sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Autora de 'Sete Vidas' lamenta morte de Domingos Montagner: 'Doendo'


Em "Sete Vidas", Domingos Montagner interpretou seu primeiro protagonista em novelas. No folhetim das seis da Globo, o autor interpretou o ambientalista Miguel, que sofria um acidente na Antártida e era dado como morto.
Ele acabava sendo resgatado com vida na Patagônia Argentina e anos depois, ao voltar para familiares e amigos, descobria que tinha seis filhos: cinco deles fruto de um doação de sêmen feita na juventude e um de seu relacionamento com Lígia (Débora Bloch).


"O trabalho com ele em 'Sete Vidas" foi o melhor possível. Era uma pessoa única, extraordinária... Está difícil continuar trabalhando. O Domingos faz uma falta enorme, mesmo tendo feito só um trabalho com ele", lamenta Lícia Manzo, autora de "Sete Vidas", em conversa com o EGO.
"Ele era muito envovido. Lembro do (diretor) Jayme Monjardim contando como tinham sido as gravações na Patagônia Argentina. Ele não era um cara que esperava o 'gravando'. Ajudava a equipe técnica, carregava equipamentos. Era livre de pose, de ego, uma pessoa de verdade. Não tinha nada falso, postiço", completa a autora.
"Essa é uma opinião unânime entre as pessoas que trabalharam com ele. Era uma pessoa extraordinária, que se deixava conhecer de verdade. Ele faz falta e sua ausência está doendo", diz Lícia.


Segundo a autora, ele não estava reservado para sua próxima novela, "Jogo da Memória", como chegou a ser divulgado por alguns veículos da imprensa. O folhetim está previsto para 2017, no horário das 23h. "O Domingos não fazia parte dos planos porque não tinha um papel adequado para ele. Mas ele fazia parte dos planos da vida e continua fazendo. Vou levá-lo comigo para sempre".

Fonte: EGO

Nenhum comentário: