domingo, 28 de fevereiro de 2016

'Não dá nem pra se mexer', diz Neguinho da Beija-Flor após zika


Diagnosticado na última quinta-feira (25) com zika, o intérprete Neguinho da Beija-Flor, da escola nilopolitana, está vivendo as agruras da doença. Tanta é a preocupação do cantor, que ele decidiu até se afastar da filha, de 7 anos, e da mulher, Elaine Reis. Inseguro sobre as formas de transmissão do vírus, o intérprete tem medo que, assim como ele, a esposa e a filha também tenham a doença.
Vale destacar que o receio de Neguinho tem fundamento. Isso porque o principal transmissor é o mosquito Aedes aegypti, que, quando infectado, pode passar a doença a humanos pela picada. Além desta, outras possíveis formas de transmissão, no entanto, ainda estão sendo estudadas.
Por exemplo o risco de transmissão sexual, que ainda não foi comprovado cientificamente. Outras formas de possível contágio seguem intrigando os cientistas. Um dos motivos de preocupação dos especialistas foi encontrar o vírus em amostras de saliva. Apesar disso, não se sabe se ele pode ser absorvido dessa forma por outra pessoa até chegar à corrente sanguínea. Fato é que ainda não existem casos suspeitos de infecção por esse meio.

'Desgraça'
"Se elas (mulher e filha) pegarem vai ser um sofrimento. É horrível. Não dá para se mexer, levantar para ir ao banheiro... A cabeça parece que vai explodir. Você não aguenta pegar um telefone, ou torcer uma roupa", contou o intérprete.
Exagero ou não, Neguinho também disse que os sintomas da doença são piores do que a recuperação de quimioterapia. "Na recuperação da quimioterapia eu não tinha dor no corpo, febre... A zika é pior", disse.
Em 2008, o intérprete descobriu um câncer no intestino, foi operado para retirar dois tumores e se submeteu ao tratamento. Em agosto de 2015, passados sete anos, Neguinho revelou que estava livre do câncer.
Para vencer a zika, Neguinho contou que está de repouso e bebendo bastante líquido. De "quarentena", Neguinho está recluso no bairro Nova América, em Nova Iguaçu, na Baixada Flumuniense, enquanto a família permanece em Copacabana, Zona Sul do Rio.
O intérprete diz, ainda, que vários de seus vizinhos de Nova Iguaçu também foram infectados pelo vírus. "Faço questão de divulgar para as pessoas se conscientizarem de que esse mosquito é realmente uma ameaça. Isso é é uma desgraça!", afirmou.

Fonte: Bem Estar

Nenhum comentário: