quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Longe da TV, Gerson Brenner completa 17 anos com psicóloga


Veja - Afastado da TV desde que sofreu um assalto em 1998, em que levou um tiro na cabeça e acabou em uma cadeira de rodas, o ator Gerson Brenner está completando 17 anos de relacionamento com Marta Mendonça, a psicóloga que o ajudou (e vem ajudando) no processo de reabilitação. A data, que marca uma fase importante na recuperação do ator, foi festejada por um amigo do casal no Facebook.
“Hoje, 28 setembro, quero desejar ao lindo casal Gerson Brenner e Marta Mendonça um dia especial por estarem juntos há 17 anos. Que Deus ilumine sempre vocês, pessoas especiais, um beijo no coração… Saúde, felicidades, muitas bênçãos… Só um sorriso especial pode mostrar o que de melhor temos no coração… Bom dia !!!”, escreveu José Zambini Filho, ao lado de uma foto do casal, nesta quarta-feira.
A foto, aliás, é a que estampa a capa do perfil de Marta na rede social.
O perfil de Brenner agradeceu à postagem. Ele foi o primeiro a deixar um comentário. “Obrigado, amigo José Zambini Filho Zambini, realmente é um dia especial… um dia que mudou nossas vidas… um encontro realizado por Deus!!!!! Abraços e saudades… Marta& Gerson.”
Brenner, que era galã da Globo, fez novelas como Rainha da Sucata, Perigosas Peruas e Corpo Dourado, que gravava quando foi baleado.

Miley Cyrus revela que não era bem remunerada na época de Hannah Montana


Miley Cyrus ficou conhecida pela série Hannah Montana da Disney, onde ela interpretava uma adolescente com duas identidades: uma estudante comum do ensino médio e uma pop star famosa! O seriado deixou muitas saudades, mas Miley continuou neste ramo com suas canções e atuações pelo entretenimento. Atualmente, a cantora faz parte do elenco de Crisis In Six Scenes e é uma das técnicas da versão norte-americana do The Voice. Com todo esse sucesso, como será que ela se lembra da época de Hannah? Podemos exemplificar com uma só palavra: sinceridade.
- Eu não cresci sendo mimada de nenhuma forma. Eu só queria estar na TV. Assim, provavelmente vão me matar pelo que irei dizer, mas eu era a pessoa menos remunerada de meu elenco porque eu não entendia sobre isso. Eu só pensava Nossa, eu posso estar na Disney! Sim, vamos fazer!, confessou na entrevista que deu para a revista Elle.
E por mais que seu pai passasse a imagem de técnico e conhecido da indústria, Miley confessa que não era bem assim.
- Meu nome era Miley na série, mas eu não era dona do meu próprio nome - nós não pensávamos desta forma. Simplesmente deixamos eles usarem o meu nome no seriado. Minha mãe começou a entender o quanto as pessoas tiram vantagem de uma criança, então ela contratou algumas pessoas espertas para me proteger nesse sentido. Eu sou feliz quando vejo que as pessoas me protegiam quando eu era menor e me colocaram em uma posição em que agora eu consigo controlar minha própria música.

Ela termina dizendo o quanto era julgada por ser uma adolescente que aparecia na televisão.
- Quando eu olho para a minha irmã mais nova, que tem 16 anos de idade, eu não a julgo por nada que ela faz porque eu me lembro como era no meu tempo. Eu era uma pessoa tão emocional - eu ainda sou - mas eu estava tentando descobrir quem eu era. Você passa por esses estágios, principalmente em nossa indústria.

Fonte: Folha Vitória

Dance Mania - o sucesso do Planet Pop Festival


O festival de música eletrônica Planet Pop, da Building Records, foi um sucesso durante todas as edições, ocorridas na casa de shows Via Funchal, no bairro nobre Vila Olímpia, em São Paulo (SP).

2004

A primeira edição aconteceu nos dias 13 e 14 de agosto de 2004. Em duas noites de show, o público foi ao delírio quando as bandas Lasgo e Ian Van Dahl subiram no palco. Lasgo fazia muito sucesso na época com os singles Something, Pray e Surrender, enquanto Ian Van Dahl apresentou lá as músicas do álbum 'Lost & Found', além de outros singles como Will I?. Além destes, teve também o DJ Ross, que brilhava com o single Emotions; os irmãos Erika e Magic Box (Tristano de Bonis), que faziam sucesso com I Don't Know e If You, respectivamente; e a banda brasileira Dalimas, que apresentou ao público a sua versão de Livin' On A Prayer. Desta edição, saiu o DVD com as gravações do show da primeira noite e o CD da apresentação de DJ Ross, Erika e Magic Box.
A estimativa é de que o número de pessoas reunidas assistindo ao show passa de 15 mil.






2005

O sucesso de bilheteria da edição anterior fez com que a Building Records fizesse mais um festival. Embora o público tivesse reclamado do baixo volume do som das caixas amplificadas e da forte iluminação, o Planet Pop Festival 2005 teve o mesmo sucesso que o de 2004, pois teve o grupo canadense The Underdog Project, o mais esperado pelo público; a estréia das bandas brasileiras Daytona e Klauss, e o DJ alemão Jan Wayne, que apresentou os remakes Because The Night e Total Eclipse Of The Heart.








Making Off:

2006
A terceira edição foi realizada nos dias 7 e 8 de abril daquele ano. Repetiu algumas atrações que vieram ao Brasil nas edições anteriores, mas também trouxe outras de peso, como a banda Groove Coverage, que estourava nas rádios de dance music foi os hits 7 Years and 50 Days, Poison e God Is A Girl. O Planet Pop de 2006 marcou a estréia da banda brasileira Kasino nos palcos, já que estourava antes nas rádios com Can't Get Over. O DJ Ross voltou, mas sem Erika e Magic Box, e sim com Double You, com quem havia gravado Beat Goes On, Get Up e To The Beat. Ao todo, 14 mil pessoas assistiram às atrações.







Até hoje se fala muito do motivo do fim do festival Planet Pop, e um deles pode ter sido o fim da era trance (2001/2006). O outro foi o surgimento do festival Spirit Of London.
Não houve festival nos anos de 2007 e 2008, embora muitos artistas que já faziam sucesso estavam lançando novas músicas, e outros vinham surgindo na mídia, como Cascada, que estourou mundialmente ao lançar Everytime We Touch. Muita coisa mudou de lá pra cá. Annemie Coenen ficou impedida pela justiça de usar o grupo Ian Van Dahl, e por isso criou o AnnaGrace; a Lasgo mudou de vocalista e lançou os singles Gone e Out Of My Mind.
O festival voltou em 2009, com novo estilo (electro), trazendo a cantora Moony, famosa pela canção I Don't Know Why, e a dupla de DJ's alemães Milk & Sugar, conhecida mundialmente por Stay Around (For This), Love Is In The Air e Let The Sunshine. O suíço DJ Antoine também marcou presença no evento.


Quais outros artistas poderiam vir ao Brasil para o Planet Pop Festival?
  • Danzel, na edição de 2005, ele poderia animar o público com a recém-lançada Pump It Up e o seu primeiro hit, You Are All Of That, além de apresentá-los o seu álbum, The Name Of The Jam. Ele marcaria presença novamente no festival de 2006 ao cantar Put Your Hands Up In The Air. A galera ia adorar. Se ainda tivesse o festival nos dias atuais, poderia voltar novamente para relembrar esses sucessos.
  • Royal Gigolos, conhecidos por fazer regravações de sucessos antigos, como California Dreaming e Self Control, bem que poderiam fazer os espectadores saírem do chão na edição de 2005.
  • A vinda de Annemie Coenen ao Brasil, desta vez como AnnaGrace, bem que poderia ser legal no Planet Pop 2009. Lá, ela apresentaria You Make Me Feel e Let The Feelings Go, duas músicas que fizeram sucesso aqui.
  • A reaparição de DJ Ross e Double You também seria uma boa opção em 2009, para relembrar um pouco de Beat Goes On e Get Up, e apresentar ao público a canção do ano, Please Don't Go.
  • Quem poderia marcar presença nos shows é a dupla Global Deejays, na edição de 2006. No ano anterior, eles haviam lançado o sucesso What A Feeling (Flashdance), e junto com este, poderiam apresentar no palco o The Sound Of San Francisco, além do álbum Network, também daquele ano.
  • Em 2008, a música Me & Myself era uma das mais tocadas nas rádios brasileiras. Os artistas Ben DJ e Sushy, os donos, poderiam vir em 2009 e apresentá-la.
  • A dupla Milk & Sugar, que veio em 2009, podia vir antes, em 2005, para apresentar Let The Sunshine e Love Is In The Air, além de levar os vocalistas das músicas junto com eles.
  • O projeto que homenageia a cantora estadunidense Madonna, Mad'House, poderia participar dos shows de 2004 e cantar Holiday, Like A Prayer e Like A Virgin.
  • Conhecidos pelos sucessos Flashdance e Say Hello, a dupla iraniana Deep Dish seria uma excelente opção no festival de 2005. Eles poderiam apresentar o álbum George Is On, lançado no mesmo ano, que também tem essas músicas como faixas.
  • Poderia ter um pouco da sessão balada em 2009, com a banda Cicada (que tocaria Beautiful, no remix de Michael Gray, e The Things You Say).

Assim, o festival viraria um mito nacional!

O que poderia ter melhorado no festival?
Todos os que se apresentaram nas quatro edições do festival poderiam fazer a versão instrumental das músicas que seriam tocadas. Algumas vezes, a voz presente na música que estava sendo tocada empatava a performance dos(as) cantores(as).
Ao invés de dois, poderiam ter sido três ou quatro noites de show, divididas em dois finais de semana.

Nasce filho do ator Alfonso Herrera, ex-RBD


Nasceu o bebê do ator Alfonso Herrera, ex-integrante do "RBD". O ator divulgou uma foto da mão do bebê em seu perfil do Instagram com a legenda "Bem-vindo". O nome do bebê não foi revelado.

Andressa Urach vai a presídio, distribui livros e dá palestra

A ex-miss bumbum, Andressa Urach esteve na Penitenciária Feminina de Santana, no Carandiru, na Zona Norte da capital paulista, local que abriga atualmente mais de 2,1 mil detentas. Para conseguir percorrer todos os pavilhões, Andressa precisou ir três sábados seguidos no presídio.
Na instituição, Andressa distribuiu mais de mais de 1,5 mil exemplares do seu livro, “Morri para Viver – Meu submundo de fama, drogas e prostituição”. Informações do EGO.
A biografia relata o passado de Andressa como ex-prostituta e faz revelações bombásticas como a perda da virgindade com seu meio-irmão e outras experiências.
“Eu gosto muito de fazer palestras nos presídios femininos. Me sinto útil neste mundo. Não vejo elas como criminosas, vejo como almas, mulheres que precisam de ajuda, que precisam recomeçar a vida, acreditar que existe uma saída, que a vida do crime não leva a lugar nenhum a não ser a morte e a cadeia. E que todos nós temos o direito de ter uma segunda chance”, disse Andressa.

Fonte: Notícias ao Minuto