quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

'Meu neto quase morreu nos meus braços', diz avô de Ken Humano

José, Pai do Ken Humano (Foto: EGO)
José Pereira, avô de Celso Santebanes, o Ken
Humano (Foto: EGO)
No começo deste ano, Celso Santebanes, mais conhecido como Ken Humano, sentiu um baque ao perceber que havia algo de errado com a sua saúde. Desde o dia 6 de janeiro, quando foi internado pela primeira vez em um hospital de Araxá, em Minas Gerais, ele tem contado com o apoio do avô José Pereira, com quem vive desde o seu nascimento.

Com o neto hospitalizado em coma no Hospital das Clínicas de Uberlândia, o contador recebeu o EGO na manhã desta quinta-feira, 5, para contar como está sendo a saga de Celso para cuidar da leucemia descoberta há um mês.

"Ele começou a sentir umas dores estranhas e colocou sangue pela boca. Foi quando me disse que ia fazer uns exames. Fomos ao hospital em Araxá no dia 6 de janeiro, e eles disseram que não tinham estrutura para cuidar dele. Daí, ele foi transferido para Patos de Minas, onde descobriu a leucemia. Mas como era um hospital particular, a conta foi aumentando, até que o transferiram para Uberlândia", narra José, que se sente orgulhoso por ter sido escolhido pelo neto para ficar ao seu lado nesse momento tão difícil. "Ele podia ter escolhido qualquer pessoa, mas quis que fosse eu. Fiquei de acompanhante desde o início, fui transferido junto, acompanhei todo o sofrimento do meu neto", relata.
Ken Humano, em foto tirada no hospital de Uberlândia
(Foto: Arquivo pessoal)

Celso Santebanes, que na verdade se chama Celso Pereira Borges, sempre quis a fama. O modelo foi criado pelos avós, que o ajudaram mesmo contra a vontade deles. "Quando Celso nasceu, fomos os primeiros a vê-lo. Desde então, ele sempre morou comigo e com a avó. Meu neto sempre quis ser famoso. Eu nunca gostei muito disso, mas apoiava, é meu neto. Quando ele foi para São Paulo pela primeira vez, fui junto. Nós não tínhamos dinheiro, fomos com a cara e a coragem. Chegando lá, ele me pediu um dinheiro para entrar na internet e logo depois arrumamos um lugar para ficar", lembra José.

O avô de Celso conta que ainda em Araxá, cidade natal de Celso, o modelo foi escolhido por Tony Ramos em um concurso entre 400 pessoas. Depois disso, o rapaz - hoje com 20 anos - seguiu para São Paulo. O avô voltou para Minas Gerais, mas Celso morou sozinho por cinco anos. Foi quando começou a fazer as cirurgias. "Ele só falava pra gente depois de ter feito. Gastou muito dinheiro, sempre foi vaidoso e quis resolver as coisas sozinho. Essa é a primeira vez que estou falando com a imprensa, ele não me deixava dar entrevista. Quando alguém vinha ao hospital, ele pedia para eu sair", diz o avô.
EGO NAS REDES SOCIAIS

Curta a nossa página
Siga o EGO
Veja o painel do EGO
SAIBA MAIS

Saiba tudo sobre o drama de Ken Humano
Chorando, Ken Humano pede apoio e orações e fã-clube responde
Família de Ken Humano pede ajuda para transferi-lo de hospital
'Tenho medo de perdê-lo', diz tia de Celso Santebanes, o Ken Humano
Ken Humano desabafa na web: 'Não quero perder essa batalha'
Ken Humano sobre leucemia: 'Às vezes entro em desespero'

Algumas coisas sobre a vida do neto José soube pela mídia, como a história de que ele teria colocado hidrogel nas pernas. "Isso foi invenção dele para ficar famoso, ele nunca colocou", afirma José.

A única coisa que ele não revela é de onde surgiu o dinheiro para custear as despesas do hospital. "O que tenho que dizer é que está tudo pago. Não posso falar mais porque ele me pediu para não tocar nesse assunto de dinheiro. Ele ficou trabalhando com essas coisas (modelo) por cinco anos, morou sozinho em São Paulo e estudou na melhor escola de teatro (do diretor Wolf Maia) porque eu ajudei. E também gastou muito com as plástica", completa José.

Os pais de Celso são separados. A mãe, Marli Pereira Borges, tem 44 anos, é dona de casa e nunca teve condições de criar o filho. Já o pai, Célio Antônio Borges, trabalha em uma mineradora e mora em outra cidade. José diz que eles nunca tiveram problemas de relacionamento: "Mas tudo na vida do Celso sou eu e a avó", enfatiza.

'Meu neto quase morreu nos meus braços'

Celso estava em sua segunda sessão de quimioterapia, antes de entra em coma. O avô conta que ele reagia bem aos medicamentos, apesar de estar com o braço muito inchado por conta de uma flebite: "Ele sentia uma dor no braço terrível, estava sem posição para dormir". Ainda assim, José conta que era só ter uma melhora que o Ken Humano corria para o telefone. "Era o dia inteiro, ele conversava com os amigos, tirava foto, mandava para a imprensa e, se eu reclamasse, dizia para deixar que ele resolvia", conta.

No entanto na terça-feira, 3, o modelo teve uma piora repentina, e tudo isso foi visto de perto pelo avô, que relembra o fato emocionado. "Ele desfaleceu três vezes. A pressão quase zerou, chegou a três. Eu fiquei olhando e parecia que ele estava indo embora. Meu neto quase morreu nos meus braços", afirma.

Depois disso, Celso foi transferido para a UTI e José foi encaminhado pelo hospital para uma casa de apoio que dá assistência a pessoas em tratamento de câncer e vêm de outras cidades, sem condições financeiras. "Tá sendo bom ficar aqui, mas estou agoniado. Não tenho notícias do meu neto desde terça. A última coisa que ele me falou foi que passaria por cima dessa doença e ainda realizaria seu sonho de ser famoso. O sofrimento faz a pessoa pensar, traz as ideias, dá juízo. Meu neto é uma pessoa amorosa, nova, ainda vai completar 21 anos. O que eu mais quero é que ele recupere a saúde e fique bom logo".

Fonte: EGO

Nenhum comentário: