domingo, 9 de agosto de 2015

No Dia dos Pais, Silvio Santos ganha presente de Patricia Abravanel

No Dia dos Pais, Silvio Santos ganha presente de Patricia Abravanel

Neste domingo (09), Dia dos Pais, Silvio Santos foi surpreendido por Patricia Abravanel no "Programa Silvio Santos".
Durante o "Jogo dos Pontinhos", sua filha número quatro o presenteia no palco. Trazendo uma grande caixa com um laço, ela diz que o presente é algo que só alguém como Silvio poderá usar. Ao abrir, ele surpreende-se com um sapato cravejado de spikes brilhantes. “Gostei, claro, vou usar. Se servir para mim, semana que vem eu venho com ele. Você gastou uma nota, não?”, brinca Silvio.
Lívia Andrade, Helen Ganzarolli, Flor, Carlinhos Aguiar e Cabrito Tevez também estão no palco para mais uma rodada de perguntas inusitadas. Além do clássico bate-papo entre eles, o apresentador mostra aos participantes alguns bonecos em miniatura que ganhou de presente, sendo um dele próprio e outras três bonecas representando Patricia, Lívia e Helen.


O "Jogo das Três Pistas" continua a relembrar as belas misses que o Brasil já teve com a participação de Flávia Cavalcanti, Miss Brasil 1989, e Ana Elisa Flores, Miss Brasil 1984. Elas comentam sobre suas vidas pessoais e dão detalhes de suas carreiras.
Na quinta edição do quadro "Levanta-te", Silvio recebe mais oito duplas de mães e filhos(as), que terão que provar para o auditório e para os jurados Nadja Haddad, Décio Piccinini e Adryana Ribeiro que sabem cantar bem.
E ainda: "Nada Além de Um Minuto", "Pergunte aos Universitários" e "Mascarados".

Fonte: Na Telinha 

WhatsApp é 'pirataria pura', diz presidente da Vivo

O presidente da Vivo, Amos Genish, disse em evento que o WhatsApp, aplicativo de troca de mensagens que também permite chamadas telefônicas, é "pirataria pura" e só funciona desta forma no país devido à ausência de regras regulatórias, fiscais e jurídicas.
"Não tenho nada contra o WhatsApp, que é uma ferramenta muito boa, mas precisamos criar regras iguais para o mesmo jogo", defendeu Genish. "O fato de existir uma operadora sem licença no Brasil é um problema."
Genish defende que o aplicativo, na prática, estaria funcionando como uma operadora de telefonia. Empresas como Vivo, Claro, TIM e Oi precisam de licenças e autorizações para prestar serviços no país e são reguladas pela Anatel.
O presidente da Vivo também não poupou outros aplicativos como o iMessenger, da Apple, que oferece serviços semelhantes. "Usam os nossos números [de telefone] para mandar mensagem grátis."
Sobre uma parceria com o WhatsApp, Genish indicou que "nunca vai acontecer". "Espero que outras operadoras acordem para não cooperar com uma empresa que viola as leis brasileiras." A operadora TIM é a única brasileira que tem um acordo com o aplicativo.

Fonte: Jornal Do Brasil

Flashdance: com House Boulevard (só audio)

Vamos relembrar um pouquinho mais os anos 2000, e desta vez vou postar o áudio da música 'Everybody's Grooving', do grupo brasileiro House Boulevard.
House Boulevard é um grupo formado por DJ Tom Hopkins, William Naraine, conhecido como Double You, Gino Martini, Cássio Play e Samara Iácono, que substituiu a ex-Ídolos (programa da Record) Giovana Félix.
Com os vocais de Giovana, House Boulevard lançou as músicas Everybody's Grooving (abaixo) e Can't Get You, já com a Samara foi lançado o single Set Me Free.
Everybody's Grooving foi selecionada para entrar na coletânea Summer Eletrohits, no ano de 2007, além de entrar nos CD's 'Na Balada 13' (Jovem Pan), 'Clubbers Guide Brazil' (Ministry Of Sound), 'Comando 97 Vol 13' e 'Dance Total - Verão 2008', todos eles lançados pela Building Records.


"Voltarei a atuar só para fazer vocês rirem", promete Cláudia Rodrigues


Cláudia Rodrigues, que sofre de esclerose múltipla, doença que atinge o sistema nervoso, prometeu na noite deste domingo (9) que irá voltar a atuar no teatro e na TV com o único objetivo de fazer o público sorrir. A atriz se diz "pronta", "apta", mas que precisa apenas de uma oportunidade para mostrar o seu trabalho.
Durante a entrevista ao "Domingo Espetacular", da TV Record, a atriz aparece um pouco debilitada, com a voz modificada, levando a filha à escolha e se exercitando na praia. Ela tem pilates, atividade aeróbica e musculação pelo menos três vezes por semana.
"Estou apta a voltar a trabalhar. Só estou esperando por uma oportunidade para eu poder mostrar as coisas que eu fiz e que eu escrevi. Estou pronta, liberação médica", disse ela. "Eu vou voltar com tudo para fazer vocês sorrirem de novo e mais um pouco", completou em seguida.
Cláudia Rodrigues descobriu a doença degenerativa em 2006, enquanto atuava como protagonista da série "A Diarista" (2004 e 2007), na Globo. "Eu chorava no meu travesseiro...Meus amigos? Que amigos?", ao falar sobre os amigos que teriam desaparecido.
"Pensei [em tirar a minha vida], mas não pensei mais. Foi um momento que aí ainda falei: 'Caramba, tem a minha filha. Tem a menina, não posso fazer isso com a menina. Imagina, a garota vai dizer 'Cadê a sua mãe?' . 'Morreu, se jogou'. Não posso fazer isso com ela, não podia. Cheguei perto, cheguei ali, na coisa.", contou Claudia que já perdeu um irmão, Márcio, aos 25 anos, em 1991, nessa circunstância. "Pensei até em tirar minha vida, como meu irmão tirou."
Em vários momentos da entrevista, ela usou as palavras "fé" e "Deus" para reafirmar a sua luta contra a doença. "Claro que a gente não fica feliz o tempo todo, mas a gente confia em Deus que vai dar tudo certo", contou.
A atriz voltou a ser internada durante 17 dias, em junho. De acordo com a assessoria, "a ansiedade em voltar ao trabalho pode ter contribuído para a recaída da doença".
Mesmo não tendo renovado o contrato com Cláudia Rodrigues no final de maio, a Globo deu todo o apoio necessário para os cuidados com sua saúde, pagando o plano de saúde e cuidando de sua internação, segundo informou a Central de Comunicação da Globo em contato com a reportagem do UOL, também em junho.
Cláudia iniciou a sua carreira artística na Globo trabalhando em "Caça Talentos", ao lado de Angélica. Em seguida, passou por "Sai de Baixo", "Escolinha do Professor Raimundo" e "Zorra Total". Em alta na emissora, ganhou o seu próprio seriado, "A Diarista", entre 2004 e 2007. O seu último trabalho foi o próprio "Zorra Total", onde estava desde 2011. A atriz pretende retornar ao teatro em março do ano que vem.

Fonte: UOL

Modelo transexual que encenou crucificação em Parada LGBT, Viviany Beleboni diz ter sido esfaqueada em São Paulo


Conhecida depois que encenou a própria crucificação na Parada LGBT de São Paulo deste ano — como forma de protesto contra a transfobia —, a atriz e modelo transexual Viviany Beleboni postou um vídeo nas redes sociais no qual diz ter sido esfaqueada a caminho de sua casa.
Muito abalada e chorando, ela conta que um homem a reconheceu e, com uma faca, a atacou. Nas imagens, ela mostra o rosto machucado e um corte no braço. "Acabei de ser agredida por uma pessoa que se fala que é de Deus. Você pode ver que estou com meu olho inchado. O meu rosto foi cortado. Acabei de secar porque estava saindo sangue. Meu nariz está todo inchado e ensanguentado", começa a falar Viviany.

Vivianny mostra corte no rosto
Foto: Reprodução/vídeo

Em seu depoimento, ela segue com o relato: "Se era isso que vocês inimigos queriam, vocês queriam (...). Eu fui quase esfaqueada. Estava passando na rua aqui perto de casa e a pessoa me conheceu. Ele estava com uma faca, esses marginalzinho, mendigo de rua, disse que não sou de Deus, que sou um demônio e o que eu fiz, eu teria que pagar".
Viviany disse que lutou com o agressor e, por isso, conseguiu se salvar. "Sorte é que tenho 1.80m. Sou homem suficiente e conseguir apartar isso. Ele saiu correndo", diz. A modelo ainda deu a entender que não pretende registrar o caso na delegacia. "Pra quê? Para eles te tratarem que nem um homem lá, para te chamarem que nem um homem e rirem da sua cara e não dar em porra nenhuma. Eu não vou. Sabe o que vou fazer? Vou ficar trancada dentro da minha casa", fala chorando.

Braço da transexual foi cortado em agressão
Foto: Reprodução/Vídeo

A transexual ainda fala sobre o episódio em que mostrou a sua crucificação: "Meu ato foi de amor. Foi para alertar sobre pessoas que nem eu, que estão sangrando". O Extra entrou em contato com Viviany, que, muito abalada, falou sobre o ocorrido:
— Recebo muitas ameaças pelas redes sociais, dizendo que tenho que morrer, que minha família também. É muito difícil isso. Recebi ameaça até de uma organização criminosa (chora). Estou sendo hostilizada de todos os jeitos. Por causa disso tudo, estou com síndrome do pânico, quase não saio de casa. Minha vida está um inferno. Ontem à note (sábado, dia 8 de agosto), eu fui caminhar perto de casa. Uns garotos começaram a xingar, não percebi que era comigo. Eles falaram que eu era o demônio e tinha que pagar pelo que fiz (o ato na Parada Gay). Não sei se eles estavam com faca ou gilete. Vieram para cima e cortaram o meu braço. Fiquei apavorada (chora mais). Tentaram cortar a minha barriga e me jogaram no chão. Eles me deram muitos socos, arrancaram o meu cabelo. Foi aí que baixou o homem em mim e comecei a chutar. Eles foram embora e disseram que se me vissem de novo eu ia ver o que ia acontecer.

Assim como no vídeo, a modelo reafirmou que não vai procurar a polícia com medo de represália:
— Se eu for, eles vão me tratar como lixo, vou ficar esperando quatro horas para fazer um boletim de ocorrência que não vai servir para nada. Tenho medo de dar o meu endereço. Não desejo o que estou passando para ninguém. É horrível! Só queria ficar em paz.

Na Parada LGBT de São Paulo deste ano, ela fez um protesto ao aparecer crucificada como Jesus Cristo
Foto: Reprodução

Fonte: Extra

A mais pura realidade em uma placa...

Apresentadora do Bem Estar está grávida novamente


A apresentadora Mariana Ferrão, de 36 anos, está grávida pela segunda vez. A informação foi dada pela assessoria da Globo, que afirmou também não saber o sexo do bebê e muito menos os meses de gravidez.
Mariana Ferrão, que é apresentadora do Bem Estar desde o início do programa em 2011, é esposa do jornalista André Luís Costa, com quem teve o primeiro filho Miguel, que fará 2 anos em setembro.

Os segredos do chefão do tráfico que foge da Justiça do México há 40 anos

Dos velhos líderes e fundadores de cartéis de drogas no México, todos já foram presos pelo menos uma vez. Com exceção de um. Ismael Zambada García, conhecido por El Mayo, está há mais de 40 anos no narcotráfico e nunca sequer pisou em uma cadeia.
Nesse tempo, conseguiu fugir da perseguição do exército, da marinha, da polícia e até de agências de segurança dos Estados Unidos. É um dos criminosos mais procurados da América Latina. O governo dos Estados Unidos oferece uma recompensa de US$ 5 milhões para quem entregá-lo.
Os americanos já congelaram empresas e contas bancários da organização de El Mayo. Vários dos familiares deles estão presos. Mas o traficante mexicano segue sendo um dos principais chefes do cartel de Sinaloa, o mais importante do continente americano, segundo organizações internacionais.

Empresário
Como El Mayo escapou por todo esse tempo? O professor da Universidade de Guadalajara, Francisco Jiménez Reynoso, resume em duas palavras: corrupção e impunidade.

"São essas duas coisas que fazem com que criminosos como esse estejam andando por aí e fazendo negócios", disse à BBC. "Obviamente que ninguém faz um negócio desses sozinho, então em muitos casos ele conta com a aprovação e até a participação de autoridades."

Essa é uma parte da explicação. Segundo agências americanas, Zambada García age primeiro como empresário, depois como traficante. O Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros (OFAC, na sigla em inglês) afirma que El Mayo foi responsável por muitas das operações financeiras do Cartel de Sinaloa. Algo que o leva para longe dos refletores.

A diferença de outros líderes do tráfico, como Joaquín Guzmán Loera, conhecido como El Chapo, é que Ismael Zambada poucas vezes usa a violência para abrir mercados. O modo de operação dele é o dinheiro, que serve especialmente para comprar proteção das autoridades e das comunidades para onde vai se mudando.

Proteção social
Um dos segredos de sobrevivência de líderes como El Mayo é que eles não atacam a população civil, conforme relata Martín Barrón, investigador Instituto Nacional de Ciências Penais (Inacipe). E muitas vezes ele se torna um 'patrocinador' e protetor dessas comunidades marginalizadas.

Até uns anos atrás, por exemplo, Zambada García patrocinava as comemorações do Natal em El Álamo, o bairro onde nasceu. Uma da suas filhas era proprietária de uma guarda infantil e sua esposa era dona de uma distribuidora de leite. Em algumas regiões da periferia, especialmente na zona montanhosa de Sinaloa, o grupo empresarial dele oferece emprego, segurança, saúde e outros serviços que as autoridades locais não cobrem.

Isso faz com que ele tenha uma grande rede de proteção, da qual muitas vezes fazem parte os moradores dos locais para onde ele se muda.

"Ele compra vontades, compra lealdades e não são poucos os casos de pessoas que estejam dispostas a dar até mesmo a vida por uma pessoa como essa, ainda que ele se dedique a atividades ilícitas", disse Jiménez Reynoso.

Discrição
Mas a proteção da comunidade serviria muito pouco se El Mayo se comportasse de uma forma diferente, dizem os especialistas. Entre seus seguranças pessoais, existem vários bandidos com armas de guerra, assim como um sistema de comunicação muito eficiente.

Ele se mantém em movimento constante, principalmente na região montanhosa que separa os estados de Durango, Sinaloa e Chihuahua. A área é conhecida como Triângulo Dourado por sua abundante produção de maconha e papoula. Ele quase nunca dorme duas vezes no mesmo lugar. Ao jornalista Julio Scherer, ele confessou que "nunca para baixo da montanha".

Todas essas precauções serviram não só para evitar que ele fosse localizado, como também para evitar confrontos com outros cartéis.

Experiência
Mas seu maior aliado é o perfil discreto com que leva a vida, algo que aprendeu com a experiência, segundo o pesquisador da Universidade de Guadalajara.

"Esse tipo de pessoa, conforme vai ficando mais velho, vai ficando também mais experiente", explica. "Os golpes que a vida dá faz com que eles adotem um perfil muito discreto na sociedade." Bem diferente dos jovens quando começam no narcotráfico. "Inexperientes, eles andam em carros luxuosos, ficam bêbados nas ruas ou fazem escândalos até."

