domingo, 25 de setembro de 2016

Dance Mania: Olga Maria de Souza, da banda Corona, em Gimme Love

Dessa vez, a brasileira Olga Maria de Souza apresenta a sua voz em Gimme Love, no álbum Y Generation, lançado em 2010. Ela é uma das compositoras da música.

Polêmica
O site Discogs revelou que não é a Olga quem canta a canção The Rhythm Of The Night, sendo que ela apenas dublou a canção, e diz também que os verdadeiros vocais são de Giovanna Bersola, que mais tarde veio a se chamar Jenny B. Algumas fontes afirmaram que quem cantava os sucessos 'Baby Baby', 'I Don't Wanna Be A Star', 'The Power Of Love' e 'Magic Touch', era a cantora Sandy Chambers, a parceira de Benny Benassi em 'Illusion'. Ela estava na banda até 1998.
Porém, ela negou em entrevista ao site EGO que tenha dublado as músicas, e até hoje não foi apresentada nenhuma prova contra Olga.

Ouça Gimme Love:

Casada, Letícia Spiller acha ótimo trabalhar novamente com o ex, Marcello Novaes

Rio - Letícia Spiller conheceu Marcello Novaes nos bastidores de ‘Quatro Por Quatro’, novela da Globo em 1994, em que interpretaram o casal Babalu e Raí. Foram casados por cinco anos e tiveram um filho, Pedro, de 19, anos. Depois da separação, o ex-casal manteve contato por causa do filho e também por amizade e respeito. Tanto que 22 anos depois, quando o ex da atriz soube que a novela ‘Sol Nascente’, da Globo, precisava de uma atriz que cantasse, ele não pensou duas vezes. “Aí ele falou: ‘a Letícia canta, chama ela’. Ele nem sabia que era para fazer par comigo”, lembra a loura.


TRAMA
Na novela de Walther Negrão, Letícia interpreta Lenita, uma roqueira desapegada, prática e independente. Já Marcello, Vittorio, um padeiro gente boa. Os personagens são amigos, mas o público torce para que a amizade vire algo mais. “Eu imaginei que no dia que a gente voltasse a trabalhar junto isso ia acontecer. Não tinha dúvidas de que a gente se esbarraria de novo. Com certeza, as pessoas iam adorar. Foi uma química. A gente se dá muito bem trabalhando, fora do trabalho também, não tem como dar errado, eu acho”, acredita. Para compor a personagem, que é motoqueira, a atriz precisou ganhar cinco tatuagens, uma delas grande no braço. “Adoraria ter tatuagem nos braços, sempre quis. Mas é difícil para atriz. Apesar de existir maquiagem para esconder, dá trabalho”, confessa ela, que tem um falcão persa desenhado no cóccix.

VOLTA DO EX-CASAL
Aos 43 anos, Letícia percebe que a torcida pelo ex-casal tanto na vida quanto na ficção é forte também nas redes sociais. Recentemente, ela postou uma foto dos famosos personagens deles e viu seu Instagram reagir em massa. “Muita gente está adorando a ideia de ser de novo um casal, foi uma febre naquele momento. Estamos revivendo a parceria e está sendo muito bom. Ótimo”. Mas o encontro, que para o público tem um tom saudosista, para a atriz é algo rotineiro. Ela e o ex estão sempre em contato, o convívio é comum também pelo filho, Pedro. Eles nunca deixarão de ser família. “Mesmo depois de separados, acho que a gente soube preservar o que é uma família de verdade. Independentemente de qualquer coisa, temos que somar, não subtrair, não criar mais obstáculos que a vida já tem. Temos que aprender a ser feliz. É claro que se ele fizer algo errado, vou falar para ele: ‘está fazendo uma besteira’ (risos). Mas nunca aconteceu. Graças a Deus, a gente sempre se respeitou. Às vezes, peço um colinho para ele”, conta.

FILHO EM CENA
Quem aproveitou esse momento especial para tirar uma casquinha foi Pedro, o herdeiro do casal. “Diz ele que é histórico: ‘É histórico, mãe, esse momento, então eu vou!”, lembra a atriz. Pedro, que é baterista da banda Fuzz, fez sua estreia em novelas na trama de Walther Negrão, como Vittorio, personagem do pai, em cenas de flashback. Como diz o ditado “quem sai aos seus não degenera”, o rapaz também já atuou em outras produções para orgulho da mamãe coruja. “Ele fez ‘Bodas de Sangue’ comigo, entrava no coletivo, com Amir Haddad. Porque ele queria. Ele tem um bicho dentro dele. Ele fez o curta ‘Joãozinho de Carne e Osso’, que eu produzi e ele era o protagonista. O longa ‘O Casamento de Gorete’ ele fez uma participação. Está na vida. Ele é mais da música, é do batuque”, salienta a atriz.

CIÚMES DO HERDEIRO
A bela forma física de Spiller nunca foi problema para o filho, que é bem tranquilo e, segundo a mãe, nunca foi um adolescente rebelde ou problemático. “Ciumento não, ele é cuidadoso. É um menino muito amigo, muito companheiro nosso. Um doce de menino, graças a Deus. Todo mundo vem elogiar: ‘Nossa, como ele é educado!’. Mãe fica babando, né?”, gaba-se.

BOA FORMA FÍSICA
Para manter a boa forma, a atriz cuida da alimentação e procura fazer exercícios regularmente. Isso quando tem tempo. “Mussarela de búfala, pão sem glúten, tapioca, gelatina, que eu tomo só quando eu malho. Adoro chá, tem um ótimo de maçã com gengibre e mel, que é muito bom para a pele. Aí, quando dá, faço um aeróbico, mas não estou conseguindo. Dança, que eu adoro, qualquer tipo de dança, até dança flamenca, que eu fiz uma aula experimental e adorei, quero continuar, mas estou sem tempo”, conta.

FILHA ARTISTA
Após nove anos da separação com Novaes, Letícia e Lucas Loureiro assumiram relacionamento e, dois anos depois, a atriz deu à luz Stella, de 5 anos. Mesmo com a correria de fazer duas novelas praticamente consecutivas — antes de ‘Sol Nascente’, ela esteve em ‘I Love Paraisópolis’ —, a loura garante que encontra tempo para estar sempre presente na rotina da caçulinha e do primogênito também. “A gente arruma tempo para filho. Não tem esse jeito, a gente dá um. Tem que ter. Filho em primeiro lugar para tudo”, frisa. Enquanto o filhão é músico, a mãe babona dá alguns pitacos sobre qual pode ser o futuro da filha. “Artista? Talvez em outra área, que não seja de representar. Talvez figurinista, não sei. Talvez ela enverede para alguma área artística que não seja atuando. Não sei, é a minha intuição de mãe”, palpita.

Fonte: Jornal O Dia

VIOLÊNCIA - Confronto entre PMs e bandidos causa pânico na Avenida Brasil, na Vila Kennedy

Rio - Um protesto de moradores após uma operação policial, que deixou duas pessoas feridas, no final da tarde deste sábado deixou o clima tenso na Vila Kennedy, na Zona Oeste do Rio. Segundo a Polícia Militar, dois ônibus e um caminhão de cerveja foram incendiados. A comunidade tem uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP). Por conta da tensão, a Avenida Brasil, uma das principais vias da cidade, precisou ser fechada, parcialmente, nos dois sentidos.


O DIA recebeu relatos e imagens, através do WhatsApp do DIA (98762-8248), sobre a situação tensa que provocou pânico e medo em quem estava no local. De acordo com os relatos, bandidos aproveitaram e fizeram um arrastão. O policiamento foi reforçado na região com militares de outras UPPs, do Grupamento de Intervenções Táticas (GIT) das UPPs, do 14º BPM (Bangu) e do Batalhão de policiamento em Vias Expressas (BPVE).


Segundo uma nota da PM, no começo da tarde, policiais da UPP Vila Kennedy fizeram uma operação de patrulhamento na localidade conhecida como Progresso e apreenderam 687 trouxinhas de maconha e 400 papelotes de cocaína. No início da noite, ainda segundo a PM, a base avançada da UPP na comunidade do Metral foi atacada a tiros e os militares reagiram.
Duas pessoas ficaram feridas e foram encaminhadas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Vila Kennedy. A Polícia Militar não informou se as vítimas eram moradores ou se estaraim ligadas ao tráfico de drogas.
Em reação, dois ônibus foram incendiados, um na Praça Dolomitas e outro na Avenida Brasil, sentido Centro.

Fonte: Jornal O Dia

The Week é interditada após prisão de mulher com 800 comprimidos de ecstasy

Rio - Na madrugada de sábado para domingo, policiais civis da 59ª DP (Duque de Caxias), coordenados por Juliana Emerique de Amorim Coutinho, delegada titular da unidade, prenderam em flagrante Franceli Marques, 39 anos, enquanto comercializava drogas sintéticas dentro da boate, localizada na Zona Portuária. Segundo a assessoria da Policia Civil, Franceli foi presa com 800 comprimidos de ecstasy, além de outras drogas ilegais e dinheiro.
Após a prisão, Franceli foi encaminhada para a 59ª DP e de lá, foi levada para o Complexo penitenciário de Bangú onde fica à disposição da Justiça. A prisão foi resultado da operação Conexão Família, cujas investigações vem sendo realizadas ao longo de seis meses e tem como objetivo a dissolução da quadrilha que comercializa drogas variadas, principalmente as sintéticas, em boates da capital do Rio de Janeiro e do município de Duque de Caxias.


Em julho deste ano, a 59ª DP prendeu Everson Luiz Ramos Coutinho, de 24 anos, na Avenida Brasil, altura de Bonsucesso. Na ocasião, Franceli conseguiu fugir. Após a prisão do companheiro, ela assumiu a liderança e o controle de distribuição no comércio ilegal e a investigação a aponta com uma das maiores distribuidoras de drogas sintéticas do estado.
Franceli vendia em torno de 1.000 comprimidos por noite na boate The Week e recebia R$ 50 por cada unidade. O material apreendido pela polícia foi estimado em R$ 40.000,00.
Segundo o Blog LGBT do DIA uma testemunha que estava na boate na noite de sábado, e preferiu não se identificar, disse que haviam pessoas vendendo drogas na porta da casa noturna.
Em nota, o Grupo The Week declarou que "jamais compactuará com qualquer atividade ilícita em suas dependências, tanto que, antes do ocorrido, já tinha solicitado à Delegacia de Combate às Drogas (DECOD) a investigação e devida responsabilização dos criminosos."
Ainda no comunicado, o grupo afirma que o procedimento de n°: 902-00151/2016 já tramitava na referida delegacia especializada. "Neste procedimento, inclusive, já constava o nome da pessoa presa quando a casa situada no Rio de Janeiro foi surpreendida pela ação da delegacia distrital da Cidade de Duque de Caxias", diz outro trecho do texto.
Por fim, o grupo esclarece que a boate já foi desinterditada. "O estabelecimento já se encontra desinterditado e que continuará contribuindo com as autoridades competentes para garantir a segurança e o lazer de nossos clientes, com total observância das leis."

Fonte: Jornal O Dia

Dance Mania: Whigfield, "Was A Time"

Álbum: "As 7 Melhores 2005 - CD 1" (Jovem Pan)

Em boate na Alemanha, Justin Bieber é atacado de forma violenta. Assista...

Parece que uma epidemia de ataques nada agradáveis a celebridades está tomando corpo, ultimamente. Primeiro, foi Gigi Hadid quem foi agarrada por um inconveniente repórter ucraniano na saída de um desfile de moda.
Neste sábado (24), foi a vez de Justin Bieber levar um safanão de um “fã” que o encontrou em uma boate em Munique, na Alemanha, onde o cantor estava por conta de sua turnê.


Justin tentava se locomover pelo local, cercado por seguranças, quando um homem gritou por seu nome e logo depois o tentou agarrá-lo. A reação de Bieber foi tentar revidar o ataque, sem sucesso, já que o episódio logo foi abafado por sua entourage. Loucura…

Fonte: Jornal do Brasil

Globo define o substituto de Domingos Montagner na série “Carcereiros”

Jornal do Brasil - A morte de Domingos Montagner segue reverberando, de diversas maneiras. O ator, que após “Velho Chico” já tinha papel definido na série “Carcereiros”, acaba de ser substituído na adaptação do livro homônimo de Dráuzio Varella.
No lugar de Domingos, a Globo escalou Rodrigo Lombardi. O ator foi escolhido por conta de seus atributos físicos bem próximos de Montagner, ainda que Lombardi tenha 15 anos a menos.
As gravações do seriado têm previsão de início para a última semana do mês de outubro. O projeto irá mesclar dramaturgia com documentário, com depoimentos reais de carcereiros, mostrando a vida pessoal destes profissionais em suas rotinas.

10 coisas que a música pode resolver

Fonte: Gazeta Web

1. Ganho de peso em bebês prematuros
Os bebês que nascem muito cedo, exigem estadias prolongadas no hospital para ajudá-los a ganhar peso e força. Para ajudar a facilitar este processo, uma equipe de pesquisadores canadenses descobriram que tocar música para prematuros reduz seus níveis de dor e encoraja melhores hábitos alimentares, que por sua vez ajuda com ganho de peso. Hospitais usam instrumentos musicais para imitar os sons de batimentos cardíacos e útero de uma mãe para acalmar os bebês. Os pesquisadores também dizem que tocar Mozart para prematuros reduz significativamente a quantidade de energia que gastam, o que lhes permitem ganhar peso.

2. Crescimento de plantas
A pesquisadora Dorothy Retallack escreveu um livro em 1973 chamado The Sound of Music and Plants , que detalhou os efeitos da música no crescimento das plantas. Retallack colocou música rock para um grupo de plantas e clássica para outra. No final do estudo, as plantas "clássicas ?eram de tamanho uniforme, completa e verde, e cresceram na direção da origem da música. As plantas rock tinham crescido bem, mas eles estavam caídos, com folhas murchas, e foram se afastando da rádio.

3. Dano cerebral
Pessoas com danos cerebrais, muita das vezes ficam com sequelas como: movimentos lentos e incapacidade da fala. Como o tratamento, os pesquisadores usam a música para estimular as áreas do cérebro que controlam estas duas funções. Quando dada um ritmo para caminhar ou dançar, pessoas com danos neurológicos causados ??por acidente vascular cerebral ou doença de Parkinson pode recuperar um passo simétrico e um senso de equilíbrio. As batidas da música servem como uma sugestão de passo para o cérebro. Da mesma forma, ritmo e afinação pode ajudar os pacientes a cantar o que as palavras não podem dizer. Um estudo em crianças autistas que não falavam, descobriu que a musicoterapia ajudou elas a articularem palavras. "Estamos apenas começando a entender o poder da música. Não sabemos quais são os limites." diz Michael De Georgia, diretor do Centro de Música e Medicina da Universidade Case Western Reserve, em Cleveland.

4. Evitar adolescentes por perto
Bibliotecas públicas, shoppings e estações de trem já sabem disso: Os adolescentes geralmente não gostam de música clássica. Na verdade, eles até fogem assustados delas. A teoria é que, quando o cérebro ouve algo que não gosta, ele suprime a dopamina, o hormônio do bem-estar. E, como o humor dos adolescentes caem, eles correm para outro lugar para encontrar algo e trazê-la de volta.

5. Perda da audição
Talvez a música não possa curar a perda de audição, mas pode ajudar a preveni-la. Um estudo de 163 adultos, 74 deles músicos, relatou os músicos processam melhor o som do que os não-músicos, com o índice crescente com a idade. "Um músico de 70 anos de idade compreende melhor um discurso em um ambiente barulhento, assim como um não-músico de 50 anos de idade", explica Linda Searling no Washington Post.

6. Recuperação de cirurgia cardíaca
A música pode ajudar os pacientes que estão se recuperando de ataques cardíacos e cirurgia cardíaca, reduzindo a pressão arterial, desacelerando o ritmo cardíaco e reduzindo a ansiedade. Como medida preventiva, tente ouvir música "alegre" , ou canções que fazem você se sentir bem. Pesquisa diz que escutar canções que evocam uma sensação de alegria provoca aumento da circulação, que incentiva a boa saúde vascular.

7. Aumento da performance de atletas
Em 2005, um estudo do Reino Unido descobriram que ouvir música durante o treinamento desportivo pode aumentar o desempenho atlético em até 20%. Isso é aproximadamente ao impulso que alguns atletas obtêm com uso de drogas ilegais de melhora de desempenho. Para melhores resultados, tente música com um ritmo rápido durante o treinamento intenso e músicas mais lentas durante o descanso.

8. Mau humor de adolescentes
Em um estudo de 2008, o pesquisador Tobias Greitemeyer queria entender como letras de música impactam nas atitudes dos adolescentes. Para isso, ele expôs um grupo de adolescentes à canções "socialmente conscientes" com uma mensagem positiva, como Michael Jackson "Heal the World." O outro grupo ouviu canções sem mensagem alguma. O pesquisador, então, "acidentalmente" derrubou um copo de lápis. O grupo ouvindo músicas positivas não apenas correram para ajudar mais rapidamente, mas pegaram cinco vezes mais lápis do que o outro grupo.

9. Aprendizado
Dois grupos de alunos da segunda série do ensino fundamental foram estudados para entender o aprendizado. A única grande diferença entre os dois grupos era que se aprendia notação musical, enquanto o grupo controle não. Cada grupo foi testado para a alfabetização antes e depois do ano escolar. As pontuações de fim de ano para o grupo controle melhorou apenas ligeiramente ao fim do ano, enquanto as crianças com um ensino de música foram "significativamente maior", especialmente em testes de vocabulário.

10. Venda de vinhos
Um experimento de 1999 mostrou que as vendas de vinho alemão aumentaram após um estabelecimento tocar música alemã, e da mesma forma, a reprodução de música francesa impulsionou as vendas de vinho francês. Os clientes disseram que estavam completamente alheios a música que estava sendo tocada.

Autora da Globo prepara novela ambientada em Salvador

A Bahia voltará a ser retratada em uma novela da Globo. Salvador foi escolhida por Elizabeth Jhin para ser ambiente da sua próxima história para a faixa das 18h, segundo informações da colunista Patrícia Kogut.


A capital baiana é a cidade da família do pai da autora e, por isso, ter uma trama ambientada nela é um desejo antigo. Já sendo produzida, a produção ainda não foi aprovada pela Globo.
Antes de escrever “Além do Tempo”, Elizabeth trabalhou em outros folhetins, como “Amor Eterno Amor” (2012) e “Escrito nas Estrelas” (2010).

Fonte: iBahia

MENTES PERIGOSAS: Mateus da Costa Meira


Mateus da Costa Meira é conhecido por ser o Atirador do Cinema ou Atirador do Shopping desde 3 de novembro de 1999, quando entrou num cinema do Morumbi Shopping, em São Paulo, e atirou nas pessoas que estavam ali assistindo o filme Clube da Luta, de Brad Pitt. A fotógrafa Fabiana Lobão Freitas, de 25 anos; o economista Júlio Maurício Zeimaitis, de 29; e a publicitária Hermé Luísa Jatobá Vadasz, de 46 anos, morreram. Houve quatro feridos que ficaram fora de perigo, e mais quinze pessoas em pânico. Os tiros, dados com uma submetralhadora americana Cobray M-11, duraram cerca de três minutos.

O Meliante
Mateus nasceu na cidade de Salvador (BA), numa família de classe média alta em 4 de abril de 1975, tendo como pais o oftalmologista Deolino Vanderlei Meira, e a enfermeira Alina da Costa Meira. Ele e a irmã caçula, hoje com 37 anos, estudaram em bons colégios e ganhavam mesada de até 800 reais. Segundo a mãe, começou a mudar seu comportamento depois dos 13 anos, quando entrou em depressão. Ele confidenciou também que queria se matar. Foi levado para um psicólogo e fez tratamento por 1 ano. As coisas pioraram quando ele foi fazer um intercâmbio nos Estados Unidos, quando a mãe americana não o suportou por causa de sua agressividade. Ele quebrou uma costela do pai, socou-lhe em um dos olhos, chutou um joelho da mãe e agrediu ela porque sua roupa não estava passada. Com 16 anos, passou por vários médicos e um deles afirmou que seria bom mandá-lo para outro lugar, ou algo poderia acontecer. Assim, ele foi para São Paulo, uma solução vista por todos como a melhor. Foi morar em um pensionato e logo brigou com um colega, precisando imediatamente sair de lá. Em seguida, mudou-se para um apartamento, onde agrediu um porteiro do edifício, tendo que se mudar novamente. Foi para outro edifício, onde ficou até o dia do crime.
No tempo que morou em São Paulo, nunca foi visto com amigos e nem com namoradas.
Até o dia que cometeu o crime, ele cursava medicina na Santa Casa de Misericórdia, tendo repetido o 4º ano. Eram poucos os alunos que davam plantão ali. Ele chegava a pagar para alguns alunos cumprirem plantão por ele, mas alguns meses depois, foi descoberto e encaminhado para um centro de apoio psiquiátrico da universidade. Seu estado de saúde mental piorou, sendo internado a força na Clínica Psiquiátrica Parque Julieta, onde ficou durante sete dias, deixando de apresentar sinais de irritabilidade e agitação que demonstrava antes. Dois dias depois de sua alta na clínica, o pai confirmou que Meira voltou a sua rotina normal de estudos e dormia bem, já que a insônia era frequente.
O pai voltou para Salvador à fim de resolver assuntos urgentes, e foi aí que as coisas em São Paulo pioraram: Meira parou de tomar os medicamentos e não voltou mais ao psiquiatra. Ele morava sozinho em seu apartamento, não recebia ninguém e costumava não atender ao interfone, mesmo estando dentro de casa.
Era dado como estranho pelos vizinhos, que chegaram a relatar a cabeçada que ele deu no vidro da porta, as ameaças que fazia ao zelador e o dia que ele bateu na sua porta para pedir a chave da caixa de luz, porque a voz que o perseguia estava lá dentro.
Não tinha intimidade com a família, mas deixou que sua mãe o abraçasse e passasse a mão em seu cabelo após a prisão. Não conversava com sua irmã e era como se ela nem existisse.
Era um pirata de informática. Quando a polícia bateu no seu apartamento, encontrou 1000 CD's virgens que usava para copiar softwares, tendo também uma empresa virtual com endereço na internet e dados falsos. Meira não foi processado pelo crime de pirataria. Sabe-se que parte do dinheiro que usou para comprar a arma do crime do shopping foi obtida com a venda dos CD's.
Uma empresa provedora de internet chegou a reclamar com seu pai que ele enviava mensagens pornográficas por e-mail para centenas de pessoas.
Ele confessou que usava drogas constantemente, e que as comprava do mesmo homem que lhe vendeu a submetralhadora, o mecânico Marcos Paulo Almeida Santos.

Em 14 de novembro de 1999, quando foi preso
O crime e condenação
No dia do crime, 28 pessoas estavam assistindo à última sessão do filme Clube da Luta, e viveram momentos de terror que pareciam não acabar, pois ele entrou atirando por três minutos, e esse crime foi planejado há sete anos antes.
Preso em flagrante, foi condenado à 120 anos e seis meses de prisão em regime fechado. Seus advogados alegaram que Mateus da Costa Meira é um indivíduo semi-imputável, pois não tinha total consciência dos seus atos, tentando também mostrar no seu julgamento que ele sofria de alucinações, ouvia vozes misteriosas e sofria de ansiedade, além de um comportamento estranho e solitário.
Depois de várias apelações, foi condenado aos formais 30 anos de prisão (o máximo de tempo permitido pela lei), e em 2007, sua pena foi reduzida à 48 anos e 9 meses.
Foi levado para o Centro de Observação Criminológica (COC) do Complexo de Carandiru, até o mesmo ser desativado em 2002. Foi transferido para a Penitenciária 2 de Taubaté (SP) e para a Penitenciária Lemos Brito, em Salvador (BA), onde nasceu e mora parte da família.

Mateus, gordo, na cadeia
Tentativa de homicídio
No dia 08 de maio de 2009, Mateus tentou matar seu colega de cela espanhol Francisco Vidal Lopes com uma tesoura, sendo autuado por tentativa de homicídio. O motivo foi o volume alto da televisão que o homem estava assistindo. Em 2011, o júri absolveu Mateus da acusação de tentativa de homicídio, tendo sido declarado através da tese apresentada pela promotora do caso, Armênia Cristina Santos, de que o estudante é inimputável e sofre de doenças mentais escritas em um laudo médico.
Com essa decisão, Mateus foi encaminhado ao Hospital de Custódia e Tratamento (HCT) de Salvador, onde está internado até hoje.

O Melhor das Novelas: 'Da Cor do Pecado', de Luciana Mello, abertura da novela homônima de 2004

A novela das sete Da Cor do Pecado foi a que teve mais audiência na década de 2000. A abertura é embalada ao som de 'Da Cor do Pecado', música cantada por Luciana Mello.
'Da Cor do Pecado' chegou aos incríveis 43 pontos de audiência, algo inesperado pela produção, já que o horário das 19hrs exigia 35.
Tinha como protagonistas os atores Reynaldo Gianecchini (os gêmeos Paco e Apolo) e Taís Araújo (Preta), tendo como a grande vilã Giovanna Antonelli, como Bárbara.
Contou também com os atores Lima Duarte (Afonso), Rosi Campos (Edilásia/Mamusca), Germana (Aracy Balabanian), Tuca Andrada (Kaíke), Maitê Proença (Vera), Eduardo (Ney Latorraca), Cauã Reymond (Thor) e Aline Moraes (Moa).
Relembre a canção que abria o folhetim:

10 MOTIVOS PARA MULHERES PRATICAREM JIU JITSU


1- A prática do jiu jitsu serve para a defesa pessoal;
2- O Jiu Jitsu aumenta a auto-estima, autoconfiança e desenvolve o caráter (esporte de conquista individual);
3- Trabalha e define o corpo, como os braços, abdômen e quadril;
4- Acelera o metabolismo e aumenta a resistência do organismo;
5- Melhora a capacidade cardiovascular e respiratória;
6-Desinibe os tímidos e acalma os agitados e ansiosos;
7- Aumenta a flexibilidade;
8- Aumenta a coordenação motora;
9- Aumenta os reflexos.
10-Ajuda no controle emocional
Além dos 10 motivos que apresentamos para as mulheres praticarem jiu jitsu, Kyra Gracie diz mais alguns argumentos.
“Em uma situação de defesa pessoal, para uma mulher nocautear um homem mais forte é muito difícil. Mas com as técnicas de jiu-jítsu ela consegue se desvencilhar, usando o próprio peso e força do adversário contra ele mesmo.
Os benefícios para as mulheres são enormes. Começando pelo estético, o jiu-jítsu trabalha todos os músculos do corpo, principalmente o abdômen, os ombros, os braços e o quadril. Acelera a capacidade cardiovascular e respiratória, além de aumentar a flexibilidade.
No trabalho mental, diminui o stress, a TPM, desinibe os tímidos e acalma os agitados e ansiosos.
Os gastos calóricos chegam a 1500, em uma hora de treino.
Se você quer perder peso, melhorar a musculatura ou aprender defesa pessoal, o jiu-jítsu e o que você esta procurando.”

Mentes Perigosas: Maníaco da Bicicleta


Vou listar aqui mais um caso que chocou o Brasil entre o final da década de 90 e o ano 2000. Trata-se do andarilho Laerte Patrocínio Orpinelli, mais conhecido como Maníaco da Bicicleta, tendo raptado e matado 10 crianças em quatro cidades do estado de São Paulo.


Perfil
Laerte nasceu em 1952 na cidade de Araras, em São Paulo, e era o sétimo numa família de nove irmãos. Tinha um comportamento agressivo com os irmãos, vizinhos e, principalmente, com sua mãe, Eliza. Seu comportamento estranho teve início por volta dos 10 anos de idade, quando estava cursando o terceiro ano do ensino primário e sua professora observou que ele falava pouco, brincava sozinho e tinha um péssimo rendimento escolar. Nessa mesma época, chegou a ficar uma semana fora de casa sem dar notícia e voltou como se nada tivesse acontecido. Ele abandonou os estudos.
Sua primeira passagem em clínicas psiquiátricas foi aos 16 anos, onde permaneceu ininterruptamente até os 21 em tratamento por problemas de alcoolismo. Demonstrava um comportamento infantil, quando uma certa vez um sobrinho pediu para ver um brinquedo que ele estava na mão, respondendo-lhe: "Não! É Meu!". Teve uma namorada, Sidney, hoje com 65 anos, que não tem boas recordações sobre ele. Ela conta que os dois dormiam em quartos separados e moravam na casa dela. Mesmo sabendo que ele era alcoólatra, desconhecia o fato dele ter problemas psiquiátricos.

Os crimes e as vítimas identificadas
O Maníaco da Bicicleta começou a agir no dia 17 de janeiro de 1990 quando sequestrou Osmarina Pereira Barbosa, de 10 anos, e o primo, José Fernando de Oliveira, de 9, em Rio Claro. O meliante conta que levou Marina (como a garota era conhecida) até um canavial, onde a estuprou e espancou até morrer. Já o José Fernando foi espancado, apenas, mas, segundo ele, demorou mais para morrer. A ossada da garota foi encontrada em setembro do mesmo ano.

Em 28 de agosto de 1996, raptou, também em Rio Claro, a menina Aline Cristina dos Santos Siqueira, de 8 anos, que segundo relatos, foi vista pela última vez ao lado de um indivíduo montado numa bicicleta. Seu corpo nunca foi encontrado, mas ele confessou tê-la matado.

O garoto Edson Silva de Carvalho, de 11 anos, foi raptado em Monte Alto no dia 26 de maio de 1998. Seu corpo foi encontrado em um estado avançado de decomposição numa casa abandonada. Na tentativa do meliante abusar sexualmente, Edson gritou em desespero, e isso desencadeou sua fúria. Ele bateu a cabeça da criança contra a parede, causando sua morte instantaneamente.

A mais nova das vítimas, Crislaine dos Santos Barbosa, de 3 anos, morava em Pirassununga. Diferente de outras crianças, ele entrou na casa da vítima para raptá-la. Isso aconteceu em 25 de abril de 1999, quando ele seguiu a mãe da menina até a casa dela sem ser notado e esperou o momento oportuno, já que o meliante sabia que ela sairia de casa outra vez. Crislaine foi deixada dormindo no sofá, e a porta da casa ficou encostada. Quando a mãe voltou, já não estava mais lá. Nos fundos de um motel, foi encontrada uma ossada compatível com a da menina.

Anderson Jonas da Silva, na tarde de 30 de novembro de 1997 em Rio Claro, quando tinha 6 anos. brincava pelos arredores do bar onde seu pai (Romilto) estava, batendo um papo com o Maníaco. Em 7 de dezembro do mesmo ano, este homem se aproximou do menino, ao perceber que o pai se afastou para encher o tanque de seu carro, e lhe ofereceu bala. Em seguida, convidou Anderson para dar uma volta em sua bicicleta. O garoto nunca mais voltou pra casa.

A garota Jéssica Alves Martins tinha 9 anos quando foi raptada na cidade de Franca, tendo o meliante estuprado e estrangulado a criança, no dia 21 de novembro de 1999. Seu corpo foi encontrado dois dias depois.

Também teve o mesmo final trágico Daniela Regina de Oliveira Jorge, de 5 anos, que foi levada quando brincava na rua em julho de 1997

Alyson Maurício Nicolau Cristo, de 6, foi sequestrado em fevereiro de 1997, e sua ossada só foi encontrada em dezembro do mesmo ano.

Nem na porta de casa se tem mais segurança, pois a garota Renata Campos, de 5 anos, foi raptada quando estava ali, em junho de 1997. Seu corpo nunca foi encontrado.

Como ele agia nas ruas?
Laerte utilizava uma bicicleta vermelha (por isso o pseudônimo de Maníaco da Bicicleta). Quando chegava numa cidade nova, procurava saber das condições da mesma, procurava uma criança e até descobria se ela costumava brincar longe dos pais. Em alguns casos, se fazia de amigo dos pais das vítimas e desse modo ficava mais fácil convencer a criança à segui-lo, oferecendo até doces para ela. Após matar, ele enterrava os corpos parcialmente, ou deixava-os expostos. Chegou a afirmar que era influenciado por um espírito maligno que o fazia perseguir e matar as crianças. Atribuiu sua atitude ao alcoolismo, afirmando que ficava fora de si após ingerir bebidas.

Quantas crianças, além dessas, ele já matou? Qual o motivo pra tirar suas vidas?
Além dessas nove e uma outra que não foi identificada, em 2010, o Maníaco da Bicicleta confessou ter matado mais de 20 crianças. Uma investigação da delegada Sueli Isler revelou que, na verdade, ele é responsável por tirar a vida de pelo menos 100!
Em entrevista à revista IstoÉ, ele afirmou que matava por gostar do corpinho delas e da beleza que elas tem, ou seja, desejo sexual. Disse também que se arrependeu e queria se tratar (tudo mentira!).
Deixou claro também que, se a criança não se comportava, ele dava um soco. Se obedecia,  estrangulava.

Prisão e condenação
Foi preso na noite de 13 de janeiro de 2000 em Itu(SP). Segundo a delegada Sueli, ele chegou a ser preso antes, mas foi solto, pois até então não se tinha provas de que ele era o assassino das crianças. Chegaram até ele por causa de uma característica presente no perfil do assassino: não usava cueca.
Embora tenha sido acusado de ter cometido vários assassinatos, Laerte só foi condenado por cinco. Pelo assassinato de Osmarina Barbosa, foi condenado à 15 anos de cadeia, com mais 15 de José Fernando, 18 de Edson, 16 de Crislaine, e 27 anos de Jéssica.


Morte
Laerte Patrocínio Orpinelli morreu aos 60 anos no dia 03 de janeiro de 2013 na Penitenciária de Iaras, em São Paulo. Sua morte foi divulgada apenas no dia 16 de janeiro do mesmo ano pela Secretaria de Administração do Estado de São Paulo.
Ele tinha hipertensão e era diabético.

O Melhor das Novelas: 'Suave Veneno', de Nana Caymmi, abria a novela homônima de 1999


Em 18 de janeiro de 1999, estreava no horário das oito a novela Suave Veneno, substituindo Torre de Babel, que vai ser reprisada à partir de outubro.
A novela atingiu uma média geral de 38 pontos. Essa média se deve ao fato de, nas primeiras semanas, os capítulos chegarem apenas na casa dos 30 pontos. Entretanto, veio a bater recordes, chegando na casa dos 40 pontos, 44, 45 e 46, e o último capítulo atingiu 52. Foi mostrado que a novela conseguiu recuperar seus índices de audiência e fez até um relativo sucesso, principalmente por conta da personagem Maria Regina, vilã interpretada por Letícia Spiller. Inclusive, o cabelo dela, que era curto e preto, fez sucesso entre as mulheres.
A trilha sonora também teve uma boa repercussão. A nacional, teve artistas como Nana Caymmi, com a música de abertura, 'Suave Veneno' e Adriana Calcanhotto, com 'Mais Feliz'. Outros artistas como Alcione, Maria Bethânia, Claudinho & Buchecha e Caetano Veloso, com 'Sozinho'. Graças à novela, seu álbum, Prenda Minha, chegou na marca de 1 milhão de cópias vendidas. A trilha internacional teve 'N Sync, Alejandro Sanz, Mariah Carey, com a canção 'To Love You More' e Alanis Morissette.

A canção abaixo, Suave Veneno, interpretada por Nana Caymmi, não faz parte de nenhum álbum de estúdio lançado por ela, apenas do CD "Os Maiores Sucessos de Novela", lançado pela EMI.

O Melhor das Novelas: Fatboy Slim apresenta... 'The Rockafeller Skank'

É uma das músicas do álbum de estúdio do músico britânico Fatboy Slim, "You've a Long Way, Baby". De 1998, ficou conhecida no Brasil ao integrar a trilha sonora de Pecado Capital, versão de 1998.

Dance Mania: Work, de Masters At Work


A canção foi lançada em 2001 pela gravadora MAW Records, da própria dupla Masters At Work, formada por Kenny 'Dope' Gonzalez e 'Little' Louie Vega.
O remix mais conhecido de Work é o de Milk & Sugar, de 2007.
Abaixo, está a sua versão original:

Globo estuda encerrar "Haja Coração" numa segunda-feira


Há coisa de um mês, a direção da Globo voltou a conversar sobre a possibilidade de encerrar "Haja Coração", novela de Daniel Ortiz, numa segunda-feira, como aconteceu com "Totalmente Demais".
A estratégia resultaria em uma melhor média de audiência para este trabalho; portanto, pode acontecer uma surpresa por aí.
Porém, se nada mudar, "Haja" terá seu último capítulo exibido em 4 de novembro e depois dará lugar a "Rock Story", de Maria Helena Nascimento.
A próxima novela das sete reúne no elenco Alinne Moraes, Vladimir Brichta, Rafael Vitti, Nicolas Prattes, Herson Capri, João Vicente de Castro e Paulo Betti, entre outros.

*Colaboração de José Carlos Nery

Fonte: UOL

Globo exibe última cena gravada por Domingos Montagner em "Velho Chico"


A TV Globo exibiu na noite deste sábado (24) aquela que seria a última cena gravada por Domingos Montagner, em "Velho Chico", antes de sua trágica morte ocorrida no dia 15 de setembro, após um mergulho no rio São Francisco, na cidade do Canindé de São Francisco (SE), que serve de cenário para a trama de Benedito Ruy Barbosa.
Na cena, Santo (Montagner) aparece ao lado de Miguel (Gabriel Leone) e Tereza (Camila Pitanga), encorajando o filho a lutar pela sua terra.
"Essa terra não está morta, não. Pode não ser o que Dona Encarnação queria, mas não está morta. Nem esse nem outro coronel podem te impedir o que você quer fazer. O 'paim' me dizia que não existe terra maldita, maldito é aquele que não sabe cuidar dela. Quem não tem respeito pela terra, não tem respeito por si mesmo. Ele deixou aquela terra seca, e isso mata o meu coração, me partiu um vazio dentro do peito", disse o personagem.
"Toda terra é sagrada. Então, como tu mesmo disse, meu filho: 'essa terra, aqui, precisa de você'", aconselhou Santo a Miguel.
No capítulo deste sábado, depois desta cena, a emissora ainda exibiu um diálogo de Santo com Luzia (Lucy Alves), produzida possivelmente nos Estúdios Globo, no Rio de Janeiro.
Após a filmagem, Montagner, Pitanga e Leone gravaram um vídeo nos bastidores do set, onde o ator aparece comemorando o encerramento da trama.
"Nossa derradeira viagem de gravações aqui de 'Velho Chico', encerrando esse épico maravilhoso, cheio de amor, de emoção, de carinho, de amizade, é uma família", disse ele, abraçando Camila Pitanga e Gabriel Leone, e com sorriso estampado.
Segundo o colunista do UOL Flávio Ricco, a partir de agora, os personagens vão interagir com uma câmera, como se estivessem falando com Santo. O olhar do agricultor será sob o ponto de vista deste equipamento.
Domingos Montagner morreu afogado no rio São Francisco no último dia 15. Ele havia gravado cenas da novela pela manhã e, como tinha o resto do dia de folga, foi com Camila Pitanga almoçar. Pitanga revelou em depoimento que, depois do almoço, os dois resolveram mergulhar no rio, num local conhecido como prainha do Canindé.
Os dois entraram na água e a correnteza ficou forte de repente. Camila nadou rápido e conseguiu abraçar uma pedra. "Domingos não nadava e estava assustado, mas eu não tinha noção do que estava acontecendo [até então]", disse ela em entrevista ao "Fantástico". Quando a atriz percebeu a gravidade da situação, ela começou a gritar por socorro.
O corpo de Domingos Montagner foi velado na semana passada no teatro Fernando Torres, no Tatuapé, bairro da zona leste de São Paulo onde o ator nasceu e cresceu. O enterro aconteceu no Cemitério da Quarta Parada, também na zona leste.
Parte do elenco de "Velho Chico" compareceu ao velório para prestar a última homenagem ao colega. Em seguida, os atores retornaram às gravações da reta final da trama.

Fonte: UOL

Fábio Jr. anuncia "7º e último casamento"

No palco do Caldeirão, Luciano Huck percebe que Fábio Jr. está usando uma aliança de noivado. O apresentador não se segura e comenta: "Está de aliança mais uma vez! Eu não consigo não reparar nisso".


A plateia vai ao delírio e o cantor sorri, mostrando a joia no dedo. "É o décimo sétimo casamento do cantor", brinca Luciano. Fábio Jr., então, corrige o apresentador e promete que esta será sua última união: "É o sétimo e último. Como diz a Cleo (filha do cantor): 'Pai, ali mora alguém'". "Fico feliz por você", diz Luciano.
Recentemente, Fabio Jr. esteve no programa Mais Você e falou para Ana Maria Braga sobre o relacionamento de quase cinco anos com Fernanda Pascucci. "Ela é super na dela, muito discreta. Ela trabalha em um banco, rala desde às 7h", contou.

Fonte: PB Agora

Murilo Benício e Débora Falabella querem ter filho juntos: 'Mais para a frente'

Murilo Benício e Débora Falabella voltam à TV na próxima terça-feira (27) como um casal em "Nada Será Como Antes". E, se inicialmente, o intérprete do empresário Saulo ficou temeroso por viver um amante de sua namorada na vida real, o mesmo não aconteceu com Débora.
"Contracenar com o companheiro é um prazer, um deleite. No início, quando a gente começava a passar o texto, ríamos disso, não sabíamos como seria, mas tivemos muito conforto porque já trabalhamos à beça juntos", afirmou a intérprete de Verônica em entrevista ao jornal "Extra".
A mãe de Nina, de 7 anos, sempre clicada cheia de estilo com a atriz, também rejeitou rótulos em sua relação de quatro anos com Murilo. "Somos namorados ainda, porque moramos em cidades diferentes, apesar de estarmos para lá e para cá. Ah! Quer dizer, não posso falar tanto que somos namorados porque namorado aproveita mais né? (risos)", pontuou.
Para o casal, cujos beijos em cena não são técnicos, não há necessidade de oficializar a relação. "A gente já é tão completo que a oficialização é mais um questionamento de fora. Para nós, a união já é muito forte, não temos que seguir um padrão", explicou a artista.
Ao contrário do casamento tradicional, um novo herdeiro não está descartado, como conta o ator, pai de Pietro, de 11 anos, e Antonio, de 19. "Pensamos em ter um filho nosso, mas já são tantos... Se nascer outro, serão quatro. Fico preocupado porque viajamos demais. Cada hora estamos num canto diferente. Eu tenho medo de seguir com um monte de gente. Talvez seja um projeto mais para a frente", explicou o padrasto de Nina, fruto do relacionamento de Debora com o músico Eduardo Hipólitho.

Fonte: Purepeople