quarta-feira, 30 de março de 2016

Curiosidades sobre o 'caso Daniela Perez'

Daniella Perez (11 de agosto de 1970 - 28 de dezembro de 1992)


Muita coisa mudou depois de 28 de dezembro de 1992, dia que Daniella Ferrante Perez Gazolla, filha de Glória, foi assassinada aos 22 anos pelo companheiro de cena, Guilherme de Pádua, e sua ex-mulher, Paula Nogueira, com 18 punhaladas que perfuraram o pescoço, o pulmão e o coração da atriz. Dani e Guilherme interpretavam Yasmin e Bira, um par romântico, e essa atuação seria o motivo de seu assassinato, já que despertou ciúme em Paula.
E nos últimos dias, Guilherme tem sido notícia nas redes sociais por ter conseguido 25 mil seguidores no Instagram. Sabendo disso, vejam o que aconteceu com a novela depois do assassinato, como estão os criminosos atualmente e o que mudou em suas vidas de lá pra cá.

Paula Thomaz e Guilherme de Pádua no dia do julgamento
Na época do crime
  • Antes de 'De Corpo e Alma', Guilherme de Pádua havia participado do folhetim 'Mico Preto', exibido em 1990 no horário das 19hrs.
  • Guilherme, nos bastidores da novela, não tinha uma boa relação com os outros atores e sempre se jogava pra cima da sua colega de cena Daniella, à fim de tentar iniciar uma relação.
  • Assim que Glória e o também ator Raul Gazolla, esposo de Dani, souberam da morte da atriz, Guilherme e Paula chegaram a consolar os dois na delegacia.
  • Para se livrar da prisão, o ator adulterou a placa de seu carro, LM1115, para OM1115, com fita isolante.
  • A polícia foi até o apartamento de Guilherme no dia seguinte ao do assassinato e o levou para a delegacia. Quando começou a depor, ele negou a autoria do crime, mas confessou tudo pois a polícia havia apresentado todas as provas.
  • A arma do crime não era uma tesoura, e sim um punhal.
  • Durante a semana do crime, na ausência de Glória Perez, Gilberto Braga e Leonor Bassères ficaram responsáveis em encontrar uma solução para o desaparecimento dos personagens Yasmin e Ubirajara.
  • As últimas cenas de Yasmin foram ao ar em 19 de janeiro de 1993. À partir daí, a solução encontrada para a saída da personagem no folhetim foi uma bolsa de estudos, uma vez que a personagem era dançarina. Já o Bira simplesmente deixou de existir. No final desse capítulo, vários atores prestaram depoimentos e homenagearam Daniella. No dia seguinte, a história teve continuidade sem Yasmin.
  • No último capítulo do folhetim, a autora colocou vários momentos de sua filha como encerramento.
  • O filho do casal de criminosos, Felipe, nasceu quando ela ainda estava presa, em maio de 1993.
  • Enquanto esperava o julgamento, de Pádua testava várias versões para a imprensa.
  • Em 1995, ainda na cadeia, ele escreveu o livro 'A História que o Brasil desconhece' para ser lançado na Bienal do Livro daquele ano, realizado no Rio de Janeiro. Esse livro contava uma de suas várias versões sobre o crime. Uma liminar que a Glória Perez conseguiu suspendeu o lançamento, fazendo com que seus exemplares fossem apreendidos e que ele e a editora pagassem multa que chegou a valer R$600 mil reais.
  • O dia do julgamento chegou no ano de 1997, condenando ele e sua ex-esposa à 19 anos de cadeia, cumprindo apenas seis, sendo soltos em 1999. Ao sair da prisão, os dois se separaram.

Raul Gazolla e Glória Perez durante a Missa dos 20 anos da morte da atriz
Guilherme após o crime e a prisão

  • Guilherme de Pádua passou a frequentar a Igreja Batista do bairro de classe média alta Lagoinha, em Belo Horizonte e em 2006 se casou novamente com a produtora de moda Paula Maia, que frequentava a mesma igreja. Os dois se separaram recentemente.
  • O psicopata não tem contato com seu filho Felipe e depois dele não teve mais nenhum.
  • Todas as entrevistas que ele concede é apenas sobre esse crime bárbaro, e em uma dessas entrevistas, declarou a missão que Deus 'mandou pra ele': “Vim mostrar para as pessoas como um cara tão desviado e tendente às coisas vazias tornou-se tão apaixonado por Jesus Cristo”.
  • Voltou a ser notícia este ano assim que sua conta no Instagram atingiu 25 mil seguidores. Nessa rede, postava seu cotidiano depois do crime fazendo passeios, participando de cultos e compartilhando frases religiosas.
  • Seu nome e seu crime estão no livro "Mentes Perigosas: o psicopata mora ao lado", da psiquiatra Ana Beatriz Barbosa.
  • Já concedeu entrevista ao Programa do Ratinho em 2010, falando sobre o crime, sendo ameaçado por Glória Perez de responder processo caso declarasse algo mentiroso.
O psicopata com um de seus cães
Uma foto sua quando estava em um culto
Paula Thomaz nos dias atuais
  • Paula Thomaz passou a se chamar Paula Nogueira e vive no Rio de Janeiro.
  • Após a separação se Guilherme, Paula se casou novamente, com o advogado 'Sérgio Ricardo' e com ele teve dois filhos. Ele se tornou pai do primogênito dela.
  • Sua aparência mudou muito, seu cabelo está mais claro e seu corpo está definido.
  • Ela costuma passar nas ruas de Copacabana e Ipanema, e seu hábito é fugir dos olhares de pessoas que se lembram de seu passado criminoso.
  • Paula Frequenta o shopping Cassino Atlântico, em Copacabana, e um salão de beleza, onde arruma seu cabelo (R$130) e faz as unhas (R$50).
  • Ela tem ajuda de uma babá para cuidar dos filhos menores.
  • Costumava levar seus filhos menores para a escola que estudam em seu carro da Fiat, um Doblô, que tinha os vidros cobertos de fumê para não ser reconhecida.
Paula Thomaz, vista recentemente
Livro que retrata o caso de Daniella Perez

Nenhum comentário: