terça-feira, 11 de outubro de 2016

Quais novelas que a Globo poderia reprisar no Vale A Pena Ver de Novo?

Novelas do horário das oito
Dancin' Days (1979): embora a novela seja antiga, a história é contagiante. Tem um toque cultural ao vermos roupas e acessórios daquela época que eram febre no país e também músicas da era disco. Foi protagonizada pela lindíssima Sônia Braga, famosa também pela sua atuação em Gabriela (1975). Nessa novela, de Gilberto Braga, ela deu vida à ex-presidiária Júlia, que passou onze anos na prisão por atropelar um homem durante uma fuga de um assalto a banco. A abertura dessa novela era 'Dancin Days', das Frenéticas.


Sônia Braga em Dancin' Days

Torre de Babel (1998): teve como antagonista o ator Tony Ramos, que estava acostumado a somente interpretar mocinhos. Nessa novela, de Sílvio de Abreu, ele dá vida ao ex-presidiário Clementino, responsável pela morte da esposa e de seu amante.
Teve uma média geral de 44 pontos. Torre de Babel sofreu várias alterações ao longo do tempo que foi exibida para escapar do fracasso, pois os personagens Guilherme (Marcello Anthony), Leila (Sílvia Pfeifer) e Neuza (Christiane Torloni) foram rejeitados pelo público. Ele por ser dependente químico. Elas por formarem um casal. Todos morreram na explosão do Shopping Tropical Towers, ocorrida no segundo mês de exibição da trama, gerando um mistério que durou até o capítulo final: "quem explodiu o shopping?".


Cartaz de propaganda sobre a estreia da novela, em 1998


O Dono do Mundo (1991): na época, a novela de Gilberto Braga foi a substituta de Meu Bem, Meu Mal, já exibida no Vale A Pena ver de Novo em 1996. Enredo:
O antiético cirurgião plástico Felipe Barreto, casado por interesse com Stella, filha do rico empresário Herculano Maciel, sente uma forte atração por Márcia, uma simplória professora, tímida e suburbana, noiva de Walter, um funcionário de sua clínica. Essa fascinação aumenta quando ele descobre que a garota é virgem. Durante o casamento de Márcia, Felipe aposta uma caixa de champanhe com Júlio, gerente da clínica, dizendo que fará amor com a moça antes do noivo. A fim de alcançar seu objetivo, ele oferece uma viagem ao Canadá para o casal. No estrangeiro, arma para que Walter se distancie e seduz Márcia quando a mesma o procura. Com efeito, a moça, antes de sua noite de núpcias, acaba se rendendo a Felipe, o que faz com que sua vida desmorone: Walter, ao descobrir a traição, comete o suicídio. Márcia consequentemente passa a sofrer inúmeras dificuldades até ser expulsa de casa pela própria família. Começa então a se dedicar somente à vingança contra o médico.
Ao mesmo tempo vemos o drama de Thaís, vizinha de Márcia, moça simples que, para ascender na vida, decide se prostituir, contando para isso com a ajuda de Olga Portela, uma sofisticada cafetina, mulher que sabe os segredos do passado de Felipe e de sua família.

Em sua exibição, teve média de 47 pontos. Contou com Antônio Fagundes, como o cirurgião Felipe; Glória Pires, Daniela Perez, Letícia Sabatella, Ângelo Antônio, Antônio Calloni, Fernanda Montenegro, Kadu Moliterno, Maria Padilha, Stênio Garcia, Alexia Deschamps, Tuca Andrada, Lucinha Lins, Hugo Carvana, Marcelo Serrado, Cristina Galvão e Yaçanã Martins.



Mandala (1987): novela escrita por Dias Gomes, teve média geral de 70 pontos. Abordou assuntos extremamente polêmicos na época, como o misticismo, bissexualidade, incesto, drogas, racismo e alcoolismo. Chegou a ser vetada pela Censura Federal no governo de José Sarney, porém, Dias Gomes fez alguns reparos e a trama foi finalmente liberada. Dias escreveu Jocasta para Dina Sfat, mas ela não pôde aceitar o papel por já estar debilitada por causa do câncer de mama, então, a oportunidade foi dada para Vera Fischer. É lembrada pelo romance de Vera com Felipe Camargo, que se conheceram nesta novela.



Corpo a Corpo (1985): escrita por Gilberto Braga, teve como protagonistas Glória Menezes, Antônio Fagundes, Débora Duarte e Flávio Galvão. Leia o enredo:
Teresa foi apaixonada por Osmar, um homem bem mais novo que preferiu se casar com Eloá. Anos mais tarde, Teresa vai trabalhar como enfermeira na casa do rico empreiteiro Alfredo Fraga Dantas e acaba se casando com ele. O casamento de Osmar e Eloá entra em crise quando Eloá tenta sua ascensão profissional, e Teresa volta à cena, preparando uma surpreendente vingança contra Osmar, o homem que a fizera sofrer muito no passado. Ao mesmo tempo, a ambiciosa Eloá conhece Raul, homem elegante, misterioso e aparentemente rico com o qual faz um estranho pacto a fim de atingir o topo. Seria ele o diabo?

Foi exportada para vários países, como Argentina, Bolívia, Chile, Equador, Uruguai, Portugal, Espanha, Canadá e Colômbia.



Novela do horário das seis
Sonho Meu (1993): exibida de setembro de 1993 à maio de 1994, teve como protagonista a atriz Patrícia França, que deu vida à Cláudia, uma mulher que fugiu do marido, o ciumento e violento Geraldo (José de Abreu). Ela perdeu a guarda da filha, Maria Carolina (Carolina Pavanelli), que passa a ficar sob tutela da tia, Elisa, mulher que é capaz de tudo para subir na vida. Além disso, Cláudia é disputada por dois irmãos: Jorge (Fábio Assunção), que administra os negócios de sua família, e Lucas (Leonardo Vieira), que consegue com que a moça realmente se apaixone por ele.
Teve média geral de 44 pontos, sendo considerada um grande sucesso.


Carolina Pavanelli foi o grande destaque de Sonho Meu

Novelas do horário das sete
Hipertensão (1986): escrita por Ivani Ribeiro, conseguiu 52 pontos de audiência, um fenômeno para o horário. Foi o primeiro trabalho do apresentador César Filho como ator, sendo também um dos protagonistas. Leia o enredo:
Carina é a estrela da companhia de teatro mambembe de Sandro Galhardi. Em suas viagens, ela conhece três simpáticos velhinhos: Candinho, Romeu e Napoleão. Porém ela não sabe que um deles é seu pai. No passado, os velhinhos haviam se casado com trigêmeas e uma delas era a mãe de Carina. Este mistério permanecerá até o final da trama. Enquanto isso, a jovem Luzia é assassinada e entre os suspeitos está Ray, filho da poderosa Donana, que fará de tudo para inocentá-lo.
Luzia é filha da empregada Odete, que sempre lutou para sua filha se casar com Ray; quando Odete soube da morte de sua filha, fica magoada por perdê-la e como antes tinha perdido o marido, Odete quer vingança da pessoa que a matou. Quem era muito apaixonado por Luzia era o radialista Túlio, que tem certeza que Ray não é culpado e ele vai conquistar o coração da doce e meiga Carola, que tem muitas desconfianças do jovem Fratelo, por achar que ele é o culpado da morte de Luzia.
Acham que Ray é o suspeito mas teve muita gente que estava perto de Luzia e pode ser o culpado como: Fratelo que paquerava Luzia, Beatriz que era rival de Luzia, Gioconda que odiava Luzia, Raquel que sentia ciúmes de Ray e Luzia e um culpado misterioso que estava perto desses suspeitos.

Contou também com os atores Stênio Garcia, Lília Cabral, Elizabeth Savalla, Paulo Betti, Maria Zilda Bethlem, Cláudia Abreu, Carla Marins, Nelson Xavier, Paulo Gracindo, Débora Evelyn, Antônio Calloni e Fafy Siqueira.



Olho no Olho (1993): escrita por Antônio Calmon, apresentou Tony Ramos, Stênio Garcia, Nico Puig, Natália do Vale e Maria Zilda Bethlem nos papéis principais. Marcou a estréia de Patrícia de Sabrit na televisão e foi a última novela de Thales Pan Chacon, que veio a falecer vítima do vírus da AIDS em 1997. Leia o enredo:
A trama tem início em Roma, quando Armando (Stênio Garcia) revela, em confissão ao padre Guido Bellini (Tony Ramos), que é procurado por uma organização criminosa chefiada por um jovem paranormal. Algum tempo depois, Guido descobre que Armando morrera e, culpado por não ter tentado impedir o assassinato daquele homem, decide largar a batina e voltar para o Brasil.
Na cidade de São Paulo, Guido passa a se dedicar ao estudo da paranormalidade, no intuito de combater a organização, chefiada por César Zapata (Reginaldo Faria) e seu sobrinho Fred (Nico Puig), o jovem poderoso a quem Armando se referira. Para enfrentar os Zapata, Guido conta com a ajuda do também paranormal Alef (Felipe Folgosi), um jovem que ainda não tem pleno domínio de seus poderes.
Paralelamente ao combate à organização criminosa, Guido vive um romance com Débora (Natália do Vale), mãe de Alef. Seu principal oponente, César, também gosta de Débora e faz tudo para afastá-la de Guido. Ele arma uma verdadeira guerra contra o ex-padre, usando os poderes malignos de Fred.
Valquíria (Maria Zilda Bethlem) é cunhada de Cesar Zapata, viúva, mora na casa do vilão e, assim como ele, sonha em ver Fred naPresidência do Brasil, tendo com Cesar uma relação de amor e ódio, sujeitando-se a todas as suas exigências.
Malena (Helena Ranaldi) é amiga de infância de Guido, por quem é apaixonada desde jovem. Quando a família se mudou para aItália, continuou no Brasil e foi morar com as tias de Guido, Julieta (Cleide Yáconis) e Viridiana (Eva Todor). Depois que Guido retorna ao Brasil, sua paixão reacende-se pelo ex-padre, e vai viver uma perigosa relação de amor e ódio com ele.

Teve média geral de 44 pontos, sendo assim considerada um grande sucesso, já que a média do horário na época era de 40.


Nenhum comentário: