terça-feira, 4 de outubro de 2016

O Melhor das Pistas - "Pressure", Nalia Ali, Starkillers e Alex Kenji

Álbum: Planeta DJ - Winter 2012, Spirit Of London White Special Edition, The Week Perfect Universe.
Gravadora: Building Records
Ano: 2011

Organização do Ultra Brasil confirma a realização do festival


Recentemente publicamos aqui na Phouse sobre a intervenção da Prefeitura do Rio de Janeiro na montagem dos palcos do Ultra Brasil. Isso não só gerou um grande descontentamento nos clientes do evento, mas também causou uma grande discussão sobre as barreiras impostas pelos órgãos públicos em eventos de música eletrônica.
Felizmente a organização conseguiu contornar a situação a tempo. Em nota oficial, enviada à nossa equipe, eles comunicaram a confirmação da realização do evento previsto para os dias 14 e 15 de outubro, na Quinta da Boa Vista:
“O festival Ultra Brasil confirma a sua realização nos dias 14 e 15 de outubro na Quinta da Boa Vista. Após liberação da Prefeitura, o trabalho de montagem dos palcos já foi retomado. O evento atenderá todas as exigências dos órgãos competentes e receberá até 25 mil pessoas por dia e tomará todas as precauções para a preservação da flora, fauna e acervo histórico do parque. O festival agora finaliza as obras para que o público possa ter a melhor experiência possível nos dias 14 e 15. Ingressos estão à venda pelo site.”
Confira também o comunicado emitido pela Prefeitura do Rio de Janeiro:
“O Secretário Municipal de Ordem Pública, Leandro Matieli, recebeu hoje os responsáveis pela organização do evento Ultra Brasil 2016. E, após a apresentação do novo projeto do evento por parte dos representantes do festival, que inclui: a redução da ocupação da área pública e a redução do público de 100 mil pessoas para 25 mil, a Seop autorizou a Consulta Prévia do novo projeto (autorizando a montagem da nova estrutura) e fez exigências previstas na legislação municipal, conforme o decreto 40711/2015 aos organizadores para a concessão do alvará, tais como: nada opor da CET-Rio e da Fundação Parques e Jardins. Cabe ressaltar que para a concessão do alvará a organização do evento também deve apresentar as autorizações de instituições estaduais e federais.”

A desigualdade e a decadência do mundo artístico brasileiro

Escrevo aqui sobre isso para fazê-los pensar no quão estranha a cultura brasileira está se tornando de uns tempos pra cá. No Brasil, a pior parte está no você correr atrás do que quer e não ter êxito em seu objetivo.

O fato é que aqui só faz sucesso aquele que já tem um destino traçado, principalmente por ser filho de artista, como é o caso de Zé Felipe, filho de Leonardo. Ele nega fazer sucesso por causa de seu pai, mas quando o filho de famoso sobe na vida, não tenho dúvidas de que o filho recebeu a ajuda do tal, já que o Zé não tem talento algum. O mais absurdo até é que ele, com 18 anos, sem ao menos ter um diploma ou feito um concurso, já mora sozinho em sua própria casa, enquanto muita gente quer ter sua independência e seu dinheiro, mas as circunstâncias da vida não as favorecem, nem mesmo para passar em um simples concurso.
Minha mãe, se quisesse, poderia me colocar pra ser modelo de comerciais de TV quando pequeno, pois assim eu viraria ator ou cantor, mesmo não tendo capacidade para tais atividades, simplesmente por ser bonito. É o caso da Giovanna Grígio, que mal saiu do SBT e estourou em Êta Mundo Bom ao dar vida à Gerusa, uma menina que sofre de leucemia. Para se ter uma ideia, ela começou como modelo de comercial aos seis meses, e hoje está aí, na Rede Globo.
A maravilha de ser filho de famoso é não precisar fazer teste para novelas, como foi o caso de Lívian Aragão, filha do Renato Aragão. Em entrevista, a moça disse ter feito uns cinco testes para participar da 23ª temporada de Malhação com 700 candidatas (#mentirapura). É lógico que esta foi mais uma que fez Malhação por causa da fama do pai, né? Pensem como eu odeio gente que mente! E porque que, de 700 candidatas, justo Lívian foi a escolhida? Puta que pariu, que óbvio.

Outro fator importante para ser famoso é ser nascido em São Paulo ou no Rio de Janeiro. Somente nestes dois estados há inúmeras gravadoras. São Paulo e Rio de Janeiro são as terras da diversidade musical, pois lá se toca samba, dance music, rock, soul, pop, tudo que você imaginar. Como moro na Bahia, só escuto pagode, axé e funk, e caso eu escutar outro gênero, sou chamado de ridículo. Só em São Paulo e no Rio de Janeiro que se vê a chance de fazer sucesso, de brilhar. São lugares onde muitas portas se abrem para aquele que tem vontade de subir na vida. Já fora destes estados, nem pensar.

O que também me deixa incomodado é o fato de ter que compor letras que denigrem a imagem feminina, chamando-as de cachorras, safadas, e mandando elas descerem a bunda até o chão e serem sarradas; letras que façam apologia às drogas. As músicas de hoje não falam outra coisa a não ser "sarra a novinha no grau", "roça o piru nela que ela gosta", "novinha quer mamar (...), chupa o meu pinto", "fumo minha maconha que me deixa na mó brisa", "vamo formar o bonde dos maconheiros", entre outras atrocidades que deixam as pessoas que não fazem parte dessa laia loucas, não no sentido literal da palavra, e sim de socar tanto a cara de quem escuta quanto de quem compõe e/ou canta. O pior é que esses cantores estão na moda. E como diz o ditado, "tudo me é licito, mas nem tudo me convém", e é exatamente este ditado que precisa ser compartilhado para que as pessoas caiam em si e vejam o que jogam para o universo. Músicas que falam positivamente de drogas, orgia, de consumismo e ostentação, precisam urgentemente serem descartadas.

Essa massa de gente que está se fazendo passar por ator/atriz e cantor/cantora está acabando com a cultura brasileira e deixando os anônimos super alienados, achando que realmente essa gente tem talento só por serem bonitas e/ou filhas de famosos. É tanto IBOPE que elas tem que já não será possível, no futuro, reconhecer os verdadeiros talentos.
Enfim, o ser humano precisa ser menos iludido e imbecil. Ah! Mais uma coisa: sem mimimi, por favor. Se não gostou da verdade, não apareça mais aqui.

Monica Iozzi vai recorrer contra decisão de indenização a Gilmar Mendes


São Paulo - Após ser condenada a pagar R$ 30 mil por uma postagem no Instagram na qual critica o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, a apresentadora Monica Iozzi disse que vai recorrer da decisão.
Por meio de sua assessoria de imprensa, ela afirma que não houve qualquer tipo de ofensa ao ministro. "Mas sim a expressão de uma opinião sobre um fato público a respeito do julgamento de um médico que chocou o país. Médico acusado e condenado por ter abusado sexualmente de dezenas de suas pacientes", diz o comunicado.
No post, Monica, que apresentava o Vídeo Show na Globo até fevereiro deste ano, colocou uma foto do ministro do STF com a legenda "Gilmar Mendes concedeu habeas corpus para Roger Abdelmassih, depois de sua condenação a 278 anos de prisão por 58 estupros" e escreveu: "Se um ministro do Supremo Tribunal Federal faz isso... Nem sei o que esperar".
O ministro pedia R$ 100 mil de indenização por danos morais após a publicação de Monica. Na sentença, o valor foi reduzido para R$ 30 mil.
Na decisão, o juiz responsável pelo processo afirmou que a apresentadora é uma pessoa pública, portanto "sua liberdade de expressão deve ser utilizada de forma consciente e responsável". Ele ainda acrescentou que o comentário da apresentadora teria sugerido que Gilmar Mendes foi cúmplice dos estupros, "tornando questionável o seu caráter e imparcialidade na condição de julgador, fato suficiente para atingir sua honra e imagem".

Fonte: Em.com.br

“lluminate”: Shawn Mendes coloca seu segundo álbum no topo da parada americana

Dois álbuns, dois nº1 na Billboard 200. Shawn Mendes conseguiu esse feito, com a estreia do disco “Illuminate” na Billboard 200, nesta semana. O lançamento vendeu 121 mil cópias nos sete primeiros dias nos Estados Unidos e alcançou equivalência de 145 mil pontos para o ranking – reunindo vendas e métrica de streams.


Detalhe: Shawn Mendes tem apenas 18 anos e já desfruta de dois álbuns, com canções autorais, no topo da Billboard. Só cinco artistas conseguiram isso tão jovens: Justin Bieber, Miley Cyrus, Hilary Duff e LeAnn Rimes.

Com a estreia de “Illuminate”, outro canadense, o Drake, desceu para a vice-liderança com “Views”. Confira o Top 10 completo:
01) “Illuminate” – Shawn Mendes (lançamento)
02) “Views” – Drake (1-2)
03) “Suicide Squad” – Trilha Sonora (-)
04) “Farm Tour… Here’s to thhe Farmer” – Luke Bryan (lançamento)
05) “Chapter and Verse” – Bruce Springsteen
06) “Birds in the Trap Sing McKnight” – Travis Scott (8-7)
07) “Blurryface” – twenty one pilots (9-8)
08) “They Don’t Know” – Jason Aldean (6-8)
09) “ANTI” – Rihanna (12-9)
10) “Dangerous Woman” – Ariana Grande (11-10)

O assalto a Kim Kardashian pode prejudicar o turismo na França?

A celebridade americana Kim Kardashian foi assaltada na madrugada desta segunda-feira em Paris. Mas a discussão sobre o caso foi bem além do valor das joias levadas ou detalhes da ação dos ladrões.
Algumas autoridades francesas estão afirmando que o assalto pode impactar o setor de turismo na capital, já prejudicado depois dos atentados terroristas do ano passado - enquanto outras minimizaram o caso.
"Podemos fazer todas as publicidades possíveis para atrair turistas a Paris, isso acaba de ser brutalmente anulado com o caso da Kardashian", afirmou a deputada Nathalie Kosciusko-Morizet, candidata às primárias do partido Les Républicains.
Já a prefeita da capital francesa, Anne Hidalgo, rebateu as críticas em um comunicado. "Esse ato raríssimo, ocorrido em um local privado, não coloca em dúvida o trabalho dos policiais e a segurança no espaço público parisiense", disse.
"Utilizar o caso para polêmicas é prejudicar o setor do turismo e os 500 mil empregos que ele representa na região."

Joias milionárias
Cinco homens armados e disfarçados de policiais invadiram, por volta das 3h em Paris (22h em Brasília), o discreto hotel de luxo no bairro de Madeleine, onde a celebridade estava hospedada.
Os ladrões renderam o vigia do local, que não tem placa na porta, entraram no quarto de Kardashian e roubaram milhões de euros em joias.
Kardashian, que prestou depoimento à polícia, estava dormindo no momento do ataque e foi acordada com uma arma na cabeça. Depois, foi amarrada e trancada no banheiro da suíte.
Assessoras afirmaram que ela estava muito abalada, mas que não havia sido ferida.
De acordo com a imprensa francesa, as joias roubadas valeriam 9 milhões de euros (cerca de R$ 33 milhões). Uma das peças seria seu anel de casamento, no valor de € 4 milhões (R$ 14,6 milhões).
A Secretaria de Segurança Pública da capital francesa confirmou que o roubo foi estimado em "vários milhões de euros, referentes principalmente a joias, mas o valor total ainda está sendo avaliado". A polícia está investigando o caso.

Golpe Duro
O roubo ocorre apenas uma semana após a prefeita ter lançado uma campanha publicitária para promover a capital francesa - com custo de 300 mil euros (mais de R$ 1 milhão), financiado em grande parte pela iniciativa privada.
Outras ações deste tipo já haviam sido realizadas nos últimos meses, numa tentativa de reverter a queda no número de turistas na cidade - os temores relacionados à segurança são apontados como os principais vilões desse cenário.
"Podemos fazer todas as publicidades possíveis para atrair turistas a Paris, isso acaba de ser brutalmente anulado com o caso da Kardashian", afirmou a deputada Nathalie.
O número de turistas americanos, a principal nacionalidade em relação ao total de visitantes neste ano, já havia caído quase 6% no primeiro semestre de 2016, segundo dados do Comitê Regional do Turismo (CRT) de Paris e da região Île-de-France, que inclui a cidade e seus arredores.
Nos primeiros seis meses deste ano, houve uma queda de 1 milhão no número de turistas em Paris (de todas as nacionalidades) na comparação com igual período de 2015, ainda segundo o CRT.
As principais quedas ocorreram em relação aos turistas alemães (-19%) e chineses, com redução de 11%. Os chineses são os turistas que mais gastam em Paris, principalmente nas lojas de grifes de luxo.

Turistas asiáticos
"Observamos uma queda intensa no número de turistas asiáticos. Algo jamais visto", afirma Valérie Pécresse, presidente do conselho regional (equivalente no Brasil ao cargo de governador) da Île-de-France.
Turistas asiáticos são os que mais temem problemas de segurança. Inúmeros chineses, conhecidos por carregar grandes quantias de dinheiro vivo, já foram vítimas de assaltos na cidade.
Muitos hotéis em Paris registram neste ano queda na ocupação que ultrapassa 10 pontos percentuais. O luxuoso hotel Plaza Athénée teve de fechar dois andares no mês de agosto, tradicionalmente época de alta estação, por falta de clientes.
Guias de excursões, barcos de passeio pelo Sena, donos de restaurantes e lojistas têm se queixado da falta de turistas.
Além disso, roubos em joalherias de luxo ocorrem têm ocorrido com frequência na França nos últimos anos, cometidos por quadrilhas internacionais especializadas. Há suspeitas de que seria o mesmo tipo de grupo armado que teria roubado Kardashian.

Helô invade jantar e chama Fausto de assassino diante da família


Helô (Isabelle Drummond) não consegue conter sua revolta. Filha de Cândida (Denise Fraga) eJorge (Daniel Ribeiro), a moça vive à beira da miséria com a família e viu seu pai, tomado pelo desespero, tentar assaltar a fábrica de Fausto Leitão (Tarcísio Meira).
Jorge foi preso e morreu no meio de uma rebelião, o que faz a jovem não conseguir aceitar que o poderoso empresário que se recusou a retirar a queixa contra seu pai siga a vida normalmente, como se nada tivesse acontecido.


Interessado em traçar uma carreira política, Fausto, junto com a esposa Magnólia (Vera Holtz), recebe o secretário César Venturini (Otávio Augusto) e seu séquito em sua casa. O político fala em lançar a campanha de Fausto para a prefeitura de São Dimas com o lema “competência e coração” e já comemora a campanha. Mas o clima de já ganhou é interrompido pela chegada de Helô, que acaba com aquela comemoração: “Que coração? Esse homem é um assassino!”.

Bruno Gagliasso fala como é interpretar seu personagem e dispara: - Precisamos mostrar casais diferentes na TV

Bruno Gagliasso está vivendo um ano e tanto! O ator, que está no ar na novela das seis da Globo, Sol Nascente, falou sobre como está sendo viver Mário, seu personagem durante uma entrevista à coluna Outro Canal do jornal Folha de S. Paulo. Segundo o marido de Giovanna Ewbank, depois de viver alguns vilões nos últimos anos, ele precisava de um personagem mais tranquilo.
- Vim de uma turma barra-pesada, precisava de um personagem solar, desabafou ele.
O ator, que recentemente fez uma tatuagem em homenagem à sua filha, Titi, revelou que seu personagem é bem interessante, afinal, não segue a linha de todos os mocinhos e se distingue bastante por ser fora dos padrões.
- Não é um mocinho óbvio, já começa errando. Até porque o ser humano é assim, não existe ninguém 100% bonzinho nem 100% mau. É tão chato quando você vê um cara que não erra, que só acerta. Esse erra e pede desculpa, grita, é impulsivo. É real, isso me fez querer interpretar esse cara. E com o amor ele vai ganhar maturidade. Claro que ele vai sofrer, vai passar por várias situações que testarão o limite dele, contou o ator.
Além disso, Bruno, que faz par romântico com a personagem de Giovanna Antonelli, revelou como se sente ao fazer par com uma mulher mais velha.
- Na história, a Alice é mais velha que ele. O Mário é o amigo que se apaixona pela amiga mais velha. Acho que é preciso mostrar casais diferentes na TV. É um preconceito isso. A nossa sociedade formou a gente assim, e estamos aqui justamente para quebrarmos essa ideia, disse ele.

Fonte: Folha Vitória

Lindsay Lohan quase perde dedo em acidente de barco


A atriz Lindsay Lohan sofreu um acidente de barco na tarde deste domingo, dia 2, e perdeu metade do dedo anular. "Este é o resultado da minha tentativa de ancorar o barco sozinha. Coitado do meu dedo", disse Lindsay. No momento, ela passa férias no Mediterrâneo.

O Melhor Das Pistas - "The Radio", de Get Far Feat. H-Boogie

Artista: Get Far e H-Boogie
Música: The Radio
Ano: 2009
Divulgação no Brasil: Building Records
Álbum: As 7 Melhores 2010 (Jovem Pan)