terça-feira, 12 de julho de 2016

Lula ironiza Lava Jato e diz que derrotar impeachment 'está mais fácil'

Petrolina, 12 - Em entrevista à Rádio Jornal de Pernambuco, em Petrolina, nesta terça-feira, 12, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva comparou as investigações da Operação Lava Jato sobre ele com um "carrapato" que o incomoda e afirmou ainda que "derrotar o impeachment, hoje é mais fácil do que antes".
"Todo dia alguém diz que vai falar o nome do Lula. Estão há dois anos investigando e duvido que se ache um empresário a quem eu pedi R$ 10", disse. Questionado se as investigações o incomodam, o petista respondeu: "Dizer que não incomoda seria mentira da minha parte. Isso incomoda como uma coceira. Já teve carrapato?", ironizou para em seguida completar.
"Eu já fui prestar depoimento sobre as minhas viagens, sobre medida provisória, sobre depoimento do Delcídio. Acho muitas das perguntas insólitas, mas eu sou um cidadão igual a qualquer um. Eu não estou acima da lei, se eles acham que houve algum problema eles têm que investigar. Fiquei muito ofendido quando invadiram a minha casa, mas tudo bem".
Questionado se ainda haveria tempo para reverter o impeachment, o petista não escondeu o otimismo. "Eu acho que hoje, para derrotar o impeachment é mais fácil do que antes. Porque antes você tinha Câmara - que é praticamente incontrolável. Depois você tinha a admissibilidade. Agora, a Dilma está dependendo de seis votos. Ou seja, são seis senadores apenas que podem mudar o destino do País, devolvendo para a Dilma o mandato popular que o povo deu a ela, e portanto, somente o povo deveria tirá-la, ou até o Congresso, se ela tivesse cometido um crime. Como não há um crime factível, comprovado cometido por ela, pressupõem-se que a decisão é eminentemente política".
Lula disse ainda que "se sente extremamente triste pela maneira como aconteceu (o impeachment) e que a presidente afastada não merecia o tratamento recebido". "Jamais imaginei que a Dilma fosse sair daquele jeito do governo. Eu não queria ter vivido aquele momento", destacou para em seguida defender a correligionária. "Dilma foi vítima de um mau humor que contaminou o Brasil desde 2013. Pegaram a presidenta numa situação de baixa popularidade e aí a maioria (de parlamentares) resolve destituí-la. A falta de base parlamentar não é motivo para destituí-la. Não é porque ela está com baixa popularidade que você pode afastar. No presidencialismo não é assim", condenou.
Na avaliação do petista, Dilma começou a perder apoio quando quebrou a promessa de não mexer no bolso do trabalhador. "Ninguém se conformou de Dilma ter dito durante a campanha que não ia mexer no bolso do trabalhador e depois ela ter colocado em prática um programa que era do adversário. Ela já tinha feito reuniões com os sindicatos, mas foi anunciado um pacote que jogou os sindicalistas contra ela".
O ex-presidente disse ainda que o País está vivendo uma fase de pessimismo generalizado. "Em dezembro de 2014 o Brasil chegou a 4,3% de desemprego, é uma coisa de primeiro mundo, mas de repente a coisa desandou. Houve uma mistura de coisas equivocadas na economia para evitar que a presidenta governasse. Agora precisamos parar para consertar, primeiro evitando esse falso impeachment que inventaram para a Dilma".
Sobre uma possível candidatura à Presidência em 2018, Lula afirmou que "se o Brasil der certo" não vai concorrer. "Se tudo estiver bem, se der certo, porque eu precisaria ser presidente outra vez?". O petista ainda brincou ao dizer que "política é que nem uma boa cachaça, você começa e não quer parar mais".

Fonte: EM.com.br

Whindersson Nunes gera revolta na comunidade LGBT


O Tempo - O youtuber Whindersson Nunes causou revolta a comunidade LGBT. Ele criou uma paródia da música "Sosseguei", da dupla sertaneja Jorge & Matheus, criticada por ofender e estereotipar homossexuais.
A versão do vlogger, "Eu virei gay", é de 30 de abril, no entanto, a confusão ganhou um novo capítulo quando, nesta segunda-feira (11), Whindersson postou no Twitter uma foto com uma pose "afeminada", com casaco de pele e escreveu na legenda "close certíssimo". Ofendidos, os fãs do youtuber expressaram sua revolta nos comentários da foto, veja clicando aqui.


Enquanto isso, a polêmica parceria de Nunes com o humorista Tirulipa já ultrapassou a marca dos 10 milhões de visualizações no YouTube. As imagens trazem Whindersson e seus amigos maquiados, acompanhados de vários homens. Algumas cenas do clipe da dupla foram gravadas nos arcos da Lapa, Rio de Janeiro.

Audição de candidatos se torna alvo de uma avalanche de denúncias e críticas pelas redes sociais; até vencedoras de reality do Multishow são reprovadas

Fila para o X-Factor de São Paulo
No último sábado (9), ocorreu em São Paulo o primeiro dia de audições para “X Factor Brasil”, que será exibido pela Band. No entanto, a seleção se tornou alvo de uma avalanche de denúncias e críticas pelas redes sociais por parte dos aspirantes a cantores, que apontaram maus-tratos por parte da produção do reality show. 
Cerca de 10 mil candidatos estiveram presentes no processo seletivo. “Foi muito mal organizado, foi desumano. Eu cheguei às 6h, já que o portão abriria só às 8h, e só entrei depois de seis horas de fila. Foi um negócio muito malfeito, foi realmente nojento, passamos muito frio e depois, quando o sol veio forte, não tinha um único lugar com sombra pra gente ficar, eu tô com o rosto ardendo demais”, revela o cantor Felipe Razzo, que participou da primeira seleção de candidatos do reality show.
O cantor ainda argumenta que a percepção de várias pessoas era a de que vários candidatos presentes já haviam sido pré-selecionados para a atração.
“Eu senti que a gente era só figurante do programa, eles pareciam ter os candidatos pré-escolhidos. Tinham duas meninas no local, que antes de serem chamadas para suas audições, já haviam sido entrevistadas umas seis vezes. Eles usaram o pessoal todo que estava lá, essa é a grande verdade. Foi como se já tivessem seus escolhidos, mas fizeram a chamada geral para mostrar que haviam muitos participantes nas gravações”, comenta.
A página oficial do programa no Facebook está repleta de reclamações e denúncias, que em sua maioria se resumem a maus-tratos, falta de organização, filas demoradas, além do problema mais citado nas redes: falta de banheiros.
Num dos posts, Leonardo Oliveira fala de sua indignação com o tratamento dado ao seu irmão, que disputava uma vaga, passou na primeira audição, mas não conseguiu entrar no segundo dia de testes. “Bom dia, eu e a minha família estamos indignados pelo fato de o meu irmão, Leandro Oliveira, ter sido uns dos selecionados para a primeira audição, que foi ontem (sábado), em São Paulo, na arena Corinthians, e não conseguir entrar para realizar o sonho dele”, escreveu Leonardo. “O que vocês da Band fizeram com o meu irmão foi uma falta de respeito. Nós, familiares e amigos, fizemos uma vaquinha para ele ir até São Paulo realizar o sonho dele”.
Juliano Casagrande escreveu: “Eu não passei na audição com toda razão… Fiquei das 6h45 em pé, com fome, frio e dolorido, e só fui ouvido às 22h45 por um senhor da tenda 12 que estava revoltado. Não dei o meu melhor… Fica registrado que eu moro em São Paulo tranquilo, mas muita gente veio de outros Estados e foi desrespeitada… ‘X Factor Brasil’: um lixo”.
Segundo os testemunhos, os candidatos rejeitados ganhavam uma marca “X” na mão, não removível com água, para evitar que voltassem à fila e tentassem passar no teste novamente.
“Me perguntaram no metrô, enquanto eu estava voltando tarde da noite, o que era aquele ‘X’ na minha mão. Tive que dizer: é que eu fiquei 15 horas dentro de um ônibus do Espírito Santo pra cá para participar de um programa que recebeu dezenas de milhares de participantes e trataram cantores profissionais e amadores talentosos como lixo”, escreveu o candidato Thales Cardoso.
Letícia Oliveira fez um apelo na página: “Por favor, no ano que vem, coloquem PRODUTORES e não AMADORES que nem sabem o que são melismas e que só humilharam grande parte dos candidatos que fizeram as audições super cansados por causa da falta de organização de vocês”, escreveu. “Eu não consegui fazer minha audição, mas foi até bom, porque do jeito que eu estava, não ia aguentar ser humilhada por amadores”, escreveu a cantora.
Num outro post, Nathália Quirino afirmou que está recolhendo relatos “para mandar diretamente pro Simon, tudo devidamente traduzido”. Ela se referia a Simon Cowell, famoso criador e jurado do “X Factor” original, que é realizado no Reino Unido.


Vencedoras do Multishow são reprovadas
Vencedoras do reality show da Multishow "Fábrica de Estrelas", Ani Monjardim e Natascha Piva tentaram a sorte nas seletivas preliminares do programa "X Factor Brasil". As duas, integrantes do grupo Girls, foram à Arena Corinthians neste fim de semana, no bairro paulistano de Itaquera, mas não passaram de fase. O programa "Fábrica de Estrelas" foi idealizado por Rick Bonadio, que é jurado do "X Factor Brasil", mas Ani e Natascha não foram avaliadas por ele.



Sobre o programa
“The X Factor” é uma competição musical da televisão britânica que procura talentos musicais. Criado por Simon Cowell, o show estreou em 2004.

Fiuk desabafa sobre Fabio Jr. a Xuxa: ‘Pai ausente’


Um dos maiores sucessos de Fábio Jr., a música Pai poderia ser cantada para ele pelo filho Fiuk. Versos como “Pai, você foi meu herói, meu bandido” caem bem como trilha da relação entre Fábio Jr. e Fiuk, que quase desistiu da música por mágoa do pai. “Ele era ausente”, disse o cantor de 25 anos à apresentadora Xuxa, na noite desta segunda-feira, na Record.
“Todo mundo que me via falava: ‘Filho do Fábio Jr: filho de peixe, peixinho é’. Só que isso pegava meio errado na minha cabeça. Eu era criança, não entendia por que meu pai era ausente. Depois que cresci, entendi. Mas peguei um pouco de asco. Não vou fazer o que meu pai faz porque ele é ausente. Quero ser qualquer coisa na vida, menos cantor. Eu era muito sensível e ainda sou. Mas hoje estou tratando”, disse.


A culpada pela carreira musical de Fiuk, que também é ator, foi sua mãe, Cristina Karthalian, que o incentivou a tocar violão aos 8 anos. “Eu criei uma coisa em volta de mim. Cantar? Imagina. Então, quando descobri a paixão, fiquei com vergonha. Demorei anos para falar para o meu pai que tinha banda. Minha mãe teve que me dar a primeira guitarra escondida do meu pai. Quando vi, já amava música. Tive que assumir para mim mesmo, para o meu pai, para a minha mãe, e eu já tinha dois anos de banda.” A vergonha com relação ao pai foi quebrada depois que Fiuk gravou uma música de Fabio Jr., o hit Só Você.


Fiuk ainda falou sobre a fama de pegador, outra característica compartilhada com o pai, e disse que a diferença é que é “mais quietinho”.

Fonte: Veja

O Melhor das Novelas - em dose dupla: com Maria Bethânia

Vamos lembrar de duas músicas da cantora que estiveram em trilhas sonoras de novelas: a primeira se chama 'Tá Combinado', tema da protagonista Raquel em Vale Tudo (1988) e do também protagonista Ivan, vividos por Regina Duarte e Antônio Fagundes.


A outra música que fez sucesso se chama 'Fera Ferida', uma composição de Roberto Carlos e interpretada pela própria cantora, inserida na coletânea Nacional - Volume 1.

Globo exibe hoje primeira cena de sexo homossexual

Em 2014, a Globo exibiu o primeiro beijo entre dois homens no último capítulo de “Amor à Vida”, com um carinho entre Félix (Mateus Solano) e Niko (Thiago Fragoso). Dois anos depois, a dramaturgia dá mais um salto na luta contra o preconceito: nesta terça-feira (12), vai ao ar a cena em que André (Caio Blat) e Tolentino (Ricardo Pereira) farão amor em “Liberdade, Liberdade”. A sequência é aguardada com expectativa e, pelo que foi revelado, terá beijos e bumbuns dos atores à mostra.
Na segunda (11), o autor da novela das 23h, Mario Teixeira, participou do programa “Encontro com Fátima Bernardes” e comentou a cena. “Eu acho que é uma quebra de tabu, mas já veio tarde. Quando escrevi a cena, discuti muito com o Vinícius Coimbra (diretor artístico) e decidimos fazer como se fosse uma cena de amor. Não um amor homossexual ou um amor heterossexual, um amor de verdade”, disse ele.


E não parou por aí. “O amor vai muito além do gênero ou do sexo. É uma quebra de tabu. Mas, ao mesmo tempo, é importante a gente dizer que está chegando tarde. Temos testemunhado tantos crimes horrorosos de homofobia e tudo mais. A gente precisa se posicionar, não a favor ou contra. Muito menos contra. Mas de se posicionar que as pessoas só serão felizes se respeitarem o outro. O respeito é fundamental”, filosofou Mario.
É claro que nem todos pensam como o autor: na internet, uma campanha pede boicote à trama. “Você ainda assiste à Rede Globo? Está na hora de deixar de assistir...”, inicia o anúncio compartilhado nas redes sociais. “Dia 12, o demônio agirá, por meio desta emissora, que transmitirá cenas de sexo gay numa de suas novelas! Você, católico, não pode servir a dois senhores”, finaliza. 
A campanha contrária irritou Mateus Solano – que também está no elenco de “Liberdade”, na pele do vilão Rubião. “Amor x Igreja... Até quando?”, questionou ele nas redes sociais.

Fim trágico (com spoiler)
Viver o amor com tanta intensidade resultará em uma tragédia para André. Como em 1808, época em que se passa a novela, a homossexualidade era um crime, o personagem será condenado à forca. Ele será denunciado por Gironda (Hanna Romanazzi), que verá os dois homens se beijando e contará tudo às autoridades. “Vi um homem com outro. Um efeminado, um fanchono! Cometendo um crime! O pecado da pederastia! Tendo relações”, gritará a prostituta.
Preso, André será questionado sobre a acusação, mas se negará a contar. “O que faço na minha vida privada é de minha responsabilidade. Não revelarei nada sobre minha vida pessoal”, responderá ele, que ainda será rejeitado por Tolentino após o capitão temer por sua vida. Fortes emoções!

Fonte: Diário de São Paulo