pessoas têm direitos como liberdade de expressão garantidos – ao contrário do que acontece na China continental.
"Nós queremos que Pequim cumpra sua promessa e deixe as pessoas de Hong Kong controlarem a cidade", afirmou o técnico de informática Joe Cheung, de 41 anos.
"Não estamos preocupados com o que vai acontecer. Lutaremos até o fim. Precisamos defender nossa cidade".
Alguns manifestantes se prepararam até para a violência. Organizadores prepararam tendas de primeiros socorros.
A polícia queria tirar os manifestantes do distrito de negócios da cidade, mas ao contrário apenas aumentou o clima de provocação.
"Não posso acreditar que eles usaram gás lacrimogênio", afirmou Gary Loong, de 32 anos, que se uniu à multidão depois de sair do trabalho.
"Nós não queremos derramamento de sangue. Mas temos que fechar o distrito de negócios pois essa é a nossa única moeda de barganha".

Inimigo público

Quando a noite caiu, aplausos ecoaram na multidão. Muitos trabalhadores de escritórios se uniram aos manifestantes ou se juntaram em pontes para assistir às cenas memoráveis.
Em diversas ocasiões, muitas pessoas levantaram seus telefones celulares com as luzes acesas. As únicas vaias foram proferidas pela multidão quando manifestantes levantaram um grande retrato de C.Y. Leung, o chefe executivo da região administrativa de Hong Kong.
Para os manifestantes, ele é o inimigo público número um e deve renunciar.
Mas muitos outros moradores de Hong Kong não estão nas ruas e dizem acreditar que os manifestantes estão exagerando nas reivindicações contra Pequim. Eles também dizem temer que protestos crescentes podem levar à instabilidade e à fuga de capitais.
Mas apesar do grande desafio lançado pelos manifestantes, não há sinais de que Pequim está escutando. As manifestações são vistas como ilegais.
E como ninguém parece disposto a recuar, o perigo é que os protestos saiam do controle.

Fonte: BBC

George Clooney oficializa casamento em sede da prefeitura de Veneza

Ator se casou no civil com advogada.
Dinheiro de fotos será destinado às vítimas da violência em Darfur.

Depois de dizer o ‘sim’ em uma cerimônia privada, hoje o galã George Clooney se casou no civil, em Veneza, na Itália. No quarto e último dia de celebrações, Clooney e a advogada Amal Alamuddin oficializaram a união na prefeitura da cidade.

A cerimônia privada para 200 amigos e familiares tinha acontecido no sábado. Cada convidado ganhou um tocador digital com músicas preferidas do casal.

As fotos do casamento foram vendidas para uma revista. O dinheiro irá para as vítimas da violência em Darfur, no Sudão.

FONTE: Jornal Floripa

Após polêmicas com fotos íntimas, Emma Watson é confirmada em novo trabalho

Após polêmicas com fotos íntimas, Emma Watson é confirmada em novo trabalho
A jovem atriz Emma Watson, mais conhecida por ter trabalhado na franquia "Harry Potter", foi notícia durante quase todo o mês de setembro após hackers ameaçarem divulgar fotos íntimas dela, ameaças, que para a sorte da atriz eram falsas. Após o susto, a atriz pode voltar a se concentrar a sua carreira em hollywood, e seu novo trabalho já foi definido. Emma estrelará o filme "Colônia", ao lado de Daniel Brühl.
"Colônia" será baseado em fatos ocorridos durante a ditadura vivida pelo Chile entre 1973 e 1990, informou a produtora responsável nesta segunda-feira.
Brühl viverá Daniel, um jovem detido pela temida Direção de Inteligência Nacional - ou DINA -, o serviço secreto do ditador Augusto Pinochet após o golpe que depôs o presidente socialista Salvador Allende.
Sua namorada Lena, interpretada por Emma, procura por ele desesperadamente nos centros de detenção até encontrá-lo na chamada Colônia Dignidade.
"A Colônia é um lugar que parece uma instituição de caridade dirigida pelo pastor Paul Schäfer, mas, na verdade, é um lugar de onde ninguém escapa", explicou a produtora em um comunicado.
Apesar dos perigos, Lena decidirá entrar na instituição para ficar com Daniel.
O filme será dirigido pelo alemão Florian Gallenberger. Em 2001, ele ganhou o Oscar de melhor curta por "Quiero ser", um roteiro escrito com Torsten Wenzel.
Com informações da AFP.

Após mais de 7 horas, termina sequestro em hotel de luxo de Brasília

Após manter refém um funcionário de um hotel no centro de Brasília por quase oito horas, Jac Souza dos Santos, de 30 anos, libertou o trabalhador e se entregou à polícia. O agricultor de Combinado (TO) deixou o prédio cercado por policiais civis e foi levado em uma viatura para a 5ª Delegacia de Polícia.
Chorando, a vítima do sequestro, o chefe dos mensageiros do hotel, José Ailton dos Santos, 49 anos, foi levado para um hospital próximo, onde foi submetido a exames e liberado em seguida. O hotel ficou interditado até que homens do Esquadrão Antibombas concluíssem uma varredura em todo o prédio.
Segundo o delegado da Polícia Civil Paulo Henrique Almeida, a arma que o sequestrador usava era de brinquedo. O Esquadrão Antibombas informou que o material amarrado ao corpo da vítima não era explosivo, tratava-se de canos de PVC cheios de serragem e areia.
A motivação do sequestrador ainda é desconhecida. Santos disse a pelo menos uma pessoa próxima que viajaria para a capital federal, onde ficaria famoso. Além disso, deixou ao menos duas cartas de despedida que sugeriam que ele planejava fazer algo como o que fez hoje. Uma das cartas era destinada à mãe do próprio sequestrador.
“É uma carta de despedida, meio desesperada, e na qual ele pede desculpas para todos os familiares por algum ato que venha a cometer”, disse o delegado, citando também a existência de um vídeo, supostamente gravado no último dia 19, em que Santos pede desculpas à família, à imprensa e também à futura vítima.

>> Homem faz refém em hotel em Brasília
>> Sequestrador de hotel no DF tem histórico de surtos, segundo a mãe
Sequestrador e refém aparecem de mãos dadas na varanda do hotel
Sequestrador e refém aparecem de mãos dadas na varanda do hotel
Ex-secretário municipal de Agricultura e candidato a vereador derrotado em 2008, o agricultor trabalha no comitê de campanha de um dos candidatos ao governo do estado, em Combinado. 
Segundo o coordenador do comitê, Maurílio Martins de Araújo, ele é uma pessoa tranquila que, apesar de estar envolvido com a política local, jamais se comportou de forma a gerar qualquer suspeita de que estivesse pensando em fazer algo do tipo. Aparentemente confuso, Santos dizia que explodiria o hotel caso suas exigências não fossem atendidas, entre elas a extradição do ativista italiano Cesare Battisti e a efetiva aplicação da Lei da Ficha Limpa.
Por volta das 8h30, Santos se hospedou no Hotel Saint Peter. Ainda pela manhã, o agricultor subiu ao 13º andar do hotel, bateu na porta dos apartamentos mandando que as pessoas deixassem o prédio, alegando que se tratava de uma ação terrorista. A essa altura, tinha feito um funcionário refém.

Fonte: Jornal do Brasil