sexta-feira, 1 de julho de 2016

DANCE MANIA: com Last Night, de Ian Carey

A música se chama Last Night, do DJ Ian Carey, lançada em 2011 em parceria com o rapper Snoop Dogg e Bobby Anthony. O single entrou para os CDs, no Brasil, Planeta DJ 2011 e Vibe 97, Vol. 15, este último mixado pelo DJ Adriano Pagani.

Texto que veta uso pelo Facebook de conteúdo publicado na rede social 'não serve para nada'


Ele voltou. Um texto que circula há alguns anos no Facebook com uma declaração em que o usuário proíbe o uso de qualquer conteúdo postado por ele pela rede social voltou a ser bastante publicado nos últimos dias - uma medida sem qualquer efeito prático, segundo a empresa e especialistas.
Desde que surgiu pela primeira vez, o post já ganhou diferentes versões, todas com a mesma essência: declara o perfil como privado e veta a "divulgação, cópia, distribuição ou qualquer outra ação" de imagens, informações ou publicações, "tanto do passado como do futuro", pelo Facebook e organizações controladas pela empresa.
A razão disso seria o fato da rede social ter passado a ter suas ações negociadas em bolsa. "O Facebook agora é uma entidade de capital aberto", explica o texto, o que denuncia há quanto tempo ele é divulgado no site, já que a companhia abriu seu capital em 2012.
Por fim, afirma que não, ao não publicá-lo em seu perfil, a pessoa está "tacitamente" permitindo o uso de suas publicações.
O problema é que, ao se cadastrar no site e aceitar seus termos de uso, o usuário deu uma autorização explícita para o Facebook usar comercialmente os dados de seu usuário. E a publicação de uma declaração como esta não invalida a aceitação dessas condições.
"Não existe isso de consentimento tácito. Todo ambiente digital tem suas próprias regras, normas que governam seu uso. Todo usuário aceitou esses termos de uso. Declarações pessoais feitas pelos usuários não se sobrepõem aos termos de uso da plataforma", afirma Carlos Affonso Souza, diretor do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro e professor de Direito da Universidade Estadual do Rio de Janeiro.
"Por isso, não publicar o textão tem o mesmo efeito de publicá-lo: nenhum. Salvo o aborrecimento dos amigos que precisam ficar lendo essas declarações de independência autoral sem qualquer base."
No campo "Direitos e Responsabilidades" de seus termos, a rede social diz que o usuário retém os direitos de propriedade intelectual dos conteúdos que posta, mas, ao publicá-los em seu perfil, dá ao Facebook uma licença para usá-los e mostrá-los dentro de seu sistema.
À BBC Brasil, a rede social disse que "sempre circulam rumores de que o Facebook está fazendo mudanças relacionadas à propriedade da informação e do conteúdo que as pessoas postam na plataforma. Isso é falso."
"Qualquer um que utilize o Facebook é dono de seu conteúdo e controla a informação que posta, como deixamos claro em nossos termos de serviço. Toda pessoa na plataforma controla como seu conteúdo e sua informação são compartilhados. Essa é e sempre foi a nossa política."

Autorização
O fato de suas ações serem negociadas em bolsa não afeta esse contrato aceito pelos usuários ao abrirem suas contas. "O Facebook ter virado empresa de capital aberto não muda em nada no que diz respeito aos termos de uso aceitos pelos seus usuários", diz Souza.
Ele explica que, em relação a direitos autorais, é comum haver uma cláusula determinando que o que for postado pode vir a ser usado pela empresa que explora a rede social.
Geralmente, trata-se de uma licença global, não remunerada e não exclusiva que permite que a companhia possa usar as fotos esse conteúdo publicado online.
"Por (essa licença) ser não exclusiva, o usuário permanece como titular dos direitos sobre suas criações, mas, ao aceitar os termos de uso, autoriza que a empresa também use aquilo que ele coloca na plataforma", diz o especialista.
"Então não adianta postar declarações unilaterais, que não estão de acordo com os termos de uso nem amparadas por qualquer previsão legal que daria a elas o poder de revogar os termos que foram previamente acordados pelo usuário ao entrar na rede social."

Identificando um boato
Mas esse não se trata do único boato que circula no site. Outro recorrente afirma que a rede social passaria a cobrar para manter um perfil como uma página privada, caso a mensagem não seja publicada nele. E também já foi negado pela empresa.
Mas como, então, identificar estes boatos e não ser enganado? Thiago Tavares, especialista em Direito da Informática e presidente da ONG Safernet, dá algumas dicas:

Pergunte-se de onde veio a informação: muitos textos não costumam citar fontes, dificultando saber se é confiável. Não clique em eventuais links e busque em sites oficiais e de notícias para checar detalhes, como as leis mencionadas na mensagem sobre privacidade de dados: a "UCC 1 1-308-308 1-103" não existe, por exemplo, e o Estatuto de Roma existe, mas não trata de redes sociais.

Leia os termos de compromisso: é trabalhoso, mas essencial ao se cadastrar em um site. Se já os aceitou, leia novamente para relembrar. No caso do Facebook, é informado que seus dados podem ser usados comercialmente e compartilhados com serviços atrelados à rede, como jogos e sites de compras. Nenhum texto publicado no perfil anula esta autorização. Foi uma condição aceita para participar da rede.

Visite a seção de "configurações": no seu perfil, você pode mudar as configurações de privacidade e decidir quem, da sua rede de amigos e do público em geral, consegue ver seus dados e postagens e escolher que tipo de anúncios você não deseja receber, ainda que a empresa mantenha com ela os dados usados para saber quem você é e do que você gosta.
Baixe seus próprios dados: por meio da seção "Geral" das configurações do Facebook, você pode obter uma cópia dos dados que a rede possui sobre você. É uma maneira prática de entender o que exatamente o site sabe sobre você e ter uma noção de o quão exposto está.

Fonte: G1

Teori Zavascki autoriza quebra de sigilo telefônico de Eduardo Cunha

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a quebra do sigilo telefônico do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e rejeitou pedido similar da defesa do senador Edison Lobão (PMDB-MA). Ambos são investigados na Lava Jato.
A defesa de Cunha havia solicitado a quebra do sigilo do deputado e de Lobão há uma semana. O pedido foi feito na ação penal da Lava Jato na qual Cunha é réu no tribunal, acusado de ter recebido propina de US$ 5 milhões em contratos de sondas da Petrobras.
Os advogados solicitaram ainda uma perícia nos vídeos e áudios que compõem a delação premiada dos lobistas Júlio Camargo e Fernando Soares, o Fernando Baiano, e que sejam ouvidas 28 testemunhas, incluindo Lobão, 12 deputados e executivos.
A defesa de Eduardo Cunha destaca trecho de depoimento de Camargo, delator da Lava-Jato, em que ele afirma ter marcado em 2011 uma reunião com Lobão, então ministro de Minas e Energia, na base aérea do Santos Dumont, no Rio. Camargo teria dito que ficou surpreso com um requerimento da então deputada Solange Almeida (PMDB-RJ), hoje prefeita de Rio Bonito (RJ), solicitando informações de alguns contratos da Petrobras. De acordo com Camargo, Lobão respondeu que isso seria "coisa de Eduardo". Lobão teria então ligado para o deputado e perguntado se ele tinha enlouquecido. A quebra do sigilo telefônico dos dois mostraria que esse telefonema não ocorreu.
Camargo assinou acordo de delação premiada e afirmou que deputados aliados do peemedebista apresentaram requerimentos em comissões da Câmara pedindo informações a autoridades sobre a empresa Mitsui, prestadora de serviços da Petrobras e com quem Camargo mantinha negócios. Ouvido pelos investigadores, Camargo contou ainda ter desembolsado US$ 5 milhões em suborno para Cunha, por meio do lobista Fernando Baiano. O objetivo da defesa de Cunha é comprovar que Julio Camargo mentiu em seus depoimentos.

Fonte: Jornal do Brasil

Escritora relata sua vida após diagnóstico de autismo do filho, aos dois anos

Quando Theo, o único filho de Andréa Werner, foi diagnosticado com autismo aos dois anos de idade, em 2010, o mundo da jornalista e escritora pareceu ter virado de cabeça para baixo. Ao ouvir do médico que o menino tinha transtorno global do desenvolvimento, a sensação experimentada por ela era semelhante à de um forte soco no estômago. Completamente sem chão, ela só queria saber se ele ficaria curado, se ficaria bem, se iria falar e ser independente. Andréa enfrentava, naquele momento, o mesmo sentimento de impotência e desconhecimento vivido por milhares de mães ao serem informadas que seus filhos têm autismo. Daquele dia até o momento em que decidiu mergulhar fundo no assunto para ajudá-lo de todas as formas possíveis, ela passou por diversas etapas, do quase luto a descoberta de que existe vida, sim, apesar do autismo. A última delas resultou no livroLagarta Vira Pupa – A vida e os aprendizados ao lado de um lindo garotinho autista, que será lançado em julho em três cidades: Belo Horizonte, 14 de julho na Livraria Leitura, Shopping Pátio Savassi; São Paulo 16 de julho, Livraria da Vila, na Alameda Lorena, e, por último, no Rio de Janeiro, 17 de julho, na Livraria Argumento do Leblon.
“O livro vem para acolher e apoiar principalmente os pais, e isso vai desde a validação de todos os sentimento vividos no pós-diagnóstico – a negação, a barganha, a aceitação - até uma palavra de conforto para os dias difíceis, terminando em dicas práticas”, explica a autora, ressaltando que sua proposta é de que a obra também seja útil para familiares e profissionais que trabalham com crianças com deficiências ou simplesmente para pessoas que tenham vontade de aprender a lidar melhor com a diversidade e criar filhos mais abertos a ela.
Lagarta Vira Pupa – A vida e os aprendizados ao lado de um lindo garotinho autista é, na verdade, o resultado de um projeto maior sobre o qual Andréa se debruçou em 2012, dois anos após a descoberta do autismo de Theo: o blog que tem o mesmo nome do livro. Para surpresa da autora, o que inicialmente tinha como objetivo ser um canal de desabafo e troca de experiências entre pais que enfrentam o mesmo problema, o blog cresceu e caminhou rapidamente. Hoje é o maior do gênero sobre autismo e deficiências no Brasil e considerado por muitos especialistas uma referência. O blog Lagarta Vira Pupa tem 100 mil usuários, 200 mil pageviews por mês, 45 mil fãs no facebook, 11 mil seguidores no Instagram e 2,5 mil inscritos no Youtube. 
E foram todos esses seguidores que cobraram de Andréa Werner uma ideia que ela, em seu íntimo, já vinha amadurecendo aos poucos: o desejo de escrever um livro. Como a proposta da jornalista era fazer um projeto bonito, com papel de qualidade, colorido e com ilustrações que fizessem a diferença, ela recorreu a uma prática pouco comum aos autores que lançam livro no Brasil, a do financiamento coletivo. 


“As propostas que recebi de algumas editoras apontavam para algo mais simples, então decidi bancar o livro de forma independente. Foi um frio na barriga por não saber como a iniciativa seria recebida”, conta. A resposta veio imediatamente. Uma semana após a campanha ter sido lançada, arrecadou R$ 30 mil quando o prazo proposto pelo site que abraçou o projeto era de 60 dias. 
“Transformei o crowdfunding em uma “pré-venda com benefícios”, onde as pessoas podiam adquirir só o livro ou outros pacotes (o livro com um marcador com a patinha da Lola, nossa Golden Retriever, e a mãozinha do Theo”, explica. “Até hoje tem gente chorando porque ficou sem o desenho do Theo ou o marcador de livro” diz, feliz com o resultado. O livro Lagarta Vira Pupa... levou oito meses para ficar pronto e reúne alguns textos publicados no blog e outros inéditos. As ilustrações são assinadas por Kelly Vaneli, diretora de arte da empresa de entretenimento Time For Fun e responsável pelas instalações no Brasil de espetáculos como o Cirque du Soleil e musicais como Wicked.
Andréa Werner diz ter optado por mesclar textos publicados e inéditos por considerar que nem todos os seguidores a acompanham desde o início e considerava fundamental ter no livro textos escritos nos primeiros tempos de vida do blog. Para isso, a autora precisou editá-los para um formato mais atemporal e dar linearidade à obra. Ela afirma que um de seus objetivos é transformá-lo numa referência para pais que têm filhos autistas ou com qualquer deficiência, já que os obstáculos e os caminhos para enfrentarem os problemas são parecidos. “A vida não para, a gente tem que viver e dá, sim, para ser feliz após o diagnóstico de autismo. A criança está ali, viva, precisa viver. Nunca deixei de fazer nada com o Theo pelo fato dele ser autista”, defende. 
Após seis anos pesquisando e aprendendo sobre autismo, Andréa Werner diz ter constatado que algumas mães entendem mais sobre o transtorno do que muitos médicos. “Por isso decidi fazer essa ponte para novos pais que chegam no nosso mundo. O diagnóstico no Brasil ainda é tardio, por volta dos cinco anos, e a intervenção precoce é muito importante porque aumenta muito a chance da criança ser mais independente no futuro”, alerta, ressaltando que ainda existe muito desconhecimento sobre os sinais do autismo por parte dos pediatras.
Outra mensagem positiva que a autora pretende passar com a obra é o aprendizado e a transformação que viveu a partir da descoberta do diagnóstico do filho. “Passamos a ver o mundo de outra forma, a dar valor a coisas que realmente importam. Os autistas têm o dom de ver graça em coisas que as pessoas ditas “normais” desprezam, como as árvores balançando ao vento ou o efeito da luz do sol passando na poeira”.
Além da forma escolhida para concretizar a publicação do livro, Andréa também inova no que diz respeito à venda. A primeira tiragem de 2 mil exemplares será comercializada no próprio blog. “A forma como o projeto foi recebido, já vendendo quase 600 unidades (de 2 mil da primeira edição) na pré-venda, me deu uma noção real do impacto. Minha vida está ali no livro, é um projeto super pessoal. Por isso mesmo, resolvi vender em meu próprio site”, argumenta. 

Lançamentos: 
Belo Horizonte: 14 de julho 
Livraria Leitura, Shopping Pátio Savassi, Horário: 19h 
São Paulo: 16 de julho 
Livraria da Vila, Alameda Lorena, Horário: 15h 
Rio de Janeiro: 17 de julho 
Livraria Argumento, Leblon Horário: 17h

Fonte: Jornal do Brasil

Miguel Falabella fará piloto de avião em sua nova série na Globo. Nós contamos!

Depois do grande sucesso de “Pé na Cova”, Miguel Falabella já se prepara para voltar à grade de programação daRede Globo. Desta vez, o ator, que não descansa um só segundo, contou com exclusividade ao HT que no seriado dominical chamado “Brasil a Bordo”, que estreia no segundo semestre, ele dará vida a um piloto de avião bem atrapalhado que usa a internet para descobrir rotas e operar sua aeronave. “É a história de uma companhia aérea quebrada, como quase todas as coisas aqui no Brasil, né? A empresa é tão ruim que slogan é: ‘Prefere ir de ônibus?'”, disse, aos risos. “É um voo cego sobre o Brasil. Eu faço o comandante dessa viagem louca. É uma daquelas coisas que eu gosto: uma rixa entre os velhos e os novos. Os velhos acham que arruinaram a companhia, que quebrou. E os novos, que são completamente incompetentes”, adiantou. A nova série ainda terá no elenco nomes como Arlete Salles, Dani Calabresa, Ney Latorraca, Luis Gustavo, entre outros.

No entanto, apesar de seus trabalhos serem pautados pela comédia, não é de hoje que Miguel aproveita suas produções para dar vez e voz às minorias. Exemplo disso são os saudosos “Toma Lá, Dá Cá”, “Sexo e as Negas” e o já citado “Pé na Cova” que, vez ou outra, desfilavam personagens gays, negros, mulheres emponderadas… enfim, uma diversidade sem tamanho. “Eu sempre ressalto as minorias nos meu trabalhos. É essencial dar visibilidade. Já que a televisão é um espelho da sociedade, é importante que todos sejam vistos”, ponderou o ator workaholic, que também se prepara para uma peça de teatro, mas manteve segredo com a gente. “Eu estou prestes a estrear um monólogo, coisa que não faço há muito tempo, mas não vai precisar de Lei Rouanet nenhuma, já que será uma produção pequena. Porém, ainda não posso adiantar sobre o processo”, contou.

Aproveitando o gancho sobre a polêmica lei que dá incentivo aos artistas brasileiros, questionamos como Falabella tem observado as duras críticas feitas à medida, que também tem passado por momentos decisivos no senado Federal. “É fundamental que as pessoas resistam. Isso é resistência cultural, porque essa crise uma hora vai passar, mas os teatros ficarão. Independente de Lei Rouanet, a gente vai continuar fazendo teatro. Isso é uma grande bobagem, porque sempre se fez arte nesse país. A lei só propiciou que se fizesse grandes espetáculos”, avaliou.


Apesar das duras críticas, ele ainda se mostrou um grande entusiasta da medida. “Mas talvez não seja essa a grande vocação do Brasil. Talvez a gente tenha que ter um teatrinho safado e ordinário sem grandes espetáculos e sem cosmopolitismo”, ironizou. “Eu acho que esse ataque à Lei Rouanet é uma grande estupidez. É claro que ela precisa ser revista, mas desaparecer é estúpido. Porque junto dela desaparecem as grandes produções”, ponderou ele, que recentemente esteve de volta à bancada do “Vídeo Show”, programa que apresentou por quase 20 anos na Globo, mas descartou uma volta ao rodízio de apresentadores. “Foi bom, mas foi só um dia para matar a saudades”, completou.

Fonte: Jornal do Brasil

Linda de Balmain, Marina Ruy Barbosa comemora seus 21 anos em jantar íntimo


Dois queridinhos da TV brasileira comemoraram seus aniversários, nesta quinta (30). Primeiro, Chay Suede, que até recebeu mini homenagem de Caetano Veloso nas redes sociais, como contamos aqui.
Enquanto o galã completou seus 24 anos, Marina Ruy Barbosa celebrava a chegada de seus 21. A ruiva reuniu sua família e seus amigos mais queridos para um jantar discreto no restaurante Fasano, em São Paulo.
Dentre os convidados, é claro, estava Xandinho Negrão, o piloto de stock car que é o atual namorado da estrela. Marina, aliás, estava deslumbrante em um vestido da última coleção da Balmain. Fina…

Fonte: Jornal do Brasil

Mulher usa WhatsApp para avisar que matou o ex: 'Perdi a cabeça'


G1 - A mulher suspeita de matar um homem com quem mantinha um relacionamento confessou o crime à família da vítima logo após o homicídio, que aconteceu em Itanhaém, no litoral de São Paulo, na última terça-feira (28).
Segundo a Polícia Civil, Vancleves da Silva Lima, de 40 anos, foi até a casa de Joelina Nascimento Lima, de 42 anos, para terminar o relacionamento entre os dois. No entanto, na manhã de quarta-feira (29), Vancleves não tinha voltado para casa, e sua família entrou em contato com a Polícia Militar.
Chegando na residência da suspeita, na Rua José Manoel Lorenzo Leiro, no bairro Nova Itanhaém, os policiais encontraram o corpo da vítima.
Nas mensagens enviadas por meio do aplicativo de celular WhatsApp, e que foram obtidas com exclusividade pelo G1, Joelina conta para um sobrinho de Vancleves que matou o homem.
"Discutimos e nos agredimos. Tínhamos bebido. Sempre tinha uma faca ao lado da cama, no caso de alguém tentar entrar em casa. Perdi a cabeça. Chamei a polícia, mas ela não tinha chegado. Então, saí sem rumo", escreveu Joelina.
O parente da vítima ainda tenta acalmar a mulher, perguntando onde ela estava e afirmando que a ajudaria a ir até uma delegacia.
"Olha, tudo vai se resolver. Não precisa se preocupar tanto. Tenha fé", disse.
O caso foi registrado no 3º Distrito Policial de Itanhaém, e o delegado Jaime Marcelo da Fonte Nogueira investiga o caso. Apesar de ter falado, via WhatsApp, que iria se entregar, Joelina fugiu e, até a manhã desta sexta (1º), não havia sido encontrada pela polícia.

Letícia Spiller posa ao lado do filho e de ex-marido: Muito amor envolvido"


Letícia Spiller e Marcello Novaes contaram com a presença do filho Pedro Novaes, de 19 anos, durante as gravações de Sol Nascente, próxima novela das 18h da TV Globo, em Búzios. A atriz compartilhou em seu Instagram, nesta sexta-feira (1), uma foto ao lado do ex-marido e do filho nos bastidores da trama em que será Lenita par romântico de Vitorio, interpretado por Novaes.
"Muito amor envolvido. Família, gravação, Lenita e Vitorio", escreveu a atriz na legenda da imagem.
Os atores começaram um romance quando protagonizaram o casal Babalu e Raí, na novela Quatro por Quatro (1994) e permaneceram juntos por mais quatro anos. Segundo a coluna Diário da Fama, do jornal Diário de S. Paulo, o filho de Marcello e Letícia estaria adorando ver os pais juntos nas telinhas novamente.
Em entrevista à QUEM, a atriz falou sobre a primeira cena com o ex. "Nossa primeira cena foi muito difícil, com três páginas e meia de texto. Conversamos bastante antes da gravação, para que tudo saísse perfeito. Tomara que esse casal faça o mesmo sucesso que o outro."

Fonte: QUEM

Demi Lovato posa nua para promover novo single


A cantora Demi Lovato postou algumas fotos nuas em uma cama, na noite da última quinta-feira, 30, para promover seu novo single chamado "Body Say".
No total, foram cinco fotos publicadas em sua conta no Instagram. Nas imagens, a cantora colocou trechos da música nas legendas.
A primeira foto é a imagem original da capa de "Body Say". A única diferença é que, na que foi postada na rede social, a cantora não está coberta com um lençol.

Caso Luiza Brunet: ex está proibido de se aproximar dela

O empresário Lírio Albino Parisotto, de 62 anos, está proibido de aproximar e de manter contato com a ex-mulher, Luiza Brunet, de 54 anos, de acordo com o Ministério Público de São Paulo. A atriz e ex-modelo afirmou que foi agredida e que teve costelas quebradas pelo companheiro em Nova York, nos Estados Unidos no último dia 21 de maio. Parisotto diz que lamenta 'versões distorcidas' do episódio ocorrido na intimidade e que vai prestar esclarecimentos nas esferas legais.
Após pedido do MP, a Justiça decretou as medidas protetivas na terça-feira (28), que determinam que o ex-marido fica proibido de se aproximar da atriz e de manter contato com ela por qualquer meio.
De acordo com o MP, Luiza registrou queixa no Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica (GEVID), relatando ter sido vítima de agressão doméstica, no dia 23 de junho. O promotor de Justiça responsável pela investigação do caso, Carlos Bruno Gaya da Costa, pediu exames de corpo de delito. O processo está em segredo de Justiça.
Após o episódio de violência, a atriz e modelo se separou do empresário, com quem tinha uma união estável, informou sua assessoria de imprensa.
De acordo com o advogado de Luiza, Pedro Egberto da Fonseca Neto, o caso será apurado pela Promotoria da Vara da Violência Doméstica do Ministério Público (MP) de São Paulo porque Parisotto tem residência no estado.

Agressão
A informação de que Luiza apanhou do empresário foi divulgada nesta sexta-feira (1º) pela coluna do jornalista Ancelmo Gois, de "O Globo". O G1 confirmou a acusação com a assessoria da atriz.
“Tudo o que tinha de ser dito, ela [Luiza] disse na coluna do Anselmo Gois”, respondeu o advogado da artista ao ser indagado se ela poderia falar com a equipe de reportagem sobre o caso.
De acordo com a coluna, Luiza contou ter sido agredida, tendo inclusive as costelas quebradas pelo então companheiro após eles jantarem com amigos em um restaurante em Nova York. Segundo o relato dela, o casal saiu do estabelecimento e foi ao apartamento dele, onde o homem deu um soco na atriz, seguido de chutes.
Luiza informou à coluna que Parisotto a derrubou no sofá e a imobilizou até quebrar quatro costelas dela. Ela conseguiu se trancar no quarto e no dia seguinte foi para o Brasil.
De acordo com uma assessora, a artista desembarcou no Rio de Janeiro e, após conversar com uma amiga, viajou a São Paulo, onde prestou queixa no MP. A modelo ainda realizou exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML), mas não registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil, segundo seu advogado.
Em sua página no Facebook, a modelo postou em 25 de maio, quatro dias após o incidente, uma foto com parte do rosto coberto pelos cabelos e uma frase: "A maquiagem forte esconde o hematoma da alma". Luiza é embaixadora do Instituto Avon, que faz campanha contra a violência doméstica.


Fonte: G1

Tristeza: Mãe mata filho de dez meses para se vingar do companheiro


A dona de casa Aline Alves de Jesus, 28 anos, foi detida na manhã desta quinta-feira, 30, suspeita de matar o próprio filho, um bebê de apenas 10 meses, durante uma discussão com o marido, durante a madrugada. O crime ocorreu na casa do casal, na Rua São Francisco, na Lama Preta, em Camaçari (Grande Salvador).
Na delegacia, ela contou que arremessou o pequeno Messias de Jesus Leite ao chão, para se vingar do companheiro, um homem identificado apenas como Leite. "Fui eu mesma. Foi só uma brincadeira, queria dar um susto nele, queria me vingar. Quando fiz que ia jogar o menino no chão, ele escorregou e bateu a cabeça", lembrou a mulher, afirmando que não tinha a intenção de matar o filho.
Desnorteada e gritando muito, ela afirmou que brigas entre ela e o companheiro eram constantes. "Ele gasta o dinheiro da minha pensão todo com cachaça. Tenho que pagar R$ 400 no bar, não sobra nada para comprar as coisas para dentro de casa", revelou a mulher, chorando. Ela afirmou ter problemas psicológicos e tomar remédios controlado.
De acordo com a delegada Taís Siqueira, titular da 18ª Delegacia de Camaçari, uma vizinha do casal afirmou que Aline já vinha ameaçando matar a criança. " A vizinha disse que ouviu ela dizer que ia matá-lo. Essa não foi a primeira vez que ela agrediu o bebê. Conseguimos prendê-la, mas infelizmente, a criança morreu", lamentou a delegada. 

Homicídio qualificado
Messias morreu às 08h37 da manhã desta quinta-feira no Hospital do Subúrbio, horas depois de ser transferido de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Camaçari. Ele foi internado com vários hematomas na cabeça e teve duas paradas respiratórias.
"O pai tentou socorrê-lo. Quando a vizinha pegou ele [Messias] já estava desmaiado e roxo", informou a delegada. Segundo ela, o pai não será responsabilizado pela morte da criança. Aline foi autuada em flagrante por homicídio qualificado por motivo fútil e pode ter a pena agravada pelo fato da vítima ser menor de 14 anos.

Fonte: Portal A Tarde

Carolina Kasting anuncia nascimento de seu segundo filho: 'Nasceu o Tom'


Carolina Kasting deu à luz seu segundo filho nesta quinta-feira, 30, na Perinatal da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. A atriz já era mãe de Cora, de 11 anos, do casamento com o designer Maurício Grecco. Carolina anunciou o nascimento do bebê em seu perfil no Instagram nesta sexta-feira, 1. "Nasceu o Tom. O Tom da cor. O Tom do som. Tom. Bem-vindo ao mundo, meu filho. #carolinakasting #meufilhotom #nasceu #tom @grecco.cora @rafaelgrecco__ @mauriciogrecco", escreveu a atriz na legenda de uma foto em que aparece com o bebezinho no colo.
De acordo com a assessoria de imprensa de Carolina, o bebê se chama Tom Arruda Grecco. Já a assessoria da maternidade Perinatal da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, informou que ele nasceu de parto normal, com 3,410 kg e 49,5 cm. Ainda segundo o hospital, mãe e filho passam bem.
A irmã, Cora, também paparicou o mais novo membro da família em foto compartilhada por ela em seu perfil no Instagram. "Tom Arruda Grecco. Adoro que ele me adore! Eu já o amo como sempre! Meu menino!", se derreteu na legenda. Em seguida, ela postou mais uma foto, desta vez tirada por ela: "Sem palavras! foto:eu #babyboy #nossomenino #tom #cora #carolinakasting @kastingcarolina @mauriciogrecco @rafaelgrecco__".
Recentemente, na reta final da gestação, Carolina falou sobre maternidade em post na web. "Ter um filho é um ato de fé. De fé no absoluto, no que está por vir. Nesse mundo tão perverso, é acreditar que o amor pode existir. Que a mudança maior se dá em cada indivíduo. A Fé independe da crença, ela é", escreveu.



Fonte: EGO

Fergie sensualiza com garrafa de leite em novo clipe

Fergie aparece sensualizando com garrafa de leite em novo clipe. A cantora, de 41 anos, lançou nesta quinta-feira, 30, sua nova música, “MILF Money”, que estará em seu segundo albúm solo, intitulado “Double Dutchess” - com previsão de lançamento para o segundo semestre desse ano.
Recentemente, Fergie se apresentou no Rock in Rio Lisboa, em Portugal. Além de singles mais recentes e sucessos do Black Eyed Peas, a cantora aproveitou o palco europeu para cantar músicas do álbum novo, "Hungry", além de publicar um teaser nas redes sociais. Detalhe: ela não lançava um disco solo desde 'The Dutchess', em 2006.



Fonte: EGO

Luiza Brunet denuncia ex-companheiro por agressão: 'Doloroso me expor'

Rio - A atriz e ex-modelo Luiza Brunet acusou o ex-companheiro Lírio Albino Parisotto, de 62 anos, de agressão após o término de cinco anos de namoro. O desabafo foi feito em entrevista ao colunista Ancelmo Góis, do "O Globo." De acordo com Luiza, a violência ocorreu em Nova York no apartamento dele, na madrugada de 21 de maio. O caso foi levado ao Ministério Público de São Paulo. "Eu sempre tive uma família estruturada e sempre fui discreta em minha vida pessoal. É doloroso aos 54 anos ter que me expor dessa maneira", disse Luiza. 
Segundo Luiza, a agressão começou quando ela o convidou para uma exposição de fotos, durante um jantar com amigos, mas ele se "alterou" e disse que não queria mais ser confundido com seu ex-marido, como já havia ocorrido outras vezes.


"Fui para Nova York acompanhá-lo para o evento Homem do Ano. Saímos do restaurante e pegamos um Uber. Ao chegar ao apartamento, ele me deixou dentro do carro e subiu", disse Luiza. Ela relatou ter levado um soco no olho e chutes. Luiza foi imobilizada e teve quatro costelas quebradas.
Escondida, ela deixou o apartamento no dia seguinte e voltou para o Brasil, onde fez um exame de corpo de delito no IML e prestou queixa ao MP.
Ela disse que tinha vergonha de falar sobre o caso, mas contou para dar força para muitas brasileiras que passam pelo mesmo. "Eu criei coragem, perdi o medo e a vergonha por causa da situação que nós, mulheres, vivemos no Brasil. É um desrespeito em relação à gente. O que mais nos inibe é a vergonha. Há mulheres com necessidade de ficar ao lado do agressor por questões econômicas, porque está acostumada ou mesmo por achar que a relação vai melhorar", afirmou Luiza.
No dia 8 de junho, ela publicou em seu Instagram a imagem de uma mulher com hematomas e incentivou as mulheres a denunciarem as agressões sofridas.

Fonte: Jornal O Dia

Mônica Iozzi é alfinetada em cena de 'Haja Coração'


A desistência de Monica Iozzi para atuar na novela "Haja Coração" vai ser alvo de uma alfinetada do autor, Daniel Ortiz, na trama das sete. A atriz deixou o elenco do folhetim baseado em "Sassaricando" (1987) alegando que não queria fazer comédia. Com isso, acabou escalada para a série "Vá De Retro", adiada para o ano que vem.
Quem vai ironizar a situação é Fedora (Tatá Werneck), ao convidar alguns famosos para um passeio em Angra dos Reis, na Costa Verde do Rio de Janeiro. Em cenas previstas para irem ao ar no dia 8, a mimada conversa por telefone com Angélica, criticada ao usar o celular enquanto gravava o "Estrelas". "Ai, Angélica (que não deve ser vista na sequência), você vai adorar o Leozinho (Gabriel Godoy). Não quero botar seu marido pra baixo, mas o (Luciano) Huck não chega aos pés do meu príncipe. Não, o Walcyr Carrasco não vai, tá escrevendo novela", dispara
A informação é do colunista de TV Daniel Castro nesta quinta-feira (30). Em seguida, e querendo mais seguidores em suas redes, a filha de Teodora (Grace Gianoukas) ironiza a ex-apresentadora do "Vídeo Show". "A Monica Iozzi confirmou? Vê bem, porque ela confirma e não vai", brinca. "Grazi (Massafera) vai?! Que luxo!", finaliza Fedora, citando a namorada de Patrick Bulus, com quem tem feito viagens de helicóptero.

Monica seria a protagonista
Inicialmente, a ex-namorada de Klebber Toledo, eles se separaram em maio após quatro meses juntos, iria interpretar Tancinha, mas desistiu do papel. Depois, a feirante caberia a Paolla Oliveira, porém a atriz não pode aceitar a personagem porque estava gravando "Além do Tempo".
No final, Tancinha acabou ficando para Mariana Ximenes, que abriu mão do papel de vilã em "Liberdade, Liberdade". No meio disso, Monica disse queinterpretaria uma personagem não cômica no folhetim.

Fonte: Rondônia Dinâmica