Entre esses jovens se encontram os que são presos ou morrem em confrontos com a polícia ou com outros grupos criminosos. Até agora, El Mayo sobreviveu a muitos deles.

Fonte: G1

'Eu podia estar sem minha mãe hoje', diz filho de Fabiana Karla na web

Fabiana Karla no Lollapalooza (Foto: Iwi Onodera/ EGO)
Fabiana Karla viveu momentos de tensão na noite deste sábado, 8. A atriz voltava de uma festa, quando errou o caminho e entrou na comunidade do Caramujo, em Niterói, Região Metropolitana do Rio. Seu carro foi cercado por homens armados, mas nada aconteceu a atriz e nem a sua família. Seu filho Samuel comentou em uma das fotos no perfil do Instagram da mãe e acalmou os fãs da atriz.
"Ela está bem sim, podem ficar tranquilos, foi Deus, isso demonstra o país que estamos vivendo, a pessoa errar um caminho e acontecer uma desgraça dessa, isso é Brasil minha gente, se vai mudar? Não sei, espero...obrigado pela preocupação de todos, eu podia estar sem minha mãe hoje..peço a oração de todos, grato", escreveu.

Homens armados tentatam 'enjaular'
Na manhã deste domingo, 9, a assessoria da atriz enviou uma comunicado sobre o episódio. "Fabiana Karla infelizmente é mais uma vítima da violência no Rio de Janeiro. Por volta das 23h, quando se encaminhava para o aniversário do ator Mario Neto, em Niterói, a atriz errou o caminho - seguindo orientação de um aplicativo de GPS no celular - e foi parar na comunidade do Caramujo. Lá, homens armados tentaram 'enjaular' o carro onde estava com o marido e sua mãe e dispararam contra o veículo. Foram muitos tiros", descreve o comunicado.

Por telefone, a assessoria de imprensa informou ainda que Fabiana conseguiu sair do local com a ajuda do marido e a polícia foi acionada. A atriz preferiu não se pronunciar sobre o acontecido. No carro com Fabiana Karla estavam o marido e a mãe da atriz. Ninguém ficou ferido e todos passam bem.

Filho de Fabiana Karla (Foto: Instagram / reprodução)

FlashDance: com Despina Vandi (Gia)


Despina Vandi é uma cantora grega nascida em 22 de julho de 1969 mais conhecida pela sua música chamada Gia, que em português significa Olá, lançada em 2001, tendo feito muito sucesso nos anos de 2003 e 2004. Integrou a trilha internacional da novela das 19hrs 'Começar De Novo', exibida em 2004. Foi também selecionada para integrar CD's de rádios FM's:
  • Na Balada 9 (CD1) - Jovem Pan FM - Building Records
  • As 7 Melhores 2004 (CD1) - Jovem Pan FM - Building Records
  • Comando 97 - Vol 5 - Energia 97FM - Building Records
  • Planet Pop - Vol. 3 - Building Records

Se você já assistiu, relembre o videoclipe de 'Gia', se não, conheça:

Namorado de Bobbi Kristina é acusado de ser o responsável pela sua morte


Esse é mais um capítulo da novela na versão da vida real com o nome O Rebu, novela Global com três versões: a primeira é de 1975, a segunda foi a de 2014 e a terceira é esta, com Nick Gordon e Bobbi Kristina (a falecida) como as estrelas principais. Hoje, a notícia quente que saiu na net foi que Nick é o responsável pela morte de sua amada, Bobbi, e já está respondendo um processo por homicídio doloso e culposo, quando não há intenção de matar, movido pela tutora da filha de Whitney Houston 'Bedelia C. Hargrove'. Nesse processo, está escrito que Nick chegou em casa embriagado e drogado e ambos discutiram por meia hora.
Já a revista americana People divulgou que ele forneceu drogas à garota e a deixou na banheira.
A situação pra ele está bem complicada mesmo, viu?