terça-feira, 11 de outubro de 2016

Memória da TV - Pátria Minha (1994), um sucesso ou fracasso?


Uma das poucas novelas das oito que nunca foram reprisadas nem no Vale A Pena Ver de Novo nem no Canal Viva tem o nome de Pátria Minha. De autoria de Gilberto Braga, teve os atores Tarcísio Meira, Vera Fischer, José Mayer, Eva Wilma, Renata Sorrah, Carlos Vereza e Isadora Ribeiro nos papéis principais.


Estréia: Pátria Minha foi marcada para substituir Fera Ferida em 18 de julho de 1994, e o tema principal eram as questões ética e moral, abordadas pelo autor em outras novelas de sua autoria, como Vale Tudo (1988) e O Dono do Mundo (1991).



Enredo: Alice (Cláudia Abreu), uma estudante idealista, presencia um atropelamento causado por Raul Pellegrini (Tarcísio Meira), um empresário inescrupuloso, arrogante e prepotente, e é pressionada a testemunhar a favor dele. A partir do momento em que ela se recusa a aceitar as tentativas de suborno, estabelece-se o principal conflito da história.
Lídia Laport (Vera Fischer), a mãe de Rodrigo (Fábio Assunção), o namorado de Alice, abomina a pobreza. Através de golpes e armações, ela se aproxima de Teresa (Eva Wilma), a mulher de Raul Pellegrini, com a intenção de acabar com o seu casamento de 39 anos e tornar-se a nova senhora Pellegrini.
Enquanto isso, Pedro Fonseca (José Mayer) regressa ao Brasil depois de longa temporada como imigrante nos Estados Unidos, encontrando o pai, Deodato (Ivan Cândido), e os irmãos, Inácio (Felipe Camargo) e Joel (André Pimentel), vivendo em uma favela. Com o apoio de Alice, ele lidera uma revolta contra Raul Pellegrini, que ordenara a desocupação do terreno da favela em que moravam os Fonseca.
Lídia fica balançada entre uma vida fútil, com conforto material, ao lado de Raul, e um grande amor sem segurança financeira ao lado de Pedro, sua antiga paixão.
Com Raul mora sua sobrinha Loreta (Marieta Severo), uma viúva interesseira , sustentada pelo tio, a qual vive armando planos para se dar bem, além de Gustavo (Kadu Moliterno), filho de Raul, que trabalha com o pai. No passado, ele teve um romance com Natália Proença (Renata Sorrah), o qual rendeu um fruto: Alice, a principal adversária de Raul Pellegrini e também sua neta desconhecida.



Tramas Paralelas:
JUVENTUDE PARALELA - Por meio da trama dos casais Alice (Cláudia Abreu) e Nando (Rodrigo Santoro) e, posteriormente, Alice e Rodrigo (Fábio Assunção), a novela tratou de assuntos pertinentes à juventude, como virgindade, primeira experiência sexual, uso de preservativos, maternidade na adolescência e diálogo entre pais e filhos.
RACISMO - A trama que envolvia o empregado negro Kennedy (Alexandre Morenno), humilhado por Raul Pelegrini (Tarcísio Meira), pôs em debate o preconceito racial. Embora a intenção de Gilberto Bragafosse denunciar o racismo, integrantes de movimentos negros não gostaram da cena, criticando o comportamento submisso do rapaz. Em outra sequência, o jovem é duramente revistado em uma blitz enquanto seus amigos brancos, Alice (Cláudia Abreu) e Rodrigo (Fábio Assunção), são ignorados pelos policiais.


