quarta-feira, 10 de maio de 2017

#MemóriaDaTV: Cabocla, sucesso da Rede Globo, completa 13 anos de estréia


Cabocla foi ao ar no horário das seis entre 10 de maio e 19 de novembro de 2004, em 167 capítulos, substituindo Chocolate com Pimenta e sendo substituída por Como Uma Onda. A novela foi inspirada no romance homônimo de Ribeiro Couto e adaptada pelas irmãs Edmara e Edilene Barbosa, filhas do também escritor Benedito Ruy Barbosa, sendo dirigida por Ricardo Waddington. A Rede Globo havia feito uma outra versão de Cabocla, em 1979.

Elenco
Na versão de 2004, teve no elenco Daniel de Oliveira e Vanessa Giácomo interpretando o mulherengo Luís Jerônimo e a cabocla Zulmira, chamada também de Zuca. Na vida real, Daniel e Vanessa começaram a namorar nessa novela, ficaram casados de 2009 até 2012 e tiveram dois filhos, Raul (n. 2008) e Moisés (n. 2010).

Tony Ramos e Patrícia Pillar nos bastidores
Contou também com as participações de Tony Ramos como o Coronel Boanerges; Mauro Mendonça, o Coronel Justino; Patrícia Pillar, como Emerenciana, mulher de Boanerges; Danton Mello, como o filho de Justino, Neco; Regiane Alves, a Belinha, filha de Boanerges; Carolina Kasting, a Mariquinha, filha de Justino; Malvino Salvador, que interpretou Tobias, homem apaixonado por Zuca; Othon Bastos, que interpretou o médico Edmundo Esteves; Otávio Augusto, intérprete de Zé da Estação, pai de Zuca; Reginaldo Faria, que deu vida ao pai de Jerônimo, Joaquim; e Jussara Freire, como a mãe de Zuca, Siá Bina.

Sobre a história da novela
A novela era ambientada em 1918 no município rural da Vila da Mata, e a novela gira em torno dos coronéis Boanerges e Justino, que eram rivais na política e disputavam entre si o poder absoluto da cidade. Paralelo à esse embate, acontecera o amor entre Belinha e Neco. Ela era filha de Boanerges e Emerenciana, e ele era filho do viúvo Justino, e o romance dos dois também ganharam destaque na novela.

Tony Ramos ganhou prêmio de Melhor Ator no Melhores do Ano do 'Domingão do Faustão' por interpretar o Coronel Boanerges
Mauro Mendonça como o Coronel Justino em Cabocla

Neco fora estudar direito no Rio de Janeiro, onde conheceu Belinha, mas tinha a dúvida se largava ou não a faculdade, pois preferia a vida no campo. O moço tinha visões políticas diferentes das do pai, já que defendia os direitos dos trabalhadores rurais, os "pés-descalços".
Belinha se formou professora primária no Rio de Janeiro, mas seu pai era contra que ela desse aulas, pois queria primeiro o diploma para que a autorização viesse depois.

Patrícia Pillar se tratou de câncer descoberto em 2001, motivo pelo qual se afastou da vida artística até 2004, quando voltou em Cabocla


Danton Mello e Regiane Alves formaram par romântico em Cabocla





Havia ainda a história de amor entre Luis Jerônimo e Zuca. As paixões do rapaz por outras mulheres eram passageiras, mas não foi assim quando conheceu a moça, que rompeu seu noivado com o peão Tobias ao perceber a quem realmente amava de fato, enfrentando tudo e todos para viver essa nova paixão.

Vanessa Giácomo como Zuca
Daniel de Oliveira como Luís Jerônimo
Tobias
O Coronel Justino tem outra filha, a professora Mariquinha, que amava em silêncio o peão da fazenda de Boanerges, Tobias, até que um dia os dois se apaixonaram. Ele ficou balançado com o término de sua relação com Zuca, mas com o passar dos dias conseguiu perdoá-la.

Mariquinha


Mariquinha costumava sempre conversar com Tomé (Eriberto Leão), também amigo de Tobias e apaixonado por Rosa (Vanessa Gerbelli), a filha roubada de Felício (Sebastião Vasconcellos) e Generosa (Vera Holtz) e irmã de Tobias.

Tomé

Generosa sofria todos os dias com a ausência de Rosa e com o gênio explosivo do marido, Felício, que se conformava até demais com o sumiço da jovem. Eles tiveram mais outra filha, Tina (Maria Flor), que era apaixonada por Tomé. Tobias cuidava sempre dela para que não tivesse o mesmo destino de Rosa, roubada por mascates.

Generosa
A mãe de Zuca, Siá Bina, é uma cabocla da roça e casada com o trabalhador Zé da Estação, chefe da estação de Pau D'Alho, e também o dono do único hotel da cidadezinha. Siá sofreu quando sua filha terminou o noivado com Tobias.

Zé da Estação
Jussara Freire como Siá Bina, ao lado de Vanessa Giácomo, a Zuca, em cena de Cabocla

A novela mostrou ainda a disputa entre o empregado de Boanerges, Nastácio (Cosme dos Santos), o vendedor de beira de estrada Zaqueu (Alexandre Rodrigues), e Chico da Venda (Cláudio Galvan), empregado de Zé da Estação, pelo coração de Ritinha, mucama da casa de Boanerges e confidente de Belinha.

Ritinha
Quem entendia muito bem a situação política e econômica da época era o Capitão Macário (Oscar Magrini), que fazia uma roda com os amigos para discutir sobre o assunto.

Capitão Macário
Mais personagens:
Pepa, La Sevilhana (Elena Toledo), dançarina espanhola do cabaré que Luis Jerônimo frequentava, e uma de suas paixões passageiras.
Joaquim (Reginaldo Faria), pai de Luís Jerônimo. Comerciante, vive apenas para o trabalho e pensando no futuro do filho.
Pequetita Novais (Mareliz Rodrigues), jovem intelectualizada, de grande personalidade e inteligência. Acreditava ter encontrado em Luís Jerônimo o grande amor de sua vida, mas estava muito enganada.
Edmundo Esteves (Othon Bastos), médico especialista em doenças pulmonares.
Telles (Rogério Falabella), médico da clínica geral de Vila da Mata.
Xexéu (Fernando Petelinka), tabelião de Vila da Mata e Pau D'Alho.
Vigário (John Herbert), o único padre da cidade de Vila da Mata.
Julieta (Roberta Rodrigues), empregada de Justino e silenciosamente apaixonada por ele.
Chico Bento (Umberto Magnani), fazendeiro, e aliado de Boanerges na política.

Trilha Sonora

A novela teve apenas um CD, estampado por Vanessa Giácomo, e apresentou 15 músicas nacionais como 'Madrigal', tema de abertura interpretado por Lazza, Schiavon e Deluqui, 'Nosso Amor É Ouro', de Zezé di Camargo & Luciano, tema de Belinha e Neco; 'Céu de Santo Amaro', de Flávio Venturini e Caetano Veloso, tema de Zuca e Jerônimo and more!
  1. "Nosso Amor é Ouro" - Zezé Di Camargo & Luciano (tema de Belinha e Neco)
  2. "Você, o Amor e Eu" - Cleiton & Camargo (tema de Tomé)
  3. "Floresce" - Rionegro & Solimões (tema de Generosa)
  4. "Outro lugar" - Milton Nascimento (tema de Mariquinha)
  5. "Sertaneja" - Ivan Lins (tema de Tobias)
  6. "História do Sertão" - Roberta Miranda (tema de Emerenciana)
  7. "Amora" - Renato Teixeira (tema de Zuca)
  8. "Manhã Bonita" - Rolando Boldrin
  9. "Madrigal" - Lazza, Schiavon & Deluqui (tema de abertura)
  10. "Céu de Santo Amaro" - Caetano Veloso & Flávio Venturini (tema de Zuca e Luís Jerônimo)
  11. "Sem Palavras" - Marlon & Maicon (tema de Tina)
  12. "Riacho Sereno" - Rick & Renner
  13. "Meu Cavalo Zaino" - Sérgio Reis (tema de Borneges)
  14. "O Trem Tá Feio" - Teodoro & Sampaio (tema de locação)
  15. "Benzinho" - Almir Sater

Audiência
A meta da emissora entre 1995 e 2006 era de 30 pontos, e Cabocla conseguiu acumular de média geral 34 pontos. A menor pontuação é de 24 pontos, obtida em 09 de outubro, e a maior é de 43, de 10 dias depois. O primeiro e o último capítulo tiveram média de 40 e 43 pontos, respectivamente.
Assim sendo, Cabocla foi outro sucesso do horário das seis.


10/05 a 15/05/2004 40 37 37 35 34 34 = 36.2 (36)
17/05 a 22/05/2004 34 35 36 35 34 30 = 34.0 (34)
24/05 a 29/05/2004 36 33 33 34 34 30 = 33.3 (33)
31/05 a 05/06/2004 35 34 34 34 33 28 = 33.0 (33)
07/06 a 12/06/2004 32 33 34 30 32 28 = 31.5 (32)
14/06 a 19/06/2004 33 32 32 33 33 27 = 31.7 (32)
21/06 a 26/06/2004 34 34 34 30 32 28 = 32.0 (32)
28/06 a 03/07/2004 32 35 32 33 32 27 = 31.8 (32)
05/07 a 10/07/2004 34 32 31 31 34 30 = 32.0 (32)
12/07 a 17/07/2004 35 35 32 33 33 30 = 33.0 (33)
19/07 a 24/07/2004 39 33 33 36 34 30 = 34.2 (34)
26/07 a 31/07/2004 36 35 34 35 36 32 = 34.7 (35)
02/08 a 07/08/2004 37 36 36 38 34 31 = 35.3 (35)
09/08 a 14/08/2004 36 34 36 35 35 30 = 34.3 (34)
16/08 a 21/08/2004 34 35 38 37 34 27 = 34.2 (34)
23/08 a 28/08/2004 35 37 35 37 36 28 = 34.7 (35)
30/08 a 04/09/2004 34 33 33 33 30 26 = 31.5 (32)
06/09 a 11/09/2004 34 34 34 36 35 31 = 34.0 (34)
13/09 a 18/09/2004 35 33 34 34 35 28 = 33.2 (33)
20/09 a 25/09/2004 32 32 32 34 32 28 = 31.7 (32)
27/09 a 02/10/2004 34 33 37 35 34 30 = 33.8 (34)
04/10 a 09/10/2004 37 37 37 34 35 24 = 34.0 (34)
11/10 a 16/10/2004 34 32 39 39 41 29 = 35.7 (36)
18/10 a 23/10/2004 36 43 40 41 39 30 = 38.2 (38)
25/10 a 30/10/2004 40 40 41 40 39 30 = 38.3 (38)
01/11 a 06/11/2004 38 38 36 38 36 28 = 35.7 (36)
08/11 a 13/11/2004 38 37 36 37 36 30 = 35.7 (36)
15/11 a 20/11/2004 38 41 40 40 42 31 = 38.7 (39)

Prêmios

Melhores do Ano (2004):
Melhor Ator - Tony Ramos
Atriz Revelação - Vanessa Giácomo

Prêmio Qualidade Brasil SP (2004):
Atriz Revelação - Vanessa Giácomo
Melhor Novela
Ator Revelação - Malvino Salvador
Melhor Ator Coadjuvante - Danton Mello
Melhor Diretor - Ricardo Waddington
Melhor Autor de TV - Benedito Ruy Barbosa
Melhor Atriz Coadjuvante - Jussara Freire

Prêmio Qualidade Brasil RJ(2004):
Atriz Revelação - Vanessa Giácomo
Prêmio Contigo (2005):
Atriz Revelação - Vanessa Giácomo
Par Romântico - Regiane Alves e Danton Melo

Vanessa Giácomo, Daniel de Oliveira e Jussara Freire em cena de Cabocla
Mauro Mendonça, Tony Ramos e John Herbert, que interpretava o único padre da cidade de Vila da Mata, Vigário, em cena da novela
Eriberto Leão e Maria Flor nos bastidores de Cabocla
Daniel de Oliveira, Tony Ramos, Patrícia Pillar e Regiane Alves em cena de Cabocla
Malvino Salvador e Carolina Kasting nos bastidores de Cabocla
Malvino Salvador e Vanessa Giácomo
Curiosidades
  • A novela é um remake homônimo da original de 1979, também escrita por Benedito Ruy Barbosa. A trama já havia sido exibida em 1959 pela TV Rio, com Glauce Rocha e Sebastião Vasconcellos interpretando Zuca e Luis Jerônimo.
  • Benedito Ruy Barbosa acompanhou o trabalho das filhas, Edilene e Edmara, lendo os capítulos, corrigindo-os, dando dicas sobre o período histórico e orientando-as sobre como esquentar a trama política.
  • Cabocla marcou a volta de Patrícia Pillar à TV. A atriz estava afastada da vida artística desde 2001 para se tratar do câncer de mama.
  • A novela foi reexibida pelo Vale A Pena Ver de Novo entre 07 de abril e 29 de agosto de 2008 em 105 capítulos, obtendo média geral de 17 pontos, considerada satisfatória para a emissora na época que exigia 18. Se fosse hoje, seria sucesso, pois a meta é de 15 pontos.
  • As cidades fictícias de Vila da Mata e Pau D'Alho foram construídas no Projac. A primeira foi inspirada em locações de Minas Gerais. A segunda teve como referência Lençóis, interior da Bahia.
  • As atrizes Patrícia Pillar, Aisha Jambo, Maria Flor, Jussara Freire e Vanessa Giácomo tiveram que ter aulas de como aprender a ser típicas donas de casa do século passado, que incluiam bordado, culinária, ordenha, passar roupa com um ferro característico da época e cozinhar pratos como bolos, biscoitos de araruta, pão de queijo, pão de milho, doces de abóbora e goiaba, frango ensopado com quiabo e arroz, feijão mineiro e carne seca, além de picar temperos e pilar grãos.
  • Foi a primeira novela de Malvino Salvador, e a última até então de Vanessa Gerbelli, que se transferiu para a Record, voltando para a Globo em 2014 na novela Em Família.
  • Mareliz Rodrigues, intérprete de Pequetita, é sobrinha de Benedito Ruy Barbosa. Apesar do parentesco, a atriz já garantiu que os papéis foram conquistados, e não dados. Ela atuou em outras três novelas de Benedito, Esperança (2002), Paraíso (2009) e Meu Pedacinho de Chão (2014).