domingo, 6 de março de 2016

Expulsa do ‘BBB’, Ana Paula pode ser contratada pela Globo


Vilã ou mocinha?
Nem a Globo nem o público sabem o que pensar de Ana Paula, sensação do "BBB 16" que acabou sendo expulsa do programa ontem (5), após agredir o participante Renan.
Amada e odiada pelo público, a mineira movimentou a atração como há muitos anos não acontecia, e deixou o programa para alegria de alguns, e desespero de muitos.
Pelo contrato do "BBB", a Globo pode simplesmente rescindir antecipadamente o acordo com os participantes quando eles infringem normas do reality e são expulsos. No caso de Ana Paula, a emissora pretende aproveitar o temperamento explosivo da jovem até a última gota. Já há uma proposta para Ana estender o seu contrato com o canal além do previsto nos acordos habituais com os participantes do "BBB".
Assim a emissora espera impedir que outras emissoras e atrações surfem na onda do programa e levem Ana Paula para discutir o reality em outras praias.
Ana Paula deixou o "BBB16" sem ter direito ao tradicional "discurso da eliminação". A única coisa que ela ouviu, na manhã deste sábado (05), foi a voz do chefão Boninho no confessionário: "A senhora está eliminada"
Na noite de sábado, Bial fez um discurso de desclassificação pedindo "compaixão" com a jovem.
Aos espectadores indignados com as atitudes de Ana Paula no programa, Bial disse: "O "BBB" não é necessariamente vitrine de virtudes nem de vícios. Tantas vezes desrespeitosa e desequilibrada, Ana Paula não é um exemplo, mas merece toda compaixão e nos inspira à reflexão".
Ana Paula deve fazer uma peregrinação por programas da Globo, a começar pelo "Mais Você", de Ana Maria Braga, na segunda-feira (7)

Fonte: R7

Morte de Chorão completa três anos e fãs prestam homenagens

Dezenas de fãs deixaram mensagens np twitter na manhã deste domingo – Reprodução / Twitter

Os fãs do vocalista do Charlie Brown Jr, Alexandre Magno Abrão, prestaram homenagens ao ídolo na manhã deste domingo (6) por meio das redes sociais. Muitos internautas deixaram mensagens de agradecimentos ao músico que morreu há exatamente três anos.
No Twitter, a hashtag Chorão já era uma das mais comentadas logo nas primeiras horas do dia no País. Os usuários do Facebook também deixaram diversas mensagens e aproveitaram para postar vídeos de apresentações além de videoclipes do Charlie Brown Jr.
Chorão foi encontrado morto no dia 6 de março de 2013 em seu apartamento na Zona Oeste de São Paulo. Um exame realizado por equipes do Instituto Médico Legal (IML) apontaram que o vocalista do Charlie Brown Jr sofreu uma overdose de cocaína.
Seis meses após Chorão ter sido encontrado morto, o ex-baixista Luiz Carlos Leão Duarte Junior, conhecido como Champignon, foi encontrado morto com um tiro na boca em seu apartamento na região do Morumbi. Ele morreu no dia 9 de setembro de 2013.
Entre as mensagens de homenagem a Chorão neste domingo (6), muitos fãs disseram que sentem saudades do cantor, enquanto outros ainda comentam estar de luto. “Chorão ainda faz tanta falta que não se explica com palavras. O grande poeta da minha geração”, escreveu um usuário do twitter.

Perfil
O cantor e letrista liderava a banda fundada por ele na cidade de Santos, no litoral de São Paulo, em 1992. Em 21 anos de carreira, o Charlie Brown Jr lançou nove álbuns de estúdio, dois discos ao vivo, duas coletâneas e seis DVDs. Ao todo, o grupo vendeu 5 milhões de cópias.
Além de vocalista, Chorão era responsável pelas letras do Charlie Brown Jr e pelo direcionamento artístico e executivo da banda. Em 2005, o trabalho “Tâmo aí na atividade” foi premiado com o Grammy Latino de melhor álbum de rock brasileiro, o que se repetiu em 2010 com “Camisa 10 joga bola até na chuva”.
Em 2012, o Charlie Brown Jr. lançou “Música Popular Caiçara”, álbum ao vivo que marcou o retorno dos integrantes Marcão e Champignon à banda. Eles haviam deixado o grupo em 2005. As apresentações aconteceram em Curitiba e Santos. A produção do trabalho foi feita por Liminha e os shows contam com a participação de Falcão (O Rappa), Zeca Baleiro e Marcelo Nova. Das 15 faixas do CD, a única gravada em estúdio é “Céu azul”.
Paulistano, Chorão adotou a cidade de Santos desde a juventude, onde criou a banda. Seu apelido foi dado ainda na adolescência, quando ele não sabia andar de skate e ficava apenas olhando os amigos. Um deles, então, pediu que o jovem não chorasse.
Segundo a GloboNews, a infância e a adolescência de Chorão foram difíceis por conta da separação dos pais, que aconteceu quando ele tinha 11 anos. O músico largou a escola na sétima série.
O vocalista é também roteirista do filme “O magnata” (2007), do diretor Johnny Araújo. Como empresário, administrou marcas de skate, como a DO.CE, fundada por ele em 2009, e viabilizou a realização de grandes eventos de skate no Brasil, além de manter o espaço Chorão Skate Park na cidade de Santos desde 2006.
A estreia do Charlie Brown Jr aconteceu em 1997 com o lançamento do álbum “Transpiração contínua prolongada”. O trabalhou conseguiu o certificado de disco de platina ao vender mais de 250 mil cópias e tem como singles os sucessos “O coro vai comê”, “Proibida pra mim”, “Tudo que ela gosta de escutar”, “Quinta-feira” e “Gimme o anel”.
Sempre envolvido em polêmicas, Chorão deu uma bronca no baixista Champingnon em pleno show na cidade de Apucarana (PR) no final 2012. “Você voltou [para a banda] por causa de dinheiro”, disse, no palco. Poucos dias depois, Chorão compartilhou um vídeo ao lado do baixista comunicando que os dois já haviam feito as pazes.
Em 2004, Chorão agrediu Marcelo Camelo, do Los Hermanos, na sala de desembarque do Aeroporto de Fortaleza. Ele foi detido pela Polícia Federal e, mais tarde, processado por Camelo, sendo obrigado a pagar uma indenização por danos morais ao músico carioca.
O último show da banda estava marcado para o dia 22 de março de 2013, em Campo Grande, no Rio de Janeiro.

Fonte: Jornal Dia Dia

'Não há ninguém imune à investigação' diz procurador da Lava Jato


O procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é suspeito de ser o principal responsável pelo esquema de cartel e corrupção na Petrobras, comandado por partidos da base aliada e que beneficiou também a oposição. Segundo ele, o esquema beneficiou o "chefe do governo".
— Ninguém está imune à investigação, seja aqui em Curitiba, seja em Brasília. Estamos apurando essa hipótese (de Lula ser o líder). Certamente o governo dele foi um dos grandes beneficiários pela compra desse apoio político-partidário. Investigamos se houve alguma vantagem ao senhor Luiz Inácio.
O procurador afirmou que a Lava Jato em Curitiba não investiga a presidente Dilma Rousseff por uma questão de competência — a presidente só pode ser investigada pela Procuradoria Geral da República em processo no STF (Supremo Tribunal Federal). Segundo ele, o chefe do Executivo é sempre o principal beneficiado em um esquema de compra de apoio político-partidário.
— Já dito pelo procurador-geral da República e por nós aqui da Lava Jato, este esquema Petrobras e de outras empresas é um esquema de compra de apoio político-partidário. É somente nesse sentido que há a vinculação de um benefício. O beneficiário sempre será o atual chefe do governo. Só nesse aspecto que existe o nome da presidente. Não há nenhum dado ou indício dela investigado na Operação Lava Jato, aqui em Curitiba.


Partidos
Questionado sobre eventual apuração envolvendo outros governos, Lima explicou que a ação está focada no esquema sistematizado montado na Petrobras, descoberto a partir da ligação do doleiro Alberto Youssef com o ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa — primeiro delator do processo.
— Há muita confusão a esse respeito. As investigações da Lava Jato em Curitiba se iniciaram em decorrência da prisão de quatro doleiros e nessas investigações é que chegamos ao nome de Paulo Roberto Costa. Todas as investigações decorrem dessa descoberta.
Santos Lima afirmou que a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba tem limitações legais.
— Nós não somos procuradores de todo o Brasil, de todos os fatos. Há muitos outros procuradores e há muitas outras equipes da Polícia Federal e investigações autônomas. Não me cabe aqui iniciar qualquer investigação que tenha o objeto inicial ou derivado daquele encontro de pagamento feito ao Paulo Roberto Costa na Petrobras.
— Não cabe fazer uma analise se eu deva invetigar partido A ou partido B. Mas todos os partidos são investigados em decorrência da fraude na Petrobras.

Dormir pouco tem o mesmo efeito que o uso de maconha no aumento da fome


Estudo feito pela Universidade de Chicago mostra semelhança entre poucas horas de sono e o uso da maconha: o aumento da fome. Isso porque a privação de sono pode aumentar os níveis do sinal químico endocanabinoide 2-araquidonoilglicerol (2-AG), componente do mesmo sistema que é alvo do ingrediente ativo da maconha, responsável por amplificar o desejo pela ingestão de alimentos. "Sabemos que a maconha ativa o sistema endocanabinoide e leva as pessoas a comerem demais quando não estão com fome, e normalmente elas se alimentam de doces saborosos e gordurosos", conta Erin Hanlon, autora do estudo. Catorze voluntários participaram do experimento durante oito dias. Nas quatro primeiras noites, os jovens de 20 anos dormiram em média sete horas e meia. Nas quatro noites seguintes, o tempo de sono foi reduzido para quatro horas e 15 minutos. Em ambos os casos as refeições foram idênticas: servidas três vezes ao dia, às 9h, às 14h e às 19h. Os pesquisadores mediram os níveis do hormônio grelina, estimulado do apetite, e leptina, associado à saciedade. Foram mensurados também os níveis sanguíneos de 2-AG - 33% mais alto entre as pessoas que dormiram pouco. Após a quarta noite de sono, os participantes relataram ter vontade de comer menos de duas horas após a refeição, quando ingeriram 90% das calorias diárias recomendadas. "Não dormir dá larica. Infelizmente ninguém presta atenção como o hábito do sono está relacionado à obesidade. Os indivíduos que estão na cama pela duração adequada têm, em todos os sentidos, o metabolismo mais equilibrado. Fazem umaBOA DIETA e desenvolvem melhor o córotex frontal, envolvido na tomada de decisões", destacou Fábio César dos Santos, presidente da Associação Brasileira de Saúde Funcional e Estilo de Vida.

Fonte: Brumado Urgente

Acordar cedo afeta produtividade, dizem cientistas; jornada deveria começar às 10h


Escalas de trabalho não alinhadas ao relógio biológico do funcionário pode explicar baixa produtividade no ambiente profissional. Um estudo feito pelo professor Cristopher Barnes, da Foster School of Business, pertencente à Universidade de Washington, nos Estados Unidos, mostrou que trabalhadores cansados tendem a cometer mais erros graves e a sofrer acidentes de trabalho - ao contrário daqueles que têm seu relógio biológico em conformidade com sua jornada de trabalho: se sentem mais concentrados, menos estressados e relativamente mais saudáveis. De acordo com uma reportagem do BBC, a produtividade está relacionada ao ritmo circadiano, que varia de pessoa para pessoa. O professor do Instituto de Psicologia Médica da Universidade Ludwig-Maximillian, em Munique, Till Roenneberg, explica que nossas vidas não costumam considerar o ritmo que tínhamos no passado, quando passávamos mais tempo do lado de fora sob a luz natural. O início do expediente às 8h ou 9h da manhã vai contra o relógio biológico dos empregados. O pesquisador estima que mais de 70% das pessoas acordam mais cedo do que deveriam, se o objetivo era estarem descansadas e produtivas. O neurocientista Paul Kelly, da Universidadede Oxford, no Reino Unido, defende que a jornada de trabalho ideal deveria começar às 10h. "Não é racional começar a jornada às 8h", concluiu.

Fonte: Brumado Notícias (Bahia)

Mulheres são destaque em aeronaves da PM


Há 20 anos, quando foi aprovada no concurso para ingressar na Polícia Militar, a subtenente Natália Monteiro, 42, precisou fazer ajustes para que o fardamento coubesse em seu corpo. Não era somente uma questão de vaidade: a roupa era a mesma disponibilizada aos homens e, por causa do tamanho grande, prejudicava os movimentos da policial.
Hoje, Natália atua na unidade financeira do Grupamento Aéreo da PM-BA e exibe com orgulho o macacão devidamente ajustado às suas medidas. No rosto, o batom compõe a produção de uma mulher que não perdeu a ternura, mesmo tendo que endurecer para conquistar o espaço onde as mulheres são minoria - 87% da corporação é composta por homens.
A possibilidade de vestir um uniforme feminino é apenas uma das conquistas das mulheres da PM-BA. Hoje, elas são apenas 13% do total de funcionários, mas, nos últimos anos, têm assistido ao crescimento do ingresso de mais policiais do sexo feminino.
Enquanto, em 2013, apenas 22 mulheres entraram na Polícia, em 2014, o número saltou para 249. O cenário atual da PM-BA ilustra uma tendência apresentada pelo Instituto Brasileiro de Pesquisa e Estatística (IBGE): o aumento do número de mulheres no mercado de trabalho na Bahia e na ocupação de funções que, tradicionalmente, eram dominadas por homens.
Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), de 2012 para 2014, apontam que a participação de mulheres, na Bahia, cresceu em setores como indústria (de 2,26% para 2,43%), indústria de transformação (de 2,2% para 2,36%), construção (de 0,19% para 0,26%) e nos cargos de gerência (de 2,09% para 2,13%).
Para o economista Marco Antônio Tavares, embora o crescimento seja tímido, a tendência é que a participação das mulheres nesses setores seja ainda mais expressiva ao longo dos anos. A previsão do especialista é compartilhada por Natália: "Tenho certeza que, daqui a alguns anos, estaremos sendo comandadas em alto grau por mulheres".

Voando alto
Se depender da determinação das demais colegas, a previsão da subtenente poderá ser concretizada em breve. Este ano, quando a PM-BA completou 26 anos do ingresso de mulheres na corporação, as capitãs Danusa de Oliveira, 34, e Maíra Galindo , 33, assumiram o cargo de comandantes de operações do Graer.
É a primeira vez que mulheres ocupam o comando dos helicópteros do Graer. Para tanto, além de provas teóricas, elas foram submetidas a exames físicos, psicológicos e específicos. Após serem aprovadas na seleção, que teve a participação de homens e mulheres, as duas se dedicaram exclusivamente a um treinamento de um ano e meio.

Maíra adia o sonho de ser mãe, em prol da carreira (Foto: Luciano da Matta | ag. A TARDE)

"É uma atividade desafiadora, embora seja de bastante risco. Ela requer atenção, e bem-estar físico e psicológico, independentemente do sexo. Mas, antes de ser militar, sou uma mulher que quer desempenhar a atividade com êxito e crescer ainda mais na profissão", disse a capitã Danusa, que tem 15 anos de PM-BA.

Para Maíra, tamanho empenho implica, ainda, adiar alguns sonho, como o de ser mãe: "Na atividade de piloto policial, há uma demanda forte do corpo. Assim que engravida, a mulher passa a realizar serviços internos. Podemos deixar os filhos para mais tarde".

Entre os homens, o sentimento é de igualdade. "Claro que existem casos de preconceito, que tentamos combater. Hoje, as duas dividem o espaço igualmente e desempenham com muito êxito as funções", afirmou o major Cesar Ricardo, coordenador de planejamento operacional do Graer.

Qualidade de vida

As capitãs Danusa de Oliveira e Maíra Galindo são solteiras, sem filhos e têm nível superior. Tal perfil de mulher, segundo a socióloga e pesquisadora da Universidade Estadual da Bahia (Uneb) Antônia Barreto, está diretamente ligado às recentes mudanças na sociedade que implicaram um empoderamento.

"Empoderar mulheres é, de acordo com a Organização das Nações Unidas, garantia para promover a qualidade de vida do gênero. Por isso, muitas têm driblado os obstáculos culturais para investir na carreira profissional, por exemplo", disse.

A socióloga atribui o comportamento aos dispositivos da lei, como a Maria da Penha, e às redes de atendimento à mulher municipal e estadual: "Se avaliarmos de forma isolada, sim, temos grandes deficiências no atendimento às mulheres, sobretudo às vítimas de violência. Mas, pelo contexto histórico, podemos afirmar que elas são, hoje, melhor amparadas e orientadas para serem livres para estar onde quiserem".

Mercado de trabalho

Por causa desse tipo de investimento pessoal, o economista Marco Antônio Tavares acredita que, nos próximos anos, o número de mulheres que ocupam cargos de gerência ou alta gerência vai subir.

"Em 2015, uma pesquisa realizada por uma plataforma virtual de empregos, constatou que o número de mulheres em cargos de alta gerência passou de 12,89%, em 2002, para 27,06%, em 2015. Isso significou um aumento de cerca de 109%, número considerável se avaliarmos o papel da mulher no mercado de trabalho há 10 anos, por exemplo", afirmou.

Capitã Danusa almeja crescer mais na profissão (Foto: Luciano da Matta | Ag. A TARDE)
Fonte: Portal A Tarde