segunda-feira, 9 de maio de 2016

Dance Mania: com Shortie e Black Legend em 'Somebody'

Foi um dos sucessos do DJ Black Legend que marcou o início de 2001. Somebody é uma música super dançante, e caiu em diversas coletâneas distribuídas pela Building Records, como:
  • Liquid Dance Music
  • Na Balada 4 (Jovem Pan FM)
  • Metro Tech 8 (Metropolitana FM)
  • Planet Pop Vol 3
  • Metro Mix Vol 3 (Metropolitana FM)


Cardozo diz que continuidade do impeachment é insustentável


O ministro José Eduardo Cardozo, da Advocacia-Geral da União (AGU), afirmou, nesta segunda-feira, 9, que lhe parece "insustentável" que o processo de impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff tenha continuidade no Senado após a anulação da votação do processo na Câmara pelo presidente interino da casa, Waldir Maranhão (PP-MA).
"Me parece insustentável a tese de que o Senado possa prosseguir sem que se reveja a decisão da Câmara", disse o ministro durante entrevista coletiva antes da decisão do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), de não acatar a decisão de Waldir Maranhão e garantir a continuidade ao processo de impeachment.
Cardozo argumentou que seria inconstituicional que o Senado prosseguisse com o processo, porque a autorização da Câmara dos Deputados é uma condição indispensável no caso de impeachment.
"O Senado não pode processar e julgar o processo de impedimento sem a autorização da Câmara", acrescentou. "Se essa condição foi anulada, falta o requisito processual para o prosseguimento", afirmou.
Caso isso ocorra, o ministro Cardozo disse que a primeira atitude da AGU será o encaminhamento de uma petição ao presidente do Senado, Renan Calheiros. O ministro chefe da AGU não adiantou quais seriam os próximos passos caso a petição seja indeferida.

Encontro
José Eduardo Cardozo admitiu que conversou com Waldir Maranhão nesse fim de semana para apresentar os argumentos jurídicos da defesa e cobrar uma decisão do parlamentar ao recurso apresentado ao então presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), no dia 25 de abril. Flávio Dino, governador do Maranhão, também participou dos encontros.
O encontro entre Cardozo, Maranhão e Flávio Dino ocorreu domingo (8) à noite em jantar na residência do deputado Silvio Costa (PTdoB-PE), vice-líder do goveno na Câmara. No primeiro encontro, na sexta-feira (6), Cardozo disse que procurou Maranhão. No domingo, Maranhão procurou por ele.
Cardozo informou que estava no "exercício pleno da advocacia" e que fez o que qualquer advogado faria. Ele destacou que os três conversaram sobre o recurso apresentado na Câmara logo depois da decisão da admissibilidade do processo, a fim de questionar cinco vícios que ocorreram na sessão de 17 de abril.
No pedido, a AGU alegou que houve irregularidades nas sessões e que o regimento interno da Câmara teria sido desrespeitado. Segundo a AGU, não foram cumpridos os princípios do contraditório e da ampla defesa, violando o rito processual estabelecido pelo Supremo Tribunal Federal (STF).
"O primeiro vicio diz respeito ao fato de a lei que disciplina o processo de impeachment proibir expressamente, no artigo 23, o encaminhamento da votação. Nós vimos no processo da Câmara vários parlamentares, antes mesmo que a defesa pudesse se manifestar, dizendo como votariam. De que adianta o direito de defesa se aquele que vai julgar já sabe como vai decidir? De que adianta apresentar razões e tentar demonstrá-la se alguém já vinculou publicamente a posição que vai assumir?", questionou Cardozo.
De acordo com o ministro, caso o recurso não fosse respondido, o próximo passo seria a judicialização do processo no âmbito da Corte Interamericana de Direitos Humanos, pois o direito de defesa da presidenta Dilma Rousseff foi violado. Cardozo avaliou que o pedido de interferência da Corte no país seria "desagradável".
O ministro garantiu que a conversa com Maranhão foi exclusivamente sobre os recursos e que não houve negociação de cargos no governo. Ele disse que só soube da decisão final do presidnete da Câmara na manhã de hoje.

Anulação
Hoje de manhã, o presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão, decidiu pela anulação das sessões dos dias 15, 16 e 17 de abril, quando os deputados federais votaram pela continuidade do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Após a decisão, Maranhão encaminhou ao Senado Federal um pedido de devolução do processo e marcou nova data para votação, contadas cinco sessões a partir desta segunda-feiras.
Cardozo explicou que Maranhão acolheu quatro dos cinco argumentos apresentados pela AGU. "Ele entendeu que não havia problema de os parlamentares declararem seus votos no momento da votação, mas concordou, por exemplo, que os partidos não poderiam ter fechado questão e orientado os parlamentares na decisão." Para o ministro, a decisão, pela Lei do Impeachment, deve ser tomada livremente pelos parlamentares, que, nesse caso "não estão na atuação tipica de parlamentares."
"Ao assim decidir, o presidente Maranhão se determinou a nulidade da autorização dada ao Senado para que processe o impeachment. Portanto, a partir desse momento o que cabe é a Camara realizar novamente a sessão de votação. Um prosseguimento eventual pelo Senado agora estaria em absoluta desconformidade com a Constituição Federal".
"No processo de impeachment, não se pode ignorar que os parlamentares são os julgadores. E julgadores, portanto, não podem prejulgar, senão ofendem o direito de defesa. Não podem estar submetidos a orientações partidárias nem ao fechamento de questão", concluiu Cardozo.

Fonte: Portal A Tarde

Andréa Beltrão curte praia com o marido e exibe corpão aos 52 anos

Rio - Mesmo com o dia nublado, Andréa Beltrão não deixou de curtir o Dia das Mães na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro. Ao lado do marido, Maurício Faria, a atriz aproveitou para mergulhar e, aos 52 anos, exibiu seu corpão no domingo. 


Os dois são casados desde 1994 e são pais de três filhos: Francisco, Rosa e José. O último trabalho de Andréa na televisão foi como Sueli, em “Tapas e Beijos”, em que protagonizou a série ao lado de Fernanda Torres.

Fonte: Jornal O Dia

Klara Castanho surge repaginada e surpreende fãs

Rio - Klara Castanho surpreendeu seus fãs ao aparecer com um look caprichado em uma foto publicada no Instagram nesse fim de semana. Na imagem, a atriz de 15 anos está com um vestido decotado e os cabelos enrolados para ir à uma festa. 


Os fãs da atriz se impressionaram e a elogiaram nas redes sociais. Klara começou na televisão na novela "Viver a Vida" (2009/2010), interpretando uma vilã mirim. Depois, ela emplacou diversos papéis de destaque, como o da pequena Paulinha em "Amor à Vida" (2013). Seu último trabalho na televisão foi na novela "Além do Tempo" (2015).

Suzane von Richtofen foi para interior de SP ficar com novo namorado, diz revista

Suzane von Richtofen foi para Angatuba, no interior de São Paulo, para ficar com o novo namorado, segundo reportagem da Veja SP. Condenada a 39 anos de prisão pela morte dos pais, Suzane já está no regime semiaberto, cumprido na Penitenciária Feminina de Tremembé, mas teve autorização para saída temporária do Dia das Mães.


Ela foi liberada para passar o final de semana do Dia das Mães e forneceu um endereço em Angatuba, mas reportagem do Fantástico, da TV Globo, esteve no lugar e descobriu que se tratava de um comércio. Suzane não estava lá, mas foi localizada em outro endereço da região, onde passava a data com o namorado.
Como ela informou o endereço errado à Justiça, ela foi conduzida novamente para a cadeia no domingo - originalmente, retornaria na terça-feira (10). Com a infração, ela pode perder o benefício das saídas temporárias e até ter que regressar para o regime fechado.
No semiaberto, os presos têm direito a cinco saídas temporárias por ano - Páscoa, a Dia das Mães, Dia dos Pais, Dia das Crianças e Natal/Ano Novo. Suzane já havia tido benefício na Páscoa, quando ficou com o namorado em Itapeva, segundo a Veja.
Os advogados de defesa alegam que houve uma confusão e que Suzane não teve má fé no erro de endereço. Segundo a reportagem, o namorado de Suzane é um empresário de 37 anos, evangélico, que a conheceu quando visitava a irmã detenta na prisão.
Ele era casado, mas se separou em setembro de 2014. Já Suzane terminou o relacionamento com Sandra Regina Gomes, Sandrão, com quem vivia na cadeia, depois que a ex passou para o semiaberto, em março do ano passado.


Fonte: Correio da Bahia

Dance Mania: com DJ Hell (Copa)


Música de 1999, Copa é uma homenagem de DJ Hell não só ao Brasil, mas principalmente à cidade do Rio de Janeiro, conhecida no mundo todo graças às praias (Copacabana e Ipanema), ao Cristo Redentor e também ao samba.


Assista ao vídeo:

“Sinto muito pelo público LGBT que teve de ouvir a declaração tão infeliz, retrógrada e medíocre da Patrícia Abravanel”, diz Luana Piovani


A atriz Luana Piovani saiu em defesa dos homossexuais, pelo seu Twitter, em resposta aos comentários homofóbicos ditos pela apresentadora Patrícia Abravanel, ontem, no Programa Silvio Santos. “Sou contra falar que é normal”, disse Abravanel. “Quem é Patrícia Abravanel para dizer que o amor entre duas pessoas é normal ou não??? Essa moça deu show de homofobia, ridícula!!”, disse Luana. Ela ainda emendou: “Se atacar os gays eu vou atacar kkk meus amores não liguem pra essa Patricia Abravanel, vcs são lindos e normais, continuem no caminho”. Luana, que tem três filhos, ainda se solidarizou com a causa: “Sinto muito pelo público LGBT que teve de ouvir a declaração tão infeliz, retrógrada e medíocre da Patricia Abravanel”, escreveu. Veja os posts:


Apenas amamos e já colocamos Luana no nosso coração! 

- See more at: http://www.correio24horas.com.br/blogs/mesalte/sinto-muito-pelo-publico-lgbt-que-teve-de-ouvir-a-declaracao-tao-infeliz-retrograda-e-mediocre-da-patricia-abravanel-disse-luana-piovani/#sthash.SPCuFXxB.dpuf

Dilma pede "cautela" ao saber de anulação de impeachment


A presidente Dilma Rousseff participava de um evento nesta segunda-feira, 9, quando soube da decisão do presidente interino da Câmara Waldir Maranhão (PP) de anular o processo de impeachment. Em meio aos gritos de euforia do público, a petista pediu "cautela" e "calma".
"Soube agora, da mesma forma que vocês souberam. Apareceu nos celulares que um recurso foi aceito e o processo está suspenso. Estou falando aqui porque não podia fingir que não sei de nada", afirmou a presidente, complementando que não sabia as consequências da decisão.
"Tenham cautela, vivemos uma conjuntura de manhas e artimanhas", disse Dilma, levantando suspeita sobre a decisão de Maranhão. Para justificar a anulação, o presidente interino alegou que houve "vícios na votação".
O processo de impeachment está no Senado, onde teve parecer favorável ao impeachment aprovado pela comissão da Casa. O parecer seria lido nesta segunda pelo presidente do Senador, Renan Calheiros (PMDB) no plenário da casa.

Fonte: Portal A Tarde

Sujou! Após denúncia anônima, Mc Guimê é detido por porte de drogas

O cantor Mc Guimê foi detido na madrugada desta segunda-feira (9), após realizar um show em Nova Lima, em Minas Gerais. Segundo o site 'Ego', a Polícia Militar informou que após uma denúncia anônima a van do funkeiro foi abordado às 1h40 na rodovia. Na abordagem foram encontrados seis cigarros de maconha na mochila do artista.


Junto com sua equipe, Guimê foi conduzido para delegacia de plantão e após prestar depoimentos eles foram liberados. A ocorrência foi enviada para a a Polícia Civil, porém até às 10h não houve um pronunciamento.
Já o cantor usou seu perfil pessoal no Instagram para avisar aos fãs que está tudo bem. "Obrigado Nova Lima - MG e região! O show foi pesadíssimo. Diferente do que vários querem estou firmão e trabalhando muito. Que a semana de todos vocês seja abençoada e guiada pelo nosso Senhor Jesus Cristo! Não acredite em tudo que lê e que se ouve por aí. Até papagaio fala! Deixa eles falar enquanto noiz tá festejando (sic)", escreveu ele.

Fonte: Correio da Bahia

Fãs planejam dar carro de R$ 200 mil para a ex-BBB Munik

A ex-BBB Munik Nunes não ganhou apenas o 'BBB 16' - reality show exibido pela TV Globo -, mas junto vieram os fãs que dedicam para fazer a milionária feliz. Segundo o site 'Extra', a ex-sister comemora no dia 5 de julho mais um ano de vida, e os seguidores mais próximos decidiram dar um presente especial: um carro de luxo.A ex-participante da atração confessou dentro e fora da casa que seu automóvel desejado era um Land Rover, que custa certa de R$ 200 mil, que equivale 15% do que a jovem ganhou após vencer o reality.


Embora tenha pedido para os fãs não gastarem dinheiro comprando presentes caros, ela continua recebendo. Por exemplo, uma seguidora fiel e conterrânea da Munik gastou cerca de R$ 3 mil ao dar uma bolsa e um relógio da marca Michael Kors para a moça. Ainda segundo a publicação, um fã prometeu uma viagem para o Líbano caso na época a jovem e Juliano Laham continuassem juntos.
Integrantes de vários fã-clubes de cada canto do país estão se reunindo para realizar vaquinhas entre eles, porém as doações vão ter que ser altas, afinal um Range Rover de luxo não custa menos que R$ 100 mil, sendo mil fãs doando R$ 100 cada.

Fonte: Correio da Bahia

Rômulo Neto sobre Cleo Pires: "temos muito amor um pelo outro"


Ainda bebê, Rômulo Neto já frequentava as piscinas do Clube de Regatas do Flamengo, na Gávea, Zona Sul do Rio. Filho da arquiteta Adriana Junqueira com o ator e nadador Rômulo Arantes, morto em um acidente de ultraleve em 2000, o ator de 29 anos começou a praticar natação por influência do pai e acabou tomando gosto pelas competições. “Aos 6 anos, eu tinha uma rotina de atleta, nadava todos os dias. Disputei até os 13. Parei pouco antes de o meu pai falecer”, lembra o ator, que interpreta o Braz de Êta Mundo Bom!, trama das 6 da TV Globo.



Recém-separado de Cleo Pires, de 33, com quem ficou por três anos, ele continua amigo da ex. “Nos respeitamos e temos muito amor um pelo outro. Mas cada um está seguindo sua vida neste momento”, conta.
Apaixonado por natação – esporte clássico das olimpíadas e uma das maiores atrações dos Jogos Rio 2016 –, o ator voltou à piscina do clube rubro-negro e relembrou os tempos de atleta ao nadar os estilos livre, costas, peito e borboleta. “Eu nadava prova de longa distância. Mas adoro assistir às provas rápidas”, diz ele.
Embora tenha deixado de competir na infância, Rômulo nunca parou de nadar. “Sempre que posso nado no mar. Faço pelo menos meia hora de exercício por dia para liberar endorfina. Quando larguei a natação, meu pai disse que eu teria de escolher outro esporte para praticar. Ele achava importante para a formação do caráter. O esporte me preparou para o mundo. Sempre busquei fazer o melhor em tudo por causa do meu lado competitivo.”


INFLUÊNCIA
Além de ter sido incentivado pelo pai a nadar, Rômulo também se espelhou na sua carreira artística quando precisou decidir o que seria na vida. “Desde pequeno, eu adorava chamar a atenção. O engraçado é que, quando conseguia essa atenção, ficava introvertido. Para entender essa contradição, fui fazer teatro”, revela ele, que trabalhou como modelo durante quase dois anos antes de se dedicar à carreira artística. “Em 2007, surgiu um teste para Malhação e fui fazer a novela. A partir de então, comecei a estudar com mais afinco e a me aprofundar na interpretação. Me apaixonei pela profissão”, diz o ator, que hoje está em sua nona novela.

FAMÍLIA
Irmão de três meninas – Cloe, de 30 anos, Maria, de 10, e Clara, de 8 –, Rômulo é muito ligado à família. Mas seu xodó é a avó Roma Arantes, de 88. “Minha família é amorosa. Prezo o relacionamento com minha mãe, minhas irmãs e minha avó. Reconheço o esforço que minha avó fez por mim. Ela ficou comigo durante muito tempo na minha fase de criança, me levava às competições de natação”, recorda o ator.

Rômulo acha que mudou muito de dez anos para cá. “Amadureci demais! Decidi quem quero ser, o que quero valorizar, o que não quero, quais egos não acho bacana fortalecer e quem não gosto de ter ao meu lado”, assegura.



OLIMPÍADAS
A disputa da natação em piscinas olímpicas teve início nos Jogos de Londres, em 1908. Além das competições individuais masculinas e femininas para cada estilo (livre, costas, peito e borboleta), há o revezamento, disputado por equipes de quatro atletas, com cada integrante do time cumprindo parte da prova; e o medley, por equipes ou individual, que reúne os quatro estilos na mesma prova. “Adoro ver o Cesar Cielo. Ele é explosivo e forte! E o Thiago Pereira também é supertalentoso”, diz, referindo-se aos nadadores brasileiros. As provas de natação acontecerão no Estádio Aquático Olímpico, na Barra da Tijuca, em agosto.

Fonte: QUEM

Sheila Mello revela ter tido síndrome do pânico: 'faltava minha família'

Quem vê a dançarina Sheila Mello realizada no casamento com o ex-nadador Fernando Scherer e com a filha, Brenda, não imagina que a eterna loira do Tchan já teve síndrome do pânico. "Brenda foi muito querida e deu significado na minha vida. Antes dela eu queria conquistar muitas coisas e conquistei. Antes de conhecer o Fernando eu tive síndrome do pânico porque já tinha conquistado tudo o que queria em termos materiais e profissionais, mas faltava minha família. A Brenda preencheu esse espaço. Ela me abraça e me beija tanto, diz que me ama muito. É meu bálsamo! E como chamo a Brenda na terapia, de bálsamo", revelou ela em entrevista ao 'Ego'.
Recuperada da doença e feliz com essa nova fase, Sheila conta que já pensa em aumenta a família. "Cresci com família grande, então antes dizia que queria ter quatro filhos. Mas aí a Brenda me preencheu tanto que achei que não precisava mais de tantos. O marido quer muito, conversamos, mas ainda não decidimos nem que sim nem que não", diz ela.


Fonte: Correio da Bahia

Na saída do Dia das Mães, Suzane Richthofen passa endereço falso e volta a ser presa


O benefício da saída temporária de Dia das Mães terminou antes do esperado para Suzane von Richthofen. De acordo com o Fantástico, da TV Globo, a jovem passou o endereço errado para passar a data comemorativa fora da prisão. Ela disse à Justiça que ficaria na rua Coronel Ludovico Homem de Góes, em Angatuba (SP), na casa de amigos. No local, porém, funciona uma loja de tecidos.
Condenada a 39 anos de cadeia por tramar o assassinato dos pais, em 2002, a jovem deixou a penitenciária feminina de Tremembé, no interior de São Paulo, na manhã de quarta-feira e deveria retornar nesta terça-feira, dia 10. Com a mentira, contudo, ela foi presa novamente neste domingo.
Por causa da mentira, Suzane pode ser punida com a regressão da pena, ou seja, voltar do regime semiaberto, que conseguiu em outubro do ano passado, para o fechado. Com isso, ela também perde o benefício das saídas temporárias, previsto em lei para condenados que cumprem regime semiaberto e possuem bom comportamento, conforme explicou o professor de direito penal Rodrigo Felberg ao programa.
O defensor público de Suzane, Rui Freire, afirmou que houve um "pequeno equívoco" em relação à atualização do endereço fornecido.
(Da redação)

Fonte: Veja

Filha de Silvio Santos diz que 'homossexualismo não é normal'


A apresentadora Patrícia Abravanel está entre os assuntos mais comentados do Twitter desde a noite de domingo, 8. E o motivo foi sua participação no Programa Silvio Santos, onde ela disse ser contra o fato de homossexualidade ser tratada como algo normal nos dias de hoje. Tudo começou quando Silvio Santos falou sobre o filme Carol(2015) - cujo enredo aborda uma relação amorosa entre duas mulheres -, e disse não ter gostado da história. A partir de sua opinião, ele perguntou aos participantes do quadroJogo dos Pontinhos se eram a favor ou contra duas mulheres se amarem como se fossem um casal.
A filha do dono do SBT, que é evangélica, fez um discurso que não foi bem visto pelos espectadores. "Li numa revista que hoje um terço dos jovens se relaciona com pessoas do mesmo sexo. Eu acho muito um terço, mesmo sem saber se a opção (sic) deles é real. Eles experimentam", disse ela, interrompida por Silvio Santos, que perguntou se na Bíblia havia algum trecho que se oponha à relação gay. "Calma, que eu não quero falar de religião. Acho que o jovem é ainda muito imaturo para saber o que quer. A gente tem que firmar que homem é homem, e mulher é mulher, entendeu? Acho que não é legal ser superliberal", respondeu.

LEIA TAMBÉM:

Ela tentou citar o filho, Pedro, de 1 ano, mas seu pai a interrompeu novamente fazendo gracejos, e ela retomou o discurso. "Acho que a gente tem que ensinar para o jovem de hoje que homem é homem, e mulher é mulher. E se por acaso ele tiver alguma coisa dentro dele que fale diferente, aí tudo bem. O que está acontecendo é que estão falando que tudo é normal, tudo é bonito, o jovem acaba experimentando coisas que pode vir eventualmente a se arrepender depois. Então eu sou contra ficar propagando em rede nacional que isso é uma coisa super... eu sou contra."
Silvio voltou a interrompê-la, colocando a filha contra a parede e questionando se o que ele estava fazendo era uma propaganda do relacionamento gay. "Você está propagando, sim. Porque não é uma coisa normal. Hoje, eu falar que sou contra, eles vão me apedrejar. Eu não sou contra o homossexualismo [sic], eu sou contra falar que é normal. E outra, mulher com mulher não é tão legal assim, eu acho. Não tem aquele brinquedo que a gente gosta bastante, não dá para brincar direito", encerrou, arrancando risos do pai e deixando os colegas de programa visivelmente constrangidos.
A atriz Lívia Andrade, que também participa do quadro do Programa Silvio Santos, disse não ter assistido ao filme Carol, citado pelo patrão, mas manifestou uma opinião completamente oposta à da filha do patrão. "Acho bonito quando duas mulheres se amam como duas mulheres. Sou a favor porque o mundo é uma coisa livre. Cada um escolhe o que quer, opção sexual, religião, e o que vai fazer da vida. Cada um com seus problemas e as pessoas tem que respeitar as escolhas", disse.
(Da redação com Estadão Conteúdo)

Fonte: Veja

Andressa Urach posta foto no altar de igreja: 'Hoje, posso dizer que sou mãe'

Andressa Urach , que recentemente começou a remover suas tatuagens, passou a manhã do Dia das Mães em uma igreja de São Bernardo do Campo, em São Paulo. Na imagem em que compartilhou em seu perfil do Instagram neste domingo, 8, a ex-vice Miss Bumbum aparece no altar diante de vários fiéis.
"Eu amo o Altar, não poderia estar em lugar melhor que o Altar no Dia das Mães, para agradecer a oportunidade que Deus me deu! Hoje, sim, posso dizer que sou mãe", escreveu ela na legenda do post.
Andressa prosseguiu: "Nem comparado com a pessoa que eu dizia ser e fazer tudo pelo meu filho, quando, na verdade, fazia por si só, me enganando no meu mundo de mentiras e ilusão. Presa dentro do meu Eu e vazia. Obrigada meu Deus por me dar uma nova vida, uma vida abençoada e transformada."
No fim do texto, ela deseja uma feliz Dia das Mães para suas seguidoras e deixa uma mensagem. "Que você encontre o meu Deus o Deus vivo o Deus do impossível e que Ele te abençoe abundantemente como tem me abençoado e te dê Paz", concluiu ela.
Andressa é mãe de Arthur Urach e comemorou com ele, no ano passado, seus 28 anos. "Vida nova! Meu filho, meu melhor presente", disse ela, na ocasião, posando ao lado da criança. Na época, ela também festejou a vida um ano após entrar em coma, após ter sido internada devido aos problemas com o hidrogel aplicado na perna.


Fonte: EGO

Dance Mania: com Jean-Roch (My Love Is Over)

(P) 2010, do canal JeanRochOfficiel

Alcione reúne família para almoço do Dia das Mães

Rio - Ela não é uma qualquer, como gosta de afirmar. E quando começa a cantar, Alcione faz a gente tirar o chapéu. Versátil, não deixa o samba morrer. Mas também destila seu gostoso veneno se o ritmo for um bolero, como no show que estreou ontem, no Metropolitan. Desafinar? Nem morta! 
Durante a entrevista para o MEIA HORA, além de conversar, a Marrom cantou. E ouvi-la a um metro de distância é um sufoco danado, porque fica difícil não virar um garoto maroto, aplaudir e se emocionar com tanto talento.
“Adoro trabalhar com música. Não penso nisso o dia todo. Às vezes, fico devaneando, querendo estar no Maranhão comendo galinha ao molho pardo. Mas aí volto. Sou uma pessoa que pensa muito no trabalho”, revela Alcione, que além da música tem outra grande paixão: a família. 


Quarta de nove filhos do casal João Carlos e Felipa, ela está sempre cercada dos parentes. Alcione não teve filhos, mas é uma ‘mãezona’ para os familiares. “Minha família está sempre aqui em casa, gostamos de estar juntos”, afirma a diva, que conta como vai comemorar este Dia das Mães. “Vamos comer um caruru que minha irmã Ivone vai fazer. É um dia em que reverenciamos a minha mãe, que nos deixou há mais de 20 anos. Ela foi uma lutadora e teremos um dia em torno dela”.
Apesar de solteira, depois de três casamentos, ela garante. “Estou bem, eu e Deus. Mas também não estou na pista pra negócio, não! Agora, só penso no trabalho, no meu disco de boleros”, diz a estrela, que lançará o CD do atual show até o Dia dos Namorados.

SE O PRESIDA DER MOLE, ELA ‘CRÉU’
Com pinta de garoto maroto made in USA, o presidente americano Barack Obama é quem vira a cabeça e tira Alcione do sério no momento. “Ah, eu queria cantar meus boleros para o Obama. Penso nele quando canto atualmente. Viu ele dançando? Se ele me pega pela cintura, eu danço com ele. Mando a Michelle (primeira-dama) tomar um café com a minha irmã (e empresária, Solange), ela é gente fina. Mas o Obama é o meu negão de tirar o chapéu. Que pena que a Michelle chegou primeiro”, brinca a cantora.

Fonte: Jornal Meia-Hora

Bahia: Filhotes de tartarugas são resgatados na Boca do Rio


Filhotes de tartarugas que seguiam para a pista no bairro da Boca do Rio foram resgatados neste sábado, 7. A ação foi realizada por membros da Companhia de Polícia de Proteção Ambiental (Coppa).
De acordo com a polícia, agentes que participaram da Operação Paz no Trânsito na noite de sexta, 6, avistaram os animais enquanto aguardavam a chegada de um guincho para remoção de veículos apreendidos por irregularidades.
Ao perceber o risco da situação, os policiais chamaram a Coppa, que realizou a coleta das tartarugas mais expostas ao perigo. Com a ajuda de lanternas, eles direcionaram os filhotes para mar, já que as tartarugas seguem a luz. O resgate acabou por volta das 3h da madrugada de hoje.

Fonte: Portal A Tarde

Dilma diz que impeachment é motivado pela escolha do governo de gastar com os pobres


A presidenta Dilma Rousseff voltou a afirmar neste sábado (7/5) que o processo de impeachment contra ela é uma tentativa de golpe e disse que vai “resistir até o fim”. Durante cerimônia de inauguração da Embrapa Pesca e Aquicultura, em Palmas (TO), a presidenta destacou que o pedido de afastamento é motivado pelo fato de ela ter escolhido gastar o dinheiro do governo com os mais pobres.
“Nós fizemos escolhas porque o dinheiro é finito, então, você tem de escolher onde gastar. Nós escolhemos ampliar o gasto na agricultura, na produção e nos programas sociais. Na área da agricultura familiar e assentamentos, nós saímos de menos de R$ 2,5 bilhões para R$ 30 bilhões. Na agricultura comercial, nós saímos de menos de R$ 25 bilhões para R$ 202 bilhões [de estímulos econômicos]. Nós fizemos, de fato, uma escolha diferente da dos nossos antecessores”, afirmou.
Para a presidenta o que está ocorrendo no país, “mais que um golpe, é uma tentativa clara de fazer uma eleição indireta para colocar no governo quem não tem voto suficiente para lá chegar”. Segundo ela, o novo governo que será formado, caso ela seja afastada, pretende reduzir o Bolsa Família aos 5% mais pobres do país, o que significa 10 milhões de pessoas. Atualmente, o programa atende a 46 milhões de brasileiros.
“O foco é tirar do Bolsa Família 36 milhões de pessoas. Isso porque eles sabem que o gasto do Bolsa Família é de menos de 1% do PIB, um dos menores do país. E aí querem fazer economia com o dinheiro dos pobres? Jamais se elegeriam”, afirmou.
Dilma também voltou a dizer que é honesta, não tem contas no exterior nem recebeu dinheiro de propina. Para ela, como não era possível apontá-la como criminosa por isso, tentam criar um fato em torno da edição de decretos que “todos os outros governos também fizeram”.
“São decretos que dão recursos para o Tribunal Superior Eleitoral fazer concurso, para o Ministério da Educação pagar hospitais, para o Ministério da Justiça complementar recursos para escoltas. Não são recursos que a presidência pegou para ela”, disse.
Ela também voltou a alegar que não participou das definições sobre o Plano Safra em 2015 porque a lei determina que isso seja feito pelo ministro da Fazenda. “Ora, o que está em questão são atos que eu sequer participei. Todos atos que são regulares, mas além disso eu não estive em nenhum deles”, disse.
No discurso, a presidenta disse ainda que o novo governo não terá condição de “quebrar” todos os seus programas, mas alertou o público presente de que “eles vão tentar”. Ela conclamou as pessoas a lutarem pelos seus direitos. “Nós todos temos que lutar para que não haja retrocesso. Eu tenho de lutar contra o impeachment, e vocês tem que defender o interesse de vocês. Nós temos que lutar pela democracia”, disse.

EX-MINISTROS
Antes da fala da presidenta Dilma em Palmas, a ministra da Agricultura, Kátia Abreu, também discursou e voltou a defender o governo. Após declarar que se sente orgulhosa da presidenta Dilma, Kátia Abreu repreendeu os ex-ministros deste governo que votaram a favor da continuidade do processo de impeachment na Comissão Especial do Senado e os acusou de traidores.
“Esses políticos que até ontem eram ministros de vossa excelência, que foram ministros durante cinco anos do seu governo, agora lhe viram as costas, lhe enfiam a faca pelas costas. Mas antes usufruíram do seu mandato”, disse a ministra.
A ministra concluiu o discurso citando a frase “não toque os pés no barco que te ajudou a atravessar o rio”, numa referência ao que ela considerou uma “deslealdade” com a presidenta.

Fonte: Aratu Online

Famosa Gari Gata, Rita Mattos posa super sensual usando uniforme

Correio da Bahia - Rita Mattos, mais conhecida como a Gari Gata, postou uma foto sexy para os seguidores do Instagram nesta sexta-feira (6). Na imagem, ela aparece usando o uniforme que usa para trabalhar. 
"Não tenho vergonha do meu trabalho.....Por isso até no meu ensaio de fotos resolvi apostar na minha farda ......#gari #garigata #comlurb #rj #book #trabalhosemvergonha #paofrcadadia".


No fim de março, após um grande tempo afastada dos holofotes das sub celebridades, Rita Mattos resolveu mudar completamente seu visual. A carioca, que já estrelou uma capa da Playboy, mudou a cor do cabelo e decidiu alongar os fios.

Glória Maria muda de visual

Glória Maria decidiu radicalizar com seus cabelos. Em sua conta no Instagram, a apresentadora e jornalista mandou uma foto com o título 'Penteado da semana', na qual aparece com os cabelos trançados e cheio de miçangas. Será que combinou mesmo com ela? Veja o antes e depois:

Estudos apontam motivos que levam ao término das relações amorosas


Um estudo realizado por psicólogos da Universidade de Western Sydney identificou quais são os principais motivos que levam pessoas a terminarem seus relacionamentos amorosos. Foram analisados dados de cerca de 5 mil pessoas, com idades e estilos diferentes.Entre as mulheres, os principais motivos do término é a falta de senso de humor, sexo de qualidade indesejável, preguiça e aparência desleixada.
Já os homens levam em consideração o sexo e a preguiça, mas costumam termina com as parceiras quando enfrentam um relacionamento à distância.

Veja abaixo o ranking com os 10 maiores motivos que levam homens e mulheres a terminar um relacionamento amoroso segundo o estudo:
1- Aparência desleixada: 63% dos homens; 71% das mulheres
2- Preguiça: 60% dos homens; 72% das mulheres
3- Muito dependente: 57% dos homens; 69% dos mulheres
4- Falta de senso de humor: 50% dos homens; 58% das mulheres
5- Relacionamento à distância: 51% dos homens; 47% das mulheres
6- Sexo ruim: 44% dos homens; 50% das mulheres
7- Reclama que o parceiro não tem auto-confiança: 33% dos homens; 47% das mulheres
8- Viciado em TV/ videogame: 25% dos homens; 41% das mulheres
9- Falta de tesão: 39% dos homens; 27% das mulheres
10- Pessoa teimosa: 32% dos homens; 34% das mulheres

Fonte: Correio da Bahia

Jean Wyllys: "Como não querer escola com diversidade?"


Envolvido em polêmica durante a votação histórica que votou o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, quando cuspiu em direção ao colega de Câmara, Jair Bolsonaro, o deputado Jean Wyllys desembarcou em Salvador na última sexta-feira para participar, na Ufba, de um debate sobre a situação política do país. Antes, o jornalista e professor baiano reservou um tempo para falar com exclusividade para A TARDE, em um entrevista que aborda desde as mudanças sofridas pelo Plano Estadual de Educação (PEE) na Bahia, com a retirada de termos como "gênero" e "diversidade" sexual do texto, até a composição conservadora da Câmara dos Deputados.

Na Bahia, o Plano Estadual de Educação (PEE) acabou de ser aprovado e termos como "gênero" e "diversidade sexual" foram substituídas por palavras genéricas, como "respeito às diversidades", por pressão dos setores evangélicos que fazem base para o governo petista aqui no estado. Como o senhor avalia o impacto dessas mudanças?
Lamentável. Constrangedor. Mas também não é uma novidade. Isso aconteceu em outros lugares do Brasil. Isso foi um movimento organizado - e muito bem organizado - pela direita cristã, porque não são só os evangélicos neo pentecostais que são responsáveis por isso. A direita católica também faz parte disso. Foi um movimento muito bem orquestrado, usando seus títeres nos parlamentos, nas câmaras de vereadores, nas assembleias legislativas e na Câmara dos Deputados, onde eles encontraram mais resistência. Eu acho vergonhoso que esse processo tenha sido conduzida por uma figura abjeta, grotesca, como o pastor [e deputado estadual pelo PDT] Isidório. Eu não entendo como esse homem é eleito. Ele é um analfabeto funcional e um analfabeto político. Não que analfabetos funcionais e analfabetos políticos não possam ser eleitos. Mas ser eleito e determinar as políticas de educação, aí já é um absurdo. É inadmissível que, durante a votação do Plano Estadual de Educação, haja uma plateia gritando 'homem com homem dá lobisomem e mulher com mulher dá jacaré' e esse seja o argumento evocado para tirar do Plano de Educação as referências a gênero, identidade de gênero e diversidade sexual, que tinham como objetivo promover uma educação de qualidade, antibullying e respeitosa. A pergunta é 'onde queremos chegar?'. Cadê a elite intelectual desse estado e sobretudo dessa cidade? Onde estão os intelectuais que não se colocaram? Cadê as pessoas que não foram à Assembleia Legislativa? Cadê os artigos desqualificando isso? A educação vai ser a educação dos filhos de todo mundo. Como as pessoas não podem querer uma escola onde a diversidade vai ser respeitada? Começa­se agora eliminando as questões de gênero e daqui a pouco não vai se falar mais das questões raciais? Daqui a pouco os terreiros de candomblé vão começar a ser fechados? Porque os evangélicos começam com a perseguição aos homossexuais, mas para começar a perseguir as religiões de matriz africana é um passo. Se já não estiver acontecendo isso aqui. Os terreiros vão ser fechados? A polícia vai começar a prender mãe de santo, pai de santo e capoeiristas? Vamos retornar ao período da Era Vargas? Parece que é isso que vai acontecer, se a gente não tomar uma providência, se políticos de qualidade não começarem a ser eleitos, se não começarmos a fazer uma crítica aberta ao fundamentalismo cristão. Eu sempre digo que não se trata de atacar a comunidade evangélica. A comunidade evangélica é bastante diversa e tem a responsabilidade de dizer que figuras como o pastor Isidório não a representa. Os batistas, os luteranos, os anglicanos. A questão é que alguém está falando em nome deles em um sistema político. Se você não se coloca contra esse homem, você está permitindo que ele fale em seu nome. Eu acho que a comunidade evangélica deveria ficar envergonhada de ter alguém como o pastor Isidório falando em seu nome.

O senhor já teve tempo de fazer uma análise da nova conjuntura, a partir desse novo elemento que é o afastamento do deputado Eduardo Cunha da Presidência da Câmara e do mandato?
O afastamento do presidente Eduardo Cunha, embora bem­-vindo, antes tarde do que nunca, é um afastamento tardio. Se a gente considerar as razões elencadas pelo ministro Teori Zavascki [relator da Operação Lava Jato no STF] para justificar o presidente Eduardo Cunha do mandato e consequentemente da Presidência da Câmara, a gente se pergunta como foi possível permitir que esse elemento conduzisse um processo de impeachment contra a presidenta Dilma. O afastamento de Eduardo Cunha tardio dá ainda mais o caráter de golpe institucional a esse processo de impeachment. Mas, por outro lado, o fato dele se afastar da Câmara já melhora muito o ambiente para nós, deputados progressistas. A simples presença dele já era um elemento nocivo para nós, para o nosso trabalho. Mas ele não foi preso e oito líderes partidários subscreveram uma carta de apoio a ele. E a mesa diretora da Câmara, que foi toda composta por ele, está querendo - com a exceção de Luiza Erundina, que é membro da mesa mas não compactua com isso - garantir todos os privilégios que ele tinha como presidente da Casa. O argumento que eles têm usado é que a presidenta Dilma, afastada para se defender no processo de impeachment, continuará morando no Palácio da Alvorada e terá prerrogativas de presidente. Mas são duas coisas completamente distintas. A presidenta Dilma não está acusada de nenhum crime de responsabilidade, embora eles considerem pedalada fiscal crime de responsabilidade. Além disso, sobre a presidenta Dilma não pesam os crimes que pesam sobre Eduardo Cunha: corrupção, lavagem de dinheiro em igreja evangélica, evasão de divisas ilegal, intimidação e destruição de provas. Ou seja, são duas situações que não podem ser comparadas. Então, se por um lado a gente comemora o afastamento dele, por outro a gente considera que essa decisão é tardia e Eduardo Cunha mantém lá dentro um exército de aliados.

Foi o presidente Eduardo Cunha que conduziu aquela sessão que aprovou a admissibilidade do impeachment contra a presidenta Dilma Rousseff, com direito a votos proferidos "pela família tradicional". O senhor já conseguiu tirar uma síntese daquele dia, que, apesar de recente, já é histórico?
O Diap [Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar] diz que, depois de 64, esse é o Congresso mais conservador. Nada daquilo para mim foi surpresa, porque eu convivo com aquelas pessoas todos os dias. Eu estou no segundo ano do meu segundo mandato. Muitas daquelas pessoas eu já conhecia. Para o Brasil, para a maioria do povo brasileiro, aquilo foi uma surpresa, porque a maioria do povo brasileiro vive alheia ao que se passa no sistema político. A maioria do povo está preocupada em tocar suas vidas, colocar o pão de cada dia na mesa, cuidar da escola dos seus filhos, da sua vida prática, ordinária. Essas pessoas não se interessam muito pela política e não são estimuladas a se interessar pela política, de modo geral. Então, quando a maior emissora do país decide suspender a sua programação, que em geral serve como uma espécie de anestésico para as pessoas no domingo, e decide cobrir a votação do impeachment, o tiro acaba saindo pela culatra. Nem eles imaginavam que o espetáculo seria tão grotesco. Esse Congresso é conservador, reacionário, não representa a população brasileira. Está certo quem diz que aquele Congresso representa o Brasil, porque aquelas pessoas foram eleitas, óbvio, parte daqueles preconceitos estão arraigados nas almas de muitos brasileiros. Preconceitos de classe e conservadorismo. Mas também está certo quem diz que aquele Congresso não representa o Brasil, porque a face da política no Brasil, até agora, foi definida pela força da grana. Talvez isso mude nas próximas eleições, porque o Supremo Tribunal Federal proibiu o financiamento empresarial de campanha.

Então a perspectiva de mudança desse perfil conservador seria uma reforma política?
Seria uma reforma política muito mais profunda. A gente não teve, isso não aconteceu. Mas pelo menos o Supremo Tribunal Federal proibiu o financiamento empresarial de campanha. Isso pode ter um reflexo no futuro. Mas, até agora, a face foi definida pela força da grana. Então, isso faz a Câmara dos Deputados, e o Congresso Nacional como um todo, não um reflexo da sociedade, mas um reflexo das oligarquias políticas que mandam nesse país. A porcentagem de pessoas autodeclaradas negras [no Congresso] é irrisória, se comparada com a quantidade de pessoasautodeclaradas negras na sociedade. Se a gente comparar o percentual de mulheres na Câmara e no Senado com os 53% de mulheres que constituem a sociedade brasileira, nós vamos ver que a representação feminina é irrisória. O percentual de representantes de trabalhadores é irrisória, se comparada à quantidade de empresários que está lá dentro, de barões do agronegócio. Se a gente comparar à população LGBT, só tem uma pessoa declarada, que sou eu. Então, nesse sentido, o Congresso não representa a sociedade. E talvez isso tenha chocado muito as pessoas. E também tem a dimensão estética. Aquelas pessoas parecem saídas de uma história escrita por Dias Gomes. São os coronéis da ficção. A avaliação que eu faço é que nós estamos muito mal, que há cada vez mais um apartamento entre o sistema político e a cultura política. A cultura política está em transformação e o sistema político está enrijecido. Daí nasce a crise de representação. Há movimentos sociais novos surgindo. Há o movimento de cultura viva, os movimentos hip­hop. Ou seja, há uma cultura em transformação e o sistema não reflete essa transformação. Ainda na votação do impeachment, houve o episódio da cusparada que o senhor deu no deputado Jair Bolsonaro. Houve muita crítica na internet à sua reação, assim como muita gente o apoiou nas redes sociais.

Como o senhor recebeu essas opiniões?
Eu acho a crítica estranha. E hipócrita. Hipócrita porque eu acho muito interessante, para ser irônico, que alguém considere legitimo um gangster ocupar a Presidência da Câmara, um deputado federal proferir publicamente ideias fascistas, racistas e homofóbicas, mas se choquem com o cuspe na cara desse deputado. Acho curioso que as pessoas não levaram em conta que aquela reação minha foi contextual. Além de eu sofrer um assédio moral e um bullying há seis anos, desde que assumi meu primeiro mandato, de eu ser vítima de uma difamação sistemática e orquestrada nas redes sociais, que me associa a coisas terríveis, uma difamação financiada por igrejas evangélicas neo pentecostais e pessoas ligadas a esse deputado, naquele momento nós estávamos sobre uma pressão absoluta. Eu dei o meu voto sob uma chuva de insultos homofóbicos. As pessoas não levaram isso em conta. É óbvio que elas não são burras. Elas estão fingindo para si mesmo que estão indignadas com o cuspe. Na verdade, o que incomoda essas pessoas é o fato de eu ser homossexual, de eu ser gay e fazer o melhor mandato desse país, ter reconhecimento internacional, promover uma democracia de alta intensidade, ter estofo intelectual e ser homossexual. Elas não admitem isso. Elas ficam buscando uma razão para botar para fora o ódio, o rancor, a inveja, pelo fato do meu mandato ser o melhor mandato parlamentar e eu ser homossexual assumido. Nós temos um genocídio da população negra em curso no país, principalmente onde a população negra é maioria, mas você viu alguém colocar no seu Facebook essa indignação? Mas as pessoas correram para dizer que estavam indignadas porque eu cuspi na cara de um fascista. A gente precisa cada vez mais de desobediência civil. Aquele homem tinha batido em uma deputada, chamado ela de vagabunda, dito que só não estupraria ela porque ela é feia, ele esmurrou o senador Randolfe Rodrigues na frente do DOI­CODI, numa visita da Comissão da Verdade, lamentou que a ditadura não tenha matado mais pessoas, debochou das vítimas que procuram as ossadas dos seus familiares mortos pela ditadura e ele me difama há seis anos. E eu acho que cuspi tardiamente na cara dele.

A esquerda tem sido apontadas por erros e por talvez ser responsável por esse recrudescimento do fascismo no Brasil. A derrota desse projeto petista ou lulopetista é, na opinião do senhor, uma derrota de toda a esquerda?
Eu acho que primeiro a gente precisa distribuir melhor as culpas. Não é que a esquerda e o PT não tenham sua parcela de culpa nesse estado de coisas em que nos encontramos. Mas culpar a esquerda é de uma canalhice atroz, de uma desonestidade intelectual sem precedência. O fascismo cresceu não porque o PT fez conciliação de classes com as oligarquias políticas. O fascismo cresceu porque os derrotados nas sucessivas eleições em que o PT saiu vitorioso decidiram flertar com o fascismo, como forma de destituir o poder do consórcio do qual o PT passou a fazer parte. Principalmente o PSDB e a figura nefasta de Aécio Neves são responsáveis por isso, pelo empoderamento do fascismo no Brasil. Foi o PSDB que decidiu empoderar grupos e políticos fascistas como forma de desestabilizar o PT e expulsá­lo do condomínio do poder. Além do PSDB, a mídia, que sempre serviu ao PSDB. Notadamente, as Organizações Globo, o Grupo Abril, que pertence aos Civitta, a família Mesquita, que controla o Estadão, a família Frias, que controla a Folha de São Paulo, os Saad, que controlam a Bandeirantes, o grupo que domina a Jovem Pan, que é um grupo de extrema direita, e em certa medida o SBT também. Fora a Record com a Igreja Universal. Então, culpar a esquerda é ser desonesto intelectualmente. Na verdade, o Democratas e PSDB, que são os dois partidos da direita clássica no Brasil, decidiram flertar com esses grupos. E a imprensa fez uma cobertura desonesta, buscando responsabilizar o PT por todos os problemas que havia nesse país. Estamos vivendo uma crise econômica internacional, que tem a ver com a crise chinesa, já que a China era a grande importadora das commodities agrícolas que favoreceu o Brasil na Era Lula, essa crise econômica mundial se reflete localmente e a imprensa decide culpar a presidenta Dilma por uma crise econômica mundial. Durante essa crise, as elites e as oligarquias econômicas pensam 'farinha pouca, meu pirão primeiro'. Então, diante da crise, o que eles vão fazer? Vão cortar gastos sociais. E, para isso, precisam tirar do consórcio do poder o sócio minoritário, o sócio mais novo, que é o PT. Eles pensam 'agora podemos tomar o Estado para nós, podemos descartar o PT'.

Fora a conciliação de classes, que se provou fracassada, qual seria a saída para as esquerdas?
Luta. Luta. As esquerdas sempre foram contra hegemônicas, elas nunca foram hegemonia, sobretudo a nova esquerda. Eu diria que eu sou um homem de esquerda de quarta geração. Isso significa que, ao contrário dos meus colegas das gerações anteriores, que sempre viram na luta de classes a chave prioritária para a luta das esquerdas, eu vou além. Para mim, a luta de classes é importante, a dimensão de classe não pode ser perdida, mas não podemos deixar de observar que as questões que nos afligem hoje vão além da questão de classe. Nós temos as questões de gênero, fundamentais, as questões raciais, toda a problemática que envolve a população LGBT, os conflitos religiosos têm que ser levados em conta, sobretudo as religiões minoritárias, e temos as mudanças climáticas, decorrentes do aquecimento global. Essa é a nova agenda da esquerda e é a partir dessa agenda que a esquerda tem que lutar. No caso do Brasil, nós temos que lembrar que, Dilma ficando ou Dilma saindo, nós temos luta pela frente. Se a Dilma ficar, ela vai governar com dificuldade, porque o Congresso Nacional está tomado pela plutocracia e pela cleptocracia. Se a Dilma não ficar, nós temos um governo ilegítimo. Não podemos nos submeter a um governo ilegítimo. Daqui pra frente é desobediência civil. Eu fui chamado pra dar uma entrevista para o Estadão, para que eu avaliasse como ficariam as questões das minorias no governo Temer. Eu falei que não ia dar entrevista, porque eu não reconheço esse governo. Eu não vou falar de um governo ilegítimo, fruto de um golpe institucional. Daqui pra frente, nós temos uma luta, sobretudo umaluta de convencer os trabalhadores, as pessoas comuns, porque elas ainda não se deram conta do mal que virão sobre elas. Enganadas pela televisão, pela cobertura do Jornal Nacional, pela cobertura da grande imprensa, elas acham que, com a saída de Dilma, tudo vai melhorar. As pessoas foram convencidas disso, não é? 'Quando a gente erradicar o PT da face da terra, o mundo será um paraíso'. Um paraíso como aqueles exibidos naquele jornal Sentinela, das Testemunhas de Jeová. Só que não tem paraíso. O que vem por aí é um inferno, sobretudo para os trabalhadores.

Posso considerar, então, que o senhor também defende a proposta de eleições gerais que inclusive alguns setores do seu partido defendeu?
Eu acho que, acontecendo o impedimento da presidenta Dilma, nós temos que urgentemente defender eleições gerais, Diretas Já!. Nós temos que partir imediatamente para o movimento de eleições para presidente da República. A soberania tem que ser devolvida ao povo. O que está acontecendo é um escândalo. São 54 milhões de votos sendo cassados para canalhas assumirem a Presidência da República, canalhas que perderam sucessivas eleições. É para o Democratas, o PSDB e as facções do PMDB, que querem o condomínio do poder só para si, chegarem à Presidência da República, porque eles sabem que jamais serão eleitos. A pesquisa Datafolha mostra que Aécio Neves está com baixíssimos índices de intenção de votos, que mesmo Ciro Gomes está com baixíssimos índices de intenção de votos e que Marina e Lula ainda figuram com maiores intenções de voto. O Lula vem sendo desconstruído há 14 anos. E um cara que vem sendo desconstruído pela mídia há 14 anos ainda aparece como um dos que tem melhor índice de intenção de votos. Eles acharam a via do golpe como o caminho mais curto para chegar ao poder. Nós não temos que nos submeter a isso. Nós, movimentos sociais, todos nós, temos que pedir eleições diretas já, porque o que aconteceu foi uma eleição indireta.

Fonte:Portal A Tarde

Temor contra microcefalia estimula fertilização in vitro


Há quatro anos, a advogada Juliana*, 39, elaborou uma planilha com objetivos a alcançar antes de chegar aos 40 anos. Ser aprovada em um concurso público e engravidar figuravam no topo da lista. No ano passado, ela conseguiu, finalmente, a aprovação e resolveu se empenhar em realizar o sonho da maternidade.
Desde então, a imagem de uma garota magrinha, de pele negra, com um grande laço na cabeça começou a aparecer em seus pensamentos de forma recorrente. A filha, que nem tinha sido gerada, já tinha cara e até nome: Maria Júlia. O sonho, no entanto, foi inundado por uma avalanche de notícias negativas sobre o surto de zika vírus.
Preocupada com a possibilidade de ter um bebê com microcefalia - condição neurológica em que a cabeça e o cérebro da criança são menores -, Juliana procurou uma clínica de reprodução assistida para congelar os óvulos e poder utilizá-los mais tarde, quando o surto da doença já tiver sido controlado.
A decisão da advogada tem sido compartilhada por outras mulheres com a mesma faixa de idade. Em Salvador, a procura pelo procedimento em algumas clínicas de fertilização chegou a crescer 50% no último semestre por causa dos números alarmantes da microcefalia - até abril, na Bahia, foram notificados 608 casos em 136 municípios.
Especialista em reprodução humana e diretor de dois serviços de reprodução assistida na capital baiana, o ginecologista Joaquim Lopes acredita que a falta de uma perspectiva sobre o controle do zika vírus motivou a procura não só pelo congelamento de óvulos, mas também de embriões.
Segundo ele, a maioria das mulheres que buscam um dos dois serviços é maior de 35 anos e possui algum tipo de problema que pode causar infertilidade, como mioma ou endometriose.
"A partir dos 35 anos, a mulher já consumiu grande parte dos seus óvulos, por isso, a possibilidade de congelá-lo é recomendada para aquelas que querem postergar o projeto da gravidez", afirmou.
O valor do procedimento varia entre R$ 10 mil e R$ 15 mil e dura cerca de 12 dias. "A mulher toma um medicamento para estimular a produção de óvulos. Em seguida, eles são coletados e podem seguir congelados até o dia em que a paciente se sentir preparada para utilizá-los", explicou a especialista em reprodução assistida Genevieve Coelho.
O procedimento de Juliana foi realizado com sucesso. Ela espera que, no próximo ano, possa realizar a fertilização e, finalmente, ter como comemorar o seu primeiro Dia das Mães.
"Muitas pessoas me julgaram como preconceituosa por ter resolvido adiar a gravidez. Não há nada de preconceituoso em querer que meu filho nasça sadio e tenha uma melhor qualidade de vida", justificou.

Segurança
Além de garantir a possibilidade de realizar o sonho da maternidade futuramente, a fecundação feita in vitro, de acordo com explicação da especialista, pode reduzir os danos do zika vírus ao material genético.
Isso por conta do tratamento dado ao sêmen antes da fertilização. "O sêmen dos pacientes que tiveram suspeita de zika passa por um tratamento especial. Antes da fecundação, o sêmen passa por uma espécie de lavagem para limpá-lo do vírus. Dessa forma, as chances de a pessoa ter um filho com microcefalia são menores", explicou a especialista.

*Nome fictício

Enquanto algumas mulheres estão investindo em meios para adiar a gravidez e evitar um caso de microcefalia na família, outras iniciaram tratamento para infertilidade, mesmo diante de um cenário preocupante para a saúde do bebê.

Aposta em outros meios para engravidar
Casados há 14 anos, a professora Patrícia Lopes, 38, e o técnico em informática Raimundo Lopes, 45, iniciaram, na última semana, um tratamento para engravidar. Portadora de endometriose, Patrícia já passou por cirurgia e enfrenta, há quatro anos, uma longa batalha contra a doença.
Esse ano, o casal reuniu todas as economias para, enfim, conseguir realizar o desejo de aumentar a família. Eles estão dispostos a pagar o valor necessário para ter nos braços, em breve, o fruto do casamento.
"Percebemos que chegou a hora de ter o nosso filho e estamos dispostos a encarar qualquer obstáculo, independentemente da microcefalia. Estamos preparados para cuidar dele de qualquer forma", contou Patrícia.
Depois de criar duas irmãs mais novas, a estudante Simone Santana, 28, sente que, agora, é hora de ter o próprio filho. A vontade é tamanha que viajou 108 quilômetros de Feira de Santana para a capital baiana, na última semana, para tentar iniciar o tratamento.
"Sofro de uma má formação no útero desde muito nova, então quero me tratar o quanto antes para conseguir ter o nosso filhote, que é muito esperado por todos", disse, animada.

Cuidados
Para as futuras mães, uma notícia animadora: na última semana de abril, a Bahia apresentou uma redução de 43% no número de novas notificações de microcefalia. Enquanto na primeira semana do mês foram registrados 16 novos casos, na semana seguinte, esse este número caiu para nove.
Mas, de acordo com a ginecologista Andrea Barreto, os cuidados para evitar a contaminação pelo zika ainda precisam ser redobrados. Segundo ela, além dos procedimentos para eliminar o foco do mosquito Aedes aegypti, é imprescindível o uso de repelentes.
"É importante que a gestante use diariamente repelente. É uma forma eficaz e barata de manter os mosquitos distantes. Lembrando que é necessário passar o produto três vezes ao dia", recomendou.

Fonte: Portal A Tarde

Larissa Manoela diz que namoro com João Guilherme não agrada todo mundo: "Somos alvos de haters"


Não é exagero afirmar que Larissa Manoela e João Guilherme Ávila formam um dos casais famosos mais queridos do momento. Em toda foto ou declaração postada pela dupla nas redes sociais, uma legião de admiradores corre pra demonstrar seu amor e apoio pelos pombinhos. Porém, apesar de toda essa quantidade de fãs, o casal protagonista de "Cúmplices de Um Resgate" não agrada a todos.
"Somos alvos de haters", garante Larissa, em entrevista ao Jornal Extra deste sábado (7). "Usamos nossas redes sociais para esclarecer esses falsos comentários e nossos fãs sempre estão do nosso lado e nos ajudam nessa missão", explica a queridinha do SBT.
O lado bom disso tudo é que a base de fãs de Larissa e João Guilherme é enorme. Por isso, sempre tem alguém para defender os pombinhos dos recalcados de plantão. "A torcida é grande e shippam bastante o casal Jolari. É muito bom receber essa energia, essa aprovação", comemora.
Pra terminar, a diva teen celebra o bem-sucedido romance com João Guilherme. Segundo Larissa, seu namorado, que é filho do cantorLeonardo, ainda costuma ajudá-la em sua carreira. "Ele vem de uma família de artistas. Trocamos muitas experiências", conta. Fofos!

Fonte: PureBreak