Personagens:
RAUL RAMOS PELEGRINI (Tarcísio Meira) - O ditado que define bem o proprietário do Grupo Ramos Pelegrini, composto por uma construtora e uma rede de hotéis, é:” Por fora, bela viola; por dentro, pão bolorento.” Sua ótima aparência e o jeito de ser sedutor camuflam enorme falsidade. Outras características do vilão são a arrogância, o autoritarismo e a prepotência. A mesquinharia sempre o acompanha, a ponto de ele não querer que sua mulher, Teresa (Eva Wilma), e seu único filho, Gustavo (Kadu Moliterno), conheçam o valor do patrimônio familiar. Sua antagonista é Alice (Cláudia Abreu), uma adolescente que testemunha um acidente de trânsito causado por ele. Mais tarde, descobre que Alice é sua neta.
TERESA GODOY RAMOS PELEGRINI (Eva Wilma) - De origem oposta à do marido, Raul (Tarcísio Meira), que venceu na vida à custa de muitas falcatruas, ela é de uma família aristocrática que perdeu o patrimônio. É frustrada duplamente: porque não fez carreira como professora de geografia, matéria em que se graduou, e também porque não se realizou afetivamente com Raul, que a trai com frequência. Preenche sua vida com cursos e obras sociais. É mãe de Gustavo (Kadu Moliterno).
GUSTAVO GODOY RAMOS PELEGRINI (Kadu Moliterno) – Filho de Raul (Tarcísio Meira) e Teresa (Eva Wilma). Trabalha com o pai, apesar do relacionamento dos dois não ser um mar de rosas. Herdou de Raul o poder de sedução e a vontade de exercê-lo sobre as mulheres. Já foi casado, mas não teve filhos. É perseguido pela ex-mulher, que ainda usa seu sobrenome. No decorrer da trama, descobre-se que Gustavo é pai de Alice (Cláudia Abreu), fruto de um relacionamento dele com Natália (Renata Sorrah).
LORETA RAMOS PELEGRINI VILELA (Marieta Severo) - Única sobrinha de Raul (Tarcísio Meira), parecida com o tio no caráter. Sua elegância é lendária. Apesar de dona de uma butique feminina chique e bem sucedida, é economicamente dependente de Raul, a quem odeia. É muito inteligente e divertida, e tem um filho, Murilinho (Petrônio Gontijo). Ficou viúva há muitos anos e, no mesmo acidente de avião em que morreu o marido, perdeu também o pai.
INÁCIO FONSECA (Felipe Camargo) – Filho de Deodato (Ivan Cândido), irmão de Pedro (José Mayer) e Joel (André Pimentel). Revoltado, não hesita em usar de expedientes não muito de acordo com a rigorosa formação dada pelo pai. É mecânico de automóveis, e trabalha numa oficina.
PEDRO FONSECA (José Mayer) - O herói da história, filho de Deodato (Ivan Cândido) e irmão de Inácio (Felipe Camargo) e Joel (André Pimentel). De família muito humilde, sempre foi um batalhador. Marido de Ester (Patrícia Pillar) e pai de Gabriel (Eduardo Caldas), quando se viu em dificuldades para manter a família foi ilegalmente para os Estados Unidos, com o propósito de juntar dinheiro para comprar uma casa e ter seu próprio negócio. Mas na hora de regressar, Ester muda de ideia e não quer mais deixar o novo país. Ela acaba sendo forçada a isso, por circunstâncias alheias à sua vontade.
ALICE PROENÇA (Cláudia Abreu) - Adolescente, filha de Natália (Renata Sorrah), com quem se dá muito bem. Namora Nando (Rodrigo Santoro), seu colega de escola. Vive perguntando a si mesma se deve perder a virgindade com ele ou esperar pela grande paixão. Ela se torna antagonista de Raul (Tarcísio Meira) ao presenciar um acidente causado pelo empresário e vê-lo “tirar o corpo fora”. A partir daí, vira a pedra no sapato dele, e os valores dos dois entram em confronto permanente. Alice se apaixona por Rodrigo (Fábio Assunção) e, no decorrer da trama, descobre que é filha de Gustavo (Kadu Moliterno) e, portanto, neta de Raul.
LÍDIA THOMPSON LAPORT (Vera Fischer) - Filha de imigrantes, nasceu pobre, no interior do Rio Grande do Sul. Graças a sua enorme beleza, tornou-se modelo e teve acesso ao mundo dos ricos. Foi casada durante dez anos com Max (Carlos Vereza), com quem teve um filho, Rodrigo (Fábio Assunção). Depois foi à luta para se manter na high society, que adora. Trabalha com antiguidades, mas passa por muitos problemas financeiros. Ao ser tratada como mulher-objeto por Raul Pelegrini (Tarcísio Meira), resolve se casar com ele por vingança e, a partir daí, planeja cada etapa de sua conquista como um estrategista que prepara várias batalhas em uma guerra.
RAFAEL NOVAES (Fulvio Stefanini) - Professor de História, trabalha no colégio de Marina (Renée de Vielmond). Viúvo, no início da novela está de partida para a Alemanha, onde foi convidado a trabalhar por de cinco anos como pesquisador. A diabólica Lídia (Vera Fischer) consegue envolvê-lo com a mal amada Teresa Pelegrini (Eva Wilma).
SIMONE BARCELOS PELEGRINI (Lilia Cabral) - Grande amiga de Lídia (Vera Fischer), com quem tem em comum o fato de ser uma alpinista social e de desenvolver alguns trabalhinhos em vendas. Simone já deu um golpe do baú: por um ano foi nora de Raul Pelegrini (Tarcísio Meira), tendo sido casada com Gustavo (Kadu Moliterno). Os Pelegrini a detestam, porque continua usando o nome da família. Ao longo da novela, tenta se dar bem através do casamento.
NATÁLIA PROENÇA (Renata Sorrah) – Mãe de Alice (Cláudia Abreu), que decidiu criar como uma produção independente. Formada em Belas Artes, foi figurinista de teatro, tendo ganhado um Prêmio Moliére. Assumiu um cargo menos criativo numa revista a fim de sustentar a filha e poder proporcionar a ela uma boa escola. Fica desempregada, e enfrenta um grande dilema: suas únicas chances profissionais são fora Brasil.

Curiosidades:
Taís Araújo aparecia rapidamente na abertura da novela, sendo que nessa época ela não era atriz e seu primeiro papel foi em Tocaia Grande, de 1995.
Vera Fischer e Felipe Camargo, que estavam juntos desde Mandala (1987), se separaram em dezembro de 1994, no quarto mês da trama, porque, segundo ela, Felipe teria beijado os seios de Isadora Ribeiro, que vivia Cilene, e esta acusação nunca foi provada. Depois da separação, os dois não queriam nem se olhar, e a solução que Gilberto Braga encontrou para os seus personagens foi matá-los carbonizados em um incêndio. Na trama, ela vivia Lídia, uma das vilãs da novela.
Foi exibida no Chile, em Portugal, na Rússia, no Uruguai e na Venezuela, entre outros países.

Música: foi nessa novela que o grupo La Bouche foi revelado, com a canção 'Sweet Dreams'. Além dele, tem o cantor Double You, o DJ Bobo e Enigma na trilha internacional, sendo Fábio Assunção a capa do CD. Cláudia Abreu é capa da trilha nacional, que trouxe artistas como Gilberto Gil, Maria Bethânia, Emílio Santiago, Os Paralamas do Sucesso, Gal Costa e Milton Nascimento.



Audiência: a novela começou bem, pois apresentou 54 pontos no primeiro capítulo, porém, foi caindo para 52 no segundo, 50 no terceiro, 44 no quarto e quinto capítulo, e 41 no sexto, sendo que a meta na época era 45. Ao longo da trama, a audiência oscilava entre 35 e 44 pontos. A menor pontuação foi registrada nos dias 24 e 31 de dezembro, quando Pátria Minha havia registrado 28 pontos. O último capítulo registrou 54 pontos, assim como na sua estréia. Sendo assim, a média geral da novela foi de 43 pontos, considerada razoável na época.

Cenas disponíveis:








Fotos de Pátria Minha nas revistas:







Fotos dos atores:

Vera Fischer como Lídia Laport


Cláudia Abreu como Alice
Tarcísio Meira como Raul
Marieta Severo como Loretta
Alexandre Moreno como Kennedy; Isadora Ribeiro como Cilene; Rodolfo Bottino como Heitor
Deborah Evelyn como Bárbara; Eva Wilma como Teresa
Audiência Detalhada:
Semana 01: 18/07 a 23/07/1994 = 54 | 52 | 50 | 44 | 44 | 41 = 47.5
Semana 02: 25/07 a 30/07/1994 = 53 | 48 | 48 | 48 | 50 | 41 = 48.0
Semana 03: 01/08 a 06/08/1994 = 47 | 42 | 43 | 43 | 39 | 37 = 41.8
Semana 04: 08/08 a 13/08/1994 = 45 | 46 | 44 | 45 | 43 | 39 = 43.6
Semana 05: 15/08 a 20/08/1994 = 44 | 44 | 43 | 45 | 42 | 37 = 42.5
Semana 06: 22/08 a 27/08/1994 = 44 | 43 | 46 | 41 | 43 | 38 = 42.5
Semana 07: 29/08 a 03/09/1994 = 45 | 44 | 44 | 43 | 44 | 38 = 43.0
Semana 08: 05/09 a 10/09/1994 = 46 | 46 | 46 | 43 | 44 | 39 = 44.0
Semana 09: 12/09 a 17/09/1994 = 45 | 44 | 48 | 43 | 42 | 36 = 43.0
Semana 10: 19/09 a 24/09/1994 = 45 | 42 | 43 | 43 | 44 | 41 = 43.0
Semana 11: 26/09 a 01/10/1994 = 44 | 45 | 43 | 47 | 44 | 44 = 44.5
Semana 12: 03/10 a 08/10/1994 = 50 | 48 | 47 | 50 | 50 | 42 = 47.8
Semana 13: 10/10 a 15/10/1994 = 50 | 47 | 48 | 48 | 48 | 43 = 47.3
Semana 14: 17/10 a 22/10/1994 = 51 | 46 | 44 | 50 | 49 | 43 = 47.1
Semana 15: 24/10 a 29/10/1994 = 46 | 46 | 46 | 47 | 46 | 42 = 45.5
Semana 16: 31/10 a 05/11/1994 = 42 | 41 | 43 | 44 | 39 | 35 = 40.6
Semana 17: 07/11 a 12/11/1994 = 46 | 40 | 40 | 41 | 42 | 35 = 40.6
Semana 18: 14/11 a 19/11/1994 = 46 | 46 | 43 | 44 | 44 | 38 = 43.5
Semana 19: 21/11 a 26/11/1994 = 47 | 47 | 46 | 46 | 44 | 39 = 44.8
Semana 20: 28/11 a 03/12/1994 = 46 | 45 | 45 | 44 | 37 | 38 = 42.5
Semana 21: 05/12 a 10/12/1994 = 46 | 45 | 44 | 44 | 38 | 35 = 42.0
Semana 22: 12/12 a 17/12/1994 = 43 | 43 | 41 | 42 | 42 | 36 = 41.1
Semana 23: 19/12 a 24/12/1994 = 42 | 41 | 42 | 41 | 40 | 28 = 39.0
Semana 24: 26/12 a 31/12/1994 = 43 | 42 | 41 | 39 | 38 | 28 = 38.5
Semana 25: 02/01 a 07/01/1995 = 44 | 43 | 40 | 42 | 44 | 35 = 41.3
Semana 26: 09/01 a 14/01/1995 = 44 | 45 | 42 | 40 | 40 | 40 = 41.8
Semana 27: 16/01 a 21/01/1995 = 43 | 41 | 42 | 40 | 42 | 33 = 40.1
Semana 28: 23/01 a 28/01/1995 = 42 | 44 | 40 | 42 | 42 | 35 = 40.8
Semana 29: 30/01 a 04/02/1995 = 46 | 44 | 42 | 42 | 40 | 35 = 41.5
Semana 30: 06/02 a 11/02/1995 = 44 | 44 | 42 | 37 | 40 | 36 = 40.5
Semana 31: 13/02 a 18/02/1995 = 45 | 44 | 43 | 39 | 40 | 37 = 41.3
Semana 32: 20/02 a 25/02/1995 = 44 | 44 | 42 | 37 | 40 | 36 = 40.5
Semana 33: 27/02 a 04/03/1995 = 40 | 41 | 43 | 39 | 42 | 38 = 40.5
Semana 34: 06/03 a 11/03/1995 = 46 | 47 | 46 | 51 | 54 | 42 = 47.6
MÉDIA GERAL: 42,92 PONTOS (43)
SITUAÇÃO: RAZOÁVEL

Fontes: Wikipédia (informação), Memória Globo (texto e imagem), Revista Amiga Novelas (Blogspot - imagem), Mercado Livre (imagem), Audi Televisão (audiência detalhada).

Nenhum comentário: