sexta-feira, 20 de maio de 2016

Dance Mania: com Jay Frog (It's Alright)

Capa do single
Artista: Jay Frog
Música: It's Alright
Remix: Jay Frog Vs Dee Crane
Ano: 2010
Gravadora: Kontor

‘OK’ - O comentário de duas letras no Facebook que pode levar tailandesa à prisão por traição


Uma faxineira tailandesa foi acusada de insulto à monarquia do país e pode ser condenada a 15 anos de prisão. E a única coisa que ela fez foi postar a palavra "ok" em uma página do Facebook.
Patnaree Chankij, viúva de 40 anos que mora com dois de seus filhos, afirma que, na verdade, ela está sendo punida pelo fato de seu outro filho ser um ativista de oposição ao governo.
Ela mora nos arredores de Bangcoc, trabalha como diarista em apartamentos e escritórios e também lava e passa roupas.
Na casa dela é possível ver nas paredes retratos do rei Bhumibol Adulyadej, e Chankij se considera uma cidadã leal à monarquia do país. Ela afirma que nunca disse nada negativo a respeito da família real.
Mas no começo do mês ela foi detida pela polícia e acusada de insulto à monarquia – uma das acusações mais graves no código penal tailandês.
A pena pode variar entre três e 15 anos de prisão em cada acusação. E acusações como essa cresceram consideravelmente no país depois do golpe militar ocorrido há dois anos.
Desde então, mais de 60 pessoas foram acusadas de insulto à monarquia. A maioria dos casos agora é julgada em tribunais militares, o que restringe o direito à defesa.
Geralmente, as audiências são fechadas e os jornalistas só conseguem informações semanas depois, quando conseguem. As sentenças são severas. Em 2015, uma mulher, mãe de dois filhos, foi sentenciada a 56 anos de prisão também devido a comentários no Facebook.
Depois que ela se declarou culpada, a sentença foi diminuída pela metade.

Comentários
De acordo com o advogado de Patnaree Chankij, a única prova que a polícia apresentou para a acusação é uma troca de comentários entre a faxineira e um ativista político.
Na conversa, via Facebook, ela respondeu comentários que, segundo a polícia, são difamatórios. E a resposta foi apenas uma palavra em tailandês: "ja", que pode ser traduzido como "entendi" ou "ok".
A polícia afirma que ela deveria ter repreendido os comentários difamatórios.
Chankij, por sua vez, acha que seu comentário no Facebook foi apenas uma desculpa usada pelas autoridades: ela acredita que tenha sido presa por causa do filho ativista, Sirawith Seritiwat.
Ele estuda ciências políticas na Universidade de Thammasat e, nos últimos dois anos, se transformou em um dos nomes mais conhecidos da oposição estudantil ao regime militar.
Logo depois do golpe, ele se somou aos protestos contra o governo como integrante de dois grupos, o Cidadãos Resistentes e o Centro Estudantil Tailandês para a Democracia.
Esses grupos usavam como símbolo a saudação com o braço erguido e os três dedos, parecido ao gesto de um dos personagens da série de livros e filmes Jogos Vorazes. Os estudantes também liam o livro 1984, de George Orwell, em público.
Eles já organizaram vários protestos em Bangcoc e também um contra o polêmico parque temático, construído pelo Exército, cujo tema é a família real. Há acusações de corrupção envolvendo os contratos para construção do parque.
Os dois grupos se transformaram em um, agora chamado Movimento Nova Democracia que, mesmo com protestos pequenos, desafia abertamente os militares.
O movimento dos "camisas vermelhas", que apoiava o governo que foi derrubado, não se manifestou mais.

Nova Constituição
Os militares do governo tailandês detiveram vários estudantes ativistas e os colocaram no que chamam de "ajuste de atitude", um programa no qual eles são pressionados a mudar suas opiniões.
Recentemente, o Exército endureceu sua política e começou a fazer acusações criminais contra alguns ativistas. O filho de Patnaree Chankij, Sirawith, foi detido várias vezes e acusado duas, mas ainda não foi julgado.
Agora, o governo militar se prepara para introduzir uma nova Constituição, que vai garantir a dominância militar na polícia por muitos outros anos.
Há eleições previstas para 2017, mas as novas leis transferem o poder dos governos eleitos para um Senado indicado pelos militares. E também para os tribunais superiores, de perfil conservador.
No dia 7 de agosto, deve ocorrer um referendo sobre a nova Constituição, mas os militares proibiram qualquer campanha pelo "não".
Os que tentam influenciar a opinião pública são ameaçados com sentenças de dez anos de prisão.

Fonte: G1

Mr. Catra: "UPPs foram as piores coisas, culturalmente falando, que aconteceram no Rio”

“Olha só, olha só. E vou falar logo qual é: eu sou Mr. Catra e eu bato em mulher. Mas eu só bato em mulher do jeito que ela não reclama. Porque em mulher só se bate na cama. Bota ela de quatro, uma palmada e ela gama. Se ela te provoca, joga ela na cama e dá uma surra de pi!@#roca”. São esses os versos de “Mulher só se bate na cama”, uma das faixas que Mr. Catra entoa em seus shows. É a maneira que o funkeiro – que tem três mulheres (manter a atualização do número é tarefa difícil até para o próprio) – encontra para falar do assunto. Até porque as plateias em que Catra canta ficam no país que tem uma denúncia de violência contra mulher a cada, pasmem, sete minutos; segundo dados da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República.


“Por mais que seja divertido o que eu canto, é um bagulho bem sério. O povo tinha que ter consciência, mas não, misturam-se muitas coisas. Se a mulher respeitasse o direito do homem e vice-versa, não teria tanta violência. Eu tenho certeza que a violência contra a mulher é um lance que não deve acontecer. Mas é nem do homem contra a mulher e nem da mulher que agride o homem. Porque do mesmo jeito que homem bate, mulher também bate”, disse Catra em entrevista ao HT em meio ao caótico trânsito de São Paulo (nota: nesta sexta (20), ele chega no Rio para cantar na Pink Elephant Rio durante a festa Hip Hop Funk Club). E daí, com o discurso ouvido, foi inevitável lembrar da frase que, corriqueiramente em entrevistas, Catra solta: “Eu não sou machista, eu sou feminista… Ninguém gosta mais de mulher do que eu”.

Antes que a passagem surgisse nessa conversa, tiramos o assunto do limbo da graça e o colocamos como problemática social. E a frase já não parece ser bem assim quando apresentamos os tempos de movimento feminista em voga. “Tem ser igual para quem é igual. Homem não é igual a mulher. Mulher tem direitos de mulher e homem tem seus direitos e deveres de homem. Acho que cada um tem que se colocar no seu próprio lugar. Se a gente misturar as coisas, não fica um lance maneiro. Mulher com seus direitos de mulher, homem com seus direitos de homem, e homossexual com seus direitos de homossexual. Acho que todo mundo tem que ter os seus direitos, e respeitá-los porque o direito de um começa quando o do outro acaba”, soltou.


Sem medo de soar machista ou preconceituoso, Mr Catra é daqueles que acha que “o mundo não está chato. Ele, na verdade, está hipócrita”. E nem nesses tempos de patrulha e conservadorismo latentes, ele deixa de cantar as canções dos seus shows que, volta e meia começam com o aviso: “Vai começar a putaria”. Nos versos? “A pretinha tá que tá doidinha para sentar”, “Ela tremeu as pernas bambas quando sentiu meu instrumento”, “Quero ver você rebolar com o pi!@#ru dentro”, “Os bonitinho tão virando viadinho” e “Homem de verdade gosta mesmo é de bu!@#$ta”. Catra, pai de 32 filhos e avô de quatro netos, fala com a voz baixa e leva todos os assuntos em tom de seriedade. “Eu não estou pudico por causa desses tempos de conservadorismo. O problema é a hipocrisia que está tomando conta da nossa sociedade. As pessoas tem que viver como elas agem”, reclama.

Catra também não teme nem o mercado – que aliás, ajuda a pagar suas contas. Segundo ele, as emissores de TV, rádios e gravadoras recebem essa sua musicalidade “de forma bem inusitada”. “Não tem como classificar meu tipo de som no mercado. Ficou um lance maneiro, único, particular”, vangloriou-se. Positivismo, aliás, até em tempos de crise. “E a crise não chegou ao funk. O funk chegou à crise. Ele é um movimento de custo benefício onde o custo com cachês e equipe não é tão alto, mas os resultados nas portarias são bem satisfatórios”, explicou. Mas que os tempos mudaram para o funk, ah, isso Catra não consegue discordar. Principalmente quando lembramos dos bailes nas favelas. “As Unidades de Polícia Pacificadoras instaladas pelo Estado nas favelas do Rio de Janeiro ocasionaram, também, um sufoco da cultura funk . Fizeram as UPPs, aí entraram as contas de luz, as contas de TV a cabo, entrou tudo para o favelado pagar. Mas ninguém investiu na cultura funk, favelada, verdadeiramente carioca. As UPPS foram as piores coisas, culturalmente falando, que aconteceram no estado do Rio”, opinou.


E ele prosseguiu: “São épocas diferentes. Na época que eu comecei no funk, ele estava passando pelo holocausto cultural que foi a proibição dos bailes funk. Foi um preconceito muito grande, onde colocaram cerca de 200 mil trabalhadores na rua sem nenhum sindicato, sem ninguém abrir a boca. Aumentou a criminalidade e a prostituição. Foi um lance muito triste. As próprias autoridades deveriam rever as pessoas que foram prejudicadas com isso”. Catra pensa e vive o funk – um de seus filhos, Alandin MC, seguiu os caminhos do pai. Por isso é contra essa turma que envereda pelo batidão e depois se torna “artista pop” sem a alcunha de MC. “É triste você cuspir no prato que comeu. Não é legal. E o funk é uma benção. Mas deixa estar…depois a gente vê como é que fica”. Papo de quem encara a carreira como “uma benção maravilhosa de Deus” e tem um sonho: “Ainda não realizei a real organização familiar, uma maior consciência familiar”. Essa sim é uma tarefa difícil com mais de três dezenas de herdeiros. Não à toa uma de suas canções mais famosas se chamam “Uh, papai chegou”.

Novidade quente como o fogo
Catra foi contratado pelo canal por assinatura Multishow, do grupo Globosat, para apresentar um programa. Segundo HT levantou, a atração é 70% musical, com o restante dedicada a entrevistas. Os primeiros convidados?Ivete Sangalo e Caetano Veloso, babies. O programa terá início no mês de julho. O sonho do funkeiro, aliás, é conseguir levar Roberto Carlos para seu palco. Quem viver, verá.

Serviço
Pink Elephante Rio Apresenta: Hip Hop Funk Club com Mr. Catra
Data: 20 de maio (sexta-feira)
Local: Avenida Armando Lombardi, 333, Barra da Tijuca. Tel: 3596-0800

Horários:
23:00 – Abertura / DJ Raphael De Luca
05:00: – Encerramento

Ingressos:
– Com Nome na Lista:
Mulheres: De graça até as 00:00 / Após R$ 30
Homens: R$ 30 / Após R$ 60

– Sem Nome Na Lista:
Mulheres: R$ 30
Homens: R$ 60

– Camarotes:Reservas:
-(21) 3579-6000 / 3596-0800

– whatsApp: (21) 97660-8144(21) 97660-8144

"Cuidado", diz Gusttavo Lima após ser atingido por celular


Portal A Tarde - O cantor Gusttavo Lima foi atingido no rosto por um celular de fã, durante apresentação em Palmas, capital do Tocantins, nesta quinta-feira, 19. Na ocasião, diversos fãs arremessavam os aparelhos celulares para que o artista tirasse uma selfie.
Essa prática perigosa tem sido cada vez mais comum nos shows, mas dessa vez não deu muito certo. Após a pancada, Gusttavo disse:"Cuidado, cuidado!", pediu o cantor.
O celular que foi jogado cai no palco e sem saber, o sertanejo pega outro aparelho e brinca com um fã: "Até quebrou o vidro".
Após a pancada, Gusttavo ainda tenta tirar duas selfies e devolve os celulares. Um vídeo foi feito por fãs que registraram o momento.

Vovózona do BBB é primeira candidata de concurso Miss Bumbum para mulheres da terceira idade

Rio - Dona Geralda fez questão de mandar um recado para os fãs e avisá-los que ela está melhor do que nunca. Isso porque, recentemente, um boato que circulou pelas redes sociais dizia que a ex-BBB havia morrido.
Em seu perfil no Instagram, a aposentada desmentiu a notícia falsa com bom humor e revelou que não é a primeira vez que isso acontece. "Bom dia, gente! Morro de rir com o pessoal querendo matar-me! Ontem saiu outra notícia do meu falecimento, já é a quinta ou sexta vez que isto acontece. Aviso aos navegantes que isso realmente acontecerá um dia, pois não vou ficar pra semente! Mas quando ocorrer, os meus filhos que irão informar o fato. Até então, estou com uma saúde perfeita, bebendo minha cervejinha e curtindo meu momento!", declarou ela.


Miss Bumbum Melhor Idade
Aos 63 anos, Geralda Diniz é a primeira candidata do Miss Bumbum Melhor Idade 2016. A aposentada, que dividiu opiniões durante passagem no "BBB", já deu os primeiros passos na competição e posou para um ensaio sensual, levando a internet à loucura. "Jamais irei me esconder por críticas, a idade é apenas um número!", disparou a aposentada nas redes sociais.

Fonte: Meia Hora

Cantora Cher completa 70 anos sem a menor panca de vovó


Ela é atriz premiada pelo Oscar, cantora de sucesso que já foi agraciado com o Grammy e está completando 70 anos. A data é só um número para Cherilyn Sarkisian, a Cher, que já foi chamada de Deusa do Pop.
Isso porque Cher não aparenta a idade. Claro que para isso ela deve fazer mil tratamentos, cirurgias e procedimentos. Mas a sua “juventude” não é apenas uma casca. Cher não envelhece na cabeça. A postura continua altiva e jovial.
Ganhadora do Oscar de melhor atriz (Feitiço da Lua), do Emmy (Cher: The Farewell Tour), do Globo de Ouro (The Sonny and Cher Comedy Hour , Silkwood - O Retrato de uma Coragem e Feitiço da Lua) e do Grammy (Believe), se trata da única artista capaz de alcançar o topo em cada uma das últimas seis décadas.
Ultimamente ela tem estado meio sumida da cena pop, mas em 2010 mostrou as garras no filme musical Burlesque (2010), onde compartilhava cenas com Christina Aguilera. Uma das canções que Cher gravou para a trilha sonora do filme, a balada You Haven't Seen the Last of Me, alcançou o topo da lista de dance music da revista Billboard.
Mais recentemente em 2013, Cher lançou o 26.º da carreira, Closer To The Truth. E os fãs se perguntam se vem mais por aí.

Fonte: Paraná Online

Joelma reduz cachê pela metade e lota sua agenda de shows


Em carreira solo, a cantora Joelma está com a agenda lotada. De acordo com a coluna Retratos da Vida, do jornal Extra, um show da ex-vocalista da Banda Calypso custa em média R$ 95 mil, metade do que ela recebia para subir ao palco nos tempos em que se apresentava com o Calypso.
Além disso, a cantora, que está solteira, deu uma verdadeira repaginada no visual após contratar os serviços da consultora de imagem Maris Tavares.
"Ninguém sabia que a Joelma era bonita desse jeito. Ela está transformada e se amando ainda mais. Ela deu uma levantadinha no nariz, preencheu os lábios, aplicou botox em alguns pontos e refez o contorno do queixo e bochechas de acordo com cálculos de proporção entre rosto e corpo", disse Maris.
Quem cuidou do sorriso de Joelma foi o dentista Rildo Lasmar, que mantém uma parceria com Maris. "Ela fez clareamento e colocou oito lentes de contato nos dentes", diz a consultora se referindo às "capinhas" brancas que fazem a arcada ficar certinha.

Fonte: Portal A Tarde

Latino curte balada com transex que diz ter namorado Romário


O cantor Latino está mais uma vez envolvido em polêmica. Desta vez, ele apareceu em uma balada ao lado da transexual Thalita Zampirolli, que já teve um relacionamento conturbado com Romário. O caso foi parar na justiça.
De acordo com a colunista Fabiola Reipert, do portal R7, Latino parecia não querer posar para fotos ao lado da modelo, mas depois acabou cedendo.
Ainda segundo Fabiola, Thalita e Latino estavam com amigos e compareceram em vários lugares. Os dois foram embora juntos.
O ex-jogador e atual senador Romário não gosta que relembrem o romance dele com Thalita, inclusive conseguiu uma proibição judicial para impedir a moça de falar o nome dele em público.
A loira comentou o caso em diversos programas de TV, afirmando que namorou Romário por um ano. Ele não gostou da revelação.

Marília Gabriela fala sobre trabalho ao lado do filho Theodoro no TV Mulher


Na manhã desta sexta-feira, 20, Marília Gabriela participou de uma coletiva de imprensa em São Paulo para falar das novidades do "TV Mulher", que volta ao ar a partir do dia 31 deste mês em dez episódios especiais no canal a cabo Viva. O programa feminino foi exibido pela Globo entre 1980 e 1986.
Neste novo momento da atração, Marília terá a companhia do filho Theodoro Cochrane em dois momentos. Ele vai comandar o quadro "Elas na TV", que vai homenagear personagens femininas importantes, além de ser responsável pelo figurino da mãe na atração.
"Fico feliz e não passou por mim o convite. Ele foi chamado inicialmente para cuidar do meu look. Mas ele é tão bom, é formado em design e tem tanta noção estética que ele colaborou durante as gravações, olhava o enquadramento, ajudava a todos nós. Ele é preparado, formado na Escola de artes dramáticas da USP. Durante uma reunião a Leticia (Muhana, diretora geral do Viva) o convidou para fazer esse encontro com atrizes e autores que fizeram personagens influentes de novelas históricas", contou Marília. Theodoro não pode participar do evento pois estava gravando.
A jornalista lembrou ainda a reação inicial do filho. "No começo, ele falou 'vai ficar parecendo nepotismo'. E eu disse 'eu não tenho nada a ver com isso'. Leticia perguntou se isso causaria algum problema, eu disse que não. Fiquei muito contente, pois ele achou mais um lugar pra desenvolver a criatividade toda que ele tem. Eu acho bom, sou múltipla, ele também", elogiou a apresentadora, que ainda fez um desabafo sobre as críticas que seus filhos sofrem quando estão na TV.
"Fiquei contente, pois ele está na TV e não foi por mim. Sei que meus filhos sempre tiveram esse problema. Lembro do Cristiano que trabalhava na reportagem do 'Faustão' e de vez em quando ele pegava alguém dizendo que tava lá por ser filho da Marília Gabriela. Tem essa sina por ter nascido de mim, mas não é por minha causa que ele está aqui, foi uma decisão da direção", defendeu ela.
Sobre os figurinos escolhidos pelo filho, Gabi disse que confia no gosto do rapaz e que não opina muito. "Ele é meio ditador (risos). Como ele tem bom gosto, conhece o meu gosto e tem o senso estético apurado, tinha coisa que ele falava pra que eu colocasse e eu dizia 'Deus me livre', mas aí todos elogiavam e eu entendia. Mas eu confio muito no gosto dele. Ele é do filme, do museu, das artes plásticas, da moda, ele sabe o que faz quando ajuda alguém a se vestir", diz ela.

"Não" ao convite para integrar o Governo
Durante a coletiva, Gabi confirmou que foi convidada para assumir a Secretaria de Cultura do presidente interino Michel Temer, mas disse que sequer cogitou aceitar.
"Primeiro uma amiga me ligou e eu achei que era trote. Depois a Marta Suplicy me ligou também com a mesma proposta. Eu não aceitei pois, apesar da minha vida profissional ser ligada à cultura, eu estaria, ao meu ver, sendo convidada por ser uma figura midiática, espaçosa. Eu seria apenas uma estampa em um governo que não prestigiou a mulher. Mas era só pra ser mesmo uma estampa, eu não seria nada além disso. E não sou uma gestora, não teria cabimento de aceitar esse convite. E tenho consciência que não seria nada além de uma estampa para melhor a imagem do governo junto às mulheres", explicou ela.
Tem essa sina por ter nascido de mim, mas não é por minha causa que ele (Theodoro) está aqui, foi uma decisão da direção."
Marília Gabriela

Faltam mulheres em posições de destaque
Ao longo do papo sobre o programa feminino, a falta de mulheres em posições de destaque - incluindo na equipe de ministros do presidente interino - também foi abordada pela equipe da atração.
"Me causa estranhamento a falta de mulheres e negros nos cargos do governo que está no poder, principalmente em uma época em que mundialmente a diversidade está sendo celebrada", reclamou Flávia Oliveira, jornalista que integra o time de colunistas da atração e abordará o dia a dia da mulher sob o ponto de vista econômico e social.
"Está na hora das pessoas, homens e mulheres, perderem a vergonha de dizerem que são feministas. É impossível alguém conhecer a história da mulher e não ser feminista. O que precisa é uma aliança de homens e mulheres para romper com a sociedade patriarcal que oprime os dois sexos", opinou a psicanalista Regina Navarro Linsm, que falará sobre sexo no programa.
"O programa inclusive ajuda a refletir sobre o assunto. A presença pura e simples dessas mulheres inteligentes é um manifesto contra o machismo de uma boa parte do poder", disse Ivan Martins, que vai revelar o olhar masculino diante de questões femininas.


Fonte: EGO

Maroon 5 cancela shows em protesto contra lei antigay


Maroon 5 cancelou duas apresentações que faria no estado da Carolina do Norte. O grupo anunciou a posição em seu perfil no Facebook e explicou que era contra lei anti-gay.
"Anunciamos que cancelaremos nossos próximos shows em Charlotte e Raleigh, Carolina do Norte, devido a aprovação da lei HB2. Esta foi uma decisão difícil para nós como banda. Não queremos punir nossos fãs na Carolina do Norte não se apresentando para eles, mas no fim tudo se resume ao que sentimos e todos deveriam ser tratados igualmente", escreveu a banda.
A lei HB2 foi aprovada em março e proíbe as cidades da Carolina do Norte de redigir suas próprias leis anti-discriminatórias e obriga o uso dos banheiros públicos de acordo com seu sexo de nascimento, o que gerou protestos.


Fonte: EGO

Dance Mania: com KASKADE (4 A.M. - Unplugged)

Artista: Kaskade
Música: 4 A.M.
Ano: 2008/2009

ABSURDO! Cantora evangélica Ana Paula Valadão propõe boicote à C&A por coleção de roupas sem gênero


Líder e fundadora da banda religiosa Diante do Trono, a cantora evangélica Ana Paula Valadão deu um show de preconceito e homofobia hoje pelas suas redes sociais, onde tem mais de 1 milhão de seguidores. Ela, que também é escritora e pastora, propôs um boicote à loja de departamentos C&A, que recentemente lançou uma coleção de roupas sem gênero definido. “Nós que conhecemos a Verdade imutável da Palavra de Deus não podemos ficar calados. Temos que #boicotar essa loja e mostrar nosso repúdio. Nos EUA a loja Target já teve prejuízo porque mais de 1 milhão de pessoas pararam de comprar (inclusive eu) desde que determinou que os banheiros feminino e masculino podem ser usados por quaisquer pessoas que se sintam homem ou mulher naquele dia, aumentando os riscos de abusos (que já aconteceram em outros lugares que apoiam a ideologia de gênero)”, argumenta.
Em outro trecho ela diz que está manifestando sua ‘Santa Indignação’ com o assunto. “Estão provocando para ver até onde a sociedade aceita passivamente a imposição da ideologia de gênero”, diz.



Fonte: Me Salte (Correio da Bahia)

"Acabei de assistir o comercial e não vi nada disso que ela está falando. Ana Paula Valadão está falando coisa com coisa só para ser lembrada e voltar a aparecer na mídia".

BAHIA: Roubo de cimento acaba em soterramento

Dois homens morreram ontem, após ficarem soterrados, no silo (espaço) de armazenamento de cimento de aproximadamente vinte metros de altura da antiga Fábrica de Cimento, mais conhecida como Cocisa , no bairro de Paripe, subúrbio ferroviário.
O pintor Reginaldo Silva dos Santos, 39, conhecido como Cabeludo, e o mototáxista Anderson Correia Carvalho, 24, identificado como Zig, entraram no espaço juntos com o objetivo de retirar cimento armazenado no local. Com as escavações realizadas pelos dois, o material cedeu, sufocando as vítimas.
Segundo o sub-tenente Apolinário, responsável pela policiamento de Paripe, no início da semana a fábrica foi invadida por um grupo de pessoas que estava, de forma ilegal, retirando cimento do local.
O resgate dos corpos foi realizado com a chega da do Corpo de Bombeiros, mas mobilizou toda a comunidade.

Fonte: Jornal Massa!

Irmão de Michael Jackson grava clipe no sul da Bahia


O cantor e guitarrista Tito Jackson, irmão de Michael Jackson, está em Santa Cruz Cabrália, no sul da Bahia. Ele, que fez parte da composição inicial do grupo Jackson Five, participou da gravação do clipe da música "Winning by giving". De acordo com a prefeitura da cidade, Tito gravou o vídeo ao lado da cantora de jazz Lis Howard e alunos do Instituto Amigos de Santo André (IASA).
Tito ainda inaugurou uma horta orgânica da Escola Municipal Nair Sambrano Bezerra. Ele está hospedado no Campo Bahia Resort, localizado no Povoado de Santo André e os proprietários do resort Christian e Christiane Hirmer acompanharam o irmão de Michael no tour pelo sul da Bahia.

Claudia Rodrigues comemora recuperação 5 meses após transplante: 'Cheia de planos'


Pendurado na parede do quarto, escrito no quadro que ganhou de presente, o lema da recuperação de Claudia Rodrigues: paciência. Cinco meses após o transplante de células-tronco, em busca da cura de sua esclerose múltipla, a comediante comemorou a data num jantar em família, incluindo sua única filha, Isabela, de 13 anos.
“Hoje me sinto ótima, menos cansada. Acordo cedo todos os dias e caminho quatro quilômetros no calçadão. Agora já faço em 45 minutos o mesmo percurso que eu fazia em quase duas horas. Daqui a pouco, vou estar correndo”, promete Claudia, de 43 anos.



‘Quero nadar no mar’
Correr, na verdade, não é seu maior desejo. Em dezembro, quando já estiver liberada para voltar de fato à ativa, ela planeja retornar aos palcos com um espetáculo que está escrevendo. Além disso, ela quer retomar uma atividade simples, mas importante para quem há pouco tempo só restava esperança: “Quero botar o pé na areia, nadar no mar. O verão de 2017 vai ser o meu verão, o meu primeiro dessa nova vida”.



Antes disso, Claudia Rodrigues vai precisar tomar uma série de vacinas em junho: “Brinco que voltei a ser bebê. Vou tomar de novo até a contra a paralisia infantil”. Até lá, ela só pode sair de casa de máscara por causa da baixa imunidade. A rotina ainda segue pesada (paciência, paciência...) com dez comprimidos por dia e “tudo que é pia”, como ela costuma brincar: sessões diárias de fisioterapia, terapia ocupacional...
“Minha filha está fazendo teatro e vai trabalhar comigo. Ela será filha de uma personagem minha. Estou cheia de planos”, diz uma risonha, otimista e paciente Claudia Rodrigues.

Fonte: Extra

Dance Mania: com AFROJACK (Take Over Control)

Artista: Afrojack Feat. Eva Simons
Música: Take Over Control
Ano: 2010/2011

Correndo contra o tempo, final de ‘Totalmente Demais’ não será mais em Paris


O sucesso de ‘Totalmente Demais’ é tamanho que a Globo chegou a esticar a novela em mais dois capítulos, como já contamos por aqui. Indo mais além, a emissora chegou até a cogitar levar os protagonistas da trama para Paris para rodar as últimas cenas do folhetim por lá.
No entanto, a correria com o fim da história não permitirá que os principais nomes da trama viajem para a Cidade Luz. As cenas, ambientadas na capital francesa, serão gravadas em estúdio, no próprio Projac.
Com seu último capítulo marcado para ir ao ar na segunda (30), o mistério sobre o fim de Eliza parece já estar resolvido. Múltiplas fontes afirmam que a personagem de Marina Ruy Barbosa terminará mesmo com Jonatas (Felipe Simas). Será?

Fonte: Heloísa Tolipan (Jornal do Brasil)

Toda chique! Veja os bastidores de nova campanha publicitária com Gal Costa


Foi no fim do mês passado que Gal Costa fez uma apresentação histórica aos pés do Cristo Redentor, no Riode Janeiro, sob patrocínio do Mastercard Black. Na noite, apenas 60 clientes exclusivos do cartão puderam conferir oshow da eterna musa da MPB.
Nesta quinta (18), Gal foi apresentada oficialmente como a 
nova garota propaganda da marca. A estrela foi clicada pela fotógrafa Julia Rodrigues, em um estúdio em São Paulo. A campanha deve ser veiculada em breve, em toda a imprensa nacional.
Gal, aliás, segue com tudo. A turnê de seu último álbum, ‘Estratosférica’, se prepara para aterrissar no Piauí no dia 27 deste mês e em Olinda, em 2 de junho, seguido de Belo Horizonte, no dia 11.

Fonte: Heloísa Tolipan (Jornal do Brasil)

Dance Mania: com DJ ANTOINE (This Time)

Artista: DJ Antoine
Música: This Time
Ano: 2011
Gênero: Dance/Electro/House

Adriano reforça carinho pelo Flamengo: 'Quero voltar, mas não depende de mim'

Estados Unidos - Adriano, nos Estados Unidos, retoma a carreira de jogador com a camisa do Miami United. O Imperador não esconde o carinho pelo Flamengo e que um dia deseja voltar para o clube. Após a eliminação rubro-negra para o Fortaleza, pela Copa do Brasil, ele reforçou a vontade de retornar à Gávea, algo, porém, que não depende apenas dele.


"Gente, eu quero voltar para o Mengão, mas não depende de mim e do Flamengo. Obrigado", postou Adriano.
O Imperador defende o Miami United e, inclusive, comprou 40% do clube. Adriano balançou a rede no último compromisso pelo time, no amistoso contra o Las Vegas City, que teve a participação de Ronaldinho Gaúcho.

Fonte: Jornal O Dia

Após notícia de namoro, Bruna Linzmeyer recebe mensagens preconceituosas

Rio - A revelação do relacionamento da atriz global Bruna Linzmeyer com a cineasta Kity Féo gerou polêmica e acendeu debates nas redes sociais. Alguns usuários do Instagram teceram comentários com declarações preconceituosas em fotos antigas em que as duas aparecem juntas, ao passo que muitos perfis reagiram e enviaram mensagens de apoio à artista.


Embora algumas das fotos já tivessem sido publicadas há meses, foi apenas com a divulgação da notícia de que as duas estão namorando que os comentários negativos surgiram, logo abafados por afirmações elogiosas.
"Triste mesmo uma moça tão linda namorando outra mulher dessa idade", disse um dos usuários, ao passo que o repreenderam: "Triste é não sentir amor! O amor não tem forma ou cor, a gente só sente".
Bruna e Kity se conheceram durante as gravações do longa O Filme da Minha Vida, dirigido por Selton Mello, quando ela ainda estava casada com Michel Melamed. A atriz e a cineasta estão juntas há um ano.

Fonte: Jornal O Dia

Em Cannes, Sonia Braga fala de manifestação no tapete vermelho


Para o macho brasileiro que, no escurinho do cinema, nos anos 1970 e 1980, sonhava com Sonia Braga - a eterna Dona Flor, ou Dama do Lotação -, talvez seja um choque ver a ainda gloriosa Sonia numa certa cena de Aquarius. No longa de Kleber Mendonça Filho, Clara, a protagonista, volta da praia e, diante da câmera, ao tirar a roupa, exibe a cicatriz de um seio amputado. É real? "Não, mas é muito bem feito, não? No filme, Clara sobrevive a um câncer, então era importante mostrar a marca. Se, para mim, foi difícil fazer a cena na ficção, imagina como é, na realidade, para mulheres que fazem mastectomia", comenta a atriz, nascida no Paraná, que faz 66 anos no dia 8 de junho.
Sonia Braga está de volta à Croisette, um território que tem sido dela há mais de 30 anos. Veio com Eu Te Amo, de Arnaldo Jabor, O Beijo da Mulher Aranha, de Hector Babenco, e Rebelião em Milagro, de Robert Redford. Retornou como jurada, sob a presidência de Sydney Pollack, e (re)apresentou Mulher Aranha, quando o filme passou em Cannes Classics.
"Devo ser uma raridade, uma atriz que se tornou clássica em Cannes, exibindo duas vezes o mesmo filme", brinca. Clássica, e também uma resistente, na arte e na vida. Na tela, em Aquarius, Clara resiste à incorporadora que quer comprar seu apartamento para derrubar o velho prédio e construir um espigão na praia de Boa Viagem, no Recife. Na vida, Sonia foi parar, como toda a equipe do filme, nos principais noticiários da noite na França, na terça-feira, dia 17 - e depois na capa de jornais de ontem (18), como The Guardian -, ostentando cartazes de protesto contra o impeachment no Brasil. A presidente afastada, Dilma Rousseff, repercutiu e agradeceu no Twitter. "Não fizemos para aparecer, mas pelo Brasil", informa ainda Sonia.
Morando no East Side de Nova York, você é capaz de pensar que Sonia está muito longe de casa para se envolver com coisas que desconhece. Errado - ela faz questão de manter muito fortes os laços com o País. Em outra cena do filme, o arrogante neto do dono da construtora tenta colocá-la em seu lugar. Clara é veemente, mas a frase poderia ser de Sonia - "Os ricos dizem que a educação é o problema do Brasil, querendo falar mal dos pobres. Mas quem não tem educação são os ricos. Nossa democracia ainda é frágil, para ser tratada dessa maneira."
Sonia Braga ainda não teve tempo de fazer o que gosta - no Brasil, em Cannes ou Nova York. Essa mulher é uma andarilha. Adora bater perna. "Ponho um tênis velho, um abrigo e saio pela rua." Às vezes, admite, é tratada como mendiga. "Já tentei entrar em lojas e me diziam que entregas eram nos fundos", e cai na risada. O primeiro impacto é o tamanho. Sonia é do tipo mignon.

Mais detalhes sobre a atriz, sua vida e carreira, estão na entrevista a seguir.


Você pode me explicar qual é a mágica? Como você cresce na tela e vira aquele mulherão?
É simples, meu amor. A câmera me adora. É recíproco, porque eu a adoro, também. Estamos aqui nesse festival, o maior do mundo, com o trabalho da gente em Aquarius, de Kleber Mendonça Filho, repercutindo para todo o mundo. Confesso que sou uma mulher do audiovisual. Adoro um set de filmagem. Frequento até quando estou de folga. Nunca se sabe, sempre posso ajudar a carregar alguma coisa.

Mas existe o outro lado, glamouroso, o tapete vermelho. E você também domina essa área. Como?
Porque faz parte, porque é preciso. Fazer um filme é complicado, tem de ter retorno. Estamos em Cannes. Vai dizer a um nadador, que entrou numa competição que ele não deve querer ganhar... Se entramos, temos de ser vistos. Sou uma mulher muito visual. E sou meio estilista, adoro me produzir, mas tenho gente que faz tudo para que eu brilhe. Narciso Rodriguez criou meu vestido para o tapete vermelho. No meio da festa do filme, recebi uma mensagem dele, dizendo que me curtiu na montée des marches. Sabe, essas coisas ainda me emocionam.

E o protesto?
Teve seu lado engraçado. Surgiu de uma proposta do povo do audiovisual brasileiro, aqui em Cannes. Perguntaram se a gente topava. Claro, mas o (diretor) Kleber (Mendonça Filho) só queria que não fosse inadequado. Pisei no tapete vermelho e ‘monsieur’ (o diretor artístico Thierry Frédmaux) me deu o braço para que eu o acompanhasse na subida da escadaria. Estava subindo, quando perguntei - "Cadê o povo?" Olhei para trás e o protesto já tinha começado. Desci voando e também peguei meu cartaz, "Está ocorrendo um golpe no Brasil!".

Foi um gesto bonito, corajoso. Por quê?
Porque a gente tem de participar. Até a Dilma (a presidente afastada Dilma Rousseff) repercutiu e agradeceu no Twitter. Temos de defender nossa democracia, que ainda é frágil. Creio muita numa frase que a Clara (o nome da sua personagem) diz em Aquarius. Ao enfrentar o neto do dono da incorporadora, que quer construir o espigão em Boa Viagem (a praia do Recife), ela observa que os ricos vivem dizendo que o problema do Brasil é a falta de educação. Dizem isso para falar mal dos pobres, mas quem não tem educação são os brasileiros ricos, que se acham. Tudo o que a gente está vivendo é pela falta de educação deles.

Como a Clara chegou para você?
Por e-mail. Kleber falou com um amigo de um amigo, que tinha meu e-mail e fez o convite, depois mandou o roteiro. Só nos encontramos, de verdade, um ano depois, quando o filme já estava andando. Eu digo sempre que não sou atriz, mas tenho essa familiaridade com a câmera e me coloco na mão dos diretores. Em Aquarius, contracenei com um gigante, um ator muito técnico. Irandhir (Santos) é gênio, mas você não vai acreditar a facilidade que foi fazer as cenas com ele. Era só olhar no olho e deixar fluir. Foi lindo.

Foram tantos filmes míticos. Que lembranças você guarda?
Xiii, são muitas, mas não dos filmes e, sim, dos sets. Em Dona Flor lembro do (José) Wilker, que já foi. No Beijo da Mulher Aranha tínhamos dois sets. (Hector) Babenco trabalhava a parte realista da cadeia com William (Hurt), Raul (Julia) e (o diretor de arte) Clóvis Bueno. No outro set, eu construía a Mulher Aranha com Manuel Puig (autor da novela) e Patricio Bisso. Eu tinha de fazer assim (Sonia faz um gesto com a mão) e o William repetia, unindo os dois sets. Tínhamos uma diretora de gestual, não sei como se chama isso, só para fazer direito.

Não seria um filme com Sonia Braga se não tivesse uma cena caliente de sexo...
...Ah, você estava esperando, é? Ganhou! Acho o sexo uma coisa tão natural na vida da gente. A boa sociedade quer colocar o sexo num compartimento, mas eu sinto muito - carrego meu sexo comigo. Não dá para dissociar. Não tem a ver com idade, com meus 65 anos. Falei, ontem, aqui com um garoto que me disse, todo envergonhado, que era tímido. Meu conselho para ele - se solte! Arranje alguém. A vida sem sexo é muito chata.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Filho de Bell Marques sofre acidente em Ondina


O cantor Rafael Marques, vocalista da banda Oito7Nove4 sofreu um acidente na manhã desta quinta-feira, 19, no bairro de Ondina, em Salvador. De acordo com a assessoria do artista, Rafael caiu na pista e machucou o joelho enquanto praticava exercícios com sua bicicleta. Logo em seguida recebeu ajuda de populares que passavam no local e foi socorrido para o COT, onde recebeu atendimentos, fez curativos e foi liberado. Rafael teve ferimentos leves.
Ainda de acordo com a assessoria do cantor, Rafael passa bem, e manteve sua agenda de ensaios na tarde de hoje.
A informação de que o artista teria sido atingido por um veículo, não foi confirmada pela assessoria.

Fonte: Portal A Tarde

Dance Mania: com HARDWELL E MITCH CROWN (Call Me A Spaceman)

Artista: Hardwell Feat. Mitch Crown
Música: Call Me A Spaceman
Ano: 2012
Gênero: Progressive House

Mulher negra sofre preconceito ao andar de ônibus e relato viraliza nas redes sociais


Mãe e negra, Silvinha Alves passou por duas situações extremamente desconfortáveis ao utilizar o transporte público, em Natal. No relato viral, publicado nas redes sociais nessa semana, ela descreve o motivo de sua indignação. Primeiro ofereceram moedas a ela por confundirem Silvinha com uma pedinte. Em seguida, foi negada a entrar no ônibus pela porta traseira, apesar de ser impossível passar pela catraca carregando a filha. O motorista custou a acreditar que ela pagaria pela passagem... O texto já tem mais de 8 mil compartilhamentos, 1, 2 mil comentários e 96 mil reações. Leia na íntegra:

Leia mais

Gostaria de compartilhar com vocês o que aconteceu comigo nessa semana que passou:
Eu estava esperando o ônibus com a minha filha, quando percebi uma mulher estava me oferecendo moedas. Eu perguntei: "O que é isso?" Ela disse: "Uns trocados pra você comprar alguma coisa pra sua filha". Fiquei sem ação e apenas respondi: “Obrigada, mas eu não preciso. ” Ela: “Você não quer? ” Eu: “Não! ” Até que finalmente se afastou não acreditando que eu tinha recusado as moedas.
No dia seguinte, saí novamente com Nina, minha filha. Eu ando com Nina envolvida em um tecido, muitos conhecem esse tecido como Sling, e sempre para entrar no ônibus eu peço pra abrir a porta traseira, pois com Nina no tecido não tem como passar pela roleta. Desta forma eu entro, me dirijo até o motorista, pago a passagem e movo a roleta com as mãos. Normal. O ônibus parou, e o motorista me disse que não ia abrir a porta traseira, disse que não podia, que as câmeras estavam filmando. Eu respondi: “Mas como assim? Todos os motoristas fazem isso pra mim? ” Ele respondeu: “Mas eu não faço! ”. Fiquei atônita, imaginei ficando sozinha com minha filha na parada, sem ter como ir para casa. Uma mulher gritou: “Motorista ela está com uma criança! ”. Alguém dentro do ônibus gritou “Motorista ela vai pagar! ” Quando ele ouviu isso, finalmente disse: “Ok, eu vou abrir, pode ir lá”
Reflitam, se fôssemos brancas, loiras, essas duas situações iriam acontecer? Porque aquela mulher achou que eu precisava de moedas pra comprar “alguma coisa” pra minha filha? Porque o motorista achou que eu não iria pagar a passagem? Porque outro dia a moça da farmácia me perguntou com cara de nojo “Você está deixando o cabelo da sua filha igual o seu? ”. Ah, o racismo não existe no Brasil né... nós vemos racismo em tudo. Sim! Realmente o racismo está em tudo! No comportamento das pessoas, nos olhares, nos discursos torpes, no sistema de educação, nos padrões de beleza, está na história desse país...sim, está em tudo!
Procurar entender e saber mais sobre as questões raciais é importante, enaltecer a identidade e ancestralidade negra muito mais ainda!

Depois do que aconteceu, entrei no ônibus totalmente envergonhada, todos ali me olhavam. Até que um moço estiloso entrou, percebi que olhou para nós e sentou. De repente ele virou e me disse: "Moça, estou tomando coragem para falar, você e sua filha são incríveis! São lindas! Eu leio e acompanho o empoderamento negro, sou fotógrafo, faço parte de um projeto que faz fotos do cotidiano em Natal, fotos inesperadas, não me contive ao ver vocês. Por favor, posso fazer algumas imagens de vocês duas?" Com certeza aceitei e conversamos bastante sobre essas questões que muitas mães negras passam no dia-a-dia, sobre a importância de ter sabedoria em criar nossas crianças negras em um sistema racista. Nem contei pra ele o que aconteceu comigo antes dele entrar no ônibus, achei melhor falar agora que as fotos ficaram prontas e agradecer a você Ian Rassari por me encher de alegria nesse dia e parabéns pelo lindo projeto de fotografia, muitas histórias ainda vão ser contadas através dessa iniciativa e inspirar as pessoas!

Fonte: Revista Glamour